Petrobras reduz preço da gasolina em 15% a partir desta quarta-feira

Foto: Diego Vara / Reuters

A Petrobras anunciou que vai reduzir em 15% o preço da gasolina em suas refinarias a partir desta quarta-feira, dia 15. Em relação ao óleo diesel, não haverá alteração.

A decisão da estatal vem na esteira da forte desvalorização que o petróleo vem apresentando no mercado internacional. No início do ano, ele era negociado a US$ 66,36. Na última segunda, fechou a 27,59. No ano, a desvalorização da commodity é de 58,7%.

Impacto: Petroleiras devem reduzir investimentos em 30% por coronavírus e queda no preço do petróleo

Este cenário de perdas no preço do petróleo é reflexo da pandemia de coronavírus e seus efeitos na economia.

A China, segunda maior economia do mundo e epicentro dos casos de Covid-19, viu sua atividade industrial ser encolhida drasticamente nas últimas semanas por conta de paralisações e medidas de contenção para impedir o avanço da doença. Isso fez com que a demanda pela commodity diminuísse.

Socorro: Setor de serviços pede a governo para liberar suspensão temporária de contrato e saque de até 50% do FGTS

Mesmo com menos compradores, os países membros e associados da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não chegaram a um acordo para reduzir a produção do produto. Com menos oferta, os preços poderiam ter quedas menos acentuadas.

Árabia Saudita e Rússia não chegaram a um acordo, e, como resposta à falta de entendimento, Riad resolveu determinar aumento de 25% em sua produção de petróleo. A medida empurrou mais ainda para baixo o preço da commodity.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Já imaginaram se o combustível estivesse barato? O Brasil já teria explodido de tanta sucata fumegante em sua estradas esburacadas. Se afrouxar a rédea a mundiça manda ver.

  2. Alessandro disse:

    Me corrijam se eu estiver enganado, mas somente no mês de março houve 3 grandes reduções… Por volta do dia 12 teve uma redução de 9,5%, semana passada teve redução de 12%, já hoje e anunciado mais 15%, só ai já se somam 36,5% de redução no mês de março…. Alguém ai viu essa redução?? Se muito reduziu foi 5% à 7%… Fico me perguntando onde estão os órgãos de fiscalização, pq não fazem nada?? Alô Ministério Público!!! Cadê vcs!?!?!?

  3. Torres disse:

    Só falta o preço chegar pra gente…
    Os donos de postos, estão deitando e rolando.

  4. Luciana Morais Gama disse:

    Pelas reduções da Petrobras era pra tá nas bombas do RN gasolina a $ 3,99. Como não temos Procon e nem Ministério Público, a turma dos postos ficam a vontade

    • Gado Feliz disse:

      Pra q procon, MP?
      Queremos estado mínimo.
      O mercado mesmo se regula!!

  5. joão carlos disse:

    que bom, mais uma oportunidade de enricar os donos de posto e nós continuarmos pagando quase 5 reais…
    não existe procon nem MP nesse estado, máfia grande dos donos de posto, ANP passa longe

  6. Consumidor disse:

    Será se chega a nos consumidores? Esperamos que sim. Muita reza!!!

    • Silvio. disse:

      Chega não.
      Chegava em condições normais de mercado, mas hoje, não acredito
      O posto que vendia por exemplo, 10.000 mil litros de gasolina por dia, só ta vendendo 4.500 litros hoje.
      De maneira que se ele baixar, com as dispesas fixas que tem, baseadas na venda de 10.000 mil litros, dia ELE QUEBRA. O posto vai precisar de margem de lucro maior, pra trabalhar se não, repito QUEBRA.
      É MATEMÁTICA FINANCEIRA.
      NÃO VAI CHEGAR NO CONSUMIDOR NESSE PRIMEIRO MOMENTO.
      depois, pode ser que sim.
      Mas no momento vão ter cautela.

    • paulo disse:

      BG
      A quantidade de postos e superdimensionada, ai ninguém consegue atingir metas e o consumidor se ferra pagando preços acima do que deveria.

    • Dilermando disse:

      No sábado já tinham anunciado uma redução de 12%. Na quarta, mais 15% fora as outras reduções menores. E a redução na bomba foi em média de R$ 0,03. Duvido muito que essa redução chegue até nós…

    • Everton disse:

      Como é, posto de gasolina quebrando? É o apocalipse zumbi? Meu amigo, deixe de conversar lorota, o mercado é fechado, os preços praticados são parecidíssimos, e os funcionários ganham pouco.

      Cada um que aparece.

    • Felix disse:

      Ô Petralha Everton??
      E como vc acha que sai os preços das distribuidoras???
      Tu acha que sai muito diferente é???
      A igualdade, já sai de lá papa angu.
      Ou vc acha que tem muita disparidade??
      Os caras vão perder 50% do volume de vendas, tu acha que ainda vão baixar???
      O que ae mostrar e querer fazer graça QUEBRA, e matemática, não cobre as dispesas fixas, a não ser que mande todo mundo em pro olho da rua, ta certo meninão, desnorteado.

Petrobras reduz preços da gasolina em 12% e do diesel em 7,5%

Foto: Leandro de Santana/Agência Pixel Press/Estadão Conteúdo

A Petrobras informou que a partir desta quinta-feira (19), vai reduzir preço da gasolina em 12%, depois de ter anunciado, na semana passada, queda de 9,5% para o combustível. O preço do diesel terá queda de 7,5%, acima da redução de 6,5% ocorrida na semana passada.

Os preços dos combustíveis da Petrobras seguem a política da empresa de repassar para o mercado a paridade com o preço internacional.

Desde o último final de semana, o petróleo acelerou o processo de perda de valor, agravado na terça pela fala do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de prováveis medidas adicionais para conter o coronavírus,como a proibição de voos vindos do México e Canadá, depois de já ter fechado outras fronteiras.

A notícia afeta ainda mais o fluxo de transporte no mundo, já bastante restrito por causa da pandemia. A gasolina, junto com o diesel e o QAV (querosene de aviação) são responsáveis por 60% do consumo global de petróleo.

A Petrobras informou ainda que vai reduzir o preço do diesel marítimo em 7,7% e das térmicas em 7,6%, para o diesel S500, e em 7,8% para as unidades que utilizam S10.

De acordo com o analista Thadeu Siva, da INTL FCStone, o preço da gasolina caiu R$ 0,1820 e o diesel automotivo R$ 0,1330 nas refinarias.

“Estamos calculando o valor exato da paridade agora, mas a janela de importação segue aberta”, disse Silva ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. “A redução segue a estratégia de suavizar os movimentos do mercado internacional, repassando aos poucos a queda, o que preserva a margem e evita novos reajustes no caso de uma retomada”, explicou.

No início da semana, o analista da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman, já havia previsto que, quando o petróleo ultrapassasse a barreira dos US$ 30 o barril, como ocorreu na terça, a estatal teria que anunciar uma nova queda de preços dos combustíveis, o que seria coerente com a sua política de preços baseada paridade internacional.

Estadão e R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Reno disse:

    9.5% semana passada que ainda não chegou nas bombas….
    Agora 12% que tbm não vai chegar nas bombas….
    Se fosse aumentar já tinha chegado nas bombas…..
    Não está adiantando nada baixar combustível!!

  2. Francisca disse:

    A CULPA É DE BOLSONARO.
    KKKKK
    CHUPA PETRALHAS!

  3. Rocha disse:

    Esses donos de postos são Pelés colocando faixas de promoção e o Procon de boca fechada. Cadê a imprensa!

  4. Brasil disse:

    Procon Natal mais uma vez não faz nada, fica tacando multa em pequenas empresas, enquanto os postos de gasolina faz e Diz faz e nada acontece, vai sobra para o prefeito, nas urnas verá

  5. Paulo disse:

    Será que tem PROCON em Natal?
    Não vejo redução e os preços parecem combinados entre donos de postos de combustíveis.

  6. Nilberto disse:

    No momento tem que se preocupar e com álcool gel.

  7. Emílio disse:

    Essa porra dessa baixa não chega a Natal

  8. JBBatista. disse:

    Os dois últimos aumentos já somam 21% e nos postos baixaram só 8 centavos, precisa o Procon que não faz nada começar a trabalhar. O diretor deu uma entrevista e perguntaram sobre o abuso no combustíveis ele deu a seguinte resposta"o momento agora e cuidar do conoravírus" estamos lascados.

  9. joão carlos disse:

    se o povo fosse esperto completaria os tanques e seguraria durante a quarentena que vai ser estabelecida… uma hora os postos vão ter que baixar, ou vão morrer com o combustível em estoque? rs

  10. Bilau disse:

    Duvido muito o natalense ver a redução de preços nas bombas…. a ganância entre distribuidoras e postos é muito grande….

  11. Manoel disse:

    Acho que precisa avisar aos postos de Natal! A redução anterior ainda não chegou nas bombas, imagine essa!

TRF4 manda soltar ex-diretor da Petrobras Renato Duque

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) tirou da prisão nesta quarta-feira (11/3) o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, ligado ao PT e um dos primeiros presos da Operação Lava Jato.

Os desembargadores da 8ª Turma, segundo O Globo, decidiram substituir a prisão em regime fechado pelo uso de tornozeleira eletrônica, entre outras medidas cautelares.

Duque está preso há cinco anos por causa de três prisões preventivas decretadas pelo então juiz Sergio Moro, na 13ª Vara Federal de Curitiba.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Giba disse:

    E o gado não quer enxergar cade o Queiroz em, a rachadinha do filho do bozo em aceita que é melhor kkkk

    • Rio disse:

      O choro é livre.

    • Roberto disse:

      O comunismo é uma seita.
      É coisa ruim.
      Mas tem seguidores.
      Que ficam repetindo bordões criados pela cúpula da seita.
      "Ninguém solta a xxx de ninguém ", "fascistas não passarão", "kd o Queiroz?" (Lula está viajando pela Europa às nossas custas.
      Enquanto isso, em países comunistas, a população vive em regimes ditatoriais e na miséria.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Segundo os PTistas não houve desfalque na Petrobras. Bando de FDP, se fazem de cego.

  3. Roberto disse:

    Oh terra Boa de ser ladrão. Viva ao Brasil

Petrobras perde R$ 91 bilhões em valor de mercado nesta segunda

Foto: Sergio Moraes/Reuters

A Petrobras perdeu nesta segunda-feira (9) R$ 91 bilhões em valor de mercado, segundo dados da Economatica. A estatal encerrou o dia avaliada na B3 em R$ 215,8 bilhões, contra R$ 306,9 bilhões no fechamento dos mercados na sexta-feira (6), uma queda de R$ R$ 91,1 bilhões.

