Política

Pacheco diz ser “perfeitamente possível” voto impresso auditável nas próximas eleições

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo/Arquivo

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) afirmou nesta segunda-feira, em live do site “Jota”, que não se opõe a uma mudança no sistema eleitoral que permita a implementação do voto impresso auditável nas próximas eleições.

Ele afirmou que aqueles que veem possível vulnerabilidade no atual sistema eletrônico precisam ter sua opinião respeitada e que, se for o caso, o voto impresso pode ser adotado, “até para dissiparmos qualquer tipo de dúvida em relação à higidez do processo eleitoral brasileiro”.

“Não enxergo e não acredito em vulnerabilidade do sistema eleitoral. Mas a sustentação sobre eventual vulnerabilidade precisa ser respeitada e precisa ser ouvida. O fato de eu não acreditar não significa que não exista. Obviamente temos que aferir isso, que apurar isso e permitir o debate”, opinou o presidente do Congresso.

“Eu tenho permitido plenamente esse debate sobre o voto impresso auditável. É uma discussão que faremos com o TSE, com o presidente da Câmara. Se houver viabilidade técnica e operacional para uma implantação dessa natureza, que dê maior confiabilidade ao sistema de escolha de candidatos, é perfeitamente possível nós admitirmos”.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Quando vejo cada comentabsurdo dos jumentos/ignorantes petralhas tenho a certeza que o Brasil não terá jeito nem tão cedo.

  2. Retrógrado ou interesseiro! Voto em papel é mais fácil de fraudar do que o digital, né? Presidente Lula vem aí!!!!!

  3. Incrível como existe desinformação sobre o que é o voto impresso auditável. O eleitor não vai ter acesso ao voto impresso. Ele aparecerá atrás de um vidro / tela transparente para que o eleitor confirme se o seu voto corresponde aos candidatos que ele digitou na urna eletrônica. Após isso esse voto vai automaticamente para uma urna lacrada para futura recontagem caso existam dúvidas sobre os resultados. A urna eletrônica e a urna física para recepção dos votos estão acopladas num mesmo equipamento que inclusive já foi desenvolvido e testado pelo TSE no passado, não sendo nenhuma novidade. Repito, o eleitor não terá nenhum acesso ao voto impresso que não seja apenas a visualização do mesmo.

    1. Vai cuidar dos passeios com os turistas, pois disso tu não entende nada, abestado. Voto auditável sim. Bandidos não podem voltar ao poder fazendo fraudes.

  4. Vai facilitar ainda mais o comércio e a manipulação dos votos . Os milicianos, os traficantes e os coronés agradecem mais esse terrível retrocesso.

  5. Tá certo, nunca ocorreram fraude no voto impresso, ninguém nesse país nunca nem ouviu falar de fraudes em eleições. Rsrsrs

  6. Indubitavelmente as Urnas possuem vulnerabilidade física e técnica às fraudes, como ampla e conhecidamente divulgado.
    Não há outra solução além da impressão do voto, quer os Boca de Veludo queiram ou não queiram.
    Que mal há em se imprimir o voto?
    Por que essa perseguição peremPTória à impressão?
    Cheira à corrupção e ativismo Ideológico. Nada mais.

    1. Theodorico fazia isso, se vc é do Japi, seus pais e familiares gostavam.

    1. Vamos lá entender a questão do voto impresso, o que acontece será o seguinte o candidato vai lhe oferecer dinheiro para comprar o seu voto e vai pedir o cupom fiscal para garantir que você votou nele, apenas isso.

    2. Vc deseja muito que ele bote pra torar em vc não é? Teu pseudônimo te entrega…

    3. será que você sabe que isso significa aumento de gastos do contribuinte? com instalação de impressoras em cada UE, aquisição de papeis, contrato com profissionais para as quebras que irão ocorrer. não é necessário imprimir! basta instalar um softwere para visualização em telas.
      que esses bilhões sejam gastos na saúde ou no combate à corrupção.

    4. Bolsonaro não quer voto impresso, ele quer apenas tumultuar e depois alegar que foi derrotado de forma fraudulenta igual o Trump… voto impresso 2022, para que ninguém mais fale m… ou que tenhamos fraudes…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina de Oxford é 100% eficaz contra casos graves, afirma estudo; coágulos são descartados

Foto: Silas Gabriel/PMCSA

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca teve 79% de eficácia na prevenção de casos sintomáticos da doença, anunciaram a empresa e a universidade nesta segunda-feira (22). Entre participantes com mais de 85 anos, a eficácia foi de 80%.

A vacina também se mostrou segura e teve 100% de eficácia contra casos graves e contra aqueles que necessitam de hospitalização dos pacientes.

Os dados significam que, nos testes, a vacina conseguiu reduzir em 79% a proporção de casos sintomáticos que ocorreriam se as pessoas não tivessem sido vacinadas. Da mesma forma, significa que conseguiu evitar todos os casos graves da doença, além de hospitalizações no grupo vacinado que ocorreriam se as pessoas não tivessem sido vacinadas.

Os testes, de fase 3, foram feitos com 32.449 voluntários nos Estados Unidos, no Chile e no Peru. Na fase 3, os cientistas analisam a segurança e a eficácia de uma vacina em larga escala, normalmente com milhares de voluntários.

A vacina de Oxford é dada em duas doses. Nesses testes, elas foram aplicadas com 4 semanas de diferença, mas outros ensaios, anteriores, mostram que, se as doses forem dadas com um intervalo de até 12 semanas, a eficácia da vacina pode ser ainda maior. Esse intervalo de 12 semanas é o que está sendo feito na vacinação no Brasil.

Os testes

A cada duas pessoas que receberam a vacina, uma recebeu um placebo (substância inativa) para servir de grupo controle; nem os cientistas, nem os participantes sabiam quem estava recebendo a vacina e quem recebia o placebo. As pessoas foram distribuídas de forma aleatória (randomizada) em cada grupo.

Dos 32.449 voluntários que participaram dos testes, 141 tiveram sintomas de Covid-19.

Cerca de 20% dos voluntários tinham 65 anos ou mais, e cerca de 60% tinham comorbidades associadas a um risco maior de complicação para a Covid-19, como diabetes, obesidade severa e doenças cardíacas.

Com os novos dados, a AstraZeneca deve solicitar autorização para uso emergencial nos Estados Unidos. No Brasil, a vacina teve o registro definitivo concedido há dez dias pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e já é aplicada desde janeiro.

Um estudo preliminar feito por pesquisadores brasileiros e da Universidade de Oxford divulgado na quinta-feira (18) apontou que as vacinas de Oxford e da Pfizer foram eficazes contra a variante brasileira do coronavírus identificada pela primeira vez em Manaus, a P.1.

Sem relação com casos de coágulos

A AstraZeneca afirmou, na divulgação dos resultados da pesquisa, que não encontrou “nenhum risco maior de trombose [formação de coágulos]” entre os 21.583 participantes que receberam pelo menos uma dose da vacina.

