Bolsonaro faz ‘apelo’ para governadores reverem política de isolamento e diz que está ‘pronto para conversar’

Foto: Reprodução/Globo News

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (14) que está disposto a conversar com governadores sobre medidas para conter a pandemia de coronavírus. Ele fez um “apelo” para que os estados revejam as estratégias de isolamento social.

Bolsonaro falou com jornalistas na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada. Ele voltou a defender a retomada de atividades econômicas que estão paralisadas por conta da pandemia.

“Um apelo que faço aos governadores. Revejam essa politica. Estou pronto para conversar. Vamos preservar a vida? Vamos. Mas, dessa forma, o preço lá na frente serão centenas de mais vidas que vamos perder por causa dessas medidas absurdas de fechar tudo”, disse o presidente.

Desde os primeiros registros no país da covid-19, doença causada pelo vírus, Bolsonaro adotou uma postura de enfrentamento aos governadores. O presidente sempre criticou as medidas de isolamento social adotadas pelos estados em conformidade com recomendações de autoridades sanitárias, como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os confrontos ocorreram principalmente com o governador João Doria (PSDB), de São Paulo, e Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro. Bolsonaro acusa os dois de se aproveitaram politicamente da crise para enfraquecer o governo federal.

Nesta semana, Bolsonaro criticou governadores que não quiseram seguir o decreto, assinado por ele, que inclui salões de beleza, barbearias e academias de ginásticas entre as atividades essenciais na pandemia. A maioria dos estados e o Distrito Federal entenderam que a flexibilização agravaria o contágio pelo vírus.

Ao comentar o caso, Bolsonaro disse que não seguir o decreto seria “autoritarismo”. No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) já reconheceu que a competência para definir medidas de isolamento é dos estados.

Na saída do Alvorada, Bolsonaro disse ainda que lamenta as mortes ocorridas por causa da covid-19, a doença causada pelo coronavírus, mas argumentou que haverá mais mortes se a as medidas de isolamento forem mantidas.

“Temos que ter coragem de enfrentar o vírus. Está morrendo gente? Está! Lamento! Mas vai morrer muito, muito, muito mais se a economia continuar sendo destroçada por essas medidas”, afirmou o presidente.

Bolsonaro criticou também o chamado lockdown (versão mais rígida do isolamento social) que foi adotado por algumas cidades no país. Segundo especialistas, é a medida mais eficaz para deter o contágio fora de controle.

“Essa história de lockdown, vão fechar tudo, não é esse o caminho. Esse é o caminho do fracasso, [vai] quebrar o Brasil. Governador, prefeito, que porventura entrou nessa onda lá atrás, faça como eu já fiz alguma vez na minha vida: se desculpa e faz a coisa certa”, afirmou o presidente.

Em todo o mundo, países que adotaram medidas de isolamento mais rigorosas conseguiram evitar uma disparada dos casos de covid-19. Em países onde as medidas demoraram mais para serem adotadas, como Itália e Estados Unidos, o número de casos e de mortes é bem maior.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Cada um deve se ater a sua competencia. O supremo decidiu e Estados e Municípios decidam as medidas a serem tomadas, mas quem diz quais são os serviços ecenssiais é o governo federal, é isso que diz a decisão do STF. Então, se o governo federal tá respeitando as decisões dos governadores e prefeitos, esses devem também respeitar as decisões do presidente naquilo que lhe cabe. Ou seja, qualquer decreto estadual que diga qual atividade é essencial ou não é ilegal. Nesse sentido, o que vale é o decreto federal. Entre com um habeas corpos preventivo, um mandado de segurança e vá trabalhar.

  2. Cesar Bomone disse:

    É uma maravilha os comentários de SERVIDORES PÚBLICOS que estão em casa com os SALÁRIOS GARANTIDOS, só pensam neles próprios.
    Acham fácil gritar FICA EM CASA.
    Queria ver se estivessem perdendo seus EMPREGOS.
    Agem como um bando de EGOÍSTAS que pensam só neles e não são capazes de enxergar a miséria que chega para muitos.
    LAMENTÁVEL.
    Ainda bem que o PRESIDENTE age diferente, pensando nos muitos brasileiros que estão perdendo seus empregos e nos empresários que estão vendo suas empresas fecharem.
    Só um recado para esses SERVIDORES PÚBLICOS: da forma que estão conduzindo a crise o dinheiro para pagar os salários de quem está ganhando em casa também vai acabar.

    • Paulo disse:

      Oh máquina de falar bobagem, a maioria das vidas estão sendo salvas por funcionários públicos, como técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos, sem falar dos policiais Civis e militares, que continuam realizando operações/prisões e garantindo a paz social.

    • Keynesianista disse:

      Médicos, enfermeiros, funcionários de prontos socorros e hospitais, policiais, bombeiros, assistente sociais, funcionários de órgãos e programas sociais, funcionários de bancos públicos e mais uma porção de servidores públicos e funcionários de instituições públicas que continuam saindo de casa e trabalhando e alguns como os da saúde lidando diretamente com as consequências e os riscos dessa pandemia. O que realmente agrava essa crise é a incompetência desse presidente

  3. Papa Jerry Moon disse:

    Tem que fazer lockdown na boca do Bolsoasno e no chiqueirinho dos filhos dele.

  4. Rocha disse:

    Esse cara bipolar e bicéfala só irá colocar no seu cérebro de macaco que aglomeração é perigosa, na hora em que ele vier a ter a mulher, um filho, um neto intubado numa UTI, ou se vier a falecer. Pense num presidente que pensa pequeno! A massa encefálica deste homem é a mesma do macaco.

  5. Eduardo disse:

    Desde março eu ouço o presidente de 15 em 15 dias dizer que agora tá pronto conversar, rsrsrs como sinceramente os bolsonaristas querem que eu acredite no que esse presidente diz. Eu acho que deve ser muito cansativo essa linha q Bolsonaro utiliza: brita, grita, xinga, diz que todos enteram errado, põe a culpa no Leonardo di Capprio, desaparece por 1 dia e depois repete tudo de novo, e de novo, e de novo e…2022! Que pesadelo é esse…. Enquanto isso o povo padecendo.

COMENTE AQUI