CGU constata superfaturamento de R$ 6 milhões em locação de bodyscans e tornozeleiras no RN

 Foto: Seap/Divulgação

Uma auditoria realizada pela Controladoria Geral da União (CGU) constatou irregularidades em contratos de locação de tornozeleiras eletrônicas e escâneres corporais para presídios do Rio Grande do Norte. Dentre as irregularidades apontadas, está a locação de bodyscans com prejuízo potencial de R$ 6 milhões por falta de estudos preliminares.

Os trabalhos de campo aconteceram de 24 de outubro a 6 de novembro de 2019. Foram fiscalizados o uso de R$ 5.545.428,00 – recursos federais transferidos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) ao Estado do Rio Grande do Norte.

Todos os detalhes aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Esses 5 milhões não dá pra ampliar vagas no sistema?

  2. Tadeu disse:

    Sem querer contar esse segredo, mas já contando, os presos por mais pobres que pareçam, pagam muito bem aos advogados para ficarem soltos… e são valores bem altinhos…. por isso é que tem tanto assalto, roubo e sequestro por aí.. é pra manter o padrão de vida no crime….

    • hermenezildo disse:

      Boa!

      Em alguns casos quem geralmente paga o pato são os pais, avós…, tiram de onde não tem e passa necessidade.

  3. Marcelo disse:

    TEM MUITA GENTE QUE GANHA POR FORA COM A POPULAÇÃO CARCERÁRIA!
    É NEGÓCIO QUE RENDE MUITO…

    • Anderson disse:

      Concordo, tem um mercado gigantesco que se alimenta da violência e criminalidade. A omissão do Estado com a violência interessa ao próprio Estado. Quem tiver sabedoria, ligue os pontos e descubra.
      Dica: a saúde sofre do mesmo mal, a cura da aids é menos lucrativa do que os atuais tratamentos.

COMENTE AQUI