Desistência da candidatura de Dison fez Robinson perder força política em Goianinha

Raimundo Honório Lisboa, mais conhecido como “Dison” (PSD), ex-prefeito de Goianinha que era candidato certo até hoje, inclusive com grande chances de vencer as eleições, já que são eleições com praticamente uma chapa, abriu mão da candidatura para apoiar a candidatura à reeleição do prefeito Júnior Rocha (PMDB), abrindo a vaga de vice para seu irmão Berg Lisboa (PSD). Dison aproveitou a convenção PMDB, PSD, PMN, PTB e PSDB para anunciar a candidatura a vereador, cargo que dificilmente perderá.

Dison temia enfrentar problemas na Justiça Eleitoral que poderiam derrubar toda a chapa, já que ele já consta na lista dos candidatos com contas reprovadas dos tribunais de contas do Estado (TCE) e da União (TCU) e essa semana ainda foi surpreendido com uma sentença por causa de compra de votos.

Quem não gostou nada disso foi o vice-governador Robinson Faria, presidente estadual do PSD, que foi o último a saber da história. Diga-se de passagem, a comitiva do PSD que também teve a presença do deputado estadual Zé Dias e do federal Fábio Faria, antes da convenção foi direto ter uma conversa com Dison pra saber o porque da decisão. Dison explicou sua situação e avisou ao vice-governador que não tinha mais como voltar atrás, porque já tinha dado sua palavra. Aliás, essa conversa aconteceu enquanto a convenção estava rolando.

Robinson entendeu, mas não gostou. Afinal Goianinha é um de seus redutos eleitorais, aliás reduto de Zé Dias (com quase cinco mil votos) e de Fábio (com mais de cinco mil votos) também. Com uma cara de poucos amigos, o vice-governador fez o discurso politicamente correto.

“Disson teve um gesto nobre hoje e sempre terá o respeito do povo de Goaninha”, disse ao afirmar que continuará apoiando Júnior Rocha nas eleições em Goianinha. Sinal de que não houve rompimento. Postura certa!

Por outro lado, quem gostou foi o deputado estadual Walter Alves, que marcou chegou cedo na convenção e viu um liderado seu ganhar uma candidatura praticamente vencida. Querendo ou não, Walter vai se transformou em uma das grandes lideranças de Goianinha. De graça, ressalte-se. Porque ele nem interferiu nas conversas de Dison e Júnior Rocha.

Walter, aliás, que segue sua peregrinação para se eleger deputado federal nas eleições de 2014. Ele está em ritmo de campanha há muito tempo visitando suas bases e as bases de seu pai o senador-ministro Garibaldi Alves Filho dando apoio para garantir uma cadeira na Câmara dos Deputados em Brasília em 2015. Isso, caso Henrique Eduardo Alves opte por disputar a cadeira no Senado Federal. Henrique agora está focado em acertar tudo para que o PMDB aumente o número de prefeitos nessas eleições. “De 50 para 70”, como ele mesmo fala. Depois, ele focará suas atenções para se eleger presidente da Câmara do biênio 2013-2014. Em sendo eleito presidente, dificilmente ele não irá bater na porta do Senado em 2015.

Enquanto isso, Robinson se vê mais distante do sonho de conseguir ser governador do Estado do Rio Grande do Norte nas eleições de 2014. Nunca é demais lembrar que predisposição de Robinson para realizar o sonho de ser governador é grande e que daqui para 2014, muitas águas ainda vão rolar. Um político com fortes bases que não deve ser subestimado.