Há cerca de duas semanas, a aplicação da vacina de Oxford foi suspensa em alguns países da Europa por causa de casos suspeitos de formação de coágulos após a vacinação.

Após uma análise, entretanto, a agência de medicamentos da União Europeia concluiu que a vacina era “segura e eficaz”. A agência também disse que vai continuar a acompanhar e analisar os dados de vacinação no continente, mas que os benefícios da aplicação da vacina superam os riscos.

Na sexta-feira (19), o Comitê Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou um parecer afirmando que nenhuma relação havia sido estabelecida entre qualquer vacina contra a Covid e trombose.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu aos países que continuassem usando a vacina.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

AGU afirma que importação de vacinas por juízes é privilégio e que coloca em risco saúde de milhões de brasileiros

Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

A AGU (Advocacia-Geral da União) recorreu à Presidência do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) contra a decisão judicial que autorizou a importação de vacinas contra a Covid-19 pela Anamages (Associação Nacional dos Magistrados Estaduais).

A Justiça do Distrito Federal autorizou nesta semana que os juízes comprassem vacinas no exterior sem a participação do governo federal.

A AGU argumenta pela necessidade de um aval anterior da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A compra, no entender da AGU, coloca os interesses particulares dos compradores em “detrimento do interesse público e da comunidade nacional”, viola o princípio da isonomia ao facilitar a compra pelo esfera privada e pode resultar em “riscos imensuráveis” aos que vão tomar as vacinas.

“Permitir que uma determinada categoria profissional se imunize antes das pessoas que integram os grupos mais vulneráveis, representa um privilégio que desconsidera os principais valores que orientam o Sistema Único de Saúde”, diz a AGU.

Para contestar a decisão do juiz da 1ª instância, os advogados da união argumentam que a compra vai comprometer o PNO (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação), violar a equidade e universalidade do acesso ao imunizante, prejudicar a coordenação do PNO e comprometer a credibilidade do plano de vacinação do Ministério da Saúde.

A AGU afirma ainda que ao driblar as normas da Anvisa e comprometer o PNO, a compra coloca em risco “a saúde de milhões de brasileiros”.

A Anamages se manifestou no processo sobre o pedido da AGU. Para os juízes, a União não deveria proibir a compra das vacinas, mas sim impor as mesmas obrigações ao setor público e ao privado.

“Deve-se criar mecanismos para salvar vidas pelo setor privado, sem concentrar a importação apenas ao Governo Federal”, diz a entidade.

Painel – Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Quando arranjam um câncer ficam todos caladinhos. A doença não só surge em pobre. Tem muita gente se achando e com as doenças graves e contagiosas. A vantagem deles é que não se divulga .
    Vão para o mesmo lugar . E não levam nada, não deixam nem SAUDADES.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Astronauta britânica afirma que aliens existem e podem estar entre nós: ‘não há dúvidas sobre isso’

Foto: Getty Images

Helen Sharman, a primeira cidadã do Reino Unido a ir ao espaço, afirmou em entrevista que os humanos não estão sozinhos na galáxia.

Em entrevista ao The Guardian, a cientista argumentou que alienígenas estão mais próximos do que a maioria de nós imagina.

“Eles existem, não há dúvidas sobre isso”, disse ela ao jornal. “Existem bilhões de estrelas no universo e deve haver todos os tipos de formas de vida diferentes dentro dele. Serão eles, como você e eu, feitos de carbono e nitrogênio? Talvez não. É possível inclusive que eles estejam entre nós nesse momento e não seja possível vê-los”.

Helen Sharman, de 56 anos, se tornou a primeira britânica a navegar no espaço em 1991, quando foi para a estação espacial Mir como parte do Projeto Juno, um acordo entre a União Soviética e várias empresas privadas britânicas.

Atualmente, ela é gerente de operações do Departamento de Química do Imperial College, em Londres.

UOL

Opinião dos leitores

  1. É só olhar o ministério do Bozo que isso se comprova. Convenhamos que nem a Damares e nem o general Heleno são criaturas desse mundo, né!? Isso sem falar na Familicia.

    1. Caligula é um reptiliano asqueroso que é incapaz de agir como um ser humano civilizado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

ONU afirma que Amazônia corre o risco de virar savana

Área desmatada da Amazônia: documento destaca o problema das queimadas e da extração de madeira Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS

O relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) dá grande destaque ao meio ambiente, às pressões que o homem exerce sobre o planeta e cita diversas vezes o Brasil. O documento diz que, embora a Covid-19 tenha absorvido a atenção do mundo, as crises que já existiam continuam em curso, dando como exemplo os incêndios no Pantanal.

O texto, que traz dados sobre a colocação do Brasil no ranking de IDH, afirma que ecossistemas como a Amazônia “enfrentam o risco de mudar de floresta tropical para savana” devido à perda de mata causada por incêndios e mudanças no uso da terra.

“Agricultores e trabalhadores agrícolas às vezes ateiam fogo para preparar a terra para replantio ou para limpar ervas daninhas. Em 2018 e 2019, a Bolívia e o Brasil experimentaram grandes perdas em florestas primárias — no Brasil principalmente por extração de madeira e desmatamento para novos usos da terra e agricultura”, diz o relatório.

Para o Pnud, “as luzes de advertência da natureza e da sociedade estão piscando em vermelho”, diante das mudanças climáticas. Segundo o documento, “nenhum país do mundo alcançou a combinação mágica de alto desenvolvimento humano e baixa pressão planetária — ainda”.

Por conta da floresta e da poluição gerada em outros países, o Brasil ganha dez posições no ranking do IDH quando esse índice é ajustado às pressões sobre o planeta.

Clima extremo

De acordo com o documento, o mundo está desestabilizando os próprios sistemas de que precisa para sobreviver a uma velocidade e escala sem precedentes, citando o aumento da fome e da quantidade de calamidades relacionadas a desastres naturais.

“Já afetados por cada vez mais furacões e incêndios florestais, os países mais pobres podem enfrentar até mais cem dias de clima extremo por ano até 2100. Apesar de serem os maiores responsáveis por causar as mudanças climáticas, os países ricos poderiam reduzir esse número em 18 dias”, afirma o texto.

O documento ressalta ainda que as ações dos povos indígenas, cuja gestão ajuda a proteger grande parte da floresta tropical do mundo, compensa o equivalente a todas as emissões de carbono de 1% das pessoas mais ricas do mundo.

“No entanto, eles continuam a enfrentar dificuldades, perseguição e discriminação em muitas partes do mundo”, assinala.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Não chove porque existe floresta, há floresta porque chove!
    À região equatorial é quente e úmido, sempre haverá a floresta a não ser que mudem o eixo da terra

  2. Seria bom que a ONU e os países de 1°mundo se preocupassem com nosso sofrido Nordeste, que a tempos sofre efeitos de uma desertificação.
    Mas pelo que vejo o socorro é seletivo, e o povo do nordeste segue calado.

  3. Deixe homi, qdo o planeta ficar inóspito, os milionários irão pra outros planetas e nós ficaremos aqui discutindo entre nós qual dos milionários escolheu o melhor planeta pra viver.

  4. Corre mesmo. Mas o povo amazonense precisa empunhar a a causa. Caso isto não ocorra, fica mais difícil.

  5. Falam isso há décadas e continuamos como o país que mais preserva suas matas, temos 85% da floresta amazônica preservada. O reto é conversa para desgastar o governo, ou alguém ainda acredita que a ONU não é um órgão parcial?

  6. O mar de Aral foi consumido literalmente pela incompetência daquele extinto "regime de sucesso" que adora produtos do capitalismo. Alguém sabe de alguma manifestação dessa ONG contra tamanho crime ambiental?

  7. A política Ambiental do Presidente Jair Bolsonaro é a mais severa dos últimos anos. ONGs que mamavam dinheiro sem prestar contas, estão desesperadas.
    Outra, a floresta Amazônica não é só brasileira, a floresta tbm faz z parte de outros países fronteiriços.

  8. De fato que essa ONU é muito confiável. É a mesma que defendia o fique em casa que no final das contas reconheceu seu erro. Isso não passa de uma ideologia esquerdista

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem morto em supermercado de Porto Alegre sofreu asfixia, afirma delegada; seguranças estão presos e serão indiciados

Foto: Redes sociais

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, homem negro morto em um supermercado Carrefour de Porto Alegre na noite de quinta-feira (19), sofreu asfixia, de acordo com informações preliminares da delegada esponsável por investigar o caso.

À CNN, Roberta Bertoldo, do 2º Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de Porto Alegre, afirmou que os dois seguranças do mercado já foram presos e serão indiciados por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil e por não darem chances de defesa à vítima.

A delegada informou ainda que outras duas pessoas serão investigadas no inquérito. Ainda segundo Bertoldo, a família ainda aguarda a liberação do corpo da vítima pelo Instituto Médico Legal (IML).

Incidente não esclarecido

De acordo com a Polícia Civil, houve um incidente ainda não esclarecido dentro do supermercado. O cliente, então, foi conduzido por dois seguranças até o estacionamento e, após passar pela porta do local, a polícia disse que ele teria dado soco em um dos vigias, o que iniciou os ataques violentos contra ele.

A vítima chegou a ser atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas acabou morrendo.

Um vizinho da vítima, que diz ter testemunhado as agressões, afirmou nesta sexta-feira (20) que cerca outros oito seguranças ficaram no entorno da área, impedindo a aproximação das pessoas que tentavam parar com as agressões.

“Não pararam. A gente gritava ‘tão matando o cara’, mas continuaram até ele parar de respirar, fizeram a imobilização com o joelho no pescoço do Beto, tipo como foi com o americano [George Floyd, morto por policiais neste ano nos Estados Unidos].”

Governador promete rigor na apuração

Em manifestação nas redes sociais, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (20) que a polícia apurará todas as circunstâncias do caso.

“Infelizmente, neste dia em que deveríamos celebrar essa políticas públicas nos deparamos com cenas que nos deixam indignados pelo excesso de violência que levou à morte de um cidadão negro em um supermercado aqui na capital gaúcha”, disse Leite, em vídeo publicado em suas redes sociais.

“Os inquéritos policiais estão sendo levados adiante com muito rigor. Aqueles que se envolveram, [estão] detidos e já [foi] apresentado também o inquérito por homicídio triplamente qualificado. Toda a investigação vai se dar no curso desse processo”, completou o governador.

Carrefour lamenta ocorrido

Em nota, o Carrefour disse que “lamenta profundamente o caso” e que “adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso”.

A empresa informou ainda que vai romper o contrato com a companhia responsável pelos seguranças que cometeram a agressão e demitirá o funcionário que estava no comando da loja no momento do crime. A loja vai permanecer fechada nesta sexta.

“Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente”, diz o comunicado do Carrefour. “Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam.”

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Meu Deus como o ser humano tá virando bicho muito revoltante ver esses seguranças covarde fazer isso com o homem e ninguém fazer absolutamente nada só sabem filmar pior que logo estão soltos

    1. Ninguém conseguiu ajudar.. haviam 8 (oito) seguranças (cúmplices) protegendo os criminosos enquanto eles matavam o rapaz…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Coronel Hélio afirma que Leocádio é “personagem infiltrado na direita”

Após entrevista em que o delegado Sérgio Leocádio criticou, indiretamente, a carreira política do candidato a prefeito de Natal Coronel Hélio Oliveira (PRTB), o Coronel Aviador da reserva respondeu, em vídeo, às críticas e relembrou as ligações políticas e partidárias do seu adversário.

“Eu sou paradequista, sou Aviador, sou Coronel da Força Aérea Brasileira com 32 anos de serviço. Eu sou gestor. O senhor [Sérgio Leocádio] é um profissional da velha política. É um personagem infiltrado na direita querendo falar de valores da verdadeira direita”, disse Coronel Hélio.

No vídeo, o candidato do PRTB também lembrou os cargos já exercidos e os partidos aos quais Leocádio já teve relação. “O senhor foi secretário de Micarla [de Sousa, ex-prefeita de Natal], indicado por Paulinho Freire, que é assim [faz gesto de união com as mãos] com Álvaro Dias. O senhor é Joice Hasselmann, que traiu o presidente Jair Bolsonaro. O senhor já foi Pastor Everaldo, que está preso, do PSC. O senhor já foi da chapa do Solidariedade, do Paulinho da Força. Então, delegado, o senhor não é da verdadeira direita”.

Opinião dos leitores

  1. Esse cara fala que o delegado é um infiltrado, e ele é um paraquedista forasteiro importado. Se fosse mais inteligente, apoiaria o delegado que está crescendo e é do grupo do PSL de Girão, visto que o partido desse carioca não tem nenhuma chance.

  2. Resumindo: os dois são de direita, sedentos pelo poder e sem nenhuma proposta para Natal. Fujam dessa turma!

  3. O Delegado tenta pegar "carona" na fama do Presidente. Faz "apresentações" sensacionalistas para chamar a atenção. Pode até ser bom delegado e gestor, mas poderia provar que trabalhou para Bolsonaro e quanto fez nesse sentido?
    O Cel Hélio já trabalhou muito pelo Presidente Bolsonaro e provou isso.
    Desta forma, é o representante de fato do Presidente.

  4. …..dois que estão fazendo exatamente o que o cacique de HENRIQUE, Álvaro Dias quer….brinquem, discutam, e percam votos, enquanto isso o velho cacique da velha política vai ganhando votos e se configurando em primeiro turno…….

  5. A Campanha já tá decidida, Álvaro já ganhou, mas essa briga tá boa kkkkk. O Coronel e o Delegado querendo ser o melhor amigo de Bolsonaro, e o Mito não apoia nenhum dos dois. A Política continua o mesmo Circo de sempre kkkk

  6. BG
    Parabéns Coronel Hélio o Sr. Disse tudo. Esse ex-delegado fala muito. Está perdido, as urnas dirão

    1. BG
      Vai consertar Natal, tirando esses políticos CARREIRISTAS infiltrados na administração da Capital Norte riograndense, há vinte anos no poder. Um pelego.

  7. Parabéns Coronel
    Hélio. Falou tudo. Basta de aproveitadores. Estamos juntos. Voto 28.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Brasil está muito bem visto lá fora, afirma Paulo Guedes

Foto: Adriano Machado/Reuters

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nessa quarta-feira (14) que o Brasil está sendo muito bem visto no exterior por conta das medidas que, tão rapidamente, o governo brasileiro adotou para enfrentar os impactos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia.

Ele disse que passou o dia com os ministros das 20 principais economias do mundo, dos quais ouviu relatos que mostram a boa imagem da qual o Brasil desfruta lá fora.

O ministro lembrou que a economia brasileira, forçada pela pandemia, caiu muito, mas que, graças às medidas emergenciais que atenderam os mais vulneráveis, voltou a se recuperar e está sendo retomada em forma de “V”, cenário em que uma economia volta a crescer na mesma velocidade em que cai. “O Brasil bateu lá embaixo e voltou em forma de ‘V’. Só no mês passado criamos mais de 300 mil empresas”, disse o ministro da Economia.

Guedes voltou a defender o Pacto Federativo e disse que o espírito da descentralização dos recursos para os Estados sempre esteve presente entre nós, mas que veio a pandemia e desacelerou o processo.

“Nosso mapa era descentralizar recursos para os Estados, mas veio a covid-19”, disse, acrescentando que se tratava de R$ 450 bilhões que seriam descentralizados para estes entes da Federação.

R7 e Estadão

Opinião dos leitores

  1. Da última vez que tive lá fora, evitei falar português. Até os taxistas faziam troça por causa do Bolsonaro.

  2. lá fora eu não sei e nem interessa!! agora aqui dentro do Brasil o bicho vai pegar. o ponto de partida foi a cueca! Posso criticar pois votei neste governo ainda que por conta do PT mas, estou arrependido!!

  3. De Boa, Intenção o inferno tá cheio. Quando vejo um dos maiores acionistas do Banco P. Tomando conta do Banco Central, vejo que vai da merda.
    O Bancos Itau,Bradesco, são dois indivíduos que está com o Guedes na mão. Veja a linha de crédito Pronamp quando o dinheiro cai na conta desses dois bancos essa quantias evaporam e os clientes ficam pedindo esmolas e pagando os juros que eles querem, que é superam aos 3.9 ao mês e composto. Não tem como não quebrar nesse mundo como empresário sem passar nas mãos desses banqueiros que assaltam com juros altíssimos.

  4. Esse traste brinca de fazer economia. Seus planos são sem começo e fim, verdadeiras gambiarras. Zélia Cardoso, que fez muita merda, era mais macho que esse bicho, mas temo pelo pior… Tudo dele e enaltecendo os Estateres Uniteres e o fumo entrando nas fuças dele.

  5. Tremendo de um mentiroso esse banqueiro asqueroso! Investiguem o submundo financeiro desse cidadão e encontrarão horrores!

  6. Recuperação da economia em "V"? É mesmo? E como explicar a péssima performance do R$ em comparação com o dólar americano?

  7. Resta sabe onde é esse lá fora dele. Seria lá fora da terra plana dos bolsonaristas?
    Realmente essa turma vive em outra galáxia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

China afirma ter encontrado coronavírus em carne exportada pelo Brasil

Foto: Touro, boi, vaca | Arquivo Google

Quase dois meses depois de a China ter dito que encontrara resíduos de coronavírus num lote de asas de frango importado do Brasil, as autoridades chinesas voltam a fazer a mesma afirmação — só que em relação à carne bovina exportada pelo Brasil.

Desta vez, as autoridades chinesas disseram ter detectado vestígios de coronavírus na embalagem de carne bovina numa inspeção feita no Porto de Dalian, um dos maiores do país.

A carne foi produzida pelo frigorífico Minerva, especificamente pela unidade localizada em Barretos (SP), cidade onde a empresa foi fundada há 96 anos. O Minerva é o terceiro maior produtor de carne bovina so Brasil, fica atrás somente da JBS e Marfrig.

A embaixada do Brasil em Pequim já foi comunicada oficialmente do caso.

De janeiro a julho, o Brasil exportou 1,1 milhão de toneladas de carne bovina. Isso significa um faturamento de US$ 4,7 bilhões. Desse total, 60% do faturamento vêm exatamente da China.

É importante pontuar que no caso do frango ocorrido há dois meses, em que as autoridades municipais de Shenzhen afirmaram ter encontrado a presença de coronavírus também na embalagem de produto exportado pelo Brasil, nunca ficou esclarecido exatamente o que aconteceu, pois a contraprova jamais foi mostrada às autoridades brasileiras.

Lauro Jardim – O Globo

Opinião dos leitores

  1. A China pode ser uma potência, mas não tem credibilidade pelo fato de não ser uma democracia. Lá tudo é censurado além do razoável.

  2. Eles querem difamar o Brasil pro mundo só pra comprar carne mais barato, vão se dar mal, temos um grande mercado interno.
    Tem covid19 na carne? Não comprem, continuem a comer carne de cachorro e tomar sopa de morcego.

    1. Ok, Vamos parar de produzir carnes, aí passariam a encontrar esse vírus nas embalagens de soja!!!
      Ou nos outros alimentos que têm aparência de carne, textura de carne e gosto de carne, mas é feito de vegetais cheios de aditivos para parecer carne, cheirar como carne e ter gosto de carne!
      Viva a filosofia organicista hipócrita!

    2. Que eu saiba esse vírus veio dos morcegos e nao da soja… Rs
      Assim como a gripe aviária, suína… Animais vivendo em condicoes péssimas facilitando a disseminaçao de doencas. É assim que funciona a pecuária!

      Entao continue consumindo proteína animal e destruindo o planeta para suas próximas geracoes, Armando!

  3. Não. Entendi nada. Encontraram vestígio de COVID na embalagem? Ou na carne bovina? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa kkkkkk.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

OMS afirma que mundo foi lento na resposta ao novo coronavírus e diz que menos de US$ 300 milhões por ano de orçamento “são muito pouco”

Foto: Pierre Albouy/Reuters

Um informe divulgado nesta terça-feira (6) pela Organização Mundial de Saúde (OMS) indicou que o mundo não levou a sério a declaração de emergência feita pela agência em 30 de janeiro deste ano, pela propagação do novo coronavírus.

“Não motivou os países a colocarem em prática medidas de saúde pública pela Covid-19”, afirmou a médica britânica Felicity Harvey, líder do Comitê Consultivo Independente do Programa de Emergência e responsável por apresentar o estudo que diz respeito aos quatro primeiros meses da pandemia da doença.

Segundo a representante da OMS, a postura de líderes das nações que integram a agência colocaram dúvidas sobre a maneira com que são declaradas emergências e se seria necessário adotar outros mecanismos.

O informe, que será atualizado no próximo mês, conclui que a Organização Mundial de Saúde “demonstrou liderança e fez importantes progressos na resposta à pandemia, tendo em conta a natureza nova do vírus e os fatores desconhecidos que apresentava”.

Entretanto, segundo Harvey, a politização da pandemia em muitos casos tem sido um “obstáculo material” para derrotar o vírus. Além disso, a especialista garantiu que e o nível geral dos dados fornecidos pelas redes nacionais de saúde nos casos de Covid-19 precisa ser melhorado.

“A OMS não pode derrotar este vírus sem o apoio unificado dos países membros nas próximas fases da pandemia”, afirmou Harvey.

Além disso, a representante da Organização lembrou os problemas de financiamento sofridos atualmente, que impedem uma gestão de alta qualidade nas emergências de saúde, por isso, pediu que os integrantes revejam os repasses.

“Os menos de US$ 300 milhões por ano de orçamento são muito pouco para responder e coordenar uma resposta global”, avaliou.

O comitê que Harvey lidera é um dos três que estão avaliando a resposta da OMS à pandemia, e o único que apresentou resultados preliminares das investigações ao Conselho Executivo da organização, já que os outros dois estão em processo inicial.

O painel independente foi autorizado pela OMS na última reunião anual que realizou, em resposta às críticas de alguns países – especialmente dos Estados Unidos – pela gestão inicial da pandemia e pela desconfiança dos dados preliminares da China, onde ocorreram os primeiros casos de Covid-19.

EFE

Opinião dos leitores

  1. A China, inicialmente, escondeu o problema. Em seguida divulgou dados vagos e inconsistentes, talvez por não saber da gravidade e transmissibilidade do vírus. No entanto, tomou medidas muito eficazes dentro de seu território, isolando a região onde originou-se a pandemia, fazendo muitos testes, conseguindo controle do evento muito mais rápido que outros países.
    A ONU, por intermédio da OMS, foi lenta e insegura na orientação. Não pode, neste momento, culpar quase todos os países por sua incompetência e omissão inicial.

  2. E o mundo afirma q a OMS foi desonesta, desorientada e conivente com a China causadora de todo esse desastre.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Inquérito das fake news deu resultado, afirma Gilmar Mendes

Foto: CNN

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes defendeu, nesta quinta-feira (25), em entrevista à CNN, o inquérito das fake news e afirmou que já foram apresentados resultados decorrentes da investigação.

“O inquérito das fake news deu resultado, identificou doadores, quem estava atacando pessoas, algumas delas foram presas, estão respondendo”, disse o ministro.

“Temos agora o inquérito dos atos antidemocráticos, a partir da manifestação feita no QG [do Exército], com participação do presidente, é verdade. Os parlamentares que organizaram o evento estão sendo responsabilizados”, completou.

Gilmar disse também que, entre outras coisas, a investigação serviu para debelar a organização que espalhava notícias falsas, mas também para identificar criminosos que estavam se articulando. “Daqui a pouco são milícias, daqui a pouco tem armas, todos defendem muito o porte.”

Sobre a duração do inquérito, o ministro afirmou que é preciso verificar com seu colega de Corte, Alexandre de Moraes, que preside a investigação, mas acredita que ela deva continuar mesmo após o fim da gestão de Dias Toffoli à frente do STF, em setembro.

Questionado se já havia sido, ele próprio, vítima de fake News, Gilmar afirmou que sim, já que a internet é “terreno para pessoas excêntricas e algumas delas se imaginam um pouco dotadas de poderes divinos”.

“É preciso que esse cuidado seja mantido e que as pessoas tenham noção de que o uso da palavra, o uso de ataques e coisas do tipo pode ser cobrado criminalmente”, afirmou.

O ministro do STF também falou mais sobre uma proposta sua, classificada por ele como esboço, para que seja criado algum tipo de órgão regulador para monitorar as redes sociais.

“A despeito da legislação, que deve dar responsabilidade aos provedores, eu imagino que é necessário uma agência e pensei que o modelo ideal seria dessa autoridade fiscal independente e que pudesse ter a participação de pessoa da imprensa, do Judiciário, do Legislativo e do Executivo para acompanhar, sugerir medidas e, eventualmente, expedir regulações”, detalhou.

Ele disse que essa ideia, no entanto, precisa ser debatida em profundidade. “Algo precisa ser feito. Temos que saber o que fazer.”

Julgamento de Moro

Gilmar Mendes também afirmou que pretende levar à 2ª turma do STF, antes da aposentadoria de Celso de Mello em novembro, o processo que julga o pedido da defesa do ex-presidente Lula sobre a anulação da atuação de Sergio Moro no caso.

“Sim, virá antes. Eu espero que já no segundo semestre nós retomemos a turma em um plenário físico, porque não é muito fácil, embora estejamos agindo bem em fazer esse sistema do julgamento virtual, não é muito fácil dialogar com as pessoas e perceber o entendimento ou não entendimento nesse plenário virtual”, disse.

Ele afirmou esperar que isso ocorra em agosto ou setembro, quando espera que haja condições para a retomada dos julgamentos presenciais, mas que, se necessário, o caso será decidido também pela internet.

“No limite, sim [faz de forma virtual], mas, a princípio, eu desejava que discutíssemos isso num diálogo muito aberto e franco na bancada.”

Investigação de milícias

Gilmar defendeu também uma atuação mais contundente do Ministério da Justiça e da Segurança Pública no combate às milícias e disse que sentiu falta disso no programa que Moro manteve à frente da pasta.

“Não é razoável que venham notícias de que em Rio das Pedras, aqui ou acolá, haja um grupamento que domina territorialmente uma dada região e faz exploração econômica e coisa do tipo. É preciso que isso entre na agenda do ministério da Justiça”, cobrou.

Ele disse esperar que o atual ministro, André Mendonça, “cuide bem dessa temática” que poderia, inclusive, ser foco de uma possível intervenção da Polícia Federal.

Com CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Esse STF é o que de pior existe na justiça, até hoje ninguém sabe o porque estão sendo processados.
    Indica, investiga, julga e processa.
    E se dizem democratas.

  2. Esse boca de sapo é uma das piores coisas que o STF já produziu. Quem cai na narrativa dessas excrescências merece todas as mazelas que eles já produziram e que estão lutando para que continuem a produzir. São idiotas úteis que contribuem para que o pais continue na mesma merda de sempre.

  3. De fato, tenho notado que diminuiu muito a presença dos robôs nas caixas de mensagens. Mas, ainda há uns poucos boçais analfabetos tentando defender o indefensável. Chega a ser comovente (ou patético) o malabarismo dialético para comprovar que a Terra é plana.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

“Monogamia, pra mim, não funciona”, afirma Bianca Andrade, influenciadora digital e ex-BBB

Foto: Reprodução/Instagram

A ex-BBB Bianca Andrade já se relacionou com mulheres, namorou homens e defende a liberdade nos relacionamentos. “Não é que eu não ame. Eu amo, mas um relacionamento fechado não rola. Monogamia, pra mim, não funciona”, afirma a empresária em entrevista à revista Quem.

A youtuber e empresária diz ser livre com amigos e com sua família e espera o mesmo em uma relação amorosa. “Amo minha liberdade, ser a Bianca 100% independente, sem nenhum tipo de posse ou ciúme. É impressionante ver como isso me rege. Com meus amigos e minha família, tudo é tão leve e livre que acho que meu relacionamento amoroso deve ser do mesmo jeito”.

Ela também garante respeitar a liberdade do outro, mas que, ainda assim, esse tipo de pensamento assusta. “Da mesma maneira, também não cobro, só que poucas pessoas conseguem amar uma mulher livre”, completa.

Bianca que se identifica como bissexual diz que algumas pessoas ainda olham torto em sua direção apenas por ela ser quem é. “Pra muita gente, isso é um pouco fora da curva, mas pra mim faz sentido”, comenta.

Mesmo falando abertamente sobre relacionamentos e sua vida, Bianca cita a super exposição que precisa encarar. “Não é fácil lidar com internet e tanta exposição, principalmente depois do BBB. O que me ajuda é o fato de trabalhar muito, com cronograma e sempre agenda cheia. Quando se tem boa fé, caráter e mangas arregaçadas, as coisas acontecem”, fala.

IG

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo do Estado se reúne com centrais sindicais e afirma prioridade é salvar vidas

O fundamental para o Governo do Estado neste momento é salvar a vida das pessoas neste período de pandemia. A afirmação é da governadora Fátima Bezerra em videoconferência com representantes de centrais, sindicatos e federações de trabalhadores na agricultura do Rio Grande do Norte, no início da noite dessa terça-feira, 12.

Fátima Bezerra frisou aos representantes dos trabalhadores que o foco do Governo, além das ações no enfrentamento aos efeitos da pandemia do novo coronavírus, é manter o calendário da folha pagamento dos servidores do Estado em dia. No prazo de quinze dias, uma nova reunião com os representantes dos trabalhadores será realizada por meio de videoconferência.

A videoconferência foi um espaço aberto pelo Governo do Estado para ouvir as demandas dos representantes do trabalhadores como sindicalistas e das federações da agricultura familiar, que temem pelo aumento do desemprego por causa das demissões ocorridas em setores diversos da economia e, também, do temor concreto que a Covid-19 acometa trabalhadores dos serviços essenciais e, também, aqueles que neste momento estão sem emprego.

Na conversa, a chefe do executivo estadual reafirmou que além da manutenção do calendário há uma preocupação com o que virá pós-pandemia. “Esperamos que esse tempo passe para que o equilíbrio das finanças volte e a gente possa retomar a nossa pauta que também é sagrada: quitar o passivo com o pessoal”.

“Quero deixar tudo muito claro aqui da realidade que nós estamos vivendo hoje”, complementou a governadora. Ela disse às lideranças sindicais e das federações que a queda da arrecadação em maio vai ser maior que a de abril, como reflexo necessário do isolamento que tem que ser feito para salvar vidas e cuidar da saúde da população. “Isso é um grande desafio”.

Para a governadora, a hora não é de flexibilizar as medidas para manter o isolamento social como forma de garantir que o menor número possível de pessoas adoeça de Covid-19. “Eu quero insistir: vamos cobrar de todos para que a gente possa ampliar o nível de cumprimento das medidas de isolamento social”.

Na luta contra o aumento do número de casos de Covid, Fátima Bezerra disse que o Governo está atento e que todas as ações no combate à disseminação do novo coronavírus no RN são tomadas de acordo com as orientações do Comitê Científico formado por profissionais da UFRN, Uern, Secretaria de Estado da Saúde Pública e outras instituições. “O que o Comitê disser nós faremos”, anunciou.

DIÁLOGO PERMANENTE

Sobre a videoconferência com setores representativos, Fátima Bezerra explicou que o diálogo do Governo com as categorias de trabalhadores e também do empresariado é permanente. “Mantemos o diálogo com todos que nos procuram. Essa é a nossa marca e nosso compromisso”.

O vice-governador Antenor Roberto destacou a importância do diálogo que o Governo vem mantendo com as diversas categorias, patronais e de trabalhadores, e destacou que a pauta que todos apresentam é de relevância ante as incertezas do futuro da economia pós-pandemia, diante do cenário de recessão e desemprego.

De acordo com o secretário-adjunto da Saúde, Petrônio Spinelli, que também participou da videoconferência, manter o distanciamento social neste momento da pandemia é vital para que aglomerações não reflitam em um aumento no número de casos da Covid-19.

Segundo o secretário Extraordinário para Gestão de Projetos e Metas de Governo e Relações Institucionais (SEGRI), Fernando Mineiro, esta foi uma reunião importante para o Governo do Estado que exerce, mais uma vez, seu protagonismo através do diálogo com todos os setores da sociedade. “Assim como (o Governo) já conversou com os setores empresariais, agora, ouviu também setores dos trabalhadores”, frisou Mineiro.

Também participaram da reunião, o secretário da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), Alexandre Lima e representantes do Sindicato dos Bancários, Sindicato dos Comerciários, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Rio Grande do Norte-FETARN, Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Rio Grande do Norte-Fetraf/RN, CUT-RN e Intersindical do RN.

Opinião dos leitores

  1. A governadora Fátima falar que tá preocupada em salvar vidas, pq nunca se preocupou com a violência?? Mata muita mais do que o vírus chinês. Pensa que somos bestas!!

  2. Dra governadora mantenha essa posição de isolamento social. Não temos alternativa melhor no momento. Eu sei q a pressão é grande. Muita gente egoísta, muitas vezes movida por ideologias escusas. Vamos seguir em frente com o isolamento e vamos continuar salvando vidas.

  3. O governo estadual precisa prestar conta dos recursos recebidos do governo federal ! É muito cômodo decretar quarentena, pedir dinheiro a Brasília e não tomar nenhuma medida concreta.

  4. O brasileiro trabalhador, se não morrer de COVID, morrerá de fome!!

    Para esses esses governos de esquerda, quanto pior, melhor!! Lixos!!

    1. Essa governadora sempre foi e sempre será uma piada. Não sabe se expressar, não sabe se comunicar e muito menos administrar. Mais uma da laia do Luladrão

    2. Thiago, eu sou favorável à quarentena.
      Mas há estamos há dois meses e não parece estar sendo tão efetivo.
      Não vemos o governo do Estado fazer nada.
      Quantos leitos foram abertos?
      Dois meses de enrolação.
      O governo federal só mandando dinheiro e nada de hospitais.
      Não se vê nenhuma medida educativa.
      Como em Ceará Mirim.
      Eu defendo que os profissional dos serviços essenciais passem 15 dias confinados próximo ao local de trabalho para evitar contaminação em ônibus e levar para ou trazer de casa.
      Não vejo uma medida educativa tipo só vá ao supermercado uma vpor semana!!!
      Não fique nas calçadas batendo papo.
      Nessa pisada podemos passar 6 meses em "quarentena"

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Advogado de Bolsonaro afirma ter novas testemunhas “amedrontadas e narrando coisas assustadoras” e pede federalização do caso Adélio Bispo

Foto: Reprodução/Band

Frederick Wassef, que advoga para Flavio Bolsonaro e já defendeu o presidente em casos que envolvem o Judiciário, esteve no Aqui na Band deste segunda-feira, dia 11, e contestou trabalho da Polícia Federal de Juiz de Fora (MG), cidade onde Jair Bolsonaro, até então candidato à presidência da República, levou uma facada em setembro de 2018. O programa esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Segundo Wassef, quando Adélio Bispo, autor da facada é retido, a pessoa que o detém não é alguém da Polícia Federal, conforme consta no relatório do inquérito. “O relatório começa com uma mentira. Como sei disso? Fui procurado por esta pessoa, que é quem detém Adélio. Há uma testemunha que o detém e o conduz até um prédio e ali eles ficam por um tempo. Sim, essa pessoa esteve por um tempo a sós com Adélio e tem gravação disso, vou levar à Procuradoria-Geral e à Polícia Federal”, disse durante o programa.

O advogado de Bolsonaro não revelou mais detalhes além do descrito acima. De acordo com ele, “não se pode mostrar a estratégia para não alertar os inimigos”. “Esse indivíduo deteve o Adélio; gravou o Adélio e, além desta, há outras testemunhas que me procuraram amedrontadas e narrando coisas assustadoras.”

Wassef questionou, também, o prazo de 30 dias em que foi feito o inquérito oficial. “O delegado da Polícia Federal disse que tinha prazo para terminar o inquérito, 30 dias, mas 99,9% dos inquéritos levam mais de anos para serem concluídos. Então, o delegado, usando da justificativa dos 30 dias, encerra o documento. A polícia de Juiz de Fora não investigou, desmembrou o inquérito. Ao invés de apurar a verdade e chegar aos mandantes, isolam o Adélio dizendo que ele é um louco.” O advogado de Bolsonaro terminou sua participação no programa pedindo a federalização do caso.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Frederick Wassef, que advoga para Flavio Bolsonaro e já defendeu o presidente em casos que envolvem o Judiciário, esteve no Aqui na Band deste segunda-feira, dia 11, e contestou trabalho da Polícia Federal de Juiz de Fora (MG), cidade onde Jair Bolsonaro, até então candidato à presidência da República, levou uma facada em setembro de 2018. O programa esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter. Segundo Wassef, quando Adélio Bispo, autor da facada é retido, a pessoa que o detém não é alguém da Polícia Federal, conforme consta no relatório do inquérito. “O relatório começa com uma mentira. Como sei disso? Fui procurado por esta pessoa, que é quem detém Adélio. Há uma testemunha que o detém e o conduz até um prédio e ali eles ficam por um tempo. Sim, essa pessoa esteve por um tempo a sós com Adélio e tem gravação disso, vou levar à Procuradoria-Geral e à Polícia Federal”, disse durante o programa. O advogado de Bolsonaro não revelou mais detalhes além do descrito acima. De acordo com ele, “não se pode mostrar a estratégia para não alertar os inimigos”. “Esse indivíduo deteve o Adélio; gravou o Adélio e, além desta, há outras testemunhas que me procuraram amedrontadas e narrando coisas assustadoras.” Wassef questionou, também, o prazo de 30 dias em que foi feito o inquérito oficial. “O delegado da Polícia Federal disse que tinha prazo para terminar o inquérito, 30 dias, mas 99,9% dos inquéritos levam mais de anos para serem concluídos. Então, o delegado, usando da justificativa dos 30 dias, encerra o documento. A polícia de Juiz de Fora não investigou, desmembrou o inquérito. Ao invés de apurar a verdade e chegar aos mandantes, isolam o Adélio dizendo que ele é um louco.” O advogado de Bolsonaro terminou sua participação no programa pedindo a federalização do caso. Com informações do Metro Jornal

Uma publicação compartilhada por Blog do BG (@blogdobg) em

Com informações do Metro Jornal

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro considera “egoísta” postura de Moro, afirma jornal, por “interlocutores” do presidente, na crise do coronavírus

Foto: Adriano Machado / Reuters

O presidente Jair Bolsonaro está irritado com a postura do ministro da Justiça, Sérgio Moro, na crise do coronavírus. No final de semana, o presidente reclamou a interlocutores que Moro é “egoísta” e não está atuando para defender as suas posições no enfrentamento às medidas restritivas dos Estados e municípios como controle da covid-19. Bolsonaro, segundo o Estado apurou, reclama de estar desassistido juridicamente.

A irritação do presidente já é sintetizada em uma montagem que circula em grupos de WhatsApp bolsonaristas e mostra o ministro da Justiça em três versões. Na primeira foto, Moro está com uma máscara na boca. Na segunda, a proteção cobre os olhos. Na terceira, duas máscaras tapam os ouvidos.

No final de semana, em conversa com interlocutores, Bolsonaro reclamou da postura do ex-juiz da Operação Lava Jato, dizendo que o ministro “só pensa nele” e “não está fazendo nada” para ajudar o governo na batalha que o presidente trava com os governadores.

Nas redes sociais, Moro tem se isentado de abraçar o discurso de Bolsonaro, que defende que as pessoas fora do grupo de risco voltem ao trabalho. Nesta segunda-feira, o ministro da Justiça, que já sofre pressão nos bastidores, deu seu recado no Twitter: “Prudência no momento é fundamental”.

A frase foi publicada junto com um artigo do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), publicado no jornal O Globo, em que faz um apelo aos magistrados dizendo que “é hora de ouvir a Ciência.” Moro fez questão de destacar um trecho do texto de Fux: “Está na ordem do dia a virtude passiva dos juízes e a humildade de reconhecer, em muitos casos, a ausência de expertise em relação à covid -19”.

O governo federal tem perdido batalha consideradas caras a Bolsonaro contra governadores e prefeitos. Apesar de Bolsonaro defender um isolamento vertical, somente para idosos e pessoas com doenças, os Estados e municípios seguem adotando a quarentena como medida para controlar o avanço da covid-19.

Na semana passada, a Justiça do Rio derrubou decisão de Bolsonaro de reabrir os templos e as casas lotéricas. Outra derrota foi imposta quando o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, decidiu liminarmente que governadores e prefeitos podem determinar sobre as restrições de circulação de transporte. A decisão derrubou um trecho da medida provisória que restringe ao governo federal determinar o que são serviços essenciais.

No domingo, Bolsonaro disse que teve um “insight” para baixar um decreto para liberar “toda e qualquer profissão” a trabalhar. Auxiliares da área jurídica têm alertado o presidente que as decisões individuais da União, Estados e municípios podem acarretar uma série de ações judiciais questionando as medidas uns dos outros. Eles tentam convencer Bolsonaro que chegar a um consenso com governadores e prefeitos é mais eficaz.

O presidente, no entanto, não está convencido. Para ele, Moro, o qual considera o mais experiente e tem mais popularidade, deveria ajudar o governo na disputa jurídica. A conclusão do presidente, segundo relatos ao Estado, é que Moro, ao optar por não buscar auxiliar o governo fora dos temas diretamente à sua pasta, demonstra atuar somente no que lhe dá capital político. Moro já assinou decretos para restringir a entrada de estrangeiros no País.

A avaliação no círculo mais próximo de Bolsonaro é que o ministro André Luiz Mendonça, da Advocacia-Geral da União (AGU), embora seja tecnicamente bem preparado, é tímido politicamente e tem ficado aquém das expectativas do presidente na guerra que se transformou a crise do coronavírus. Já o ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência e responsável pela Subchefia de Assuntos Jurídicos (SAJ), mesmo tendo uma relação família com o presidente, tem adotado uma postura comedida. Para Bolsonaro, a parte jurídica está sem rumo.

Estadão

 

Opinião dos leitores

  1. Acho muito engraçado esses BOZOLOIDES, quando o energúmeno do presidente faz merda, acham “pouco provável”. Não se decidem. Esse governo já deu o que tinha que dar. Renuncia já! Ninguém aguenta mais esse rei do gado mais não. Só o rebanho mesmo.

    1. Çei, melhor substituí-lo por um ladrão condenado apenas pelos primeiros dois processos, faltando sair a condenação dos outros seis, né? É, dá pra ver a sua capacidade intelectual de discernimento, e que você não é teleguiado. tá sabendo, rsrsrs

  2. Mito cacete!!!! para de mexer com Moro e Mandetta. É para baixar o pau em Lula e nos petralhas. Desse jeito vc vai se fuder.

  3. É MENTIRA!!
    Mais uma envolvendo o ministro Moro.
    O caso é de Saúde pública, não de justiça.
    O ministro Sérgio Moro, já mais vai dar palpites nessa hora.
    Isso não tem cabimento.
    É mais uma da mídia.

  4. Se for verdade tudo isso mesmo ( que eu acho pouco provável que seja) Bolsonaro está cavando a própria sepultura.

  5. pode crer , que jornalismo chulo , parece fofoca de vizinha, o que isso influi pra um país ? , coisa feia.

  6. Bolsodoidobestá mais perdido do que cego em tiroteio, e depois da decisão Trump determinado isolamento social, o babão se desorientou de vez.

  7. Segundo a grande mídia está rolando treta com Mandeta tb, semana passada o PG estava prestes a pedir as contas…Enquanto não desestabilizarem o governo, pararem o país, visando apenas a queda do presidente e retorno da mamata milionária (verbas gordas de publicidade, empréstimos absurdos e projetos Rouanet´s), não sossegarão…

    1. Que teoria da conspiração mais patética.
      P.S. Votei nulo no segundo turno.

  8. Onde está o jornalismo sério ? Esse artigo usa expressões vagas como "segundo relatos" e "reclamou a interlocutores". Quem são esses interlocutores ? Relatos de quem ? Querem a todo custo criar intrigas e polêmicas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministro da Saúde afirma que transmissão comunitária de coronavírus vai ocorrer; governo analisa como vírus vai se comportar em um país de clima tropical

Foto: Reprodução/TV Brasil

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, afirmou nesta sexta-feira (6) que a chamada transmissão comunitária ou sustentada do coronavírus, que ocorre entre indivíduos que não viajaram e nem tiveram contato com pessoas que estiveram no exterior, deve ser registrada caso o vírus se comporte da mesma forma que em outros países. Esse tipo de transmissão ainda não foi identificada no país.

Ontem (5), o Brasil confirmou dois casos de transmissão local do coronavírus. As duas pessoas tiveram contato com o primeiro caso registrado no país, o paciente 1 que esteve na Itália. “Não é transmissão comunitária ainda, mas sinaliza que o vírus tem uma competência de transmissão”, disse, ao deixar o Palácio do Planalto na manhã desta sexta-feira.

Existem três formas de contaminação, a daquelas pessoas que viajaram ao exterior, vindos de países com circulação do vírus; a de quem teve contato com quem viajou ao exterior, chamada de transmissão local, e aquela entre pessoas que não viajaram ao exterior e nem tiveram contato com viajantes, a chamada transmissão comunitária ou sustentada.

Segundo o ministro Mandetta, é preciso esperar e observar como o vírus vai se comportar em um país de clima tropical, antes do governo mobilizar outras medidas.

“A China enfrentou com bloqueio de Wuhan [cidade epicentro do surto], uma cidade de 12 milhões de habitantes, do tamanho de São Paulo. E no Brasil, se a gente começa [as transmissões do vírus] por São Paulo, é uma cidade muito vital para o Brasil, não existe delírio de qualquer bloqueio, mas é uma cidade que pode ter muitos casos. Temos que trabalhar com os casos que a gente tem, não sabemos como vai ser o comportamento do vírus em país tropical, como ninguém sabe”, explicou.

Reunião com o presidente

O ministro esteve hoje em reunião com presidente Jair Bolsonaro, para atualizá-lo sobre a epidemia global do coronavírus e a situação em território nacional.

De acordo com o Ministério da Saúde, nove casos foram confirmados no Brasil até hoje: seis são em São Paulo; um no Rio de Janeiro; outro no Espírito Santo e um na Bahia. Existem ainda outros 636 casos em investigação.

Além disso, há um caso confirmado no Distrito Federal, mas o Ministério da Saúde ainda aguarda a contraprova para contabilizar mais este caso, já que a confirmação foi feita por um laboratório particular.

No mundo, já são mais de 95 mil casos confirmados em 85 países e territórios.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Eita governo incompetente!
    Na China estão conseguindo conter. Lá os casos novos estão diminuindo.
    Aqui o governo nem tenta!
    Ai dento!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *