Ibama apreende 114 quilos de filé e cauda de lagosta em fiscalização em casa na praia de Maracajaú, no litoral Norte

Cerca de 114 quilos de filé e de cauda de lagosta in natura foram apreendidos por fiscais do Ibama na manhã desta terça-feira (12) dentro de uma casa na praia de Maracajaú, no litoral norte potiguar.

Para a extração do filé e das caudas, o Ibama estima que foram capturados, ilegalmente, cerca de 400 quilos de lagostas das duas espécies.  Ainda de acordo com o Ibama, os crustáceos apreendidos, (64 quilos de filé e 50 de cauda), estavam armazenados dentro de um depósito da casa fiscalizada.

Segundo o Ibama, o dono da casa não foi encontrado.

Se for encontrado, ele será multado e deve responder pelo crime de armazenamento de produto de pesca em período proibido.

Vale lembrar do dia 1º de dezembro a 31 de maio ocorre o defesa da lagosta, que é o período de reprodução das espécies ‘cabo-verde’ e ‘vermelha’, as mais comuns no litoral potiguar.

Todo o produto apreendido deverá ser doado para instituições de caridade.

Para denúncias, o Ibama dispõe da Linha Verde, que atende pelo 0800-61-8080.

Com acréscimo de informações do G1-RN

ESPALHOU RÁPIDO: Boato de abandono de condomínio na praia de Maracajaú acaba em saque e impressiona Polícia

A Intertv Cabugi exibiu uma reportagem nesta quarta-feira (16), sobre um boato que fez com que um condomínio fosse saqueado nessa terça-feira (15) na praia de Maracajaú, no litoral Norte. Na ocasião, de acordo com a Polícia Militar, usando carroças, carros e caminhões a própria população teria levado móveis, eletrodomésticos e objetos como pias e vasos sanitários. A Polícia Militar ainda não sabe onde foi que o boato começou. O tenente Lira Neto, da no PM local, disse que foi a primeira vez que ele viu algo do tipo em toda a sua carreira na polícia. “Em 13 anos de Polícia Militar, é a primeira que eu vejo uma coisa dessas. Os empresários estão assustados, porque se criou uma grande sensação de insegurança. Todos estão com medo que outros estabelecimentos também sejam saqueados, mas garantimos que isso não irá acontecer”, disse o policial.

O empresário sueco Kristian Salomak, um dos proprietários do condomínio, negou que o empreendimento tivesse sido abandonado.Os moradores que participaram do saque serão chamados para prestar esclarecimentos à polícia local.

Reportagem completa em http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2014/07/boato-faz-populacao-saquear-condominio-no-litoral-norte-do-rn.html