Turner divide a Seleção nas Eliminatórias com a Globo; grupo norte-americano acaba com exclusividade da emissora na “última fronteira” da Copa no Qatar

Foto: Reprodução/Sportv

A última fronteira foi rompida.

Para selar de vez o fim da hegemonia da Globo no futebol brasileiro, a Seleção Brasileira deixou de ser ‘produto seu’.

Depois do duro golpe, ver a final do Carioca e a Libertadores irem para o SBT, algo que seria inconcebível anos atrás, acaba de acontecer.

A Turner, que já havia rompido, no ano passado, o privilégio que a emissora carioca mantinha em relação ao Campeonato Brasileiro, decidiu agir de novo.

E investiu nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Decidiu se associar e comprar do grupo de streaming Guigo TV, que comprou da Conmebol os mandos das partidas de oito federações como mandantes – Uruguai, Paraguai, Colômbia, Peru, Equador, Venezuela, Chile e Bolívia –, pelas duas primeiras rodadas da competição.

E a Turner terá exclusividade, na tevê, o jogo do Brasil contra o Peru, em Lima. A plataforma seguirá como ‘dona’ do jogo on line.

Só que o contrato da Guigo TV, e da Turner, não deverá se restringir às duas primeiras rodadas das Eliminatórias.

Mas à competição inteira.

Não haveria sentido o grupo bilionário norte-americano se envolver, transmitir apenas Peru e Brasil, na próxima terça-feira, e depois deixar outro grupo de comunicação comprar os outros sete jogos da Seleção fora do país.

Sim, sete.

Para deixar bem claro.

Em dificuldades financeiras, mas tentando manter a tradição, a emissora carioca dos Marinho comprou os jogos da Seleção dentro do Brasil. E também a partida fora diante da Argentina.

Como são dez países disputando as Eliminatórias Sul-Americanas, são nove partidas em casa e nove fora de cada equipe.

Argentina e Brasil é da Globo. E só. Peru e Seleção de Tite já é da Guigo TV, e da Turner.

Restam os confrontos com Uruguai, Paraguai, Bolívia, Equador, Colômbia, Chile e Venezuela todos fora do país.

São estes confrontos que a Turner também deve confirmar como seus.

A investida do grupo norte-americano consolida uma derrota da Globo no futebol.

A emissora transmite partidas do Brasil nas Eliminatórias desde 1969. Na época, eram compactos noturnos.

Ou seja, há 51 anos.

E o golpe pode ser muito maior.

A emissora carioca segue em conflito com a Fifa pelo direito de transmitir a Copa do Mundo no Qatar, em 2022.

Se a briga seguir, a Turner pode surgir como alternativa.

E transmitir o Mundial para o país.

Essa é uma situação para ser decidida em 2021.

O que existe de realidade são as Eliminatórias.

A Globo perdeu sua hegemonia da Seleção.

Por falta de dinheiro.

Ela deixa de ser um produto ‘seu’…

Cosme Rímoli – R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Soa como música este comentário, não vejo a hora dessa fábrica de fake news ir para o fundo do poço.

  2. Pixuleco disse:

    A abstinência do dinheiro fácil do Governo Federal, está levando a decadência financeira da plimplim, mas conhecida como Globolixo, pois sua decadência moral á muito tempo que já foi pro vejo.

GUERRA GLOBO X CONCORRENTE, E O TORCEDOR PREJUDICADO: Turner tem uma partida por rodada no Brasileiro; veja que jogo cada TV pode exibir, com direito a confrontos “sem transmissão”

Cinegrafista ajusta câmera antes de partida no Morumbi – Eduardo Knapp – 27.nov.2010/Folhapress

Com acordo com 7 dos 20 clubes da Série A do Brasileiro para exibição de jogos em TV fechada, a Turner (dona dos canais Esporte Interativo, TNT e Space, entre outros) poderá exibir ao menos um jogo por rodada no Campeonato Brasileiro de 2019. A tabela do torneio foi divulgada na semana passada pela CBF.

Além dos canais da Turner, o SporTV, do Grupo Globo, também exibirá jogos ao vivo na TV por assinatura. O canal, que já transmitia as partidas do torneio, terá direito a exibir uma média quatro jogos por rodada.

Isso acontece porque, para exibir uma partida, as emissoras precisam da anuência dos dois clubes que estão no confronto. Por isso, jogos que envolvem times com contratos com emissoras diferentes não podem ser exibidos.

Isso faz também com que em média um jogo por rodada não possa ser exibido por nenhuma emissora, seja de TV aberta ou fechada. Isso acontece em algumas das partidas que envolvem Athletico-PR e Palmeiras, únicos clubes que não chegaram a acordo para transmissão em TV aberta e pay-per-view com o Grupo Globo e que fecharam com a Turner na TV paga. Os jogos desses times com agremiações com contrato com o SporTV são vítimas do “apagão”.

A Globo negocia os contratos para transmissão em TV aberta e pay-per-view juntos. Por isso, os jogos com exibição nas duas plataformas são os mesmos.

No total, 52 dos 380 jogos do torneio (13,7%) não poderão ser exibidos por ninguém. O Grupo Globo detém o direito de exibição de 306 jogos na TV aberta (80,5%), enquanto seu canal na TV paga pode transmitir 156 partidas (41%). Já a Turner tem direito a 42 confrontos (11%) ao longo do campeonato.

​Confira os jogos que cada emissora tem direito de transmitir no Brasileiro:

Veja demais rodadas aqui, no fim do texto na íntegra

Folha de São Paulo