Globo anuncia volta de ‘No limite’ com ex-participantes do Big Brother Brasil

Foto: Roberto Steinberger/Memória Globo

A Rede Globo anunciou, nesta quinta-feira (25), a volta de “No limite”, sucesso da emissora entre os anos 2000 e 2009 e primeiro reality show do Brasil.

A nova edição será formada por participantes de edições anteriores do “Big Brother Brasil”. Ainda não há data para a estreia do programa.

O programa estreou em 23 de julho de 2000, baseado no reality norte-americano “Survivor”, da CBS. Os participantes eram pessoas comuns, que ficavam confinados e precisavam passar por situações extremas, com provas de resistência física e psicológica.

“No Limite” teve quatro edições: uma em 2000, duas em 2001 e a última em 2009, com episódios exibidos aos domingos.

A primeira edição reuniu 12 participantes na fictícia Praia dos Anjos, a 100 quilômetros de Fortaleza, no Ceará, durante 23 dias. Com mais de 150 mil metros quadrados de dunas, falésias, coqueirais, matas e pequenos desertos, o cenário era perfeito para as provas e aventuras.

O 1º colocado levou um prêmio de R$ 300 mil; o segundo, de R$ 50 mil; e todos os 12 participantes receberam carros 0 km.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior Play disse:

    A globo contratou Marcos Mion para apresentar o NO LIMITE e a record contratou Caio Castro para apresentar A Fazenda

  2. Jorge disse:

    Mais um banho de cultura para a população.

  3. Érick Escóssia disse:

    Uma porcaria atrás da outra.

  4. Rede Globo disse:

    Inclusive o ganhador de uma das edições foi nosso conterrâneo Capitão Rodrigo.

  5. Guerreiro disse:

    Mais um programa lixo pra enfiar na goela do povo brasileiro…. quanta falta de assunto e criatividade…. por isso o povo brasileiro é sem cultura….

Globo abre vagas de estágio para estudantes de todo o Brasil

Foto: Divulgação

Para quem sonha em trabalhar na televisão, a Globo abriu as inscrições para o Programa Estagiar e procura por estudantes de todo o Brasil.

As vagas são para diversas áreas, como criação, produção de conteúdo, jurídico, RH, financeiro e tecnologia. Nessa última, a emissora procura por estudantes para oportunidades em desenvolvimento de software, ciência de dados, UX, transmissão e sistemas.

Não há restrição de cursos ou um requisito de conhecimento de línguas. Para se inscrever, o estudantes só precisa estar cursando ensino superior, com previsão de formatura de dezembro de 2021 a julho de 2023, ou ensino técnico com um ano para a formatura. Quem for formado no ensino técnico e ainda possuir vínculo com a escola também pode se candidatar.

O estágio será realizado nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Recife (PE), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Brasília (DF).

Todo o processo seletivo será realizado online e a fase final de entrevistas será realizada até julho. No entanto, as inscrições ficam abertas até o dia 14 de março. Confira como participar no site(AQUI).

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lula encantador de otário disse:

    Os salários variam de 1.100 a 1.200 reais, a depender de seu gênero…

  2. Roque Santeiro disse:

    Atenção MPT, a Globo vai sobreviver de estagiarios. Chegou no fundo do poço, a exploração vai ser grande e o aprendizado uma onda.

  3. Frank disse:

    Paga pra fazer a inscrição desse estágio??
    Kkkkkkkk
    Capitação de grana.
    Ô véi macho da gota serena.
    Duro!!

  4. Inxô disse:

    Cumá é a história – A grobo tá atrás de Estudantes para estagiar, num acredito. O véi Bolsonaro num brinca em serviço.

  5. Salatiel disse:

    Estagiário recebe uma merreca e trabalha muito mais. Xau Grobolixo.

  6. Natalense disse:

    A mesma emissora que criou o Moro, que elegeu o presidente Bolsonaro, que está quebrando o Brasil e agravando os efeitos da pandemia na sociedade brasileira.

  7. Observador RN disse:

    Tá quebrando, estagiário é mão obra barata.

Globo ficará sem futebol às quartas-feiras até o fim de março

Foto: Ilustrativa

Até o fim de março, a Globo não vai ter futebol nas noites de quarta-feira. Nas próximas cinco semanas, a emissora vai exibir filmes e séries para preencher a lacuna dos jogos. A última rodada do Brasileirão está marcada para o dia 25 de fevereiro, uma quinta-feira à noite.

Além do calendário bastante alterado por causa da pandemia do novo coronavírus, existe uma questão comercial envolvida. E a política de exibição dos Estaduais que ainda possuem contrato com a emissora também explica a mudança.

A final da Copa do Brasil de 2020, entre Palmeiras e Grêmio, está marcada para os dias 28 de fevereiro e 7 de março — dois domingos. Isso foi pedido pela Globo por causa de um ajuste comercial. O pacote publicitário do futebol 2021 só pode começar após a final do mata-mata, que pertence ao acordo de 2020. Com isso, sem futebol às quartas e sem mostrar jogos do Estadual logo no início, a emissora não mistura seu cronograma com os anunciantes.

Na próxima quarta (17), a Globo terá uma edição mais longa do “Big Brother Brasil 21” e a sessão “Cinema Especial” com o filme “Rampage”, protagonizado por The Rock. A mesma estratégia será utilizada nas duas semanas seguintes. No dia da última rodada do Brasileirão (25), além do futebol será transmitida uma edição especial do “Segue o Jogo”, programa pós-jogo apresentado por Lucas Gutierrez.

Nas primeiras semanas de março, quando os Estaduais estiverem em suas rodadas iniciais, a Globo continuará não mostrando jogos, como já tem feito nos últimos anos, por considerar que os torneios não possuem tanto apelo junto ao telespectador. Entre os dias 3 e 17, a emissora exibirá às quartas o documentário “Em Nome de Deus”, que relata as acusações do médium João de Deus, condenado por abuso sexual.

O futebol voltará a ocupar seu dia nobre durante a semana somente em 24 de março. O jogo previsto é do Campeonato Paulista, que já estará em fase mais avançada. Sem os direitos do Campeonato Carioca, que fechou com a Record até 2022, o Paulistão será exibido em lugares onde não chegava antes — como cidades do Norte e Nordeste.

Para 2021, a Globo tem prevista a exibição do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil, da Supercopa do Brasil e de alguns Estaduais. A emissora está na briga por direitos de outros eventos, como os da Champions League, para tentar aumentar seu portfólio, que sofreu diversos desfalques nos últimos meses.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

UOL – Gabriel Vaquer

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romero Cezar da Câmara disse:

    Quem vai assitir o carioca com Flamengo sub 20 , Vasco e Botafogo times de segunda divisão. Da mais audiência o BBB. Não assisto mais que dá, dá.

  2. Aluizio disse:

    Falando futebol, vou comparar dois extremos , Lewandowski do Bayer foi eleito o melhor do mundo, e o nosso lewandowski do supremo, o pior do Brasil, meu Deus

  3. José Macedo disse:

    Falta agora outros clubes cortarem os contratos com essa globolixo para ficar tudo bem.

    • Paulo disse:

      BG
      E a formula 1????, tchau globo lixo, agora é na BAND, vão é fechar brevemente.

Tino Marcos decide encerrar trajetória como repórter e deixa a Globo após 35 anos

Foto: Arquivo Pessoal

Há 35 anos, os momentos mais relevantes da história do esporte são contados em reportagens saborosas – com texto impecável e voz agradável. O rosto do carismático autor passou a fazer parte do dia a dia das casas dos brasileiros. Suave na maior parte do tempo, mas firme e indignado quando necessário, o repórter Tino Marcos escreveu sua trajetória profissional com a mesma competência e criatividade dos seus textos para a televisão. E assim se tornou o mais importante repórter esportivo do Brasil.

Aos 58 anos, Tino Marcos decidiu que essa história chegou ao fim. Fosse jogador de futebol, o desejo dele seria parar ainda no auge, depois de conquistar um grande título. Assim fará com a reportagem. Oito Copas do Mundo. Seis Olimpíadas. Incontáveis transmissões e reportagens. Viagens pelo mundo todo. A sensação do dever cumprido e o desejo de se dedicar mais à família nortearam a decisão. Mas Tino ainda tem uma missão a cumprir até o fim do mês, quando deixa a Globo.

– Nos últimos tempos, fiquei fazendo grandes reportagens. Fiz uma série olímpica, que ficou maravilhosa, e vai ao ar no Jornal Nacional antes dos Jogos de Tóquio. Vamos explicar que foi gravada antes da pandemia. Vai ser a cereja do bolo, minha última grande produção no esporte.

Tino Marcos iniciou a carreira no Jornal dos Sports e nem planejava trabalhar em televisão. Em 1985, mudou os planos ao ser convidado para trabalhar na TV Globo. Com a seleção brasileira, Tino viveu os momentos mais marcantes da carreira. Foram 30 anos de cobertura. E quem não vai sentir saudades dos diálogos de Galvão Bueno com o repórter na beira do campo?

– Galvão!

– Diga lá, Tino!

E Tino disse mesmo. Nesta entrevista, relembra os momentos mais marcantes da carreira e revela detalhes da sua decisão. Por exemplo, como a pandemia que o mundo enfrenta acabou acelerando os planos de encerrar o ciclo como repórter.

O que te levou a tomar a decisão de parar? De deixar a Globo?

TINO MARCOS: É preciso entender o modelo de trabalho que eu vinha tendo no último ano. Eu passei a ter uma combinação de fazer grandes reportagens, grandes séries, como estava fazendo a série olímpica do Jornal Nacional. Trabalhar menos dias no ano. E estava ótimo. O modelo de trabalho que eu vinha tendo era voltado para grandes produções. E esse seguimento foi diretamente atingido pela pandemia. Ficou uma condição mais voltada para esse tipo de matéria que temos feito através da internet, com poucas coisas do que eu sempre gostei de fazer… Captar, olhar as imagens, escrever, produzir. Isso se resumiu muito. Mas me preparei para isso gradativamente. Tive a cumplicidade total da direção na condução desse tipo de modelo. Eu era um faz tudo. Fazia o ao vivo do Globo Esporte, do Bom Dia Brasil, matéria pro Jornal Nacional, Globo Repórter, Fantástico, fazia as séries, eu era muito elástico e me orgulhava muito disso. Sempre gostei e orientei os mais jovens: tenta ser rápido, fazer matéria rápida quando tem que ser rápido, simples, e também a fazer matérias com fôlego, com roteiro. Com o tempo, comecei a ficar cansado desse modelo de cobertura diária.

A pandemia ajudou a acelerar essa decisão?

TINO MARCOS: Sem dúvida. É uma variável decisiva nesse processo. Tornou inviável agora a gente fazer o que vinha fazendo. Não sei quando vamos voltar a ter a plenitude. E quando vamos voltar? Não sabemos como está o mundo. Tem todo um contexto. Minha filha se formando na faculdade, minha esposa se aposentado esse ano, eu perdi os meus pais. Tinha um envolvimento muito grande com eles e fiquei sem eles. A vida… 2021 está me trazendo muitas novidades. Por agora é isso aí. Viver essa pandemia, ficar em casa o máximo que eu posso. Eu tenho o privilégio de poder ficar em casa com as coisas direitinhas. Tanta gente com tanta dificuldade por aí. Esperar mais e olhar para as coisas… O que vem por aí, o que eu posso fazer… O que eu gosto mesmo é de produzir conteúdo, contar histórias. Adoro pegar na câmera, tenho minha câmera, meu equipamento, tripé, microfone lapela, luz, drone, eu voo de drone, estou editando.

Está produzindo um conteúdo mais autoral?

TINO MARCOS: Tenho feito mais de brincadeira, de experiência, uma coisa puramente lúdica. Mas tem tudo a ver. É brincar… Sempre gostei tanto do que fiz e minha brincadeira é isso, brincar de filmar, voar de drone, editar. São os meus hobbies. É o que eu gosto de fazer. Tem tudo a ver com o nosso ofício. Vivi muito mais do que eu projetei para mim na vida. Comecei trabalhando em jornal, trabalhei no Jornal dos Sports, nunca pensei em televisão. De repente, me vejo na Globo e fico quase 35 anos na Globo. Nesses anos todos eu fiz tudo. Não tem lacuna. Fui a Pan-Americano, Sul-Americano… Tudo. A palavra mais forte de tudo é gratidão. Gratidão à vida por ter me permitido… Por eu ter podido fazer aquilo que, para mim, sempre foi uma diversão.

Se tivesse que apontar momentos marcantes da carreira…

TINO MARCOS: O número 1 é 94. Dia 17 de julho de 1994, o tetra. Aquela história da volta olímpica, eu pulei, entrevistei os caras. O Galvão disse que era a consagração do repórter. O único cara que entrou em campo e entrevistou os tetracampeões, vinte e quatro anos depois. Era um negócio assim, uma catarse. Uma apoteose. Um brasileiro vivendo aquilo ali. Então, para mim, isso vai ser sempre o número 1. (NR: Tino Marcos entrou em campo como auxiliar do repórter cinematográfico Daniel Andrade. Naquela ocasião, o repórter de campo não poderia estar no gramado. No fim do jogo, com o microfone em punho, ele entrevistou os principais jogadores da seleção brasileira com exclusividade para a TV Globo).

A conquista de 2002 também foi um negócio imenso. Eu tinha 40 anos. No dia dos meus 40 anos foram o Felipão e o Murtosa ali. Eu já era um repórter com experiência. Aí ganha, aquela coisa maravilhosa.

As Olimpíadas de 2004 foram muito marcante para mim. Sempre fui muito associado ao futebol, Seleção e eu tive a oportunidade de fugir desse estereótipo. Em 2004, o futebol não foi, o futebol não se classificou e fui para cobrir outros esportes. Foi maravilhoso. Eu adoro vela e o Robert Scheidt e o Torben ganharam o ouro. O judô… Cobri nove medalhas. E culminou com a história do Vanderlei. Para mim, foi a grande história daqueles Jogos. Foi espetacular. Essas são lembranças grandiosas. (NR: Vanderlei Cordeiro de Lima liderava a maratona em Atenas quando foi atacado pelo padre irlandês Cornelius Horan. Salvo por um espectador, ele acabou a prova em terceiro e se ajoelhou diante de Tino Marcos para comemorar o resultado).

Mudaria alguma coisa na carreira?

TINO MARCOS: Não mudaria nada. A única coisa que eu mudaria era ter me imposto uma obrigação de falar inglês melhor. De ter investido, lá atrás, na capacitação de falar melhor inglês. Sempre me ressenti disso, foi uma coisa que me fez falta. A única coisa que eu não fiz foi ser correspondente. Deve ser maravilhoso, uma experiência sensacional. Mas nunca senti firmeza no meu inglês para tal tarefa. Foi tudo muito mais do que eu sonhei. Mais do que eu projetei para mim. Gratidão total.

O que você acha que mudou de quando você começou, lá em 1985, para os dias atuais?

TINO MARCOS: Até o aparecimento das mídias digitais, do que a gente tinha como mídias tradicionais, a televisão era o único veículo, a meu ver, que estava sempre em constante mutação. Ao passo que a linguagem de revista e jornal pode até mudar alguns termos e expressões, mas a maneira de fazer é muito parecida com a de 40 anos atrás. O rádio tem um formato que se mantém. A TV é um veículo que vem historicamente se modificando. Ela é mais dinâmica na linguagem. Eu sempre tentei surfar essa onda das novidades, sempre olhando os mais jovens. Várias gerações que foram surgindo foram incorporando recursos para contar as histórias, para fazer as matérias, cada um com uma contribuição de como fazer. Aquilo vai formando um conceito feito por essas gerações. Os mais jovens vão sinalizando como se pode contar daquele jeito. Sem perder a minha identidade, a minha naturalidade de fazer as coisas, mas sempre tendo a linguagem o mais atualizada possível. No fim das contas, a mensagem que chega, o produto que chega para a pessoa ver, seja agradável, que seja bem narrada, que seja bem escrita, que seja clara. Isso vai continuar mudando. Com a chegada da produção mais disseminada de internet, todos são produtores de conteúdo, isso já traz um impacto para a linguagem da TV. Tudo vai se fundindo e isso que é o fascinante do negócio. O negócio vai ganhando a cada dia um jeito novo. É a roda que anda.

E os piores momentos?

TINO MARCOS: Tenho dois. O pior momento, em termos de cobertura, de dor, de dificuldade para encontrar um tom na hora de contar a história, foi o 7 a 1. Sozinho no campo, ali atrás do gol, escrever uma crônica para entrar em instantes. Digerir aquilo tudo, encontrar o tom para falar de uma coisa que todo mundo já sabe o que aconteceu. Como você dimensiona? Um outro dia que me ocorre muito doído, sofrido, foi a primeira derrota do Brasil em Eliminatórias, ali em 1993, em La Paz. Lembro da cena no aeroporto, a gente voltando pro Brasil, os jogadores sentados no chão e chateados com a gente gravando. Todo mundo com dor de cabeça, sofrendo com a altitude e com uma derrota horrorosa. Foi um dia muito sofrido de trabalho.

Sem medo de esquecer alguém, quem são os seus parceiros ao longo desses quase 35 anos?

TINO MARCOS: Por mais que eu tenha feito uma carreira sólida de repórter, um contador de histórias, acho que sou mais conhecido por ter sido repórter de campo. Internamente, na Globo, eu sou mais conhecido como um repórter de reportagens. Mas tenho a impressão de que, para o público externo, se sobressai mais o Tino Marcos do campo. O Tino Marcos da Seleção Brasileira. E, nessa, realmente, é uma vida. Se eu penso em alguém como parceiro profissional eu penso no Galvão. É o cara… É uma referência nacional do negócio. Durante décadas de ouro ele se consolida como a voz do esporte com essas conquistas e eu também estava com ele. Estava nas Eliminatórias de 89, todas as edições de Copa América, fui em nove, Copas do Mundo… Sempre com o Galvão e inúmeros amistosos. É uma parceria que me orgulha muito. Um mero repórter ali ao lado de um cara que fez essa história toda.

O Galvão como narrador e você como repórter de campo praticamente se fundiram ao longo desses anos…

TINO MARCOS: Com certeza. Sempre foi um cara muito amigo em horas difíceis. Amigo mesmo. Amigo quando tive problemas. Estava sempre ao meu lado. Muito difícil falar. Foram 35 anos, muito tempo, muita gente. Os câmeras todos, o Alvinho (Álvaro Sant´Anna) e o Daniel (Daniel Andrade), sabe? Alvinho e Daniel foram os grandes parceiros de Seleção. Fizemos muitas coisas juntos. No tetra, eu estava com o Daniel. Fica entre nós, como eu diria, um anel, uma aliança, de ter vivido junto, se abraçado ali atrás da trave do Baggio. Sempre levamos juntos essa… Eu era jovem, tinha 32 anos, mas para o pessoal mais velho, eles não tinham visto o Brasil campeão. Quem cobriu 70? Era um ineditismo.

A sua ida pro jornalismo tem o incentivo do seu pai?

TINO MARCOS: Meu pai era meu parceirão de futebol. Real Madrid e Flamengo. Um cara que via futebol muito bem, um fenômeno, tipo comentarista mesmo. Via coisas, via jogador. Lembro que ele viu o João Gomes no Flamengo, não tinha nem treinado no profissional e ele dizia: esse garoto vai ser profissional um dia. O maior orgulho da vida dele foi eu ter me tornado jornalista esportivo, foi a maior alegria da existência dele. Era o que ele gostaria de ter sido. O que ele mais gostaria de ter sido. Claro que eu me beneficiei da influência dele. Desde pequeno futebol, futebol, futebol. Ele jogava futebol direto, a gente jogava peladas juntos, a gente ia ao Maracanã juntos. Meu pai não deixava de ir num jogo do Flamengo, chovendo, em Campo Grande, ele ia chovendo em Campo Grande. Louco pelo Flamengo. Forjou em mim uma visão de futebol. Por causa dele, sim. Entrei no jornalismo e fui estagiário no Jornal dos Sports. Eu tenho esse desmame porque eu me preparei para essa coisa da vaidade. Entender que a partir de agora a minha visibilidade diminui, vai se resumir a redes sociais. Não ser mais repórter da Globo me tira dos holofotes, mas eu me preparei sempre para isso. Agora que vou sentir como é. Sempre pensei nesse momento. E queria que fosse nesse momento como está sendo agora. Como se fosse um casamento, tudo preparadinho. Estou feliz, estou leve e estou grato. Tanta gente que me ajudou e me trouxe até aqui (NR: os pais de Tino Marcos, Faustino Ruiz Fernandes e Maria Aparecida Ruiz Fernandes, faleceram no ano passado).

Essa decisão foi bem pensada então?

TINO MARCOS: Por exemplo, da seleção brasileira. Quando acabou a Copa América em 2019, eram exatos 30 anos depois da minha primeira Copa América que eu cobri. Também no Maracanã, também com vitória do Brasil. Eram 30 anos redondos. É a melhor data para eu… O meu processo foi um processo de desmame, que começou assim, com esses 30 anos de cobertura da Copa América, ganhando a Copa América também, fazendo a crônica como eu fiz da outra vez também. Esse é o momento mais legal para eu dar um ponto final bonito com a seleção brasileira, alegre. Não vinha cobrindo a Seleção no segundo semestre. Vem a pandemia e tudo para. Fiquei fazendo grandes reportagens, fiz a série olímpica, que ficou maravilhosa, e vai ao ar. Vamos explicar que foram gravadas antes da pandemia. Super feliz… Vai ser a cereja do bolo. E minha última grande produção no esporte, com câmera aquática, câmera aérea, uma captação maravilhosa. Depois, acabou a brincadeira com a pandemia e mudou o jogo.

Globo Esporte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio Glauber disse:

    Sem os direitos de cobertura dos principais campeonatos de futebol, sem F1, sem jogos da seleção, certamente com redução de salário e de verbas para trabalhos fez certo o Tino em parar no auge. O próximo a pedir o pinico será Galvão não tem mais o que ele fazer na Globo.

  2. Lucis disse:

    É importante saber a hora de sair de cena para que o novo apareça. Tudo tem seu tempo. Tudo que tem seu apogeu tem seu declínio até mesmo quem tem milhões de voto.

  3. ZéGado disse:

    Já foi bom ver os jogos da seleção… A gente já sabia quando era Tino que fazia as reportagens, boas coberturas…
    Hoje em dia nem vejo mais jogo dessa “seleção”, conseguiram politizar até a seleção brasileira. A boiada não tem o que fazer, veste a camisa da seleção e fica nas esquinas com cara de bocó falando que são “ôs Patriota”.
    Prefiro torcer pra Argentina

    • BRASILACIMADETUDO disse:

      Vá pra lá, ou pra Venezuela ou Cuba… Vai não né? Jegue parasita não consegue sair do lugar…

  4. Lourenço disse:

    Isso Salomão, enquanto a cada dia a Globo se afunda mais, a esquerda desMaia e a direita Delira. 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😔😭😭😭😭😭😭

  5. Salomão B. disse:

    Nas antigas, abem pouco tempo atrás, era todo mundo querendo entrar na platinada, agora a turma toda só pulando fora dessa barca furada.
    hehehehe!!!!
    Vai mexer com quem teve quase 60 milhões de votos, e é corajoso vai!!!!!
    Ôh prejuízo fila da puta dessa emissora.
    É bem empregado, querem governar sem serem votados, agora pegue!!!
    É igual a nhonhom botafogo, teve 74 mil votos no RJ e queria peitar quem teve 60. Milhões.
    Kkkkkkkkkkkkkkkk
    Era só o que faltava.
    Ei!
    Ei!
    Psiu!!!!
    Alguém da notícia do pixuleco e ze gado???
    hum!!
    Já sei, só pode ter pegado a Rural mais nhonho Botafogo.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Pois então!!
    Já pode ir de Roberta Miranda.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    E pegue pêia.
    Kkkkkkkkkkkkk
    Mito em primeiro turno!!

  6. Jk disse:

    Grande profissional , grande repórter, trouxe inúmeros momentos importantes do esporte pra nós. Parabéns pelo grande trabalho.

William Bonner pediu para sair da Globo entre fim do ano e meio de 2022, segundo colunista

Foto: Reprodução

Uma verdadeira onda está levando os apresentadores da TV Globo. Após o anúncio da saída de Faustão que pegou todos de surpresa nesta semana, agora foi a vez de um dos mestres do jornalismo brasileiro: Willian Bonner.

Segundo informações do colunista Alessandro Lo-Bianco, do programa ‘A Tarde É Sua’, Bonner teria pedido para deixar a emissora global na semana passada.

“A intenção dele é deixar o comando do Jornal Nacional entre dezembro de 2021 e agosto de 2022. Então, já avisou com antecedência”, disse Lo-Bianco na atração.

Vale ressaltar que Luciano Huck também deve deixar a Globo em breve para se candidatar à Presidência da República em 2022. O comunicador saindo, consequentemente, sua esposa, Angélica, também será desligada do veículo.

Isto É

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    O último a sair não vai nem precisar apagar a luz porque ela estará cortada.
    Acabou a mamata globolixo!!!!

  2. Japiense disse:

    todos indo para a CNN

  3. SBT LUXO disse:

    Deve ir para o SHOW DO MILHÃO do SBT que está em RITMO DE FESTA.

  4. Vitor disse:

    Demorou! Poderia ter saído antes de mentir tanto. Vai sair com cara de pastel.

  5. Valdemir disse:

    Esse é o resultado do efeito Bolsonaro, acabou com a mamata de milhões que a Globo recebia para não divulgar as falcatruas do governo PT
    Chora Globo.

  6. santa Cruz disse:

    É o começo do fim da barca furada da globolixo. Quem faz aqui aqui se paga. Esse calhorda deve ir só com a passagem de ida, essa barca vai partir com muito mais passageiros. KKKKKK

  7. Victorino disse:

    A teta secou, chora não bebê!!!

Faustão deixa a Globo em dezembro

Foto: Carol Caminha/Gshow

Depois de 32 anos no ar, sempre liderando a audiência, o “Domingão do Faustão” sai do ar em dezembro.

Fausto Silva definiu sua saída da Globo neste fim de semana.

Até o fim do ano, porém, o programa segue normalmente no ar.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Qualquer dia veremos programas evangélicos na globolixo, vai ser a única maneira para a sobrevivência deste lixo.
    Kkkkkkkkkkkkkk

  2. Carlos Henrique Chal disse:

    Ainda vamos ter que aguentar este besta onze meses, além do imbecil de Bolsolouco. Devia botar os dois no mesmo bote.
    Pega o beco.

  3. Chico da Burra disse:

    Vou sentir saudades do vídeo cassetada, é o único quadro do programa dele que presta!!!

  4. CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS disse:

    O SBT está podendo contratar todos. No SBT o JOGO DO MILHÃO está só começando. Só falta agora o Silvio Santos comprar a GLOBOLIXO e continuar o RITMO DE FESTA.

  5. Kulkemberg f1 disse:

    Quem passar por último feche a porteira.
    O peitinho secou!!
    Nesse caso aí.
    A CULPA É DO BOLSONARO.
    kkkkkkkkkk
    Vão manipular no inferno.
    Globo Ibope e grupo folha.
    Kkkkk
    Promessa de campanha cumprida.
    Não tem tetonas pra mamar.

  6. Gaguinho disse:

    Sem tetinha de governo a toda poderosa e seu famoso padrão de qualidade não são nada, quero ver mostrar que é boa agora, com auto-suficiência, se vira nos trinta Vênus platinada. É muito fácil ser bom e ter qualidade com rios de dinheiro fácil, quero ver nas condições de mercado, pagando salário padrão, com orçamento contingênciado.

  7. Lourenço disse:

    😁😁😁😁😁😁😁😁😁😁😁😁😁já vai tarde.

  8. Maior quadrilha de todos os tempos. disse:

    "Culpa de bolsonaro"

    • Natalense disse:

      Vitimização por excelência. Deixa o Faustão, a Globo desempenhou trabalho histórico para o país. Ao contrário do péssimo gestor que ocupa a presidência da república. Que nega uma pandemia que já vitimou mais de 200 mil brasileiros. Vou dar um oportunidade, o que fez o Bolsonaro quando deputado? Ineficaz. Joga contra a nação. Abram os olhos oficias, é a hora do GENERAL! MOURÃO 2021.

  9. Realista disse:

    Vixi ainda em Dezembro, estamos em janeiro.

  10. riva disse:

    Já vai tarde. Um histriônico e bufão por excelência.

  11. Passarinho disse:

    Glória a Deus !

  12. Alex disse:

    Na Globo só tá prestando o Globo rural!

  13. Chico 200 disse:

    Traduzindo: Quem pagava o salário dele, simplesmente, deixou de pagar. O Véio é muito bom pra nação!
    #Bolsonaroate2026

  14. Henrique disse:

    Ufaaaa. Menos um aos domingos!

  15. João disse:

    Concordo!

  16. FAUSTO LIRA disse:

    faustão é ruim… mas o papangu do silvio santos;;; é uma xaropada 1000 vzs pior.,

  17. Rivaldo disse:

    A fonte secou. Sorry

  18. Calígula disse:

    Pense num programa sem futuro é o domingão do Faustão.

    • Irany Gomes disse:

      É a mamadeira secando…

    • Roberto disse:

      Kkkkk vai fechar. Tá pertinho. Deus do céu kd os 5 milhões????

    • José, o arquiteto do universo! disse:

      Colega Calígula,programa Sem futuro,mas você e os outros críticos da deusa platinada continuam assistindo todos os domingos,o domingão do Faustão,está criticando porque é um sinal que está assistindo o programa,todo mundo critica,mas a maioria passa o dia assistindo a grade da programação da TV globo aberta e da TV globo fechada do grupo Globo.

    • ROBERTO disse:

      O IMPÉRIO GLOBOLIXO SE DESMORONANDO….

    • Lucas disse:

      Oh Glória, já vai tarde.

Todos os programas criados por Marcius Melhem estão cancelados pela Globo

Marcius Melhem como Seu Boneco na “Escolinha do Professor Raimundo”. Foto: Divulgação

Três meses após anunciar a saída de Marcius Melhem, a Globo parece disposta a apagar toda e qualquer ligação com o ex-diretor de seu departamento de humor. Todos os programas com os quais o ator e roteirista tinha alguma ligação —ou ajudou a criar— estão cancelados.

O “Zorra”, que foi reformulado pelo humorista, já teve o fim anunciado previamente —informação antecipada por Maurício Stycer assim como o fim da era Melhem— e sai do ar ainda neste mês. O “Fora de Hora”, que tinha segunda temporada garantida, ganhou o mesmo fim do bem-sucedido “Tá No Ar: A TV Na TV” e ficará apenas na lembrança dos espectadores.

Quadro do “Fantástico”, o “Isso a Globo Não Mostra”, que tinha supervisão e redação final do ex-diretor, também já não é mais exibido.

A nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo” também deve encerrar seus trabalhos neste ano. Melhem, que também estava no elenco da atração, já não gravou como Seu Boneco na temporada produzida neste segundo semestre.

Até mesmo o Canal Viva, pertencente ao Grupo Globo, tem se desprendido da imagem do humorista. “Os Caras de Pau”, no qual Melhem contracenava com Leandro Hassum, já não consta da grade de programação.

Neste sentido, a emissora vai na contramão do caso de José Mayer, também acusado de assédio, em 2017, mas que até hoje aparece em reprises de novelas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

UOL

Conmebol processa a Globo e cobra mais de R$ 600 milhões por rescisão de contrato na Libertadores

Foto: Reprodução

A Conmebol entrou com um processo contra a Globo pedindo indenização pela rescisão do contrato da Libertadores. O valor da cobrança é de todo o restante dos pagamentos do acordo de quatro anos: uma soma de pelo menos US$ 120 milhões (R$ 653 milhões). O caso vai se desenrolar em uma corte suíça.

A informação de que a Conmebol cobraria indenização da Globo tinha sido dada pelo blog. Em reunião virtual com os clubes, referente à organização das oitavas de final da Libertadores, o presidente da entidade, Alejandro Dominguez, disse aos dirigentes que já tinha iniciado ações legais contra a Globo e a DAZN pelos prejuízos pelos rompimentos de acordos. Questionada pelo blog, a confederação sul-americana confirmou o processo.

Durante a reunião, Dominguez destacou que as rescisões da Globo e da DAZN causaram prejuízo financeiro pesado para a Conmebol.

“Pusemos à disposição das associações membros e os clubes cerca de US$ 95 milhões, em contexto de antecipação de prêmios de participação, ajuda para provas de laboratório e logística aérea para as viagens das equipes participantes. Isso foi feito apesar do forte golpe que significou a rescisão unilateral de contratos de transmissão de nossas partidas no território brasileiro por parte do grupo Globo e da empresa DAZN”, disse o dirigente, em relato do site da Conmebol.

A Globo tinha ganho os direitos dos jogos da Libertadores em TV Aberta e TV Fechada (dividido com a Fox Sports) em concorrência feita pela Conmebol. O contrato era válido de 2019 a 2022. Seu valor total era de US$ 60 milhões por ano.

Em agosto, a emissora comunicou para a Conmebol a rescisão do compromisso após uma negociação para tentar reduzir os valores. A alegação da Globo era de que o contrato previa rompimento no caso de paralisação do campeonato por força maior, o que ocorreu com a epidemia do coronavírus. A confederação sul-americana entende, no entanto, que só poderia haver quebra do documento no caso de ela ser a culpada pela parada do torneio.

A cobrança da Conmebol envolve o restante do acordo não pago pela Globo. É difícil precisar o valor exato da demanda. Mas pelo menos dois anos estavam em abertos, 2021 e 2022, pois as temporadas ainda não tinham sido iniciadas. Portanto, o valor demandado pela confederação é de pelo menos US$ 120 milhões (R$ 653 milhões).

Esse montante pode ser maior já que provavelmente a Globo não quitou todas as parcelas referentes à temporada de 2020. O rompimento do acordo se deu no meio da fase de grupos.

A partir daí, a emissora carioca ainda tentou nova proposta, mas a Conmebol optou por fechar um novo compromisso com o SBT. O contrato com a rede paulista é inferior ao valor total da Globo, mas tem contrapartidas relacionadas à exibição de patrocinadores da Libertadores.

Com a confirmação do processo, a Globo se envolve em mais uma disputa judicial relacionado aos seus acordos por direitos de campeonatos. Já existe uma pendenga com a Fifa porque a emissora questionou o pagamento relacionado aos direitos da Copa do Mundo e também há ameaça de rompimento do acordo. Além disso, a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) processa a Globo pela rescisão do contrato do Campeonato Carioca.

Questionada sobre o processo, a comunicação da Globo informou: “Temos conhecimento do procedimento iniciado pela Conmebol, mas não nos manifestamos sobre assunto sub judice.”

Coluna Rodrigo Mattos – UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Só peia na globosta, acho é pouco.

  2. Carlos Alberto disse:

    A conmebol, com ajuda do governo Bolsonaro, tentou prejudicar a Globo, e agora viu que com o contrato com o SBT, a audiência é uma merdar e provavelmente deve ter perdido muito dinheiro, resolver buscar o prejuízo!

  3. Lucio disse:

    A boquinha acabou!!!
    Hôô prejuízo cachorro da mulesta essa globo lixo tá levando por perseguir o Mito Bolsonaro por trinta anos, sem provas, até hoje nenhuma zero.
    Ôôô Presidente véi duro, do cunhão roxo.
    Tamos juntos meu presidente, o sr avisou, não quiseram ouvir, então pegue!!
    É bem empregado.

  4. Carlos Soares disse:

    A quem interessa o sensacionalismo à derrocaa de uma grande empreaa brasileira de telecomunicacão? Quando essa mesma empresa promovia e fazia ilações à "corrupção" nos governos do PT, tudo era lindo e maravilhoso. O "patriotismo/nacionalismo" justificavam os meios. Hoje execram uma das maiores da midia mundial, aimplismente porque continuam promovendo o jornalismo investigativo, Serão esses os mesmos chamados "homens de bem"? Muita hipocrisia!

  5. Observando. disse:

    "A confederação sul-americana entende, no entanto, que só poderia haver quebra do documento no caso de ela ser a culpada pela parada do torneio."
    A força maior so serviria para a confederacao. Querem nadinha. Essa a Globo ganha facim.
    OBS.: nao gosto da Globo, mas aí é demais.

  6. Pronto falei disse:

    GloboLIXO. Aqui ninguém assiste faz tempo.

Ex-repórter da Globo sofre atentado a tiros no litoral de São Paulo

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira, a ex-repórter da Rede Globo e candidata à prefeitura de São Vicente pelo PSDB, Solange Freitas, foi vítima de um atentado no litoral de São Paulo. Solange estava em um carro blindado com outros quatro assessores, quando um homem se aproximou de moto e disparou contra a janela do passageiro, onde a candidata estava sentada, ninguém ficou ferido. As informações são do Portal G1.

Segundo o Major Michael, a Polícia Militar está em busca do criminoso responsável pelos disparos, a imagem das câmeras de monitoramento devem ajudar na investigação. Além da ex-repórter, um produtor da campanha, uma assessora e o candidato a vice-prefeito, Gil do Conselho, estavam no carro e todos estão bem.

Essa não é a primeira vez que Solange sofreu um ataque. No dia 14 de outubro, o comitê eleitoral de Solange foi alvo de outro ataque criminoso, quando um grupo invadiu e incendiou o espaço. Em maio, ela se desligou da sua carreira na TV Tribuna, afiliada da emissora Globo, para se dedicar a carreira eleitoral.

O Dia – IG

Dispensado pela Globo após 44 anos de trabalho, Antonio Fagundes critica emissora por onda de demissões: ‘Arriscando sua história’

FOTO: Reprodução/TV Globo

Dispensado pela Globo após 44 anos de trabalho, Antonio Fagundes criticou a emissora pela onda de demissões que vem promovendo há alguns anos. “A Globo está se desfazendo de seu patrimônio e arriscando sua história”, declarou o veterano de 71 anos. Apesar de não ter tido seu contrato renovado, o ator é cotado para o remake de Pantanal.

Em entrevista à revista Veja, Fagundes disse que a estratégia para cortar gastos é um tiro no escuro. “Comparando, é como se um museu que durante décadas expôs a Monalisa de repente resolvesse se desfazer justamente dela. Pode ser bom, do ponto de vista administrativo e financeiro, mas corre-se um grande risco”, explicou.

“A Globo não é uma fábrica de sapatos, trabalha com arte, emoção e fidelidade. Durante cinquenta anos, o público assistiu a essas pessoas nessa emissora e tem um carinho especial por elas. É como se a empresa propusesse esquecer todo o passado e começar o futuro. Pode dar certo, mas também pode não dar”, avaliou o artista.

No ar até janeiro deste ano, quando chegou ao fim a novela Bom Sucesso (2019), Antonio Fagundes confessou que sabia que a dispensa poderia acontecer em algum momento.

“Todos esses anos de casa foram bons para mim e, claro, para a empresa também. Logo que entrei na Globo, passei um período contratado por obra, por minha opção. Queria ter liberdade de fazer só o que me interessasse. Com o tempo me rendi, até porque tinha conquistado certa independência na escolha dos trabalhos”, ressaltou.

“Só que a empresa mudou sua forma operacional. Entendo que não é específico comigo, que não fui mandado embora porque não sirvo mais. Até porque já estão querendo me contratar para o remake da novela Pantanal, no ano que vem”, afirmou o marido de Alexandra Martins.

Intérprete de papéis marcantes como o caminhoneiro Pedro da série Carga Pesada (1979 -1981) e o fazendeiro Bruno Mezzenga de O Rei do Gado (1996), Fagundes rebateu os comentários sobre ter ficado mais de quatro décadas na mesma emissora. “Escuto muito: ‘Você deu 44 anos da sua vida para eles’. Não, não dei nada para ninguém. Foi uma troca”, finalizou o astro.

Notícias da TV – UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João do Caminhão disse:

    VAGABUNDO S VERGONHA DESSES, MAMOU A VIDA TODA NA REDE LIXO E AGORA SAI RWCLAMANDO. TU É UM VERME SEU LIXO.

  2. riva disse:

    Se o Príncipe da corrupção Lula Boca de Álcool Macunaíma tivesse agido com 10% da coragem de Bolsonaro, o sistema globo estaria falido a vários anos. Porém, todavia, contudo e entretanto, o capo tupiniquim mordia e assoprava e acovardado foi tragado pelo noticiário da garganta profunda.

  3. Ashtar disse:

    É o apagar das luzes…
    Todo Império tem seu fim,

  4. Nilton disse:

    QUEM PASSAR POR DERRADEIRO, FECHA A PORTA.
    Ôôô prejuízo da cota serena a globo lixo carrega nas costas por querer desqualificar o nosso Presidente Bolsonaro.
    kkkkk.
    Esse aí é duro viu?
    Ele avisou, sem medo.
    Se eu chegar lá, vcs vão ter só o que é de direito e nada mais.
    Promessa cumprida.
    Parabéns presidente Jair.
    Tamos juntos!!!
    Arrocha!!!

  5. VTNVGB disse:

    A globo sempre se alimentou com dinheiro público , sempre de braços dados com os governos de qualquer tendência ideológica , o negócio era numeros.Agora pegou um governo dos culhoes roxos tá sentido o efeito rebote das vacas magras !

  6. Pepe disse:

    Cada qual sabe aonde aperta o sapato.
    Este poder da globo um dia teria que cair.

  7. Roberto disse:

    O fim tá perto

Turner divide a Seleção nas Eliminatórias com a Globo; grupo norte-americano acaba com exclusividade da emissora na “última fronteira” da Copa no Qatar

Foto: Reprodução/Sportv

A última fronteira foi rompida.

Para selar de vez o fim da hegemonia da Globo no futebol brasileiro, a Seleção Brasileira deixou de ser ‘produto seu’.

Depois do duro golpe, ver a final do Carioca e a Libertadores irem para o SBT, algo que seria inconcebível anos atrás, acaba de acontecer.

A Turner, que já havia rompido, no ano passado, o privilégio que a emissora carioca mantinha em relação ao Campeonato Brasileiro, decidiu agir de novo.

E investiu nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Decidiu se associar e comprar do grupo de streaming Guigo TV, que comprou da Conmebol os mandos das partidas de oito federações como mandantes – Uruguai, Paraguai, Colômbia, Peru, Equador, Venezuela, Chile e Bolívia –, pelas duas primeiras rodadas da competição.

E a Turner terá exclusividade, na tevê, o jogo do Brasil contra o Peru, em Lima. A plataforma seguirá como ‘dona’ do jogo on line.

Só que o contrato da Guigo TV, e da Turner, não deverá se restringir às duas primeiras rodadas das Eliminatórias.

Mas à competição inteira.

Não haveria sentido o grupo bilionário norte-americano se envolver, transmitir apenas Peru e Brasil, na próxima terça-feira, e depois deixar outro grupo de comunicação comprar os outros sete jogos da Seleção fora do país.

Sim, sete.

Para deixar bem claro.

Em dificuldades financeiras, mas tentando manter a tradição, a emissora carioca dos Marinho comprou os jogos da Seleção dentro do Brasil. E também a partida fora diante da Argentina.

Como são dez países disputando as Eliminatórias Sul-Americanas, são nove partidas em casa e nove fora de cada equipe.

Argentina e Brasil é da Globo. E só. Peru e Seleção de Tite já é da Guigo TV, e da Turner.

Restam os confrontos com Uruguai, Paraguai, Bolívia, Equador, Colômbia, Chile e Venezuela todos fora do país.

São estes confrontos que a Turner também deve confirmar como seus.

A investida do grupo norte-americano consolida uma derrota da Globo no futebol.

A emissora transmite partidas do Brasil nas Eliminatórias desde 1969. Na época, eram compactos noturnos.

Ou seja, há 51 anos.

E o golpe pode ser muito maior.

A emissora carioca segue em conflito com a Fifa pelo direito de transmitir a Copa do Mundo no Qatar, em 2022.

Se a briga seguir, a Turner pode surgir como alternativa.

E transmitir o Mundial para o país.

Essa é uma situação para ser decidida em 2021.

O que existe de realidade são as Eliminatórias.

A Globo perdeu sua hegemonia da Seleção.

Por falta de dinheiro.

Ela deixa de ser um produto ‘seu’…

Cosme Rímoli – R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Soa como música este comentário, não vejo a hora dessa fábrica de fake news ir para o fundo do poço.

  2. Pixuleco disse:

    A abstinência do dinheiro fácil do Governo Federal, está levando a decadência financeira da plimplim, mas conhecida como Globolixo, pois sua decadência moral á muito tempo que já foi pro vejo.

SÉRIE D: América perde para o Salgueiro-PE e segue sem vencer e Globo sucumbe ao Afogados e conhece sua 1ª derrota

Ciel aproveita vacilo da defesa do América e faz o gol da vitória do Salgueiro (Foto: Pedro Vitorino)

O Salgueiro venceu o América-RN por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, em duelo válido pela terceira rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. O gol do atual campeão pernambucano foi marcado pelo atacante Ciel, que defendeu o time potiguar na temporada 2009.

Este foi o segundo jogo do Salgueiro na Série D. Com duas vitórias, o Carcará é o segundo colocado do Grupo A3 – tem a mesma pontuação do líder Globo FC, que perdeu para o Afogados nesta quarta-feira. O América, com dois pontos, está na sexta posição.

O América volta a campo no sábado, quando recebe o Afogados na Arena das Dunas. O jogo está marcado para 16h. O Salgueiro joga no mesmo dia, às 19h, contra o Globo FC. O duelo será no Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro.

Em Pernambuco, o Afogados, no estádio Vianão, recebeu o líder Globo e venceu por 3 a 2. Saiu na frente do placar com gol de Rodrigo, mas logo sofreu o empate de pênalti. Edivan marcou os egundo ainda no primeiro tempo e Denis ampliou para 3 a 1 na etapa complementar. O Globo descontou para 3 a 2, mas a reação parou por aí.

Com Globo Esporte e SuperEsportes

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    O MECÃO ia ganhar o campeonato, ia ganhar dois milhões na copa do Brasil ia subir para serie C
    O sonho dos dois primeiros projetos já foi, o acesso está difícil, não digo impossível . Agora acho que está existindo uma SACANAGEM entre os jogadores. O Elenco é o melhor do Rn, estão recebendo segundo noticiário esportivo , mas desde os 4×3 que perdeu para o abc não se encontrou. É hora da diretoria tomar providências urgente, caso contrário nem se classifica na fase de grupo. É futebol mais nessa situação é inexplicável. Gols perdidos , falta de vontade…
    Cuidado para não se AFOGAR de vez contra o AFOGADOS Pe. Sou MACÃO mais decepcionado.

  2. JBBatista. disse:

    O futebol do RN faliu faz muito tempo.

Globo só fará debates se partidos aceitarem limite de quatro candidatos

Em 2016, no primeiro turno, a Globo realizou debate com seis candidatos: Doria, Russomanno, Haddad, Erundina, Marta e Major Olímpio. Imagem: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

Por medidas de segurança, por causa da pandemia de coronavírus, a Globo decidiu limitar a realização de debates eleitorais no primeiro turno das eleições municipais. A emissora está informando que só realizará debates nas cidades onde haja acordo entre os partidos para que apenas os quatro mais bem colocados candidatos na pesquisa eleitoral mais recente (Ibope ou Datafolha) participem dos encontros.

A decisão, possivelmente, inviabilizará a realização de debates no primeiro turno.

“A Globo vai lutar por esse acordo”, disse Ali Kamel, diretor de jornalismo da emissora em comunicado interno divulgado nesta segunda-feira (21). O debate de segundo turno permanece com a data prevista (dia 27 de novembro).

Matéria completa AQUI via Coluna Maurício Stycer – UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antenado disse:

    É ótimo ver a esquerdopatia defendendo a Globo. Quem diria. Mas é bom lembrar que o seu ídolo, o nove dedos, quer ver o fim da globo.

  2. É isso aí!!! disse:

    O CORRETO É NÃO FAZER COM NENHUM CANDIDATO NO BRASIL INTEIRO.
    DEPOIS QUE A GLOBO LIXO QUEBROU VÁRIOS COMERCIANTES BRASIL A FORA, TÁ NA HORA DO FIQUE EM CASA SERVIR PROS CANDIDATOS.
    A GLOBO TEM QUE COMEÇAR COM A LADAINHA DO
    FIQUE EM CASA CANDIDATOS.
    QUE LOROTA É ESSA DE DEBATES??
    TÁ QUERENDO AUDIÊNCIA É??
    FIQUEM EM CASA.
    FIGUEM EM CASA.
    Estamos de olho.

    • Dilson disse:

      Tua TV tem controle? Muda o canal, bebezão!

    • José Quirino disse:

      Faliu é kkkk

    • E DAÍ??? disse:

      É só trocar o canal para o da Record do bispo Edir Macedo do programa A Fazenda que é bem educativo. Muito bom para os conservadores defensores dos bons costumes. Ou então bota no canal do Show do Milhão em Ritmo de Festa com muitos jogos da sorte que também é muito instrutivo.

    • Lote de jumentos batizados disse:

      Leia de novo pra entender babacas, quem é que está falando de controle aqui.
      Tá se falando do fique em casa.
      Bora globo lixo, faz uma campanha pros políticos não sairem de casa, só assim não enchem o saco do eleitor.
      Os primeiros que deveriam ficar trancado em casa são os esquerdopatas, esses passaram a pandemia toda junto com a globo lixo pregando o fique em casa pregando o caos e dessiminando o pavor, o pânico.
      Como querem ir pras ruas agora??
      Não!
      Tem que ficarem em casa.
      Entendeu derrotados??
      Mito via internet.
      2022 a 2026.
      Chupa!!!!

“O Lado Oculto Do Império” – (VÍDEO): Globo fez pacto com Sérgio Cabral para garantir transmissão das Olimpíadas, destaca reportagem da Record

Confissões inéditas do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, contadas à Polícia Federal, revelam que o grupo Globo sabia do esquema criminoso de compra de votos envolvendo o estado e o Comitê Olímpico Internacional – para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos jogos de 2016. Se aproveitando da relação próxima com Cabral, os executivos da Globo fizeram um pacto: assegurar, a qualquer custo, a compra exclusiva dos direitos da Olimpíada. O medo era perder, mais uma vez, o direito de transmissão para a concorrência. Assista à integra da terceira reportagem da série O Lado Oculto do Império.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. GCF disse:

    Rede Globo de Fake News…
    Quem tem telhado de vidro não atira pedra no telhado do vizinho…

  2. CANINDÉ QUIRINO disse:

    Record sem credibilidade

  3. Incubado porto mirim vilagge flat disse:

    Tofoli anulou às delação de Cabral, agora Agente sabe porquê.

Arrasados, Tarcísio Meira e Glória Menezes são demitidos da Globo

Foto: Divulgação/TV Globo

Tarcísio Meira e Glória Menezes, um dos casais mais famosos das novelas brasileiras, foram dispensados da Globo.

A emissora decidiu não renovar o contrato dos atores em 2020. Com mais de 50 anos de Globo, Glória e Tarcísio não fazem mais parte do time de artistas fixos do canal. Apesar de saberem do posicionamento atual da rede, que vem acabando com o seu cast de atores fixos para reduzir custos, o casal teria ficado arrasado com a notícia.

“Tarcísio e Glória, com quem tivemos uma longa parceria de sucesso, têm abertas as portas para projetos em nossas múltiplas plataformas. Nos últimos anos, temos tomado uma série de iniciativas para preparar a empresa para os desafios do futuro. Com isso, temos evoluído nos nossos modelos de gestão, de criação, de produção e de desenvolvimento de negócios. Em sintonia com as transformações do mercado, a Globo vem adotando novas dinâmicas com seus talentos”, diz o comunicado da emissora.

O casal estreou na Globo em 1967, com a novela ‘Sangue e Areia’, de Janete Clair. Assim como outras estrelas da emissora que não tiveram contrato renovado, Tarcísio e Glória podem trabalhar na empresa, mas contratados apenas por obra certa, sem vínculo de longo prazo.

Com muitos anos de casa, Glória e Tarcísio tinham salário deles alto. Tarcísio recebia por mês cerca de R$ 200 mil sem estar no ar. Esse salário tinha um adicional de 40% quando o ator era escalado para alguma produção.

Glória Menezes completa 86 anos em outubro e está no ar com a reprise da novela Totalmente Demais, de 2015. Tarcísio Meira, de 84 anos, interpretou o último papel na Globo em Orgulho e Paixão.

Eles teriam confessado aos amigos mais próximos que sabiam que seriam dispensados breve por conta da idade mais avançada.

Keila Jimenez – R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. olimpio disse:

    Queriam se eternizar, tudo tem vencimento e os deles chegou. Vão aproveitar a aponsentadoria.

  2. S.B.T. disse:

    Da lhe MITO!!
    Arroche!
    Dinheiro público tem que ser pra outras finalidades.
    Kkkkk
    Toda quinta feira, tem Mito Bolsonaro ao vivo,
    E de graça.
    Do jeitão que o povo gosta, sem marketing, sem verba pública.
    Isso é que está tirando o juízo dos petralhas emprenhados pelo ladrão número um do mundo.
    Tem um tal de Entregador de pizza de mortadela aqui no blog, esse coitado, tirou o diploma de babaca.
    Tem uns dez personagens, já está pirado, não sabe mais o que fazer, ta atirando pra tudo que é lado, vai ficar doido do Cu rodar já já.
    Kkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Acabou !!!

  3. Lucis disse:

    Arrasados? Queriam certamente contrato vitalício.

  4. Pedro disse:

    A pedreira está pesada, a GROBO (assim mesmo) vai pagar caro a sua arrogância, pensava o grupo que ia descer o malho, mentir e ficar impune, ainda estão faltando os figurões dos telejornais, quando a ficha cair a vala vai ser estreita. A era da subserviência e silêncio cúmplice acabou petistas.

  5. paulo disse:

    BG
    Acabou a FARRA do dinheiro público que a ptralhada distribui com os meios de comunicação para esconder a ROUBALHEIRA implantada, com a completa OMISSÃO destes canalhas de grande parte da midia.

Sem F1, Carnaval e menos futebol, Globo vê “evaporar” mais de R$ 1 bilhão

Foto: Divulgação

Notem no título que eu usei o simbólico verbo “evaporar” mais de R$ 1 bilhão, e não “perder”.

Isso porque dizer que a Globo vai perder todo esse montante seria matemática e contabilmente errado.

No ano que vem a Globo já tem vários desfalques históricos para administrar em sua grade de programação.

Primeiro, a emissora anunciou que não vai renovar o contrato da F1 (ainda há uma remota possibilidade, porém).

Também abriu mão e perdeu a Libertadores da América, que pode ficar para o SBT.

Antes já havia perdido o estadual do Rio e está ameaçada em outras praças.

Por fim, os Carnavais do Rio e de São Paulo devem ficar suspensos até segunda ordem.

E a coluna nem está citando a Copa de 2022, que a Globo também corre risco de perder. Nesse caso a “evaporação” pode passar de R$ 1,5 bilhão ou até mais.

A emissora comentou as mudanças e desistências de exibição de conteúdo em sua grade, como a da F1 (veja nota oficial ao fim deste texto).

Vamos às cifras

Ok, mas o que significam esses cancelamentos ou rompimentos em números para a Globo?

Bem, agora voltamos ao primeiro parágrafo desta coluna. Vamos explicar por que a Globo não está necessariamente perdendo ou tendo um prejuízo de R$ 1 bi (ou mais) sem esses eventos.

No caso da F1, a Globo chegava a amealhar até R$ 500 milhões anuais com a venda de cotas em publicidade.

Para os que estão atônitos com o valor, lembrem-se que não é apenas um evento domingo sim, domingo não, que eles estão pagando.

Não, quem compra uma cota da F1 aparece quase que diariamente, o ano todo, no noticiário não só da TV Globo, mas de todos os seus veículos. No caso da TV, boa parte disso em horário nobre.

Só que aí começamos a fazer os descontos: para ter a F1 a Globo pagava US$ 20 milhões pela exclusividade. Arredondando, menos R$ 100 milhões.

Ao menos outros 20% desses R$ 500 milhões voltam para as agências publicitárias. Menos outros R$ 100 milhões, portanto.

Sobre isso a Globo ainda paga o chamado BV (bônus por volume, uma espécie de “recompensa” para agências que investiram nela, além de impostos e comissões de venda para seus próprios funcionários, que pode variar e passar de 10%).

Então, dos tais R$ 500 milhões que a Globo faturava só com a F1, no fim das contas a emissora ficava, líquido, com talvez, no máximo, R$ 150 milhões. Se muito.

O mesmo raciocínio vale para a Libertadores, que custava US$ 60 milhões anuais (R$ 300 milhões); ou o Carnaval (R$ 200 milhões no país).

Fora o Campeonato Carioca e o de outras praças que podem sair da rede global de transmissão.

Ou seja, a Globo está deixando de faturar uma fortuna em publicidade sem esses eventos, que ultrapassariam R$ 1 bilhão.

No entanto está deixando de gastar uma outra fortuna também, não muito menor que isso.

Se está certa ou errada em abrir mão desses eventos e dos milhões que rendiam líquidos?

Bem, isso é uma decisão dos acionistas e dirigentes da emissora.

Como esta coluna já publicou, anos atrás houve a decisão de investir em outros meios que não só a TV, o que gerou o projeto “Uma Só Globo”..

O Grupo Globo está deixando de investir em conteúdo para TV aberta, mas está investindo milhões em outros projetos de longo prazo, como o novo complexo de estúdios no Rio, ou o Globo Play.

Todos perdem

Dito tudo isso, não será apenas a Globo que verá esse bilhãozinho ou mais “evaporar”, mas também a economia em geral.

Agências, profissionais da publicidade, de audiovisual, da área de vendas, setores comerciais de empresas, editores, redatores, bancos, enfim, toda uma cadeia que integra o chamado “ecossistema” ao redor da maior emissora do país e uma das maiores do mundo sairá perdendo.

Inclusive os governos federal, estadual e municipal, pois todos faturam com esses negócios seja em impostos ou em arrecadação comercial “orgânica”.

Mesmo que outra emissora aberta comprasse os direitos da F1, por exemplo (o valor pedido está em cerca de US$ 25 milhões), inevitavelmente o novo “ecossistema” não teria o mesmo tamanho que tem na Globo. Seria uma fração disso.

Por quê? Por causa do ibope diminuto das concorrentes: a soma de todas as TVs abertas do país não chega à audiência da Globo sozinha.

Essa realidade vai ser difícil mudar. Se é que um dia mudará.

Outro lado

Procurada para comentar o assunto, a Globo, por meio de sua Central de Comunicação, enviou a seguinte nota:

“A Globo não abre os valores de suas negociações comerciais, mas é importante contextualizar os movimentos citados.

Primeiro, vamos separá-los: há casos, como o do Campeonato Carioca, que foram motivados por quebra do nosso contrato de exclusividade, algo que não podemos aceitar passivamente.

Outros, sim, têm a ver com os efeitos causados pela pandemia, que ‘desbalanceou’ diversos acordos e nos levou a uma natural necessidade de revisar todo o nosso portfólio de direitos, um dos maiores entre emissoras de TV do mundo.

Assim, como parte dessa revisão de portfólio, a Globo optou por não renovar os direitos de transmissão da Fórmula 1 a partir de 2021. Mesmo sem a transmissão das corridas, a Globo continuará a fazer a cobertura da categoria em suas diversas plataformas.

O mundo está vivendo um dos seus momentos mais desafiadores, inclusive no campo econômico.

Isso tem obrigado as empresas dos mais variados mercados e setores a reverem seus custos e acordos. Esta não é uma realidade exclusiva do Brasil nem mesmo da Globo; ocorre também com outros players e em outros mercados, todos impelidos a buscar uma revisão de seus compromissos, adequando-os a este novo momento. Central Globo de Comunicação – CGCom”.

Ricardo Feltrin – Colunista do UOL

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Chegou a hora da virada. A poderosa não será mais tão poderosa assim, aliás já não está sendo ultimamente. As demissões em massa q o digam

  2. Alex disse:

    Rede esgoto de televisão, a Globo se acostumou a mandar em tudo, inclusive na política, aí já viu que ninguém quer mais acreditar nas suas idéias,aí agora começou o desmoronamento. Ainda acho pouco, diante daquilo que ela tem plantado.

  3. Porto Mirim bicha encubad......... disse:

    Acabou a mamata.

  4. Mari disse:

    Mito Bolsonaro
    2022!!
    Ô véi arroxado.
    Sem medo, bateu levou.
    É olho no olho.
    O império dos Marinho desmoronando.
    Vai ficar só nas novelas imorais. Vão ficar só passando cenas de sexo as 17horas, e homem com homem se beijando no horário das 21 e nada mais.
    Pegue!!
    Estão colhendo o que plantaram.
    O véi Bolsonaro não abre nem pro trem, quanto mais pra globo lixo.

  5. José, o arquiteto do universo! disse:

    A rede Globo de televisão está fazendo um bem para toda a nação brasileira deixando de transmitir esses três eventos alienantes que não levam a nada,0 é nada:
    Sobre o evento da fórmula 1 a pessoa precisa se ter muita paciência para ficar olhando para a televisão vendo carros dando voltas numa pista ou nos chamados treinos de classificação e na corrida propriamente dita, visando chegar no mesmo ponto de partida e cruzando uma faixa branca na pista na primeira colocação e o pobre do narrador e do comentarista com pouco assunto,argumento, vocabulário e sempre os dois:o narrador e o comentarista criando novas palavras ou pleonasmos e atualmente não temos nenhum piloto/motorista brasileiro participando dessas corridas para torcer.
    E o futebol é outra futilidade ou inutilidade que não presta ou serve para nada,eu não motivo nenhum vejo para alguem torcer para times ou clubes de futebol,a única diferença são as cores de camisa e os escudos na camisa,são 22 homens correndo atrás da bola,um time ataca e o outro time se defende,vis a vis,visando fazer o chamado gol,principalmente através de um chute ou cabeceio e o goleiro em baixo de uma trave tentando impedir que a bola ultrapasse a linha do chamado gol.
    E sobre o carnaval do Rio de Janeiro e de São Paulo,até hoje eu não consigo compreender os critérios e detalhes específicos e gerais de diferenciação daquelas escolas de samba,para mim é tudo a mesma coisa,até hoje eu não consegui entender,só quem entendem mesmo são os jurados e os apresentadores e apresentadoras e comentaristas da TV Globo.

  6. André disse:

    PAPO RETO , é melhor ser membro do gado do que ser cúmplice de ladrão, aoiador de ladrão.
    só uma observação: a palavra certa é "membro" , antes de "P" e "B" se escreve "M" , ok ?

    muuuuuuuuuuuu

  7. Ashtar disse:

    Eu quero é que se réie

  8. Pixuleco disse:

    Foda-se a Globolixo.