Judiciário

Operação do MPRN prende em SP integrante de grupo criminoso que aplica golpes pelo WhatsApp

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta sexta-feira (10) a operação Duas Etapas. Um homem de 53 anos foi preso preventivamente em São Bernardo do Campo/SP pelo crime de estelionato. A investigação do MPRN descobriu que ele mantinha contas bancárias para recebimento do dinheiro proveniente de golpes aplicados pelo WhatsApp.

O nome da operação é uma alusão ao recurso opcional (confirmação em duas etapas) que adiciona uma camada extra de segurança à sua conta do WhatsApp. Essa tela aparece após o usuário ter registrado seu número de telefone no aplicativo com sucesso. Após ativar a confirmação em duas etapas, o usuário poderá adicionar seu endereço de e-mail. Isso permite que o aplicativo envie um link para que o usuário possa redefinir seu PIN e ajuda a manter sua conta segura.

A operação Duas Etapas cumpriu mandados de prisão preventiva e também de busca e apreensão em São Bernardo do Campo. A ação conta com o apoio do Ministério Público de São Paulo (MPSP) e da Polícia Militar paulista.

O MPRN apurou que o homem preso agia como um “testa de ferro” do grupo criminoso. Ele abria contas bancárias e as disponibilizava para recebimento do dinheiro proveniente dos golpes e movimentação financeira. Ao todo, foram encontradas 12 contas mantidas por ele para cometimento do crime de estelionato. Essas contas revelam, ainda, uma movimentação financeira superior à condição do preso na ação, que trabalha como porteiro.

Uma das vítimas do estelionatário identificadas é um aposentado de 74 anos. No dia 25 de janeiro de 2020, o WhatsApp do genro dele foi clonado. Desconhecendo essa informação, o idoso, após solicitação de dinheiro pelos estelionatários, transferiu o valor solicitado para a conta fornecida nas mensagens. Acreditando que estivesse prestando auxílio ao genro em uma situação de emergência, o aposentado transferiu os valores solicitados.

O material apreendido na ação será trazido para o Rio Grande do Norte para análise por parte do MPRN. O homem preso já foi encaminhado para uma unidade prisional paulista, onde irá aguardar por decisão judicial.

Com MPRN

Opinião dos leitores

  1. Tem que deixar as pautas ideológicas de lado e agir de forma imparcial para atender toda a sociedade e não, apenas, um grupo político de esquerda.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp vai parar de funcionar em mais de 40 modelos de smartphones; veja lista

Foto: Sergei Konkov/TASS

O WhatsApp compartilhou nesta semana uma lista de smartphones que, em breve, deixarão de ter acesso ao aplicativo de mensagens. Isso porque os celulares estão obsoletos demais para receber as atualizações necessárias para que ele continue a funcionar normalmente.

A partir do dia 1º de novembro, por exemplo, smartphones com versões do Android mais antigas que a 4.1, que o iOS 10 (sistema operacional do iPhone e do iPad) e que o KaiOS 2.5.1 deixarão de integrar o grupo de dispositivos que possuem o app baixado.

Se o seu celular estiver na lista, a solução é utilizar outro serviço para mensagens ou trocar de aparelho. Agora, para facilitar o trabalho, o WhatsApp permite que o usuário faça o backup do app de um smartphone da Apple para um Xiaomi, por exemplo.

Confira a lista de smartphones que não terão mais o WhatsApp:

Apple: caso o iPhone não suporte mais atualização para o iOS 10 ou superior

Samsung: Galaxy Trend Lite, Galaxy Trend II, Galaxy S2, Galaxy S3 mini, Galaxy Xcover 2, Galaxy Core e Galaxy Ace 2

LG: LG Lucid 2, Optimus F7, Optimus F5, Optimus L3 II Dual, Optimus F5, Optimus L5, Optimus L5 II, Optimus L5 Dual, Optimus L3 II, Optimus L7, Optimus L7 II Dual, Optimus L7 II, Optimus F6, Enact, Optimus L4 II Dual, Optimus F3, Optimus L4 II, Optimus L2 II, Optimus Nitro HD and 4X HD, e Optimus F3Q

ZTE: ZTE Grand S Flex, ZTE V956, Grand X Quad V987 e Grand Memo

Huawei: Huawei Ascend G740, Ascend Mate, Ascend D Quad XL, Ascend D1 Quad XL, Ascend P1 S e Ascend D2

Sony: Sony Xperia Miro, Sony Xperia Neo L e Xperia Arc S

Outros: Alcatel One Touch Evo 7, Archos 53 Platinum, HTC Desire 500, Caterpillar Cat B15, Wiko Cink Five, Wiko Darknight, Lenovo A820, UMi X2, Faea F1 e THL W8.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Divulgar conversa de WhatsApp sem autorização gera dever de indenizar, diz STJ

Foto: Reprodução

Terceiros somente podem ter acesso às conversas de WhatsApp mediante consentimento dos participantes ou autorização judicial, pois elas estão protegidas pela garantia constitucional da inviolabilidade das comunicações telefônicas. A divulgação ilícita gera o dever de indenizar.

Com esse entendimento, a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou provimento ao recurso especial ajuizado por um homem que deu print screen (capturou a tela) em um grupo no qual participava no WhatsApp e, sem autorização dos outros usuários, divulgou as conversas publicamente.

O autor dos prints e outros integrantes do grupo faziam parte da diretoria do Coritiba, e a divulgação das conversas, com críticas à administração do clube de futebol, gerou crise interna. Por conta do vazamento, ele foi condenado pelas instâncias ordinárias a pagar indenização de R$ 5 mil a um dos ofendidos.

Ao STJ, ele afirmou que o registro das conversas não constitui ato ilícito e que seu conteúdo era de interesse público. Relatora, a ministra Nancy Andrighi concordou com a primeira afirmação. De fato, a simples gravação da conversa por um dos interlocutores sem a ciência do outro não representa afronta ao ordenamento jurídico.

A divulgação, no entanto, é um problema. Isso porque as conversas travadas pelo WhatsApp são resguardadas pelo sigilo das comunicações. Inclusive, o aplicativo utiliza criptografia de ponta a ponta para protege-las do acesso indevido de terceiros.

Com isso, é possível concluir que quem manda mensagens pelo aplicativo tem a expectativa de que ela não será lida por terceiros, muito menos divulgada ao público por qualquer meio.

“Ao levar a conhecimento público conversa privada, também estará configurada a violação à legítima expectativa, à privacidade e à intimidade do emissor. Significa dizer que, nessas circunstâncias, a privacidade prepondera em relação à liberdade de informação”, dise a ministra Nancy Andrighi.

“Dessa forma, caso a publicização das conversas cause danos ao emissor, será cabível a responsabilização daquele que procedeu à divulgação”, concluiu.

O voto da relatora ainda prevê uma exceção à regra: a ilicitude poderá ser descaracterizada quando a divulgação das mensagens for feita no exercício da autodefesa: quando tiver como objetivo resguardar um direito próprio do receptor.

Não foi o que aconteceu no caso julgado. “Como ponderado pela Corte local, as mensagens enviadas pelo WhatsApp são sigilosas e têm caráter privado. Ao divulgá-las, portanto, o recorrente (réu) violou a privacidade do recorrido (autor) e quebrou a legítima expectativa de que as críticas e opiniões manifestadas no grupo ficariam restritas aos seus membros”, resumiu a ministra.

A votação foi unânime. Acompanharam a ministra Nancy Andrighi os ministros Paulo de Tarso Sanseverino, Ricardo Villas Bôas Cueva, Marco Aurélio Bellizze e Moura Ribeiro.

Conjur

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Unimed alerta para mensagens falsas que circulam no Whatsapp sobre a variante delta

Foto: Reprodução

A Unimed do Brasil registrou nesta semana aumento na repercussão sobre mensagens falsas que circulam no WhatsApp a respeito da variante delta do novo coronavírus. A Unimed Natal, assim como as 345 cooperativas do Sistema Unimed, não são responsáveis pelo conteúdo divulgado e todas repudiam o uso indevido da marca para propagar informações não verificadas que podem impactar a saúde das pessoas.

“Reforçamos nosso compromisso com a sociedade e a divulgação de informações somente por meio de canais oficiais. Por isso, caso tenha recebido alguma mensagem ou informação a respeito, fique atento”, diz a nota.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp libera função para mandar fotos e vídeos que somem após serem vistos

Foto: Divulgação

Após permitir pagamentos e transferências de dinheiro, agora o WhatsApp lançou um recurso que apaga fotos e vídeos depois de serem vistos pelo usuário. O nome da nova ferramenta é View Once (ver uma vez, na tradução livre). A novidade começou a ser oferecida globalmente para todos os usuários no dia 3 de agosto.

Mas nada de pânico com o sumiço de mensagens: o WhatsApp informou que o recurso de visualização única não será padrão para todos os vídeos ou fotos enviados dentro do aplicativo. “Para utilizar esse recurso, o usuário deve selecionar a função tocando no ícone de número 1”.

De acordo com o app de mensagens, o objetivo é “dar aos usuários ainda mais controle sobre sua privacidade”. Uma pessoa, ao experimentar roupas em uma loja, por exemplo, poderá enviar imagens e perguntar a opinião de um terceiro, sem que isso fique armazenado. Poderá ainda enviar uma senha a alguém, sem que a mesma fique registrada.

O WhatsApp espera que o recurso de visualização única ajude os usuários a se sentirem mais confortáveis para enviar coisas como caretas, compartilhar uma reação rápida a um certo evento ou até algo confidencial, como a senha do wi-fi.

“É importante reforçar que não é possível encaminhar, salvar, favoritar nem compartilhar fotos e vídeos enviados ou recebidos com o recurso de visualização única ativado, acrescenta.

O sumiço da imagem pós-visualização levantou a desconfiança de usuários no Brasil. O assunto ganhou as redes, e uma internauta questionou:

“Como vou ter o comprovante de pagamento de uma compra feita?”.

Outro usuário teme golpe pelo aplicativo com o desparecimento da mensagem.

“Vão aparecer espertinhos querendo se dar bem, pode ter certeza! E vamos ficar sem ter como comprovar porque a mensagem vai apagar”, reclamou.

Indenização: Zoom vai pagar US$ 85 milhões em acordo extrajudicial para compensar usuários por ‘Zoombombing’

Entenda como funciona

Ao abrir a câmera para enviar a imagem, clique no botão”1″ na barra de mensagens e depois em ”enviar”.

O arquivo de mídia não fica salvo nas Fotos nem na Galeria do destinatário

Após o envio, não é possível ver novamente foto ou o vídeo de visualização única

Não pode encaminhar, salvar, favoritar nem compartilhar fotos e vídeos enviados ou recebidos com esse recurso

Imagem ficará indisponível caso não seja visualizado em até 14 dias após o envio

É possível restaurar esses arquivos do backup se a mensagem com o arquivo de mídia não for aberta antes de o backup ser feito

Também é permitido tirar print da imagem sem aviso de quem enviou

Para quem já está se perguntando como vai fazer para guardar comprovantes de pagamentos, transferências, fotos, entre outros itens compartilhados, o EXTRA dá a dica: é possível fazer captura da tela (print) quando ela é aberta ou simplesmente filmar a mensagem com outra câmera. A pessoa que enviou não recebe mensagem quando é feito o print da tela.

Sem provas

Defensores da proteção de crianças expressaram preocupação de que as mensagens que desaparecem automaticamente possam ajudar a encobrir as evidências de abuso sexual infantil.

A Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade com Crianças (NSPCC) já questionou o Facebook, dono no WhatsApp, sobre o uso de mensagens criptografadas, pois apenas remetente e destinatário têm acesso ao conteúdo da mensagem.

Uma fonte da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), do Rio de Janeiro, avalia que por ser um funcionalidade nova, o recurso precisa ser melhor analisado. No entanto, disse acreditar que isso possa dificultar investigações policiais no caso de apreensão de celulares.

O WhatsApp deixa a recomendação aos usuários: “envie fotos ou vídeos de visualização única somente para pessoas em quem você confia. É possível que uma pessoa faça uma captura de tela ou grave a tela do celular antes que o arquivo de mídia desapareça”.

O app ainda alerta que “os arquivos de mídia protegidos com criptografia podem permanecer nos servidores do WhatsApp por algumas semanas após o envio”. E garante que se uma pessoa denunciar uma foto ou um vídeo de visualização única recebido, esse arquivo será enviado ao WhatsApp.

Como enviar mensagens temporárias

Além de estar disponível em testes no sistema da Apple, a ferramenta pode ser utilizada em aparelhos Android. O funcionamento da novidade é similar em ambas as plataformas.

Na conversa, clique no botão “+”. Com o menu aberto, clique em “Câmera”. Escolha o arquivo que deseja compartilhar ou use a câmera para gravar um vídeo ou tirar uma foto.

No arquivo aberto, clique no botão “1” (View Once) na barra de mensagens. O aplicativo avisa que o modo temporário foi ativado. Depois disso, basta enviar.

Após utilizar o recurso pela primeira vez, uma mensagem avisando que o conteúdo é temporário será exibida.

O Globo

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Mudança silenciosa no WhatsApp gera confusão e divide opiniões

Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Uma mudança silenciosa no WhatsApp afetou a forma como as conversas são arquivadas e já gera confusão entre os usuários do aplicativo. Diversos deles relataram em redes sociais que ficaram sem responder às mensagens em grupos de amigos, parentes ou de trabalho por causa do novo recurso.

Este colunista apurou que a novidade chegou a quase todos os participantes do WhatsApp no Android e no iPhone. Ainda assim, seu funcionamento é uma surpresa para muita gente. Fique comigo até o fim deste texto, pois precisamos nos ater a alguns detalhes técnicos.

Primeiro de tudo, é importante reconhecer que o WhatsApp está se movimentando para trazer recursos inovadores, que facilitem a nossa vida. Afinal de contas, é o app mais utilizado do Brasil – já revelamos que são 150 milhões de adeptos, segundo uma fonte muito bem informada.

Na última terça-feira (27), a empresa anunciou que estava “tornando mais fácil acompanhar suas conversas mais importantes e diminuir a prioridade das mensagens que podem atrapalhar” e mexeu no funcionamento do recurso Arquivar.

Para quem nunca reparou, ele está integrado à tela de Conversas do aplicativo – a primeira que aparece quando o mensageiro é executado no celular. Arraste um chat da direita para a esquerda e você verá várias opções de controle, dentre elas a função de arquivar.

Como era: o usuário escolhe arquivar uma conversa. Ela desaparece da tela inicial do WhatsApp, mas permanece na pasta de itens arquivados. Ao chegar uma nova mensagem, a conversa retorna para a tela inicial do aplicativo.

Como ficou: o usuário escolhe arquivar uma conversa. A partir daquele momento, ela fica para sempre na pasta de itens arquivados e o smartphone não dá mais nenhuma notificação sobre novas mensagens.

O acesso às conversas arquivadas continua o mesmo: você deve abrir o app e arrastar a lista de conversas do meio para baixo. Nesta hora surge um menu secreto – a pastinha com os itens escondidos. Não é exatamente a interface mais intuitiva do mundo.

A lógica por trás do arquivamento mudou por completo e pegou usuários de surpresa, conforme pudemos ver em postagens na internet nos últimos dias. Alguns gostaram, outros não.

Veja texto completo AQUI em OPINIÃO via Techtudo

Opinião dos leitores

  1. Excelente recurso
    Só falta mover as conversas “arquivadas” para o fundo da lista novamente.

  2. “Facção criminosa comandada por uma das vítimas” vige…a esquerda vai pirar.. e vamos querer saber quem é esse(a) líder de Facção criminosa…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Golpe pelo whatsapp usa nome de diretor da Caern

FOTO: CAERN/ASSECOM

A Caern alerta mais uma vez para a prática de estelionatários que estão usando o nome do diretor presidente da companhia, Roberto Sérgio Linhares, para aplicar golpes. Foram identificados casos de falsários que se passam pelo presidente a partir de um contato de whatsapp que simula ser Roberto Linhares. Nesta sexta-feira (23), foi constatado que o número 9196-3019, com DDD 83, da Paraíba, estava fazendo contato com empresários e autoridades.

O golpista tem feito tentativas de obter dinheiro ou outras vantagens, como se fosse o presidente. A Caern alerta que as pessoas devem desconsiderar qualquer tipo de mensagem dessa natureza e informar para a Ouvidoria da companhia, pelo número 3232-4562.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Rodrigo Maia e Sérgio Moro trocam acusações em grupo do WhatsApp; veja prints

FOTO: MONTAGEM/MARYANNA OLIVEIRA/CLEIA VIANA/AGÊNCIA CÂMARA

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (sem partido) e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro trocaram acusações, na noite desta quinta-feira (15), em um grupo do aplicativo de mensagens WhatsApp do Parlatório, que reúne economistas, empresários, advogados, operadores do mercado financeiro e políticos. O R7 teve acesso à conversa – veja ao final da reportagem.

Sérgio Moro afirmou que projetos importantes, como o do fim do foro privilegiado e o da volta da execução de penas após condenação em segunda instância, foram travados por Rodrigo Maia, apesar de promessas e de acordos realizados.

“Congresso precisaria votar isso. Presidente atual e anteriores não pautaram”, escreveu o ex-ministro. Rodrigo Maia rebateu: “Moro, não vou fazer este debate aqui com você.” Apesar de dizer que não seguiria a discussão, atacou: “Fato é que você tentou mandar na Câmara sem mandato. Segunda instância não avançou pela pandemia. Apenas isso.”

Rodrigo Maia seguiu rebatendo as críticas do ex-juiz da Lava Jato. “Foro, de fato, não tinha apoio, mas quem segurou foi a pressão dos juízes e promotores que estão satisfeitos com a interpretação do Supremo que só resolveu foro para político”, disse.

Sérgio Moro continuou apresentando seus argumentos. “Rodrigo, mantendo a discussão em alto nível, [no caso dessas] essas matérias, bastava pautar e ver o que dava a votação, se elas são propostas por X ou Y, pouco importa. Importa se são boas e não foram pautadas”, argumentou.

“A segunda instância parou pela pandemia. Outra, não tinha apoio. Na política, as decisões não são individuais. Parou pela pandemia.”, explicou Maia. Sérgio Moro respondeu. “Desculpe, mas você ficou quatro anos presidente da Câmara, não pautou porque não quis.”

A conversa terminou com a mensagem de Rodrigo Maia. “Não é verdade. A PEC da segunda instância foi apresentada. Parou com a pandemia.”

Até a publicação desta notícia, nem o deputado Rodrigo Maia, nem o ex-ministro Sérgio Moro, comentaram o bate-boca no grupo de mensagens. O espaço está aberto para manifestação, que será incluída na reportagem quando enviada.

Veja os prints com a troca de mensagens:

Foto: Reprodução

Veja a continuação da discussão entre o ex-ministro e o ex-presidente da Câmara:

Foto: Reprodução

R7

 

 

Opinião dos leitores

  1. Moro se igualando a Maia. Pense numa ladeira comprida, essa que o juiz optou por descer. Vai terminar preso, se não vazar daqui. Somos o resultado de nossas escolas. Ele escolheu sair pela portas dos fundos.

  2. A PEC da prisão em segunda instância não foi pautada porque a esmagadora maioria (99,99%) dos políticos é composta de canalhas, pilantras, ladrões e psicopatas que seriam prejudicados caso a PEC fosse aprovada. A pressao para que a PEC não fosse pautada partiu também de certos advogados e juristas garantistas, uma turminha de canalhas que querem seus clientes corruptos fora da cadeia.

  3. Moro sempre do lado dos que defendem o patrimônio do povo do Brasil, já Bolsonaro, luladrão, RM, congresso e stf sempre facilitando a vida dos corruptos, quando não estão praticando corrupção. Fácil de constatar!

  4. “Fogo no parquinho”. Acho é pouco. Uma decepção (o ex-juiz) e outro que nunca prestou.

    1. Direita Honesta, por que o pseudo nome?
      Porque Moro é uma decepção?
      O que ele fez, além de prender ladrões do nosso dinheiro (impostos), diminuir a violência no País e não aceitar os desmandos autoritários de Bolsonaro?

  5. O ideal era dá uma faca a cada um e deixá-los em uma sala fechada. Depois de 1 hora se voltaria a sala.

  6. PEC da prisão em segunda instância parou pq PT nao quer(Lula ja foi julgado em segunda instancia), pq Maia nao pautou, pq Lira nao vai pautar, pq o Mito nao quer votar, pq centrao nao quer votar, pq o deputado e senador q vc votou nao quer votar. Enfim pq nao querem.

    1. Exatamente. E ainda existem muitos idiotas desfazendo amizades, brigando e se desgastando por conta desses políticos que só pensam neles mesmos.

    2. Pois é! Só idólatra de político não vê que esses pestes são , na grande maioria, TODOS IGUAIS! A diferença é o tempo que estão no poder para roubar mais ou menos…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MPRN faz alerta à população sobre golpe do ‘novo número’ no WhatsApp

Foto: Divulgação/MPRN

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) alerta à população em geral sobre um golpe que vem sendo aplicado através do WhatsApp no qual criminosos falsificam os perfis dos usuários do mensageiro.

O MPRN orienta que a população em geral fique atenta a esse tipo de mensagens e sempre desconfie, tentando inicialmente um contato telefônico ou presencial com o verdadeiro dono da linha.

Sempre que for vítima da tentativa de golpe, o cidadão deve informar o plantão 190. Em caso de dúvidas, o MPRN disponibiliza o Disque-denúncia 127, que funciona das 7h às 19h, em dias de semana.

Opinião dos leitores

  1. Nossos caríssimos promotores servem pra isso aí, palpiteiros de tecnologia em rede social. É mole? Investigar cartel de posto ninguém quer, pobre RN e suas castas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Whatsapp começa a liberar função que acelera áudios em até duas vezes; veja como usar

Foto: Reprodução

Sim, agora você já pode acelerar aquele áudio de 2 minutos que você recebeu no WhatsApp — pelo menos é o que informam alguns usuários no Twitter. A atualização para mudar a velocidade da mensagem de voz está disponível na versão web e no aplicativo para iOS, da Apple, e confirma os rumores de que a empresa estava trabalhando em trazer a ferramenta para seus usuários. Antes, a ferramenta tinha sido liberada apenas para algumas contas, na versão beta do app.

As primeiras informações sobre a possibilidade de acelerar as mensagens de áudio surgiram ainda em março, quando o site especializado WaBetaInfo divulgou a descoberta de uma configuração na versão beta do app, indicando que os áudios poderiam ser acelerados. Na versão que muitos usuários brasileiros estão encontrando nesta semana, é possível ajustar a velocidade para 1x, 1,5x e 2x — a reportagem testou as três configurações pelo WhatsApp web e pelo app. A empresa confirmou ao Estadão que a ferramenta está disponível para iPhone e pelo navegador, e não apenas no beta, como tinha sido notado. Usuários de Android terão que aguardar mais algumas semanas, informou o WhatsApp.

O recurso era o mais pedido pelos usuários principalmente no período de pandemia, onde o mensageiro viu crescer a demanda e o uso das mensagens de voz para comunicação entre os contatos. Outros apps, como o Telegram, entraram na mira de internautas justamente por oferecer a opção de ajustar velocidades maiores de reprodução — além da polêmica dos termos de uso e privacidade do WhatsApp.

No período, o WhatsApp não havia confirmado nenhum lançamento para a ferramenta e a inclusão no app foi discreta, ainda sem nenhum anúncio da empresa. Usuários, porém, relatam que o recurso está em utilização desde o começo de abril no Brasil.

Para mudar a velocidade, basta clicar no ícone de reprodução do áudio e um botão vai aparecer no lugar da foto do contato, indicando o modo de aceleração. Para trocar, basta clicar nesse ícone para alterar a reprodução.

Link – Estadão

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Onde ficam as conversas no WhatsApp? Saiba quando os dados podem ser recuperados

Foto: Altieres Rohr/G1

O WhatsApp é diferente de outros serviços de comunicação como Skype, Telegram, Instagram e Discord.

Nesses serviços, as conversas ficam armazenadas na “nuvem” e associadas à sua conta. No WhatsApp, somente os grupos pertencem à conta. As conversas dependem do backup, que é separado da conta.

Enquanto a proteção da conta é importante para garantir o seu acesso ao serviço, limitar o acesso ao aparelho e o backup, no caso do WhatsApp, é essencial para resguardar as suas conversas.

É importante entender que o “número do WhatsApp” e o número do seu telefone são coisas separadas. Pode parecer confuso, já que você usa o mesmo número de telefone no WhatsApp e para chamadas, mas, infelizmente, é algo que precisa ser compreendido.

Quer fazer um teste? Retire o chip do seu celular e coloque em outro aparelho. Ligue o seu telefone. Você vai continuar usando o WhatsApp no aparelho antigo pelo Wi-Fi, ou até com um chip novo e outro número, mas seu WhatsApp continuará “atendendo” no número antigo.

O WhatsApp não vai “reclamar” se o aparelho estiver com um número diferente do ativado. As mensagens que você vai receber no WhatsApp serão as enviadas para o número antigo.

Você só vai perder o acesso se o WhatsApp for registrado com aquele número em outro aparelho, porque o WhatsApp não aceita estar instalado em dois celulares com o mesmo número. A nova ativação fará com que o antigo seja desconectado.

Também é preciso entender que o WhatsApp armazena as conversas no aparelho. Não tem a ver com o número, porque as conversas estão todas no próprio smartphone. Você tem a opção de salvar um backup na nuvem, mas isso é só uma cópia das informações locais.

Então, fazer portabilidade ou qualquer mudança no chip não vai apagar ou retirar o acesso pleno às suas conversas.

Se as mensagens estão sempre armazenadas localmente no celular e há um backup opcional em nuvem, temos as seguintes conclusões:

Instalar outro chip (trocar de número) não remove suas conversas do WhatsApp. As mensagens ficam armazenadas no aparelho.

Ativar o seu número no WhatsApp em outro aparelho não remove as mensagens do aparelho antigo, porque elas estão armazenadas localmente naquele aparelho.

Trocar de celular (seja com o mesmo chip ou outro chip com o mesmo número) não vai recuperar as mensagens do telefone antigo. É obrigatório realizar o backup (para Google Drive, no Android, ou iCloud, no iPhone) e restaurar esse backup.

Trocar de chip (mas não de celular) não vai apagar suas mensagens, porque elas continuam armazenadas no seu aparelho. Você pode utilizar a opção “Trocar de número” do WhatsApp para migrar sua conta e reativar o WhatsApp em um novo número

Migrar de celular de um aparelho Android para iPhone ou vice-versa e manter suas conversas no WhatsApp pode ser um desafio, porque o backup não estará disponível em nuvem (o backup do Android fica no Google Drive, mas o WhatsApp do iOS vai procurá-lo no iCloud). Caso o acesso a mensagens em vários sistemas seja desejável, o blog recomenda usar um app de conversas com armazenamento em nuvem dedicada, como Messenger, Telegram, Discord, Skype ou Instagram. Lembre-se, porém, de proteger a sua conta (usuário e senha) para evitar qualquer acesso indevido.

Não é possível ‘apagar mensagens’ em um celular antigo a partir do WhatsApp ativado em um celular novo porque o WhatsApp salva as conversas apenas no próprio aparelho e não é possível que o WhatsApp esteja ativado com o mesmo número em dois aparelhos ao mesmo tempo.

Se você não deseja perder suas mensagens do WhatsApp, é obrigatório usar o backup das conversas e a opção “Trocar de número” sempre que você comprar um chip com um número diferente.

Sem isso, o backup pode ficar inacessível e as mensagens antigas serão perdidas.

Por outro lado, celulares antigos devem ser redefinidos para os para os padrões de fábrica (também chamado de limpeza de dados ou restauração de sistema) para apagar todos os apps e dados. Apenas isso vai ajudar a manter suas conversas antigas sob sigilo.

Se você não usar a opção ‘Mudar número’ do WhatsApp após trocar de chip, aplicativo continuará ativado com o número antigo. — Foto: Reprodução

Dar, vender ou ceder um aparelho usado sem realizar uma limpeza de dados com a redefinição de sistema pode permitir que o novo dono do aparelho recupere dados antigos, sejam eles fotos, mensagens ou até áudios do WhatsApp.

Lembre-se também do seguinte: mesmo que alguma informação não esteja disponível (porque o WhatsApp foi desinstalado, por exemplo), isso não significa que os dados desapareceram do smartphone. Muitos arquivos podem ser recuperados ou lidos com ferramentas específicas.

A redefinição de sistema é sua única ferramenta confiável para tentar evitar que dados sejam recuperados do smartphone.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Novo golpe pede para que idosos façam ‘prova de vida’ do INSS por WhatsApp

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Tem novo golpe na praça usando o nome do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Desta vez, golpistas pedem que aposentados e pensionistas façam a prova de vida por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp.

Segundo o alerta emitido pelo INSS, criminosos ligam ou enviam uma mensagem pelo WhatsApp pedindo que a vítima envie uma foto de algum documento com foto para finalizar o processo.

O INSS alerta que nunca entra em contato por telefone, SMS nem aplicativos de mensagem. Em casos de tentativa de golpe, nunca passar nenhum tipo de informação. O procedimento recomendado é desligar imediatamente o telefone e/ou parar de responder o contato via mensagem de texto. Se possível, bloquear o número.

A necessidade de prova de vida está suspensa até dia 31 de maio. Desde março do ano passado, quando entrou em vigor, 5,3 milhões de beneficiários deixaram de comprovar que estavam vivos.

Comprovação por biometria facial

Em fevereiro, foi anunciado pelo INSS, em parceria com o Ministério da Economia, a prova de vida por biometria facial como medida de evitar a visita presencial de idosos nas agências.

Para usufruir da tecnologia, o beneficiário precisa baixar o aplicativo “Meu gov.br” (disponível para Android ou iOS) e tirar uma selfie dentro da plataforma, no local especificado. Após o reconhecimento, é possível acompanhar o resultado por outro aplicativo, “Meu INSS” (disponível para Android ou iOS).

Vale reiterar que o reconhecimento facial é feito somente por meio do aplicativo Meu gov.br, não por Whatsapp, SMS nem ligação.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Vai no Google, maior ladrão de dinheiro público do mundo. Encontra teu ídolo. Kkkk

    2. Ze vc está ficando doido ? Quem foi acusado, investigado e condenado, não por uma juiz apenas, foi seguidamente confirmado como ladrão, tem um nome que vc conhece. Ainda responde a outros não sei quantos processos, disse que quem fazia maracutaia era a defunta, rapaz, deixe de Noia, está plantando o que na fazenda? É difícil, e saber que um dia defendi da mesma forma aquele molusco, Deus vai me perdoar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Instagram e Whatsapp registram queda na tarde desta sexta-feira

Foto: Reprodução

Usuários do WhatsApp e da rede social Instagram relatam queda no serviço desde o início da tarde desta sexta-feira (18). A versão web do aplicativo de mensagem também não funciona.

No Twitter, a queda dos aplicativos já consta entre os assuntos mais comentados. O Messenger, que assim como o WhatsApp e o Instagram pertencem ao Facebook, também enfrenta instabilidade.

O site Downdetector, que monitora o funcionamento de serviços online e reúne relatos de problemas e instabilidades, registrou um pico de reclamações sobre o WhatsApp a partir das 14 horas desta sexta-feira.

Nos comentários, usuários do Instagram também relatam problemas.

Entre os problemas mais relatados no Downdetector estão o acesso ao WhatsApp e o envio de mensagens. Cerca de 28% das reclamações, até às 15 horas, relatavam falha geral ao acessar o aplicativo.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp cai e Telegram está em 45% dos celulares de brasileiros, diz pesquisa

Foto: Marvin Costa/TechTudo

O número de usuários do Telegram e do Signal, apps de mensagens instantâneas disponíveis para Android e iPhone (iOS), cresceu nos últimos meses, enquanto o WhatsApp apresentou pequena queda. Os dados são de relatório encomendado pelas companhias Mobile Time e Opinion Box e investigam os principais aplicativos de mensagens no Brasil. A pesquisa também traz dados que relacionam a ascensão dos apps rivais do WhatsApp como uma possível resposta às novas políticas de privacidade do mensageiro, que passarão a valer a partir do dia 15 de maio deste ano.

Em meados de janeiro, o mensageiro mais popular do mundo começou a disparar notificações sobre a mudança em seus termos de uso, que passariam a permitir o compartilhamento de dados do WhatsApp com outras empresas do grupo Facebook. Prevista para ocorrer em 8 de fevereiro, as mudanças foram adiadas pela grande repercussão negativa do caso, e campanhas de esclarecimento foram extensivamente exploradas pela companhia, que chegou a vincular propagandas em jornais na Índia, país com quase 500 milhões de usuários ativos por mês no WhatsApp.

Segundo o relatório, o Telegram teve um crescimento expressivo em número de instalações em celulares brasileiros em comparação com o último ano. Em janeiro 2020, cerca de 27% dos entrevistados tinham o app instalado no celular, número que subiu para 45% em janeiro de 2021, indicando um crescimento de 18 pontos percentuais em um período de 12 meses.

O texto ainda traz informações sobre a popularidade de outros apps de mensagens, bem como a frequência de utilização e engajamento dos usuários nas plataformas. Segundo a pesquisa, o WhatsApp ainda é o app mais popular, presente em 98% dos celulares brasileiros. Na sequência estão outras plataformas do grupo Facebook, com o Instagram em segundo lugar, marcando presença em 81% dos smartphones, e o Messenger em terceiro, com 74%. O Telegram ocupa a quarta posição com 45%, seguido do Signal, com 12%.

A frequência de uso dos apps também é maior para o WhatsApp, em que 95% dos usuários abrem o app todo dia ou quase todo dia. Para o Telegram, o engajamento é de 45% e, para o Signal, fica em 29%. Apesar disso, Telegram e Signal bateram o WhatsApp em número total de downloads em janeiro deste ano, segundo dados do site especializado em crescimento de apps SensorTower.

O relatório também indica uma pequena queda na popularidade do WhatsApp no último ano. Em janeiro de 2020, 99% dos brasileiros tinham o app instalado no celular e 95% deles abriam o mensageiro todo dia. Neste ano, esse número caiu para, respectivamente, 98% e 86%.

Além disso, a pesquisa também revela um crescimento no desinteresse pelo uso da função de pagamentos do WhatsApp, prevista para ser liberada este ano. No ano passado, cerca de 66% dos entrevistados declararam interesse na função, ao tempo em que 54% expressaram interesse esse ano. Segundo a pesquisa, a queda de 12 pontos percentuais no WhatsApp Pay também pode ter relação com o lançamento do Pix, método de pagamentos instantâneo do Banco Central.

Com informações de Globo/Techtudo, Panorama Mobile Time/Opinion Box, National Herald India e India Today

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp libera chamadas de voz e vídeo por aplicativo pelo computador; saiba como usar

Foto: Divulgação/WhatsApp

O WhatsApp liberou nesta quinta-feira (4) chamadas de voz e vídeo pelo computador, por meio dos aplicativos para Windows e Mac.

A ferramenta, no entanto, não funciona no WhatsApp Web, que é aberto pelo navegador do computador. É preciso baixar o aplicativo para o computador.

Além disso, só é possível fazer ligações individuais – o recurso de chamadas em grupo de até 8 pessoas ainda não está liberado.

A janela das chamadas de vídeo funciona nos modos paisagem e retrato, pode ser redimensionada, e está configurada para ficar sempre em primeiro plano em relação às outras janelas.

Como fazer ligações pelo WhatsApp?

Baixe o aplicativo do WhatsApp para Windows ou Mac;

Faça o login com o seu WhatsApp. No Android, toque no ícone de três pontinhos localizado na parte de cia da tela e aperte em “WhatsApp Web”. No iPhone, clique no ícone da engrenagem (Ajustes) que fica na parte de baixo e toque em “WhatsApp Web/Computador”.

Em seguida escaneie o QR Code;

Abra uma conversa e ao lado da foto e do nome do seu contato, clique no ícone de ligação por voz ou vídeo.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp vai avançar com mudança nos termos de uso

FOTO: PIXABAY

O WhatsApp anunciou na quinta-feira (18) que vai prosseguir com uma polêmica mudança nos termos de privacidade dos usuários, mas que incluiu mais informações para explicar as alterações.

Em janeiro, a plataforma de comunicação anunciou que preparava uma nova política de regras de privacidade, sob a qual iria compartilhar dados limitados dos usuários com o Facebook, sua controladora.

O anúncio causou críticas pelo mundo e motivou migração de usuários para rivais como Telegram e Signal. Com isso, o WhatsApp atrasou a entrada em vigor da política para maio.

Na mais recentemente comunicação, o WhatsApp afirmou que vai começar a lembrar os usuários para lerem e aceitarem os novos termos de modo a manter a plataforma funcionando para eles.

“Também incluímos mais informações para resolver preocupações que recebemos”, afirmou a empresa.

O anúncio do WhatsApp ocorreu enquanto o Facebook bloqueou acesso a todo conteúdo noticioso na Austrália disponível em sua plataforma, disparando uma onda de críticas de veículos de imprensa e políticos.

R7, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. BG… esquece o WhatsApp… O importante é que o deputado, como todo bom bolsonarista, é um completo COVARDE quando a coisa aperta…??????
    Pediu desculpas a gatos, cachorro e papagaio…se tivesse mais um minuto, ele chorava…????

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *