Assassinato do lutador de MMA Luiz de França deve ser concluído em 30 dias; investigações seguem em sigilo

Uma portaria assinada pelo delegado geral da Polícia Civil, Ricardo Sérgio Costa de Oliveira, publicada na edição do “Diário Oficial do Estado” (DOE) desta sexta-feira (7) tem como objetivo “dar continuidade e concluir, no prazo legal, o inquérito policial nº 018/02/2014”, tendo em vista “a repercussão social que rodeiam o fato e despersonalização da investigação” conforme memorando nº 030/14 dirigido pela própria 11ª DP. Com apoio da Comissão formada pelo delegado da 11ª DP, Sílvio Fernando Nunes da Silva e ainda os delegados Danielle Filgueira Soares de Morais, da Divisão de Combate ao Crime Organizado (Deicor) e Márcio Silva Lemos, da Delegacia de Narcóticos (Denarc), a Delegacia de Policia Civil (Degepol) espera concluir em até 30 dias o inquérito sobre o assassinato a tiros do lutador de MMA e instrutor de academia Luiz de França Souza Trindade, em frente a uma academia em Cidade Satélite.

A comissão segue analisando os autos e em busca de mais coletas de provas para se chegar aos dois homens que estavam numa motocicleta usada no dia do crime, que tem como principal suspeito o tenente da Polícia Militar do Rio Grande do  Norte (PM-RN), Iranildo Félix de Souza, que teria tido um desentendimento com a vítima durante um treinamento.

Quanto ao suposto atentado que resultou na morte da ex-mulher do tenente suspeito, Izânia Bezerra Alves, 31 anos, no dia 16 de fevereiro, em uma estrada carroçável em Macaíba, a delegada titular da Deicor, Sheila Freitas afirmou que ainda não pode falar para não prejudicar as investigações. Vale lembrar que o oficial da PM também estava com a ex-companheira, foi baleado, mas um colete evitou que a bala atravessasse. Em depoimento, após declarar a Polícia ter sido vítima de uma tentativa de assalto, Iranildo mudou a versão e disse que o alvo seria a sua namorada, Valéria Cortês, e acredita que ela tenha sido confundida.

Com acréscimo de informações da Tribuna do Norte