Diversos

Decreto libera campeonato estadual de futebol, e permite abertura de tempos religiosos(com capacidade máxima de 20%)

Conforme o novo decreto estadual,  em vigor a partir de segunda-feira(05) até o dia 16, os eventos esportivos de futebol profissional, previstos em agenda de campeonatos oficiais, poderão ocorrer desde que observada a proibição de público nos locais de treinamentos e partidas, bem como a realização de testes em todos os participantes na véspera de cada disputa.

Fica permitida a abertura das igrejas, templos, espaços religiosos de matriz africana, centros espíritas, lojas maçônicas e estabelecimentos similares, inclusive para atividades de natureza coletiva, respeitadas as recomendações da autoridade sanitária, especialmente o distanciamento mínimo de 1,5 m (um metro e meio) entre as pessoas, a limitação de 1 (uma) pessoa para cada 5 m² (cinco metros quadrados) de área do estabelecimento ou frequência não superior a 20% da capacidade máxima, o que for menor.

Leia íntegra AQUI.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Com o cancelamento do Campeonato Estadual, o torcedor potiguar aguarda como ficam as vagas nas competições nacionais

Foto: Comunicação/FNF

Com o cancelamento do Estadual divulgado nessa quinta-feira(25), o torcedor potiguar, de imediato, questiona como ficam as vagas para Copa do Brasil, Copa do Nordeste Brasileiro da Série D 2021.

A resposta da Federação Norte Riograndense de Futebol(FNF) precisa ser urgente. Os clubes precisam de calendário, ou quebrariam, definitivamente.

Enquanto se tem uma informação oficial, teorias como uma eventual concordância da CBF em aceitar os classificados em 2020 caem na boca do povo.

Opinião dos leitores

  1. Chantagem da federação e clubes, quero saber quem vai devolver os valores dos patrocínios do estadual ao governo do estado e tvband

  2. Quero saber qual suporte financeiro que o governo estadual vai dá aos clubes ? Em um estado em que não se vê nenhum tipo de política pública para o fortalecimento do esporte amador, o esporte salva vidas Sra Governadora, para a Sra e sua equipe que parece que desconhece os benefícios do esporte para a juventude. VERGONHA!!!

    1. O que tem haver o fundo com as calças? Chega de guerra politica gadoooo. Muuuu

    2. O gado é desinformado. A decisão sobre o decreto não foi só dá governadora, mas do prefeito também. O presidente da FNF é que tomou uma decisão louca ou política. E olha que o governo do estado patrocina o campeonato estadual potiguar. Uma irresponsabilidade do presidente da FNF, mais uma .

  3. Decisão pouco inteligente do presidente da FNF. Tem como objetivo único pressionar o governo. Tiro no próprio pé! Medida sem sentido!
    Os que os clubes vão fazer, dispensar os atletas e contratatar tudo de novo para o brasileiro? Claro que não, arcarão com os custos do elenco sem ter um campeonato profissional para servir de preparação. O América será mais prejudicado que o ABC,time de coração do presidente da FNF, que está jogando o Nordestão.
    Acho que o caso do futebol pode sim ser analisado de outra forma pela governadora, mas essa atitude do presidente da FNF, que pode estar blefando, pode sim ser a pá de cal nos clubes potiguares. Os contratos dos jogadores já estão assinados e registrados, só que agora não terão um campeonato pra jogar, MAS AS DESPESAS SERÃO AS MESMAS.

  4. Se ABC e América falirem, não fará a menor diferença. Pelo menos os torcedores selvagens, que brigam entre si e perturbam o sossego das pessoas de bem, vão ter que procurar o que fazer.

    1. Não faz a menor diferença pra vc seu IMUNDO, existem torcedores de bem tbm… existem famílias que amam esses clubes, existem pais de família que vivem de futebol, sejam eles jogadores, imprensa, médicos, preparadores físicos, dentre outros… então se informe primeiro pra não falar merda…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

São Paulo vai fechar escolas e igrejas e parar futebol

O governo de São Paulo vai anunciar nesta quinta-feira a recomendação de fechamento das escolas para aulas presenciais, o fechamento de igrejas e demais templos religiosos e a interrupção de campeonatos esportivos, inclusive de futebol.

As escolas públicas ficarão abertas apenas para crianças que precisem de alimentação. As escolas privadas poderão abrir para receber crianças de pais que precisem trabalhar fora, mas a recomendação na entrevista coletiva será de que adotem o ensino remoto.

O martelo acaba de ser batido em reunião que ainda acontece entre o governador João Doria Jr., secretários e representantes do comitê de contingência da pandemia do Estado.

As medidas, que compõem uma ainda inédita fase roxa do Plano São Paulo, serão anunciadas em entrevista coletiva às 12h45.

Mais cedo, Doria divulgou vídeo de quatro minutos em que prepara terreno para a adoção de medidas mais duras e restritivas. No vídeo, ele classifica a situação do sistema de saúde do Estado como de iminente colapso e afirma que, enquanto não há vacinas em quantidade suficiente, o único caminho é aumentar o isolamento social.

O tucano pede a colaboração da população para respeitar as medidas e cobra o governo federal para a compra de mais vacinas, além das doses já produzidas pelo Butantan e pela Fiocruz.

Na fase roxa não haverá a restrição ao transporte público, que tem sido um dos principais focos de aglomeração.

Vera Magalhães – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Essa Lucis, esse Yago João Carlos respondam aqui: Vcs trabalham aonde ou melhor, se é público ou privado? quero ver se vcs são o que dizem.

  2. Esse "lockdown" apenas prova a INCOMPETÊNCIA e IRRESPONSABILIDADE dos governantes que o adotam. Tiveram UM ANO para criar leitos hospitalares e o governo federal repassou MUITO dinheiro para estados e municípios. Por que não criaram os leitos, então? Nada justifica ainda falarem em falta de leitos. Cadê os hospitais de campanha? Absurdo!

    1. Quem ia “gestar” o leito? Você mesmo?
      Você acha que um leito de UTI opera sozinho?
      Esclerosado.

  3. BG!!
    TO SÓ ESPERANDO PRA VÊ COMO VAI SER A NOVA NARRATIVA DESSES SEM VOTOS, O CALÇA COLADA, CIRO GOMES, LUCIANO HULK, E MANDETA DEPOIS DO PRESENTE DO FAQUIM A LULA LADRÃO.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    São uns pelezão, tô esperando só pra eu da risada.
    Rsrsrs…

    1. Por ele era capaz de ter outro show de Safadão esse final de semana. Tudo seguindo os “protocolos”. Kkkkkkkk.

  4. nunca deveriam ter aberto as escolas, verdadeira burrice fazer isso nesse momento… sabe porque vai morrer muito mais gente neste país? porque não sabem fazer nada por completo, é sempre tudo pela metade!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

CBF divulga números da pandemia no futebol e decide continuar com jogos: “É seguro, responsável e controlado”

Walter Feldman, secretário-geral da CBF — Foto: Tatiana Korps/Divulgação

A CBF divulgou na manhã desta quarta-feira, numa transmissão ao vivo por meio do seu canal no Youtube, um relatório da efetividade do protocolo de segurança e combate ao coronavírus e defendeu a continuidade dos campeonatos nacionais, organizados pela entidade, em meio ao auge da pandemia no Brasil.

– A aplicação do protocolo sanitário, com a convicção ainda mais forte que nós já tínhamos no ponto de vista teórico, em agosto, quando retomamos. Mas agora com convicção da aplicação na prática. O futebol é seguro, controlado, responsável e tem todas as condições de continuar – disse Walter Feldman, secretário-geral da CBF, antes de passar a palavra ao médico Jorge Pagura.

Esse é o pior momento da pandemia no Brasil. Nas últimas 24h, 1.954 pessoas morreram no país vítimas da Covid-19, um recorde. Ao todo, o Brasil perdeu 268.568 vidas para o vírus até a noite de terça. Só em março, já são 13.550 mortes registradas em solo brasileiro.

Alguns dados apresentados pelo relatório da CBF:

De agosto até o fim da temporada passada, marcada pela final da Copa do Brasil, 367 equipes estiveram envolvidas em competições da CBF em 20 campeonatos diferentes. Foram 2.423 partidas ao todo.

Foram realizados testes de Covid nos 26 estados + Distrito Federal. Ao todo, foram 112 municípios brasileiros.

Foram feitos 89.052 testes PCR em pessoas envolvidas nas partidas – desses, 13.237 foram atletas. Nenhum jogador entrou em campo sem ser testado. A CBF informou que apenas 2,2% de todos os testes deram positivo.

Em seguida, Pagura, que é o coordenador médico da CBF, apresentou alguns dados e informações sobre o protocolo que explicam a decisão da entidade em seguir com os campeonatos no Brasil.

– Trabalhamos em conjunto para que a gente pudesse realizar nossa atividade. Somos médicos, treinados para salvar e não há nada mais importante que a vida. Reconhecemos também o problema social como perda de empregos. Tentamos unir preservação da saúde de qualquer maneira e tentar elaborar um protocolo que preenchesse alguns preceitos. 1º: segurança de todos; 2º: controlabilidade; 3º: manutenção das atividades. Isso norteou o nosso trabalho – disse Pagura.

“Na curva de ocorrência por 200 mil habitantes, o futebol se dissociou. Quando tem alguns picos, rapidamente volta ao normal. Eram surtos isolados. Tanto que depois baixava”, acrescentou Pagura.

Foto: Reprodução

O coordenador médico da CBF concluiu reafirmando o que disse Feldman: que o futebol é uma atividade “segura e responsável”.

– A CBF protegeu os jogadores. Não só isso, ela protegeu quando foi buscar o positivo e tirar ele de circulação. Não só do futebol, mas das atividades do dia a dia. E isso pode realmente ser aplicado para a manutenção de algumas atividades. Eu tenho absoluta convicção que, seguindo as medidas, posso afirmar que o futebol mostrou-se uma atividade responsável e segura.

No fim da apresentação do relatório, Feldman e os médicos responderam a perguntas enviadas por jornalistas. Uma delas foi sobre como realizar partidas da Copa do Brasil em cidades com restrições.

– A posição da CBF, federações e clubes é de que o calendário deve ser mantido como contribuição do futebol e combate a pandemia. As partidas da Copa do Brasil estão mantidas. Se houver estado ou cidade que não podem receber jogos, há uma decisão do ano anterior que elas seriam realocadas para outras cidades ou estados – respondeu Feldman.

Caso Valvídia

No dia 16 de janeiro deste ano, um caso chamou atenção na Série B do Brasileirão: Valvídia, do Avaí, foi comunicado no intervalo do jogo contra o CSA que havia testado positivo para coronavírus e, portanto, foi retirado da partida.

Convidado para a apresentação do relatório, o epidemiologista Bráulio Roberto Marinho explica o que ocorreu.

– O Valdívia jogou o primeiro tempo da partida, o teste positivo foi comunicado no intervalo. Acompanhamos os 14 dias seguintes no CSA. Três dias depois, 19 testes e nenhum positivo. Seis dias depois, 18 testes e nenhum positivo. Treze dias depois, outros 19 testes e nenhum positivo. Mesmo no cenário extremo, não há a transmissão do vírus em campo – disse.

Ajustes para 2021

A CBF também apresentou em seu relatório alguns ajustes que serão aplicadas no protocolo para a temporada 2021 que acabou de começar. Sobretudo, no processo de testagem e acompanhamento de jogadores e membros das comissões técnicas dos clubes.

Testes RT-PCR em média 72h antes de cada partida para atletas e EXTENSIVO à comissão técnica no campo de jogo.

Testes RT-PCR após 72 horas do retorno da delegação nas rodadas como visitantes, se o intervalo para a partida seguinte exceder cinco dias

Notificação compulsória dos casos positivos à Comissão Médica Especial da CBF – obrigatória para análise de liberação do isolamento respiratório

Globo Esporte

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Globo ficará sem futebol às quartas-feiras até o fim de março

Foto: Ilustrativa

Até o fim de março, a Globo não vai ter futebol nas noites de quarta-feira. Nas próximas cinco semanas, a emissora vai exibir filmes e séries para preencher a lacuna dos jogos. A última rodada do Brasileirão está marcada para o dia 25 de fevereiro, uma quinta-feira à noite.

Além do calendário bastante alterado por causa da pandemia do novo coronavírus, existe uma questão comercial envolvida. E a política de exibição dos Estaduais que ainda possuem contrato com a emissora também explica a mudança.

A final da Copa do Brasil de 2020, entre Palmeiras e Grêmio, está marcada para os dias 28 de fevereiro e 7 de março — dois domingos. Isso foi pedido pela Globo por causa de um ajuste comercial. O pacote publicitário do futebol 2021 só pode começar após a final do mata-mata, que pertence ao acordo de 2020. Com isso, sem futebol às quartas e sem mostrar jogos do Estadual logo no início, a emissora não mistura seu cronograma com os anunciantes.

Na próxima quarta (17), a Globo terá uma edição mais longa do “Big Brother Brasil 21” e a sessão “Cinema Especial” com o filme “Rampage”, protagonizado por The Rock. A mesma estratégia será utilizada nas duas semanas seguintes. No dia da última rodada do Brasileirão (25), além do futebol será transmitida uma edição especial do “Segue o Jogo”, programa pós-jogo apresentado por Lucas Gutierrez.

Nas primeiras semanas de março, quando os Estaduais estiverem em suas rodadas iniciais, a Globo continuará não mostrando jogos, como já tem feito nos últimos anos, por considerar que os torneios não possuem tanto apelo junto ao telespectador. Entre os dias 3 e 17, a emissora exibirá às quartas o documentário “Em Nome de Deus”, que relata as acusações do médium João de Deus, condenado por abuso sexual.

O futebol voltará a ocupar seu dia nobre durante a semana somente em 24 de março. O jogo previsto é do Campeonato Paulista, que já estará em fase mais avançada. Sem os direitos do Campeonato Carioca, que fechou com a Record até 2022, o Paulistão será exibido em lugares onde não chegava antes — como cidades do Norte e Nordeste.

Para 2021, a Globo tem prevista a exibição do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil, da Supercopa do Brasil e de alguns Estaduais. A emissora está na briga por direitos de outros eventos, como os da Champions League, para tentar aumentar seu portfólio, que sofreu diversos desfalques nos últimos meses.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

UOL – Gabriel Vaquer

Opinião dos leitores

  1. Quem vai assitir o carioca com Flamengo sub 20 , Vasco e Botafogo times de segunda divisão. Da mais audiência o BBB. Não assisto mais que dá, dá.

  2. Falando futebol, vou comparar dois extremos , Lewandowski do Bayer foi eleito o melhor do mundo, e o nosso lewandowski do supremo, o pior do Brasil, meu Deus

    1. BG
      E a formula 1????, tchau globo lixo, agora é na BAND, vão é fechar brevemente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FAÇA O QUE DIGO, NÃO O QUE FAÇO – (VÍDEO): Crítico de aglomerações, Felipe Neto joga futebol e depois se desculpa; jornalista esportivo o desmente e fala que não foi caso isolado

Foto: Reprodução

Felipe Neto foi filmado jogando futebol nessa segunda-feira (28/12), na academia Rio Sport Center, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O segurança do youtuber ainda tentou impedir a filmagem, afirmando que seria para “deixá-lo à vontade”. Vale lembrar que ele já criticou aglomerações diversas vezes e insiste em pedir que seu público fique em casa.

No Twitter, Felipe tentou se explicar. “Errei. Decidi jogar um último futebol do ano. Como goleiro, indo e voltando de máscara, sem contato com ninguém e passando álcool em tudo. Ainda assim, é um erro. Não cometerei novamente até a vacina. Peço perdão pelo mau exemplo”, escreveu.

O jornalista esportivo Rica Perrone desmentiu o youtuber e afirmou que ele tem como hábito jogar futebol toda semana e não teria sido um caso isolado. “Mentira. Eu jogo do seu lado e quem te filmou hoje é meu amigo. Você jogou muitas vezes na pandemia. Eu vi. Nem sempre seu segurança manda parar de filmar e consegue igual a hoje. Seja homem, irmão”.

Leo Dias – Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Pais que dá o cabimento a esse asno de Felipe Neto, não pode ir pra frente… Brasil tem muito a crescer.

  2. Existe um total de 0 (zero) pessoas com mais de 2 neurônios que ainda se chocam com a MENTIRA e a HIPOCRISIA da esquerda. Essa gente é doente, tem trazido trevas pra o mundo, nossa esperança é que um dia é que muitos desses zumbis ideologizados acordem.

  3. Lamentável que o blog dê espaço a uma figura cujo comportamento vai contra todos os conceitos morais da sociedade. Um jovem sem respeito as pessoas conservadoras e que tem incontáveis acusações sobre pedofilia. Um rapaz que fez a escolha por uma forma de vida pra lá de questionável e que vem sendo apoiado por aqueles que praticam as mesmas coisas que ele divulga.
    Se estão em dúvida, vejam seus vídeo, postagens e mensagens.
    BG sei que seu espaço é democrático, mas precisa ter um mínimo de seletividade.

    1. O que Bolsonaro fez de difrente do discurso nesta pandemia?
      A acusação não é justamente de não entrar na pilha da histérica trancacionista?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

América anuncia Ricardo Bezerra como diretor de futebol

O América anunciou em suas redes sociais nesta sexta-feira(02) que o empresário Ricardo Bezerra volta ao cargo de Diretor de Futebol do Alvirrubro para trabalhar ao lado do, agora presidente, Ricardo Valério.

Na manhã desta sexta (2), os dirigentes conversaram com o grupo americano antes do início dos trabalhos.

Opinião dos leitores

  1. Jogou bola,entende de futebol,tem boa capacidade de agregar,tenho certeza que agora o America vai subir.
    Parabéns!!!!

    1. Vai, vai virar, a Kombi kkkkkkkk mais um ano na D, se não for jogar o Jerns kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Decreto permite jogos de futebol com torcida em 30% no estado do Rio de Janeiro

Foto: REUTERS/Ricardo Moraes/Direitos reservados

O governador em exercício do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, publicou, na última quarta-feira (23) no Diário Oficial, um decreto que autoriza a presença de torcida em estádios de futebol. De acordo com o texto, somente municípios das regiões de saúde que estejam na bandeira amarela ou verde poderão receber torcedores.

O decreto 47.290 exige a apresentação de um protocolo para cada estádio de futebol, validado pelas entidades desportivas e sanitárias locais. O protocolo deverá ser apresentado em até 72 horas antes da data da realização da partida, e precisa seguir as diretrizes do Plano de Retorno dos Torcedores aos Estádios de Futebol da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Os protocolos apresentados deverão respeitar a lotação máxima de 30% da capacidade total dos estádios, com distanciamento de, no mínimo, dois metros entre as pessoas, exceto grupos familiares. Além disso, será obrigatório o uso de máscara facial, a realização de aferição de temperatura e triagem de sintomáticos respiratórios no momento do acesso ao estádio, o fornecimento de álcool em gel 70% (ou preparações antissépticas ou sanitizantes de efeito similar) a toda a torcida presente, e a contratação de equipe para higienização dos corrimãos, assentos e locais de circulação do estádio.

Em relação ao comércio, lojas, restaurantes, lanchonetes e bares serão abertos com o restrito cumprimento das orientações sanitárias locais. O protocolo também exige a realização de Campanha de Conscientização sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento precoce da Covid-19, com divulgação de informativos do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual e Municipais de Saúde junto à torcida.

Quem descumprir o decreto poderá sofrer advertência, multa de 5 mil UFIR-JR na primeira reincidência, e a proibição de realização de novas partidas de futebol no local por 15 dias corridos, em caso de segunda reincidência.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Messi lidera ranking de jogadores mais ricos do futebol; Neymar aparece em 3º

Foto: © Albert Gea/Reuteurs/Direitos Reservados

Messi não conseguiu concretizar o que seria uma transferência multimilionária do Barcelona neste mês após uma disputa contratual, mas o craque argentino ainda continua sendo o jogador de futebol mais bem pago do planeta.

Segundo uma lista organizada pela Forbes, os vencimentos de Messi no ano chegaram a US$ 126 milhões (US$ 92 milhões em salário e US$ 34 milhões em contratos de patrocínio).

Como era de se esperar, Cristiano Ronaldo aparece em segundo lugar na relação com vencimentos de US$ 117 milhões. O atacante da Juventus tem também o status de jogador de futebol com mais seguidores nas redes sociais.

O brasileiro Neymar aparece em terceiro na lista da Forbes, com vencimentos de US$ 96 milhões, enquanto seu companheiro de PSG Kylian Mbappé é o quarto com US$ 42 milhões.

O campeonato inglês continua sendo a liga mais rica do planeta, apesar de apenas três de seus jogadores figurarem na lista dos 10 mais bem pagos: o atacante egípcio Mohammed Salah (Liverpool), em quinto com US$ 37 milhões, o meia francês Paul Pogba (Manchester United), em sexto com US$ 34 milhões, e o goleiro espanhol David De Gea (Manchester United), em 10º com US$ 27 milhões.

O francês Antoine Griezmann (Barcelona) aparece em sétimo, e o galês Gareth Bale (Real Madrid) é o oitavo. O atacante Robert Lewandowski (Bayern de Munique), único jogador da liga alemã, é o nono.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Decreto da Prefeitura libera funcionamento de escolinhas de futebol e arenas de society em Natal

(Foto: Reprodução/DOM)

Decreto publicado nesta quarta-feira (09) pela Prefeitura de Natal autoriza a reabertura e o funcionamento das arenas de futebol society e das escolinhas de futebol no município, inclusive com realização de jogos, durante a pandemia do novo coronavírus.(ÍNTEGRA AQUI)

DECRETO N.º 12.049 DE 08 DE SETEMBRO DE 2020

Autoriza a reabertura e o funcionamento das arenas de futebol society e das escolinhas de futebol no Município do Natal, e dá outras providências.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DO NATAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 55, incisos IV e VIII, da Lei Orgânica do Município de Natal,

CONSIDERANDO que compete aos Municípios disciplinar o funcionamento do comércio local;

CONSIDERANDO que após o início da Fase 3 da reabertura gradual e responsável do comércio e serviços no âmbito do Município do Natal, não houve diminuição da disponibilidade de leitos de estado crítico e de UTI na rede Municipal de Saúde;

CONSIDERANDO a diminuição do número de atendimentos de casos com COVID-19 nas unidades de saúde deste Município;

DECRETA:

Art. 1º. Fica autorizada a reabertura e o funcionamento das arenas de futebol society e das escolinhas de futebol no Município do Natal, desde que atendidas as seguintes restrições:

I – É permitida apenas a presença dos participantes inscritos para o jogo, não se estendendo a permissão a familiares, amigos ou torcida. Para as escolinhas de futebol, é permitida apenas a presença dos pais ou responsáveis;

II – Cada participante deverá ter sua temperatura corporal aferida antes do início da partida;

III – Cada participante deverá levar seu próprio material, sendo vedado o compartilhamento de uniformes, coletes e demais itens;

IV – Higienização das mãos com álcool 70º INPM antes e depois de cada período das partidas;

V – Utilização obrigatória de máscaras de proteção, exceto durante a prática do esporte;

VI – Ao final dos jogos, as equipes deverão se retirar do local do jogo, não sendo permitidas confraternizações;

VII – Os banheiros e vestiários deverão ser utilizados apenas para uso dos sanitários, sendo vedado o uso dos chuveiros.

