DENÚNCIA: SindSaúde cria cartilha para ditar prejuízos ao atendimento à Saúde, afirma médico

Um médico, de identidade preservada, fez uma denúncia gravíssima ao Blog, sobre uma suposta cartilha criada pelo SindSaúde, com objetivo de ditar uma “modalidade” de atendimento que atinge diretamente a população. De acordo com o profissional, servidores que não aderiram ao movimento grevista estão sendo coagidos pelos sindicalistas a paralisarem os serviços, prejudicando a assistência à população que depende do SUS.

Segundo o médico, há informações, inclusive, que uma cartilha distribuída pelo Comando de Greve tem por objetivo ditar como os servidores da saúde devem agir durante a greve nas unidades hospitalares. Entre os pontos abordados na cartilha estão ações que prejudicam a assistência a população em vários setores: centro cirúrgico, nutrição, enfermaria, laboratório, lavanderia, Centro Obstétrico e alojamentos.

“Relatos de servidores que não aderiram à greve dão conta de que representantes do SindSaúde estejam obrigando os profissionais à deixarem seus postos, mesmo durante o atendimento a pacientes. Estas denúncias já foram encaminhadas para a Procuradoria Geral do Estado, para as medidas cabíveis”, alertou o médico denunciante.

Confira abaixo os pontos citados na suposta cartilha do Sindicato:

1-    Para que cirurgias aconteçam sem instrumentador e que, neste período, sejam suspensas as cirurgias eletivas;

2-   Realização de curativo somente uma vez ao dia;

3-   Paralisação das atividades nas unidades ambulatoriais;

4-   A não entrega de lençol para servidores do serviço noturno e a não entrega de batas para acompanhantes;

5-   A redução de exames laboratoriais e

6-   A suspensão de refeições para acompanhantes que moram em Natal;

Por fim, o médico ainda destaca que outra ação, no mínimo, lastimável ,realizada pelo movimento grevista e, inclusive, já divulgado pela na InterTv Cabugi, na sexta feira (16), é a realização de piquetes nas portas de hospitais de urgência e emergência, com utilização de instrumentos musicais como tambores e tamboris, além de gritos de ordens.

Segundo o profissional, estas ações vão de encontro à justiça que determina silêncio em áreas hospitalares. “Estas fanfarras organizadas pelo SindSaúde por várias vezes vêm dificultando a passagem de ambulâncias de socorro do Samu e do interior para as unidades de atendimento”, desabafou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Walfredo disse:

    Bruno peço para vc não divulgar meu email e tou usando o nome do Hospital que trabalho, o Walfredo. Tenho medo de perseguição, por isso o codinome.
    Sou enfermeiro no Clovis Sarinho e parabéns pela coragem de publicar essa denuncia.
    Não são todos, mas alguns sindicalistas fazem isso mesmo, pressionam, fazem ameaças veladas, todos nos lá temos medo de alguns cidadãos desse sindicato, e algumas coisas que está nesse tópico realmente vem acontecendo.
    Faça uma visita a nossa unidade sem se apresentar como jornalista que vc vai comprovar facilmente.

  2. Maria Helena disse:

    Isso e pura verdade! Minha filha é estagiaria do Santa Catarina e vem sendo impedida de trabalhar pelo sindicato. Um absurdo. Se é para protestar que é um direito vá pra rua e não para dentro dos hospitais. Uma total falta de respeito do SindSaude pela população.

  3. Maurício Giovani disse:

    Se forem comprovadas essas denúncias gravíssimas onde uma turma de sindicalistas trama contra o povo do RN se utilizando de manobras políticas de revanche contra o governo, nada mais demonstra do que este sindicato, dentre tantos outros que existem por aí não passa de uma Máfia. Já está mais do que na hora do Ministério Público entrar em ação para ver onde está o fio da meada dessa história.

  4. roberto disse:

    Meu caro amigo não coloque uma noticia sem saber se realmente existe a fonte, quem é esse médico? esta a serviço de quem? vc Bruno va a uma assembleia da categoria e veja se realmente isso ocorre, o governo esta levantando denuncia para acabar com a maior grave dos servidores da saude , que estão a mas de cinco anos sem reajuste salarial, é o menor salario entre os serviços publico de saude, perde para a prefeitura e federal

  5. sandro disse:

    Não sou contra ao movimento, mas impediir que o próximo tenha, o que hoje é mínimo, é ridículo. O mímimo de respeito tem que ter os grevistas…são vidas em "jogo", pode ser qualquer um de nós precisando atendimento…direito fundamental..A VIDA

COMENTE AQUI