Presidente da CBF afirma que opinião de vice é pessoal e volta a garantir Neymar na Copa América

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Presente no evento que reelegeu Gianni Infantino como presidente da Fifa, Rogério Caboclo, presidente da CBF, comentou as declarações dadas pelo seu vice, Francisco Noveletto, sobre o caso Neymar. Na última terça, Noveletto citou um novo vídeo que vai surgir e disse que apostaria num pedido de licença do atacante.

Caboclo seguiu garantindo a presença de Neymar na Copa América, e afirmou que as declarações do vice da CBF não correspondem ao pensamento da instituição.

– Creio que ele deve ter falado de acordo com a consciência e os fatos que ele conhece, não pela CBF.

Sobre o surgimento de um novo vídeo no caso, Caboclo foi sucinto.

– Nenhuma preocupação.

Com Neymar entre os titulares, o Brasil enfrenta a seleção do Catar nesta quarta-feira, em Brasília, em amistoso preparatório para a Copa América. A bola rola às 21h30 no Mané Garrincha, e a provável escalação de Tite é: Éderson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Coutinho; Neymar, Richarlison e Gabriel Jesus.

Reeleição de Infantino

– A CBF espera que ele continue imprimindo a mesma modernidade, a mesma transparência que tem feito, e que faça o futebol progredir cada vez mais. Ele é um homem justo, um gestor coerente. As ações dele são de integração, de inclusão de países menores no futebol, e o respeito pelo futebol sul-americano é muito grande – resumiu Caboclo.

Globo Esporte

Fifa suspende Del Nero, presidente da CBF, de todas as atividades do futebol por 90 dias

O Comitê de Ética Independente da Fifa anunciou nesta sexta-feira a suspensão do presidente da CBF, Marco Polo del Nero, por 90 dias. Neste período, o dirigente ficará impedido de realizar qualquer atividade ligada ao futebol – e a punição pode ser estendida por mais 45 dias. Segundo o comunicado divulgado pela Fifa, “a decisão foi tomada diante do pedido do presidente da câmara de investigação, levando em conta a investigação formal sobre o senhor Polo Del Nero”.

Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, assumirá a presidência da CBF no período, como manda o estatuto da confederação. Presidente da federação do Pará, ele é o vice-presidente mais velho em exercício. Em dezembro de 2015, quando Del Nero se licenciou do cargo por quatro meses, foi o Coronel Nunes quem comandou a confederação.

Marco Polo del Nero tinha planos de convocar uma nova eleição para abril de 2018, para tentar mais uma mandato até 2023, quando poderia buscar uma nova reeleição, até 2027. Seu mandato atual terminaria em abril de 2019.

A investigação da Fifa

A Fifa reabriu a investigação sobre Del Nero após documentos e depoimentos serem revelados durante o julgamento de José Maria Marin nos Estados Unidos. Na última quarta-feira, promotores do “Caso Fifa” afirmaram que Del Nero recebeu US$ 6,5 milhões em subornos para beneficiar empresas de marketing esportivo em contratos relacionados a Copa América, Copa Libertadores e Copa do Brasil. O presidente da CBF nega todas as acusações e afirma ser inocente.

Desde maio de 2015 o presidente da CBF não sai do Brasil, país que não extradita seus cidadãos, e por isso não foi julgado nos EUA junto com Marin, Juan Angel Napout e Manuel Burga. No Brasil, Del Nero não é acusado de nenhum crime. Mas as dezenas de menções a seu nome em depoimentos, planilhas, gravações e outros documentos tornados públicos pela investigação americana levaram a Fifa a destravar um processo interno aberto há dois anos.

Em dezembro de 2015, imediatamente após Del Nero ter sido indiciado pelo departamento de Justiça dos EUA por sete crimes (três de fraude, três de lavagem de dinheiro e mais um por integrar uma organização criminosa), o Comitê de Ética da Fifa abriu uma investigação interna, que pouco ou nada avançava. Até o julgamento em Nova York começar. Todas as citações a Del Nero foram enviadas a Zurique.

Procurado para falar especificamente sobre a investigação do Comitê de Ética da Fifa, Marco Polo Del Nero, informou que não poderia comentar, por se tratar de caso em andamento. Segundo o GloboEsporte.com apurou com pessoas que conhecem o caso, todos os documentos solicitados pela investigação foram enviados pela CBF.

Em todas as suas manifestações anteriores sobre o “Caso Fifa”, Del Nero afirmou que “nunca participou, direta ou indiretamente, de qualquer irregularidade ao longo de todas atividades de representação que exerce ou tenha exercido”. O presidente da CBF também declarou que “jamais foi membro do Comitê Executivo da Conmebol”. Algo desmentido por documentos da própria Conmebol.

Assim que foi indiciado, Del Nero chegou a se licenciar da presidência da CBF por alguns meses. Quando recebeu um sinal verde da Fifa, reassumiu a chefia do futebol brasileiro. Mas nunca voltou a sair do Brasil.

A influência do julgamento de Marin

O julgamento do ex-presidente da CBF José Maria Marin na Justiça dos Estados Unidos certamente teve peso decisivo na decisão do Comitê de Ética de suspender Del Nero. As sete acusações que pesam contra Marin são as mesmas formuladas contra Del Nero – três de fraude, três de lavagem de dinheiro e uma por integrar uma associação criminosa. Os dois são acusados de receber propina para beneficiar empresas de marketing esportivo. A exemplo de Marin, Del Nero nega todas as acusações e afirma ser inocente.

Na última segunda-feira, a juíza Pamela K. Chen afirmou que Del Nero “talvez tenha mais amigos na cúpula da Fifa” do que Marin. A defesa do ex-presidente da CBF, por sua vez, apelou ao argumento de que Marco Polo era o operador da corrupção no futebol brasileiro, em sua última chance de convencer os jurados do Caso Fifa. O julgamento em Nova York pode ter fim nos próximos dias.

– O futebol brasileiro é uma monarquia, e o rei era o Marin. Daqueles reis que não decidem nada. Marco Polo era o presidente, que fazia as coisas – afirmou Charles Stillman, advogado de Marin.

Globo Esporte

 

Presidente da CBF abandona Congresso da Fifa

mi_10311771946340373Duas delegações sul-americanas afirmaram nesta quinta-feira que o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, deixou o Congresso da Fifa, em Zurique. Del Nero não participou das atividades da entidade realizadas pela manhã. À tarde, o hotel Bau Al Lac, onde o brasileiro estava hospedado, confirmou que o dirigente fez o check-out.

Segundo o presidente da Federação Uruguaia de Futebol, Wilmar Valdez, Del Nero já viajou. No entanto, ele não soube dizer se o brasileiro rumou para o Brasil ou não. Pelo menos representantes de outras dez delegações consultadas pela reportagem afirmaram não ter visto o presidente da CBF nas atividades da Fifa nesta quinta-feira. Outra delegação que disse não ter visto Del Nero em Zurique nesta quinta foi a da Federação Equatoriana de Futebol. (Do Blog: foi confirmado o desembarque no Brasil – motivo não justificado até o momento).

A Fifa manteve a eleição para presidente da entidade para a manhã desta sexta-feira, apesar do escândalo envolvendo seus dirigentes. Joseph Blatter continua favorito, mas sua vantagem na busca pelo quinto mandato já não é tão confortável. A Fifa se recusou a dar informações sobre o presidente da entidade. “Para assuntos sobre o senhor Del Nero, favor consultar a CBF.”

A assessoria da CBF disse desconhecer a viagem de Del Nero, afirmando que o presidente vai votar normalmente na eleição da Fifa. Mas não soube dizer se ele havia participado das atividades da entidade que comanda o futebol mundial em Zurique.

Isto É

Presidente da CBF critica arbitragem do Campeonato Brasileiro

O presidente da CBF, José Maria Marin, criticou nesta quarta-feira (17) a arbitragem do Campeonato Brasileiro e se disse insatisfeito com o desempenho dos árbitros do país.

“Eu procuro assistir o máximo de jogos na TV (…) e não estou satisfeito com a arbitragem, tenho falado com os diretores”, disse o dirigente durante a coletiva da imprensa de convocação dos jogadores da seleção para amistosos em outubro.

“Tudo o que foi possível por parte da CBF, nós fizemos. Mas não estou satisfeito e vamos procurar melhorar, custe o que custar.” disse.

Após a crítica, Marin anunciou uma seção de vídeos educativos “Regras do Futebol”, que estreou no site da CBF nesta quarta-feira (17). Nos vídeos, Ana Paula Oliveira, secretária da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, explica regras básicas do esporte -o primeiro é intitulado “mão na bola”.

TROCA DE COMANDO

Esta não é a primeira vez que o presidente da CBF critica a arbitragem brasileira. Em agosto de 2012, ele demitiu o então presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Sérgio Correa e disse que melhorar a arbitragem do país era “compromisso de honra” de sua gestão.

Na época, nomeou o ex-auxiliar Aristeu Leonardo Tavares para o cargo máximo da entidade que comanda a arbitragem brasileira. Ele ficou na função até fevereiro de 2013, quando também foi dispensado.

Depois dele, assumiu Antônio Pereira da Silva, que, em maio deste ano, foi transferido para o comando da Escola Nacional de Arbitragem. Sérgio Correa, então, voltou a assumir a presidência da Comissão e se mantém no cargo até hoje.

Folha Press

NA BRONCA: Clube pede prisão de presidente da CBF por não cumprir liminar

Jose-Maria-Marin-Foto-FerreiraLANCEPress_LANIMA20140716_0049_49Em meio à crise pós-Copa do Mundo e um processo de renovação do comando da Seleção Brasileira, o presidente da CBF, José Maria Marin, tem mais uma razão para se preocupar. O Tiradentes, do Ceará, entrou na manhã desta quarta-feira com um pedido de prisão contra o dirigente pelo não cumprimento de uma liminar para que o clube seja incluído na Série C do Brasileirão.

O procedimento foi feito na 6ª Vara Cível de Fortaleza, onde a liminar foi expedida. A decisão foi tomada no dia 9 de junho e prevê a aplicação de multa de R$ 25 mil/dia, caso a CBF não colque o Tiradentes na competição.

– A CBF se acha acima do bem é do mal. Ao que parece, desconhecem as decisões do Poder Judiciário. A multa já está correndo. O Tribunal de Justiça manteve a liminar do primeiro grau. Agora, que a CBF cumpra – afirmou ao LANCE!Net o advogado do clube, Marcelo Desidério.

O Tiradentes foi o quinto colocado da Série D-2013 e usa o caso do Treze (PB), em 2011, para pleitear a vaga, que originalmente era do Betim – rebaixado via STJD por acionar a Justiça Comum antes de se esgotarem as esferas desportivas -, mas foi dada ao CRAC-GO pelo STJD e a CBF. O clube goiano foi o quarto time a ser rebaixado na Série C-2013 e é usando o argumento dos paraibanos que os cerenses buscam sucesso na ação.

– O caso paradigma é do Treze. O próprio ranking da CBF diz que que o Tiradentes foi o quinto colocado – completa Desidério, que já está na expectativa pela resposta do pedido de prisão contra Marin:

– O tempo urge. Esperamos despachar o mais rápido possível com o juiz.

Com informações do Lance

Se perdermos a Copa, vamos para o inferno, afirma presidente da CBF

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marín, foi enfático, e quase bíblico, ao declarar suas perspectivas sobre o futuro da seleção brasileira na Copa do Mundo 2014. Segundo o dirigente, “estamos no purgatório. Se ganharmos a Copa, vamos para o céu. Se perdemos, vamos todos para o inferno”‘. Assim definiu a pressão que terão os comandados por Luiz Felipe Scolari a partir do dia 12 de junho.

Marín, que assumiu a CBF há um ano, vê o Mundial no Brasil como uma despedida de gala na sua gestão como presidente da entidade, já que no dia 16 de abril se votará a eleição para o seu sucessor, e em 2015 não comandará mais a confederação. Por este motivo, o substituto de Ricardo Teixeira deseja muito este hexacampeonato.

O dirigente também chama a atenção de todos ao evento mundial de seleções, afirmando que “temos os nossos campeonatos, mas este é um ano atípico, e temos todos que olhar para a Copa”. José Maria Marín chegou a viajar à Paris para visitar o zagueiro, e capitão da seleção, Thiago Silva, com o intuito de saber como está a expectativa dos jogadores para a competição, e reforçar a importância que devem dar os atletas à conquista do título, enfatizando detalhes como memorizar e entoar o hino nacional antes dos jogos.

José Maria Marín estará presente na Granja Comary, nesta quarta-feira, para reinauguração do complexo esportivo, que passou por reformar para receber a seleção brasileira na preparação para a Copa do Mundo.

Com informações da Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Renato disse:

    Com R$ 10 milhões no bolso? Que inferno é esse?

  2. Júlio Dalcin disse:

    O lado bom de não ganhar a Copa,é justamente ver a máfia da CBF ir pro inferno.

  3. paulo kasinsk disse:

    Deus queira que o Brasil ganhe a Copa e esse cidadão vá para o Céu. Porque no Inferno quero encontrar John Lennon, Jimi Rendrix, Raul Seixas, Kurt Cobain, Amy Winehouse, Flaubert, Machado de Assis e outros gênios. Seria um inferno essa alma sebosa no Inferno. Ademais, meu nobre editor, lamentar esses comentários quilométricos; nem dá pra ler e chegam a ser anti-higiênicos visualmente. Putz!

    • lucas disse:

      O meu desejo é que essa seleção passe o maior vexame, pois se ganhar irá encobrir todas as roubalheiras que existe nesta pais, vou torcer para esse timeco do filipão perder todos os jogos….vamos acordar…se o brasil ganhar o pt vai acabar o pais, isso é mais ainda.