Diversos

Anitta faz novas revelações picantes sobre sexo, e cita relação com outros sob a presença de namorado: “foi uma delícia, ele estava olhando tudo”

Foto: Reprodução/YouTube

Sempre desinibida quando o tema é sexo, Anitta contou histórias íntimas e compartilhou sua experiência no assunto com os internautas numa entrevista com o youtuber mexicano Luis Torres. No bate-papo, a cantora deu dicas sobre sexo anal e revelou que um antigo namorado tinha fetiche de vê-la transando com outras pessoas.

“Pra mim, se você quer conquistar o meu c**inho, tem que vir com beijos, me apaixonar. Tenho dicas para dar o c*, mas não para vendê-lo com presentes, eu compro meus próprios presentes”, afirmou a artista.

Ela provocou gargalhadas no apresentador ao enumerar suas recomendações. “Em primeiro lugar, o que faço é limpar muito bem. Primeiro temos que fazer uma chuca. Como se diz chuca em espanhol? Nos certificarmos de que estamos livres de riscos, sem perigo de ‘passar cheque’, como dizemos no Brasil”, disse.

Em seguida, ela surpreendeu o anfitrião ao contar que costuma usar lubrificante na região com ajuda de um aplicador de cremes vaginais. “Por quê? Porque quando o amiguinho entrar, vai estar sempre molhado. Pode usar com cheiro, com sabor, de morango, sabe? Algodão doce, eu adoro”, comentou.

A conversa também rendeu no tópico fetiches, quando ela comentou sobre o de um ex.

“Eu já tive um namorado que gostava de me ver com outros. Eu adorei, porque estava apaixonada pelo meu namorado, mas também podia transar com outras pessoas e meu namorado adorava. Nossa! Isso foi mara! Foi uma delícia. Eu não estava sozinha, ele estava olhando tudo”, lembrou.

Com Yahoo e UOL

Opinião dos leitores

  1. Isso é um troço, deve ser muito ruim de cama, nunca vi cachorra que late muito morder.
    O bom é que ela mesma desrespeita a sua imagem, depois cobra respeito dos outros. Tenho é pena dessa coitada, é vazia demais, uma autêntica boneca inflável, que acha que só tem sexo para oferecer, lamentável.

  2. Se o homem pode fazer putaria e ter kenga, a mulher tb pode fazer putaria e ter vários boy de P grande, certo ela, a mulher tb decide com quem ele goza, ela sim é mito.

  3. Maravilhosa essa gata, me representa. Ela simplesmente diz : meu "edi" pra vcs, bando de otários!!

  4. Tem muitas pessoas no Brasil que ainda acreditam nessas imoralidades sexuais da senhorita Anita,mas,isso é só para chamar atenção e projeção midiática para autopromoção pessoal e de sua empresa musical criando ela sua própria personagem,usando a sua imagem, voz e os seus atraentes movimentos corporais eróticos e sensuais,essas estratégicas declarações sexuais extravagantes por enquanto está dando certo,chamando a atenção da mídia e do público para atração de contratos de trabalho de eventos musicais e de publicidade,mas,creio que essa estratégia no médio e longo prazo não dará certo,com essas suas sucessivas declarações sexuais exóticas,ela perderá aos poucos o apelo do público e da mídia,até cair no esquecimento.

  5. Prostituta assumida, ainda bem!
    Só que sem classe, sexo ficou para srt vívido e consumado à dois, sair por aí comentado é coisa de puta sem classe.

    1. Isso é uma vaca, esse namorado dela deve ser da turma dos jumentos, devia estar com outro enquanto ela vadiava…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

56% dos japoneses preferem ficar na internet a fazer sexo. No Brasil, índice é de 12%.

O brasileiro gosta mesmo de internet. Pesquisa divulgada hoje pela Google revela que seis a cada dez pessoas no Brasil trocariam o café pela web. Outros 59% abririam mão do chocolate por um tempo na rede. E mais: uma parte (12 %) deixaria o sexo de lado para ficar navegando na web por um ano. Adriana Noreña, diretora da Google para América Latina, explica que a web ganha cada vez mais valor entre os usuários, substituindo coisas tangíveis.

— A internet ganha espaço no dia a dia, e em qualquer momento do usuário. Só no caso dos celulares, são mais de 800 mil ativações diárias do Android (sistema operacional móvel da Google) no mundo. E a Google vai estar sempre onde estiver o usuário — disse Adriana.

O estudo apesentado pela Google foi feito pela Boston Consulting Group. O levantamento mostra ainda que 8% das pessoas no Brasil preferem ficar na internet a ter de tomar banho. Na China, por exemplo, esse percentual sobe para 37%. No caso do sexo, o número é elevado: 36% dos chineses preferem a internet. Café e chocolate também estão em baixa. Lá, 85% e 82%, respectivamente, querem navegar na web em vez de consumir as bebidas.

Jorge Becerra, diretor da consultoria, diz que a internet ganha relevância para as economias. No estudo, ele ressalta que no Brasil os negócios oriundos da rede, como investimentos de empresas, governos e comércio exterior, já representam 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país). Para 2016, com o impulso de Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, o número vai saltar para 2,4%. Será um avanço de 11,8%.

— Os eventos esportivos vão elevar o investimento em rede. Mas hoje há uma dificuldade em se fazer negócios na rede no país devido à carga tributária elevada. Por isso, é mais fácil abrir empresas on-line em lugares como Taiwan (Formosa), Turquia, Chile, Malásia, Marrocos e México. Mas isso deve mudar nos próximos anos justamente porque o mundo vai estar voltado para o Brasil, por conta dos eventos esportivos. Com isso, haverá uma pressão maior por redução de carga tributária — afirma Becerra.

No estudo da Boston, comportamentos de outros países foram estudados. Na França, 42% deixariam a academia de lado para ficar na web. Sexo: 16%. O banho deixaria de ser tomado por 5%. Na Alemanha, 77% deixariam de tomar bebida alcoólica e 16%, sexo. Na Índia, 38% nao comprariam um carro e 33%, sexo. Na Indonésia, 78% abrem mão do banho e 34% do sexo. No Japão, 60% deixariam de ir a academias para ficar na web. No caso do sexo, o índice é de 56%, acima dos 17% no caso de tomar um banho. Na África do Sul, 77% trocariam álcool por internet, mesmo percentual para saborear um chocolate. Sexo fica em segundo lugar, em 22%.

A pesquisa comparou 13 países. No caso de deixar tomar banho para ficar na web, o Brasil apresentou um dos menores percentuais, na frente apenas de Estados Unidos (7%) e França (5%). A China teve o maior índice, com 37%. Deixar de fazer sexo teve no Brasil o menor índice em relação a todos os países. O mais próximo foi na Rússia, com 15%. Na liderança do ranking, está o Japão, com 56%.

Fonte: O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *