Esporte

Adolescente de 15 anos fica tetraplégico durante luta em campenato de Jiu-jitsu

golpe-de-jiujitusuUm garoto de 15 anos ficou tetraplégico no Espírito Santo após sofrer um golpe durante luta em um campeonato de jiu-jitsu. A luta ocorreu no dia 4 de agosto e o jovem, de nome Gabriel, segue internado em um hospital de Vila Velha.

Gabriel lutava contra um rapaz de 20 anos, da categoria adulta – ele está na categoria juvenil. A Federação de Jiu-Jitsu do Espírito Santo (FEJJES) permitia os combates entre atletas de categorias diferentes até o caso ocorrer. Segundo Agnaldo Góes, presidente do órgão, a partir de agora esses combates serão proibidos.

O jovem ficou de cabeça para baixo durante ação do adversário e caiu por cima do pescoço – na hora, quebrou duas vértebras próximas do pescoço e sofreu uma lesão grave na medula, perdendo o movimentos dos braços e pernas.

Ele passou por duas cirurgias. Os médicos que cuidam do caso afirmaram que não é possível saber se ele poderá voltar a andar. Em vídeo divulgado na internet, o garoto mostrou esperança em voltara lutar: “Tomara que consiga logo uma vaga para fazer a reabilitação e possa voltar aos tatames”, disse, com dificuldades na fala.

Para Góes, o fator determinante foi a força do adversário mais velho. “Houve muita força, ele é muito mais forte. É um homem formado e o Gabriel é um garoto em formação. O rapaz mais velho trabalha em obra, lavoura”.

Ele explicou que a opção de Gabriel por lutar entre os adultos foi feita já na etapa anterior do campeonato estadual, quando não teve adversários no juvenil e ficou em 2° no adulto. “Alguns do juvenil já lutam no adulto e têm obtidos resultados. Na primeira etapa, ele entrou no juvenil e não teve competidor, e ficou em segundo no adulto. Agora entrou direto no adulto e na semifinal infelizmente isso ocorreu”, declarou .

O primo de Gabriel, Pablo Fernandes, criticou a força do golpe. “Ele age de maneira extremamente excessiva, até conseguir tirar o corpo do Gabriel do chão e acontecer o choque da cabeça”, declarou.

A federação do Espírito Santo afirmou que dará ajuda financeira ao garoto lesionado. “Temos acompanhado a situação, eu fui ao hospital. Buscaremos ajuda financeira, reunindo os professores do Espírito Santo, para fazer um seminário para arrecadar ajuda”, completou Góes.

FOLHA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Atendendo à suplica, adolescente simula assalto e mata irmão tetraplégico

Um rapaz tetraplégico de 28 anos foi morto com dois tiros pelo irmão, de 22, que simulou um assalto à própria casa, em Rio Claro (a 173 quilômetros de Ssão Paulo), no sábado. O jovem confessou o crime, segundo a polícia. O crime foi planejado pelos dois a pedido da vítima, que culpava o irmão pelo acidente que o deixou tetraplégico, em 2009.

O caso foi registrado inicialmente como latrocínio (roubo seguido de morte), mas levantou suspeitas da polícia porque o suposto assaltante atirou em Geraldo Rodrigues de Oliveira, que não tinha movimentos do pescoço para baixo e não teria como reagir. O suposto ladrão ainda teria roubado R$ 800 da vítima.

Além disso, de acordo com a polícia, causou estranheza o fato de o sobrinho de Oliveira, que tem 15 anos e também estava no imóvel na hora do crime, não ter sofrido nenhuma agressão no suposto assalto.

Em depoimento à polícia, o adolescente contou que a ação foi planejada porque Geraldo afirmava que não queria mais viver. Familiares de Geraldo confirmaram à polícia que ele havia pedido a várias pessoas que o matassem. O irmão da vítima, Roberto Rodrigues de Oliveira, aceitou fazer os disparos, segundo a polícia, mas simulou o assalto para não ser responsabilizado pelo crime.

Em 22 de março de 2009, durante um racha disputado pelos irmãos, Geraldo bateu o carro e ficou tetraplégico. “Depois do acidente, ele se separou da mulher e do filho, de 8 anos, que nasceu paraplégico”, disse o investigador Álvaro Ferreira.

Segundo o investigador de polícia, Geraldo culpava Roberto, que cuidava dele na casa em que moravam com o sobrinho, pelo acidente de carro e por sua atual situação. Depois de conversar sobre o assunto com o irmão, Roberto comprou uma arma para executar o plano. Na sexta-feira passada, segundo a polícia, o rapaz voltou para casa de madrugada, chutou a porta da cozinha, anunciou o assalto e fez os disparos.

De acordo com a polícia, a mãe dos dois, que também mora na cidade, nunca soube do plano. Roberto foi encaminhado para a cadeia da cidade, onde aguardará decisão da Justiça. Ele não tem advogado, segundo o investigador.

Fonte: Jornal do Commercio

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *