Tecnologia

Fábio Faria libera R$ 10 milhões para conexão de internet em instituições de ensino no RN

Foto: Divulgação

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, liberou nesta segunda-feira (26), em Natal-RN, recursos na ordem de R$ 10 milhões para conclusão do Projeto Infovia Potiguar. A cerimônia contou com a presença do reitor da UFRN, José Daniel Diniz, representando as instituições de ensino no Estado, que serão beneficiadas.

O Projeto Infovia Potiguar fortalece a inclusão digital na rede de instituições de educação. São sete redes metropolitanas contempladas, recebendo a instalação de fibra ótica para conexão de alta qualidade: Mossoró, Caícó, Currais Novos, Santa Cruz, Açu/Ipanguaçu, Ceará-Mirim, São Gonçalo do Amarante, João Câmara e Pau dos Ferros.

“A materialização do projeto Infovia Potiguar começa pelo Setor Leste – composto pelo trecho João Câmara-Ceará Mirim e pelas redes metropolitanas de João Câmara, Ceará-Mirim e São Gonçalo do Amarante – que deve ser concluído em agosto de 2021. Em outubro, será entregue o Setor Oeste – formado pelo trecho Pau dos Ferros-Mossoró e pela rede metropolitana de Pau dos Ferros. Nesse município, serão 25 pontos com conexão”, informou o ministro Fábio Faria.

Na lista de entidades beneficiadas estão oito escolas, unidades de saúde, complexo penal, as universidades Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e Federal Rural do Semiárido (UFERSA), o Instituto Federal (IFRN) e órgãos da administração pública.

O Infovia Potiguar é desenvolvido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), com apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte e do Ministério das Comunicações (MCom). Com a instalação da rede de fibra ótica no interior do estado, a velocidade da conexão deve chegar 100 Gbps (Gigabits).

 

Opinião dos leitores

  1. Caba de peia este ministro deputado. Babão de baixo nível de Bolsonaro. Não voto mais neste sujeito.

  2. Fábio Faria libera??? Como assim? Pensei que ele era Ministro de Estado! Princípio da impessoalidade passou longe hem… alô MP!

  3. Jája tá no rádio e televisão, como obra do governo GD.
    Vcs vão vê.
    Papai Bolsonaro.
    O melhor governador do RN.
    Sem nenhuma dúvida.
    Robinson e Rosalba deve tá morrendo de inveja.
    Devem estarem dizendo.
    Há se no meu tempo fosse assim.
    Tinham dado um show os dois, mas o governo era petralha, só tinha olhos pra vizinha Paraíba.
    PE.
    MA.
    AL.
    SE.
    BA.
    CE.
    O RN era excluído, nada de verbas federais, nos dois governos.
    O POUQUINHO que chegava Fátima genocida, dizia que era ela que trazia, logo logo era a mãe madrasta etc etc…
    A verdade.

  4. Pelo pouco tempo como Ministro, Fábio Faria já fez mais pelo RN, que a Governadora.
    Pense numa inepta é essa Fátima Bezerra.

    1. Pois é, Sr. Milton! Exatamente com o dinheiro do povo que a quadrilha do PT roubava e não fazia nada. Procura argumentos!! Infelizmente, canhoto não tem argumentos.

    2. Verdade Beto, nos governos do PT, o nosso dinheiro financiava empreiteiras, o partido mais honesto do mundo, ditaduras, países do tráfico de drogas, republiquetas, triplex, sítio, filhos Ronaldinhos, esmolas, artistas ricos, MST, ONGs, etc.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Interrupção geral de serviços de internet afeta usuários brasileiros

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Diversos sites e serviços brasileiros passaram por um período de instabilidade iniciado por volta de 11h da manhã de hoje (22), informa a plataforma internacional de monitoramento de servidores Downdetector.

Segundo o serviço, o Akamai – a maior rede de entrega de conteúdo (content delivery network, CDN na sigla em inglês) do mundo passa por dificuldades técnicas. A Akamai é responsável por cerca de 30% dos servidores de distribuição de conteúdo digital da rede mundial.

Uma CDN usa redes de servidores especializados que estão distribuídos geograficamente para acelerar a velocidade com que o usuário recebe as requisições feitas no navegador. Na prática, páginas que são hospedadas no Japão ou na Europa, por exemplo, são copiadas em um servidor fisicamente mais próximo do usuário para que o tempo de download da informação seja reduzido.

Serviços bancários, como a Caixa e o Banco Safra, a corretora de valores Clear e a financeira Sicredi, ficaram inacessíveis. Servidores e lojas de jogos online, como a Playstation Network, da Sony, e a Steam, da Valve, também foram afetados. As lojas virtuais Amazon e Submarino também sofreram com a interrupção, mas já estão restabelecidas. O MercadoLivre também passa por instabilidade em seus serviços, assim como o PagSeguro, do grupo UOL.

No início do mês, uma falha parecida ocorreu em outra CDN de grande porte, a Fastly Inc., e também afetou serviços financeiros, comércio e servidores de jogos.

A Akamai informa, na página de monitoramento de seus serviços, que está investigando as causas da interrupção generalizada.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

    1. Precisa não ZÉ tomaz, já fizeram isso nas últimas eleições. Esqueceu? Ah, claro, memória seletiva… todo mundo já esqueceu.

    2. Acorda Brasil: Se invadiram o TSE na última eleição então foi por isso que o MINTO das rachadinhas foi eleito? KKK.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Lei obriga operadoras no RN a garantirem pelo menos 80% da velocidade de internet contratada

Fotos: Assessoria de Comunicação

As prestadoras de Serviço de Comunicação Multimídia que atuam no Rio Grande do Norte deverão garantir a partir de agora uma velocidade média de conexão à internet banda larga ou móvel, tanto no download quanto no upload, de, no mínimo, 80% da velocidade contratada pelo assinante.

Uma lei neste sentido de autoria do deputado e presidente da Assembleia Legislativa do RN, Ezequiel Ferreira (PSDB) foi sancionada pela governadora Fátima Bezerra (PT) e publicada no Diário Oficial do Estado esta semana. Há a possibilidade de aplicação de multa em caso de descumprimento.

“Infelizmente, é prática comum no mercado que os provedores anunciem uma velocidade de conexão grande, mas, quando o serviço é contratado, constata-se que o serviço fornecido é muito inferior ao acordado e, até mesmo, ao valor mínimo estipulado pela ANATEL. Em tais casos, a prestadora acaba se justificando com o fato de que o contrato trata da velocidade máxima, e não média, e assim o problema permanece sem nenhuma solução devido a ausência de penalidades objetivas, problema agora solucionado”, disse Ezequiel Ferreira.

Segundo a nova legislação, a velocidade média de conexão de internet será obtida através da média aritmética simples dos resultados das medições de velocidade instantânea, realizadas durante um mês.

Na hipótese da velocidade média de conexão à internet estar abaixo de 80% da velocidade contratada pelo assinante, a prestadora contratada deverá realizar o abatimento automático referente ao valor proporcional do serviço não prestado, acrescido de multa no valor do 10% do total da fatura, já no mês seguinte, observado o período da reivindicação e ocorrência do dano ao consumidor.

Opinião dos leitores

  1. As leis como esta e não tem fiscalizações , não tem efeito algum. Vamos ver se muda alguma coisa é se a ANATEL, faz alguma coisa.

  2. Mais uma que não da liga.
    É a mesma coisa das demais, tipo o cara não passar mais que 10 minutos em filas de bancos.
    Papel cabe tudo.
    Quero vê cumpri.

  3. Já existe uma norma federal de 2015 que prevê a mesma coisa… Eh muita eficiência dessa assembleia viu!

  4. Mais uma lei para se juntar às muitas q já temos. Não se trata de criar. Se trata de fazer cumprir. O que não se faz nem se fará.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

PAPELÃO: Em entrevista na internet, influencer conta intimidades com Juliette, com direito a motel e “beijo grego”

Foto: Reprodução

O dançarino paraibano Alê Oliveira afirmou em entrevista recente a um podcast que já ficou com a ex-bbb paraibana, Juliette Freire.

De acordo com o dançarino, eles trocaram intimidades em um encontro que aconteceu após uma live e no fim os dois foram parar em um motel.

O produtor do cantor afirmou que durante o encontro acabou rolando um “Beijo Grego”, o tão temido pelos homens.

Blog do BG PB

Opinião dos leitores

  1. Com essa BBB eu faria e recebia beijo grego, alemão, romano a mulesta dos beijos que existir. Entre 4 paredes vale quase tudo.
    Muitos aqui estão com inveja do boy ou apenas um disfarce pra dizer que é machão.

  2. Tai Zezin Tomaz e Mané fulero, com o molusco vcs dariam certo nesse negócio de beijo grego.

  3. Isso de beijo grego é nada, deve ter uns aqui que cutem de beijo grego, fio terra trifásico e fisting.
    Eita o BG agora atiçou os desejos mas ocultos do homem kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“O Brasil está vendo que os machões da internet ficam caladinhos na CPI”, diz Renan Calheiros

Foto: Reprodução

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), provocou na sessão desta quarta-feira (30) o depoente Carlos Wizard, empresário. Diante da opção de Wizard de não responder perguntas de senadores na comissão, Renan disse que “machões da internet” ficam calados na CPI.

“O Brasil está vendo que os machões da internet ficam caladinhos na CPI”, afirmou o relator.

Wizard foi chamado a depor na CPI para esclarecer as suspeitas de que faz parte de um gabinete paralelo. Segundo a cúpula da comissão, esse grupo, que funcionava paralelamente ao Ministério da Saúde, aconselhou o presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia com ideias ineficazes e contrárias à ciência.

O empresário deveria ter comparecido à CPI inicialmente no dia 17 de junho. No, entanto, ele não foi à comissão, alegando que estava nos Estados Unidos, acompanhando o tratamento de saúde de uma familiar.

Wizard negou ter conhecimento de ‘gabinete paralelo’

No começo da sessão desta quarta, ele fez uma fala de 15 minutos, na qual disse que nunca participou e não tem conhecimento do gabinete paralelo.

Em seguida, ele disse que ficaria em silêncio e não responderia a nenhuma pergunta dos senadores, se valendo de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mesmo assim, Renan fez questionamentos a Wizard. O empresário retrucava, seguidas vezes, apenas que se reservava ao direito de ficar em silêncio.

Ele fez o mesmo diante de perguntas de senadores que o questionaram depois de Renan.

‘Não vai vender livro aqui’

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), em determinado momento, quis saber de Wizard qual é a religião dele. O empresário chegou ao Senado carregando uma placa com um versículo da Bíblia. Ele também citou mensagens religiosas em sua fala inicial.

Mas, diante da pergunta da senadora sobre a religião, Wizard disse que permaneceria em silêncio. Ela insistiu. O empresário então levantou um livro sobre seu trabalho com imigrantes venezuelanos em Roraima:

“Eu gostaria de sugerir a todos que têm interesse em conhecer um pouco mais da obra humanitária que realizei em Roraima…”, afirmou Wizard, segurando o livro.

Ele foi interrompido pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM):

“Não vai vender livro aqui, não”, disse Omar.

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) também se manifestou contrariamente à atitude do empresário.

“Se o depoente não se dispõe a falar, ele não tem direito a fazer proselitismo, auto-propaganda, auto-promoção, porque isso é um escarnio e um desrespeito a esta comissão”, disse Carvalho.

G1

Opinião dos leitores

  1. Que vergonha essa CPI, estão se aproveitando da investida de poder prender, acessar contas bancárias e telefônicas de pessoas de bem, isso seria compreensível se a CPI fosse dirigida e relatada por senadores honrados e respeitados.

  2. Realmente, em tempos de pandemia, os circos fechados, ou com poucas pessoas, essa cpi diverte um pouco, a diferença, e que no circo, os palhaços não roubam, e ali são a cpi e os sete ladrões

  3. E o Brasil todo sabendo que os ladrões de colarinho Branco igual a vc Rena calhorda, roubam, faz corrupção, pratica extorsão, se protegendo da imunidade parlamentar. Seu corruPTo safado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Nova falha na internet tira do ar sites de bancos, aéreas e órgãos governamentais

Southwest Airlines foi uma das empresas cujos sites saíram do ar com o apagão Foto: KAMIL KRZACZYNSKI / AFP

Uma infinidade de sites operados por instituições financeiras, governos e companhias aéreas, incluindo Hong Kong Exchanges & Clearing, Southwest Airlines e o banco central da Austrália, ficou brevemente fora do ar nesta quinta-feira, na segunda queda global da internet em poucas semanas.

Algumas das interrupções, incluindo aquelas que afetaram o Commonwealth Bank of Australia, Westpac Banking Corp. e Australia & New Zealand Banking Group, estavam relacionadas a uma falha na Akamai Technologies Inc., que ajuda os clientes a gerenciar serviços da web, disseram pessoas familiarizadas com o o assunto.

O banco central da Austrália foi forçado a cancelar uma operação programada de compra de títulos na quinta-feira, culpando “dificuldades técnicas”. O banco disse que recorreu a soluções alternativas e que seu site voltou a funcionar.

As interrupções foram detectadas às 14h10, horário de Sydney (2h10 em Brasília), e afetaram o serviço postal da Austrália, além de vários outros bancos do país, como ANZ e ME Bank. Todos tinham problemas com seus aplicativos móveis, ou produtos bancários on-line.

Clientes de vários bancos regionais relataram que os serviços on-line de suas entidades não estavam funcionando.

A companhia aérea Virgin Australia disse ser “uma das várias organizações afetadas pelos problemas do sistema de difusão de conteúdo do Akamai”.

O tempo de inatividade generalizado lembrou uma interrupção global de uma hora no início deste mês, desencadeada por uma falha de software na plataforma de entrega de conteúdo Fastly Inc.

As falhas em cascata resultantes, que afetaram os serviços de Amazon.com e Shopify, entre outros, serviram como um lembrete gritante de como os maiores sites do mundo estão expostos ao impacto de interrupções que variam de um simples erro humano a um ataque cibernético coordenado.

Reclamações no Downdetector

A Akamai disse em um comunicado que estava ciente do problema e “trabalhando ativamente para restaurar os serviços o mais rápido possível”.

O rastreador de sites Downdetector.com sinalizou inicialmente centenas de reclamações de usuários sobre interrupções que afetavam Southwest Airlines., Delta Air Lines e Automatic Data Processing.

Muitos dos sites afetados se recuperaram em uma hora, alguns após serem redirecionados para outros provedores.

Empresas como a Bolsa de Valores de Hong Kong e a Southwest disseram que estavam investigando o incidente, sem dar mais detalhes. “A pausa na conectividade não afetou nossa operação”, disse a Southwest em uma resposta por e-mail às perguntas.

Motivo ainda obscuro

Ainda não está claro o que desencadeou os incidentes. A Akamai não especificou a origem do problema, embora um de seus clientes afetados tenha informado que usa os serviços da companhia para a “autenticação de rede”.

No caso da Fastly, uma mudança de configuração de software por um de seus clientes desencadeou um bug.

A Akamai é um dos vários serviços de hospedagem de aplicativos e sites de alto nível que grandes empresas usam para fornecer conteúdo a milhões de usuários simultaneamente.

Em vez de hospedar todo o conteúdo do site em um único conjunto de servidores em um local, o chamado modelo de “computação de ponta” do Fastly coloca servidores em dezenas de locais, permitindo que os sites ofereçam páginas aos usuários de locais físicos mais próximos a eles. Isso reduz o tempo de espera, acelerando o carregamento da página e distribuindo a carga em servidores individuais.

Essas configurações vastas e complexas são executadas por apenas algumas empresas, como Fastly e Cloudflare Inc.

O mercado global de computação de ponta foi avaliado em US$ 4,68 bilhões em 2020 e deve se expandir a uma taxa composta de crescimento anual de 38,4% de 2021 a 2028 , de acordo com uma análise recente da Grand View Research.

Embora essas configurações geralmente funcionem a contento, sua complexidade significa que até mesmo um simples erro em um arquivo de configuração pode desencadear reações em cadeia de interrupções. Para os usuários, a maioria dos quais raramente precisa pensar sobre como a Internet funciona, isso pode ser um choque.

Preocupação com ataques

Embora não haja indícios de que esses problemas tenham sido causados por agentes mal-intencionados, a faha se dá em um momento de preocupação com cibersegurança em muitas empresas após uma série de ataques cibernéticos.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Desembargadora que ganha salário de R$ 35 mil pede que TJMA a reembolse por gastos com energia e internet no home office

Foto: Reprodução TJMA

A desembargadora Nelma Sarney, cunhada do ex-presidente José Sarney (MDB-MA), pediu que a presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão considere compensar os gastos a mais que os magistrados têm tido com eletricidade, internet e compra de equipamentos no regime de home office.

Em ofício, Nelma diz que não se trata de ajuda de custo, mas de justa e correta compensação de gastos. O salário-base de um desembargador é de R$ 35,5 mil, sem contar penduricalhos e vantagens extras.

Justiça Potiguar, com Painel, Folha de S Paulo

Opinião dos leitores

  1. Certíssima. O risco do negócio é do empreendedor, não pode sair do salário do trabalhador. O home fofice precisa ser regulamentado nessa área. Onde já se viu o empregado arcar com equipamentos (mesa, cadeira, computador, impressora etc), além de energia, internet, ar condicionado (se for o caso)?

    1. Você tem a ficha partidária dela? Acusou baseado em quê?
      Por acaso ela não seria da mesma linha política dos Ministros Toffolli e Lewandoski, cujas decisões você nunca reclamou?

    2. É incrível como essa esquerdalha é desonesta nas mínimas coisas. É o DNA, o “sangue ruim”. Baseado em que essa idiotice? Se fosse para dizer algo (nem assim deveria), podia ao menos ter lido o sobrenome da desembargadora. São uns pulhas!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mortos no Jacarezinho exibiam ‘feirão das drogas’ na internet, aponta relatório

Foto: Reprodução

“Se é lindo em silêncio, imagina cantando”. A frase seguida da foto de um fuzil foi postada em uma das contas do Twitter identificada como sendo do traficante escreveu Isaac Pinheiro de Oliveira, conhecido como “Perturbado”.

Ele foi um dos 27 mortos na operação Exceptis, realizada pela Polícia Civil na favela do Jacarezinho, na última quinta-feira (6). Logo após ser morto pela polícia, ele recebeu mensagens de uma série de pessoas, como um amigo que disse “nós sabemos da sua revolta e o porquê entrou, hoje vai restar saudade”.

Um mês antes da operação da polícia civil do Rio de Janeiro no Jacarezinho, Maurício Ferreira da Silva, conhecido como “Magneto”, postou um vídeo em sua conta do Twitter.

A imagem mostrava ele e outro rapaz usando lança-perfume durante uma festa na comunidade. “Tbt com meu irmãozao liberdade já pra ti solta juiz” (sic.) era a legenda. Maurício também foi um dos mortos pela polícia durante a ação.

“Tbt” é uma expressão em inglês que significa “throwback thursday”, algo como “quinta-feira nostálgica” em português, utilizada no compartilhamento de fotos e vídeos antigos.

Assim como ele, a maior parte dos suspeitos citados em um relatório da inteligência policial entregue ao Ministério Público usava a rede social como meio de comunicação, para ostentar armas e drogas.

Eles se gabavam de pertencerem ao tráfico de drogas passaram a recebem pelo próprio Twitter homenagens dos parentes, amigos e namoradas que continuam a compartilhar mensagens. Alguns até mudaram a foto de perfil para a imagem de um jacaré, com palavras de luto e homenagens ao que chamam de “família Jacaré”.

Foto: Reprodução

No dia 30 de janeiro, Isaac anunciava um “feirão da droga” na localidade invadida pelos policiais. “Maconha de galo, boca do fundão, é ela, pedação do quilo, quadradão”, exibindo tijolos de maconha prensada a R$ 50.

“Começou o feirão da droga”, fala em vídeo que foi printado pela polícia e incluído no relatório. Quinze dias antes, a oferta era de tijolos menores, “tá forte!”, dizia ele.

Parte das postagens que ostentam drogas, armas e apologia ao crime continuam disponíveis para acesso no Twitter. Pelo menos 12 contas que são citadas ou relacionadas às citadas no relatório foram excluídas ou suspensas. Contas de pessoas que homenagearam os mortos e são citadas no relatório também foram fechadas para impedir visualizações de quem não é seguido pelas páginas após a preparação do relatório.

O Twitter tem usado inteligência artificial para ajudar no controle de postagens abusivas. Em nota enviada à CNN, a empresa diz que “tem regras que determinam os conteúdos e comportamentos permitidos na plataforma” e que as violações a essas regras “estão sujeitas às medidas cabíveis”. “Temos sido cada vez mais proativos em detectar possíveis comportamentos abusivos, mas também contamos com as denúncias das pessoas nesse esforço”, completa a nota.

Questionados se as contas foram apagadas por conta do relatório ou se fizeram uma parceria com a Polícia Civil, eles não responderam. A plataforma também não informou quantas contas apontadas como relacionadas com os suspeitos de tráfico no Jacarezinho foram removidas ou suspensas.

As imagens e propagandas divulgadas pelo Twitter ainda revelam que festas eram realizadas no “pistão do Jacarezinho”, mesmo durante o isolamento social e as restrições impostas pelas autoridades municipal e estadual do Rio de Janeiro. Como uma festa que aconteceu no dia 12 de dezembro, com 11 artistas, queima de fogos e “bebidas à venda no local”.

“É o Jacaré! Se nós não pode ir à praia, nós faz a praia, melhor gestão” (sic.), diz um homem em outro vídeo mostrando drogas e notas de R$200. As fotos e vídeos ainda mostram os traficantes uniformizados com chapéus, coletes, roupas camufladas, camisetas personalizadas, abadás com a imagem do jacaré e cifrão de dinheiro e usando comunicadores e armas.

Algumas imagens que trazem armas escondem os rostos com ‘emoticons’ [desenhos utilizados para ilustrar reações nas redes sociais] para não caracterizar crime, mas fica evidente que se trata dos detentores dos perfis mapeados pela polícia.

Os perfis apontados pela polícia e acessados pela CNN ainda mostram que traficantes de diferentes comunidades se comunicavam. As mensagens de apoio vem de lugares como os complexos do Alemão e da Penha.

Também no Twitter, uma homenagem aos que morreram foi feita em forma de composição musical. “Nós do ‘Jaca’ tá boladão, nossa luta não é em vão, que saudade dos amigos que se foi pela facção” (sic.), diz um trecho da música.

Além dos apelidos, ainda há referências a localidades, como a ‘boca do Fundão’ e a ‘boca da Vasco’ nos perfis mantidos na rede. Alguns suspeitos fazem postagens pornográficas com cenas de sexo explícito e compartilham imagens do cotidiano da comunidade.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Esses são os “meninos inocentes” de família, que a mídia quer esconder e incriminar quem foi subir lá e fazer cumprir sua obrigação em determinação da justiça.

  2. Esse é o lindo saldo da incompetência de 14 anos de governo do PT, onde a liberdade nas fronteiras e os amigos produtores tinham liberdade total, bem com, complacência do PT realidade, a isso se alia a liberalidade instituída pelo supremo, resultado? As facções criminosas com um estacionamento, que institui o fique em casa, a rua é um perigo.

  3. E o Twitter não cancela suas postagens nem suas contas. Mas, persegue os conservadores e suas postagens apenas por suas opiniões. Tempos muito estranhos.

  4. Os cabras que aparecem aqui defendendo nesses felas, são piores que eles. E todos já sabem quem é o comandant9 em chef9 deles.

  5. Por Deus, não deixe a Mariana ver isso, pois a narrativa dela será atrapalhada. Ela tem tanto dó de bandido…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Comissão da AL aprova projeto que estabelece velocidade mínima de conexão à internet no RN

Foto: Reprodução/ALRN

Os deputados que formam a Comissão de Defesa do Consumidor, dos Direitos Humanos e Cidadania (CCDHC) na Assembleia Legislativa do RN realizaram a primeira reunião do grupo de trabalho na atual legislatura. Um total de 12 projetos de leis foram apreciados e aprovados pelos parlamentares na manhã desta terça-feira (20), como o que estabelece que todos os consumidores ficam isentos do pagamento de juros, multas e taxas por atraso no pagamento de dívidas com a Caern e o que garante uma velocidade média de conexão à internet de no mínimo 80% da velocidade contratada pelo assinante.

A primeira, de autoria do deputado e presidente da Comissão de Direito do Consumidor, Ubaldo Fernandes (PL) e sobrescrita pelo deputado Jacó Jácome (PSD), institui regime excepcional e temporário de cobrança da taxa de fornecimento de água pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), em decorrência da situação de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (Covid-19).

De acordo com a proposta, “todos os consumidores ficam isentos, do pagamento de juros, multas e taxas por atraso no pagamento de dívidas com a Caern”.  Destacando que a isenção é temporária e abrange todo o tipo de dívida, vencidas e vincendas, no prazo determinado. A proposta também impede o corte no fornecimento de água daqueles que não pagarem as contas e isenta de cobrança os primeiros 10 m³ de água fornecidos pela Caern dos  consumidores enquadrados no  perfil  de  baixa  renda.

O segundo PL aprovado na reunião da manhã desta terça-feira, é de autoria do deputado e presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), dispõe sobre a velocidade de conexão à internet banda larga ou móvel. Pela proposta, “as prestadoras de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) que atuam no RN, deverão garantir uma velocidade média de conexão à internet banda larga ou móvel, tanto no download quanto no upload, de, no mínimo 80% da velocidade contratada pelo assinante, em conformidade com a Resolução nº 57/2011 da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)” sob pena de aplicação de multa em caso de descumprimento.

A justificativa apresentada é que “é prática comum no mercado que os provedores anunciem uma velocidade de conexão grande, mas, quando o serviço é contratado, constata-se que a velocidade fornecida é muito inferior ao acordado e, até mesmo, ao valor mínimo estipulado pela Anatel. Em tais casos, a  prestadora acaba  se  justificando com  o  fato  de  que  o  contrato trata  da  velocidade máxima, e não média, e assim o problema permanece sem nenhuma solução devido à ausência de penalidades objetivas”.

Outros

Todos os três componentes da CCDHC apresentaram relatoria de projetos previamente distribuídos. A deputada Eudiane Macedo (Republicanos) apresentou cinco, todos aprovados. O primeiro isenta da obrigatoriedade da outorga do direito de uso dos recursos hídricos voltados para o consumo humano, à dessedentação animal e à produção agrícola em imóveis rurais de pequeno porte no RN. De autoria do presidente da Assembleia do RN, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), o projeto de lei tem como objetivo reparar alguns efeitos da estiagem de 2011 a 2018.

“Esse período, intitulado de “quadra de  seca”  pelo  cientista Luiz Carlos Baldicero Molion, ocasionou 8 anos de estiagem e sofrimento ao povo residente no nosso Rio Grande do Norte. Em decorrência, foram perfurados vários poços artesianos pelos próprios moradores das zonas mais  afetadas, com  o  escopo de  realizar o  abastecimento hídrico às  comunidades e minimizar o impacto de uma seca tão duradoura. Desse modo, estima-se que boa parte das perfurações ocorreram sem a realização de estudos e avaliações pelos órgãos públicos aptos à viabilização da água nas localidades sem abastecimento regular com o objetivo de manutenção da vida”, justifica o projeto.

As demais matérias aprovadas com relatoria da deputada Eudiane foram: a que dispõe sobre  a  criação de  banco  de dados sobre violência praticada contra a juventude negra, mulheres, LGBT e moradores de comunidades pobres, proposta por Isolda Dantas (PT), a que dispõe sobre a obrigatoriedade da Inspeção Técnica Periódica Predial (ITPP) em edificações no RN e institui o Laudo Técnico de Inspeção Predial (LTIP), proposta por Kelps Lima (Solidariedade) e a que dispõe sobre a utilização de papel reciclado pelos órgãos da administração pública do Estado, de Sandro Pimentel (Psol) e a que obriga a afixação, em hospitais, clínicas e laboratórios, públicos ou privados, informativos sobre o dever de comunicação às autoridades competentes em casos ou indícios de estupro ou violência sexual, de Ubaldo Fernandes (PL).

Outras duas matérias relatadas pelo deputado Jacó Jácome (PSD) também foram aprovadas: de autoria do deputado Coronel Azevedo (PSC), o projeto de lei que institui a política de incentivo à segurança dos mototaxistas e motoboys, e renovação da frota de motocicletas utilizadas como ferramentas de trabalho no RN e a de autoria do deputado George Soares (PL) que cria o Programa Estadual de Preservação e Recuperação da Palmeira Carnaúba e de estímulo às atividades produtivas dela derivadas e proíbe a derrubada injustificada de palmeiras da espécie (Copernícia Prunífera).

Outro projeto de autoria do deputado Coronel Azevedo, com relatoria de Ubaldo Fernandes, cria a Carteira de Identificação Estudantil do Rio Grande do Norte (CIERN), gratuita e válida para comprovação da condição de discente no RN. Também com relatoria do presidente da CCDHC, foram aprovadas as propostas de Francisco do PT que veda a  nomeação  para  cargos  em comissão  de  pessoas  que  tenham sido condenadas por preconceito  de  raça  ou de cor em todo o Estado e a que obriga a inserção de Iink para o Código de  Defesa  do  Consumidor  em  sites de vendas ou lojas virtuais.

Por fim, foram aprovadas as propostas de projeto de lei que torna obrigatória a disponibilização de breve descrição biográfica das pessoas que deram nomes às Rodovias Estaduais no site do Governo do Estado, de  Gustavo Carvalho (PSDB) e a proposta do ex-deputado Sandro Pimentel que altera a Lei Complementar n° 380 de 26 de dezembro de 2008 e Lei Complementar n° 558 de 22 de dezembro de 2015, que modificam o texto da Lei Complementar n° 272, de 03 de março de 2004 e dá outras providências.

ALRN

Opinião dos leitores

  1. Lei inconstitucional. Apenas o Congresso Nacional e a Anatel podem legislar sob tema “Telecomunicações”. Isso é básico e está literalmente escrito na Constituição Brasileira.

  2. KKKKKKKK. Chover no molhado! A ANATEL já tem norma desde 2013 que prevê a mesma coisa! Pense num projeto sem sentido! Vão criar uma lei que prevê que a água molha?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pesquisar sobre saúde na internet ajuda pessoas a reconhecerem sintomas, reconhece estudo em Harvard

Foto: Pixabay

Sinto febre alta e dor de cabeça. Se eu perguntar ao Google, ele vai me dizer que pode ser uma simples gripe, mas também há a possibilidade de se tratar de um caso de dengue. Ou então meningite. E quem sabe hepatite E? Que atire a primeira pedra quem nunca recorreu à internet diante dos primeiros sinais de que algo no seu corpo talvez estivesse errado.

Esse hábito é tão comum, que pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, decidiram analisá-lo para entender seus impactos na vida das pessoas.

“Frequentemente, eu recebo pacientes que só vieram até o meu consultório porque pesquisaram alguma coisa no Google e a internet disse que eles têm câncer”, relata, em nota, David Levine, um dos autores da investigação. “Eu pensei: isso acontece com todos? Quanta cibercondria [ansiedade resultante de buscas online relacionadas à saúde] a internet está criando?”, questiona.

Publicado no periódico JAMA Network Open no último dia 29 de março, o estudo contou com 5 mil pessoas e utilizou descrições de doenças que costumam afetar a população, como viroses, ataque cardíaco e derrame. Cada participante teve que ler uma lista de sintomas e imaginar que eles se aplicavam a alguém próximo, como um amigo ou familiar. Em seguida, os indivíduos forneceram um diagnóstico com base nas informações dadas. Depois, eles procuravam os sintomas na internet e apresentavam novamente um veredicto.

Após identificar qual seria a condição correspondente aos sintomas, os participantes selecionaram um grau de triagem para cada caso, variando entre “deixe o problema de saúde melhorar por conta própria” e “ligue para a emergência”. Além disso, foi solicitado que os indivíduos registrassem os próprios níveis de ansiedade.

Os pesquisadores concluíram que as buscas online deram uma pequena ajuda às pessoas, que apresentaram diagnósticos mais corretos após recorrerem à internet. Não foi registrada uma melhora na habilidade de escolher a triagem mais adequada e tampouco foram identificadas alterações na ansiedade.

“Nosso trabalho sugere que provavelmente não há problema em dizer aos nossos pacientes para pesquisarem sintomas”, afirma Levine. “Isso começa a formar a base da evidência de que não há tanto perigo e que, na verdade, pode existir alguma vantagem”, complementa.

Apesar disso, os especialistas reconhecem que há uma certa limitação no estudo, uma vez que os participantes imaginaram que os sintomas se aplicavam a algum amigo ou parente. Não se sabe se as pessoas agiriam da mesma forma caso elas mesmas estivessem sob análise. Além disso, a pesquisa não representa todos os internautas que utilizam a internet para fazer buscas relacionadas à saúde.

Galileu

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

ALERTA: Brasil é o país com maior número de vítimas de phishing na internet

Foto: © Marcello Casal jr/Agência Brasil

Em 2020, o Brasil foi o país mais atingido por tentativas de roubo de dados pessoais ou financeiros de pessoas na internet, prática denominada em inglês de phishing. Com essas informações, golpistas prejudicam a vítima de diversas formas, seja acessando recursos ou enganando pessoas se fazendo passar por ela.

O percentual de usuários brasileiros que tentou abrir pelo menos uma vez links enviados para roubar dados representa 19,9% dos internautas do país. Em segundo lugar no ranking de países vem Portugal (19,7%), seguido da França (17,9%), Tunísia (17,6%), de Camarões (17,3%) e da Venezuela (16,8%).

O levantamento foi feito pela empresa de segurança da informação Kaspersky sobre práticas de phishing e spam no mundo. De acordo com a companhia, entre fevereiro e março do ano passado, o número de ataques cresceu 120% no Brasil.

Os golpes foram aplicados por meio de links em mensagens ou sites falsos, que se passam por empreendimentos conhecidos, como grandes cadeias de varejo online – Amazon e outras.

Os exemplos mais comuns foram golpes em que os criminosos enviaram mensagens se passando por essas lojas e pedindo para a vítima contactar as áreas de comunicação com o cliente ou de suporte, com sistemas para roubar dados dos usuários acionados.

Aplicativos de comunicação, especialmente o Whatsapp, tornaram-se os principais canais para aplicar esses golpes. Usuários receberam mensagens com promessas de prêmios com links que levavam a sites falsos destinados a roubar informações da vítima.

Pandemia

O contexto da pandemia também levou golpistas a enviar falsas pesquisas ou mensagens anunciando prêmios ou ajuda financeira a pequenas e médias empresas.

No Brasil, as tentativas de golpe envolveram diversos aspectos relacionados à pandemia, como o requerimento do auxílio emergencial do governo federal, o cadastro para receber a vacina e o uso do recém lançado sistema PIX.

“Apesar do alto índice, vale destacar uma queda importante em relação a 2019. Naquele ano, mais de 30% dos brasileiros haviam tentado, ao menos uma vez, abrir um link que levava a uma página de phishing, dez pontos percentuais a mais do que em 2020. Isso mostra que as campanhas e alertas sobre esse tipo de golpe têm deixado as pessoas mais atentas, mas não significa que não precisamos evoluir, pois as estatísticas permanecem muito ruins”, avalia Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

Outro método empregado pelos golpistas foi a chantagem contra usuários. Esta pode ocorrer com ameaças de liberação de determinados dados ou de uma suposta gravação da vítima com algum comportamento cuja revelação poderia trazer impactos a sua imagem, como assistir vídeos com pornografia.

O relatório registrou casos de chantagem contra empresas também. Os golpistas exigiam pagamentos sob a ameaça de realizar ataques de negação de serviço (DDoS), indicando que teriam informações confidenciais ou estratégicas das empresas.

Os alvos mais frequentes dos ataques foram as lojas online, com 18,12%. Elas foram seguidas por portais globais de internet (15,9%), bancos (10,7%), redes sociais e blogs (10%) e sistemas de pagamento (8,4%).

Spam

O relatório também analisou a prática de envio de mensagens em massa, conhecida como spam. Em 2020, este tipo de envio representou 50% do tráfego de e-mails. O resultado, no entanto, indica queda de 6.14 pontos percentuais em relação a 2019. No total, foram enviados 183,4 milhões de anexos maliciosos no ano passado.

O país que mais enviou spams foi a Rússia, com 21,27%. Em seguida vêm Estados Unidos (10,47%), Alemanha (10,97%) e China (6,21%). O Brasil foi responsável por 3,26% de ataques do tipo.

Cuidados

Para evitar cair nestes golpes é importante tomar alguns cuidados. O mais importante é evitar clicar em links de mensagens de e-mail, SMS ou redes sociais de pessoas ou organizações desconhecidas.

Caso vá clicar em algum link, é importante conferir o site para onde está sendo direcionado. Caso não tenha certeza de que o site é seguro, o aconselhável é não inserir informações pessoais, especialmente financeiras – número de cartão de crédito, por exemplo.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Condenada por golpes na internet, ‘Barbie do crime’ ganha direito a domiciliar

Foto: Reprodução/Instagram

A Justiça autorizou, na quinta-feira (25), a prisão domiciliar da modelo Bruna Cristine Menezes de Castro, de 30 anos, conhecida como ‘Barbie do crime’, em Goiânia. A medida foi tomada horas depois de ela se apresentar ao Poder Judiciário devido a um mandado expedido pelo descumprimento da pena estipulada por aplicar golpes pelas redes sociais.

Bruna foi condenada a 1 ano e 9 meses de prisão em 2015 por vender celulares a duas pessoas, mas nunca ter entregado os produtos. Durante o julgamento, ela confessou o crime e disse que estava arrependida.

Na época, a Justiça converteu a pena em prestação de serviços à comunidade e pagamento de multa de 10 salários mínimos. Porém, ela deixou de cumprir a determinação judicial e não compareceu a audiências. Com isso, o juiz Wilson da Silva Dias determinou a prisão dela, em 18 de fevereiro.

“O quadro desenhado nesta execução penal é absolutamente constrangedor do ponto da punibilidade, pois, desde 2017, a sentenciada não cumpre a pena de prestação de serviços à comunidade, sendo inexitosa sua localização em razão da diversidade de mudança de domicílio sem comunicar a este juízo, além de incorrer em descumprimento das condições judiciais e legais da pena restritiva de direito imposta”, justificou o magistrado.

Bruna, então, se apresentou na quinta-feira, mas a defesa entrou com um recurso e, no mesmo dia, foi determinado que ela fique em prisão domiciliar até uma nova audiência, quando serão definidas as medidas a serem tomadas.

O principal argumento para justificar a prisão domiciliar foi o fato de ela ser mãe de duas crianças com menos de 12 anos. A defesa da modelo disse que aguarda apenas a verificação interna dentro da unidade prisional para que ela coloque a tornozeleira eletrônica e fique em prisão domiciliar.

“É importante ressaltar que ela nunca teve a intenção de querer desvencilhar-se de suas obrigações impostas. Tanto é verdade que se apresentou espontaneamente acompanhada pelos seus advogados”, disse, em nota, a defesa.

Segundo a Justiça, Bruna também é investigada no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

‘Barbie do crime’

Bruna foi presa em 11 de agosto de 2015 por suspeita de estelionato, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, a jovem, apelidada de “Barbie do crime”, mantinha perfis nas redes sociais de venda de produtos importados e aplicava golpes em clientes de Goiás e de outros estados.

Conforme informou a corporação na época do crime, mais de 100 pessoas procuraram a polícia alegando terem sido vítimas de Bruna. Porém, nem todas deram continuidade ao inquérito, segundo os investigadores.

Os clientes denunciaram que, após receber o pagamento pelos produtos, ela não entregava as encomendas, alegando problemas de saúde ou familiares. Para que pudesse receber o dinheiro das falsas vendas, ela usou contas bancárias de cerca de dez pessoas, que tinham emprestado os dados a ela.

Conforme a investigação, Bruna também mentiu que estava com câncer para receber dinheiro do ex-namorado Ryan Balbino, que mora no Rio de Janeiro. Segundo a polícia, a modelo fingiu ser o próprio pai para dar notícias sobre uma falsa operação para tratar um câncer no útero. O homem revela que depositou mais de R$ 15 mil para o falso tratamento.

G1 – Goiás

Opinião dos leitores

  1. Homem, uma gata dessa nem precisa aplicar golpe. Eu pago as contas delas ainda garanto uma mesada para os filhos. É só vir embora pra Natal!???????????????

  2. Assassinos, ladrões, trambiqueiros, corruptos tem direito a liberdade, só não pode falar mal de ministro, aí é prisão na certa, e se prender corruptos do alto escalão, terá que ser investigado e até julgado até anularem todo o processo. Ainda tem gente sonhando com um país justo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

FOTOS: Cabo Telecom é mais uma vez vítima de sabotagem em sua rede de internet

Fotos: Divulgação

Atos de vandalismo contra a estrutura de rede e fibra óptica da Cabo Telecom passaram a ser recorrentes desde dezembro de 2019. Além dos registros em áreas públicas, também vêm acontecendo em locais privados, como em condomínios atendidos pela Cabo Telecom em vários bairros de Natal. Na madrugada desta terça-feira (09), a equipe técnica da empresa foi surpreendida por cortes em cabos de rede de fibra óptica em via pública no município de São Gonçalo do Amarante, deixando cerca de 1.035 clientes sem sinal de internet.

É importante ressaltar que, nas duas décadas de história da Cabo Telecom, uma empresa genuinamente potiguar, apenas no último ano esses atos de sabotagem e vandalismo começaram a acontecer nas redes de fornecimento de internet da empresa. De acordo com o Departamento de Engenharia, no último ano foram registrados 37 casos de vandalismo em várias regiões de Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante, como: Mãe Luíza, Petrópolis, Tirol, Lagoa Nova, Nova Descoberta, Potilândia, Passagem de Areia, Nova Parnamirim, Golandim, Jardim Lola, Amarante e outras. São cortes em redes de fibra óptica, cabeamentos e instalações.

A Cabo Telecom tem comunicado todos os eventos de vandalismo à autoridade policial competente, para a investigação dos ilícitos e identificação dos responsáveis. Além disso, os casos também estão sendo reportados à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que é responsável pela fiscalização e regulamentação dos serviços de TV, internet e telefonia.

“O que vem ocorrendo é, em sua maioria, destruição de propriedade, principalmente dos cabos da rede de fibra óptica. Registramos ocorrências em condomínios residenciais e em fiações de rua, como no caso mais recente. O corte que identificamos nesta madrugada, em São Gonçalo do Amarante, deixou usuários de várias regiões da cidade sem internet e TV por 9 horas”, explica Décio Frederico Bueno Feijó, diretor de engenharia da Cabo Telecom.

Para o diretor presidente da empresa, Cláudio Alvarez, essas sabotagens não afetam apenas os clientes atendidos pela rede danificada, mas todo o funcionamento da empresa. “Nós tivemos mais corte de cabo na rua em 2020 do que durante todos os 20 anos da empresa, antes da chegada desses novos concorrentes. Quando ocorre um caso como esse, nossas equipes se voltam para solucionar o problema imediatamente. Além do prejuízo financeiro decorrente desses crimes, a maior preocupação da empresa reside nos clientes, que ficam injustamente privados do acesso aos serviços por fatores totalmente alheios à Cabo Telecom”, explica

Ainda de acordo com ele, esses casos de vandalismo deixam um alerta ao usuários e a sociedade em geral: “é importante que toda a população saiba o que realmente ocorre, para que, na hora de contratar e escolher as prestadoras de serviços de internet, procure empresas sérias, comprometidas com o serviço que prestam e que respeitem os concorrentes”, enfatiza Alvarez.

Opinião dos leitores

  1. Foi a própria cabo que ordenou o rompimento dos cabos?
    Foram os concorrentes?
    Foram funcionários insatisfeitos?
    Foram maloqueiros?
    Foi Lula?
    Foi Bolsonaro?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

RN ganha nova Delegacia Virtual para registros de ocorrência pela internet

FOTO: SESED/ASSECOM

A Polícia Civil do RN tem uma boa notícia para os potiguares e visitantes. A partir das 8h da segunda-feira (21), começa a funcionar no Rio Grande do Norte a sua nova Delegacia Virtual. A ferramenta, que ficará à disposição da população 24 horas, está sendo implantada em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Neste primeiro momento, a Delegacia Virtual possibilita a comunicação de 19 tipos de ocorrências, entre elas furtos, extravios e crimes de menor potencial, como ameaça, calúnia, injúria, difamação e estelionato. Porém, ela também poderá abranger outros tipos de crimes. A novidade estará disponível por meio da integração do sistema nacional com os sistemas estaduais, garantindo maior eficiência, segurança, agilidade e comodidade para a comunicação de ocorrências.

Adson Maia, delegado responsável pela implantação da Delegacia Virtual no RN, explica que existe um diferencial desta nova ferramenta em comparação à Delegacia Eletrônica que já existe em funcionamento no estado. “Até então, o cidadão que usava a internet para registrar uma ocorrência, ele precisava ficar acessando o sistema para acompanhar se o registro feito havia sido aceito e homologado. Agora, neste novo modelo, assim que o registro é aprovado e formalizado, o próprio sistema envia o B.O. automaticamente para o e-mail informado pelo comunicante”, destacou.

Ainda de acordo com o delegado, o usuário pode fazer a comunicação de qualquer lugar, basta utilizar um dispositivo eletrônico com conexão de internet, seja por smartphone, computador ou tablete.

Para a delegada-geral da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Ana Claudia Saraiva Gomes, a Delegacia Virtual é uma ferramenta que “facilita e amplia o atendimento à população, principalmente nestes tempos de pandemia, permitindo que a pessoa permaneça em casa. E é preciso destacar que ela dá mais agilidade às equipes de investigação, que receberão a comunicação da ocorrência em um tempo mais rápido, otimizando bastante e fortalecendo a própria Delegacia Virtual”.

Economia

Segundo o Ministério da Justiça, além da padronização de informações, a utilização da Delegacia Virtual garante economia de recursos públicos e custo zero com a adoção de aplicações para registro e gestão de boletins de ocorrências e procedimentos pela Polícia Civil. A solução possibilita realizar customizações e inclusões de novos tipos de comunicação de ocorrências, inclusive de forma temporária, como, por exemplo, durante a pandemia da Covid-19.

Como acessar

Para acessar a nova Delegacia Virtual e fazer o registro de um Boletim de Ocorrência pela internet, o usuário deve acessar o site da Polícia Civil do RN (www.policiacivil.rn.gov.br) e clicar no menu DELEGACIA VIRTUAL ou no BANNER NA PARTE INFERIOR.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Infectada com Covid-19, Miss Brasil Mundo 2019 vai à padaria, e gera revolta na internet

 (Foto: Reprodução Instagram)

Elis Miele, Miss Brasil Mundo 2019, causou polêmica nas redes sociais ao postar que, mesmo infectada com Covid-19, foi até a padaria, pois não queria ficar sem o pãozinho diário.

“Estou dando um pulinho ali na padaria para comprar alguma coisa para comer porque a gente está com fome. Eu até mandei mensagem para os meninos, na padaria que eu sempre compro, se eles entregavam. Falaram que não, perguntei se eu podia pegar aí na porta”, afirmou dentro do carro, usando máscara hospitalar.

“Não foi o caso dela, graças a Deus, mas fiquei com medo, sabe? Tive medo de não quererem me atender por causa do Covid, sabe? Sei que tem um preconceito muito grande com a doença. Vou comer meu pãozinho que eu estou com vontade. Não vejo a hora disso acabar, para voltar a minha rotina”.

Após a polêmica, a mineira, que tem 68,7 mil seguidores, fechou sua conta no Instagram, porém continua dando o que falar no Instagram da Rainha Matos. “Irresponsável é pouco…”, escreveu um seguidor. “Não tem 01 pingo de vergonha na cara, né?”, afirmou outra. “Motivo de perder a faixa de miss, já que responsabilidade social é importante”, questionou uma seguidora.

Globo, via Glamour

Opinião dos leitores

  1. Povo babaca, o que tem de mais , se ela cumpriu os protocolos, a coisas louca, pior fazem por aí. Besteira.

  2. Essa traço fácil com covid 19, 20 ou 30, kkkk
    Pode me chamar minha filha eu levo , pão, café o que você quiser.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Empresa potiguar provedora de internet é vítima de atos de vandalismo e sabotagem

Cabo Telecom tem cabos de fibra óptica cortados e fornecimento de internet é interrompido em vários bairros de Natal. Fotos: Divulgação

Na tarde desta quarta-feira (30), técnicos da Cabo Telecom receberam um chamado para solucionar problemas de conexão no bairro de Lagoa Nova. Ao chegarem ao local, se depararam com cabos de fibra óptica cortados de forma proposital. De acordo com a equipe, atos de vandalismo contra a estrutura de rede e fibra óptica da Cabo Telecom passaram a ser recorrente nos últimos meses, principalmente a partir de Dezembro de 2019. Além dos registros em áreas públicas, atos de vandalismo como esse também vêm acontecendo em locais privados, como os condomínios atendidos pela Cabo Telecom em vários bairros de Natal.

Diante da ocorrência dos atos de vandalismo e sabotagem recorrentes, que prejudicam toda a coletividade de usuários, a Cabo Telecom tem comunicado todos os eventos à autoridade policial competente, para a investigação dos ilícitos e identificação dos responsáveis. Além disso, os casos também estão sendo reportados à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que é responsável pela fiscalização e regulamentação dos serviços de TV, internet e telefonia.

“O que vem ocorrendo são casos de sabotagens, em sua maioria com destruição de propriedade, principalmente dos cabos da rede de fibra óptica. Registramos ocorrências em condomínios residenciais e em fiações de rua, como no caso mais recente. O corte que identificamos ontem em Lagoa Nova, deixou usuários de várias regiões sem internet e TV por cinco horas”, explica Decio Frederico Bueno Feijo, diretor de engenharia da Cabo Telecom.

De acordo com relatório de sinistro, que registra ocorrências dessa natureza, elaborado por técnicos da empresa, moradores de condomínios residenciais relatam a presença de técnicos de empresas concorrentes e, em seguida, acontece a queda nos serviços da Cabo. As queixas ocorreram em Natal nos bairros Tirol, Candelária, Capim Macio, Ponta Negra e em Parnamirim, Emaús. O relatório também aponta que os cortes nos cabos evidenciam a existência de sabotagem, já que não há furtos e são danificados de forma específica, comprometendo o fornecimento de internet.

Os atos prejudicam tanto os clientes, que têm o serviço interrompido, quanto a imagem da empresa. “Ontem foram 15.000 pessoas atingidas pelo corte dos fios de fibra óptica em Lagoa Nova, os problemas chegaram até os clientes de Tirol, Petrópolis e até Cidade Alta”, pontua Cláudio Alvarez, diretor-presidente da Cabo Telecom

Segundo ele, essas sabotagens não afetam apenas os clientes atendidos pela rede danificada, mas todo o funcionamento da empresa. “Quando ocorre um caso como esse, toda a equipe se volta para solucionar o problema, então os demais serviços ficam suspensos. Além do prejuízo financeiro decorrente da sabotagem, a maior preocupação da empresa reside nos clientes, que ficam injustamente privados do acesso aos serviços por fatores totalmente alheios à Cabo Telecom. É importante que os nossos Clientes e toda a população saibam o que realmente ocorre, para que, na hora de contratar serviços e escolher as prestadoras, procurem empresa sérias. Nós da Cabo Telecom temos como premissa básica a maior transparência e respeito aos nossos clientes e assim será sempre”, Cláudio”.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *