Polêmica

Escola de Natal é acusada de homofobia após mandar alerta às famílias sobre série “Round 6” e depois pede desculpas

Foto: Divulgação / Netflix

A rede de escolas Salesiano, que tem duas unidades em Natal, está sendo acusada de homofobia após enviar para os pais e responsáveis pelos alunos um comunicado sobre os possíveis riscos da exposição dos jovens à série sul-coreana “Round 6”, que se tornou a mais vista da história da Netflix. Depois da repercussão negativa, a escola pediu desculpas.

No comunicado às famílias, a escola afirma que a série tem conteúdos “completamente inapropriados para crianças” e inclui a “homossexualidade” entre os temas complexos abordados pela produção. O Salesiano compara a orientação sexual, que aparece de forma tangencial na série, a temas como suicídio, tráfico de órgãos, tortura psicológica e morte.

O Salesiano enfatiza que, apesar de a série possuir classificação indicativa (sendo não recomendada para menores de 16 anos), crianças têm fácil acesso à Netflix. O colégio recomenda aos pais que ativem a ferramenta de restrição de visualização por classificação etária, para que os jovens tenham acesso apenas a conteúdos apropriados para a idade deles.

A rede de escolas destaca que a série tem “pesadas cenas que chocam os espectadores com episódios de extrema violência”, o que contrasta, segundo o Salesiano, com a necessidade de os jovens conviverem “em ambientes de respeito, fraternidade, dignidade e paz”. O colégio manifesta preocupação com o fato de que, na série, os jogos envolvidos são justamente infantis.

“Outra orientação de cuidado é que as crianças e os adolescentes (que) quiserem assistir, que sejam acompanhados dos pais e/ou responsáveis, e que se promovam diálogos educativos, em vista da formação da consciência moral e social”, conclui o texto.

Confira o comunicado:

Para ler a matéria na íntegra acesse AQUI.

98 FM

Opinião dos leitores

  1. Parabéns ao Salesiano, todos tem que dizer não a doutrinação escolar, quer seja sexual quer seja política. parabéns a escola, respeito a todos

  2. Eu não entendi pq o colégio pediu desculpas??? ora se os princípios e primado defendidos pela casa educacional eh uma entidade Cristo e defende a Vida Familia e não tem que recuar um milimetro… ou eh de mentirinha

  3. Estou de acordo com o Salesiano tem que ter vigilância no que as crianças e adolescentes vêm…

  4. Colégio católico ter que pedir desculpa por dizer que práticas homossexuais são condenáveis é de cair o c* da bunda.

  5. Parabéns ao grupo Salesiano pela preocupação com a formação dos jovens. Nada de homofobia e sim responsabilidade com a educação. Graças a Deus ainda temos alguém que se preocupe dessa forma

  6. Desculpe-me, mas em minha opinião, não achei o texto acima homofóbico. Assisti a série e até gostei por abordar temas como o egoísmo, ganância e vícios, mas também a achei extremamente agressiva. Também acho que se for assistida por menores, que seja com a presença dos pais para melhor orientação. Portanto, meus parabéns ao Grupo Salesiano de Ensino.

  7. Quem educa os filhos são os pais, e tenho certeza que 99,9 deles não desejam filhos gays..VAMOS PARAR DE HIPOCRISIA!!!!

    1. Bom então a vontade dos pais na criação dos seus filhos nao vale nada? Nao entendi entao eles tem que tomar as decisoes baseadas nos que eles querem? Seus pais nao pode opinar em nada? Olha eu nao fui criado assim, mas e por ai mesmo que a juventude esta no caminho certo, nao ouçam opinao dos seus pais pq eles estao errados, hipocresia.

    1. Infelizmente tenho certeza que a rede salesiano foi obrigada a pedir descupas pela nossa ilustre justiça brasileira.

  8. Parabéns ao Colégio Salesiano São José, alertar sobre uma série de possíveis temas polêmicos não tem nada haver com discurso de ódio ou homofobia. Mais uma vez, parabéns.

  9. eu fico imaginando aqui o quanto os homossexuais se sentem incomodados com a presença de heterossexuais no mundo, as vezes ate acho que o sonho dos homo seria que o povo hetero fosse extinto. Por outro lado, vejo os hetero se defenderem p/ nao acabarem extintos, sem voz e sem nada.

  10. Muito feliz q a Escola esteja atenta a essa satanização q tomou conta do mundo, até mesmo porque tenho filhas que lá estudam. Feliz com a atitude tomada pelo corpo técnico do Salesiano que eh um Colégio de valores Cristãos.

  11. A escola poderia ter abordado as questões sociais ligados ao capitalismo ao invés de falar sobre a homossexualidade. Preconceituosos!!
    Tem vários aspectos a serem debatidos sobre a série.
    Aposto que nem assistiram…dããã!!

    1. Criticar o capitalismo é fácil, né?!? O difícil é implementar o “verdadeiro socialismo”! Vocês dizem que não podemos criticar o socialismo já implantados na história porque ele “nunca foi implantado do jeito correto”! E os socialistas brasileiros, que desvirtuam e se corrompem com qualquer dose de poder, dizem que vão conseguir implementar o “SOCIALISMO DE VERDADE”! PIADA!!!

      VIVA O CAPITALISMO, mesmo com todos os seus defeitos!

  12. Concordo plenamente com a preocupação da Colégio salesiano, não vi em lugar algum sobre homofobia em seu comunicado, e sim uma parceria entre Escola e pais, como sempre faz. Nossas crianças precisam do nosso acompanhamento, cuidado, diálogo e atenção.

  13. Apesar de não ver na série essa “homossexualidade” informada na nota, penso que o recado é para que os pais e responsáveis tenham mais cuidado com o que os pequenos assistem, essa série não é a única e nem a mais violenta disponível na Netflix.

  14. O Salesiano acha que não tem pais/alunos/funcionários gays, por acaso? No ambiente escolar, com uma mensalidade cara, ainda assim há distinção? Ultrapassados.

  15. Esse pessoal que aplaude a nota do Salesiano, assistiram a série pq? Ou estão apoiando algo que nem viu?

  16. Há de ressaltar que não foi a Escola. Foi a Rede Salesiana do Brasil. Todas no Brasil devem ter obedecido e enviado para os pais. O papel do comunicado é timbrado de Brasília.

  17. Ninguém escolhe ser homossexual. Esse argumento de escolha não existe. Nasce-se homossexual, assim como hetero, bi…. como apessoa iria escolher ser homossexual numa sociedade machista e altamente preconceituosa. A não ser se fosse masoquista. Mesmo se fosse opção, e daí? O que vai alterar ou mudar na vida? Deus não está acima de niguém, ele está no meio de nós, amandando todos como seus filhos.

  18. Guardem a homofobias de vcs no armário, não cabe mais no mundo, aceitem ou vão pra Marte, respeito e amor ao próximo são leis universais

    1. Só reclama da homofobia emitida pela nota?

      E o induzimento ao suicídio, homicídios, tráfico de órgãos? Isso é tudo normal, não é?

      Corretíssima a Escola!

  19. Decidir ser homossexual é uma coisa; escolheu, escolheu! Agora, aceitar passivamente a doutrina e cartilha homossexual e de gênero que está sendo imposta por pessoas, grupos e algumas instituições é coisa bem diversa.

  20. Também não achei nada demais.
    Da mesma forma, acho até louvável a preocupação da Escola com seus alunos.
    Até porque a série tem restrições em relação a idade.
    Infelizmente é a ditadura do politicamente correto, tiram-lhe o simples direito de concordar ou discordar sobre determinados assuntos.
    O simples sim ou não opinativo, sobre um assunto lhe torna um preconceituoso, ou até criminoso.

  21. Francamente, não vi nada demais nesse comunicado. Acredito, sim, que a escola se mostra preocupada com a formação dos seus alunos e com os reflexos dessa série na vida diária dos mesmos.
    Vimos nos últimos tempos diversos casos de crianças e adolescentes envolvidos em casos de jogos aparentemente inofensivos, porém mortais, pelas redes sociais. Crianças não têm a capacidade de discernimento necessária para encarar determinadas cenas e situações e precisam, sim, de limites e orientações. Dou meus parabéns ao Salesiano pelo alerta.

    1. Concordo plenamente! Parabéns ao Colegio Salesiano. Manifestação de preocupação com seus alunos que crescem num mundo com distorções de valores e apreço pelas coisas relevantes na vida de cada um.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

“Round 6” bate recorde e vira série mais vista da Netflix

Foto: Divulgação / Netflix

É oficial. A Netflix confirmou nas redes sociais que “Round 6” bateu recorde de audiência e se tornou a série mais assistida da plataforma. Primeira produção vista por mais de 100 milhões de perfis de assinantes do serviço, a série foi sintonizada, ao todo, por 111 milhões de lares.

Os números foram revelados nesta terça (12/10), 25 dias após a estreia da atração. A audiência massiva superou com larga vantagem o sucesso de “Bridgerton”, até então a série mais assistida da Netflix, com 82 milhões de visualizações.

O volume de tráfego gerado pela produção foi tão grande que uma das maiores empresas provedoras de internet da Coreia do Sul resolveu processar a plataforma por monopolizar seus serviços. A SK Broadband está cobrando na justiça os custos de manutenção e a quantidade de banda larga utilizados por seus usuários para ver “Round 6”.

O lado mais sombrio do fenômeno é que a série está sendo vista por muitas crianças, que tentam recriar os jogos com colegas. O apelo encontra-se no fato de os desafios mortais serem baseados em brincadeiras infantis. Mas por conter muita violência a produção é imprópria para menores de 16 anos.

O sucesso se reflete ainda na popularidade repentina dos atores da série. A estreante Jung Ho-yeon, que interpreta a jogadora 067, tornou-se a atriz sul-coreana mais seguida do Instagram praticamente da noite para o dia. Até então modelo, ela viu seu número de seguidores saltar de 400 mil para o nível Juliette de quase 20 milhões em três semanas.

O impacto, claro, também virou pressão para que a história continue. Embora este não fosse o plano original do criador, o cineasta Hwang Dong-hyuk (“A Fortaleza”) já começou a comentar seus planos para retomar a série.

Já a Netflix decidiu aproveitar a popularidade da atração para promover outras séries sul-coreanas de seu catálogo. São muitas, mas para cada “Kingdom” há uma dúzia de doramas românticos que não compartilham o menor denominador comum com o apelo dos jogos vorazes e violentos de “Round 6”.

Terra

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *