WhatsApp exibirá propaganda entre os Stories a partir de 2020

O dia que muita gente temia desde a compra do WhatsApp pelo Facebook está prestes a chegar. Ao anunciar os planos de monetização do mensageiro, a empresa afirmou que o aplicativo começará a exigir propagandas aos usuários das versões iOS e Android no ano que vem. Inicialmente, a publicidade aparecerá apenas em meio aos Stories, mais ou menos como acontece hoje no Instagram.

O formato é semelhante, com o anúncio ocupando a tela inteira e com um link de arrastar para cima na parte de baixo, mas a forma de exibição é um pouco diferente. O nome da companhia aparece em destaque, em vez das informações de contato, enquanto o usuário é levado, pelo clique, à página da companhia no serviço de Business do mensageiro. Isso, inclusive, é uma indicação de que apenas clientes corporativos da plataforma poderão usar o sistema de propagandas, pelo menos nessa etapa inicial.

Ao anunciar os planos de monetização do mensageiro, o Facebook também revelou uma maior integração entre o WhatsApp e outras plataformas, mais um movimento que já era esperado há bastante tempo. Propagandas exibidas no Facebook e Instagram poderão levar usuários ao WhatsApp e, possivelmente, vice-versa, aumentando o rol de opções e ferramentas disponíveis para os anunciantes.

Com a adição, chegam também novas funções para os usuários do WhatsApp Business, como a opção de ligar pequenos textos introdutórios a imagens ou arquivos de PDF. Além disso, será possível ver o conteúdo de links e mensagens sobre produtos específicos sem sair do mensageiro, ampliando o uso da plataforma para vendas e demonstrações, enquanto o usuário é levado para fora dela somente se quiser ver mais informações ou um catálogo completo (que também pode ser disponibilizado diretamente no app, para maior comodidade dos clientes) a partir do site oficial.

Essa integração também significa que o WhatsApp passará a ser integrado ao rol de opções de negócios do Facebook como um todo, sendo vendido como uma opção a mais de publicidade para os anunciantes da plataforma. Da mesma maneira, a partir de aplicativos de gestão, será possível controlar todos os anúncios nas redes sociais da companhia, com relatórios especializados sobre a performance das propagandas em cada uma das plataformas.

O anúncio das novidades foi feito durante uma conferência de marketing do Facebook, que acontece anualmente e, em 2019, rolou nesta semana. Apesar de ter confirmado uma previsão, a empresa não deu uma data específica para a implementação da monetização ao WhatsApp. Da mesma forma, a empresa não disse nada sobre outras opções menos bem-vindas de anúncios, com o maior temor dos usuários sendo a aparição deles em meio aos chats ou listas de conversas.

Ao mesmo tempo, não parece existir nenhum indício de que o WhatsApp retornaria aos tempos de solução paga, nem mesmo indicando a possibilidade de uma assinatura para fazer sumir os anúncios. Antes de ser adquirido pelo Facebook, e durante algum tempo depois disso, o uso do mensageiro custava US$ 0,99 por ano, com o primeiro sendo gratuito, um valor simbólico para manutenção de um sistema que ainda dava seus primeiros passos e foi extinto em 2016. Entretanto, para clientes corporativos, há iniciativas pagas pelas quais o WhatsApp cobra uma comissão pela venda de passagens ou produtos através da plataforma, além de vender serviços de envio de mensagens em massa e outros recursos.

Canal Tech, via Matt Navarra (Twitter)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Era só o que faltava. Acho que vou migrar para uma bola de cristal.

Novo recurso do Instagram permite a usuário publicar stories para grupos menores

O Instagram anunciou nesta sexta-feira o lançamento de uma nova função chamada de “Close Friends” ou “Amigos Próximos”, permitindo usuários compartilharem seus stories com grupos menores de pessoas.Lançado em 2016, o stories permite a publicação de fotos e vídeos personalizados que ficam disponível por 24 horas.

O novo recurso, que irá aparecer no perfil do usuário no menu lateral, permite que os mais de 1 bilhão de usuários da rede criem grupos menores de amigos e compartilhem seus stories exclusivamente com estes grupos.

“Se você está na lista de amigos próximos de alguém, você verá um anel verde em torno da foto da pessoa na seção de stories e um distintivo verde quando você estiver visualizando os stories”, disse o Instagram.

O Facebook tem se focado no Instagram, seu gerador de receitas que cresce mais rapidamente, enquanto a principal plataforma de redes sociais da companhia tem sido cobrada por reguladores para aprimorar garantias de segurança de privacidade, combater o vício em redes sociais e conter disseminação de informações mentirosas.

Em outubro, o Instagram nomeou Adam Mosseri, que há muito ocupava cargos na empresa, como diretor do aplicativo de compartilhamento de fotos, após a saída dos co-fundadores Kevin Systrom e Mike Krieger.

A rival Snap, proprietária do Snapchat, que enfrenta dura competição do Instagram, está redesenhando o aplicativo para trazer mais usuários e anunciantes. A Snap também recebeu 250 milhões de dólares de investimento do príncipe Saudita Alwaleed bin Talal enquanto a plataforma migra para um modelo de serviço pessoal para anunciantes.

Folha de SP, com Reuters