“É um dos países que menos caiu no mundo todo, então, tem esse lado positivo”, diz Bolsonaro sobre o PIB em 2020

O presidente Jair Bolsonaro minimizou nesta quarta-feira a queda de 4,1% do Produto Interno Brasileiro (PIB), dizendo que a previsão era de que a redução fosse de 10% e que outros países tiveram quedas maiores, o que seria um “lado positivo”. Bolsonaro ressaltou não ter detalhes sobre o resultado, horas após a divulgação dele.

— Desculpa, eu não tomei conhecimento da avaliação do PIB. O que eu posso falar para você que se esperava que a gente ia cair 10%, parece que caímos 4%. É um dos países que menos caiu no mundo todo, então, tem esse lado positivo — disse o presidente, após reunião com embaixadores do Golfo Pérsico, em Brasília.

VEJA MAIS: Com pandemia em 2020, tombos do PIB na Espanha, França, Alemanha e Japão foram ainda piores que o do Brasil

A queda do PIB brasileiro fez o país sair do ranking das dez maiores economias do mundo despois e 14 anos. O Brasil passou da 9ª para 12ª posição, tendo sido ultrapassado por Canadá, Coreia e Rússia. Vinte países ficaram à frente do Brasil no ranking de desempenho do PIB em 2020, entre eles, Taiwan que aparece na primeira posição, com um crescimento de 3,1%, seguida por China, com alta 2%, e Turquia (1,6%). Outros países acumularam quedas menores do que a registrada pela economia brasileira, como Coréia do Sul que teve retração de -1% e Nova Zelândia, de -1,6%.

O desempenho do ano passado veio em linha com as expectativas de mercado, que projetava queda de 4,2%. As projeções de 10%, citadas por Bolsonaro, foram feitas no início da pandemia de Covid-19.

Mesmo assim, foi a maior queda desde 1990, quando houve o confisco do presidente Fernando Collor de Mello. Naquele ano, o PIB brasileiro desabou 4,35%.

De acordo com Bolsonaro, o auxílio emergencial ajudou a “movimentar” a economia:

— O que que fez a economia movimentar? Em parte, o auxílio emergencial. Esse dinheiro quando vai para o município, ele roda a economia local que interfere na arrecadação de impostos municipais, estaduais e federais também.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pixuleco disse:

    Desculpa para R …….., murcha , o Brasil está chegando ao fundo do poço .

  2. Santos disse:

    Presidente qur governa no grito.
    Vai comparar o efeito da queda do pib de um país rico à qurda do pid de um pais emergente?
    De cara saiu perdeu 3 lugares no ranking e os efeitos sociais devastadores estão aí e ainda irão piorar.
    Deus tenha misericórdia de nós.

  3. Vitor Araújo disse:

    Bolsonaro reeleito.

  4. João Soares disse:

    Só tem um detalhe, é o segundo em número de mortes, mas isso é so um detalhe. o PIB
    tanto legal, vidas não é problema. Bando de fdp

    • Guto disse:

      Seja mais honesto, o Brasil está em 24o em mortes por milhão. Não se pode comparar uma população de mais de 230 milhões com países onde esses números não chegam a 20 milhões. Lógico que qt maior a população mais mortes em números totais.

    • João Soares disse:

      Faça a conta em percentual guto, ai verá o quanto estamos atrasados em relação a vacinação, e isso se traduz em número de mortes, só isso. Não chegamos a 5% e tem muitos paises que já estão com mais de 50%. E isso está se refletindo no número de mortes.

  5. Samuel Uel disse:

    Bozo Fracassado.
    Nunca twm culpa de nada esse imundo.

  6. Tico de Adauto disse:

    Desgoverno em todas as áreas.

  7. Calígula disse:

    É verdade meu presidente.
    Torcemos pelo Brasil.
    MITO 2022

Veja o funcionamento do comércio e limite de público em templos religiosos com decreto atualizado em Natal

Foto: Alex Régis

Uma nova edição extra do Diário Oficial do Município, publicada na noite desta terça-feira (2), trouxe uma versão atualizada do decreto Nº 12.175, que disciplina o horário do comércio, a capacidade de lotação das igrejas e templos religiosos e de áreas coletivas de condomínios residenciais. Não há mudanças, no entanto, sobre fechamento da orla marítima e funcionamento de quiosques, como também dos horários de restaurantes e venda de bebida alcoólica após 22h. As medidas têm o intuito de evitar a disseminação do coronavírus na capital. O decreto já está em vigor.

As medidas de ajuste dos horários definidos anteriormente para comércio, incluindo lojas de rua, shoppings e supermercados, atendem à finalidade de evitar aglomerações no sistema de transporte coletivo. Foram incluídos no decreto empresas de serviços gerais em condomínios e de segurança e vigilância.

Comércio

Os supermercados, hipermercados e atacarejos (bem como suas respectivas galerias comerciais) podem funcionar das 06h às 22h, todos os dias da semana. O comércio de rua, galerias comerciais e os centros comerciais devem abrir somente após 8h, com funcionamento até às 18h, todos os dias da semana. Os shopping centers, bem como suas respectivas praças de alimentação, podem funcionar das 09h às 21h, todos os dias da semana. Serviços de escritório, apoio administrativo, serviços imobiliários, de seguros e demais atividades de serviços devem iniciar suas atividades às 08h30, com encerramento às 18h30, de segunda-feira à sexta-feira.

Restaurantes

No caso dos restaurantes, pizzarias, lanchonetes, bares, food parks, lojas de conveniência e similares, não há alteração no decreto. Podem abrir e funcionar a partir das 11h, todos os dias da semana, com o encerramento do atendimento ao público às 22h, e fechamento de suas atividades operacionais até, no máximo, 23h, desde que atendidas as regras e protocolos previstos no Anexo III do Decreto Municipal nº. 12.135, de 23 de dezembro de 2020 e republicado em 29 de dezembro de 2020.

Para o serviço de entrega domiciliar, sem consumação no local, os estabelecimentos podem atender aos seus clientes sem qualquer limitação de horário. Fica mantida também a proibição de venda de bebidas alcoólicas no âmbito do Município do Natal, entre 22h e 6h, todos os dias da semana, inclusive em lojas de conveniência.

Serviços condominiais e repartições

Os serviços gerais em edifícios e condomínios, como limpeza, segurança e vigilância, devem iniciar suas atividades às 7h, com encerramento até às 17h, de segunda-feira à sexta-feira, exceto no caso de escalas de plantão.

As repartições públicas e as empresas privadas têm que elaborar planos específicos de jornada de trabalho, privilegiando o trabalho remoto sempre que for possível e aplicável, dispondo inclusive sobre a descoincidência de início e fim de horário de trabalho entre os colaboradores – com a finalidade de evitar a aglomeração de pessoas no sistema de transporte coletivo municipal.

Os planos específicos de jornada de trabalho podem ser elaborados em parceria entre os estabelecimentos comerciais circunvizinhos, bem como pelas associações comerciais de bairro e de atividades específicas.

Instituições de ensino

Fica mantida a autorização de abertura e funcionamento das escolas de ensino médio, fundamental e infantil da rede privada de ensino no âmbito do Município do Natal, para a realização de aulas presenciais, observando as regras estabelecidas no protocolo específico no Anexo I do Decreto Municipal nº. 12.054, de 09 de setembro de 2020.

Pais ou responsáveis devem ter assegurados o direito de escolha entre as modalidades de ensino, remota ou presencial, recomendando-se que sejam intercaladas as duas modalidades. Fica mantida a autorização de abertura e funcionamento das instituições de ensino superior para a realização de aulas presenciais, com opção de oferecer o sistema híbrido (presencial e remoto), desde que atendidas as regras estabelecidas no protocolo específico.

Condomínios

As áreas comuns de lazer dos condomínios residenciais devem permanecer fechadas para festas, eventos comemorativos e aglomerações. Os condomínios residenciais poderão disciplinar, por meio de reserva e agendamento de horário, a forma de uso de suas áreas comuns, para o uso individual ou por núcleo familiar, em especial as áreas de piscina, academia, quadras esportivas e espaços infantis. Também fica permitido o uso das áreas comuns do condomínio (área de lazer, piscina, quadras esportivas etc) para a prática de atividades físicas e de aulas, desde que observadas as regras estabelecidas em protocolo.

Igrejas e templos religiosos

As igrejas, templos e demais locais de rituais religiosos ficam autorizados a funcionar com limitação de 25% da capacidade de acomodação do local. Além disso, têm que ser atendidas as regras estabelecidas no protocolo específico em Anexo V do Decreto Municipal nº. 12.135, de 23 de dezembro de 2020, republicado em 29 de dezembro de 2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Max disse:

    Uma vergonha saber que o prefeito,sendo médico agindo contra a vida da população da cidade. Vergonha.

  2. Rozina disse:

    Gostei é isso mesmo ,quem poder ñ saia de casa se cuide, nada de pânico ar puro tomar sol caminhar ar livre, viver sem temor, temor adoece mais. Alimentação dormi bem desligar TV orar mais

  3. HUDSON disse:

    Eu achando que a prefeitura de natal iria fazer algo realmente eficiente para surgir algum efeito, aumenta é o horário de funcionamento kkkk é uma piada mesmo. ENQUANTO NAO FECHAR TUDO NAO TEM COMO DIMINUIR O CONTAGIO.

Bolsonaro cita 62 milhões de vacinas até abril, diz que população não pode ‘viver em pânico’, e critica o ‘fique em casa’: “O pessoal vai morrer de fome, de depressão?”

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que “o problema está aí”, mas que a população “não pode viver em pânico” diante da pandemia. Bolsonaro também voltou a criticar medidas de distanciamento social, que visam diminuir o contágio do novo coronavírus, dizendo que irão trazer fome e depressão.

Na terça-feira, o Brasil registrou 1.726 mortes causadas pela Covid-19, o maior registro em 24h desde o início da pandemia. Além disso, a média móvel de mortes bateu um novo recorde, 1.274. É o quarto dia consecutivo que isto acontece.

— Criaram pânico, né? O problema está aí, lamentamos. Mas você não pode viver em pânico. Que nem a política, de novo, (do) fique em casa. O pessoal vai morrer de fome, de depressão? — disse Bolsonaro a apoiadores nesta quarta, no Palácio da Alvorada.

Na conversa, o presidente criticou a cobertura da imprensa sobre a pandemia e disse que “para a mídia, o vírus sou eu”.

Um apoiador relatou a Bolsonaro ter feito um estudo que indicaria que o Brasil chegará à imunidade de rebanho em setembro ou outubro. O presidente disse que poderia encaminhar o estudo ao Ministério da Saúde, mas disse que com as novas cepas do coronavírus é difícil discutir o fim da pandemia:

— Como a doença é pouco conhecida, nova cepa, não dá para discutir aqui…

Em outro momento, Bolsonaro afirmou que poderá fazer um pronunciamento em cadeia nacional de televisão e rádio para tratar sobre a pandemia. O pronunciamento chegou a ser convocado na terça-feira, mas foi cancelado em seguida. Existe a possibilidade de que a fala ocorra nesta quarta.

O presidente afirmou que o Brasil está “fazendo o dever de casa” porque é um dos países que, em números absolutos, mais aplica vacina — neste quesito, é o sétimo. Em números proporcionais ao tamanho da população, no entanto, ao menos 18 países estão na frente do Brasil.

— O assunto, quando tiver (pronunciamento), vai ser pandemia, vacinas. O Brasil é um país que, em valores absolutos, mais está vacinando. Temos 42 milhões de vacinas para este mês, 42 não, 22 milhões. Mês que vem deve ser mais 40 milhões. O país está mais avançado nisso. Assinei no ano passado MP destinando mais de R$ 20 bilhões para comprar vacina. Estamos fazendo o dever de casa — disse Bolsonaro.

Com informações de O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Cara ridículo. Genocidio claro o q vem ocorrendo.

  2. Beto Araújo disse:

    Vamos ficar na casa de Flavinho!

  3. José 1 disse:

    Respeitem a mãe do presidente esquerdopatas FDP, o presidente está certíssimo, quem pode ficar em casa fique, mais deixem quem precisa trabalhar para levar o sustento da família, fome também mata.

  4. José disse:

    Respeitem a mãe do presidente esquerdopatas FDP, o presidente está certíssimo, quem pode ficar em casa fique, mais deixem quem precisa trabalhar para levar o sustento da família, fome também mata.

  5. Arantes disse:

    Mas pra VACINAR A SUA MÃE, não teve essa de que "não pode viver em pânico", não é mesmo?

    • Anti-Político de Estimação disse:

      É verdade. Melhor exemplo do "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço".

  6. Felipe disse:

    "Criando panico"… 1720 mortes por dia e esse asno acha que é drama fajuto.

  7. Armando disse:

    São tantas idiotices desse idiota que até os seguidores idiotas acreditam.

  8. François Cevert disse:

    O que ele quer? Fique em casa vivo… Ou morra pela economia? O pior é que tem muita gente 'embarcando' nessa.

  9. Calígula disse:

    MITO TEM RAZÃO
    MITO 2022
    É Peia que o Véio Bolsonaro vai dar nesses ladrões.

    • Francisco de Assis disse:

      Suas piadinhas já perderam a graça há muito tempo, seu moleque. Respeita as famílias dos quase 260 mil mortos. Sem noção.

    • Calíngua Afiada disse:

      Deixa de ser palhaço, idiota!
      Acha pouco? Faça um teste pra ver como seu organismo reage.
      Você é um pilantra igual a ele. Dois irresponsáveis.

  10. Faça o bem disse:

    Ô Louco, não tem um rico de juízo

  11. Richarlison costa disse:

    Não tem como mais responder e levar a sério um cara desse .ele não soma em nada com que todos nós estamos passando e só ele que tá certo de tudo e ainda mais fica politizando tudo ,estamos no salve se quem puder.

Com pandemia em 2020, tombos do PIB na Espanha, França, Alemanha e Japão foram ainda piores que o do Brasil

Foto: Cesar Manso/AFP/Getty Images

PIB da Espanha despencou 11% em 2020, maior queda desde a Guerra Civil

Muito dependente de setores, como turismo e de restaurantes, a Espanha sofreu mais com a pandemia do que outros países desenvolvidos, como França (-8,3%), Alemanha (-5%) e Estados Unidos (-3,5%).

A quarta economia da zona do euro afundou na primeira parte do ano, devido ao rígido confinamento imposto na primavera boreal (outono no Brasil) para conter a primeira onda do coronavírus. A medida incluiu duas semanas de paralisação total das atividades não essenciais.

O desconfinamento levou a uma forte reativação, mas o aparecimento precoce de focos e as consequentes restrições para controlá-los voltaram a frear o crescimento.

Crise sanitária provocou queda recorde de 8,3% no PIB da França em 2020

A França e a Espanha registraram uma recessão massiva em 2020 e quedas recordes do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 de 8,3% e 11%, respectivamente.

A epidemia de Covid-19 levou o governo a restringir a atividade econômica para frear as contaminações, resultando em graves perdas para o país. O consumo teve uma queda de 7,1% no conjunto de 2020. Já o investimento registrou um recuo de 9,8%.

A crise sanitária também perturbou as trocas comerciais. As exportações tiveram uma queda de 16,7% enquanto as importações baixaram em 11,6%.

PIB da Alemanha tomba 5% em 2020 ante ano anterior, na maior queda desde 2009

Altamente impactado pela crise do novo coronavírus, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha tombou 5% em 2020 em relação ao ano anterior, apontou a Destatis, agência oficial de estatísticas do país. Trata-se da maior queda desde 2009, quanto a economia do país encolheu 5,7%, na esteira da crise financeira mundial. Desde então, a Alemanha não registrava PIB negativo.

Segundo comunicado da Destatis, a crise da covid-19 deixou “marcas claras” em quase todos os setores da economia da Alemanha. “A desaceleração econômica foi particularmente evidente nos setores de serviços. Alguns registraram quedas mais severas do que nunca. Um exemplo é o setor combinado de comércio, transporte e hospitalidade, cuja produção , ajustada pelo preço, foi 6,3% menor do que em 2019”, aponta a instituição.

Terceira maior economia do mundo tomba 4,8% em 2020

A economia japonesa encolheu 4,8% no ano de 2020, segundo dados oficiais preliminares divulgados nesta segunda-feira (15). Foi a primeira retração desde a crise financeira de 2009.

Com informações do G1, UOL e Infomoney

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cesar Bomone disse:

    Mas para os ESQUERDOPATAS somente o Brasil teve queda do PIB.
    Graças ao Presidente estamos conseguindo atravessar essa pandemia sem a destruição total da nossa economia. Apesar da mídia lixo trabalhar todo dia pelo FIQUE EM CASA, que usado sem critério só serve para destruir as empresas e os empregos, levando todos à miséria.

  2. Santos disse:

    É neh?
    Uma coisa são os efeitos considerando o peso da queda de 5% do PIB da Alemanha, um país Rico. Outra coida são os efeitos considerando o peso de uma queda de 4% do Brasil.
    Com esse presidente logo logo no Brasil só vai sobrar gemidos e ranger de dentes.

  3. Tico de Adauto disse:

    Descalabro esse governo na saúde, educação, segurança, meio ambiente e economia. Nunca antes na história desse país

    • Júlio disse:

      Assim como nunca antes na história desse país tivemos um presidente que arrombou o cofres públicos, como fez o Lulitro 51!

  4. Greg disse:

    A diferença que os países acima citados fizeram lockdow para freiar o vírus e agora já tem vacinação bem mais avançada que o Brasil, aqui ficou meia-boca e a vacinação está a conta-gotas…não temos luz no fim do túnel…lá tem.

  5. Calígula disse:

    P homem é bom, o homem é espetacular.
    MITO TEM RAZÃO
    MITO 2022

  6. Luiz Inácio disse:

    O fato é que país nenhum no mundo, fez o que o nosso presidente Bolsonaro fez aqui.
    Segurou o taco.
    Ô vêi macho da gota serena.
    É cru!!!

Ministério da Economia diz que resultado do PIB demonstra recuperação em ‘V’, mesmo com o maior tombo da atividade econômica da história do país com 2020 de pandemia

FOTO: MARCOS CORRÊA/PR – 05.02.2021

Mesmo com o maior tombo da atividade econômica da história desde 1996, a SPE/ME (Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia) afirmou em nota técnica que o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) para 2020, divulgado nesta quarta-feira pelo IBGE, demonstra recuperação da economia na forma de “V”.

A expressão é comumente usada pelo ministro Paulo Guedes ao se referir à retomada da atividade econômica a partir do segundo semestre do ano passado.

Impactada pela pandemia do novo coronavírus, a soma de todos bens e serviços produzidos pelo Brasil desabou 4,1% em 2020, mesmo após registrar uma forte retomada no segundo semestre. Trata-se do primeiro encolhimento anual da economia brasileira desde a recessão encerrada em 2016 e o maior tombo da série histórica, iniciada em 1996.

Conforme avaliação da SPE, o rombo poderia ser bem maior. “O conjunto de ações de estímulo à economia durante a pandemia evitou que o PIB tivesse uma queda superior a 9%, conforme apontavam as previsões mais pessimistas.”

“Os resultados do PIB corroboram a recuperação das expectativas de melhora da atividade econômica ao longo do segundo semestre de 2020 e demonstram o acerto das medidas adotadas de enfrentamento à Covid-19 e a pronta reação da economia brasileira”, destaca.

Entre as medidas implantadas em 2020, às quais na avaliação da SPE evitaram um derrocada ainda maior na atividade econômica brasileira, estão o avanço na agenda de fortalecimento de marcos legais, com a aprovação de novas legislações referentes a saneamento básico, licitações e falências.

A SPE destaca ainda que a retomada no segundo semestre foi “vigorosa”, aumentando o nível da atividade econômica, o que abriu espaço para a construção de um maior crescimento em 2021. A atual previsão oficial é de crescimento do PIB de 3,2% neste ano.

Reformas

No entanto, a SPE alerta que para consolidar esse espaço de crescimento, é necessária a aprovação das reformas estruturais e medidas que viabilizem a consolidação fiscal.

Entre as reformas que o governo luta para aprovar no Congresso estão a tributária e administrativa. Mas antes delas, a equipe econômica precisa que o Senado aprove, nesta quarta (3), a PEC Emergencial, que viabilizará a criação do novo auxílio emergencial. O novo benefício, consenso entre oposição e governo, deve atender cerca de atingir 40 milhões de brasileiros, incluindo os do Bolsa Família, com valor de R$ 250.

Para reforçar a tese de que a atividade econômica está em recuperação, o Ministério da Economia se apoia, principalmente, no resultado do PIB referente ao quarto trimestre de 2020, que foi de crescimento 3,2% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, com ajuste sazonal. O resultado representou o segundo aumento consecutivo.

“Tais dados demonstram a recuperação da economia na forma de ‘V’, aponta a SPE. […] A SPE lembra que as projeções para o PIB foram sendo ajustadas a partir da pronta resposta às medidas de combate aos efeitos da crise da Covid-19”, diz nota da secretaria do Ministério da Economia.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Brasileiro disse:

    De uma coisa até a esquerda há de concordar:
    Além do ataque do COVID ainda tem os comunistas agindo contra o crescimento do Brasil e dos brasileiros.
    Vergonhoso isso, né.

  2. Santos disse:

    Tomara!

  3. Tico de Adauto disse:

    Deve tá falando do banco q adquiriu carteiras “podres” do BB de vultosa monta por uma ninharia, não foi banqueiro Guedes?

  4. reinaldo disse:

    paulo guedes entende o que de economia?
    bolsonaro entende o que de administração?
    se eu fosse eles pedia pra ir cagar, saia de fininho!

  5. Raimundo disse:

    A economia a gente vê depois

Covid: SP passa para ‘fase vermelha’ a zero hora de sábado

Célula infectada com partículas do novo coronavírusCélula infectada com partículas do novo coronavírus | NIH/Handout via REUTERS

João Doria anunciará daqui a pouco, em sua entrevista coletiva diária dada na hora do almoço, que São Paulo entrará, sim, na fase vermelha do plano de combate ao coronavírus a partir da zero hora de sábado.

A decisão foi tomada na manhã de hoje e a previsão é que essa nova etapa de restrições dure duas semanas.

Escolas não estão incluídas na fase vermelha e poderão continuar funcionando com aulas presenciais.

A fase vermelha permite o funcionamento apenas de setores essenciais da economia, como farmácias, supermercados, padarias, agências dos correios, petshops, clínicas veterinárias, postos de combustível e transportes coletivos, como ônibus, trens e metrô — e, agora, igrejas. Já shoppings, comércio de rua e academias, por exemplo — tudo para.

A decisão de pôr São Paulo na fase mais restritiva do plano é consequência óbvia do número crescente de mortes e contaminação por Covid no estado. Ontem, morreram 468 pessoas em São Paulo, o maior número desde o início da pandemia há um ano.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Neto disse:

    Esse Doria gosta de cores né??
    Homem arco íris.
    Çei!!!

  2. Manoel F disse:

    O MINTOmaníaco é muito incompetente mesmo, é um presidente tão inepto que não consegue sequer comprar vacinas!

    • gado do gado disse:

      Leia mais as matérias dos jornais que em todo canto tem: A vacina está chegando, só é q o mundo inteiro cabeção q está procurando, demanda, será q vc entende, acho q não.

    • Manoel F disse:

      Foram oferecidas pro MINTO e ele deixou de comprar 100 milhões de doses da coronavac a serem entregues em dezembro do ano passado, entendeu? Ele deixou de comprar vacinas da Pfizer, a mesma que estão sendo usadas com sucesso em Israel, entendeu? Então, o inepto achou pouco e além de deixar de comprar as vacinas em tempo oportuno, não está querendo permitir que Estados e Municípios adquiram… Essas vacinas que estão prometendo para chegar em março e abril (como sabemos o governo do MINTO não é bom em cumprir prazos) talvez faça efeitos evitando a TERCEIRA onda, então quem sobreviver a atual SEGUNDA onda, que poderia ter sido evitada, vai poder tomar essas que ainda estão só na promessa, entendeu? Acho que não, a viseira impede vc de enxergar a realidade!

    • Neto disse:

      Mas a matéria fala do "país " de seu herói. Não deveria estar mais tranquilo lá?

  3. Potiguar disse:

    Calcinha apertada é muito incompetente. Só sabe fechar o comercio e mais nada.

EFEITO PANDEMIA: PIB do Brasil despenca 4,1% em 2020, informa IBGE

Setor de serviços foi o mais impactado em 2020 pelas medidas restritivas. — Foto: Marcelo Brandt/G1

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil tombou 4,1% em 2020, segundo divulgou nesta quarta-feira (3) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi a maior contração desde o início da série histórica atual do IBGE, iniciada em 1996, superando a queda de 3,5% registrada em 2015.

“É o maior recuo anual da série iniciada em 1996. Essa queda interrompeu o crescimento de três anos seguidos, de 2017 a 2019, quando o PIB acumulou alta de 4,6%”, informou o IBGE.

Em valores correntes, o Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB) chegou a R$ 7,4 trilhões. Já o PIB per capita (por habitante) em 2020 foi de R$ 35.172, com queda de 4,8% – a maior já registrada em 25 anos.

Entre os principais setores houve alta somente na Agropecuária (2%), enquanto que a Indústria (-3,5%) e os Serviços (-4,5%) registraram queda.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Veja os principais destaques do PIB em 2020:

Serviços: -4,5%

Indústria: -3,5%

Agropecuária: 2%

Consumo das famílias: -5.5%

Consumo do governo: -4,7%

Investimentos: -0,8%

Exportação: -1,8%

Importação: -10,0%

“O resultado é efeito da pandemia de Covid-19, quando diversas atividades econômicas foram parcial ou totalmente paralisadas para controle da disseminação do vírus. Mesmo quando começou a flexibilização do distanciamento social, muitas pessoas permaneceram receosas de consumir, principalmente os serviços que podem provocar aglomeração”, avaliou a coordenadora de Contas Nacionais, Rebeca Palis.

Perspectivas e incertezas

O encolhimento do PIB em 2020 interrompeu uma sequência de 3 anos de crescimento tímido da economia e ocorreu antes do país ter conseguido se recuperar das perdas da recessão anterior, dos anos 2015-2016.

Economistas têm alertado para a perda do ritmo da atividade econômica com o fim dos programas de auxílio sem substitutos definidos e o aumento das incertezas em meio à situação ainda grave da pandemia, uma inflação “mais salgada”, desemprego elevado e persistentes preocupações com a trajetória do endividamento público – o chamado risco fiscal.

Analistas ouvidos pelo G1 avaliam que uma retomada em 2021 continua dependendo da vacinação em massa da população e do controle da pandemia, que já que já deixou mais de 257 mil mortos no Brasil e atingiu nos últimos dias o seu pior momento no país.

A média das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileira em 2021 está atualmente em 3,29%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central. Os economistas já trabalham, porém, com a expectativa de retração no 1º trimestre e parte do mercado não descarta o risco de uma queda do PIB também no 2º trimestre, o que configuraria uma nova recessão técnica.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jailson disse:

    Desde que Bolsonaro foi eleito é só desgraça nessa país!!!
    É pacto com o demônio ctz!!

  2. Cesar Bomone disse:

    Os ESQUERDOPATAS se fazem de loucos, só eles não enxergam que em todos os países afetados pela Covid o PIB caiu. O Brasil não foi diferente, mas ao contrário de muitos países e das previsões feitas, nosso PIB caiu muito menos do que se imaginava.
    Além do que, a maior parte da queda do PIB se deve ao FIQUE EM CASA pregado por muitos governadores. A quebradeira não foi pior graças ao Presidente que teve coragem de lembrar da importância da economia para a vida de todos.

    • José Macedo disse:

      Cesar você chegou na frente dos meu comentários o PIB 👍👍despencou na época do lockdown, depois ficou só positivo em fevereiro teve superávit de mais de um bilhão.
      Podem espernear esquerdopatas, mas o país vai crescer, até mesmo com vocês e as midiaslixo jogando contra.

  3. Greg disse:

    Toque o berrante seu moço….

  4. Irany Gomes disse:

    E a China que criou e disseminou o vírus, rindo à toa com sua economia a todo vapor, sem mortes, sem restrições nenhuma para sua população de apenas 1,4 bilhão de habitantes!!!

  5. Santos disse:

    Agradeçam ao governo do Minto bolsonaro.
    Métiro exclusivamente dele.
    PIB 2019 inferior ao de 2018 e o de 2020 com a maior queda da série histórica.
    O buraco ainda é mais um pouco mais em baixo.
    É o xique xique entrando e os bolsonaristas pobres pedindo mais.

  6. J & J disse:

    Oi, tem gente festejando a queda do PIB brasileiro, é isso mesmo que li? ….hahaha sem noção grandão…hahahaha

  7. Joao Bolsonaro disse:

    O REINO UNIDO CAIU 9,9%. DA-LHE BOZO E PAULINHO!!! CHORA MAIS JUMENTADA!!! A EQUIPE ECONÔMICA DO BRASIL É INCRÍVEL 👉🏻👉🏻👉🏻👉🏻👉🏻

  8. DEL GADO disse:

    Ô VÉI ARROCHADO ESSE PRESIDENTE! O CARA TEM OZÓVO ROXO! PAULO GUÉDE NEM SE FALA.. OUTRO VÉI ARROCHADO DOZÓVO ROXO

Quando poderemos viajar de férias novamente? Especialistas respondem

Foto: Ilustrativa

A aplicação de vacinas contra o coronavírus está em andamento em todo o mundo, mas quando se trata da recuperação das viagens de turismo, ainda há muito o que fazer para estarmos longe do perigo.

Embora os especialistas estejam otimistas de que as coisas começarão a voltar ao normal lentamente ainda este ano, a rapidez com que isso acontecerá dependerá de onde você está, para onde deseja ir e se o vírus e suas cepas mutantes podem ser controlados.

Com tantas incertezas, o mais aconselhável, na maior parte do mundo, ainda é ficar em casa. Não há perigo, entretanto, em olhar para o futuro. Pedimos a especialistas que avaliassem a questão de quando o mundo poderá sair de férias novamente e quando as viagens voltarão ao normal, se isso de fato acontecer.

Quando poderei voar para outros países?

“Há alguns destinos em que os viajantes já podem reservar um voo de longa distância, agora, se quiserem”, diz Bryce Conway, fundador da 10xTravel. “Por exemplo, há voos disponíveis para passageiros dos EUA para destinos como a Albânia e muitas partes do Caribe. Mas não espere que o volume de rotas de longa distância aumente para os níveis anteriores à Covid-19 antes de 2022.”

Alexis Barnekow, fundador e CEO do aplicativo de reservas Chatflights, concorda. “Quase tudo ainda pode ser reservado, com algumas exceções”, diz ele. “Nova Zelândia/Austrália é mais difícil de reservar porque companhias aéreas, como a Qantas, reduziram muito as passagens. “Duas outras companhias aéreas que diminuíram as reservas são a Thai Airways e a Singapore Airlines, (embora isso seja) muito mais por motivos financeiros.”

“Basicamente, todas as outras companhias aéreas estão se esforçando para manter o fornecimento do serviço nos mesmos níveis de antes, a fim de manter seu fluxo de caixa. Você pode reservar, mas o risco de voos cancelados e reprogramação é grande. Dessa forma, as companhias aéreas podem continuar vendendo passagens, e quando as datas de viagem se aproximarem, usar o reagendamento para tentar encher alguns aviões e manter outros no solo.”

As regras de entrada variam de destino para destino, e também conforme o país de saída. Dubai, por exemplo, é um dos destinos mais abertos do mundo, enquanto a Nova Zelândia está entre os mais fechados.

Os viajantes devem verificar os regulamentos no momento da reserva e, novamente, antes de viajar, e não fazer viagens desnecessárias quando isso for contra a orientação oficial. Quando se trata de viagens de lazer de longa distância, elas devem se ser permitidas e até mesmo aconselháveis a partir do final de 2021, sendo otimista.

A operadora australiana Qantas, uma das grandes companhias de aviação, anunciou na semana passada que planeja retomar os voos internacionais – em escala reduzida – até o final de outubro. O governo do Reino Unido – que tem a maior taxa de mortalidade de Covid na Europa – disse que manterá suas restrições a viagens internacionais até maio, no mínimo.

“O bloqueio será, provavelmente, tão rígido como tem sido, especialmente na Europa, Estados Unidos e assim por diante”, disse Chris Goater, chefe de Comunicações Corporativas da International Air Transport Association (IATA), o órgão global de aviação comercial. “Temos esperança de que haja luz no fim do túnel”, embora “esperemos que o longo curso seja a última coisa a se recuperar”.

