Brecha no Instagram permite ver publicações privadas

(Reprodução/Getty Images)

Uma falha de segurança no Instagram permite que qualquer pessoa possa ter acesso à publicações privadas na rede social. De acordo com o BuzzFeed Tech, uma brecha na programação da plataforma de fotos e vídeos que pertence ao Facebook quebra o sigilo das postagens.

Para fazer isso, basta que o usuário com acesso ao conteúdo tenha conhecimento razoavelmente básico na linguagem de programação HTML usasse um navegador para inspecionar e obter o endereço direto da imagem ou vídeo – do feed ou do stories – que gostaria de distribuir para outras pessoas.

Ponto curioso é que o método funciona também para imagens e vídeos stories que expiraram após 24 horas ou foram deletados pelo usuário que os postou. Segundo o BuzzFeed, a partir do momento que o usuário tem acesso aos endereços diretos das imagens e vídeos, o conteúdo continua podendo ser acessado por alguns dias.

A brecha de segurança ainda permite driblar outro sistema do Instagram, a identificação dos usuários que visualizaram a imagem. Isso porque cada conteúdo disponibilizado dessa forma pode ser acessado por qualquer pessoa, com ou sem uma conta na rede social. Assim, a vítima não tem como descobrir quem ou quantas pessoas viram suas fotos e vídeos.

Procurada pela Exame, a assessoria do Instagram, por meio de um porta-voz, informou que “o comportamento descrito é o mesmo que tirar uma captura de tela da foto de um amigo no Facebook ou Instagram e compartilhá-la com outras pessoas” e que “não dá às pessoas acesso à conta privada de um usuário”.

É verdade que a prática traz poucos resultados diferentes de uma captura de tela do conteúdo privado. Contudo, não deixa de ser mais um arranhão nos esforços do Facebook de trazer mais privacidade as suas plataformas. Vale lembrar que a própria rede social já denuncia usuários que fazem capturas de telas em imagens enviadas no chat da plataforma.

A companhia de Mark Zuckerberg vem sofrendo com críticas de que não faz o tratamento adequado dos dados de seus usuários desde o escândalo envolvendo a consultoria britânica Cambridge Analytica, acusada de tentar usar dados da rede social para influenciar nos resultados das eleições americanas e do referendo do Brexit.

Exame

SINAL DE ALERTA: Usuários do Instagram são alvos de novo ataque de phishing; proteja-se

Reprodução

Os usuários recebem um e-mail com informações sobre uma tentativa de login não autorizado, ao clicarem no link, eles são direcionados para um site semelhante ao da rede social que solicita seus dados

Os ataques phishing são uma maneira comum de obter dados pessoais de alguém sem que a pessoa saiba disso. Geralmente, esses ataques envolvem um invasor usando uma página semelhante à de um site popular para enganar a vítima e induzi-la a inserir suas informações pessoais, achando que se trata do site real.

Um novo ataque está usando um sistema de autenticação de dois fatores para obter acesso aos dados da conta do Instagram de diversas pessoas. E o pior de tudo: o site é quase idêntico ao original.

Quem descobriu o golpe foi a equipe de segurança da Sophos. Os pesquisadores alertaram que os hackers estão enviando um e-mail para as vítimas informando sobre uma tentativa de login não autorizado em suas contas. Ao clicar no link disponibilizado, o usuário é direcionado para uma página falsa da rede social que solicita suas credenciais para confirmar sua identidade.

O que torna o golpe mais convincente – e perigoso – é a presença do protocolo de segurança SSL na página. Os hackers adquiriram um certificado SSL para que o site apresente o prefixo HTTPS em seu endereço e mostre um cadeado verde para garantir aos usuários que eles estão no site real do Instagram.

Como dica para se prevenir desse golpe, a Sophos informou que os usuários devem sempre se atentar para os domínios dos sites. No caso desse golpe, por exemplo, ele apresenta um domínio “.cf”, que é um domínio atribuído a registros na República Centro-Africana. A maioria dos sites utiliza um domínio de nível superior, como o “.com”.

Além disso, os usuários têm a opção de não seguir os links dos e-mails, a orientação é entrar manualmente nos sites e, caso seja solicitado as credenciais, inseri-las apenas lá. Isso fará com que as credenciais não sejam inseridas acidentalmente em um site de phishing.

Olhar Digital, via MSPowerUser

 

Instagram vai permitir que usuários denunciem informação falsa

(Getty Images/Getty Images)

O Instagram lançou nessa quinta-feira, 15, um recurso que permite aos usuários denunciarem publicações que considerem falsas.

A publicação de informação falsa não é proibida em todos os serviços do Facebook, mas a companhia está tomando medidas para limitar o alcance de publicações erradas e alertar os usuários.

O Facebook começou a usar tecnologia de detecção de imagem no Instagram em maio e expandiu seu programa de checagem de informações para o aplicativo.

Os resultados considerados como falsos são removidos de locais em que os usuários buscam conteúdo novo, como a aba “Explore”, do Instagram, e resultados de busca por hashtags.

O Facebook tem 54 parceiros de checagem de informações e trabalha com 42 idiomas, mas o recurso no Instagram está sendo lançado apenas nos Estados Unidos.

“Este é um passo inicial conforme trabalhamos para uma abordagem mais ampla no trato de informações falsas”, disse Stephanie Otway, porta-voz do Facebook.

Exame

 

Falha no Instagram dificulta a publicação de stories pelos usuários

Foto: Pixabay

O Instagram passa por uma instabilidade nesta quarta-feira (14) e usuários enfrentam dificuldade para fazer postagens nos stories.

Segundo o site DownDetector, que monitora o funcionamento das redes sociais pelo mundo, a falha atinge o Brasil, os EUA, o Japão e países na Europa.

No Twitter, diversas pessoas buscam entender o que está acontecendo com a rede social. Há relatos de que o serviço está sendo normalizado, apesar das falhas no começo da manhã.

Procurado pelo R7, o Instagram ainda não se posicionou sobre a nova instabilidade na plataforma.

R7

 

Ainda dá para ver o número de likes no Instagram – e é incrivelmente fácil – pela versão web

(Vladyslav Bobuskyi/Getty Images)

A mudança no Instagram, que deixou de exibir o número de likes recebidos pelas fotos, teve uma repercussão surpreendente: foi um dos assuntos mais comentados da semana passada, atraindo tanta atenção quanto as discussões sobre política e economia. Isso mostra o valor que a sociedade dá às curtidas em redes sociais – ainda que, como comprovamos numa divertida experiência da SUPER, elas possam ser forjadas.

Houve quem aprovasse e quem desaprovasse a alteração no Instagram. Por um lado, é ótimo poder postar fotos sem se preocupar com a quantidade de likes, ou o eventual opróbio de ter um post mal curtido. Já entre os influenciadores digitais, que vivem disso, a coisa não foi tão bem vista. O que pouca gente percebeu é que, na prática, o Instagram continua contabilizando e mostrando os números de likes. E você pode conferir isso agora.

Simplesmente abra o navegador, no seu celular ou computador, e acesse instagram.com. É a versão web da rede social, na qual você deverá se logar com seu nome de usuário e senha. E voilá: todos os números de curtidas, de todos os posts, serão exibidos na tela. Pode ir lá conferir, e matar sua curiosidade, antes de continuar a ler este texto. Eu espero.

Por que o Instagram optou por mostrar as curtidas na web, não sei. O fato é que o reaparecimento desse dado, que já haviamos nos acostumado a ignorar, altera nossa postura. Volta a existir competição. Você imediatamente compara o grau de popularidade das pessoas – umas com as outras e, o mais importante, cada uma delas com você. É uma reação instintiva, forjada pelos milhares de anos de evolução que tornaram o ser humano um animal desesperadamente gregário. Algo que as redes sociais exploram para nos atrair. E, como você talvez esteja sentindo neste exato momento, nem sempre de forma agradável.

Super Interessante

 

Curtidas desaparecem do Instagram, mas a pressão social não

Imagem: iStock

A minha foto em uma ilha grega vai ganhar mais curtidas do que a sua em Veneza? Para acabar com essas disputas de egos, o Instagram parou de exibir as curtidas em alguns países, pois muitos jovens lidam muito mal com a pressão social nas redes.

“O Instagram se antecipa ao fato de que o nosso fascínio pela quantidade está diminuindo, existe uma nova forma de conceber as relações sociais”, declarou à AFP o sociólogo francês Stéphane Hugon, especialista em inovação social e tecnologias.

O Instagram, uma rede para compartilhar imagens que tem mais de um bilhão de usuários em todo o mundo, parece ter se conscientizado da “pressão” sofrida por alguns de seus usuários.

Seu chefe, Adam Mosseri, anunciou no começo de julho a criação de novas ferramentas contra o assédio, como o aparecimento de uma mensagem de advertência contra comentários de ódio, gerada por um programa de inteligência artificial.

Além disso, a rede está testando uma nova função em seis novos países (Brasil, Austrália, Itália, Irlanda, Japão e Nova Zelândia, depois do Canadá): o número total de “likes” (curtidas) não aparecem mais debaixo de cada imagem – só o autor da publicação pode vê-lo.

“Queremos que o Instagram seja um lugar onde as pessoas se sintam confortáveis para se expressar”, explicou uma encarregada do Facebook, proprietário do Instagram, para Austrália e Nova Zelândia, Mia Garlick.

“Esperamos que esta prova faça com que a pressão diminua […] para que a gente possa se dedicar a compartilhar aquilo de que gosta”.

O Instagram promove uma competição de popularidade e que as pessoas queiram se destacar sobre as demais? É o que parece acontecer na Itália, um país onde a cultura da imagem é muito presente, segundo o sociólogo Simone Carlo.

“No Instagram, existem as mesmas compulsões vistas na sociedade: divertir-se, mostrar-se, receber a aprovação dos demais. São comportamentos que estão presentes desde sempre na sociedade italiana”, explicou à AFP o professor universitário milanês, especialista em relações sociais online, embora este fenômeno não seja exclusivo da Itália.

“Nos meios digitais, se dá a ideia de falar de nós mesmos, de fazê-lo para satisfazer o próprio ego”, acrescentou André Mondoux, sociólogo canadense e professor da Universidade de Quebec em Montreal (UQAM).

O mal-estar aparece quando “a atenção que recebemos diminui” e o usuário perde esse “tempo de deleite viciante”.

“Acabar com seguidores falsos”

Em 2017, um estudo da Royal Society for Public Health classificava o Instagram como a pior rede social para a saúde mental dos jovens no Reino Unido de acordo com 14 critérios, como a percepção de si próprio, a ansiedade e o assédio.

Mas, embora os “likes” desapareçam, o mesmo não ocorrerá com as fotos – às vezes retocadas e cheias de filtros – de uma falsa realidade socialmente perfeita.

Essena O’Neill, uma influenciadora australiana, denunciou em 2015 os enganos e as manipulações das fotos que publicou na rede e deu conta do mal-estar que sentiu reescrevendo todas as legendas para contar a história de cada um dos cliques.

Os sociólogos contatados pela AFP se mostraram divididos sobre os efeitos que as medidas tomadas pela plataforma podem ter.

Para Simone Carlo, deixar de se concentrar nos “likes” pode melhorar o bem-estar dos internautas, mas “ao mesmo tempo, a aprovação popular continuará disponível para quem desejar”.

Andre Mondoux não vê que isto vá representar uma grande mudança para o usuário médio, mas considera que a motivação da plataforma provavelmente seja combater os “falsos ‘likes'” comprados para aumentar a popularidade de alguns influenciadores.

O objetivo do Instagram é fazer frente à “economia da microinfluência”, acrescentou Laurence Allard, professora da Universidade de Lille e da de Paris 3.

“Queremos moralizar este negócio dos pequenos ‘influencers’, acabar com os seguidores falsos e com todo um conjunto de práticas e de atores relacionados a eles, mas aos quais o Instagram não é capaz de controlar”, acrescentou a socióloga, especialista em costumes no meio digital.

Assim, Allard entrevê o fim da guerra entre “influencers”, mas ao mesmo tempo prevê “uma mudança na unidade de medida da popularidade”, que poderia se basear, por exemplo, nos “emoticons em forma de coração, deixados nos comentários ou no número total de comentários”.

Universa – UOL, com AFP

 

Conselho passa a considerar plataformas digitais, entre elas Google e Facebook, como veículos de mídia

Google Foto: Justin Sullivan / Bloomberg

Uma resolução aprovada nesta terça-feira pelo Conselho Executivo das Normas Padrão (Cenp) — órgão que engloba entidades como a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e define regras comerciais para o mercado publicitário — passa a considerar plataformas digitais on-line como veículos de comunicação.

Na resolução, publicada no site da entidade, são reconhecidas como “veículos de divulgação ou comunicação (…)” as seguintes categorias: Internet-busca, Internet-social, Internet-vídeo, Internet-áudio e Internet-display, remetendo a plataformas on-line como Google, Facebook, YouTube, Instagram e afins.

O texto da resolução afirma que a nova classificação é feita “sem prejuízo do reconhecimento consagrado (…) quanto aos veículos de divulgação ou comunicação existentes”, e diz que ela se justifica devido à “identificação dos veículos surgidos em consequência do desenvolvimento tecnológico”.

Em comunicado enviado ao GLOBO, o presidente do Cenp, Caio Barsotti, diz que a instituição viu esse “indicador como mais preciso para definir o elenco mínimo de recursos técnicos de serviços de informações de mídia”.

“Com esta resolução, o Cenp poderá esclarecer, se questionado, se determinada empresa é ou não veículo de divulgação nos termos da lei 4680/65”, na qual o texto se baseia, diz Caio.

O objetivo da decisão é reforçar o modelo publicitário do país, explica o executivo. “As novas referências tornam mais transparente e flexível o relacionamento entre anunciantes e agências, promovendo o compliance às normas-padrão e leis federais”, esclarece.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Até o arcaico Cenp admite oficialmente que a "velha imprensa" (aquela cheia de vícios e afeita à carteirada, desde os tempos de Gutenberg) enfim capitulou.
    Alguma dúvida?

Viúva perde herança milionária após provas colhidas no Instagram

Fotos compartilhadas no Instagram serviram como prova em batalha judicial pela herança de Johnny Hallyday — Foto: Foto: Nicolly Vimercate/TechTudo

Uma polêmica envolvendo o Instagram causou uma reviravolta no julgamento do processo de herança do cantor francês Johnny Hallyday na última terça (29). Isso porque, usando as fotos publicadas pelo roqueiro na rede social, os filhos dos primeiros casamentos do astro, David Hallyday e Laura Smet, conseguiram derrotar a viúva do pai, Laeticia Hallyday, e ganharam direito a partilhar a herança milionária deixada por ele, de acordo com o The New York Times.

Hallyday tinha 74 anos quando morreu, vítima de um câncer de pulmão, no ano de 2017. O cantor deixou dois testamentos em um cofre e, em um deles, nomeou a esposa como única herdeira de uma fortuna avaliada em dezenas de milhões de dólares. Acontece que a lei francesa proíbe que filhos sejam excluídos da herança dos pais. Para ter acesso aos bens, David e Laura tiveram que provar que o pai passou a maior parte da vida na França e não nos Estados Unidos, como alegava Laeticia.

Durante cinco anos, o cantor postou em seu Instagram fotos profissionais e pessoais, mostrando para os fãs um pouco da sua rotina. Com base no perfil do pai, David montou um gráfico dos locais frequentados por ele e a madrasta entre 2012 e 2017. O levantamento mostrou que em 2015, por exemplo, o casal passou 151 dias na França. Em 2016, foram 168 dias. Em resumo, Johnny Hallyday permaneceu oito meses sem interrupção no país.

Já a viúva alegou que o astro se estabeleceu em Los Angeles no ano de 2007 e ganhou um green card em 2014. Ela disse ainda que o marido era fã de Elvis Presley e amante da cultura americana. Na disputa, o tribunal aceitou os argumentos apresentados pela defesa de David e Laura e considerou que os filhos deveriam ter acesso à herança deixada pelo pai. Laeticia, porém, planeja recorrer da decisão que ordenaria a partilha de direitos autorais de mais mil músicas e de propriedades na França, na ilha francesa de St. Barthélémy, no Caribe e na Califórnia.

Confira outras polêmicas envolvendo redes sociais

Com a popularidade das redes sociais, não são raros casos polêmicos envolvendo usuários. Relembre alguns que marcaram e ganharam repercussão no Brasil e no mundo.

Bloqueio do WhatsApp em 2016

Em 2016, o WhatsApp ficou fora do ar por 24 horas por determinação da Justiça de Sergipe. O bloqueio aconteceu porque a empresa se recusou a quebrar o sigilo de usuários, não fornecendo informações úteis para uma investigação criminal. Em 2015, o app já havia ficado 48 horas sem funcionar no Brasil também por problemas com a justiça, com base no Marco Civil da Internet.

Prisão do vice-presidente do Facebook na América Latina

Também em 2016, o vice-presidente do Facebook na América Latina, Diego Jorge Dzodan, foi preso. Posteriormente, a Justiça Federal abriu um processo contra o argentino por desobediência de ordem judicial após a empresa continuar se recusando a abrir os dados de usuários do WhatsApp para a Polícia Federal.

Limite de encaminhamento de mensagens

A grande quantidade de ‘fake news’ compartilhadas no WhatsApp causou mais de 20 mortes e inúmeros episódios de agressão na Índia, onde mais de 200 milhões de pessoas usavam o app em 2018. Diante disso, a empresa limitou o número de compartilhamento de conteúdo no país passando de 20 para 5 pessoas.

Cambrigde Analytica

Em 2018, os dados de cerca de 50 milhões de usuários do Facebook vazaram para a empresa de marketing político Cambrigde Analytica. As informações foram coletadas de forma ilegal após um número revelante de pessoas receber dinheiro para responder uma pesquisa e permitir que as informações fossem usadas para fins acadêmicos.

O problema foi que o aplicativo coletou mais informações do que o autorizado, não apenas dos entrevistados como também de perfis de amigos destes usuários. Os dados foram usados para abastecer um sistema de favorecimento da campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos nas eleições de 2016. Para isso, foram distribuídas de propagandas políticas compatíveis com a personalidade do usuário.

Globo, via Techtudo e The New York Times

 

 

“VIDA PERFEITA”: Instagram é a rede social mais nociva à saúde mental, diz estudo

Foto: (jakubzak/iStock)

Sabe aquele baixo astral que dá quando você fica muito tempo nas redes sociais? Não é só com você. Além do tempo perdido, as horas conectado também afetam nossa saúde mental. A coisa funciona como uma droga, afinal: quanto mais tempo você passa diante do celular ou do computador, mais tempo você quer ficar.

A metáfora não é em vão. Redes sociais são mais viciantes que álcool e cigarro – é o que diz a pesquisa realizada pela instituição de saúde pública do Reino Unido, Royal Society for Public Health, em parceria com o Movimento de Saúde Jovem. E, dentre elas, o Instagram foi avaliado como a mais prejudicial à mente dos jovens.

Os resultados mostram que 90% das pessoas entre 14 e 24 anos usam redes sociais – mais do que qualquer outro grupo etário, o que os torna ainda mais vulneráveis a seus efeitos colaterais. Ao mesmo tempo, as taxas de ansiedade e depressão nessa parcela da população aumentaram 70% nos últimos 25 anos. Os jovens avaliados estão ansiosos, deprimidos, com a autoestima baixa, sem sono, e a razão disso tudo pode estar na palma das mãos deles: nas redes sociais, justamente.

Ao longo da pesquisa, 1.479 indivíduos entre 14 e 24 anos tiveram que ranquear o quanto as principais redes (Youtube, Instagram, Twitter e Snapchat) influenciavam seu sentimento de comunidade, bem-estar, ansiedade e solidão.

O estudo mostrou que o compartilhamento de fotos pelo Instagram impacta negativamente o sono, a autoimagem e a aumenta o medo dos jovens de ficar por fora dos acontecimentos e tendências (FOMO, fear of missing out). Segundo a pesquisa, o site menos nocivo é o YouTube, seguido do Twitter. Facebook e Snapchat ficaram em terceira e quarta posição, respectivamente.

Apesar do Youtube ser um dos sites que mais deixam os jovens acordados até altas horas, o site foi avaliado como o que menos prejudicou o bem-estar dos participantes. Instagram, em contrapartida, recebeu mais da metade das avaliações negativas. Sete em cada 10 voluntários disseram que o app fez com que eles se sentissem pior em relação à própria autoimagem. Entre as meninas, o efeito Instagram foi ainda mais devastador: nove em cada 10 se sentem infelizes com seus corpos e pensam em mudar a própria aparência, cogitando, inclusive, procedimentos cirúrgicos.

O Snapchat também não foi tão animador. O app de mensagens multimídia instantânea teve os piores resultados: é o que contribui para privação de sono e o sentimento de ficar por fora (FOMO). Muitos jovens destacaram o fato de sofrerem bullying nas redes sociais, sendo o Facebook o pior neste quesito – dois terços dos entrevistados acreditam que a rede de Zuckerberg deixa o cyber-bullying ainda mais cruel.

A “vida perfeita” compartilhada nas redes sociais faz com que os jovens desenvolvam expectativas irreais sobre suas próprias vivências. Não à toa, esse perfeccionismo atrelado à baixa autoestima pode desencadear sérios problemas de ansiedade. Os pesquisadores advertem: os usuários que passam mais que duas horas diárias conectados em mídias sociais são mais propensos a desenvolverem distúrbios de saúde mental, como estresse psicossocial.

As autoridades de saúde que realizaram o estudo pedem que as plataformas mandem mensagens e alertas para prevenir o uso descontrolado das redes e criem ícones especiais para indicar quando as fotos forem editadas, prevenindo assim que as pessoas se sintam mal em relação a sua aparência.

Os cientistas também sugerem que as redes auxiliem a identificar sinais de que os usuários estão passando por problemas de saúde mental através do conteúdo publicado e que ofereçam algum tipo de suporte emocional a essas pessoas.

“As plataformas que supostamente ajudam os jovens a se conectarem podem estar alimentando uma crise de saúde mental “, afirmou a Royal Society for Public Heath, na divulgação dos resultados da pesquisa.

Após a publicação desta matéria, o Instagram se posicionou dizendo que sua prioridade é fazer da rede um lugar seguro e de apoio, onde todos se sintam confortáveis para se expressarem: “Queremos que as pessoas que precisam lidar com problemas de saúde mental possam encontrar no Instagram o apoio necessário a qualquer momento. Por isso, trabalhamos em parceria com especialistas para disponibilizar as ferramentas e informações necessárias para que as pessoas saibam como denunciar conteúdo, obter apoio para um amigo que está precisando ou entrar em contato diretamente com um especialista para pedir conselhos sobre uma questão com a qual eles estejam lidando”, afirma Michelle Napchan, Líder de Políticas Públicas do Instagram na Europa, onde o estudo foi realizado.

Super Interessante

 

POLÊMICA: Instagram começa os testes para esconder os likes das postagens

Foto: Pixabay

Os rumores de que o Instagram estaria com planos para esconder o número de curtidas das postagens começaram a circula na internet há algumas semanas. Desta vez, o boato foi confirmado e, realmente, a rede social tem planos de tornar as interações com fotos e vídeos uma informação privada.

Os testes começam no próximo fim de semana entre os usuários do Canadá, segundo chefe do Instagram Adam Mosseri, em palestra no F8, conferência anual do Facebook para profissionais de tecnologia.

“Os canadenses são experientes em tecnologia e redes sociais, com mais de 24 milhões de pessoas conectadas por mês. Queríamos testar isso com um público digitalmente experiente que tem uma comunidade próspera no Instagram” disse um porta-voz da empresa ao site TechCrunch.

Com a atualização da plataforma, somente o administrador da conta terá acesso ao número de interação de um post. O motivo de ocultar essa informação seria incentivar curtidas em fotos e vídeos conforme os interesses de cada um e não porque são populares.

O Instagram também anunciou um novo recurso para combater o bullying. A plataforma irá alertar o usuário que estiver prestes a fazer um post que tem potencial de ofender alguém.

As próximas atualizações ainda devem incluir um recurso para incentivar a gastar menos horas do dia navegando pelo feed e ajustes de configuração para decidir que tipo de interação um seguidor pode ter com os post do perfil.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eita Porra! disse:

    Isso dará uma pancada graaande nos Influencer's Digitais.

Bolsonaro divulga no Instagram sua FOTO oficial como presidente da República

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Foto oficial para o cargo de 38• Presidente da República Federativa do Brasil! ??

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) em

Jair Bolsonaro divulgou nesta quinta-feira(10), no Instagram, sua foto oficial como presidente da República.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Felipe disse:

    Anderson, isso eram só esmolas, seria como vc me desse 1.000 reais para algo quando por trás disso estava recebendo um milhão, como uma mãe que recebe 20 mil de pensão para o filho e gasta 2 mil com ele e fica com 18 mil pra ela……entendeu ? Agora que o PT saiu do poder vc vai ver a quantidade de dinheiro que foi roubada pelo PT, isso pq logo depois que o candidato deles perdeu e eles ainda estavam nos órgãos públicos, correram lá e destruíram 70% das provas, então os grandes desvios que vc vai ver os próximos dias é só o que eles não conseguiram apagar. O Brasil é grande, arrecada muito e não precisa de dinheiro se esse for empregado de forma correta. O partido que ficou no poder durante esses anos todos queria sucatear a policia, emponderar os bandidos, acabar com as normas para que aqui virasse uma nova Venezuela. Eu também era PT até descobrir que eles faiam parte de uma grande organização criminosa.

    • Amo os Minions disse:

      Só PT roubou nesse Brasil, os demais partidos como PP (que foi partido do presidente), (P)MDB, PFL (DEM) dentre outros são idôneos assim como a ditadura (governo militar para os Minions) foi. Enfim a ilusão hoje é dizer que só PT roubou. Reconheçam que a corrupção é cultural e muitos que a criticam hoje se beneficiam do jeitinho brasileiro de corromper.

    • Felipe disse:

      PRIMEIRA SEMANA DE GOVERNO

      Solta Resumo:

      Redução de 39 para 22 ministérios do governo

      BNDES devolverá R$ 100 bilhões ao Tesouro + 6 Bilhões/mês daqui até 2022, praticamente zerando o déficit do orçamento 2019 criminosamente aprovado por Temer+Congresso em Agosto/2018. É a primeira vez em 20 anos que o Orçamento anual sairá do vermelho!

      Desvendada a manobra do PT no Ceará

      Caixas pretas de instituições financeiras (BB/CEF/BNDES e seus Fundos de Investimento Previ/Postalis, etc) sendo investigadas

      Caixas pretas do sistema 'S' sendo abertas (SESI/SESC/SEST) mostrando a montanha de ? dado a jornalistas da Globo por "palestras".

      Contrato absurdo de 44,9 milhões sem licitação foi barrado pela Ministra Damaris.

      Contrato absurdo de locação de caminhonetes para o IBAMA de mais de 20x o valor de mercado barrado pelo Ministro Ricardo Salles.

      Lava Jato chegará aos estados e municípios segundo Moro

      Justiça aceita denúncia para classificar PT como facção criminosa

      Globo recua e 'manda' Faustão se arrepender e corta 3 programas esquerdistas de sua programação por baixa audiência.

      Corte de verbas de publicidade para emissoras é anunciado e será democratizado.

      Corte de R$ 2,5 Bilhões de verbas da CEF (? meu e seu) para publicidade em times de futebol e estádios é anunciado.

      Congresso sendo 'despetizado' em 320 cargos comissionados.

      Ministro Onyx Lorenzoni da Casa Civil anuncia corte de mais de 300 cargos no Palácio do Planalto.

      Vice-Presidente General Mourão corta 80 de seus 145 assessores. Queria cortar 115 mas a legislação não permitia menos do que 65 assessores.

      Campanha publicitária do novo governo é lançada p/ web e economiza 1 mi e meio aos cofres públicos

      Governador eleito Zema de Minas Gerais manda p/ o espaço 6.000 petistas comissionados

      Governador eleito Ronaldo Caiado de Goiás manda para o espaço mais de 5.000 PTralhas comissionados.

      Início das descobertas de rombo e fraudes do 'bolsa família': mais de 580 mil cadastros voluntariamente renunciam ao "benefício", tirando mais de 2 milhões de brasileiros da miséria plena.

      Mais de duas dezenas de Chefes de facções do Ceará sendo transferidos para presídios federais

      Após apreensão de celulares e TVs em Presídios do Ceará, o novo Secretário do Sistema Prisional vai mandar tirar todas as tomadas de energia das celas

      CE tem menor nº de ataques em 5 dias; mais 200 homens reforçarão segurança

      Rio, bandidos com fuzis sendo abatidos após assinatura de Decreto autorizando abates.

      Crédito habitacional da classe baixa e média será maior, informa CEF

      Governo deve publicar esta semana MP para revisar benefícios fraudulentos e fechar gargalos da Previdência

      Direitos LGBT sendo mantidos e estarão sob a responsabilidade de uma diretoria vinculada à Secretaria Nacional de Proteção Global

      MEC sem Secretária da Diversidade, e iniciando o fim do Marxismo Cultural nas escolas,e ensino sem doutrinação

      Ongs agora serão avaliadas e monitoradas pelo Gen. Santos Cruz. O mesmo General também analisará pessoalmente os pedidos de verbas de emendas dos parlamentares para ver a pertinência e conferir valores, evitando esquemas de corrupção de parlamentares e municípios.

      Corte de verbas para carnaval, paradas gays, clubes de futebo e outros temas que deverão ser custeados por recursos de empresas e interessados.

      Ministério da Infraestrutura absorve Ministério dos Transportes. Ministro Teixeira de Freitas extinguirá as agências ANTT e a ANTAQ para enxugar centenas de cargos e autarquias e gerar cerca de R$ 500 milhões de economia ao erário.

      Funai proibida de demarcar terras até verificação completa dos atos feitos nos governos anteriores.

      Da mesma maneira, Reforma Agrária e "festa" das cessões de terras para o MST interrompidas até verificação completa dos atos dos governos anteriores.

      Extinção da Justiça do Trabalho já começa a ser estudada, acabando com um enorme cabide de milhares de empregos sa cumpanheirada PTralha.

      Aprovação ao novo governo sobre para 76 por cento somente na primeira semana !!!!!!!!!!

  2. Darwin disse:

    Ta preso, BABACA!!!

  3. José disse:

    Tomara que saia da presidência enfartado e com câncer

  4. Barreto disse:

    Deus abençoe o nosso presidente e o povo brasileiro,a era PT passou estamos em nova era com Bolsonaro vamos aceitar e torcer pra dar tudo certo.

    • Augusto disse:

      Se vc for patrão, entendo o seu argumento. Se for empregado, sugiro que abra os olhos

  5. paulo martins disse:

    Vai entrar para a história como presidente três-oitão.

    • Roberto disse:

      Melhor que ser PTralhas e luladrão

    • paulo disse:

      Os bandidos agora sabem que poderão levar um tiro na testa, pois o Cidadão foi proibido pelos LADRÕES que estavam governando a Nação Brasileira apesar do referendo ter confirmado o sim pelo não desarmamento.

  6. Osvaldo Delgado disse:

    Aceita que doi menos.

  7. Anderson Kauã disse:

    Na 38ª o Brasil deu uma fraquejada

    • Brasil é verde e amarelo disse:

      Bom era o ladrao condenado Lula

    • Ricardo Eu disse:

      Vdd Anderson…os 35° a 37° taão contudo… se não estão presos ainda vão ser… vlw

    • Ric disse:

      Depois do exemplo dos três últimos, 1 na cadeia e os outros 2 a qualquer momento estarão também, ele tem que ter cuidado ou vai ter o mesmo fim.

    • Anderson Kauã disse:

      Casa própria, emprego, viagem de avião, universidade, programas sociais. Fies, prouni, ciências sem fronteiras,minha casa minha vida, fome zero, farmácia popular, agricultura familiar, mais medicos, sisu, samu, luz pra todos, bolsa família, brasil sem miseria, brasil sorridente, pac, etc etc etc… cansa falar mal de Lula kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Novo recurso do Instagram permite a usuário publicar stories para grupos menores

O Instagram anunciou nesta sexta-feira o lançamento de uma nova função chamada de “Close Friends” ou “Amigos Próximos”, permitindo usuários compartilharem seus stories com grupos menores de pessoas.Lançado em 2016, o stories permite a publicação de fotos e vídeos personalizados que ficam disponível por 24 horas.

O novo recurso, que irá aparecer no perfil do usuário no menu lateral, permite que os mais de 1 bilhão de usuários da rede criem grupos menores de amigos e compartilhem seus stories exclusivamente com estes grupos.

“Se você está na lista de amigos próximos de alguém, você verá um anel verde em torno da foto da pessoa na seção de stories e um distintivo verde quando você estiver visualizando os stories”, disse o Instagram.

O Facebook tem se focado no Instagram, seu gerador de receitas que cresce mais rapidamente, enquanto a principal plataforma de redes sociais da companhia tem sido cobrada por reguladores para aprimorar garantias de segurança de privacidade, combater o vício em redes sociais e conter disseminação de informações mentirosas.

Em outubro, o Instagram nomeou Adam Mosseri, que há muito ocupava cargos na empresa, como diretor do aplicativo de compartilhamento de fotos, após a saída dos co-fundadores Kevin Systrom e Mike Krieger.

A rival Snap, proprietária do Snapchat, que enfrenta dura competição do Instagram, está redesenhando o aplicativo para trazer mais usuários e anunciantes. A Snap também recebeu 250 milhões de dólares de investimento do príncipe Saudita Alwaleed bin Talal enquanto a plataforma migra para um modelo de serviço pessoal para anunciantes.

Folha de SP, com Reuters

 

Bug de segurança expôs acidentalmente as senhas de usuários do Instagram

(Foto: Montagem/Olhar Digital)

O Instagram notificou alguns de seus usuários de que a suas senhas podem ter sido expostas devido a um bug de segurança. O vazamento foi causado por uma ferramenta, lançada em abril deste ano, que permite aos usuários fazer o download de uma cópia de seus dados e que foi desenvolvida para atender aos requisitos da GDPR, a lei da União Europeia que trata da proteção de dados do usuário. As informações são do site The Information.

Segundo a página, alguns usuários que utilizaram este recurso de privacidade – chamado de Download your data – tinham suas senhas incluídas na URL de seu navegador web e esses dados ainda eram armazenados nos servidores do Facebook – controladora do Instagram, como bem sabemos. A The Information consultou um pesquisador de segurança, que afirmou que esse bug só seria possível se o Instagram armazenasse suas senhas em textos simples, o que poderia ser um problema de segurança ainda maior e mais preocupante.

No entanto, um porta-voz da rede social afirmou que a falha em questão “foi descoberta internamente, já foi corrigida e atingiu um número muito pequeno de usuários”. A empresa ainda enviou uma mensagem aos perfis afetados, recomendando a troca imediata de suas senhas.

Olhar Digital

Fingir que está morto vira nova moda no Instagram; entenda

Simular a própria morte é a nova mania entre os jovens no Instagram. De acordo com o site norte-americano Engadget, está se tornando comum que usuários peçam a seguidores de outros perfis que comentem em sua última foto como se tivessem falecido, usando a sigla RIP (Rest in Peace, que significa “Descanse em paz”, em livre tradução).

O objetivo dessa “brincadeira” seria nada menos do que ganhar curtidas e se tornar mais popular na rede social. O pioneiro teria sido o jovem de 15 anos Ahmed Simrin, que graças à pegadinha conseguiu 22 mil comentários e quatro mil likes em uma só foto.

Simrin achou que seria divertido pregar uma peça nos outros e passou a comentar em dezenas de perfis famosos na plataforma, pedindo para que as pessoas escrevessem R.I.P. em seu último post. O texto dizia: “Olá, pessoal, vocês podem comentar RIP na minha foto porque eu quero que minha namorada pense que eu estou morto. Minha família e eu nos mudamos recentemente e ela quer manter o relacionamento. Eu quero muito superar isso, nós tínhamos uma relação tóxica”.

A brincadeira do jovem se tornou viral e ganhou um meme no Twitter. Um dos tuítes com a reprodução do comentário teve 300 mil likes e 150 mil retuítes. O adolescente disse ao Engadget que, entre 24 e 30 de agosto, seu perfil foi visitado 316 mil vezes. A ideia teria surgido de repente, como uma forma de fazer algo diferente do que já existia na web. “Eu decidi fazer isso porque ‘por que não tentar [e] fazer algo novo no qual [você] pode se entreter?’ Pessoas ficam famosas do nada nos dias de hoje”, disse explicando sua motivação ao site.

Publicação de jovem no Instagram tornou-se viral — Foto: Reprodução/Instagram

Desafios na web e fama

O sucesso de Simrin chamou a atenção de outras pessoas que desejam a fama repentina na Internet. Por isso, a “pegadinha” passou a ser copiada por outros usuários, que postam o mesmo texto (ou uma variação dele) nos comentários de contas de webcelebridades, uma vez que é maior a chance de ser visto e, assim, de obter êxito. Ao acessar os últimos posts de perfis com o da socialite Kim Kardashian ou do rapper Drake, é possível se deparar com textos do gênero.

Engana-se quem pensa que são somente os adolescentes que aderiram à brincadeira. Há diversas pessoas na faixa dos 20 ou 30 anos que tentam pegar carona na nova moda. De acordo com o professor de Comunicação e diretor-fundador do Stanford Social Media Lab, Jeff Hancock, conteúdos do gênero se popularizam devido à “estranheza psicológica humana”. Ele afirma que esse tipo de humor doentio é inerente ao ser humano e sempre existiu. “A emoção negativa chama muito mais a atenção, e [fazer] pensar que alguém morreu é o mais negativo que se pode ir”, explicou ao site americano.

A professora clínica de comunicação da USC Annenberg, Karen North, esclareceu ao Engadget por que as pessoas são capazes de pregar a peça sem pensar nas consequências: “Como elas não estão na vida real… cara a cara com quem pode ficar triste, horrorizado ou chocado [com a suposta morte], as pessoas participam da brincadeira sem considerar o fato de que alguém pode ficar chateado, ressentido ou psicologicamente afetado pela notícia do falecimento”.

O Instagram já agiu e baniu uma das publicações de Simrin, segundo prints inclusos na matéria do Engadget de Stories postados pelo próprio jovem. A rede social justifica a ação por desrespeito às Diretrizes da Comunidade, alegando que a foto incita violência ou discriminação de religião e etnia, e ilustra ameaças de dano físico ou financeiro, roubo e vandalismo.

Jovem ironiza ação do Instagram de banir post — Foto: Reprodução/Instagram

Globo e Techtudo, via Engadget

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silvia disse:

    Coisa da beócios

  2. Urlan disse:

    Essas redes sociais são um valhacouto de idiotas. Vão comer gente e tomar cachaça seus otários.

Fotos de mulheres usando ‘sutiãs’ de frutas viralizam no Instagram

Não, você não leu errado. A nova tendência das redes sociais é chamada de “pineapple boobs” ou “fruit bra” — algo como “seios de abacaxi” e ” sutiã de frutas”, em português. Essa ideia consiste em, basicamente, publicar fotos cobrindo os seios com frutas, em especial, o abacaxi . E, acredite, muita gente está aderindo à essa moda.

Reprodução/Instagram/almastrobaek. A tendência chamada de ‘pineapple boobs’ é, basicamente, publicar fotos usando abacaxis ou outras frutas como ‘sutiã’

Apesar de boa parte das mulheres que entraram na onda de publicar as fotos estarem usando abacaxis, essa não é a única fruta escolhida para fazer parte da tendência. Na falta deles, também aparecem sutiãs improvisados com outras frutas, que vão desde cocos, mamões, abacates, melancias e até mesmo bananas.

Boa parte das mulheres que compartilham seus “sutiãs” com as hashtags #pineappleboobs e #fruitbra estão na praia e usando biquíni. E, se antes o que estava fazendo sucesso entre as roupas de banho era usar o ” upsidown biquini “, ou seja, usar a parte de cima do biquíni de cabeça para baixo , agora é fazer uma verdadeira ressignificação das frutas.

Construindo essa tendência, estão modelos como Valentina Fradegrada, que costuma sempre inovar na forma de usar os biquínis, e Sophie Kasaei, que decidiu ir além e usar as frutas para compor todas as peças da roupa de banho. Até alguns homens decidiram entrar na brincadeira para mostrar que as frutas podem, sim, ser úteis para muitos propósitos — inclusive, diversão. Confira algumas ideias:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

?? @fashionnova

Uma publicação compartilhada por Valentina Fradegrada (@valentinafradegrada) em

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

3 of my 5 a day ?? ?

Uma publicação compartilhada por Sophie Kasaei (@sophiekasaei_) em

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Eat your pineapples. #pineappleboobs #pineapples #fruit #fruits #eatyourfruits #seaside #sea #sunset #seasidesunsets #instadaily #pictureoftheday #healthyfood #smile #vacation?

Uma publicação compartilhada por ?? ?? (@rochwene) em

Conta no Instagram dedicada às fotos dos ‘fruit bras’

Reprodução/Instagram/fruitbra. Os ‘pineapple boobs’ ganharam até uma conta no Instagram para compartilhar fotos de mulheres que aderiram à moda

Apesar de ser algo que está chamando bastante atenção agora, os “sutiãs de fruta” não são algo recente. No fim de 2017, surgiu uma conta no Instagram dedicada à compartilhar imagens de internautas que seguem essa tendência. As imagens geralmente são enviadas por mulheres, que decidiram entrar de cabeça nessa moda e marcar a página para ter a foto publicada nas redes.

A grande popularidade dessa tendência com as fotos dos sutiãs improvisados se dá, principalmente, porque em boa parte dos países do hemisfério norte ainda é verão e as pessoas estão aproveitando as praias. Aqui no Brasil, essa ideia ainda não é tão conhecida, mas será que com a chegada dos dias quentes a moda pega por aqui?

Delas – IG

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rflamas disse:

    Bom de mais. Come as frutas e …

  2. Boca de Feno disse:

    Vou faser uma photo açim

Como cancelar o envio de uma mensagem no Instagram; Direct tem opção de apagar sem avisar ao destinatário

O Instagram permite que usuários deletem uma mensagem após o envio para um amigo ou grupo via direct. Disponível no iPhone (iOS) e na versão para Android do aplicativo, o recurso é similar ao do WhatsApp e é ideal para quem se arrependeu de enviar uma mensagem comprometedora. Serve também para corrigir possíveis erros sem que a pessoa perceba. A ação não deixa nenhum rastro ou avisos para nenhum dos participantes da conversa.

Ao contrário do que acontece em outros apps como o WhatsApp, a opção para deletar a mensagem está sempre disponível, inclusive, mesmo após a pessoa ter visualizado a conversa. Ou seja, não há um prazo para apagar mensagens após o envio. Confira como deletar mensagens enviadas para amigos ou grupos no Instagram Direct.

Passo 1. Abra o Instagram e toque no ícone de Direct localizado no canto superior direito da tela. Em seguida, acesse uma de suas conversas;

Ação para acessar uma conversa no Instagram (Foto: Reprodução/Marvin Costa)

Passo 2. Mantenha a mensagem a ser deletada pressionada e escolha a opção “Cancelar envio”;

Ação para cancelar o envio de uma mensagem no Instagram Direct (Foto: Reprodução/Marvin Costa)

Passo 3. A ação não deixa nenhum rastro no chat, como na mensagem que apresentamos abaixo.

Mensagem apagada em uma conversa do Instagram Direct (Foto: Reprodução/Marvin Costa)

Use a dica para deletar qualquer mensagem que tenha enviado para um contato no Instagram Direct.

Globo, via Techtudo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. suanny disse:

    Deixou rastro sim e me dei mal