Diversos

Damares planeja propor adoção de idosos; sugestão deve ser feita ao Congresso como alternativa a instituições

Foto: Ilustrativa

Diante do avanço do envelhecimento da população, o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos planeja apresentar ao Congresso uma proposta para permitir a adoção de idosos no país. A ideia é enviar sugestões a parlamentares para regulamentar a possibilidade de “acolhimento” e “adoção” de idosos em situação de vulnerabilidade e abandono.

A partir daí, a pasta pretende desenvolver políticas sobre o tema, afirma o secretário nacional de Direitos da Pessoa Idosa, Antônio Costa.

Um primeiro passo para a mudança ocorreu em dezembro, quando o Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, que teve o número de conselheiros reduzido ao longo do ano, derrubou uma resolução de 2008 que impedia o poder público de ofertar o atendimento ao idoso no modelo de “família acolhedora”.

Agora, a pasta planeja debater uma regulamentação junto ao Congresso como “nova alternativa” diante do envelhecimento populacional.

Atualmente, cerca de 30 milhões de brasileiros têm acima de 60 anos. Dados do IBGE estimam que esse número atinja 73 milhões em 2060 —o que também faria a proporção dessa faixa etária na população geral passar de 14% para 32%. Ou seja, 1 em cada três brasileiros em 2060 será sexagenário ou mais velho.

“Com o aumento no envelhecimento, aumenta o abandono, e temos que buscar soluções”, afirma Costa. “Queremos avançar no que é discutido ou incluir uma proposta do governo sobre adoção para que esses idosos tenham mais uma opção além das instituições.”

O secretário diz ver uma brecha para o debate dentro do Estatuto do Idoso, em trecho que aponta “direito à moradia digna, no seio de família natural ou substituta”. A lei, porém, não traz um detalhamento sobre o tema.

Ao mesmo tempo, sugestões semelhantes começam a ganhar espaço no Congresso.

Nos últimos meses, ao menos três projetos que tratam dessa possibilidade passaram a tramitar na Câmara dos Deputados. Um deles, que prevê aplicar também para o idoso uma parte das regras de adoção definidas no Estatuto da Criança e do Adolescente, foi alvo de uma audiência pública em dezembro.

Agora, o ministério analisa a possibilidade de tentar impulsionar a medida. Nas redes sociais, a ministra Damares Alves já definiu o tema como “um sonho que logo poderá ser realidade”.

A proposta, contudo, é vista com ressalvas por especialistas que atuam na área de envelhecimento e direito do idoso.

Rodrigo da Cunha Pereira, presidente do IBDFAM (Instituto Brasileiro de Direito de Família), afirma que a proposta de dar aval a uma adoção de idosos é “ousada”, mas embute paradoxos e contradições.

“Não é tão simples. Falamos em adoção em um sentido técnico e jurídico de ocupar o lugar de pai e mãe. Se tenho 60 anos, vou ser pai de uma pessoa de 80?”, afirma.

Ele avalia como “mais viável” regular o apadrinhamento, nos moldes do que já é aplicado com crianças e adolescentes que esperam para adoção em abrigos.

Já a assistente social Marília Berzins, presidente do Observatório de Longevidade e Envelhecimento, diz ver risco de infantilização do idoso tanto na adoção quanto nesse modelo.

“Falar em adotar idoso é considerá-lo como criança. O que discutimos no envelhecimento é que o idoso é um sujeito pleno de direitos, até que se destitua esse direito por interdição”, afirma. “O idoso deve ter sua autonomia preservada. O envelhecimento não restringe essa capacidade.”

Para ela, o problema não está na falta de políticas públicas definidas para atendimento a idosos, mas em efetivá-las.

“Quando o Estado inventa uma adoção para idoso, ele está de novo responsabilizando a família pelo cuidado. É uma política pública ‘familista’, que dá as regras e cobra da família, mas não dá condições para a família cuidar dos que precisam”, diz a especialista, que também vê risco de interesse financeiro na adoção.

Preocupação semelhante tem Raphael Castelo Branco, da Comissão Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), para quem a proposta deixa dúvidas.

“No caso de morte, a família biológica teria participação na herança? E a substituta, teria esse direito?”, questiona ele, que prevê ainda outros impasses, como o rompimento de vínculos familiares mantidos por décadas, ainda que distantes. “São questões que não foram amadurecidas.”

Autor do projeto que passou por debates, o deputado Ossésio Silva (Republicanos-PE) diz que a possibilidade de adoção visa assegurar o “direito ao convívio familiar” em um contexto de aumento no abandono de idosos —em referência ao avanço no número daqueles que vivem em instituições.

Já para Berzins, há preconceito com a necessidade de recorrer a instituições que abrigam idosos, alternativa necessária em alguns casos.

“Essa história de que ficar na família sempre é a melhor opção no envelhecimento não é uma verdade absoluta. Idealizamos que o lar é o melhor lugar e o amor reina, e nem sempre é verdade. Com a redução do número de filhos, a família não vai dar conta mais de cuidar. E a instituição será uma das opções”, diz.

“Precisamos romper com o preconceito de que instituição de longa permanência é o ‘pior lugar’ e ‘depósito de velhos’. São ideias antigas. Muitos dos jovens de hoje, quando estiverem velhos, passarão seus últimos anos em ILPIs [Instituições de Longa Permanência para Idosos]. Precisamos investir para que essas instituições sejam lugar de morar, e não de morrer.”

Outra dúvida é definir quem poderia estar apto à adoção e a ser adotado, afirma a advogada Maria Luiza Póvoa da Cruz, que faz parte do Conselho Nacional do Idoso. “Se o idoso está com a capacidade cognitiva comprometida, é ainda mais complicado.”

Para ela, a proposta é positiva ao tentar buscar alternativas, mas é preciso verificar a real viabilidade. “É bonito, mas não podemos ficar somente na utopia.”

Questionado sobre o apoio a políticas atuais, o secretário Antônio Costa afirma que o ministério tem projetos de ampliar o investimento em modelos de acolhimento como centros-dia, em que o idoso pode desenvolver atividades durante o dia e voltar para casa à noite.

“Mas aí encontramos aqueles idosos que não têm para onde voltar”, afirma ele, sobre os motivos que levam a analisar a medida.

Dados do Ministério da Cidadania, que responde pela assistência social no governo federal, apontam 62.980 idosos em unidades de acolhimento conveniadas a estados e municípios, a maioria em instituições de longa permanência (nome pelo qual passaram a ser chamados os antigos asilos).

Procurada pela reportagem para comentar a proposta do Ministério da Família, a pasta diz que não está participando da discussão. Afirma coordenar debates sobre acolhimento de idosos junto a gestores estaduais e municipais na área de assistência social para avançar na garantia de direitos a esse público.

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. A Michelle já adotou o Bozo e o Lula vai marcar a data da adoçao.
    Quem se habilita com Lavoisier?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Brasil estreia na Copa América com vitória sobre a Venezuela

Foto: reprodução/Instagram: @espnbrasil

A Seleção Brasileira estreou na Copa América vencendo a Venezuela por 3 a 0. A partida foi realizada no Estádio Mané Garrinha, em Brasília.

O zagueiro Marquinhos abriu o placar no primeiro tempo. Na segunda etapa, o lateral-direito Danilo sofreu pênalti que foi convertido por Neymar. O terceiro gol marcado pela Seleção foi de Gabigol, após jogada de Neymar pela esquerda.

Na próxima quinta-feira (17), o Brasil enfrenta a seleção peruana, às 21h, no Estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

PF investiga mais um suspeito de pagar propinas a Renan Calheiros

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

A Polícia Federal investiga o empresário Alexandre Santoro, CEO da International Meal Company, por suspeita de participar de um esquema de pagamento de propinas ao senador Renan Calheiros, diz a revista Crusoé (veja aqui).

De acordo com a investigação, quando Santoro era CEO da América Latina Logística, em 2013, ele participou de uma reunião com Milton Lyra, apontado como operador Renan, e o empresário Richard Klien, alvo do inquérito por fazer supostos repasses ao senador.

Relatórios de quebra de sigilo bancário revelam que, poucos dias depois da reunião, a América Latina Logística fez pagamentos de 773 mil reais à empresa de um delator que assumiu ter sido responsável pela lavagem de dinheiro de propinas pagas a políticos ligados ao setor portuário.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

VÍDEO: TV da Argentina ironiza presidente do país e mostra que “europeus” estão piores que a “selva” e “índios” na economia e vacinação contra a Covid

A TV argentina ‘La Nación’ ironizou declarações preconceituosas do presidente da Argentina, Alberto Fernández, que disse que “mexicanos vieram dos índios, os brasileiros vieram da selva, mas nós, os argentinos, chegamos em barcos”, vindos da Europa.

O veículo usou ironicamente os mesmos termos ditos pelo presidente argentino para comparar dados do PIB, da inflação e da vacinação contra a Covid-19 entre os três países, mostrando que em todos os quesitos, a situação da Argentina é pior que a do México e a do Brasil.

Opinião dos leitores

  1. Usaram a mentira também.
    Nossa inflação está em 8,5 nos últimos 12 meses.
    A vacinação por aqui patina, vacinada mesmo, só 11% da população e o pior, os crimes do facínora estão aparecendo.

  2. Coisa de esquerdopatas, não tem argumentos ai vem com palavras chulas. Igualzinho os Petralhas daqui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Moraes mantém quebra de sigilo de coordenadora do Programa Nacional de Imunizações

Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou neste domingo (13) pedido para suspender as quebras de sigilo telefônico e telemático de Francieli Fontana, coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações). A quebra foi autorizada pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid.

No pedido encaminhado ao Supremo, Fontana disse que o acesso aos seus dados telefônicos é “completamente ilegal e inconstitucional”. Moraes discordou. Para ele, as CPIs têm poderes semelhantes aos de juízes, podendo inclusive invadir “liberdades públicas e individuais”.

“Na presente hipótese, no exercício de seus poderes instrutórios, a CPI aprovou o requerimento de quebra dos sigilos telefônico e telemático da requerente, formulado de maneira fundamentada”, disse o ministro.

Moraes também afirmou que são de interesse público “eventuais condutas comissivas e omissivas do Poder Público que possam ter acarretado o agravamento da terrível pandemia causada” pela covid.

Moraes já havia negado no sábado (12) pedido semelhante feito pelo ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo. O ex-chanceler disse que a Jurisprudência do STF só admite quebras de sigilo feitas por CPIs quando o procedimento é devidamente justificado e referendado em fatos.

O ministro do Supremo afirmou que houve justificação para a quebra. Também pontuou que os direitos e garantias individuais não podem ser utilizados como escudo protetivo.

Ao todo, a CPI aprovou a quebra de sigilo de 18 pessoas e 3 empresas. Veja a lista completa:

  • Filipe Martins, assessor internacional da Presidência da República;
  • Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;
  • Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;
  • Zoser Hardman, ex-assessor especial do Ministério da Saúde;
  • Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos;
  • Paolo Zanotto, médico;
  • Marcellus Campêlo, ex-secretário de Saúde do Amazonas;
  • Luciano Dias Azevedo, médico;
  • Hélio Angotti Neto, Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em
    Saúde do Ministério da Saúde;
  • Francisco Ferreira Filho, Coordenador do Comitê da Crise do Amazonas;
  • Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos;
  • Francieli Fontana Fantinato, coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI);
  • Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais do Ministério da Saúde;
  • Antônio Elcio Franco Filho; ex-secretário Executivo do Ministério da Saúde;
  • Camile Giaretta Sachetti, ex-diretora do departamento de Ciência e Tecnologia da
    Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde;
  • Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde
  • Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU);
  • Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde;
  • Empresa PPR – Profissionais de Publicidade Reunidos
  • Calya/Y2 Propaganda e Marketing
  • Artplan Comunicação

Poder 360

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 1.129 óbitos e 37 mil novos casos nas últimas 24h

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil neste domingo (13):

– O país registrou 1.129 óbitos nas últimas 24h, totalizando 487.401 mortes;

– Foram 37.948 novos casos de coronavírus registrados, no total 17.412.766 milhões pessoas já foram infectadas.

– Com mais 33.371 curados registrados nas últimas 24h, o número total de recuperados do coronavírus é 15.794.548. Outros 1.130.817 pacientes estão em acompanhamento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

SÉRIE D: ABC goleia e é líder isolado do grupo, América perde e fica fora do G4; Próxima rodada tem Clássico Rei

Imagens: reprodução Instagram: @campinenseclube/ElevenSports

O ABC venceu o Sousa-PB no Frasqueirão por 4 a 0 e se isolou na liderança do grupo 3 da Série D. Ederson e Claudinho, duas vezes, e Denner marcaram os gols do Mais Querido.

Em Campina Grande, o América foi derrotado pelos donas da casa. O Campinense contruiu o placar de 3 a 0 ainda no primeiro tempo da partida.

Na próxima rodada os rivais potiguares se enfrentam. O Clássico Rei acontecerá no domingo (20), às 16h, na Arena das Dunas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

VÍDEO: Deputado do Ceará é levado para a delegacia após se recusar a obedecer decreto estadual em praia de Pernambuco

O deputado estadual do Ceará, André Fernandes (Republicanos), de 23 anos, foi conduzido para a Delegacia de Porto de Galinhas no sábado (12), após se recusar a obedecer o decreto estadual de Pernambuco que proíbe acesso a praias em todo o estado, devido à pandemia da Covid-19. Vídeos mostram o parlamentar na praia de Muro Alto, em Ipojuca, no Litoral Sul, ignorando orientações de guardas municipais.

A Polícia Civil informou, por meio de nota, que a Delegacia de Porto de Galinhas está investigando a ocorrência de infração de medida sanitária preventiva. “Foi registrado um Boletim de Ocorrência e foi instaurado um IP [inquérito por portaria] por abuso de autoridade e infração de medida sanitária preventiva. O IP, após conclusão, seguirá para a Justiça”, afirma a nota.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o parlamentar dizendo que se algum dos guardas tocar nele será preso e que não pode ser detido por ter imunidade parlamentar.

“Tenho o direito de tomar banho porque a Constituição é clara e todos têm o direito de ir e vir”, diz André, voltando a entrar na água. Um dos guardas responde. “É ele querer se usar de um poder público para afrontar o outro”.

Por meio de nota, a Prefeitura de Ipojuca afirmou que o deputado cearense “ignorou e debochou das orientações dos guardas municipais” e também que ele desafiou a guarda no mar, afirmando que “quem quisesse tirá-lo de lá teria que entrar na água”.

Nas redes sociais, o deputado publicou trecho de um vídeo que mostra um dos momentos em que diz que o decreto estadual não está acima da Constituição e que, portanto, não estaria violando nada.

Em 2020, decisões do plenário do Supremo Tribunal Federal garantiram a estados e municípios autonomia para tomar providências de forma a evitar a propagação da Covid-19.

Em março deste ano, o presidente Bolsonaro (sem partido) ingressou com uma ação no STF para derrubar decretos de dois estados e do Distrito Federal. Esses decretos instituíram medidas de isolamento social para conter a pandemia de Covid-19. Mas o pedido foi rejeitado por decisão individual do ministro Marco Aurélio Mello.

O G1 procurou o deputado André Fernandes. A assessoria do parlamentar informou que ele vai se pronunciar por meio das redes sociais.

G1

Opinião dos leitores

  1. Sempre os mesmos asnos de plantão pra falar bobagens. Mané, zé tomaz kkk esse zé deve ser o mesmo tomaz kkk
    Vão procurar uma lavagem de roupa! Façam algum comentário verdadeiro, lógico.

  2. Tem que ser mais um apoiador do “minto”. Será que ele não tem o conhecimento da Constituição? mesmo que ele tenha o direito de ir e vir, esse direito não é absoluto, ou seja, pode ser restringido.

  3. Não vejo ninguém falando sobre quem é obrigado a usar transporte coletivo lotado, ninguém reclamando dos serviços essenciais que nunca pararam mas proíbir a pessoa frequentar a praia é normal.

    1. É não, é inalador de ozônio da turma de Calígula.

    2. Você é uma anta mesmo.
      Esse deputado é da turma do seu genocida.

    3. Não vejo Ciro Gomes fazendo motociata e sendo contra a vida, só um idiota do RN que não quer ver.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Barbara Gancia é acusada de racismo e homofobia após chamar apoiadores de Bolsonaro que participaram de ‘motociata’ de ‘monte de macaco’ e ‘enrustidos’

Foto: reprodução/GNT

Neste sábado (12/6), Barbara Gancia, ex-apresentadora do Saia Justa, do GNT, foi acusada de racismo após discutir com apoiadores da “motociata” liderada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Ela chamou de “monte de macaco” os bolsonaristas que participaram da manifestação. “Vem cá: hoje é Dia dos Namorados e esse monte de macaco prefere sair para dar um rolê de moto com o Bozo (muitos na garupa de macho) do que ficar com a esposa ou namorada? Enrustidos!”, escreveu.

O deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ) foi uma das pessoas que apontaram racismo e homofobia nas palavras da jornalista.

Opinião dos leitores

  1. Ela pode. É canhota. Com certeza não vai dá nada. Só é comete racismo quem vota em Bolsonaro. Vergonha de justiça.

  2. O PT apoia e divulga a ideia feminista,más,por outro lado apoia abertamente e declaradamente os palestinos mulcumanos uma religião e constituição politica-religiosa que se misturam em que o homem é o proprietario da mulher,esta mulher que é proibida de mostrar o rosto e todo o seu corpo e praticamente a mulher nada pode fazer sem autorização da figura patriarcal do seu esposo/marido e do seu pai,a mulher näo possui o mínimo direito de ir,ficar e vir individual e quando erra na atitude é maltratada emocionalmente e surrada fisicamente,obrigada a praticar sexo sem vontade e sem consentimento,pode ser apedrejada e até morta,más o agressor o seu proprietario patriarcal o pai ou marido não é acusado,jugado ou condenado de nada.o PT sempre ficou do lado dos palestinos e contra Israel uma nação onde os machos e as femeas são todos e todas iguais,livres e independentes perante a constituição e tambèm religiosamente apesar do radicalismo ou extremismo de alguns mulçumanos rebeldes,os templos católicos do povo católico atuam livremente no solo israelense.

    1. Na Faixa de Gaza há muitos templos cristãos. Bombardeados pelos israelenses.
      É outros sendo desocupados à força de Jerusalém Oriental.
      Leia, se informe, não dói!

  3. Esse Hélio faz o que mesmo? Nem lembrava que ele era parlamentar… Será que ele apresentou pelo menos um projeto na Câmara ?

    1. Era papagaio de pirata do bozo, mas o genro de Silvio Santos tomou o lugar dele.
      Lembrando que estava na comitiva de “cientistas” que foram para Israel para “ver” o spray nasal.

    2. Oh, seu asno! O que tem a ver uma coisa com a outra? Então você tá concordando com a tal Bárbara?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Depoimento de governadores à CPI da Covid é “imprescindível”, diz AGU em manifestação apresentada ao STF

Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado

A AGU (Advocacia-Geral da União) disse que a “oitiva dos governadores dos Estados e do Distrito Federal mostra-se imprescindível” para a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid. A manifestação do órgão federal foi apresentada ontem ao STF (Supremo Tribunal Federal) dentro da ação em que os governadores pedem para que seja suspensão a convocação para depoimento na comissão.

Na manifestação, assinada por Fabrício da Soller, advogado-geral da União substituto, a AGU argumenta que objetivo da CPI, ao convocar os governadores, “diz respeito à fiscalização do emprego dos recursos repassados pela União aos demais entes federativos”. Por esse motivo, segundo o órgão, o Congresso pode “fiscalizar o emprego de recursos federais transferidos aos entes estaduais e distritais”.

Para a AGU, é “indiscutível a competência do Congresso Nacional para fiscalizar a utilização dos recursos transferidos pela União, no intuito de combate à pandemia de covid-19, aos estados e Distrito Federal”.

“É evidente, nessa linha, que a oitiva dos governadores dos Estados e do Distrito Federal, na qualidade de agentes políticos que enfrentam diretamente os desdobramentos da crise econômico-sanitária decorrente da pandemia, se mostra imprescindível para a consecução das finalidades da CPI, que pretende mapear, adequadamente, os resultados e a efetividade das transferências voluntárias feitas pela União aos demais entes federados”, diz o texto da Manifestação da AGU enviado ao Supremo Tribunal Federal.

A AGU diz que a convocação dos governadores não significaria uma interferência na autonomia dos estados, ressaltando que a comissão não deve abordar fatos que extrapolem questões sobre recursos federais. “Dessa maneira, não compete à CPI a responsabilização de Governadores, ainda que eventuais elementos de informação possam ser encaminhados às instâncias competentes.”

A PGR (Procuradoria Geral da República) também defendeu que os governadores possam ser convocados e ressaltou que o foco da CPI estará nos recursos federais.

A mesma posição foi externada pelo presidente da CPI, o senador Omar Aziz (PSD-AM). Ao STF, ele disse que “os governadores foram convocados na qualidade de testemunhas, e não na de investigados” e que “o propósito das oitivas é colher informações e subsídios de agentes públicos que estiveram na ponta do combate à pandemia”.

Para os governadores, porém, a fiscalização do Congresso está restrita à administração pública federal.

Foram ao STF contra a convocação os governadores:

  • Renan Filho (MDB), de Alagoas
  • Wilson Lima (PSC), do Amazonas
  • Waldez Góes (PDT), do Amapá
  • Rui Costa (PT), da Bahia
  • Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo
  • Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás
  • Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão
  • Helder Barbalho (MDB), do Pará
  • Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco
  • Wellington Dias (PT), do Piauí
  • Cláudio Castro (PSC), do Rio de Janeiro
  • Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul
  • Marcos Rocha (sem partido), de Rondônia
  • Carlos Moisés (PSL), de Santa Catarina
  • João Doria (PSDB), de São Paulo
  • Belivaldo Chagas (PSD), de Sergipe
  • Mauro Carles (PSL), de Tocantins

A relatora da ação é a ministra Rosa Weber. Não há prazo para que ela decida a respeito do pedido dos governadores, que devem começar a ser ouvidos no final do mês, de acordo com calendário divulgado pela CPI.

Na quarta-feira (9), em uma outra ação, ela autorizou o governador do Amazonas, Wilson Lima, a não comparecer ou a ficar calado na CPI. O depoimento de Lima estava marcado para quinta-feira (10), mas ele não foi ao Senado. Segundo o governador amazonense, sua ausência na comissão se deu por conta da onda de violência no estado. Segundo ele, “o povo precisa mais [da sua presença] nesse momento”.

UOL

Opinião dos leitores

  1. É bom perceber que o nome da Governadora do RN, Fátima Bezerra não aparece na lista dos convocados, nem na lista que o TCU divulgou. Mérito dela pelo bom manejo da pandemia.
    Vc pode até não apoiar a sra governadora, mas se fosse QUALQUER um outro estaríamos numa situação apocalíptica!

    1. Cadê os respiradores que ela pagou? Se fosse uma cpi de vergonha, com certeza, ela estaria lá. Mas uma cpi que tem como relator um vagabundo da qualidade do renan Calheiros, o que se esperar? Cadê o Carlos Gabas? A exemplo da nova palmeira, também não tá na rela. Agora tem um monte de gente do bem na relação pra quebra de sigilo.

  2. Gente, leiam a Constituição Brasileira, é muito claro lá, que governadores, prefeitos só podem ser investigados pelas Assembléias dos seus estado, e no caso prefeito, pela Câmara do seu município.
    Incrível como membros da CPI que tem como relator um senador como Renan Calheiros, que já foi inclusive presidente do senado, insiste com esta burrice inerente a convocação de governadores e prefeitos.
    Quando o chamam de jegue, ainda dá coice. Huuummmhuumm

  3. O governo federal deve ser condenado por induzir a população a erros medicamentoso na proteção ao corona vírus, por minimizar o poder devastador do vírus, enfim por tentar conduzir protocolos ineficiente e errados na sobrevivência dessa pandemia, já os governadores deviam ser castigados por desvios de verbas destinado a pandemia, superfaturamento em dispensas de licitações, mesmo com verbas em caixa não estruturaram a saúde pra atender os infectados, assim potencializou o máximo do número de mortos pela covid, não contribuíram pra encontrar um caminho comum no país pra proteger a população nessa pandemia (esse item o governo federal deve também ser condenado), se fossemos um país sério, esses gestores deveriam ser penalizados exemplarmente, pra pagar o desrespeito às vidas dos cidadãos desse país.

  4. Vamos lá moçada responsável e honesta, o circo está pegando fogo, vcs estão com receio de que? As perguntas jamais serão no mesmo nível com que trataram as médicas Nise e Mayra ou mesmo Queiroga ou Pazuello, vcs são da mesma linhagem, da mesma turma, vai ser beijinho, abraço, afagos, mimos e toda sorte de compadrio, vcs vão ficar inteiros, não decepcionem Omar Aziz, Randolfa, Renan Calhado e a esquerda honesta.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Onze estados esperam vacinar todos os adultos contra covid-19 até outubro; RN segue sem meta definida

Foto: 2.jun.2021 – Divulgação/Prefeitura de Fortaleza

Ao menos 11 estados prometem vacinar até outubro toda a população adulta com a primeira dose de imunizantes contra a covid-19, segundo levantamento feito pelo UOL.

Entre eles, há estados que dizem acreditar ser possível imunizar seus cidadãos até antes, como o Ceará, que estima vacinar todos acima de 18 anos de idade até o final de agosto. Na capital do Maranhão, São Luís, a expectativa é que seja ainda mais rápido: final de julho.

A projeção dos estados leva em consideração os cronogramas do Ministério da Saúde sobre entregas de doses. Mas o histórico de promessas descumpridas faz com que 15 unidades da federação prefiram não arriscar uma estimativa sobre quando terão aplicado ao mesmo uma dose em todos os adultos.

Quando aplicarão a primeira dose para a população adulta:

  • Até agosto: Ceará;
  • Até setembro: Rio Grande do Sul, Sergipe, Maranhão e Pará;
  • Até outubro: Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Piauí;
  • Sem definição: Paraná, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Tocantins, Rondônia, Roraima, Amazonas, Acre e Amapá;
  • Não respondeu: Alagoas.

Até a última quinta-feira (10), o Brasil já havia iniciado a imunização de cerca de 53 milhões de pessoas. Delas, aproximadamente 23,5 milhões já completaram o esquema vacinal, com a aplicação da segunda dose.

O Ministério da Saúde estima que a população vacinável do Brasil neste momento é de cerca de 161 milhões de adultos. Assim, ainda seria necessário iniciar a imunização de aproximadamente 110 milhões de brasileiros.

Esse número pode crescer em breve, já que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a aplicação da vacina da Pfizer em crianças com 12 anos ou mais; o ministério, porém, ainda não indicou se deve liberar a imunização de menores de idade.

No terceiro trimestre, de julho a setembro, o ministério diz que deve receber cerca de 175 milhões de doses. Até o final de junho, serão ao menos mais 25 milhões de doses. A soma dessas quantidades —mesmo aquém das previsões iniciais da pastas— faz com que gestores e especialistas acreditem ser crível a projeção de vacinar todos os brasileiros com uma dose até o final de outubro —e, talvez, até antes.

Com informações do UOL

Opinião dos leitores

  1. Cadê a melhor Governadora do Mundo pq para os babões do Governo ela é a melhor do mundo, só mentira e conversa mole dela e de Visconde do Sítio do Pica pau amarelo

  2. E só fazer um conta básica. Se sp vai terminar em outubro. O rn deve facinar os adultos de 18 anos até agosto ou setembro. Já que tem municipio no interior que começou a vacinar pessoas sem problemas em maio.

    1. Sério isso que vc falou? Acho melhor vc abrir os olhos pq em terra de cego, quem tem olho e rei.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *