RN registra média mais alta de casos de covid-19 desde o início da pandemia, e número de óbitos se aproxima de pico em 2020

 FFotos: Reprodução Ministério da Saúde

Fevereiro e março se registram os números mais altos de casos de covid-19 no Rio Grande do Norte, desde o início da pandemia, há quase 1 ano. Conforme gráfico acima, o mês passado registrou a média mais alta, de 22,68%, maior que junho do ano passado.

Quanto ao número de óbitos, o estado registra em março uma média próxima do pico no ano passado, que foram os meses de junho e julho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tom França disse:

    Pra bom entendedor, meia palavra basta! É só vê nesses mapas, como tudo tava caindo até setembro e voltou com força, a partir do início da campanha política, entre setembro e outubro. As imagens são claras. Resumo da ópera: o grande genocida é quem liberou as eleições. Não teve festa junina, não teve carnaval, não teve festa do boi! Sem mais.

  2. Raimundo Sérgio Barbalho disse:

    Não entro na discussão política, mas temos visto que:
    O importante foi ter a eleição, o resto a gente vê depois e ver a propaganda na mídia afirmando que era seguro.
    O importante é fazer lockdown, parar tudo, a economia se vê depois.
    O importante é fechar todos os ambientes abertos e ao ar livre.
    O importante é abrir hospital de campanha em estádios de futebol, para justificar a célebre e importante frase: "Pra quê hospitais, copa se faz com estádios de futebol".
    O importante é não seguir os protocolos comprovados em 42 estudos e usado em 15 países com a medicação testada e aprovada para prefinir os efeitos do covid, com algumas exceções.
    Se não é assim, peço desculpas, mas fico com o mundo real e não aquele produzido em discurso para justificar o que não foi feito ou está sendo dito e não existe.

  3. Cesar Bomone disse:

    Alguém aí tem notícias dos 5 MILHÕES dos respiradores, ou o RN vai ficar no prejuízo mesmo?

  4. André Fortes disse:

    “Ah, eu preciso sair pra trabalhar”

    Então você precisa de vacina

    “Ah, mas o governo tá se enrolando com a vacina”

    Então você precisa ficar em casa

    “Ah, mas aí eu não vou ter dinheiro pra comer”

    Então VOCÊ PRECISA DE AUXÍLIO EMERGENCIAL

    Adivinha quem resolve?

  5. Dantas Jr disse:

    Parabéns aos envolvidos!

RN registra o maior número de pacientes internados com Covid-19 desde o início da pandemia

O Rio Grande do Norte registrou o maior número internações pela doença, desde o início da pandemia, nessa quarta-feira (3), com 871 pessoas internadas por Covid-19.

O boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado aponta 464 pessoas em leitos de UTI e semi-intensivos e 407 em leitos clínicos, entre redes pública e privada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fátima disse:

    Vamos esquecer direita ou esquerda, sobre os recursos que o governo federal manda pra estados e município não é do governo, é nosso dos nossos impostos, é obrigação dele passar para os Estados para que possam atender a população, outra coisa resta também a população deixar de ser irresponsável e fazer sua parte, não há mais necessidade de dizer a ninguém o que tem que fazer , todos sabem como prevenir e não sair contaminado os demais

  2. Luciano Brito disse:

    Estou do lado da verdade, tem muita politicagem contra a população.

  3. Mário disse:

    Obrigado Bozo pelo que você transformou o Brasil!!! Se sobrar eleitor , em 2022 você vai embora!!!

  4. Paulo Medeiros de araujo junior disse:

    O que ouve de ontem pra hoje?????

  5. JAG disse:

    Não adianda "fechar tudo" e não fiscalizar as aglomerações clandestinas, terá muito mais eficiência se manter aberto com protocólos rígidos, fiscalizar e punir quem não segue a risca as determinações, de outra forma é tapar o sol com a peneira, a população não adianta que a população não fica mais em casa, é só dar uma voltinha na ZN por exemplo.

  6. Jakeline disse:

    Gostaria de saber o porquê das minhas postagens não serem nunca publicada???!!

  7. Francis Diniz disse:

    Não é esquerda ou direita,
    bem ou mal,
    liberdade ou tirania,
    democracia ou ditadura,
    verdade ou mentira,
    ciência ou ideologia,
    vacina ou cloroquina,
    petismo ou bolsonarismo,
    paz ou guerra.
    É sobre vida ou morte.
    De que lado você está?

    • Mario disse:

      Do lado dos leitos que fecharam.
      Ou seja do lado da ciência.
      Jamais deveria ter acontecido isso, governo irresponsável.

  8. Daniel disse:

    Tubo bem que vão fechar tudo, mas como esse povo vai sobreviver com tudo fechado? Volto a sugerir um Empréstimo Compulsório de 70% encima do salário de Juízes e Procuradores afim de que seja revertido em Auxílio para a população do Rio Grande do Norte.
    Por outro lado tenho escutado relatos dos sintomas apresentados por parentes de conhecidos e muito destes sintomas se assemelham aos da DENGUE

  9. Cidadão disse:

    Governadora e o prefeitos fuleiros!

    Deixarem o Carnaval comer no centro, taí o resultado

    Eram pra ter proibido e fiscalizado aglomeração na época

    Quem paga o pato agora é o comércio

  10. Calígula disse:

    Governado pelo PT, querem o quê? Que o RN seja modelo de algo que preste?
    Hô Governadora incompetente e reiêra.
    MITO TEM RAZÃO
    MITO ETERNAMENTE
    CONTINUO 100% BOLSONARO

ALERTA: Samu Natal registra em fevereiro o maior número de transferências de pacientes desde o início da pandemia

Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN destaca em reportagem que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Natal registrou, em fevereiro, o maior número de remoções – quando um paciente precisa da ambulância para ser transferido de uma unidade de saúde para outra – desde o início da pandemia: foram 1.243.

De acordo com o coordenador geral do Samu Natal, Cláudio Macedo, as remoções em fevereiro superaram julho de 2020, que até então havia sido o mês com maior registro, durante o pico da primeira onda de Covid-19 no estado.

Mais detalhes AQUI em reportagem na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria disse:

    Algo de errado na reportagem…
    Pensei que quem fazia essas remoções era o TRANSPORTE SANITÁRIO.

Mesmo com lockdown, Portugal registra recorde de mortes por covid em janeiro

Foto: Daryan Dornelles

Além do recorde de novos casos (42% do total de todos os registrados desde o começo da pandemia), janeiro em Portugal também ficou marcado pelas mortes.

O mês concentrou quase 45% de todos os mortos por Covid-19 no país. Foram 5.576 óbitos em 31 dias, contra 6.906 entre março e dezembro.

Esperança para o controle efetivo da Covid-19, a vacinação em Portugal, assim como em outros países europeus, tem enfrentado atrasos. Na mesma reunião de especialistas, o governo assumiu que a primeira fase de imunização prioritária, prevista para acabar em março, deve se prolongar até abril.

Segundo dados da DGS (Direção-Geral da Saúde), quase 400 mil portugueses já receberam ao menos uma dose da vacina.

Desde o começo da pandemia, Portugal acumula 770.502 casos e 14.557 mortes por Covid-19.

Número de casos apresenta queda

Após enfrentar um cenário de descontrole da pandemia em janeiro —com o país no topo do ranking mundial de novos casos e mortes por Covid-19 por milhão de habitantes—, Portugal apresenta agora uma queda acentuada nas infecções pelo coronavírus.

Com cerca de 10 milhões de habitantes, o país, que chegou a um recorde de 16.432 novas infecções em 28 daquele mês, somou 2.583 nesta terça-feira (9). A média semanal de infecções caiu mais de 50% em comparação ao fim de janeiro.

O resultado, no entanto, ainda é considerado frágil, e o confinamento deve durar até meados de março, sinalizou o governo, após reunião virtual com os principais especialistas do país no tema.

Com acréscimo de informações da Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nilton disse:

    A culpa é do Bolsonaro.
    Kkkkkkkkkkkkk

  2. Alberto Torres Filho da Mota disse:

    Faz quase 01 ano que insistem no lockdown e todas as cidades que adotaram essa prática, tem índices altíssimos de mortes. Isso mostra que não é solução e não funciona. Vejam outro exemplo, a Argentina. Precisa ter "comprovação científica" para isso também?

VÍDEO: PRF faz apreensão recorde de maconha em Mato Grosso do Sul; 29,2 toneladas

Foto: © Polícia Rodoviária Federal/Alagoas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 29,2 toneladas de maconha na BR-267, na manhã de ontem (8), perto da cidade de Rio Brilhante, em Mato Grosso do Sul. Segundo o órgão, essa é a maior apreensão na história da PRF no país.

O caminhão transportava uma carga regular de milho, acompanhada de nota fiscal, mas durante a fiscalização, os policiais descobriram a droga encoberta. Eles disseram que a apreensão aconteceu após “ações de inteligência”.

“O caminhão, que possuía placa de Campo Grande [MS], foi então levado para uma cerealista com estrutura para descarga e pesagem, sendo então retirado o milho do caminhão, tornando possível a pesagem da carga ilícita de maconha”, diz o comunicado da PRF.

O motorista, de 40 anos, não possuía passagens na polícia. Aos agentes, ele disse que o destino da mercadoria seria a cidade de Itapetininga, interior de São Paulo, e que receberia o caminhão utilizado no transporte como pagamento pelo serviço. O motorista, a droga e a carreta foram encaminhados para a Polícia Federal em Dourados (MS).

A ação da PRF foi destacada pelo presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jason disse:

    Tinha gente para fumar essa danada todinha ? E fumaça demais

  2. Bito disse:

    O Véio Bolsonaro sempre interferindo na PF. Véio chato danado!

  3. Libera disse:

    Agora vai inflacionar no carnaval

Energia solar bateu recorde em 2020 e a Megga Solar comemora liderança neste mercado

Foto: Divulgação

De janeiro a dezembro de 2020, a indústria de energia solar viu o número de residências dobrar em apenas um ano, segundo dados da ANEEL. Os investimentos em energia solar chegaram à incrível marca de 13 bilhões de reais. E aqui no Rio Grande do Norte, poucas empresas podem comemorar tanto este feito quanto a Megga Solar, que além de ser pioneira no segmento é hoje a empresa mais bem estruturada e que mais cresce neste segmento em todo o Nordeste. Hoje em dia, tanto o comércio quanto as residências estão escolhendo a energia solar para reduzir a conta de luz, zerando o consumo. Outro fator determinante para este forte crescimento foi o fato de os preços dos equipamentos terem caído bastante, tornando a tecnologia mais acessível aos consumidores.

Eduardo Oliveira, diretor comercial da Megga Solar, acredita que “o público residencial e as empresas já perceberam as enormes vantagens da energia fotovoltaica, e nós da Megga Solar ficamos felizes em poder oferecer bons preços, qualidade e experiência, tudo num só pacote”.

A cada dia mais e mais clientes procuram a Megga Solar para instalar o sistema. A Megga Solar é conhecida hoje pela sua credibilidade e pelo compromisso com o pós- venda, e é a empresa que mais instala sistemas fotovoltaicos em todo o Rio Grande do Norte. Você pode visitar o site com todas as informações em meggasolar.com.br. O telefone da Megga Solar é o 3217- 7155.

Mais de 90 mil potiguares se cadastram em um espaço de 4 horas para receber vacina contra a Covid

Foto: Reprodução

O sistema criado pelo Governo do Rio Grande do Norte para regular a distribuição de vacinas contra a Covid-19 recebeu mais de 80 mil cadastros em apenas três horas de funcionamento. O dado é da Secretaria Estadual de Saúde Pública, que colocou o “RN+Vacina” no ar às 12h desta segunda-feira (18). Para se ter ideia, às 16h, a plataforma já havia recebido 91.734 pedidos de vacinação. O cadastro na plataforma não é obrigatório. O grande número de acesso, por sinal, derrubou a página entre o meio e este fim de tarde.

O RN+Vacina é de fácil acesso https://rnmaisvacina.lais.ufrn.br/ e as pessoas poderão se cadastrar com seus dados pessoais e, se for o caso, inserir informações quanto aos grupos de risco e comorbidades.

Apesar desta primeira etapa de vacinação, em todo o mundo, ser restrita aos grupos prioritários, é recomendado que todas as pessoas façam o cadastro, que irá auxiliar na criação de um banco de dados com o perfil da população potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Herbet Miranda disse:

    Vou tomar quando tomarem

  2. Calígula disse:

    Coronac tô fora, vou só observar as cobaiás

  3. Pixuleco disse:

    Será que tem gente aí que seguia o Doidin ? Ao papai ! Será que os sobrinhos musculosos de Cacá , estão nesse grupo ?

    • Roberto almeida disse:

      Essa VACHINAeu não tomo. Duas doses e só 50%. Vou esperar a ASTRAZENECA.

Puxado por EUA, mundo tem recorde de mortes por Covid

Número de casos e mortes por Covid-19 em todo o mundo segundo a Johns Hopkins — Foto: Reprodução/jhu.edu

Puxado pelos Estados Unidos, o mundo registrou na terça-feira (12) novo recorde de mortes pelo novo coronavírus, aponta balanço da Universidade Johns Hopkins.

Foram 4.327 óbitos no país mais afetado pela pandemia e 17.186 em todo o planeta. Os recordes anteriores eram de 4.195 mortes nos EUA (7 de janeiro) e 15 mil no mundo (30 de dezembro).

Foi o quarto recorde de vítimas da Covid-19 nos últimos oito dias nos EUA, que também confirmou mais de 215 mil novos casos (o recorde de 302 mil infectados foi registrado no dia 2).

Os EUA são o país mais afetado pela pandemia, com mais de 380 mil óbitos e 22,8 milhões de casos confirmados até o momento.

Na sequência vêm Brasil (204 mil mortes e 8,1 milhões de casos) e Índia (151 mil e 10,4 milhões, respectivamente).

Ao todo, são quase 2 milhões de mortes pelo novo coronavírus em todo o mundo e mais de 91 milhões de infectados.

Hospitalizações e vacinas

Cerca de 131 mil pessoas estão hospitalizadas atualmente nos EUA devido ao novo coronavírus, de acordo com o Covid Tracking Project.

Os Estados Unidos são o país que mais aplicou vacinas contra a Covid-19 no mundo (9,33 milhões de doses), segundo o Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford.

Em seguida vêm China (9 milhões), Reino Unido (2,84 milhões) e Israel (1,93 milhões). Proporcionalmente, Israel é o país que mais aplicou doses em relação à população (22%).

Recorde de casos no Brasil

Segundo país com mais mortes e terceiro em infectados, o Brasil registrou 1.109 óbitos e 61.660 casos confirmados nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de veículos da imprensa.

Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias foi de 993, alta de 49% na comparação com a média de 14 dias atrás.

Catorze estados estão com alta no número de óbitos e, pelo quinto dia consecutivo, nenhum apresenta queda de mortes.

Já a média móvel de casos foi de 54.784 novos diagnósticos diários, alta de 51% em duas semanas e um novo recorde desde o início da pandemia.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Não esqueça de Publicar os mais de 7 milhões de pessoas curadas no Brasil.

    • Bolsonarista Binário disse:

      O probleme meu amigo é a loteria, ninguem sabe quem vai cair na estatistica de mortos ou rechuperados.

    • Insti Gado disse:

      O número de curados é proporcional ao número de infectados, TITIA. E proporcional ao número de mortos, TITIA. É sempre bom comemorar a cura, mas esse número só expressa a ignorancia e a incapacidade do BOZO em tomar conta da situação.

    • Greg disse:

      Curados que 1/6 deles vem com sequelas de saúde…enfim…fica doentes mesmo assim: rins, coração, pulmões, asmáticos e tome herança maldita do Covid.

  2. Felipe disse:

    Este é o único blogueiro que está de fato mostrando a realidade da covid e da necessidade de uma vacina.
    Alguns outros beiram a sandice, indicando remédio ao invés de uma vacina. Parabéns, BG. A história vai lembrar das pessoas que tentaram desestabilizar o país às custas da vida dos seus cidadãos.

    • Neco disse:

      BG tem trazido dados de forma ampla. Mas esse papo de remédio x vacinas é um falso dilema.

    • paulo disse:

      Na maioria dos países a sociedade se une contra o vírus.
      No Brasil, a esquerda tem tentado tomar o poder usando a pandemia como trampolim pois são abutres e comemoram tanto cada óbito quanto o desemprego.
      Por exemplo, no México são 130 mil óbitos e não estão atacando o presidente por causa disso.
      Na França, 60 mil óbitos.
      Inglaterra, 80 mil óbitos.
      Colocar a culpa em Bolsonaro é estratégia nefasta de abutres que querem se promover com a desgraça alheia.
      Se idosos e pessoas com comorbidades tivessem se isolado, como Bolsonaro sugeriu desde o início, o número de óbitos seria bem menor.

Brasil fecha 2020 com recorde de 180 mil novas armas de fogo registradas na PF

Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Segundo dados obtidos pela BBC News Brasil com a PF, foram registradas 179.771 novas armas no ano passado, um aumento de 91% ante o registrado em 2019 (94.064), ano em que já havia ocorrido uma forte alta (84%). É o maior patamar da série disponibilizada pela instituição, que começa em 2009.

Com isso, o resultado dos dois primeiros anos do governo Bolsonaro (273.835) representa um aumento de 183% em relação ao total de novos registros de armas de fogo em 2018 e 2017 (96.512).

A liberação do acesso a armas de fogo é uma das principais bandeiras do presidente.

Além de mudanças normativas promovidas pelo governo para facilitar o acesso a armas, especialistas em segurança pública consideram que a constante defesa de Bolsonaro e seus filhos a favor de que pessoas comuns se armem explica o crescimento dos novos registros pela PF.

É justamente a categoria cidadão que teve o maior número de novas armas registradas na Polícia Federal no ano passado: foram 122.378, o que representa quase 70% do total.

Enquanto Bolsonaro defende o acesso a armas de fogo para defesa pessoal, especialistas em segurança pública dizem que mais armas circulando causam aumento da violência e dos homicídios.

Entre as mudanças implementadas pelo governo nos últimos dois anos, foi o aumento do limite de armas e munições que pessoas com porte de arma podem adquirir. Além disso, o governo também liberou acesso a armas de maior potencial ofensivo.

“Agora é muito mais fácil para qualquer um ter o registro. Não precisa mais provar efetiva necessidade (de ter a arma). Basta a palavra do cidadão dizendo que tem efetiva necessidade. Ou seja, acabou a restrição que existia antes de a PF fazer uma análise para enxergar se havia uma efetiva necessidade”, afirma o especialista em segurança pública Daniel Cerqueira, presidente do Instituto Jones dos Santos Neves.

“Isso significa que qualquer pessoa que tenha dinheiro para pagar um registro e comprar arma pode ter uma arma. Então foi um liberou geral da arma de fogo que vai contra o Estatuto do Desarmamento”, acrescentou.

G1,  com BBC

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Bayer disse:

    Se vc quer a paz arme-se para a guerra. Simples assim!

  2. José Macedo disse:

    Parem de hipocrisia, a bandidagem nunca vai deixar de ter armas para matar as pessoas, a PF não vai conceder autorização para qualquer um terá informações se tem residência fixa , onde trabalha, se tem algum processo. A arma é utilizada para defesa do seu patrimônio e da sua família.
    Nos EUA compra-se armas em supermercado sem burocracia no entanto não tem a mesma quantidade de homicídios que temos.

  3. Messias de Barro disse:

    As prioridades do Bozo: liberação de armas, manipulação do processo eleitoral com tentativa frustrada de desmoralização das urnas eletrônicas, já prevendo a peia que vai
    levar na próxima, e diminuição de impostos para video games. Não há pautas mais importantes no país? Enquanto isso o MEC, o Ibama, o Min. das Relações Exteriores, o da Saúde estão nas mãos de incompententes que se acham iluminados salvadores e reformadores do pensamento nacional. O Centrão, cúmplice do PT nos roubos de outrora, agora é a principal sustentação de seu desgoverno em troca de mini$terio$ e do controle das verba$ pública$. Está derrubando, um a um, todos os mecanismos de combate à corrupção, para salvar seus filhos e aliados, todos enrolados na justiça. Não sabe se expressar e quando fala, se desdiz e se desmente logo depois, ou é desmentido por inimigos e até por aliados que tentam consertar suas cagadas diárias. Enfim, esse é o Bozo, amigão de Ciro Nogueira, Roberto Jefferson, Artur Lira e outros líderes de quadrilha, além do crime organizado do RJ denominado milícia. Para a maioria dos brasileiros que votou nele inconformada com os roubos do PT, a dúvida sobre se valeu a pena está se transformando em certeza que não.

  4. Giuliano disse:

    Avisa o especialista que não basta ter dinheiro, pois ainda é preciso cumprir uma série de requisitos para conseguir a posse de armas.

  5. Anderson disse:

    Ótimo, quanto mais armas, mais paz o país vai ter, faz todo sentido.

  6. Chicó disse:

    Muito interessante !!! Enquanto isso o número de homicídios caiu, ou seja, mais armas menos mortes. Mentiram para mim sobre o desarmamento !

    • Queiroz disse:

      MENTIRA. Os casos de homicídios aumentaram em 2020 com relação a 2019. Você mente o tempo todo, Chicó, ou só quando quer embasar seus instintos primitivos?

  7. Tico de Adauto disse:

    Mais uma tragédia nacional.

  8. seu cuca é eu disse:

    So6 falta 399 milhões, pra ficar igual aos EUA.

  9. Lourenço disse:

    Pois é, não sou eleitor de Bolsonaro, acredito em algumas de suas bandeiras, acreditei outrora nas do PT (me decepcionei) vejo a população desprotegida, desarmada, parte viciada em drogas, em esmola e observo alguns hipócritas dizerem que cidadão com arma é o fim. Fim é o Brasil ter virado paraíso das quadrilhas, traficantes de armas, do tráfico e uso de armas modernas por meliantes e tudo mais. Não possuo arma por convicção, mais vivemos numa democracia, o senhor ZeGado tem automovel e varios artefatos em casa que matam, abra mão de todos eles.

  10. Leonardo disse:

    FAltou comentar que o número de homicídios vem diminuindo, e que essas armas não são para sair fazendo trabalho de polícia. Essas armas são para segurança do lar.

    • Patriota disse:

      Faltou não. Esse teu argumento é mentirosos. Parem de mentir!!!! Os homicídios tiveram queda até 2019. A partir de 2020 voltaram a aumentar justamente na mesma época do aumento mencionado na matéria. Seja cristão de verdade e, pelo menos, NÃO MINTA!!!!

  11. Manoel disse:

    Ótimo! Aumentou o número de armas legais e diminuiu a criminalidade.

  12. ZéGado disse:

    A boiada pra comprar uma arma, vendem até os órgãos, a mãe, etc. Vendem até a alma ao diabo.

EUA têm mais de 4 mil mortes por Covid pela 1ª vez e bate recorde de vítimas pelo 3º dia seguido

Foto de 12 de dezembro de 2020 mostra profissionais de saúde em volta de paciente que morreu no setor de Covid-19 de hospital em Houston, no Texas — Foto: Callaghan O’Hare/Reuters

Os Estados Unidos registraram mais de 4 mil mortes por Covid-19 na quinta-feira (7), segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins, o maior número já registrado por um país na pandemia. Foram 4.085 óbitos e 274.703 casos nas últimas 24 horas.

O número de infectados de ontem só perde o recorde de 301.858 casos registrados no sábado (2), e é o quinto dia desde 29 de dezembro que mais de 3,7 mil pessoas perderam a vida nos EUA por complicações relacionadas ao coronavírus.

Em uma semana, os EUA registraram quase 20 mil mortes e mais de 1,5 milhão de casos.

País mais afetado pelo novo coronavírus, os EUA têm mais de 365 mil mortes e 21,5 milhões de infectados por Covid até agora. O Brasil é o segundo e superou os 200 mil óbitos também na quinta.

As contagens diárias de mortes nos Estados Unidos já são maiores do que as registradas durante a primeira onda da pandemia, entre março e abril de 2020, quando o país registrava em média 2 mil óbitos por dia.

Situação crítica em Los Angeles

Na segunda-feira (4), a imprensa americana informou que ambulâncias de Los Angeles, segunda maior cidade dos EUA, foram orientadas a não transportar pacientes que tenham poucas chances de sobrevivência.

Segundo o jornal “Los Angeles Times”, isso ocorre por falta oxigênio nos hospitais da região devido à superlotação de pacientes com Covid-19.

O governo da Califórnia estima que a situação vá piorar nos próximos dias, como reflexo da disseminação do coronavírus nas festas de fim de ano.

A presença da nova variante B.1.1.1.7, que os cientistas dizem ser mais transmissível, aumenta a preocupação.

Impacto da pandemia

Os 10 países com mais mortes pelo novo coronavírus são:

Estados Unidos: 365 mil
Brasil: 200 mil
Índia: 150 mil
México: 131 mil
Reino Unido: 78 mil
Itália: 77 mil
França: 66 mil
Rússia: 60 mil
Irã: 55 mil
Espanha: 51 mil

Os 10 países com mais casos de Covid-19 são:

Estados Unidos: 21,5 milhões
Índia: 10,4 milhões
Brasil: 7,9 milhões
Rússia: 3,3 milhões
Reino Unido: 2,9 milhões
França: 2,7 milhões
Turquia: 2,3 milhões
Itália: 2,2 milhões
Espanha: 2 milhões
Alemanha: 1,8 milhões

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    E a China rindo à toa de orelha à orelha.

  2. Ronaldo SEMC disse:

    Putz, que reportagem mais porca!!! Esqueceram de informar quantos mortes por milhão. Qualquer idiota com 2 neronios sabe que este dado é que importa.
    Hoje o Pais com mais morte por milhão de habitante é a Belgica seguido por Perú, Itália, Espanha.
    Estamos bem atras da Argentina que praticou seu Lockdow excessivo.
    Meias verdades é uma mentira. Gostaria que esta impresa podre repassasem as informações corretas.
    Lamentavel!!!

  3. Roberto disse:

    KD o os números da China ???

  4. PAULO disse:

    Trump e Bolsonaro, os negacionistas no topo da lista. Lamentável!

    • Severino disse:

      Já ouviu falar em proporção?

    • ReneGado disse:

      Querido Severino, tenho certeza que você não ouviu falar no termo questionado. A Índia tem 6x mais pessoas que o Brasil, no entanto, morreram muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito menos pessoas, proporcionalmente, acredito que umas 10x menos, falando em proporção.

      Logo, deixe de falar asneiras, aluno do Bozo.

COVID: Dezembro se torna mês com maior número de casos confirmados no RN

Dezembro conseguiu bater junho e passou a ser o mês com o maior número de casos confirmados de Covid-19 no Rio Grande do Norte. O recorde foi batido nesta quinta-feira (31), no último dia do ano, com o acréscimo de 1.179 testes positivos em 24 horas. O levantamento foi feito pelo G1-RN, com dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Foram 22.960 casos registrados em dezembro, contra 22.608 em junho, considerado o mês de pico da pandemia no estado. Matéria completa AQUI.

Ibovespa bate recorde histórico e supera 120 mil pontos

Foto: Michel Filho | Agência O Globo

O Ibovespa, o índice de referência da B3, superou neste momento a marca dos 120 mil pontos pela primeira vez em sua história.

Está em 120.071 pontos, mais precisamente, com alta de 0,53%. Hoje, é o último pregão do ano.

O recorde histórico de fechamento da B3 ocorreu no dia desde 23 de janeiro, quando registrou 119.527,63 pontos.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mauro disse:

    Esses esquerdopatas pensam que já esquecemos dos 20 anos de verdadeira bagunça econômica, fiscal e financeira que deixaram no noss país.
    Bolsonaro pegou um pais falido e se continua com o poste estariamos perdidos, seriamos uma futura Venezuela e agora a defunta Argentina.
    O Brasil vem melhorando 1000%, só não enxerga quem não quer ver e morre de preguiça, não tem coragem de trabalhar.
    O Brasil já deu certo sim.
    Bsonaro 2022.

  2. Neco disse:

    Sinais. sinais fortes.
    Entendem pq tem tanta gente querendo botar areia no Brasil?
    Pq se quer um continuísta do Nhonho para emperrar o País?
    Só pensam neles mesmos.

    • PAULO disse:

      Vdd, Neco. Nossa economia está voando, gasolina mais de 5 conto, dólar mais de 5 conto, todos os itens da cesta básica mais caros, alguns com aumento de 30%, tá uma maravilha, só os esquerdopatas que reclamam, desgraçados…

    • Neco disse:

      A economia está muito bem, para o contexto e em comparação às quedas de PIB no grosso dos países. Mas precisa avançar para atrair investimentos em portos, gás, energia, ferrovias, saneamento, microrreformas liberalizantes. Precisa fazer o Estado caber na arrecadação, sem precisar viver no cheque especial. Dólar alto é bom para um pais que precisa voltar a ter uma manufatura competetiva e que consiga exportar e atrair turistas. Gasolina segue brent e dólar. Paciência. Queria mesmo é tê-la de graça. Itens da cesta básica tiveram aumentos pontuais. Alguns sazonais (como o leite), alguns decorrentes de choque de demanda por causa de mais liquidez (Auxílio Emergencial) e menor produção (fruto do fique em casa). Papo pra adulto, não pra lacrador.

    • Manoel disse:

      Gado arruma desculpas e palavras bonitas até quando toma naquele lugar. Impressionante.

    • Neco disse:

      A ignorância é uma bosta. Nâo me estranham as escolhas.

Com juros baixos, crédito farto e quarentena, vendas de imóveis batem recordes em 2020

HORA DE COMPRAR - Bruna e Bruno conquistam o primeiro imóvel: oportunidade e circunstância – Lailson Santos/VEJA

Sob diversos aspectos, o ano de 2020 está sendo desafiador para a economia brasileira. Desemprego em alta, inflação crescente, consumo das famílias em queda. Como em tudo na vida, porém, há sempre o outro lado. Neste caso específico, são as vendas de imóveis que vão pelo caminho oposto. Em setembro, foram negociadas 13 438 unidades residenciais no país. É o maior número desde maio de 2014. No acumulado de nove meses do ano, as vendas estão 20% maiores do que no mesmo período do ano passado. E o número de empreendimentos sendo construídos também acelera. Depois da queda ocorrida em maio, em decorrência da pandemia, aproxima-se dos níveis de 2019.

O boom tem explicação: é um misto de circunstância e oportunidade. Em agosto, a administradora Bruna Contreiras e o marido, Bruno, compraram seu primeiro imóvel — um apartamento de 130 metros quadrados em São Paulo. Contrariando o clichê, o negócio não significou a realização de um sonho. O casal tinha dinheiro para investir e buscava uma aplicação rentável. Com escassas opções na renda fixa, veio a ideia de comprar a casa própria. “Inicialmente pensávamos apenas em não deixar o dinheiro parado”, diz Bruna. “Mas encontramos esse imóvel e resolvemos que não seria um investimento, e sim nossa moradia.” Na hora de fechar o negócio, a oportunidade amparou-se na circunstância: a taxa de juros nominal do Brasil está em 2% ao ano — sua mínima histórica —, o que tira a atratividade de investimentos ancorados nela, como fundos DI e títulos de renda fixa em geral. Na ponta da concessão de crédito, a mesma Selic forçou a redução dos juros do financiamento, fazendo com que as parcelas coubessem no orçamento de milhares de famílias. No caso de Bruna e o marido, as mensalidades ficaram abaixo da despesa de aluguel. Para efeito de comparação, em 2016 os juros nominais chegaram a 14,25% ao ano, o que levou o custo do financiamento a níveis estratosféricos.

A queda do custo do dinheiro incentiva as famílias a tomar novos empréstimos, e os bancos estão dispostos a concedê-los. Em outubro, os financiamentos imobiliários somaram quase 14 bilhões de reais. Os empréstimos cresceram 50% no ano. Somente a Caixa Econômica Federal acumula 500 bilhões de reais em crédito para o setor, outro número recorde. Os bancos privados também estão ofertando e colhendo resultados. No Santander, o volume subiu 15% nos últimos doze meses, aumento parecido com o registrado pelo Itaú no terceiro trimestre.

Foto: Reprodução/Veja

O empurrão que faltava — outro efeito da circunstância — veio com a quarentena. Impedidos de sair às ruas, muitos brasileiros resolveram olhar para dentro de casa e se deram conta de que um espaço maior e mais confortável cairia bem. “A pandemia trouxe necessidades adicionais, que estão impulsionando as pessoas a comprar novos imóveis”, diz Luiz França, presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). É o caso do gerente William Aguiar, que, em julho, trocou seu apartamento de 130 metros quadrados por outro com quase o dobro do tamanho. Ele precisava de mais espaço para si mesmo e para a família. Também fizeram diferença o pé-direito duplo da sala e o condomínio com piscina coberta e quadra de tênis.

As incorporadoras, portanto, não têm do que se queixar. No terceiro trimestre, o faturamento da Cyrela aumentou quase 60% na comparação com o mesmo período de 2019. “Houve preocupação no começo da pandemia, mas, quando retomamos os lançamentos, as vendas foram um sucesso”, diz Orlando Pereira, diretor comercial da Cyrela. Os novos projetos da incorporadora têm levado em conta as necessidades de uma vida em que a residência tem papel mais relevante para as pessoas. Aumentou a procura por unidades com áreas de coworking, lavanderia, recebimento de entregas e até com minimercados. Nos apartamentos decorados, mostrados nos lançamentos, há sugestões para decoração de escritórios residenciais. No segmento de alta renda, os vendedores atraem os clientes com o que há de melhor. O Boa Vista Village, novo reduto de endinheirados em Porto Feliz, perto da capital paulista, terá campo de golfe, centro equestre, piscina com ondas e até galeria de arte quando for finalizado. No terceiro trimestre, as vendas da JHSF, incorporada do empreendimento, triplicaram e a receita chegou a 300 milhões de reais.

A pujança deixou alguns investidores desconfiados. Afinal, o setor passou por um momento de euforia alguns anos atrás e a situação degringolou. Os bancos abriram as torneiras do crédito e as incorporadoras se endividavam para promover novos lançamentos — até que a crise de 2014 jogou o Brasil em dois anos de recessão. Resultado: algumas fecharam e muita gente perdeu dinheiro. A situação atual, garantem especialistas do setor, é completamente diferente. “As empresas estão muito menos endividadas do que antes”, diz Renan Manda, analista da corretora XP. Em outras palavras: elas aprenderam com o passado e não vão lançar imóveis em ritmo alucinado, criando uma oferta incompatível com a demanda.

As condições econômicas estão favoráveis à atividade imobiliária e o cenário aponta para um ciclo de crescimento mais duradouro. Cabe agora a cada interessado avaliar suas condições pessoais de crédito e capacidade de honrar o financiamento. Imóvel pode ser moradia, investimento ou ambos. Ele só não deve se tornar uma dor de cabeça para o comprador.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joao carlos disse:

    so nao eh em natal viu? aqui ta tudo parado e os corretores enchendo a paciencia.

  2. Manoel disse:

    Só idiota acredita nisso

  3. PEDROCA PREGA FROUXA disse:

    Boa notícia, vou comprar minha casinha 🏠

Novembro fecha com maior arrecadação de ICMS da história do RN

Foto: Reprodução

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Rio Grande do Norte registrou um recorde de R$ 592.876.883 milhões em volume recolhido em novembro.

Em comparação com o mesmo período ano passado(2019), que registrou um volume de R$ 497.586.038, a diferença, mesmo em tempos de pandemia, foi de mais de R$ 95 milhões.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Hpn disse:

    parabens ao contribuinte que e quem realmente paga os impostos.

  2. Julia disse:

    Parabéns CADU e equipe parabéns a governadora Fátima, isso é que é trabalho. O RN agradece. Viva o Nota potiguar e outras ações.

  3. Julia disse:

    Parabéns CADU e equipe, parabéns Governadora, isso é que é trabalho.

  4. Luciana Morais Gama disse:

    Pena que o contribuinte não ver o retorno desse imposto, em educação, segurança, saúde… Vejam que pagamos uma carga tributária altíssima como 29% em combustível, telefonia, energia… É foda!!

  5. Thiago Gama disse:

    Isso fora as sonegações e a vendas de produtos piratas que não pagam impostos

  6. Beto disse:

    E ainda tem gente que tem saudades do ladrão de nove dedos.
    Em plena pandemia, o Brasil em vento e poupa.
    Aqui no RN o investimento do governo Bolsonaro foi monstruoso pra que isso aconteça.
    Pela desgovernadora, era pra está tudo paralizado e o povo em casa.
    Ôôô Presidente véi duro!!
    Ôôô homi bom!!

  7. Calígula disse:

    Uma carga alta de ICMS que a Desgovernadora não pensa em reduzir.
    E por sorte que temos o Melhor presidente do Brasil , que selou para a economia não quebrar.
    Pensem em dois Véios bons e duros Jair Bolsonaro e Paulo Guedes.

País registra criação de 394,9 mil vagas de emprego em outubro, resultado recorde desde 1992

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Pelo quarto mês consecutivo, o saldo de geração de empregos ficou positivo. Foram criadas 394.989 vagas com carteira assinada em outubro, resultado de 1.548.628 admissões e de 1.153.639 desligamentos. O resultado recorde na série histórica iniciada em 1992 está no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Economia.

O estoque, que é a quantidade total de vínculos ativos, em outubro chegou a 38.638.484, variação de 1,03% em relação ao mês anterior. No acumulado do ano, o saldo é negativo em 171.139, decorrentes de 12.231.462 admissões e de 12.402.601 desligamentos.

Dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas, quatro tiveram saldo positivo no emprego em outubro. O principal foi o setor de serviços, que abriu 156.766 novas vagas. No comércio foram criados 115.647 postos; na indústria, 86.426; na construção, 36.296.

Desempenho regional

O mês foi positivo nas cinco regiões do país: no Sudeste, o saldo ficou em 186.884 postos; no Sul, resultado de 92.932; no Nordeste, foram criados 69.519 empregos formais; no Centro-Oeste, 25.024; e no Norte, 20.658 vagas.

Também houve saldo positivo em todas as unidades federativas, com destaque para São Paulo (119.261 novas vagas), Minas Gerais (42.124) e Paraná (33.008). Em termos relativos, os estados com maior variação em relação ao estoque do mês anterior foram Santa Catarina, Ceará e Amazonas.

Trabalho intermitente e regime parcial

Em outubro, houve saldo positivo de 10.611 empregos na modalidade trabalho intermitente, resultado de 19.927 admissões e 9.316 desligamentos (278 trabalhadores assinaram mais de um contrato desse tipo). As novas contratações ocorreram principalmente no setor de serviços, que teve saldo de 5.692 postos, seguido de construção (1.895 postos), indústria (1,6 mil), comércio (1.056) e agropecuária (368).

Nos contratos de regime de tempo parcial, o saldo foi de 1.328 empregos, consequência de 14.742 admissões e 13.414 desligamentos (46 empregados celebraram mais de um contrato nessa modalidade). As vagas foram abertas principalmente no comércio (638 postos) e nos serviços (614). A indústria gerou 217 novos postos e a agropecuária, 21.

Acordos

Houve ainda 15.331 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado em outubro, envolvendo 10.043 estabelecimentos (38 empregados realizaram mais de um desligamento). Nos dados por atividade econômica, esses acordos distribuíram-se por serviços (7.262), comércio (3.409), indústria (2.736), construção (1.420) e agropecuária (504).

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jânio A. Marie disse:

    A flexibilização das medidas de isolamento social fez com que mais pessoas passassem a procurar emprego no Brasil. Com isso, a taxa de desemprego subiu para 14,4%, no trimestre encerrado em agosto, a maior taxa da série histórica, iniciada em 2012. No total o país tem 13,8 milhões de pessoas na fila do desemprego.
    Só isso.

  2. Chico200 disse:

    Ainda reclamam do modelo de governo.
    Celso três tá agindo

  3. Calígula disse:

    Hô Véio Bom, numa crise dessa e o presidente da um show de administração.
    Esse homem é arroxado, esse homem merece ser chamado de Mito.
    O Mito disparou, disparou o melhor presidente do Brasil.

    • Neco disse:

      Tem gente que vai ficar pistola com esses números.
      Os inimigos do Brasil.

Mundo bate recorde de mortes diárias por Covid-19 desde o início da pandemia

Foto: CNN Brasil

Um levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins mostra que o mundo voltou a bater recorde diário de mortes por Covid-19. Foram 11.099 óbitos registrados na terça-feira (17), o maior número diário de vítimas registrado desde o início da pandemia.

Esse aumento ocorre no momento em que os Estados Unidos, o epicentro global do vírus, entraram no inverno. Os países com mais mortes causadas pela doença são os EUA, Brasil, Índia, México e Reino Unido.

Para tentar conter o avanço da Covid-19, muitos países da Europa voltaram a adotar lockdowns e medidas mais restritivas de funcionamento dos estabelecimentos.

Ainda de acordo com a universidade, o mundo tem 55.946.862 casos e 1.344.557 mortes pela doença.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Neto disse:

    A culpa é do Bolsonaro.