Coronavírus: Facebook, Instagram e Netflix reduzem qualidade de vídeos

Netflix e outros serviços de streaming reduzem qualidade da transmissão durante pandemia de Covid-19 — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

Os principais serviços de streaming e redes sociais começaram a reduzir a qualidade de vídeos frente ao pico de uso durante a pandemia de Covid-19. Netflix, YouTube, Amazon Prime Video, Apple TV+, Facebook, Instagram e Globoplay terão a reprodução ajustada automaticamente para reduzir o tráfego na rede. As medidas visam impedir que o aumento da demanda por streaming impacte na infraestrutura de Internet e dificulte atividades como home office e aulas online.

Apenas as mudanças no serviço da Rede Globo e no YouTube têm consequências imediatas para brasileiros. As providências de empresas estrangeiras começam a valer primeiro na Europa e no Reino Unido, onde os governos já adotaram quarentena em massa por conta do novo coronavírus.

A Netflix foi a primeira a anunciar a medida. Vídeos do catálogo europeu passam a sofrer redução de taxa de bits, o que diminui a quantidade de informações transmitidas na rede e piora a qualidade das imagens sem, necessariamente, alterar a resolução de filmes e séries. Segundo a empresa, a mudança será válida por 30 dias e deverá atenuar o consumo de dados em cerca de 25% no período.

Uma solução parecida foi adotada por Amazon e Apple em suas respectivas plataformas de streaming. O Facebook também seguiu o mesmo caminho: vídeos do Facebook Watch e do Instagram serão transmitidos a um bit rate menor. Por ora, as companhias não definem um prazo para a normalizar a reprodução.

O YouTube, por outro lado, decidiu reproduzir vídeos em definição padrão (SD), qualidade inferior ao HD e ao Full HD. O ajuste, que também é válido por um mês, não impede que usuários alterem a definição manualmente. De acordo com uma nota do Google, a medida começou na União Europeia, mas foi expandida para o mundo todo. Apesar disso, testes conduzidos pelo TechTudo na Espanha mostram que a plataforma do Google continua reproduzindo conteúdo em Full HD automaticamente.

No Brasil, Globoplay e serviços como Globoesporte.com, GShow e Globosat Play adotam uma mistura dos dois tipos de providências. Resoluções mais altas como 4K e Full HD (1080p) estão temporariamente suspensas, tornando HD (720p) a máxima definição para conteúdo sob demanda e ao vivo. Há também diminuição da taxa de bits na casa dos 50%: um capítulo de novela com 60 minutos, por exemplo, passa de 2,5 Gb para 1,2 Gb de consumo de dados.

Via BBC, CNBC, TechCrunch e G1