Art. 2º. A fiscalização caberá à SEMDES, PROCON, SEMURB, SEMSUR e SMS, que poderão, inclusive, interditar o estabelecimento que descumprir as regras estabelecidas pela Administração Pública Municipal.

§1º. Em caso de descumprimento das medidas previstas neste Decreto, as autoridades competentes devem apurar as eventuais práticas de infrações administrativas previstas no artigo 10 da Lei Federal nº. 6.437, de 20 de agosto de 1977, e de crime contra a saúde pública, nos termos do artigo 268 do Código Penal.

§2º. Poderá ser imposta a penalidade de advertência por escrito, não sendo reincidente o infrator na mesma infração, quando a autoridade, considerando o histórico do infrator, entender esta providência como mais educativa.

Art. 3º. As normas sanitárias municipais que tratam do enfrentamento à COVID-19 e que foram editadas nos Decretos anteriores permanecem vigentes.

Art. 4º. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Palácio Felipe Camarão, em Natal/RN, 08 de setembro de 2020.
ÁLVARO COSTA DIAS
Prefeito

Opinião dos leitores

  1. Já está cansativo esse assunto de retorno as aulas.Na verdade todas as escolas deveriam retomar só em 2021.Vamos agora é pensar no risco de contagio nas eleições.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Após fracassos na Copa do Nordeste, ABC e América se reapresentam em Natal e miram Estadual

Foto: Ilustrativa

A comissão técnica abecedista decidiu modificar a programação de reapresentação do grupo. Antes previsto para a próxima segunda-feira (27), o comando técnico conversou e antecipou o retorno aos treinos para o turno da tarde desta sexta-feira (24).

O elenco voltará aos trabalhos no turno da tarde, a partir das 16h, no CT Alberi Ferreira de Matos, quando a comissão técnica iniciará os preparativos para as competições da sequência da temporada.

Os próximos compromissos do ABC serão a retomada do Campeonato Potiguar, prevista para o mês de agosto, e o começo da disputa do Campeonato Brasileiro da Série D, programado para iniciar no dia 19 de setembro.

América

Após uma viagem cansativa para Salvador (BA), onde disputou o último jogo pela Copa do Nordeste 2020, o Alvirrubro se reapresentou na manhã dessa quinta-feira (23), no Centro de Treinamento Dr. Abílio Medeiros, em Parnamirim.

Enquanto que os atletas que iniciaram o jogo contra o Fortaleza fizeram um trabalho regenerativo na academia com transição para o campo, os demais participaram de um treinamento técnico-tática sob o comando dos auxiliares Daniel Alegria e Leandro Sena.

BOA NOTÍCIA

O atacante Elias, que se machucou durante a intertemporada no CT do Retrô, em Camaragibe (PE), iniciou o trabalho de transição com bola com o fisiologista Igor Melo e a expectativa é de que o atleta seja liberado em breve para treinar com o restante do grupo.

Com informações das assessorias de ABC e América

Opinião dos leitores

  1. BG que história é essa que o time do ABC jantou pizza e o fisiologista pediu demissão ? , o negócio tá feio mesmo praquelas bandas , um time profissional jantar pizza , kkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

CBF divulga novo calendário do futebol, com final do Brasileirão em 2021; Série D com início em setembro e término também em fevereiro

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou, nesta quinta-feira (9), o novo calendário dos jogos masculinos para 2020. O Campeonato Brasileiro, que havia sido suspenso em função da pandemia do novo coronavírus, tem a final prevista para o dia 24 de fevereiro de 2021.

Para o Brasileirão, as tabelas das Séries A, B e C serão mantidas. Segundo a confederação, o detalhamento das primeiras rodadas vai ser disponibilizado pela Diretoria de Competições no início da próxima semana, junto com as Diretrizes Operacionais para a realização das partidas.

Campeonato Brasileiro

– A Série A do Brasileirão será disputada entre os dias 9 de agosto e 24 de fevereiro de 2021. O formato da competição segue mantido, em pontos corridos ao longo de 38 rodadas.

– A Série B do Campeonato Brasileiro irá de 8 de agosto a 30 de janeiro, permanecendo em sistema de pontos corridos e dando acesso a quatro equipes para a Série A do ano seguinte.

– A Série C terá seu início conjuntamente com as Séries A e B por solicitação unânime dos clubes. A competição será disputada em 26 datas, de 9 de agosto a 31 de janeiro. Esta temporada marca a estreia do novo sistema de disputa da competição, aprovado por todos os 20 clubes participantes no Conselho Técnico de março deste ano.

– A Série D tem como previsão de início em 6 de setembro e a data de 7 de fevereiro para o encerramento.

Copa do Brasil

As 11 datas restantes da competição mais democrática do país serão disputadas entre 26 de agosto e 10 de fevereiro. A Copa do Brasil será reiniciada com os jogos de volta da Terceira Fase e segue com o mesmo regulamento.

Copa do Nordeste

A maior competição regional do país, organizada pela CBF, tem cinco datas a serem disputadas e será retomada em sua oitava e última rodada da primeira fase no dia 21 de julho. A Copa do Nordeste terá quartas e semifinais disputadas em jogo único.

A decisão será em dois jogos, com o inicial marcado para 1º de agosto e o segundo para o dia 4 do mesmo mês. Os jogos terão como sede única o Estado da Bahia, modelo inédito nas competições do futebol brasileiro.

Eliminatórias da Copa 2022

O calendário confirmado pela FIFA prevê seis datas para os jogos das Eliminatórias. São duas no mês de setembro, nos dias 3 e 8, duas em outubro, 8 e 13, e duas em novembro, nos dias 12 e 17.

Competições sul-americanas de clubes

As datas das competições organizadas pela Conmebol, como a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana, serão informadas oportunamente pela Entidade.

Segundo a CBF, os calendários do futebol de base e do feminino serão divulgados de forma independente nos próximos dias.

CNN Brasil, com informações da CBF

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Governo do RN confirma liberação de treinos dos clubes a partir do dia 15 e define data de reinício do Campeonato Estadual de Futebol

Foto: Reprodução/Youtube

O Governo do Estado confirmou em coletiva no fim da manhã desta quarta-feira(08) o retorno das atividades dos clubes para a fase final do Campeonato Estadual de Futebol, e sua data de reinício.

Com autorização do Comitê Científico, os treinos das equipes estão liberados a partir do dia 15, e o reinício da competição para o dia 01º de agosto, sem a presença de público.

Opinião dos leitores

  1. BG
    Um secretario de tributação o que tem a haver com saúde?, só mesmo uma INCOMPETENTE que vive escondida para passar a tarefa para um secretario de uma área completamente fora do foco. O eleitores dessa "gunvernadora" pelega de sindicato que só entende de greves estão colhendo os frutos da sua eleição.

    1. Concordo com você Paulo, você tem razão, da mesma forma que o Ministro da saúde também não tem nada haver com a saúde.

  2. Vamos vê se Fátima do PT não volta atraz.
    Já tinha donos de restaurantes em Natal, se preparando pra jogar as verduras fora no lixo depois da marcha ré do governo, sorte que a prefeitura segurou.
    No interior o desperdício vai ser grande, todo mundo se preparou pra abrir, acreditando no governo.
    Como não vão poder abrir o jeito e jogar, alface, tomate, pimentão etc etc etc no lixo.
    Ôôô povo incompetente esses do PT.
    Fátima tá acabando com o RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

EFEITO PANDEMIA: “O futebol brasileiro está caminhando a passos largos para quebrar”, alerta presidente do Atlético-MG

Presidente Sette Câmara, do Atlético-MG — Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

A onda da Covid-19 que avassalou o futebol mundial ainda não tem hora para recuar. A falta de perspectivas de retorno dos jogos, e até mesmo em que condições isso acontecerá, assusta os dirigentes do futebol brasileiro. O Atlético-MG foi um dos clubes que tentou se preparar para o Tsunami de forma antecipada, com redução de salários, férias antecipadas dos jogadores, corte de pessoal e gastos e retorno aos treinos. O presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, entretanto, não conseguirá ter noites de sono tranquilas em um curto prazo.

O mandatário, um dos líderes da Comissão Nacional de Clubes, que debate periodicamente o futuro do futebol brasileiro com a CBF, traça um quadro geral alarmante do esporte mais popular em terras brasileiras. Sem receitas de jogos, exposição de marcas, vendas de direitos de televisão, e com os boletos batendo à porta mensalmente, a conta não fecha.

“O futebol brasileiro está caminhando a passos largos, na minha opinião, para quebrar” – Sérgio Sette Câmara.

O advogado e presidente do Atlético desde dezembro de 2017 foi o convidado do podcast GE Atlético nessa quinta-feira e tentou cristalizar o cenário em que se encontra não só o Galo, mas praticamente todos os clubes profissionais do país. Ele defende a união das agremiações, até mesmo com a criação de uma nova associação. Algo que chegou a existir com o finado Clube dos 13.

Até lá, entretanto, os trabalhos são para definir a volta da bola rolando. Na Europa, já há sinalizações positivas. O Alemão já recomeçou. A Premier League retorna em 17 de junho. Dias depois, será a vez do Campeonato Italiano. Porém, impossível deliberar sobre datas no Brasil. É o que relata o dirigente. Além disso, Sette Câmara enfatiza que os jogos oficiais sendo disputados novamente não serão a solução final para a crise econômica agravada nos clubes.

– Se ilude quem acha que a volta do futebol irá resolver os problemas. Não vai. Não teremos bilheteria (jogos de portões fechados) e teremos despesas. O time terá de viajar, terá que pagar viagem de avião, hotel, terá que pagar… A ficha ainda vai cair ainda para a maioria das pessoas, inclusive na imprensa. Bom colocar as barbas de molho. Tenho falado disso há tempos, mas muitos me criticam, falam que estou exagerando.

“Eu participo de grupos com outros presidentes, tenho conversado na CBF. E a verdade é que ninguém tem perspectiva de volta. E quando voltar, o que vier de receita não será suficiente para as despesas dos clubes. Estamos caminhando para uma situação dificílima”.

Se as conversas com a CBF e outros clubes não são capazes ainda de traçar uma projeção de volta dos jogos, o diálogo a nível estadual sequer existe com a Federação Mineira. Não é a primeira vez que Sette Câmara reclama de falta de comunicação da FMF com o Galo. A entidade até fará reunião em 10 de junho com a secretaria de saúde estadual, justamente para debater o retorno do Módulo I do Mineiro, paralisado após a nona rodada (faltam seis datas).

– Gosto do Adriano (Aro, presidente da FMF). Acho que é um rapaz bacana, competente. Mas nessa parte aí eu não estou entendendo. O Atlético é o time hoje, queira ou não, mais importante filiado da Federação Mineira. É o único clube mineiro na Série A. Não estou aqui querendo criticar, mas acho que falta uma atenção com um clube tão importante quanto o Atlético por parte da Federação, no sentido de nos dar ao menos uma luz. “O campeonato não vai voltar, vai voltar, o que você acha?”. Mas tudo bem. Não tem problema. Acho que a gente vai acabar mais adiante conversando. Também não tem perspectiva mesmo, né? Estamos aí fazendo conjectura.

Enquanto espera e se prepara para voltar a disputar o Campeonato Mineiro e iniciar o Brasileirão com Jorge Sampaoli e Alexandre Mattos no comando da equipe, o Atlético precisa pagar as contas. Conseguiu diminuir os atrasos salariais. Preocupação primária do clube que traçou demissão de mais de 50 funcionários.

“Não existe como você ter uma afirmação: ‘Vai acontecer isso, é assim que vai ser’. É um quadro angustiante. Tenho passado muitas noites sem dormir. Ou você acha que é fácil eu levantar e descer a caneta mandando 50, 60, 70 pais de família embora? É duro demais”.

Por falar em salários, o presidente do Galo toca em outro ponto: a Lei Pelé prevê que um atleta profissional possa se desvincular de um clube após três meses sem receber salários (incluindo o que recebe de direitos de imagem). Como atrasos salariais são previstos de forma categórica nos clubes, um efeito dominó seria jogadores de grande valor de mercado ficando livres, e os clubes perdendo patrimônios milionários.

– O que me preocupa muito, e isso é questão a ser discutida a nível nacional, é sobre direitos federativos e econômicos dos atletas. Sabemos que depois de três meses de atraso no salário ou imagem o atleta passa a ter direito de entrar em juízo para desfazer o vínculo. E vários atletas, do Atlético inclusive, custaram verdadeiras fortunas. A ideia de fazer a contratação do atleta é fazer, colocar a camisa do clube, ter o retorno técnico e também financeiro. É um patrimônio. E a receita de TV e de venda de atletas são as maiores. Muitas vezes, em casos mais recentes, a venda de direitos econômicos superou a receita da televisão. Então, como vai ser isso? Como pagar salário quando não tem receita?

Veja outras respostas de Sette Câmara:

Despesas na volta do futebol

– Se nós voltarmos o campeonato, tem o custo dos testes também, tá? Não vamos esquecer isso, não. Um clube que tenha que fazer jogos em um espaço de tempo menor, em 48h, essa possibilidade apareceu, caso voltassem os torneios sul-americanos, um clube gastaria em média R$ 300 mil só de testes. A gente voltou (a treinar) porque eu tenho que ter fé e esperança de que nosso negócio futebol uma hora vai voltar. E a gente pretende estar preparado pra essa volta. Mas, quando você olha pro quadro atual do país, o número de mortes aumentando… Tudo bem, voltou o comércio, mas as aglomerações seguem proibidas.

Volta aos treinos como “esperança”

Estamos trabalhando na esperança de que alguma coisa clareie, para a gente poder voltar. Eu sei, como eu disse, que mesmo voltando os jogos não vai resolver nosso problema. A crise vai continuar batendo na porta. Mas nós vamos, pelo menos, ter a possibilidade de buscar patrocínio, etc. O que está acontecendo? Os patrocinadores estão correndo, porque não tem cabimento ficar pagando patrocínio pra um clube e não aparece a marca na camisa, não aparece na televisão. Se pelo menos voltasse o futebol, neste aspecto alguma coisa poderia acontecer. A gente mesmo tem uma possibilidade de patrocínio aí, não é só o Atlético, é uma coisa pra Atlético, Cruzeiro e América, que disse que pode vir a nos dar um apoio, mas condiciona à volta do futebol. São situações que vamos ter que equacionar.

“Também não posso enfrentar o mundo querendo impor que aconteça determinado tipo de campeonato, que volte os jogos, e assumir o risco de amanhã ser responsabilizado por torcedores, jogadores ou parentes infectados. É uma situação realmente muito difícil”.

Mudanças na lei para proteger os clubes

– Eu acredito que pra isso acontecer vamos ter que estar fazendo um acordo que envolva os próprios atletas, sindicados, e não sei se vamos encontrar eco na maioria deles. A gente sabe que tem gente que é muito consciente nesse meio, mas tem outros que não, que não estão nem um pouco preocupados e querem saber de receber o seu. Isso é muito complexo, porque envolve a legislação específica de cada país. Aqui temos a Lei Pelé, a Fifa teria que entrar dando um respaldo. A gente sabe que a Fifa olha pro futebol muito com olhos da Europa. O futebol sul-americano não é a prioridade. O futebol lá está voltando aos poucos. Aqui, o quadro é diferente. O Brasil caminha a passos largos pra ser, se não o primeiro, o segundo país do mundo com maior número de infectados, e espero que não, mas também de pessoas que venham a óbito. Essa é uma situação que pode ser. Eu já vinha, um tempo atrás, eu uma grande reunião, com vários presidentes, pedido pra se incluir esse tema na pauta. Mas, não sei por que cargas d’água, a coisa não foi levada adiante.

Buscar receitas no deserto de fontes

– Vai chegar uma hora que nenhum clube vai ter mais receita nenhuma, não vai ter de onde tirar. Agora, com a volta do futebol na Europa, de repente a gente consegue fazer a negociação de algum atleta. Aí sim. Se a gente conseguir isso aí, a gente dá um respiro. Que é, na verdade, pra sobreviver. O foco é conseguir passar por esse momento difícil com menos arranhões possível. Por isso temos tomado medidas que infelizmente são impopulares. Mas você tem que olhar pro clube em primeiro lugar. Temos trabalhado muito em cima do negócio chamado fluxo de caixa. Se você não toma medidas duras pra fazer com que a coisa aconteça até o fim do ano, você fica pelo caminho. E creio que alguns clubes não estão tendo o mesmo tipo de zelo que estamos tendo aqui no Atlético. E vocês vão ver que, durante o ano, muita coisa complicada vai acontecer. Espero que a gente esteja fora.

União dos clubes e linha de crédito

– Temos que criar rapidamente uma associação dos clubes de futebol. Não estou falando que é uma liga, é diferente. Mas é ter uma associação com gente com competência executiva, empresarial, à frente, para defender os interesses dos clubes como um todo, em bloco. Para buscar junto às entidades, e aí falo de Governo, as soluções para o nosso futebol. O futebol brasileiro hoje é responsável por 2% do PIB, ele dá inúmeros empregos diretos e indiretos, talvez milhões. Incluindo a imprensa, por exemplo. Mas cadê os nossos políticos para defender os interesses do futebol? Tem um Projeto de Lei que está andando, mas é pra quebrar o galho de alguma coisa do Profut. Mas não vai resolver o problema. Futebol precisa de linha de crédito, igual os artistas conseguiram recentemente. O futebol precisa abrir também, os políticos terão de fazer isso para os clubes sobreviverem.

Globo Esporte

Opinião dos leitores

  1. amém, sonho com esse dia que essa leseira vai se acabar. Um professor estuda 5 anos, mais 2 no mestrado, mais 4 no doutorado pra ganhar pouco enquanto um monte de analfabeto corre atrás de uma bola para ganhar milhões, esse é o brasil!

  2. Depois que começaram a moda dos supersalários, tem mais é que se lascar. Na pegada que vinha, Palmeiras, Flamengo (e algum outro com patrocínio de financeira) iriam disparam na frente, e o resto ia ficar se matando por uma vaga no G4.
    Triste fim, poderiam se espelhar em algumas ligas estadunidenses e seus tetos.

  3. Quebrado já está há muito tempo, agora o momento é apenas de reconhecer o atual estado falimentar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Flamengo, Vasco e FERJ assinam nota pedindo o retorno das atividades; Fluminense e Botafogo ficam de fora

Da esquerda para direita: Rubens Lopes, presidente da Ferj, Alexandre Campello, do Vasco, Nelson Mufarrej, do Botafogo, Mário Bittencourt, do Fluminense, e Rodolfo Landim, do Flamengo Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) divulgou nesta sexta-feira uma nota de esclarecimento com times da primeira e segunda divisão pedindo o retorno das atividades em meio à pandemia do coronavírus. Os presidentes de Vasco e Flamengo assinaram o documento, enquanto Fluminense e Botafogo deixaram em branco.

No texto, federação e os clubes signatários argumentam que estão prontos para reiniciar os treinamentos “de forma responsável, restrita, reduzida, sob vigilância, sem aglomerações ou presença de público e em obediência a um rigoroso protocolo médico”.

Presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej disse que o posicionamento do clube é uma questão de coerência e o futebol pode esperar:

– Estamos próximos ao pico da pandemia, com o sistema público de saúde perto da asfixia e o que mais se fala é em lockdown. O retorno tem que ser orgânico. Respeito a atitude dos demais clubes, mas entendemos ser a hora de preservar a saúde de todos e por isso não assinamos.

O Fluminense divulgou nota oficial explicando o motivo de não ter assinado a carta:

“O clube acredita que não é o momento do futebol brasileiro dar qualquer sinalização de retorno do esporte quando o país inteiro, particularmente o Rio de Janeiro, está com extrema dificuldade de fazer a população cumprir o isolamento social necessário para reduzir o número de contaminações e mortes por conta do Covid-19, e cidades inteiras começam a anunciar medidas ainda mais severas, como o lockdown.

O Fluminense reforça que a sua posição, desde o início da pandemia, é de só retornar aos treinos presenciais quando os órgãos governamentais e de saúde derem o aval para o retorno em segurança de todos os funcionários envolvidos nestas atividades.”

A nota ressalta o desejo de retornarem o mais breve possível, e que os clubes estão “preparados para reiniciar suas atividades em poucos dias”.

Portuguesa, Cabofriense, Bangu, Boavista, Friburguense, Macaé, Madureira, Nova Iguaçu, Resende e Volta Redonda também assinaram a nota submetida aos governantes.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Fifa propõe cinco substituições por equipe para lidar com maratona na retomada do futebol

Foto: Reuters

A Fifa propôs uma mudança temporária na regra das substituições para lidar com a provável maratona de jogos após a pandemia do novo coronavírus. Um porta-voz da entidade afirmou que a entidade sugeriu que cada equipe possa fazer cinco substituições por partida, em vez das tradicionais três, de acordo com a agência Reuters.

A medida ainda precisaria do aval da International Board (IFAB), órgão que faz a gestão das regras do esporte. A intenção seria permitir que as equipes lidem melhor com o desgaste de seus atletas na retomada das ligas em todo o mundo, quando muitos jogos devem ser disputados com poucos dias de intervalo.

– A segurança dos jogadores é uma das principais prioridades da Fifa. Uma preocupação a esse respeito é que a frequência das partidas pode aumentar o risco de possíveis lesões devido à sobrecarga do jogador. Diante disso e do desafio único enfrentado mundialmente na realização de competições de acordo com o calendário previsto, a Fifa propõe que um número maior de substituições seja temporariamente permitido – diz a nota da entidade enviada à agência “DPA”.

Após a aprovação por parte da IFAB, ainda caberia a cada competição a decisão final de adotar a medida ou não. Para que as substituições não sejam usadas como forma de diminuir o tempo de bola rolando, elas deveriam ser feitas em, no máximo, três interrupções por cada time ou durante o intervalo.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *