O caminho de Leandro Campos

Leandro Campos no período de 14 meses a frente do ABC se tornou o técnico mais vitorioso do clube. Não pela quantidade, mas pela importância dos títulos e dos resultados. Leandro foi bicampeão potiguar, vice da Copa do Nordeste, conseguiu o acesso para a Serie B e de quebra deu a uma equipe do Rio Grande do Norte o primeiro titulo Brasileiro. Os números, as estatísticas do técnico a frente do ABC são impressionantes, seu aproveitamento é de  tirar o chapéu.

Mas não são por esses numeros que não podemos fazer uma critica mais apurada. Vejam que  em todas as competições que o professor dirigiu o ABC, tirando o estadual 2010, o time  tinha um elenco mais forte do que os adversários. No estadual deste ano nem se fala, a superioridade alvinegra frente aos adversários, seja financeira ou tecnicamente era colossal. Nenhum técnico na história do ABC teve, e tem  as condições de trabalho dele, nenhum técnico no ABC teve a liberdade e a estrutura de uma departamento de futebol trabalhando para ele como atualmente. O planejamento do futebol alvinegro é tão grande que até viagens no estadual para cidades como Pau dos Ferros e Mossoró são feitas com antecedências de um dia para não cansar o elenco. A base do elenco de 2010 foi praticamente toda renovada por indicação do treinador, quase todos os reforços do primeiro semestre foram indicações do treinador, e o ABC conta hoje com um sistema de premiação que são poucos clubes no Nordeste que tem. Só na serie C do ano passado o clube pagou mais de meio milhão de reais  de premiação.

A projeção do ABC é brigar para subir, e o clube não economizou em trazer reforços e jogadores bem indicados e referendados pelo menos por dois profissionais de fora. Chegaram doze reforços para a Serie B e o time que está jogando, é  praticamente o mesmo do estadual. Se olharmos o retrospecto dos últimos clubes que conseguiram acessos todos ele acumularam gordura nas primeiras rodadas porque a disputa é mais fácil, uma vez que muitos times ainda estão em formação, enquanto  o ABC nas duas primeiras deixou escapar quatro pontos por medo de VENCER. Poderíamos ter voltado de Bragança com três pontos, poderíamos ter matado o jogo aqui contra o fraco Salgueiro, e o que vimos nesses dois jogos é que  o time se conformou com o resultado em Bragança Paulista,  e aqui não saiu com a derrota por sorte, porque no segundo tempo o time de Pernambuco foi muito superior.

Nunca  vi Leandro Campos falar numa entrevista: “não vencemos hoje porque o ATAQUE não encaixou”. Mas já vi muitas e muitas após um jogo de um resultado negativo ele afirmar que “o encaixe de marcação”, que a defesa não foi bem, que a proteção da zaga não funcionou que o esquema defensivo falhou.

Os torcedores, e os adversários do ABC já sabem a forma que o ABC joga desde o ano passado, nunca nesses quatorzes meses a frente do clube o ABC teve uma inovação tática, salve engano em apenas uma ou duaz vezes em 14 meses o treinador fez uma alteração audaciosa. Se tira um volante entra outro, se tira um zagueiro entra outro, independente se o time este precisando do resultado ou não. Não quero com esse meu artigo abrir crise ou, que o técnico saia, longe de mim, gosto dele, mas o que digo é de fácil comprovação de todos. Ou Leandro Campos se adapta   ao  grande números de jogadores que tem, arruma uma forma dos melhores jogar imediatamente e se torna audacioso, ou o ABC corre sérios riscos na B. Num campeonato de pontos corridos aqueles que começam mal dificilmente conseguem subir, num campeonato de pontos corridos quem joga para empatar ou ganhar de um a zero corre muitos riscos de sempre perder, num campeonato de pontos corridos é melhor voce muitas vezes arriscar ganhar e até perder do que sair com um empate.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José A Fernandes disse:

    Leandro Campos é o menos culpado pelo jogo contra o Salgueiro. O ABC quando perdeu R Oliveira, levou uma cacetada do Santa Cruz (4×0). Restabeleceu-se com atuações de Basílio, colocando ordem no meio de campo. Contra o Salgueiro, com a saída de Basílio, o time perdeu o controle do meio de campo e não conseguia trocar 3 passes. Todo segundo tempo, foram chutões dos zagueiros e o Salgueiro cresceu. O meio de campo do ABC sem R Oliveira ou Basílio é uma lástima; se não cuidar será rebaixado e Leandro Campos, crucificado pelos Pilatos ABCdistas!!

  2. PERFEITA SUA ANÁLISE, SEM REPAROS. O TIME NÃO CRIA OPORTUNIDADES DE GOLS E O TÉCNICO SÓ FALA EM "ENCAIXE DA MARCAÇÃO".

  3. @borgesneto12 disse:

    BG, concordo com vc em gênero, número e grau. É triste jogar com times tecnicamente inferiores, caso do Bragantino e do Salgueiro, e só empatar. Deixamos escapar a liderança e por conseguinte uma alegria contagiante na torcida que poderia render bons frutos em termos de marketing e arrecadação. Agora é ganhar ou ganhar. Ou então, o professor vai ter que ser "remanejado" para outro clube.

  4. halisom de carvalho duarte disse:

    com toda certeza ele nao vai mudar o seu esquema de jogo ,o que acarretara a sua demissão logo logo.Esse e meu pensamento,e tem mais a diretoria do nosso clube tem que parar com isso de deixar o treina dor decidir tudo afinal ele também e um funcionário da empresa e deve aceitar as imposições da mesma.

COMENTE AQUI