OVNIS – VÍDEO: Governo dos EUA autoriza e Pentágono divulga imagens com objetos voadores não identificados

Fotos: Reprodução/CNN Brasil

O Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, publicou nesta segunda-feira (27) três vídeos nos quais objetos não identificados são observados e que já haviam sido publicados em várias mídias quando vazaram. A publicação é uma autenticação das imagens, mas não pode ser considerado a confirmação de que o Pentágono trabalha com a ideia da existência de vida extraterrestre.

Em uma declaração, o Departamento de Defesa observou que esta decisão procura “esclarecer quaisquer equívocos do público sobre se o material que circulava era real ou não, ou se há mais nos vídeos. Os fenômenos aéreos observados nos vídeos permanecem classificados como ‘não identificado’ “.

Um dos vídeos foi gravado por militares em 2004 e outros dois, em 2015.

Nos vídeos de 2015, é possível ouvir os comentários de militares norte-americanos, se perguntando o que seriam os objetos. O terceiro vídeo mostra o objeto voando com muita velocidade por cima do oceano.

Veja as imagens divulgadas pelo Pentágono:

R7, EFE e CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior play disse:

    Ja foi divulgado o link e outros links está no canal space today YouTube.

  2. Giba disse:

    O GADO vai já falar que são os comunistas kkk em tudo eles acreditam.

  3. Neco disse:

    Se vc vir algo voando e não consegue identficar, é literalmente um OVNI para vc.
    Agora, afirmar que é um artefato oriundo de vida inteligente são outros 500.

  4. Naldo disse:

    Não sei se julgo ceticismo ou ignorância dos únicos seres do universo que não tem inteligência capaz de aceitar que o universo é muito grande para que só exista uma raça viva e pensante.
    Sinto pena desse tipo de vivente.

  5. pedro disse:

    Malditos Russos…mal conseguimos vê-los…kkkk
    Acelera EUA, ou vão comer poeira dos hipersônicos….

  6. Guilherme disse:

    Drone

Coronavírus: Facebook, Instagram e Netflix reduzem qualidade de vídeos

Netflix e outros serviços de streaming reduzem qualidade da transmissão durante pandemia de Covid-19 — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

Os principais serviços de streaming e redes sociais começaram a reduzir a qualidade de vídeos frente ao pico de uso durante a pandemia de Covid-19. Netflix, YouTube, Amazon Prime Video, Apple TV+, Facebook, Instagram e Globoplay terão a reprodução ajustada automaticamente para reduzir o tráfego na rede. As medidas visam impedir que o aumento da demanda por streaming impacte na infraestrutura de Internet e dificulte atividades como home office e aulas online.

Apenas as mudanças no serviço da Rede Globo e no YouTube têm consequências imediatas para brasileiros. As providências de empresas estrangeiras começam a valer primeiro na Europa e no Reino Unido, onde os governos já adotaram quarentena em massa por conta do novo coronavírus.

A Netflix foi a primeira a anunciar a medida. Vídeos do catálogo europeu passam a sofrer redução de taxa de bits, o que diminui a quantidade de informações transmitidas na rede e piora a qualidade das imagens sem, necessariamente, alterar a resolução de filmes e séries. Segundo a empresa, a mudança será válida por 30 dias e deverá atenuar o consumo de dados em cerca de 25% no período.

Uma solução parecida foi adotada por Amazon e Apple em suas respectivas plataformas de streaming. O Facebook também seguiu o mesmo caminho: vídeos do Facebook Watch e do Instagram serão transmitidos a um bit rate menor. Por ora, as companhias não definem um prazo para a normalizar a reprodução.

O YouTube, por outro lado, decidiu reproduzir vídeos em definição padrão (SD), qualidade inferior ao HD e ao Full HD. O ajuste, que também é válido por um mês, não impede que usuários alterem a definição manualmente. De acordo com uma nota do Google, a medida começou na União Europeia, mas foi expandida para o mundo todo. Apesar disso, testes conduzidos pelo TechTudo na Espanha mostram que a plataforma do Google continua reproduzindo conteúdo em Full HD automaticamente.

No Brasil, Globoplay e serviços como Globoesporte.com, GShow e Globosat Play adotam uma mistura dos dois tipos de providências. Resoluções mais altas como 4K e Full HD (1080p) estão temporariamente suspensas, tornando HD (720p) a máxima definição para conteúdo sob demanda e ao vivo. Há também diminuição da taxa de bits na casa dos 50%: um capítulo de novela com 60 minutos, por exemplo, passa de 2,5 Gb para 1,2 Gb de consumo de dados.

Via BBC, CNBC, TechCrunch e G1

VÍDEOS: Confira mais imagens do incêndio que atingiu o Midway na tarde desta segunda

Um incêndio atingiu o Midway Mall, no bairro Tirol, Zona Leste de Natal, na tarde desta segunda-feira (29). O Corpo de Bombeiros informou que dois veículos de combate foram deslocados para o local.

As chamas teriam começado na casa de máquinas, que fica em uma área anexa ao estabelecimento.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana da capital, fiscais de trânsito também foram enviados ao local para controlar o tráfego as imediações do shopping. É recomendado que se evite a região.

Vídeos abaixo cedidos.

‘Momo’ aparece em vídeos de slime no YouTube Kids e deixa pais preocupados; personagem incentiva o suicídio de crianças

Momo é uma personagem estranha que surgiu há algum tempo na internet e chamou a atenção por assustar crianças e deixar pais em alerta pelo mundo inteiro. Inicialmente espalhado pelo WhatsApp, o perfil em questão enviava conteúdo perturbador para quem entrasse em contato, sugerindo até automutilação para crianças.

Agora parece que a Momo voltou. Dias depois do Google anunciar que vai interromper a monetização de vídeos que envolvem a personagem, novos relatos indicam que a Momo começou a surgir em meio a vídeos voltados para o público infantil – superando inclusive os filtros do YouTube Kids.

É uma questão bastante grave, principalmente considerando que a Momo surgiu em meio a vídeos de crianças brincando com slimes – o tipo de conteúdo que os pequenos gostam bastante e consomem muito quando estão à frente do YouTube. Em vez das pessoas brincando, os vídeos apresentavam a Momo ensinando como fazer para cortar os pulsos. Pais relatam que seus filhos ficaram traumatizados com as imagens, e estão até com dificuldade para dormir.

Em nota ao site da Revista Crescer, o YouTube se defendeu das acusações e diz que não vê evidências da promoção do “Desafio Momo” no YouTube. O departamento de comunicação do YouTube Kids também nega que vídeos da personagem tenham furado o filtro de conteúdo infantil. “Ao contrário dos relatos apresentados, não recebemos nenhuma evidência recente de vídeos mostrando ou promovendo o desafio Momo no YouTube Kids. Conteúdo desse tipo violaria nossas políticas e seria removido imediatamente”, diz uma nota.

Não é a primeira vez que usuários relatam que o YouTube Kids exibiu conteúdo inadequado para crianças e é mais um lembrete de que sistemas de recomendação na internet são bastante problemáticos e podem ser usados para espalhar teorias conspiratórias e desinformação em geral. Por isso, é fundamental que os pais acompanhem de perto o conteúdo consumido pelos filhos para garantir que eles vejam coisas adequadas às suas idades.

Olhar Digital

 

Deputado Fábio Faria propõe classificação etária para vídeos na internet, destaca imprensa nacional

O deputado Fábio Faria, do PSD do Rio Grande do Norte, apresentou um projeto de lei para alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente e incluir o aviso de classificação etária em vídeos disponibilizados na internet.

A ideia é que conteúdos considerados inadequados para crianças recebam um alerta dos provedores.

“O objetivo da medida é assegurar aos pais e responsáveis um instrumento efetivo de defesa das crianças contra programações que atentem contra os valores éticos e sociais da pessoa e da família. Cenas de sexo e nudez, violência, drogas ou vocabulário inadequado para o público infantil vão determinar a classificação etária dos conteúdos”, comenta o parlamentar.

O projeto foi apresentado na Câmara antes de Jair Bolsonaro postar, no Carnaval, um vídeo em que um homem urina na cabeça de outro.

O Antagonista

VÍDEOS: “Operação Rave”, do MPRN, PRF e PM apreende drogas; mandados em Natal e Parnamirim

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Militar (PM) deflagraram nesta quinta-feira (12) a operação Rave. A ação conjunta cumpriu quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Natal e Parnamirim. Dois homens foram presos em flagrante por tráfico de drogas. A ação resultou na apreensão de haxixe, pasta base de cocaína e droga sintética.

Veja mais detalhes em post aqui

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JPedro disse:

    Breaking Bad potiguar? 🙂

VÍDEO: Manifestação em Natal em favor do governo e do ex-presidente Lula

 

Videos: Repórter BG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Carvalho disse:

    Só tem estudante universitário, membro da CUT, advogado de sindicato e a galera do pão com mortadela.

  2. Jiordano disse:

    Acabou o estoque de mortadela fluminense ,pão carteira e guaraná frevo…

  3. joao disse:

    certo lula grande estadista . Isto é democracia , depois que um cara fala barbaridades no telefone até mesmo com aliados , é necessário calar diante deste cenário.

  4. Roberto Silva disse:

    verdade parece uma manifestacao sem motivo estao ai por ta, todos envergonhado calados ….quem cala concente …..muita vergonha mesmo..

  5. Roberto Silva disse:

    uma vergonha esse pt da vida ,vamos a luta tira esses ladoes do poder…

  6. reginaldo disse:

    Isso parece mais um culto ao Demônio, não parece que estão defendendo um pais.

  7. Fora dilma disse:

    Nunca na história deste país um ser humano falou uma frase tão verdadeira como luladrao falou.
    Pobre quando rouba vai pra cadeia
    Rico quando rouba vira ministro.
    E agora Lula vc é ou não é ladrão?

  8. Joao disse:

    POxa.. no dia 13 nem distribuiram mortadela, suco… Esse dinheiro bancando o movimento veio de onde? Quem paga essa manifestacao? Dinheiro dos impostos sindicais obrigatorios??? Pelegos com dinheiro do trabalhador???

    • Rômulo disse:

      Quem paga os trios elétricos e pixulecos das micaretas? De onde vem o dinheiro? Ele é contabilizado e declarado?

  9. Rômulo disse:

    Vão dizer que o povo está se manifestando a favor do governo só para tomar água?! Na micareta tinha cerveja!

    • paulo disse:

      Tem muito é vagabundo veja a hora da reunião, todos pagos com dinheiro do povo Brasileiro pois é imposto pago pela população e desviado para ongs ptRALHAS, Fora pt e seus xeleléus descompromissados com a NAÇÃO BRASILEIRA. Esses MELIANTES tem compromissos com FALCATRUAS e ROUBOS.

  10. PT DA VIDA disse:

    Muitos trabalhadores né…???

Instagram anuncia serviço de troca privada de imagens e vídeos

A rede social Instagram anunciou nesta quinta-feira (12) o Instagram Direct, função de compartilhar fotos e vídeos de maneira restrita e que funciona como uma troca de mensagens.

É possível compartilhar imagens por meio da capacidade para grupos compostos por entre uma e 15 pessoas que te seguem. Caso os os dois usuários se sigam, o envio e recebimento é feito automaticamente. Quando um contato visualiza a foto, o remetente é avisado por meio de uma sinalização.

A central das fotos “diretas” é chamada de Inbox, “caixa de entrada” em inglês, e pode ser acessada por meio de um ícone exibido no canto superior direito do aplicativo.

13346302A troca de mensagens será possível por meio dos aplicativos para iPhone e para Android do serviço. As novas capacidades serão disponibilizadas em uma atualização, que será liberada hoje. Os apps para BlackBerry e Windows Phone do Instagram devem receber a função “em algum ponto dos próximos meses”, segundo a companhia.

O aplicativo para iPhone também foi redesenhado para combinar com a versão mais nova do sistema de dispositivos móveis da Apple, o iOS 7.

“É assim: ‘encontrei algo no mundo e quero mostrá-lo para você’. Muitas pessoas disseram que queriam fazer isso com o Instagram”, disse Bailey Richardson, gerente de comunidades internacionais do Instagram, durante um evento realizado em São Paulo no começo desta tarde, simultaneamente ao anúncio global, nos EUA.

Usuários do Brasil estão entre os cinco mais numerosos na rede social, segundo a empresa, que está em processo de contratar um gerente de marketing que vai atuar localmente.

Havia rumores de que a função lançada hoje teria funcionamento semelhante ao do Snapchat, com imagens efêmeras, mas eles se provaram falsos.

O Instagram não vê “canibalização” entre serviços do Facebook –o Messenger e o próprio app da rede social, que, entre outras funções, também permitem a troca de imagens. Segundo a representação da empresa no Brasil, a ideia é ampliar o leque do que o usuário do Instagram pode fazer dentro do app, já que ele já gasta seu tempo dentro dele.

A ferramenta é aberta para qualquer usuário cadastrado no Instagram, incluindo marcas. Isso serviria para alavancar o tipo de conteúdo compartilhado por empresas que usam o Instagram como ferramenta de publicidade e alavancaria o faturamento da empresa.

Por outro lado, a ideia de limitar os grupos para até 15 pessoas é combater o envio de publicidade não autorizada.

Usuários que não são seguidos pelos destinatários de suas mensagens terão as imagens do Direct postas em uma caixa de pendência, como funciona a aba “outros” das mensagens no Facebook enviadas por quem não é um contato na rede.

Fundado em 2006 pelo americano Kevin Systrom e pelo brasileiro Mike Krieger, o Instagram vem sendo mais profundamente integrado ao Facebook, empresa à qual pertence desde o ano passado, quando de uma negociação de US$ 1 bilhão.

A empresa também também vem lutado para se manter relevante em um mar de novos aplicativos populares, como o Snapchat e o Vine, este o app de vídeo do Twitter.

Folha

VÍDEOS de "Caixa 2" na campanha de Rosalba: "Isso é exploração política gratuita", diz advogado

Essa noite, vídeos criando um novo escândalo no governo Rosalba Ciarlini foram divulgados na internet e em alguns blogs e o BG os reproduz no final desse post. No vídeo o senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM, fala de alguns pagamentos.

O problema é que esses vídeos são demasiadamente antigos. São de 2006, quando o partido ainda se chamava PFL.

O advogado Felipe Cortez, que defende a governadora, rebateu o conteúdo do vídeo tratando de afirmar que não existe qualquer tipo de ilegalidade lembrando que a Procuradoria-Geral da República (PGR) promoveu o arquivamento do processo que tratava dos vídeos em 2009 por falta de indívios incriminatórios.

“Esses vídeos não causam preocupação a ninguém. Esse vídeo não é novidade e esteve no processo arquivado pelo Ministério Público. Não teve crime algum”, destacou.

Questionado pelo blog do porque desses vídeos terem voltado a tona, o defensor disparou: “Isso, pra mim, é exploração política gratuita. Sem qualquer fundamento”.

O fato é que os vídeos causaram uma reunião de emergência na casa da governadora hoje a noite.

Os vídeos fazem parte de um acervo de 42 interceptações de conversas gravadas que, em 2006, levantaram a suspeita de um esquema de “Caixa 2” da campanha de Rosalba Ciarlini ao Senado Federal. Na maioria deles, o “primeiro-damo” Carlos Augusto Rosado e o então assessor Galbi Saldanha tratam das negociações.

Confira algumas das gravações publicadas no Youtube de Daniel Dantas Lemos:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. […] VÍDEOS de “Caixa 2″ na campanha de Rosalba: “Isso é exploração política gratuita”, diz … […]

  2. […] VÍDEOS de “Caixa 2″ na campanha de Rosalba: “Isso é exploração política gratuita”, diz … Postado em: 22/05/2012 às 14:21 Deixe seu comentário Tweet stLight.options({ publisher:'wp.e5614253-674e-4af0-8262-7c08ebb4f316' }); /* […]

  3. […] ex-vereador Salatiel de Souza falou em seu twitter sobre os vídeos postados ontem no blog. As imagens traziam supostos indícios de formação de “caixa dois” para a campanha de […]

R$ 352,59 para postar vídeos. É quanto o Ecad cobrou de blogs, por mês, que usaram YouTube

Por Tatiana de Mello Dias e Murilo Roncolato para o Link do Estadão

Mariana Frioli, webdesigner de 28 anos, tem um blog em que comenta os livros que lê e, vez ou outra, posta um vídeo com música ou trechos de filme. Ela não faz upload nem distribui conteúdo pirata. Por isso, estranhou quando recebeu uma ligação de um estagiário do Ecad. Ele lhe cobrava R$ 352,59. Por mês.

 

Mariana não sabe como conseguiram o número – em seu blog, a única forma de contato é via e-mail. O estagiário disse que ela teria de pagar ao Ecad por ter incorporado um vídeo no YouTube. Era um trailer do filme Delírios de Consumo de Becky Bloom. “Perguntei por que teria que pagar se eu não fiz o upload e meu blog é pessoal. O rapaz disse que, de acordo com o Ecad, retransmissão tem de ser paga, mesmo que eles já tenham recebido do YouTube”, conta Mariana. Por via das dúvidas, ela optou por tirar o vídeo do blog.

O blog Caligraffiti, sobre design e arte, recebeu há duas semanas um e-mail do Ecad com o mesmo recado. Uno de Oliveira, um dos donos do blog, diz ter ficado surpreso e, por isso, pediu esclarecimentos. “Nós não ganhamos dinheiro, só queremos escrever sobre arte”, diz.

No e-mail enviado pelo Ecad aos blogueiros, há uma explicação: os sites foram enquadrados como “webcasting”, o que exige um pagamento de R$ 352,59 mensais. O Ecad enviou aos blogueiros também um PDF de “cadastro de mídias digitais”. O formulário tem espaço para endereço e data de cobrança – tudo para facilitar o processo de pagamento.

“Mas a maioria dos blogs incorpora vídeos. Todos devem pagar? O trailer não é criado para divulgação? O responsável pelo trailer já não pagou pelo uso da música?”, questiona Mariana.

Segundo o escritório, os blogs cobrados “foram captados em um trabalho rotineiro e receberam o contato”. “Não existe nenhum trabalho de cobrança de direito autoral focado em blogs e sites, porém, todo usuário que executa música publicamente pode receber um contato”, explicou a assessoria de imprensa do órgão.

“A cobrança é absolutamente ilegal”, afirma Sérgio Branco, doutor em direito civil pela UERJ e pesquisador da FGV-Rio. “Quem está fazendo o streaming é o YouTube, que já tem um acordo com o Ecad ”, explica. O advogado Pedro Paranaguá, doutorando na Duke University School of Law, concorda. “Um blog que insere músicas disponíveis no YouTube não está retransmitindo nada. A transmissão é via YouTube. Não há que se falar em cobrança alguma.”

O Google também defende os blogueiros. “O Ecad não pode cobrar por vídeos do YouTube inseridos em sites”, escreveu Marcel Leonardi, diretor de políticas institucionais no Google, no blog do YouTube. “Tratar qualquer disponibilidade ou referência a conteúdos online como uma execução pública é uma interpretação equivocada da Lei.”

Taxa. O Google fechou em 2010 um acordo com o Ecad para pagar direitos autorais referentes ao YouTube. O valor exato, calculado sobre a receita do site, não é divulgado, mas segundo o Escritório as mídias digitais renderam mais de R$ 2,6 milhões no ano passado. “A cobrança mensal foge completamente a qualquer critério de proporcionalidade”, diz Sérgio Branco. “Há uma falta de critérios que decorre da falta de fiscalização”.

Depois que o caso veio à tona, o Ecad afirmou que a cobrança “decorreu de um erro de interpretação operacional”. Mas o escritório sustenta a legalidade do trabalho. Segundo o Ecad, no documento assinado com o YouTube “está definido que é possível fazer a cobrança das músicas provenientes de vídeos incorporados desde que haja notificação prévia ao Google”.

O escritório, no entanto, disse que está fazendo um trabalho de “reavaliação”. O Ecad diz que as cobranças foram “fatos isolados” e não soube dizer se há mais blogs que receberam o contato (ou já efetuaram o pagamento).

O Ecad havia justificado a cobrança afirmando que o contato com os blogs fez parte de um trabalho de “conscientização e esclarecimento”. Hoje o órgão tem cerca de 1,7 mil sites cadastrados que pagam direitos autorais pelo uso de música na web. Para Branco, a justificativa da entidade é mais um problema. “Cobrar de alguns blogs é escolher de quem cobrar, e isso é ilegal. Ou o órgão tem o dever de cobrar ou não tem.”

“Teria de existir alguma instituição para fiscalizar o Ecad”, avalia o professor da FAAP e advogado Guilherme Carboni. “A partir do momento que há o recolhimento é preciso garantir que o elemento da ponta, o compositor, receba.”

O caso acelerou o trabalho da CPI do Ecad, que corre no Senado desde outubro do ano passado. “Essa ação do órgão é um exemplo concreto de que o Ecad precisa ter algum tipo de fiscalização”, avalia o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), presidente da CPI. “A gênese de todos os problemas é a ausência de transparência e a não existência de uma fiscalização”, explica.

Segundo ele, a principal conclusão da CPI até agora é a necessidade de se instituir uma supervisão ao Ecad. A próxima reunião da CPI ocorrerá em São Paulo, no dia 26 de março. A expectativa é que o relatório final seja apresentado em abril, com uma proposta de alteração da Lei de Direitos Autorais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Yvkgkugy disse:

    Um verdadeiro absurdo, blog não retransmite nada do youtube, apenas coloca um atalho para o mesmo, sendo o youtube quem faz todas as transmisoes e ja paga por isso