Em comunicado, Petrobras informa que reajustes de combustíveis não serão automáticos

Em comunicado enviado ao mercado e respondendo a questionamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão fiscalizador do mercado de capitais, a Petrobras informou que os próximos reajustes no preço dos combustíveis não serão automáticos. A decisão de reajustar os preços da gasolina e diesel caberá à diretoria-executiva. A Petrobras não divulgou no comunicado os parâmetros da nova metodologia de preços aprovada pelo Conselho de Administração da petrolífera.

A companhia afirma que no cálculo de reajuste previsto pela nova metodologia será levado em conta o preço de referência dos derivados no mercado internacional, a taxa de câmbio do momento e a origem do produto vendido — se importado ou refinado no Brasil.

A empresa informou que a nova metodologia permite determinar faixas de preços conforme as ponderações explicadas. Segundo a empresa, a fórmula confere à diretoria “poder discricionário à luz da dinâmica dos mercados doméstico e internacional”.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) havia questionado a Petrobras sobre a metodologia de preços adotada. Na sexta-feira passada, o conselho de administração da Petrobras anunciou um reajuste de 4% para a gasolina e 8% para o diesel e informou que aprovou a nova metodologia, sem divulgá-la, o que causou frustração no mercado. Na segunda-feira, as ações da companhia caíram mais de 10%, a maior queda dos últimos cinco anos.

O comunicado divulgado nesta quarta também descartou especulações de que Maria das Graças Foster, presidente da companhia, estaria de saída da empresa. “A Petrobras refuta qualquer afirmação desta natureza”, diz o comunicado.

O Globo