Conectar mercados distantes traz o risco de exposição a novas variantes em potencial, com as quais os governos estão compreensivelmente cautelosos, diz Goater. “Muitas viagens de negócios são longas e podem levar algum tempo para se recuperar, já que as empresas estão cuidando do seu caixa”, acrescenta.

E quanto a viagens internacionais de curta distância e as janelas para viagens?

Goater, da IATA, está mais otimista quanto à retomada dos voos de curta distância. Os governos enfrentarão “maior pressão para relaxar as restrições de quarentena para viagens a um país vizinho do que para destinos de longa distância, diz ele. Na Europa, “ocê pode imaginar que poderíamos terminar com algum tipo de acordo em toda a UE, onde os países permitirão a abertura das fronteiras somente no verão, e se as infecções estiverem baixas.”

Bryce Conway, fundador da 10xTravel, tem sede em Ohio e diz: “Os voos de curta distância vão se recuperar rapidamente, com a maior parte voltando no outono de 2021. Embora haja destinos que aceitarão viajantes dos EUA – alguns com teste de Covid negativo – não prevejo muitas janelas para viagem sendo abertas para os viajantes dos EUA até que a pandemia esteja sob controle.”

Posso viajar internamente?

“Algumas partes do mundo, como China, Índia e Rússia, se recuperaram fortemente no ano passado, em alguns casos voltando aos níveis pré-pandêmicos”, disse Goater da IATA. Com base nessas evidências, ele está otimista de que, conforme as restrições diminuam, as viagens domésticas se recuperarão rapidamente. “Quando o bloqueio não é tão forte, a demanda por viagens domésticas aumenta.” Segundo Conway, dos EUA, “as viagens domésticas já estão se recuperando e veremos essa tendência continuar à medida que as vacinas se tornarem amplamente disponíveis ao público.

James Turner, CEO do serviço global de viagens 360 Private Travel, diz que, para os escritórios de sua empresa em Cingapura e em Hong Kong, as “viagens domésticas” serão “uma grande parte de seus negócios daqui para a frente”. No entanto, no Reino Unido, embora as viagens locais de curta duração, chamadas de staycations, fossem populares no verão passado, “este ano, acredito que a maioria de nossos clientes realmente quer ir para outros lugares”.

Posso fazer uma viagem rodoviária?

“As viagens rodoviárias se tornaram incrivelmente populares no ano passado porque parecem ser a forma mais segura de viajar durante uma pandemia”, diz Conway. “Há um risco extremamente baixo de exposição à Covid-19 se você fizer uma viagem e ficar em um AirBnB com pessoas que moram na mesma casa ou em um hotel que esteja seguindo os protocolos de segurança adequados.”

Que tal um cruzeiro?

“Os cruzeiros são, de longe, o segmento de viagens mais impactado, e vai demorar muito até que voltem ao normal, se é que voltarão”, diz Conway. “A indústria de cruzeiros deixou cair a bola ao tentar voltar muito rápido e perdeu muito a confiança do público ao fazer isso. As pessoas provavelmente também estarão mais preocupadas com a saúde em um mundo pós-Covid-19, e espero que isso esteja acontecendo para trazer mudanças permanentes ​​à indústria de cruzeiros.”

Turner, da 360 Private Travel, tem uma visão mais otimista. “Acho que certos tipos de cruzeiros serão os primeiros (a se recuperar), ao contrário do que algumas pessoas possam pensar.” Experiências tipo boutique em navios de pequeno porte, com condições rígidas de entrada e roteiros cuidadosamente planejados, vai agradar os clientes “porque o ambiente é mais controlado”.

É mais seguro ficar em um hotel ou no Airbnb?

Turner diz que o escritório de sua empresa em Hong Kong viu clientes escolherem viagens curtas com “empresas mais famosas”. Os viajantes se sentem mais felizes em acomodações onde podem ter certeza das políticas rigorosas do hotel em relação a verificações de temperatura, declarações de saúde, uso de máscara, registro de visitas por meio de código QR e assim por diante. “A confiança é muito importante.”

No entanto, como Conway aponta, Airbnbs ou outras opções são aceitáveis, “desde que você não compartilhe acomodações com pessoas que não estejam viajando com você ou que não morem com você”.

Faz diferença se eu for vacinado?

“Ainda não, mas vai”, prevê Conway. “Este será um dos maiores problemas a serem enfrentados pela indústria de viagens nos próximos 12 a 24 meses.”

“Passaportes de vacina”, que podem impor restrições de viagem a qualquer pessoa que não esteja vacinada, é um dos tópicos mais debatidos na indústria de viagens atualmente. Alguns destinos, como Seychelles, Chipre e Polônia, já suspenderam os requisitos de quarentena para visitantes que provarem que estão vacinados.

No entanto, persistem temores sobre a efetiva imunização que as vacinas oferecem, e há polêmicas sobre como a documentação da inoculação pode restringir e segregar, e o que isso significa para aqueles que ainda aguardam suas doses, ou mesmo, que não serão capazes de recebê-las. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, não apoia o conceito de “passaporte de vacina”.

“Nós estamos imaginando que exista um tipo de comprovante vacinal que sirva para quem quer circular novamente, embarcar em um voo, ir a um show e comer em um restaurante”, disse Roderick Jones, presidente executivo da empresa de consultoria de risco com sede em São Francisco Concentric Advisors. “Embora a vacina possa nunca se tornar ‘obrigatória’, pode se tornar muito desvantajoso não tomar.”

O setor de viagens algum dia voltará ao normal?

“Com certeza, sim”, diz Conway. “Espero ver um grande aumento nas viagens no final de 2021, conforme as vacinas se tornem disponíveis em grande escala. Haverá alguns retrocessos conforme a indústria de viagens se recupere e descubra como lidar com a estratégia de longo prazo de combate à Covid-19, mas no geral, espero que as coisas voltem a um estado relativamente normal em meados de 2022.”

“Acreditamos que as viagens de negócios serão menores do que antes, especialmente entre os trabalhadores de grandes corporações”, diz Barnekow. “As grandes corporações têm muitos motivos, além da Covid, para fazer com que as pessoas viajem menos: motivos ambientais, financeiros e morais. Mesmo que nada supere as reuniões olho no olho, a pandemia mostrou que muitos problemas podem ser resolvidos usando outros meios de comunicação. Mas eu ainda acho que vai voltar quase como antes. Se eu tivesse que adivinhar, diria que as viagens de negócios terão uma redução de 10% a longo prazo.”

Quanto às viagens de lazer, Barnekow acha que haverá “um salto no curto prazo, e, depois, veremos os mesmos níveis de antes. Nunca tivemos tanto tráfego para o aplicativo como agora; parece que as pessoas realmente desejam reservar viagens”

Turner concorda, apontando para o grande volume de interesse dos clientes. “Temos evidências de que há uma enorme demanda reprimida. As pessoas querem voar.” Seus clientes estão pensando a longo prazo e sonhando grande.

CNN – Viagem e Gastronomia

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Com o dólar e euro nas alturas agora acabou de vez.
    Obrigado Bolsonaro!

  2. Victorino disse:

    Especialistas sem eira e sem beira! É para ri muito, adivinhos do futuro.

  3. Jailson disse:

    O Brasil e os brasileiros serão os leprosos do mundo. Os países desenvolvidos criarão dificuldades p os brasileiros entrarem.

ALERTA: Samu Natal registra em fevereiro o maior número de transferências de pacientes desde o início da pandemia

Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN destaca em reportagem que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Natal registrou, em fevereiro, o maior número de remoções – quando um paciente precisa da ambulância para ser transferido de uma unidade de saúde para outra – desde o início da pandemia: foram 1.243.

De acordo com o coordenador geral do Samu Natal, Cláudio Macedo, as remoções em fevereiro superaram julho de 2020, que até então havia sido o mês com maior registro, durante o pico da primeira onda de Covid-19 no estado.

Mais detalhes AQUI em reportagem na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria disse:

    Algo de errado na reportagem…
    Pensei que quem fazia essas remoções era o TRANSPORTE SANITÁRIO.

Médico é espancado pelo cunhado no PR: ‘Alertei sobre a pandemia’

Infectologista foi espancado após defender lockdown Foto: Reprodução

Olho roxo, costela machucada, hematoma nos lábios e corpo dolorido. Esse é o resultado das agressões sofridas pelo infectologista José Eduardo Panini, de 31 anos, na noite da última sexta-feira (26). O médico foi espancado dentro da própria casa após defender medidas de restrição à circulação de pessoas e suspensão das atividades não essenciais no Paraná, diante do aumento de casos de Covid-19 no estado.

O agressor foi o próprio cunhado de Panini, um homem descrito pelo médico como pessoa que nunca respeitou o isolamento social e sempre se recusou a usar máscara. A discussão começou quando o familiar insistia em sair para uma festa no momento mais grave da pandemia no Brasil.

“Eu e minha esposa estávamos orientando a não ir, falando dos riscos e das medidas sanitárias tomadas. E ele reagiu de forma agressiva, com socos e chutes. Até minha mulher foi agredida. Um amigo dele, que veio buscá-lo, ainda me segurou para ele me socar. Eu alertei sobre a pandemia e a resposta foi agressão”, disse Panini.

A maior preocupação do médico era com o sogro e a sogra, que têm idade avançada e fazem parte do grupo de risco. Panini ainda apresentou dados, como o aumento de 30% na demanda por UTIs na região de Toledo e, por esse motivo, argumentou que seria prudente o cunhado dar “uma segurada”.

“Eu não sei o que aconteceu na mente dele, pois ele não é normalmente agressivo. Agora eu estou todo dolorido, com a costela machucada e o olho roxo. Eu precisava de ponto na boca, mas cuidei em casa mesmo, com gaze. Nessa imagem que publiquei (nas redes sociais) eu já estou ótimo, melhorei bastante. Na sexta-feira estava muito pior”, explicou.

A conversa com o cunhado aconteceu após Panini sair de uma reunião que determinou o que seria fechado no município de Toledo, em conformidade com o decreto do governo estadual. O infectologista ficou impressionado com os dados sobre o avanço da pandemia de forma descontrolada pelo interior do Paraná.

Situado no oeste do estado, Toledo tem 142 mil habitantes. De acordo com a Prefeitura, desde o início da pandemia 15.043 pessoas foram infectadas pelo coronavírus no município e 143 mortes foram registradas em consequência da doença.

“Eu estive otimista, achava que poderíamos resolver a pandemia neste ano. Mas entramos em uma situação que vai demorar muito para sair, com as novas variantes, a dificuldade para vacinação e a alta transmissibilidade do vírus”, disse.

Apesar da realidade adversa, Panini sustenta que “não é hora de desistir, mas de ficar firme”. O infectologista pediu apoio das autoridades e da imprensa para aumentar a conscientização da população.

José Eduardo Panini é professor da Universidade Federal do Paraná Foto: Divulgação

Panini é formado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e infectologista com residência médica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP. Também é especialista em infectologia pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e foi professor do curso de medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no campus de Toledo.

A agressão sofrida pelo infectologista repercutiu no município. O Conselho Municipal de Saúde de Toledo condenou, em nota, o ataque ao médico e cobrou que os autores sejam identificados e punidos.

“Salientamos que o Conselho repudia qualquer ato de violência e em se tratando do atual momento da pandemia, a qual (sic) servidores atuam incansavelmente para salvar vidas aqui em Toledo, assim como no mundo todo, atos desse tipo apontam total desrespeito com o próximo e só traz prejuízos a todos os que estão na luta para que isto um dia vire apenas história”, afirmou.

Em nota, o Centro Acadêmico de Medicina de Toledo também repudiou a agressão contra o infectologista e afirmou que a comunidade acadêmica estava indignada com a situação.

“Defendemos que a pandemia seja enfrentada com seriedade e com base em dados científicos. Somos contra todo ato de violência, desrespeito, intolerância e negacionismo. Nós, acadêmicos, desejamos força e uma boa recuperação ao Dr. José Eduardo, e que essa atitude criminosa seja devidamente punida. Nossa gratidão pelo profissional exemplo que é para nós alunos”, disse a nota.

Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sérgio disse:

    Quando liberarem de vez as armas, a situação vai piorar…

  2. Pixuleco disse:

    Calígula não tem esse problema . Ele realmente quer bem aCUNHADO! Aí papai .

  3. ZéGado disse:

    Vixe… Esse “balsanarista” não foi carinhoso com o cunhado.

  4. Luiz Antônio disse:

    Mais um desmiolado seguidor tosco capitão 👨‍✈️

Doria diz que SP entrou na pior semana desde o início da pandemia e não descarta nenhuma medida

Foto: Reprodução/Globonews

O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta terça-feira (2) que o estado está na pior semana desde o começo da pandemia. Doria participou do início da vacinação drive-thru no estádio do Morumbi, na Zona Sul da capital, e falou sobre a situação da doença no estado.

“Entramos na pior semana da Covid-19 da história da pandemia desde 26 de fevereiro. Isso não apenas em São Paulo, os demais estados também, eu tenho falado com governadores de outros estados. Há uma preocupação generalizada”, disse o governador.

Questionado sobre se ele adotaria o lockdown para evitar maior propagação da doença, o governador diz que não descarta nenhuma medida.

“Não se descarta nenhuma medida, desde que elas sejam embasadas pela ciência e pela saúde”, afirmou Doria.

O estado de São Paulo registrou nesta terça o maior número de mortes por Covid-19 em 24h desde o início da pandemia, com 468 novos óbitos, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde. Com os novos registros, o estado chegou a 60.014 mortes provocadas pela doença.

As novas confirmações em 24 horas não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram contabilizadas no sistema neste período. Os números costumam ser menores aos finais de semana e segundas-feiras.

O governador disse que o Centro de Contingência irá se reunir nesta terça e o que for decidido será anunciado nesta quarta-feira (3).

A média móvel de mortes, que leva em consideração os registros dos últimos 7 dias e minimiza as diferenças das notificações, é de 259 óbitos por dia nesta terça. O número representa uma alta de 18% em comparação com o valor registrado há 14 dias, o que para os especialistas indica tendência de estabilidade. Como o cálculo da média móvel leva em conta um período maior, é possível medir de forma mais fidedigna a tendência da pandemia.

Nos últimos dias, o estado vem batendo recordes sucessivos de pacientes internados com quadros mais graves da doença. No sábado (27), o total de pacientes internados em UTI superou o valor de 7 mil pela primeira vez desde o início da pandemia.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o maior valor anterior durante o primeiro pico da doença havia sido registrado em 29 de julho, com 6.250 pacientes em UTI. A gestão estadual vê risco de colapso no sistema de saúde nas próximas semanas.

Aumento de novas internações

As novas internações por Covid-19 aumentaram 18,3% no estado de São Paulo na última semana, em relação à semana anterior. A velocidade do aumento verificado nos últimos dias preocupa autoridades sanitárias, que temem colapso no sistema de saúde do estado.

Na semana entre 14 e 20 de fevereiro, em média 1.541 pacientes eram internados por dia no estado. Já na semana entre 21 de fevereiro e o último domingo (28), o valor saltou para 1.823 por dia.

“Precisamos da colaboração da população. Não adianta abrir mais leitos. Nós estamos expandindo. Estamos fazendo a nossa parte, mas nós temos a limitação, tanto de espaço, mas também de recursos humanos”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, nesta segunda.

De acordo com o secretário, as pessoas precisam colaborar para evitar aglomerações que possam disseminar o contágio pelo vírus.

Medidas mais duras

Diante da piora da epidemia em todo país, autoridades e saúde e conselho de secretários pedem que medidas mais duras de restrição à circulação de pessoas sejam tomadas.

No estado de São Paulo, começou a valer na sexta-feira (26) a restrição de circulação das 23h às 5h, batizada pela gestão João Doria (PSDB) de “toque de restrição”. O objetivo é aumentar a fiscalização no período noturno para coibir aglomerações e festas clandestinas.

A medida, no entanto, não tem poder de proibição, e é diferente de um “lockdown”. Após a lotação de leitos, algumas prefeituras como a de Araraquara e de municípios do ABC paulista já decidiram adotar proibições que vão além do que é determinado pelo governo estadual.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Homem Aranha disse:

    Incompetente mentiroso. São Paulo tem os piores números do covid. Essa praga só quis vender uma vacina meia boca pros desesperados

  2. Brunoro disse:

    Governadorzinho meia boca.
    Fraco!
    Só leva o tempo em aumentar impostos e fazer politicagem com a vacina, esquece de governar.

  3. Silva disse:

    Esse aí gosta de ir pra Miami, enquanto a população se lasca. É só propaganda, você pensa que SP tá uma maravilha, quando ver, o Estado de SP é o pior em número de mortes no Brasil. A responsabilidade é sua Governador.

Parque da Cidade suspende visitação até 16 de março

Foto: Alex Régis

O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte será fechado para visitação ao público a partir desta terça-feira (2) até o dia 16 de março. A medida atende as novas regras de segurança sanitárias visando à prevenção do contágio pelo novo coronavírus. A portaria com a decisão foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) de hoje considerando os Decretos Municipais nº 12.175 e nº 12.176, ambos de 26 de fevereiro de 2021.

De acordo com informações da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), responsável pela gestão da unidade de conservação municipal, estão suspensas todas as atividades de visitação externa, eventos, recreação culturais, artísticos e de entretenimento no interior do Parque. O Memorial Natal, que fica na torre, também continua fechado para visitações.

A unidade, localizada nos bairros de Candelária e Cidade Nova, foi reaberta para visitação no dia 11 de agosto de 2020 com 50% da capacidade máxima. O local já havia sido fechado em março por conta da pandemia, mas estava cumprindo o cronograma de reabertura por etapas e todas as recomendações sanitárias.

A portaria também faz menção ao novo regime de trabalho dos servidores da unidade, que estão autorizados a reorganizar a jornada de forma que o horário de entrada ou saída, ou ambos, recaia fora dos horários de pico do sistema de transporte, se possível em turnos.

Já para aqueles servidores maiores de 60 anos, acometidos de comorbidades ou doenças crônicas, além das gestantes e lactantes, o expediente presencial está dispensado caso não seja possível realizar as atividades remotamente, tendo estes que compensar os dias não trabalhados cessada a situação de emergência. Ambas as situações devem ser determinadas de acordo com o disposto no Decreto nº 12.176.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Mas bares, restaurantes, shoppings e academias estão a todo vapor. Não entendo. Fecha espaços abertos e deixa aberto espaços confinados.

  2. Antonio Turci disse:

    Piada chamar Álvaro Dias de comunista. Mas parece que o Prefeito está mal orientado nas questões ambientais. Fechar o Parque da Cidade é um desfavor aos natalenses.

  3. Incrivel disse:

    Realmente, realizar uma atividade AO AR LIVRE deve fazer muito mal a saude
    Mas aglomerar dentro de shopping e varanda goumert isso pode

  4. Cássio Quereia disse:

    Prefeito comunista

    • Sergio disse:

      Se comunista é preservar a vida alheia, pode me inscrever no partido!

“Não adianta você querer impor algo nacional. Nós não somos ditadura”, diz Mourão sobre pedido de toque de recolher feito por secretários

Foto: Reprodução

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (2) que ‘não adianta querer impor’ medidas nacionais para restringir a circulação de pessoas e tentar reduzir os casos de Covid-19. Segundo ele, a solução é acelerar a vacinação e realizar de campanhas de conscientização da população.

Mourão fez o comentário após ter sido questionado a respeito da carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) que sugeriu medidas urgentes contra o iminente colapso das redes pública e privada de saúde diante do aumento dos casos de Covid-19. Entre as sugestões está um toque de recolher nacional das 20h até as 6h da manhã.

“Cada população tem sua característica, se você analisar o país são cinco países diferentes em um só, o Norte é uma coisa, Nordeste é outra, etc e tal. Então, não adianta você querer impor algo nacional. E aí como é que você vai fazer isso para valer? A imposição? Nós não somos ditadura. Ditadura é fácil, sai dando bangornada em todo mundo”, afirmou ele em entrevista ao chegar ao Palácio do Planalto nesta terça (2).

Para Mourão, a população “cansou” das medidas de restrição e os brasileiros não gostam de ficar em suas residências, preferem sair à rua. O vice-presidente considera que o caminho para redução dos casos da Covid-19 seria realizar uma campanha de conscientização e acelerar a vacinação.

“Acho que tem que haver uma campanha em todos os níveis de conscientização da população. Acho também que tinham que ter alguma atitude em relação ao transporte urbano, acho que nenhum gestor se preocupou muito com isso aí. É por aí. E conseguir acelerar as vacinas. Acelerando as vacinas a coisa anda de forma boa”, afirmou.

Carta do Conass

A carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) foi entregue na segunda-feira (1º). No documento, a entidade diz que o Brasil vive o pior momento da pandemia e divulgou medidas que deveriam ser adotadas no país. Em resumo, o Conass afirmou que:

Brasil vive pior momento da pandemia, com patamares altos em todas as regiões.

Falta condução nacional unificada e coerente da reação à pandemia.

É preciso proibir eventos presenciais, inclusive atividades religiosas.

É preciso suspender aulas presenciais em todo o país.

É preciso adotar toque de recolher nacional; fechar bares e praias.

É preciso ampliar testagem e acompanhamento dos infectados.

Deve-se criar um Plano Nacional de Comunicação para esclarecer a população da gravidade da situação.

Situação no país

Um ano após o primeiro caso de Covid-19, o Brasil vive momento crítico, com 255,8 mil óbitos. Segundo consórcio de imprensa, na segunda-feira (1°) a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.223, o quinto recorde batido nos últimos seis dias.

Já o balanço da vacinação registra 6,7 milhões de pessoas que receberam a primeira dose (3,2% da população brasileira).A segunda dose já foi aplicada em 2 milhões de pessoas (0,95% da população).

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luis disse:

    E os assaltantes agindo no toque de recolher.

  2. Luis disse:

    E os assaltantes agindo no toque de recolher

  3. Beto Araújo disse:

    Bom dia! General Boubão.

  4. Tico de Adauto disse:

    Estamos com uma verdadeira dupla de dois na presidência.
    #impeachmentsalvavidas

  5. Luiz Antônio disse:

    Tão despreparado quanto o capetão.

    • Rafael disse:

      Sempre o elogiei, mas de vez em quando fala umas besteiras também

      Parecendo Bolsonaro

    • Paulo disse:

      Falou o adorador de Fidel Castro, Msduro e Lula
      Esquerda é ódio e agressividade.

    • Pai do Cacá (Tá tenso) disse:

      Esquerda é ódio e agressividade??? kkkkkkkkkkkk falou o adorador de miliciano que só propaga fake news e desfila mentirar e ódio? Alias um dos ídolos de vocês já foi solto???

  6. Dqvs disse:

    Não adianta toque de recolher se durante o dia inteiro os transportes públicos estão super lotados.

    Querem impor que a população fique trancafiada e não resolvem o problema efetivamente aonde precisa?

Com ampliação de leitos, Sesap convoca 81 temporários para linha de frente da pandemia

Diante da ampliação dos leitos Covid no estado do Rio Grande do Norte, a SESAP convoca 81 servidores temporários para atuar no enfrentamento à pandemia. São enfermeiros, fisioterapeutas, Técnicos de Enfermagem, Copeiros, Farmacêuticos, Farmacêuticos Bioquímicos e Biomédicos, Fisioterapeutas, Técnicos em Radiologia, Auxiliares de Cozinha, Higienistas Hospitalares e Maqueiros que atuarão na linha de frente.

A convocação está publicada no Diário Oficial desta terça-feira (02), considera os editais 001 /2020 e 002 /2020 e atende ao Plano de Contingência Hospitalar para o Enfrentamento ao Covid-19. Os profissionais deverão assinar o contrato no período de dez dias úteis, contatos com a data da publicação.

Os candidatos convocados deverão escanear os documentos listados na convocação (ver documento), e enviar o arquivo em PDF para o link: https://selecao.saude.rn.gov.br/selecao/, além de informar o(s) telefones atualizados após o processo ser aberto para ser avisado quanto à assinatura de documentos e a lotação.

Para informações ligar: (84) 9 8137-4229.

Confira o documento:

http://diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20210302&id_doc=714673

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Graças ao Presidente Bolsonaro.
    Pq o homem é bom, o homem é espetacular.
    MITO 2022 no primeiro turno.

  2. Direita Honesta disse:

    O que produzirá real efeito contra o vírus é a abertura de leitos qualificados, além de medidas sanitárias, do uso de máscaras QUANDO NECESSÁRIO, do DISTANCIAMENTO social (não confundir com trancar as pessoas em casa) e do tratamento preventivo e inicial da doença, por intermédio de vacinas (mesmo emergenciais) e de medicamentos que estão demonstrando alguma eficácia (mesmo que "off label"). "Lockdown" não resolve NADA, só piora a situação, porque gera inúmeros outros problemas.

    • Jeremias disse:

      Sabe de nada, inocente. Você não tem competência pra dizer o que resolve ou não resolve. Recolha-se à sua própria insignificância. Já temos muitos "direitistas honestos" mandando no país e o resultado é esse caos que estamos vivendo.

    • Anderson disse:

      Sai daí carniça. Só vc tá certo e o resto do mundo errado. Tratamento preventivo é meuzovo.

    • Garrote JR disse:

      Falou o infectologista Dr. Araque

Novo decreto: Prefeitura do Natal autua 11 e interdita 3 estabelecimentos por funcionamento após às 22h

Para conter o avanço da Covid-19 em toda a Natal, a Prefeitura ampliou as medidas restritivas na capital potiguar em novo decreto publicado no Diário Oficial do Município (DOM), na noite do último sábado (27). O balanço do trabalho do fim de semana, sábado (27) e domingo (28) foi divulgado nesta segunda-feira (1º) pela secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). Foram 11 autos de infração, duas interdições totais e apreensão de um paredão de som. As ações integradas com o Governo do Estado na operação Pacto Pela Vida ocorreram nas quatro zonas administrativas e também contam com agentes da secretaria de Serviços Urbanos (Semsur), Guarda Municipal (GMN), além das Polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros.

Entre as novas medidas do Decreto Municipal nº 12.175 de 27 de fevereiro de 2021, está o encerramento das atividades ao público às 22h em bares, restaurantes, conveniências e similares. E ainda que todos os estabelecimentos devem seguir as regras sanitárias preventivas para evitar a propagação do vírus já previstas em decretos anteriores. Outra medida reforçada no decreto é a proibição de venda de bebida alcoólica na cidade por qualquer estabelecimento, após às 22h até às 06h.

De acordo com informações da fiscalização da Semurb, no sábado (27), primeiro dia com as medidas mais endurecidas, foram seis autos de infração lavrados, resultando em duas interdições totais das atividades. “Três lanchonetes, em Neópolis, foram autuadas com multa grave por descumprirem o horário de funcionamento previsto pelo decreto, pois estavam funcionando além das 23h. E uma delas teve suas atividades interditadas totalmente devido às condições sanitárias por ter sido notificada anteriormente e seguia na desobediência”, disse o supervisor geral de fiscalização ambiental da Semurb, Leonardo Almeida.

Ainda segundo ele, em Neópolis, duas conveniências foram autuadas com multa grave por estarem funcionando além do horário das 22h. E no Tirol, um restaurante foi autuado e teve suas atividades interrompidas por descumprir as medidas sanitárias.

Já durante o domingo (28) foram cinco autos de infração e uma interdição total a um bar na Avenida Ayrton Senna, em Neópolis, por ser flagrado ateando fogo no lixo produzido pelo estabelecimento. Na Avenida Roberto Freire, uma conveniência foi autuada por estar funcionando além do horário permitido e comercializar bebida alcoólica e uma lanchonete de renome nacional autuada por funcionar às 00h. Além disso, um vendedor ambulante, que atuava no calçadão de Ponta Negra, já com ponto fixo em seu automóvel, foi autuado por fazer uso da via pública um bar e um paredão de som foi apreendido, no bairro de Pajuçara, na zona Norte.

Almeida destaca a importância do cumprimento das regras impostas pelo decreto, quanto ao horário de funcionamento. “As medidas restritivas visam frear as aglomerações, a fim de baixar a taxa de disseminação do vírus e dar uma aliviada na taxa de ocupação dos leitos. É importante os comerciantes terem a noção para respeitarem o decreto que apenas fecha a orla da praia por apenas dois dias”, enfatizou.

As equipes de fiscalização ainda fizeram orientações porta a porta em cada estabelecimento aos comerciantes de porta para a rua da avenida Erivan França, em Ponta Negra. De acordo com o decreto, o horário de funcionamento destes comerciantes da orla marítima será de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, no sábado, das 9h às 13h e domingo, o comércio é fechado, enquanto o decreto estiver vigente.

A população também pode ser um agente fiscalizador realizando uma denúncia, que pode ser anônima, entrando em contato pelo telefone da Ouvidoria da Semurb no (84) 3616-9829, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, ou ainda pelo e-mail ouvidoria.semurb@natal.rn.gov.br . Além do canal 24h do Ciosp pelo 190 e o 181 (Disque Denúncia- Polícia Civil) nos fins de semana e feriados.

OUTRAS AÇÕES

No sábado (27), a Semurb demoliu construções irregulares em Petrópolis, em frente a Praça Cívica, e também em Mãe Luiza, erguidas sobre um muro de arrimo na Rua Guanabara, obra já embargada pela Prefeitura. As edificações de Mãe Luzia colocavam em risco a estrutura que sustenta o morro contra desmoronamentos. O local foi cenário de uma tragédia em 2014, quando dezenas de casas foram destruídas.

Por fim, na Via Costeira de Natal dois currais erguidos irregularmente em área da União foram desmobilizados e oito animais ungulados em situações de maus-tratos recolhidos para o curral municipal. E no domingo (28) , os fiscais realizaram a retirada de publicidades irregulares em vias públicas. Os materiais foram recolhidos na maior parte na zona Sul de Natal, nas avenidas São Miguel dos Caribes, das Alagoas, dos Pinheirais e na Orla de Ponta Negra , na Erivan França.

https://www.natal.rn.gov.br/news/post/34034

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    O vírus do desemprego.
    Já já o caba quebra.
    Além de queda coice…
    Trabalhando e se lascando na multa.
    Agora ônibus com 40 pessoas centados e 35 em pé, ta liberado.
    É difícil entender a cabeça desses governantes.

Primeiro fim de semana com toque de recolher no RN soma duas pessoas detidas por desobediência

O primeiro fim de semana de vigência do toque de recolher no Rio Grande do Norte foi considerado tranquilo pelas forças de segurança pública. Duas ocorrências policiais foram registradas até então, após o decreto publicado pelo Governo do Estado como medida de contenção da pandemia do novo coronavírus no estado.

Na noite do sábado (27/02), em Natal, um homem foi detido no bairro Potengi, na Zona Norte, ao se recusar a deixar o bar em que bebia. Passava das 22h45 quando a Polícia Militar chegou ao local e levou o homem para a Delegacia de Plantão. Já neste domingo, uma ocorrência semelhante aconteceu em São José do Campestre, onde um homem também resistiu ao cumprimento do decreto. Ele foi detido e levado para a Delegacia Regional de Nova Cruz.

Nos dois casos, segundo a Polícia Civil, foi assinado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e os detidos liberados para irem imediatamente para seus lares.

O toque de recolher no Rio Grande do Norte teve início na noite do sábado (27), e deve seguir em todo o estado até o dia 10 de março.

“Para garantir o cumprimento das medidas sanitárias de enfrentamento e prevenção ao novo coronavírus, a professora Fátima Bezerra, governadora do estado, determinou que nós disponibilizássemos todas as forças de segurança disponíveis, e é isto o que estamos fazendo, sempre cumprindo o programa Pacto Pela Vida”, destacou o coronel Francisco Araújo Silva, titular da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. a verdade está lá fora disse:

    Prendem a pessoas para aglomerar nas delegacias. Se confinamento salva vidas então por que soltaram os presos?????

  2. Calígula disse:

    Nunca pensei que a gloriosa polícia ia se prestar à um papelão desses, prender bêbados kkkkkk Kkk.
    Corram que a polícia vem aí , Locademia de polícia 2 o filme kkkkkk

    • Manoel F disse:

      É isso só tá acontecendo pq temos um inepto negacionista no planalto…

    • Natalense disse:

      Respeita as forças de segurança potiguares. Estão dando vidas, como sempre, para proteger a sociedade. Correndo risco deles próprios se contaminarem com esse vírus mortal. Ignorância tem limites. Alerta! Negacionista!

    • Rafael disse:

      Sabe de nada. Vai estudar!