Reportagem do Fantástico confunde investigações, foca apenas em um político e passa impressão de perseguição

A reportagem do Fantástico exibida no quadro ‘Cadê o Dinheiro que Estava Aqui?’, na edição desse domingo (11), chamou a atenção, além da falta de elementos novos, do foco, centrado no governador Robinson Faria.

O material foi produzido ao longo da semana e serviu para retratar três operações, a Dama de Espadas, a Candeeiro e Anteros, que apuram desvios na Assembleia Legislativa, Idema e obstrução de justiça, respectivamente.

Ao unificar desvios que ocorreram em tempos e sob gestões diferentes, focando no governador, a reportagem deu um tom de perseguição.

A impressão ficou ainda evidente quando a reportagem apenas citou a participação de deputados estaduais nas investigações sem citar nomes. R$ 34 milhões dos R$ 50 milhões que o Fantástico diz terem sido desviados envolvem deputados estaduais.

A reportagem ainda deixa para o telespectador entender que os desvios no Idema ocorreram sob a gestão atual, quando na verdade foram no período anterior, da ex-governador Rosalba Ciarlini, que nada tem a ver com o caso, não sendo alvo de investigação.

Chama a atenção ainda o fato de o material ter chegado à rede Globo no momento que o governador começou a se movimentar politicamente e depois de ter deixado o gabinete para cumprir agenda, entregar obras, dar entrevistas e deixar a entender que é candidato a releeição. Inevitavelmente, o uso do material feito pelo Fantástico acuará o governador.

É o segundo caso recente envolvendo o Rio Grande do Norte em que o quadro ‘Cadê o Dinheiro que Estava Aqui?’ vende gato por lembre. Na matéria anterior, a expectativa foi sobre os desvios da Arena das Dunas. O material foi duramente criticado por requentar denúncias que já eram de conhecimento público e numa edição pobre e confusa..

COMENTE AQUI

Deyvisson Carlos  12/03/2018

Não me causa estranheza ate porque a filial da rede globo aqui ainda tem participação dos Alves,então esta explicado.agora todo mundo sabe que e o senador e quem são os deputados ne gente. - Responder

Maciel  12/03/2018

Matéria de capa do Fantástico! Agora entendemos porque o Estado paga atrasado seu funcionalismo... - Responder

Misael  12/03/2018

Se não cortar os sangue sugas dos poderes de nada adiantará vão ser ns vídeos desses. - Responder


+ Ver todos os comentários

Fátima Bezerra: “Globo está incentivando sentimento de ódio e intolerância”

Senadora-Fátima-BezerraA senadora Fátima Bezerra (PT-RN) defendeu, na terça-feira (8), criticou fortemente os ataques golpistas de que estão sendo vítimas o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma Rousseff e das arbitrariedades que estão sendo cometidas pela grande mídia e de parte do Judiciário. “Nós continuaremos firmemente empenhados, nesta tribuna, nas ruas, nas escolas, onde for, na defesa do mandato da Presidenta Dilma, na defesa da soberania popular, assim como na defesa da biografia e da história do Presidente Lula e de todo o legado que ele deixou para o povo brasileiro. Eles não conseguirão nem o impeachment da presidenta Dilma nem o impeachment preventivo do Presidente Lula, com toda essa operação judicialesca em curso”, afirmou.

Segundo a senadora, a tese de tirar a presidenta Dilma Rousseff do poder a qualquer custo não vai passar de um sonho da oposição. “Não vai passar de um sonho de verão, de inverno, seja lá do que for, não vai passar de um sonho. Eles querem tirar Dilma e inviabilizar a candidatura de Lula, prejudicando, portanto, a continuação de um projeto que vem transformando a realidade social brasileira (…) Essas iniciativas golpistas por parte da oposição felizmente não prosperaram e não prosperarão”, salientou.

Fátima declarou ainda que, o espetáculo grotesco a que o Brasil assistiu na última sexta-feira, é mais uma demonstração da arbitrariedade do juiz Sérgio Moro. “Em uma atitude sem base legal, o juiz, que tem agido quase que como militante do PSDB, decidiu pela condução coercitiva de uma pessoa que nunca se negou a colaborar com a Justiça deste País. Não pode haver dois pesos e duas medidas, não pode haver, de maneira nenhuma, uma investigação de caráter dirigido, de caráter partidarizado. Nós queremos investigação, sim, mas que seja ampla, geral e irrestrita, que investigue todos e todas. Pois, infelizmente, para a Operação Lava Jato, a turma da oposição, o PSDB, é intocável”, criticou.

Mídia

Fátima atacou a manipulação e propagação do ódio que vem sendo feito no país a fora por parte da grande mídia, especialmente da Rede Globo. “Infelizmente, o noticiário é feito a mando de seus donos, da forma mais reprovável que pode haver no mundo, um noticiário extremamente manipulador, que não respeita qualquer manual de comunicação social, que não observa o mínimo de isenção, de profissionalismo e de seriedade. Infelizmente! E é a própria Rede Globo que está incentivando o sentimento de ódio e de intolerância, mas o nosso povo não vai cair nessa provocação, de maneira nenhuma”, defendeu.

Manifestações

A senadora Fátima também ponderou a importância das manifestações como instrumento popular. “O que se espera é que as manifestações ocorram sob o signo do respeito, tanto de um lado como de outro. Não temos medo de mobilização popular, de mobilização social. Foi nas ruas que nós, do PT, do campo democrático popular, da esquerda, dos movimentos sociais, dos movimentos populares, nascemos, e de lá nós nunca nos ausentamos. Estamos aqui imbuídos do sentimento de fazer justiça à biografia, à história, à trajetória de Lula, não somente pelo legado que ele construiu como Presidente da República, mas por sua biografia de militante político e sindical, de Parlamentar e de Presidente. Ele entrou para a história do Brasil como o melhor e maior Presidente deste País”, concluiu.

Fonte: Agora RN

COMENTE AQUI

Eduardo  10/03/2016

Discurso antigo, ridículo, pueril. Fica com estória de "nós contra eles" e depois joga a culpa na imprensa. Mesmo modus operandi de Mineiro, Cipriano e outros PT. Podendo falar de forma sensata e equilíbrada, fica falando asneira. E olhe q é uma "professora" - Responder

Não vai ter GOLPE vai ter PAPUDA  10/03/2016

Pela primeira vez a Globo esta se mostrando querer ver o Bem do Brasil mostrando para o povo Brasileiro o que essa quadrilha esta fazendo com o País - Responder

Nice  10/03/2016

Triste e revoltante é vc ter q ver essas matérias dessa classe sebosa de políticos, que veem as denúncias aparecendo como rastro de pólvora, e ao invés de incentivar para acabar com esse câncer da corrupção, se fazem de desentendidos para defender suas posições elevadas. É mais revoltante não ter leis rígidas para acabar com tantos atos ílicitos, que matam pessoas todos os dias, ora roubando recursos da saúde, ora matando a educação, com falta de estruturas e professores mau remunerados. E sem falar na fragilidade do sistema de segurança, se prende de manha, liberta a tarde!!!! Deus nos proteja!!!! - Responder


+ Ver todos os comentários

Globo, sensação do RN, é investigado por uso do 'Minha Casa, Minha Vida' para atrair atletas, destaca ESPN

Ao redor do estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, no interior do Rio Grande do Norte, um projeto imobiliário pôs o time sensação do estado na mira da Polícia Federal. Atual vice-campeão potiguar, o Globo Futebol Clube tem a sua ascensão meteórica ameaçada por investigação sobre o suposto uso indevido de casas financiadas através do programa ‘Minha Casa Minha Vida’, do Governo Federal, em contrato com atletas.

Os imóveis foram todos construídos pela empresa de seu presidente, Marconi Barretto, a MPB Empreendimentos.

A denúncia contra o cartola foi feita ainda no ano passado com base no acordo firmado com o atacante Ricardo Lopes, hoje no Jeju United, da Coreia do Sul, que previa em uma de suas cláusulas a doação de uma residência de 47 metros quadrados do ‘Minha Casa Minha Vida’ com parcelas pagas pelo próprio Globo.

Como parte do inquérito, foram convocados para esclarecer o assunto Marconi Barretto e representantes da Caixa Econômica Federal.

Nesta segunda-feira, o processo será encaminhado para o Ministério Público Federal.

Com um investimento de cerca de R$ 200 milhões no projeto que conduziu a ascensão meteórica do Globo entre a sua criação em 2012 até a atual temporada, o ‘mecenas’ do clube credita a suspeita a uma falha na redação do contrato de Ricardo Lopes.

“Foi um ‘errinho’ de nada. Não houve doação e, mesmo se houvesse, não haveria problema nenhum. No acordo dele, aconteceu de estar escrito que seria cedida a casa com o ‘Minha Casa Minha Vida’. No fundo, foi uma questão de semântica porque, na realidade, o que fizemos foi aumentar o seu salário e ele recebeu as chaves. Agora a casa pertence ao clube. Posso dar a quem quiser”, afirma Barretto ao ESPN.com.br.

Segundo ele, outros oito jogadores conseguiram moradia no projeto residencial através do programa do governo.

O caso vinha sendo acompanhado pelo delegado da Polícia Federal, Rodolpho Picone. Procurado pela reportagem, ele preferiu não se pronunciar.

O presidente do Globo, Marconi Barretto, assegura estar sendo alvo de “inveja” de pessoas que acreditam existir por trás de seus investimentos pretensões políticas em Ceará-Mirim e, por isso, tentam derrubá-lo.

(mais…)

COMENTE AQUI

Dilma soma 36%, Aécio, 20%, e Campos, 8%, diz pesquisa Datafolha

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (17) mostra Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Aécio Neves (PSDB), com 20%, e Eduardo Campos (PSB), com 8%. No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos últimos dias 1º e 2, Dilma tinha 38%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 9%.

Somados, os adversários de Dilma acumulam 36%, mesmo percentual da presidente, que tenta a reeleição. Um candidato vence a eleição no primeiro turno se consegue mais votos que a soma de todos os rivais.

A pesquisa é a primeira realizada após o início oficial da campanha eleitoral, no último dia 6. Desde essa data, candidatos têm autorização da Justiça Eleitoral para realizar comícios, propaganda na rua e na internet, entre outras atividades de campanha. O horário eleitoral gratuito no rádio e na TV começa em 19 de agosto.

O percentual de entrevistados que disseram não saber em quem votar ou que não responderam passou de 11% no começo do mês para 14% agora. Brancos e nulos eram 13%, percentual que se manteve. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha 4%.

Veja os números do Datafolha na pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada ao entrevistado):

– Dilma Rousseff (PT): 36%

– Aécio Neves (PSDB): 20%

– Eduardo Campos (PSB): 8%

– Pastor Everaldo (PSC): 3%

– José Maria (PSTU): 1%

– Eduardo Jorge (PV): 1%

– Luciana Genro (PSOL): 1%

– Rui Costa Pimenta (PCO): 1%

– Eymael (PSDC): 1%

– Levy Fidelix (PRTB): 0%

– Mauro Iasi (PCB): 0%

– Brancos/nulos/nenhum: 13%

– Não sabe: 14%

Segundo turno

Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:

– Dilma Rousseff: 44%

– Aécio Neves: 40%

– Brancos ou nulos: 10%

– Não sabem: 5%

– Dilma Rousseff: 45%

– Eduardo Campos: 38%

– Brancos ou nulos: 11%

– Não sabem: 6%

Rejeição

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Confira abaixo:

– Dilma Roussef: 35%

– Pastor Everaldo: 18%

– Aécio Neves: 17%

– Zé Maria: 16%

– Eymael e Levy Fidelix: 14%

– Eduardo Campos e Rui Costa: 12%

– Luciana Genro, Mauro Iasi e Eduardo Jorge: 11%

– Não rejeitam ninguém: 11%

– Rejeitam todos: 6%

– Não sabem: 11%

O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha ouviu 5.377 eleitores em 223 municípios na terça (15) e na quarta (16). A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR00219/2014.

Fonte: G1

COMENTE AQUI

alexandre medeiros  18/07/2014

Essas pesquisas em épocas de campanha política no país, já deveriam ter sido banidas. Todas são tendenciosas e seguem apenas às diretrizes de quem estar bancando-a. Seja por baixo ou acima do pano. - Responder

Globo "aposenta" Xuxa Meneghel

625_315_1402358549Xuxa_Junno_AndradeA Globo decidiu aposentar de vez a “rainha dos baixinhos”. Xuxa Meneghel só voltará ao ar se for em um programa adulto. Há seis meses, a direção da emissora renovou contrato com a apresentadora por mais três anos, mas não espera que Xuxa volte com programa fixo até o final de 2016, quando o vínculo vencerá. Segundo um alto executivo da Globo, até lá Xuxa terá apenas especiais e fará em participações em programas de outros apresentadores.

De acordo com esse mesmo executivo, o novo contrato de Xuxa com a Globo é “simbólico”. Ele preserva a exclusividade sobre a imagem de Xuxa, mas não obriga a emissora a fazer esse ou aquele programa com a apresentadora. Não há essa obrigação.

Durante participação no Altas Horas, no último sábado, a própria Xuxa admitiu que não deverá ter programa pelo menos até o final de 2015. O que ela não disse é que também não há nenhum projeto esperando por ela em 2016. A Globo desistiu definitivamente de programas infantis e Xuxa vem batendo nessa tecla.

Além disso, ao se despedir do TV Xuxa, em janeiro, para tratar de um grave problema no pé esquerdo, Xuxa ganhou mais um concorrente. A sessão de filmes Cine Fã-Clube aumentou a audiência da Globo em 16% no horário. E tem um custo incomparavelmente menor. Logo, já tem gente na Globo que defende manter os filmes no ar e Xuxa, na fisioterapia.

‘Eu já não me aguentava mais’, diz Xuxa

Leia a seguir a resposta de Xuxa Meneghel à pergunta do repórter James Cimino, do UOL, sobre quando ela voltará ao ar, no último Altas Horas. O vídeo está neste link.

“Este é um ano atípico para todos nós. Começou com o Carnaval, logo depois a Copa, depois vai ter eleições e aí já é Natal e Ano Novo e eu estou com esse pé, que as pessoas falam que é uma sesamoidite, mas não é, eu realmente quebrei o sesamoide, meu osso. Ele não calcifica. Então estou usando essa bota pra ver se começa a irrigar o sangue, passar por ali, porque como eu fiquei com ele quebrado e usando salto alto, então necrosou. E aí não passa mais o sangue por ali.”

“Se eu usando a bota o sangue não começar a passar, vão me fazer três furos. Se isso não acontecer, eles vão retirar o osso. Então, para retirar o osso, eu não vou nem poder botar o pé no chão. Então estou fazendo tudo isso pra não precisar operar.”

“E se eu vier com qualquer programa agora, eu vou ter que ficar a maior parte do tempo sentada ou com certos movimentos limitados. Então eu não acho legal nem eu oferecer alguma coisa para a Globo nem a Globo vir me oferecer alguma coisa neste ano atípico.”

“E eu acho que é mais do que merecido eu ter um tempo para me cuidar e também dar um pouco de férias pras pessoas da minha cara, porque são 30 anos na televisão e são 28 anos só na Rede Globo. Eu já não me aguentava mais, sabe?”

“Eu acho bom as pessoas sentirem um pouco de saudade e eu terei que vir com uma coisa legal também.”

“Se rolar algum projeto muito legal para a televisão, e eu posso vir a oferecer ou até a televisão também, eles estão pensando em coisas para me oferecer, mas [não] pra este ano e não sei se seria pro ano de 2015 também, porque vai depender da minha recuperação.”

UOL

COMENTE AQUI

JB Tanco  10/06/2014

Não fará falta nenhuma. - Responder

Omar Salgado  10/06/2014

Dona Xuxa, se a Sra. não se aguentava mais, imagine nós, nesta tortura sem fim parece que há mil anos... - Responder

Comemoração título Globo: Internauta denuncia possível excesso da Polícia Militar em Ceará-Mirim

Segundo relatos de um seguidor do Blog, na noite dessa quinta-feira (6), após o título do Globo FC sobre o Baraúnas, na primeira fase do estadual, onde parte da torcida foi comemorar a conquista no centro da cidade de Ceará-mirim, com paredões, fogos e etc, e foi preciso, a pedido da Polícia Militar, que o som fosse desligado, quando eram  23h20, aproximadamente. Na ocasião, pouco tempo depois, um início de confusão aconteceu, de acordo com o internauta, quando os policiais retornaram ao local onde os veículos estavam estacionados e teriam dado voz de prisão a todos eles. Não se sabe quantos.

Ainda segundo o internauta, com a atitude da Polícia, a população se revoltou e iniciou uma “avalanche” de vaias. Resultado: segundo o seguidor do Blog, policiais teriam começado a atirar para cima com objetivo de dispersar a população, que estava distribuída, inclusive, com idosos e crianças. Por fim, antes do Globo chegar de Mossoró, a festa foi encerrada.

COMENTE AQUI

Diretor do Vídeo Show vira motivo de piada nos bastidores da Globo

625_315_1391555270Ricardo_Waddington_vira_piadaAté recentemente visto como favorito ao cargo de poderoso diretor-geral de Entretenimento da Globo, Ricardo Waddington virou motivo de piadas nos bastidores da emissora. O diretor, que não é nada popular entre os funcionários do Projac, agora é alvo de comentários irônicos.

Como diretor de núcleo, Waddington comanda atualmente três dos quatro programas mais problemáticos da Globo no Ibope: o Vídeo Show (que anteontem pela primeira vez perdeu a liderança para a Record) a novela das seis, Joia Rara, e a das sete, Além do Horizonte, que deve entrar para a história como a pior audiência do horário em todos os tempos. Só faltou Malhação.

Nas conversas reservadas dos corredores da Globo, Waddington é chamado de “Salvador da Pátria”, a quem se deve recorrer quando se tem um problema. Tudo com muita ironia, é claro.

Responsável pela bem-sucedida Avenida Brasil, Ricardo Waddington, no entanto, está com prestígio em alta na cúpula da Globo. Amor & Sexo, que iria terminar em 2013, ganhará nova temporada em 2014. Ele também já foi escalado para comandar uma das próximas novelas das seis da emissora, Saber Viver, do português Rui Vilhena.

Enquanto isso, os profissionais do Vídeo Show se matam de curiosidade para saber o que vai acontecer com o programa, que não decolou com Zeca Camargo. Centralizador, Waddington não conta nada para ninguém. Ele assumiu o comando do programa em outubro e o transformou em um talk show com atores da Globo recortado com reportagens sobre os bastidores da emissora.

UOL

COMENTE AQUI

Greve impulsiona audiência da Globo

Mulher passa por uma faixa escrita ‘Greve Geral’ durante dia de manifestações contrárias às reformas propostas pelo governo Michel Temer no Rio de Janeiro – 28/04/2017 (Sergio Moraes/Reuters)

A Globo não tem muito do que reclamar da greve. No último dia 28, a emissora teve a maior audiência dos últimos 6 anos no dia inteiro e em 7 anos na manhã de uma sexta-feira em São Paulo .

A média do dia foi de 21 pontos e 38% de participação, enquanto apenas no período da manhã foi de 17 pontos e 40% de participação na cidade.

O Globo Esporte, especialmente, tem muito o que comemorar. Foi o melhor resultado em 10 anos — 19 pontos e 35% de participação.

Radar On-line, Veja

COMENTE AQUI

Helcio Passarinho  03/05/2017

Quanto mais a turma do PT bate em alguém, numa instituição, numa empresa, mais as atenções são voltadas a elas. A esquerda vive difamando a globo e a audiência da emissora subindo, subindo, subindo... Continuem fazendo isso petistas, batendo na globo - Responder

Val Lima  03/05/2017

Os bolivarianos adoram esse tipo de notícia.... rsrsrs - Responder

carlo  03/05/2017

greve ? que greve ? Aquela que a Globo não retratou ! ? Os jornais de todo mundo noticiaram a greve geral como uma das maiores ja vista no brasil, já os jornais brasileiros, em especial, a globo, tratou com desdém e intitulou como coisa de vagabundo e de vândalos. Jornalismo pelegozinho esse da globo e de alguns jornais nacionais. - Responder

CENSURA? Globo notificará sites que falam de operação da emissora com o BNDES

globoO Grupo Globo decidiu notificar extrajudicialmente sites e blogs que têm noticiado um suposto empréstimo do BNDES que teria beneficiado a emissora.

O assunto foi levantado pela ex-funcionária da TV Globo Mirian Dutra, que teve um relacionamento pessoal com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ela afirmou em entrevista que a Globo a teria “exilado” com contratos na Europa para evitar que sua volta ao Brasil e a relação com FHC prejudicassem a imagem do então presidente. Em troca, a emissora teria recebido financiamentos do BNDES a juros baixos.

A Globo tem em seu site uma versão para essa história: o BNDES era sócio da Globo Cabo, companhia de TV por assinatura do Grupo Globo, e acompanhou o aumento de capital da empresa realizado em 1999. O banco não teria realizado nenhum financiamento ou empréstimo a empresas do grupo.

A novidade neste episódio foi o Grupo Globo tomar a iniciativa de notificar os sites e blogs para que reafirme a informação ou se retratem. A ideia é processar os que não responderem de acordo com o que a emissora considera a versão correta dos fatos.

Fonte: Fernando Rodrigues / UOL

COMENTE AQUI

Brasil, meu país!  24/02/2016

A globo pedir versão corretas dos fatos? A piada da noite de hoje! A maior manipuladora das mentes fracas desse país! - Responder

Vitor  24/02/2016

A cara da Globo começa a aparecer. Estão se sentindo como no tempo da ditadura, protegidos pela "tendenciosa" justiça do Moro. - Responder

Beto costa  24/02/2016

Ta certo a globo. A lei existe p isso.. - Responder


+ Ver todos os comentários

Galvão Bueno: 'Sou um vendedor de emoções.' Narrador desistiu de se aposentar e tem contrato com a Globo até 2019

esporte-futebol-globo-galvao-bueno-20140721-002-size-598Desde 1974, o Brasil ouve Galvão Bueno narrar a Copa do Mundo. Foram onze até hoje. E, se depender dele, outras virão. O locutor esportivo chegou a anunciar que não narraria mais Mundiais, mas mudou de ideia e acaba de renovar contrato com a Rede Globo até 2019. Nesta entrevista, ele diz que a derrota épica do Brasil para a Alemanha e a perda do hexa em casa não abalam a mística do país do futebol e que não pode ser acusado de elogiar demais — seja a seleção, o Felipão ou o Neymar. “As pessoas esquecem que estou lá para animar o espetáculo.” Galvão Bueno recebeu VEJA para a conversa que se segue pouco antes de embarcar para a Alemanha, onde vai narrar o Grande Prêmio de Fórmula 1 deste fim de semana.

Derrotado em casa, humilhado pela Alemanha e ultrapassado pela Argentina — o Brasil ainda pode ser chamado de o país do futebol? Não há dúvida de que a derrota para a Alemanha foi humilhante e que fomos ultrapassados pela Argentina. Mas a mística da seleção não sofre impacto. O mundo todo ainda nos ama e nos vê como o país do futebol por tudo o que fizemos nestes quase 100 anos, pela maneira com que sempre jogamos. Quem teve Garrincha e Pelé? O que precisa ser feito é uma revisão de valores, para que se possa retomar o caminho certo. Não se pode confundir o desempenho de um time com a riqueza de uma história.

A reação à derrota para a Alemanha por 7 a 1 foi exagerada? O apresentador Luciano Huck, seu colega, chegou a dizer que aquilo foi o nosso 11 de Setembro. Houve reações exageradas, sim. No caso do Luciano, eu falei na hora para ele: “Pois é, Luciano, são coisas diferentes. Lá as consequências foram outras”. Mas quem não erra na vida? Já falei um monte de bobagem. Nas eliminatórias da Copa de 1990, eu me atrapalhei e narrei um gol errado. E comecei a dar desculpas. No dia seguinte, o Armando Nogueira (jornalista esportivo morto em 2010) me chamou e disse: “Você perdeu a maior chance da sua vida de ter sido simpático com o telespectador e reconhecer o seu erro em vez de ficar dando desculpas”. Daquele dia em diante, cada vez que erro, e sei que errei, reconheço e peço desculpas.

O senhor foi acusado de ter elogiado o técnico Luiz Felipe Scolari durante todo o torneio e passado a criticá-lo para valer só depois do 7 a 1. Isso foi um erro? Desde o primeiro jogo desta Copa, o Casagrande, o Ronaldo e eu sempre fizemos críticas à forma como a seleção estava jogando. Eu disse, em alguns momentos, que o trabalho do Felipão era coerente. Mas em momento algum elogiamos a seleção nem dissemos que era uma maravilha. Entre as muitas coisas que aprendi com o Armando Nogueira é que devemos elogiar sem bajular e criticar sem ofender. Eu pauto a minha vida com base nisso. Nunca fiz uma crítica que carregasse ofensa pessoal. E nunca fiquei babando ovo para ninguém.

Mas no jogo contra Camarões, quando o Ronaldo criticou a seleção, o senhor perguntou se ele não estava sendo “exigente demais”. Você não pode esquecer que eu também tenho o papel de animador da brincadeira. Sou um vendedor de emoções que anda no fio da navalha. De um lado, tem a emoção que você tem de vender e, do outro, a realidade dos fatos. Na Copa do Mundo, mesmo que o time não tenha feito uma grande partida, tem a festa, todo aquele envolvimento das pessoas. Mas em momento algum nós dissemos que a seleção jogou um grande futebol. O que eu disse foi: a comissão técnica tomou um caminho na Copa das Confederações e acertou em cheio. Persistiu nesse caminho na Copa do Mundo e o trabalho não funcionou. O erro, pareceu-me, foi a falta de humildade de reconhecer que a Alemanha era melhor. E acabar jogando com pouca cautela.

Os jogadores brasileiros choram demais? Nunca vi uma seleção que chorasse tanto. Criou-se um clima um pouco exagerado em cima desta Copa no Brasil. Acho que isso tem a ver com essa coisa do hino cantado a capela. Era emocionante mesmo. Nas primeiras vezes que ouvi, fiquei com lágrimas nos olhos. Mas não precisava ser algo levado a um nível tão extremo. Tenho minhas dúvidas se isso não abalou o emocional do time. Houve um exagero na contusão do Neymar também, aquela coisa meio fúnebre, de levar a camisa dele no jogo contra a Alemanha. Tinha visto isso na Copa das Confederações, quando morreu o jogador de Camarões, em 2003. Pode ter prejudicado também. Fala-se muito em time de guerreiros, grupo de guerreiros, mas futebol é um esporte. O Brasil criou a fama do futebol dele com arte, não com um time de guerreiros. É um momento de retomada desse caminho.

Foi a Copa das Copas? Esse termo “Copa das Copas” é fruto de um interesse político que não me interessa nem me agrada. Mas foi uma Copa especial, disputada com intensidade, como poucas vezes eu vi. Teve a Colômbia, os Estados Unidos, a Costa Rica… Foi uma Copa de superações. A de 1982 talvez tenha sido, de todas de que participei, a mais fantástica, pelo time que o Brasil tinha, pelo fato de ter sido batido pela Itália. Esta foi uma Copa de muita emoção. Não vou dizer que tenha sido a mais bela ou a mais técnica.

Agora virou moda dizer que o futebol brasileiro precisa mudar. Quais as mudanças necessárias, na sua opinião? No que diz respeito à seleção, acho que deve existir um gestor, um sujeito com experiência e conhecimento do futebol internacional, que saiba como se trabalha na França, na Itália, na Espanha, no Brasil. É alguém para se preocupar menos com o dia a dia e mais com os caminhos a ser seguidos. Na minha opinião, ninguém está mais bem preparado neste momento para assumir essa tarefa do que o (ex-jogador) Leonardo. É um sujeito que fala cinco idiomas, foi campeão na França e na Itália e tem formação de técnico e gestor.

E, para o técnico, concorda com a tese de que ele deveria ser um estrangeiro? Não sou dessa linha. Primeiro, devemos pensar no caminho a tomar. Veja bem, eu sou um narrador e não tenho de opinar sobre nome de técnico. Cito alguns nomes agora, mas apenas como detentores de certas características, como o perfil adequado para o momento. Como técnico, você tem o Tite, o Muricy, o Abel Braga, o Luxemburgo, grandes nomes do Brasil. Vamos enfrentar uma eliminatória duríssima, talvez a mais difícil do futebol brasileiro, e por isso esse trabalho tem de ser muito bem pensado.

Sem mudanças no comando da CBF, o senhor acha possível darmos um salto como deu a Alemanha a partir da derrota na Eurocopa de 2000? Tem um presidente eleito, não vejo como mudar. Isso é uma coisa muito complicada de discutir e de responder numa frase. Tivemos, todo mundo sabe, uma série de problemas na gestão do Ricardo Teixeira, que foi excessivamente longa e deixou sombras que o obrigaram a renunciar. Mas foi uma gestão com várias conquistas esportivas. Seria muito melhor que elas tivessem acontecido sem as sombras. Está respondido? Não tenho poder de decisão sobre a CBF, mas gostaria, sim, que ela se modernizasse e se modificasse.

Nas redes sociais, o senhor ganhou o apelido de “Neymarzete”. Acha que exagera nos elogios ao jogador? Cada um fala o que quer, mas eu não concordo. Acho até que em certos momentos critiquei excessivamente o Neymar. Casagrande e eu temos a tese de que ele deve prender a bola na área, porque lá não vão cair em cima dele. Quando o Neymar prende a bola lá atrás, toma pancada o tempo todo. Agora, ele é a nossa estrela, é quem mais brilhava, e as pessoas não podem esquecer que eu estou lá para animar o espetáculo, para vender emoções. E, para aqueles que dizem que exagero, gostaria que ouvissem narrações de locutores de outros países. Sou até contido.

A atuação do Ronaldo como comentarista na Copa foi bastante criticada. Como o senhor a avalia? Essa reação é absolutamente normal. Quando o Pelé começou a trabalhar com a gente, nos anos 80, as pessoas esperavam que ele pegasse o microfone e desse o show que dava como jogador. Com o Ronaldo é a mesma coisa. Ele foi um dos maiores atacantes da história do futebol mundial. Daí, as pessoas imaginam que, como comentarista, ele vai pegar o microfone e se sair como Frank Sinatra. Não é assim, são coisas diferentes. No início da Copa, ele foi, entre nós, o primeiro a criticar a seleção de forma mais incisiva.

E a Patricia Poeta, com quem o senhor fez dupla? Ela teve um papel difícil, substituir o que a Fátima Bernardes fez em Mundiais anteriores, quando conseguiu uma empatia forte com jogadores, telespectadores. Ela foi muitíssimo bem. Preparou-se intensamente para ter domínio sobre o assunto e conseguimos fazer um contraponto da notícia com a opinião. Por isso, inclusive, o nosso espaço no telejornal foi aumentando. Ontem fui lá dar um abraço no William Bonner, porque o editor-chefe do jornal, quem pagina o jornal, é ele. E o Bonner nos deu espaço, incentivou-nos o tempo todo.

O senhor está para lançar um livro de memórias… Nestes quarenta anos de carreira convivi com todos os grandes personagens do esporte brasileiro. Então, conto minhas histórias com Pelé, Ayrton Senna, Nelson Piquet, Fittipaldi, Rivellino, Zico.

O senhor vai revelar alguma coisa sobre esses jogadores famosos ou sobre o piloto Ayrton Senna que até hoje ninguém ficou sabendo? O Ayrton tinha aquela cara de bonzinho, mas era muito sacana. Ele tem duas comigo que não se faz. Uma vez, fomos embarcar para Miami e ele prendeu três cadeados nas passadeiras da minha calça, sem que eu percebesse. Evidentemente, eu fui barrado no raio X. E eu dizia: “Mas como vou tirar isso daqui se não tenho a chave?”. E o Ayrton falava para o americano do controle que estava me barrando: “Ele é maluco, não deixa esse louco entrar no avião”. A outra vez foi no avião para o Japão. Tirei o paletó e a camisa, fiquei de camiseta, e deixei lá. Quando fui me vestir, minha camisa estava sem gola, sem botão e sem punho, que ele tinha cortado. Desci num calor danado e todo tapado com o paletó, e o Ayrton dizia para o japonês da imigração: “Manda ele tirar o paletó que você vai perceber que ele não pode entrar no país porque é maluco”.

Um jornalista sueco disse que, em uma entrevista no começo do mês, o senhor teria afirmado que era tão famoso quanto Bono Vox. Acha mesmo isso? Não falei aquilo em hipótese alguma. Esse rapaz escreveu um livro. Eu concordei em dar uma longa entrevista a ele. Foi ele quem ficou impressionado com o assédio em torno de mim. Isso é uma coisa que veio dele. Nem li o livro ainda. Não sou idiota de falar isso, de me comparar com quem quer que seja do tamanho de um Bono Vox. Se tivesse dito isso que ele me atribui, eu mesmo seria o primeiro a me considerar um idiota total.

Em uma entrevista a VEJA em 2010, o senhor disse que a Copa de 2014 seria a sua última. Agora, renovou contrato com a TV Globo até 2019. Desistiu de se aposentar? O que eu disse foi que não me via fazendo outra Copa do Mundo fora do Brasil. E naquele momento não me via mesmo. Mas a vida é dinâmica. Não se esqueça de que nós tivemos uma mudança de gestão na Rede Globo, muito relacionada à minha área. Eu me sinto extremamente feliz hoje trabalhando. É um novo desafio. Fo­ram-me propostas coisas novas. Cheguei à conclusão de que é o que eu gosto de fazer, o que sei fazer, é onde eu realmente me realizo. E tem uma história de quarenta anos. Enquanto me sentir bem, com saúde e em condições de fazer o trabalho, e a Globo entender que eu sou importante nesse trabalho, vou ficar. Tenho contrato até depois da Copa de 2018. Então, respondendo à sua pergunta, voltei atrás, sim. Não tenho motivos para parar agora. Então, por que parar?

Veja

COMENTE AQUI

Carvalho  22/07/2014

Cuidado pois essas investidas dos PTralhas vão culminar com a demissão desse profissional exemplar, pois os bandidos adoram mexer no que é bom. - Responder

Dj' Manynho  22/07/2014

Vendedor de emoção e conversador de M... tremendo puxa-saco. - Responder

sergio  22/07/2014

PUXA SACO!!! - Responder

América encara Globo em amistoso na noite desta quarta, no Nazarenão

Para fechar a preparação da equipe em termos de amistosos e jogos-treinos, o América joga nesta quarta-feira (9), às 20h, no estádio Nazarenão, contra a equipe do Globo. O técnico Oliveira Canindé promove os últimos ajustes na equipe para a volta da Série B, na terça-feira (15), contra o Bragantino, na Arena das Dunas. Os ingressos para hoje estão custando R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Com informações do Vermelho de Paixão

COMENTE AQUI

"Acordei sem dinheiro para tomar um café", dispara jornalista Fernando Vannucci sobre batalha judicial com a Globo

1en5ahz7hg_8fago8hye9_fileA Roleta da Morte do último Domingo Show recebeu o jornalista esporte Fernando Vannucci. Cheio de histórias para contar de sua carreira jornalística, ele abriu o coração para falar das polêmicas perguntas propostas e não deixou de responder a polêmica saída da TV Globo.

A Morte girou a Roleta e a primeira pergunta destinada ao jornalista esportivo veio da plateia.

– Vannucci, você sente falta de trabalhar na TV?

Sem titubear, Fernando afirmou que o jornalismo é sua vida.

– Claro, eu sinto muito falta, é a minha vida. Eu comecei a trabalhar com 14 anos em rádio. É a única coisa que eu gostava de fazer. Me formei em direito, mas nunca advoguei na vida. Foi um erro, porque eu poderia trabalhar como jornalista e advogado. Mas, enfim, sinto muita falta do jornalismo. Estou há dois anos fora da televisão e isso me doí muito.

Geraldo Luís aproveitou o gancho da pergunta para saber se Vannucci ficou doente com a falta de oportunidade na TV.

– Você ficou doente por falta de trabalho?

Sem um diagnóstico concreto, o jornalista afirma que a situação colaborou.

– Não cheguei a ter um diagnóstico de doença, mas você fica pra baixo e depressivo. Eu já há muito tempo tomo remédios para dormir. Eu também já precisei fazer uma cirurgia no coração.

A Roleta voltou a ser girada e Fernando Vannucci precisou responder a polêmica pergunta desafeto.

– Você guarda magoa por ter sido demitido da globo?

Antes de qualquer coisa, Vannucci procurou explicar toda a situação.

– Primeiro, eu não fui demitido da Globo. Eu estava apresentando o Esporte Espetacular junto com a Mylena Ciribelli e como fazíamos um lanchinho entre uma matéria e outra, porque o programa começava muito cedo, eu achei que quando a matéria terminasse ia voltar para a Mylena e cortaram pra mim.

Apesar de parecer um pouco estranho o fato de terem cortado a câmera justo no momento em que estava terminando de engolir o lanche, o jornalista acredita que não ouve maldade.

– Não foi de maldade, não. Eu não tenho nada contra ninguém de lá. Naquele dia eu terminei o programa e depois me colocaram na geladeira.  Fiquei uns dois ou três meses afastado, mas, ia lá todo o dia para conversar com o diretor e dizia que tudo aquilo era bobagem comparado a gente que colocava o dedo no nariz ao vivo, isso já aconteceu no Fantástico. Só não vou dizer quem é, pois ela é muito minha amiga.

Após todo o entrave com a direção do programa esportivo, Vannucci ganhou uma nova chance num jornal matinal.

– A Globo me colocou de castigo para apresentar o Bom dia RJ para que eu chegasse às quatro da manhã e encarei aquilo com naturalidade e cumpri com a proposta. Depois, me mandaram o Bom dia Brasil e aí me deram as férias e durante elas um companheiro do esporte ligou dizendo que havia visto a luz no fim do túnel pra mim, porque o carnaval vem aí.

A proposta desse companheiro era que o jornalista trabalhasse no Carnaval daquele ano.

– Eu narrei o carnaval por 16 anos na TV e, desculpe a minha falsa modéstia, eu fazia aqui com muito carinho e com muita competência. Eu gostava de fazer o carnaval e o esporte, quando você faz o que gosta, faz bem. No outro dia peguei o avião para visitar as escolas e acho que foi o ano que mais caprichei na transmissão. Fiz a apuração na quarta-feira de cinzas e achei que as coisas voltariam ao normal.

Porém, uma carta enviada para a casa de Fernando mudou essa história.

– Numa quinta ou sexta, eu recebi em casa uma notificação cobrando o valor da multa do meu contrato com a Globo. Isso me deixou danado da vida, na hora que eles precisaram de mim no carnaval e vim correndo, feliz da vida, pensando: Puxa vida, vou fazer as pazes com a casa, mas  acontece isso na sequência. Eu fui pedir a demissão e não me deram, mas aquilo começou a me irritar e eu larguei de vez.

Com a saída da emissora, Fernando enfrentou uma batalha judicial com a emissora e acabou saindo mal na história.

– Eles entraram com uma ação civil cobrando a multa e até ganhei a ação trabalhista, mas eles ganharam a civil e, como o meu advogado bobeou, eles conseguiram bloquear todas as minhas contas. Em 2012, eu acordei da noite para o dia sem dinheiro para tomar um café.

R7

COMENTE AQUI

TV Globo exclui 30 capítulos e encurta a novela Em família

Crédito: João Miguel Jr/TV Globo. Cena da novela Em família.A Globo optou por encurtar Em família e a trama terá 149 capítulos, 30 a menos do que o previsto inicialmente. Será o menor folhetim do horário das nove desde Os gigantes, de 1979. O principal motivo para o encurtamento seria uma adaptação da grade para a Copa do Mundo.

Agora, o folhetim de Manoel Carlos chegará ao fim no final de julho. O novo cronograma não deixou Aguinaldo Silva preocupado. O autor, que irá ocupar o horário com Falso brilhante, garante que tem trabalhado em ritmo acelerado desde o início.

Diário de Pernambuco

COMENTE AQUI

Globo fatura R$ 11,5 bilhões, dez vezes mais que Record e SBT

A TV Globo fechou 2013 com um faturamento recorde de R$ 11,5 bilhões, já descontadas as comissões e bonificações de agências de publicidade. O crescimento em relação a 2012 foi de 9,2%. Os números, obtidos com exclusividade pelo Notícias da TV, só serão divulgados em balanço oficial em março.

Essa receita é somente das emissoras próprias da família Marinho. Não incluem as afiliadas da rede, apenas a participação que a Globo tem pela veiculação de publicidade nacional nessas emissoras.

Com o resultado, a Globo deve ter faturado sozinha mais da metade de todas as emissoras de TV do país juntas, incluindo suas próprias afiliadas e as concorrentes. Até novembro, segundo o Projeto Inter-Meios, que monitora os investimentos publicitários, a televisão aberta tinha arrecadado R$ 19,370 bilhões. O dado final de 2013 ainda não saiu, mas no mercado se projeta algo em torno de R$ 21,5 bilhões.

O faturamento da Globo equivale a mais de dez vezes as receitas de SBT e Record em São Paulo, principal mercado do país. Uma outra comparação avassaladora: sozinha, a Globo fatura um terço do que todas as empresas de mídia do país arrecadam com publicidade, incluindo jornais, revistas, TV por assinatura, rádios e internet.

O crescimento da Globo foi em linha com o mercado de televisão. Até novembro, as TVs abertas tinham crescido 9,4%, de acordo com o Inter-Meios. Para este ano, a Globo projeta um crescimento de 6% a 8%, mesmo com a Copa do Mundo.

UOL

COMENTE AQUI

ABC joga sem inspiração e perde para o Globo em Ceará-Mirim

Sem inspiração, o ABC foi superado pelo Globo e derrotado pelo placar de 2 a 0, na tarde desta quarta-feira (22), no estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, na Grande Natal. Os gols do Globo foram marcados aos 25 e 26 da etapa final, através de Ricardo Lopes.

Com o resultado antes do término da rodada, a liderança do Grupo A é do time de Ceará-Mirim, com seis pontos. Já o alvinegro, que ainda não venceu na primeira fase do estadual, amarga apenas dois pontos.

O próximo desafio do alvinegro está marcado para este domingo(26), no clássico diante do Alecrim, na abertura oficial de jogos do estádio Arena das Dunas. Já o time do Globo, recebe o Palmeira no sábado(25), no Barrettão.

COMENTE AQUI

paulo kasinsk  22/01/2014

Cansa, falar do blablabla do sr. Roberto Fernandes. Mas tem quem compre. Figuraça. - Responder

Winston Azevedo  22/01/2014

É porque o abc caiu no grupo da mortr - Responder

Winston Azevedo  22/01/2014

É porque o abc caiu no grupo da morte - Responder


+ Ver todos os comentários