As ações da Petrobras foram negociadas com queda de quase 30%, com as preferenciais cotadas a R$ 16,05 e as ordinárias a R$ 16,92.

Com a queda, a Petrobras registrou a maior perda de valor de mercado em apenas um dia, segundo a Economatica. O recorde negativo até então tinha sido em 24 de maio de 2018, quando a petroleira perdeu R$ 47,2 bilhões, em meio à greve dos caminhoneiros e críticas à política de preços de combustíveis da companhia que culminaram na saída de Pedro Parente da presidência da Petrobras.

A queda das ações da Petrobras nesta segunda acompanhou o tombo da cotação dos preços internacionais do barril de petróleo, que registrou a maior queda diária desde a Guerra do Golfo (1990 e 1991), atingindo mínimas que não eram registradas desde fevereiro de 2016 e se aproximando de US$ 30.

Em nota, a Petrobras informou nesta segunda que “monitora o mercado e segue com seu plano estratégico que prepara a companhia para atuar com resiliência em cenários de preços baixos”.

“A Petrobras avalia que ainda é prematuro fazer projeções sobre eventuais impactos estruturais no mercado de óleo e gás associado à recente e abrupta variação nos preços do petróleo dado que ainda não está claro nem a intensidade ou mesmo a persistência do choque nos preços”, acrescentou.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. François Cevert disse:

    Subam e desçam e da redução do preço se esqueçam… Estão refinadores, distribuidores e donos de postos todos coçando às mãos aguardando pra melhorar suas margens de 'enrrequecimento'.

  2. Chico bento disse:

    Só tem ladrão…

  3. Júnior disse:

    Baixe logo a porra desses combustíveis, bando de fdp. Quando o mercado internacional sobe, o aumento é no mesmo dia. Porque quando diminui também não é automático?

Mais um passo para abertura de concorrência e barateamento do gás: Petrobras coloca à venda sua participação na Gaspetro

Foto: Divulgação/Petrobras

A Petrobras decidiu colocar à venda a totalidade de sua participação na holding Petrobras Gás S.A. (Gaspetro). A estatal possui 51% das ações. Os outros 49% são da Mitsui Gás e Energia do Brasil Ltda, do grupo empresarial japonês Mitsiu & Co.

A estatal publicou nessa quinta-feira (27) em seu site um documento com informações sobre a oportunidade e os critérios de elegibilidade para a seleção dos interessados. “As principais etapas subsequentes do projeto serão informadas oportunamente ao mercado”, informa a estatal.

A Gaspetro possui participação societária em diversas companhias distribuidoras de gás natural em todas as regiões do Brasil e dispõe de uma rede de mais de 10 mil quilômetros de gasodutos. Em 2019, o volume total de gás distribuído foi de 29 milhões de metros cúbicos por dia, atendendo cerca de 500 mil clientes.

“A presente divulgação está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da Petrobras e com o regime especial de desinvestimento de ativos pelas sociedades de economia mista federais, previsto no Decreto 9.188/2017. Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando à maximização de valor para os seus acionistas”, informou a Petrobras.

A estatal vem colocando em prática diversas ações de desinvestimento. Entre ativos que já foram vendidos, estão as subsidiárias TAG e BR Distribuidora e variados campos de petróleo. No caso da Gaspetro, houve estudos para um oferta na B3, mas a Petrobras acabou decidindo pela venda direta. Nesse caso, a Mitsui & Co terá direito de preferência na compra das ações da estatal brasileira.

De acordo com o informe, investidores estratégicos interessados na operação devem ter valor contábil mínimo do patrimônio líquido de pelo menos US$ 500 milhões. Já os investidores financeiros precisam ter ao menos US$ 1 bilhão em ativos sob gestão.

Campos da gás

A Petrobras também divulgou um documento com informações para a venda dos campos de gás de Merluza e Lagosta, localizados em águas rasas na Bacia de Santos. Ambos os campos são apenas da estatal brasileira.

Instalada em 1993, a plataforma Merluza iniciou suas operações voltada para a produção de gás natural e condensado do Campo de Merluza. Desde 2009, a unidade também é responsável pela produção de gás natural e condensado do Campo de Lagosta. Ela é atualmente a mais atinga plataforma fixa em operação na Bacia de Santos. A produção média de ambos os campos, em 2019, foi de 3,6 mil barris por dia.

 

Ver essa foto no Instagram

 

@ministeriodaeconomia @salimmattarbr

Uma publicação compartilhada por Carlos Bolsonaro🇧🇷 (@carlosbolsonaro) em

Com acréscimo de informações da Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio disse:

    Aqui em Natal só tem rico, tudo aqui é mais caro, coloquei gasolina hoje em João pessoa por 4,08 em Recife 4,19

  2. Kkkk disse:

    Kkkk duvido!!!! Livre concorrência kkkk se o Estado não atuar , o capital privado eleva os preços as alturas. Lembro bem quando as aéreas passaram a cobrar pelas bagagens com argumento de baixar as tarifas, baixou? Não , até hj preços cada vez mais altos!!!! Explique aí bg esse case aéreo de sucesso kkkk

  3. Gilberto Paulo disse:

    Queria entender pq o GNV em Pernambuco custa 2,80 e o mesmo gás aqui custa 3,59..

  4. Santos disse:

    Bom… advinha que vai comprar? A própria Petrobrás!

  5. Eu disse:

    Não entendi, como aumentará a concorrência se não terá uma nova empresa?

  6. Justiceiro disse:

    Vai acreditando. Até agora nenhuma medida tomada por esse (des)governo beneficiou a população. Só os grandes grupos econômicos…

  7. Observando disse:

    Em que isso aumenta concorrencia? Vai simplesmente vender sua participacao no grupo. O grupo vai continuar existindo com outro socio.

  8. Marcos disse:

    Igual as passagens aéreas e a falácia dos combustíveis, só brasileiro mesmo para acreditar nisso.

‘Interferência de Bolsonaro é zero’, diz presidente da Petrobras em entrevista

Assista entrevista aqui. Foto: Reprodução/Globo

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, foi o entrevistado desta quinta-feira (13) do GloboNews Miriam Leitão. Ao ser questionado sobre as declarações de Bolsonaro, ele disse que não há interferência do presidente.

“Ele é o presidente e tem o direito de falar o que quiser. Uma coisa é a política e outra é a administração de uma empresa. Então, nós seguimos administrando. O importante é que ele respeita a independência da Petrobras. Ele tem feito isso sistematicamente. Ele nunca me telefonou, pedindo isso, pedindo aquilo, pedindo que baixasse o preço, pedindo que fizesse qualquer coisa”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    A Petrobras inflada interessa à esquerda e ao PT, que querem lotear os seus espaços e roubar os seus cofres. Ao Brasil, interessa uma empresa mais enxuta, se possível sem monopólio, para estimular a concorrência saudável.

  2. Joaquim Rodrigues disse:

    Que absurdo é esse? Como isso acontece? Não viu o exemplo dos governos passados não?
    Lembre-se da frase do ex presidente: "O petroléo é nosso" como Bolsonaro não vai tomar posse da petrobrás? como não vai mandar na petrobrás? como pode esse absurdo?
    Bolsonaro não é o autoritário, mandão?
    Como o bonzinho democrata e honesto ex presidente que se apossou da petrobrás indicando tudo e todos, mandando na política da empresa, colocando os membros dos conselhos e agora vem esse autoritário Bolsonaro e não vai fazer isso? Devia seguir o exemplo de democracia usado nos governos anteriores

    • Mais Brasil 🇧🇷 disse:

      🇧🇷👉🏼🇧🇷👉🏼🇧🇷👉🏼👏🏼👏🏼👏🏼

Petroleiros do RN anunciam venda em Natal de botijão de gás(limitada) por R$ 40, na manhã desta sexta-feira, em frente à sede da Petrobras

Foto: Arquivo

O Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Norte anunciou a venda de botijão de gás (unidades limitadas*) por R$ 40, o equivalente à metade do preço cobrado atualmente. A ação será realizada na manhã da sexta-feira (14), em frente à sede da Petrobras em Natal, no bairro de Cidade da Esperança. A iniciativa vem sendo realizada em outros estados com sucesso. O objetivo é explicar à população as razões da greve da categoria iniciada em 1º de fevereiro. O movimento já paralisou 91 unidades de 13 estados do país.

A pauta local inclui entre as reivindicações a retomada dos investimentos da Petrobras para recuperar a produção e a capacidade de refino de petróleo e gás no Rio Grande do Norte. O Estado potiguar, que já foi o segundo maior produtor de petróleo no Brasil e teve pico de 110 mil barris por dia, hoje produz em torno de 36 mil.

“Os petroleiros inauguram uma inédita reivindicação que é ampliar a produção das unidades da Petrobras”, afirma o coordenador geral do Sindipetro-RN, Ivis Corsino.

O movimento também luta para reverter em nível nacional o desmonte da estatal e as transferências de trabalhadores em todo Sistema Petrobrás.

Anúncios

No Rio Grande do Norte, onde o setor respondeu, em 2018, por 45% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial e contribuiu com R$ 437 milhões em royalties para o Estado e 97 municípios, as mobilizações atingem o campo terrestre do Alto do Rodrigues, o polo industrial de Guamaré e a base administrativa de Mossoró. Segundo o Sindipetro-RN, diariamente estão sendo realizadas atividades para manter a categoria organizada, alertar a população sobre os prejuízos causados pela política de privatização da Petrobras e conquistar o apoio da sociedade potiguar à greve.

Entre as atividades realizadas nos últimos dias para mobilizar os trabalhadores e esclarecer a população estão assembleias, controle do fluxo de carros nas rodovias a exemplo da ação do dia 7 de fevereiro na estrada do óleo (que escoa parte da produção no Estado), formação de comissão de trabalho para avaliar a segurança das atividades e o atraso de embarque para atualização do quadro nacional.

Além da suspensão das demissões em massa e o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho, os trabalhadores querem mudança na política de preços da Petrobras, que passou a acompanhar o valor internacional do barril do petróleo, e colocar freio na política econômica de privatização do governo de Jair Bolsonaro.

Com informações do SindIpetro-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico disse:

    Apareceu o Bento defensor ferrenho do governo e do Clã minios!

  2. Ivan disse:

    O medo da privatização e fim da mamata estatal faz os parasitas se mexerem…como, o de sempre, greve…parasita só sabem paralisar…nisso eles são bons!!!!!

  3. Paulo disse:

    BG
    Já tem autorização da SET(secretaria Estadual de tributação) para emitir nota fiscal da venda do gás???????

  4. Marcelo disse:

    Muita ignorância achar que meros funcionários sabiam que a Petrobras estava sendo roubada, são tão vítimas, quanto a Petrobras e a sociedade. Se alguém com Luciana Morais Gama e Antonio Barbosa Santos, sabiam, porque não denunciaram ao Ministério público? Saibam que é crime, saber de um crime contra a União e não denunciar.

  5. Antonio Barbosa Santos disse:

    Interessante esse ato.
    Faço duas observações:
    1 – na época do Petrolão, estavam bem caladinhos, pianinho, mansos, sonolentos, porque será? Porque não vimos, como protesto, nenhum ato como esse que estão divulgando? Pq?
    2 – vá eu inventar de vender gás de cozinha em qualquer lugar, de qualquer jeito, para ver se o Procon, não bate em cima, se o MP não bate em cima, se a PM não bate em cima, Delegacia do Consumidor chega com tudo, e eu levo uma multa de cada um desses Órgãos. Então, será que eles todos vão fingir que nada acontece?

  6. Luciana Morais Gama disse:

    O que até hoje não entendi foi o silêncio do SINDIPETRO quando os PTralhas roubavam a Petrobras, e nem assim deram um pio para preservar a então maior empresa do Brasil. A Petrobras quase quebrou….

    • Minion disse:

      Acho bonito a Srta minion acreditar nessa conversa que a Petrobrás quase quebrou!! Conversa para minios dormi!!! A Petrobrás nunca deixou de lucrar nem tão pouco de quebrar! Tá conversando e besteira, vá se informa pare de ver as lives e postagens do Clã bolzonaro!!

    • Bento disse:

      Tanto é prova de que sabiam e ficavam pianinhos que os seus defensores aqui vem aqui com nomes faikes rebater a verdade de quem quer ver um Brasil melhor.
      São mentirosos, levianos e cúmplices do líder de chiqueiro

Petrobras tem recorde na produção de petróleo e gás

Foto: Agência Petrobras/Geraldo Falcão/direitos reservados

A Petrobras registrou em 2019 uma média diária recorde de produção de petróleo e gás. Foram produzidos, em média, 2,77 milhões de barris de óleo equivalente (boe, medida que une barris de petróleo e metros cúbicos de gás).

O volume ficou acima da meta de 2,7 milhões de boe diários e foi 5,4% superior ao registrado na média de 2018. Os números incluem a produção no Brasil (2,688 milhões de boe por dia) e no exterior (82 mil boe por dia). A produção de petróleo em 2019 ficou em 2,172 milhões de barris, dos quais 1,277 milhão de barris foram no pré-sal.

No último trimestre do ano, a produção média diária atingiu 3,025 milhões de boe. Foi a primeira vez que a empresa rompeu a barreira de 3 milhões de boe por dia, em uma média trimestral.

De acordo com a Petrobras, as reservas da empresa mantiveram-se em 9,59 bilhões de boe. A relação entre reservas provadas e produção é de 10,5 anos. O número não inclui ainda os ativos de Itapu e Búzios, adquiridos no leilão da Excedente da Cessão Onerosa. As informações foram divulgadas na noite de ontem (10), no Rio de Janeiro.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Desafio feito pelos PETROLEIROS ao Presidente Bolsonaro.
    "Se está preocupado com o preço dos combustíveis, mude a política, pare as privatizações e aumente a produção"
    Acesse o desafio aqui https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/4241-petroleiros-lancam-desafio-a-bolsonaro

  2. Verdade disse:

    Malandro É Malandro, Mané É Mané.
    Dá pra entender que o objetivo de Bolsonaro e Paulo Guedes é destruir tudo que for da nossa nação seu Mané. Bolsoanro e Paulo guedes vederam a alma ao DIABO.

  3. Emerson F. disse:

    Quanto mais ela produz, mais caro a gente paga de gasolina!! : (

  4. Ivan disse:

    E só num roubar pô!!!! Talkey….

  5. H. Marques disse:

    5 conto….faz meses que estamos pagando 4.80 e não vejo os filhotes de bolsonarianos reclamarem!tá tudo ótimo! meu ovo

  6. Olavo disse:

    Melhorando com a gasolina a quase 5 reais??????

    • Ceará-Mundão disse:

      Convence tua governadora a aceitar a proposta do Bolsonaro de retirar o ICMS sobre os combustíveis que o preço baixa. Topa? A hipocrisia é como a mentira, tem pernas muito curtas.

    • Cristian disse:

      Meu amigo, nem Minas Gerais LIBERAL PARTIDO NOVO vai querer entrar nessa roubada, tu acha que RN totalmente dependente disso vai aceitar? Falta-lhe muito.

  7. Ceará-Mundão disse:

    A Petrobrás deixou de ser saqueada, como ocorria nos governos do PT, e está saindo do fosso em que os "cumpanhero" a enfiaram. E o Brasil segue melhorando com o atual governo. Em tudo.

Petrobras reduz em mais de 4% preço da gasolina e do diesel nas refinarias

Foto: Sergio Moraes / Reuters

A Petrobras decidiu reduzir em 4,3% o preço da gasolina e em 4,4% o do diesel em suas refinarias a partir desta quinta-feira, dia 6 de fevereiro. Esta é a segunda vez em menos de uma semana que a estatal reajusta para baixo o preço dos combustíveis.

No último dia 31, a petrolífera reduziu em 3% os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias.

A decisão da Petrobras vem em linha com as recentes quedas no valor do petróleo no mercado internacional. Em janeiro deste ano, o barril do óleo tipo Brent acumulou desvalorização de 15%: passando de US$ 68,44 para US$ 58,16.

O recuo no preço da commodity está associado com a redução da demanda chinesa pelo produto. O país asiático enfrenta uma epidemia de coronavírus que já vitimou centenas de pessoas e obrigou o governo prolongar férias e até fechar algumas estradas e distritos.

Nesta quarta, a agência de classificação de risco Moody’s publicou um relatório analisando que o preço do petróleo só tende a ser estabilizado à medida em que a doença for controlada.

“O atual surto de coronavírus reduziu a atividade econômica na China, o maior importador de petróleo do mundo. As estimativas da redução de curto prazo na demanda global de petróleo já se mostraram profundas o suficiente para enfraquecer os preços do petróleo nos últimos dias. Embora um choque de demanda de curto prazo na China aumente significativamente a volatilidade do preço do petróleo, é provável que os preços se recuperem assim que a propagação da infecção por coronavírus for contida ”, indicou o relatório da Moody’s.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Everton disse:

    Se Bolsonaro baixasse os tributos federais chegaria no consumidor, mas ele só trabalha p milico e rico

  2. João Dantas de lima disse:

    BG, eu não entendo, como um litro de gasolina e álcool, e mais barato em São Paulo do Potengi do que em Natal, estive lá no final de semana e verifiquei que um litro de álcool custa 3.35 é um litro de gasolina 4.55

  3. Biu disse:

    Fatoca num abra não, segura seus 30% de imposto, quem quiser que ande de bicicleta, vai ser bacana de carro na casa do c****

Petrobras inicia venda de usinas eólicas no Rio Grande do Norte

Foto: Divulgação/Ari Versiani/PAC

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira(31) o início da venda de sua parte em duas usinas eólicas: Mangue Seco 1 e 2.

A primeira etapa é a chamada “divulgação de oportunidades”, em que a empresa divulga informações sobre as unidades e sobre os critérios de elegibilidade para os interessados em comprar as usinas localizadas em Guamaré no Rio Grande do Norte.

Cada usina tem capacidade de gerar 26 megawatts (MW) de energia elétrica através de turbinas acionadas pelo vento. Elas fazem parte do complexo Mangue Seco, que inclui mais duas usinas com a mesma capacidade.

A Petrobras detém 49% de Mangue Seco 1. Os outros 51% são da empresa Alubar Energia S.A. Já em Mangue Seco 2, a Petrobras é sócio majoritária, com 51%, enquanto a Eletrobras detém 49% do empreendimento.

Segundo informações do site da estatal, a empresa também detém participação nas outras duas usinas do complexo e na usina eólica de Macau.

Refinarias

A empresa também divulgou hoje o início da fase vinculante da venda de suas refinarias Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas; Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor), no Ceará; e Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná.

As três têm capacidade de processar 60 mil barris de óleo por dia: Reman (46 mil), Lubnor (8 mil) e SIX (6 mil). Os potenciais compradores que foram habilitados para essa fase receberão uma carta-convite com informações sobre a venda e para o envio de suas propostas vinculantes de compra.

A venda dos ativos faz parte do projeto de desinvestimentos da estatal e está, segundo a empresa, alinhada “à otimização do portifólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando a maximização de valor para os seus acionistas”.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Aonde que a venda dos nossos ativos e patrimônio é um bom negócio pro nosso país meu caro Ivan. Você tem alguma noção do fala? Olha esse artigo Brazil for sale de 27 Janeiro escrito por Afonso Costa.
    Esse artigo irá te esclarecer os reais interesses de Paulo Guedes nessa política de vender nosso patrimônio. Acesse esse link aqui https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/4188-brazil-for-sale

  2. Junior disse:

    Vendendo o patrimônio para comprar pêlo dobro a mesma energia aos amigos aliados, esse é o Brasil das mudanças.

  3. Ivan disse:

    Deviam acabar com esses "desinvestimentos" e privatizar logo, acho q arrecadaríamos mais!!!!

  4. Souzão disse:

    O desmonte é grande!!!

    • Manoel disse:

      O que você chama de desmonte é o fim da corrupção, acabou a mamata da turma vermelha.

    • Matematica disse:

      A odebrecht é uma empresa privada. Foi corrupta? Praticou corrupção.

    • Manoel disse:

      A Odebrecht era contratada da Petrobras e nesses contratos foi onde houve o maior esquema de corrupção da história mundial, entende? Quanto menos estatais o Estado tiver, menor a chance de corrupção e apadrinhamentos…

Petrobras vai demitir funcionário aposentado após reforma da Previdência

Foto: Sergio Moraes / Reuters

A Petrobras anunciou que os empregados celetistas da empresa que ingressaram com pedido de aposentadoria após a reforma da Previdência serão demitidos quando o benefício for concedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A empresa foi questionada sobre quantos funcionários estão nesta situação, quanto a empresa deve gastar na rescisão dos contratos e se os trabalhadores serão substituídos, mas não respondeu. A companhia também não informou como será feito o processo de desligamento.

A estatal informou, por meio de nota, que adotou a medida em acordo com a Emenda Constitucional 103 (reforma da Previdência), que estabeleceu que “a aposentadoria concedida com a utilização de tempo de contribuição decorrente de cargo, emprego ou função pública acarretará o rompimento do vínculo que gerou o tempo de contribuição”.

Segundo a petroleira, os empregados que solicitarem a aposentadoria com a utilização do tempo de contribuição a partir de 13 de novembro de 2019 terão seu contrato de trabalho com a Petrobras extinto quando da concessão da aposentadoria pelo INSS.

A estatal afirmou ainda que o funcionário que protocolou pedido de benefício poderá permanecer na empresa, desde que cancele a solicitação junto ao Instituto Nacional do Seguro Social.

“Para os empregados que deram entrada com o tempo de contribuição decorrente de vínculo com a Petrobras e desejarem desistir do benefício, o cancelamento poderá ser solicitado desde que o empregado exerça essa prerrogativa antes do primeiro recebimento do benefício ou do saque do FGTS ou do PIS”.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil já havia anunciado a mesma medida para extinguir o contrato de trabalho dos funcionários celetistas que se aposentarem após a reforma da Previdência. Os empregados podem ter o contrato de trabalho mantido, desde que não tenham recebido o benefício ou feito saque do FGTS ou do PIS .

Extra – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Medida correta tem que abrir espaço para os jovens valores.
    Obrigado pela contribuição e vá curtir sua aposentadoria.
    A família agradece

Delator da Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador, diz que PT e Petros cobraram propina antecipada

Foto: Reprodução

Em sua delação, o empresário Mário Seabra Suarez contou aos investigadores que o esquema para fraudar as licitações para obras de construção da Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador, teve pedido antecipado de propina.

Isso porque antes de celebrados os contratos de execução da obra dirigentes da Petros, Newton Carneiro e Wagner Pinheiro, da Petrobras, Armando Tripodi e do PT, João Vaccari e Carlos Daltro, cobraram de seu sócio, Paulo Afonso, valores da propina.

O delator afirmou que os dois tiveram que gerar valores em espécie e trouxeram dinheiro do exterior, em conta não declarada. Mario Suarez afirmou que, como não existia obra, logo não existia também a disponibilidade de dinheiro a ser entregue pelas construtoras que venceriam ilicitamente o certame, mas que isso não impediu as pressões. O acerto final foi de que o esquema envolveria o pagamento de propina de 7% sobre o valor do orçamento da obra.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Safira disse:

    Toda VEZ Que uma importante notícia favorável ao PT ou a Lula e Dilma, uma velha notícia é requentada e lançada pra tentar desviar ou abafar a repercussão da mesma.
    Técnica velha que talvez nem funcione mais como antes, na campanha.
    Também é usada essa mesma técnica quando um novo escândalo atinge o governo, Bolsonaro, seus Ministros aloprados e seus filhinhos abelhudos e corruptos.
    QUE coisa mais MANJADA…

  2. João Sem Braço disse:

    Milhares de petroleiros aposentados contribuintes da PETROS por toda a vida de trabalho estão sangrando seus contra cheques para repor bilhões de reais desviados por essa quadrilha que se instalou no governo.

Petrobras reduz 3% preço da gasolina e diesel nas refinarias

 Foto: Diego Vara / Reuters

A Petrobras confirmou, há pouco, redução de 3% no preço do diesel e da gasolina para as refinarias. A medida entra em vigor nesta terça-feira (14). O último reajuste anunciado pela companhia para a gasolina foi em 1º de dezembro do ano passado e, para o diesel, no dia 21 daquele mês.A medida não surpreendeu o mercado, disse nesta segunda-feira (13) à Agência Brasil o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), Paulo Miranda Soares.

Soares lembrou que, quando começou a tensão entre Irã e Estados Unidos, o preço do petróleo no mercado internacional subiu de US$ 64 para US$ 70 o barril. Como o preço já voltou ao patamar anterior, Soares disse que a tendência é de queda do preço dos dois combustíveis no mercado interno brasileiro. “É absolutamente normal e esperada essa atitude da Petrobras.”

O presidente da Fecombustíveis ressaltou, porém, que, para o consumidor, a redução do preço deve demorar algum tempo, porque as distribuidoras têm que gerir o estoque, estimado entre 15 milhões e 20 milhões de litros. “Só baixa o preço quando ela [distribuidora] vender o estoque que comprou mais caro”. Para chegar à bomba, deve demorar 15 dias, “porque a concorrência é muito grande no setor de revenda”, disse Soares.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Duvido reduzir o preço dos combustíveis nas bombas.

  2. Medeiros disse:

    Em um dia aparece: "Petrobrás aumenta 1% o custo da gasolina nas refinarias", aí você chega no posto o litro tá R$ 0,30 mais caro. Umas semanas depois aparece, "baixou 3% nas refinarias", você vai no posto por várias semanas consecutivas e o preço é O MESMO.

    Bando de ladrão esses donos de postos.

  3. Kennedy Diniz disse:

    Difícil é chegar esta redução nos postos. Quando sobe é de imediato.

  4. Nildo disse:

    Tb era pra demorar ter aumento pois os postos estão com 15 milhões e 20 milhões de litros em estoque,mas no dia seguinte ao ate no mesmo dia os donos de postos aumenta, nas na hora de baixar vem com esssa conversa que tem estoque kkkkkkkkkkkkk isso é brasil

  5. Diogenio disse:

    E isso vai chegar ao consumidor final DUVIDO, DUVIDO,

Lava Jato: PF investiga fraudes em contratos que superam R$ 6 bilhões feitos entre a Petrobras e empresas de afretamentos

O procurador da República Athayde Ribeiro Costa durante entrevista à imprensa na sede da Polícia Federal, em Curitiba – Divulgação Polícia Federal

A 70ª fase da Lava Jato, chamada de Operação Óbolo, foi deflagrada nesta quarta-feira (18) para coletar provas a fim de investigar crimes relacionados a contratos de afretamentos de navios pela Petrobras, que superam R$ 6 bilhões. Os contratos foram feitos com as empresas Maersk, Tide Maritime e Ferchem. Os policiais investigam também o fornecimento de informações privilegiadas que concederam vantagens competitivas a empresas, tendo como contrapartida o pagamento de propina a funcionários da Petrobras.

Segundo o Ministério Público Federal, em Curitiba, existe uma estimativa inicial do pagamento de subornos de ao menos US$ 3.402.941,58, em razão de 11 contratos da Maersk, que chegam a R$ 592 milhões, conforme informações contidas em planilha apreendida com Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, no estágio inicial das investigações da Operação Lava Jato.

O procurador da República Athayde Ribeiro Costa disse, durante entrevista à imprensa na sede da PF, na capital paranaense, que a ação policial deflagrada hoje é uma sinalização concreta que a área-fim da Petrobras foi atingida por esquemas de corrupção que vão desde o afretamento e o abastecimento de navios até a carga por eles transportada. Segundo o procurador, as investigações se aprofundam inclusive em relação a contratos de afretamentos ainda em vigor.

De acordo com o MPF, entre 2002 e 2012, a Maersk e suas subsidiárias fecharam 69 contratos de afretamento com a Petrobras, que totalizaram aproximadamente R$ 968 milhões. A Tide Maritime figurou em 87 contratos, entre 2005 e 2018, no valor de R$ 2,8 bilhões. Já a Ferchem, também shipbroker, intermediou ao menos 114 contratos de afretamento marítimo na Petrobras, superior a R$ 2,7 bilhões, entre 2005 e 2015.

As investigações relacionadas a Maersk são oriundas da colaboração premiada de Paulo Roberto Costa. “Foram reunidas evidências que o armador, por meio de uma empresa intermediária, efetuou pagamentos de propina ao então diretor de Abastecimento da Petrobras, tendo como contrapartida o fornecimento de informações privilegiadas. Por ora, são investigados pelo menos 15 contratos de afretamento marítimo vigentes entre 2006 e 2014, no valor total de R$ 658 milhões”.

A reportagem da Agência Brasil não conseguiu contato com as empresas citadas nas investigações da Operação Óbolo, conduzidas pelo PF e o MPF.

De acordo com a PF, o nome da operação, Óbolo, é em referência à moeda que era usada para remunerar o barqueiro Caronte, que conduzia as almas através do rio que separava o mundo dos vivos dos mortos, segundo a mitologia grega.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    E ninguém sabe por que no Brasil os combustíveis são tão caros, né? Ah, tá.

Para Petrobras, controle de preços de combustíveis não se justifica

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O preço dos combustíveis tem que ser tratado como o de qualquer outro produto e não se deve definir periodicidade para os reajustes. A conclusão é do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco que descartou ainda um controle de preços. Para o executivo, a atual política de preços é positiva para a companhia e para o Brasil.

“Tem periodicidade para o preço da carne. O preço da carne deu um salto com o choque de oferta. E aí? Vamos fazer periodicidade e controlar o preço da carne? Não vai porque o controle de preços pertence ao museu de armas falidas contra a inflação há muito tempo”, disse, durante um café da manhã com jornalistas, na sede da empresa, no centro do Rio.

“Não se justifica nenhum controle de preços de combustíveis, periodicidade. Deixa o mercado livre”.

O presidente disse que não tem “a menor preocupação” com uma possível deflagração de greve dos caminhoneiros, em consequência dos preços do diesel como ocorreu no governo Temer. De acordo com Castello Branco, o problema da categoria é um excesso de oferta dos serviços causada da expansão irresponsável de crédito do BNDES especificamente entre 2008 e 2015.

“No governo Temer uma das respostas [à greve dos caminhoneiros] foi tabelar o preço do frete. O mercado reagiu e as empresas do agronegócio se integraram e adquiriram frotas de caminhões, piorando o problema criado pelos governos anteriores. Existe excesso de oferta, o que vai consumir esse excesso de oferta vai ser o crescimento da economia, gerando maior demanda por carga. O mercado vai se ajustar porque não há mais crédito subsidiado para comprar caminhão”, afirmou.

Segundo o presidente da Petrobras, não adianta seguir o sistema de preços venezuelanos como tentativa de baratear o custo do diesel.“O problema deles [caminhoneiros] é excesso de oferta, se cobramos diesel a preço venezuelano não vai resolver problema nenhum, só vai criar problemas. Eu espero que esse problema tenha sido resolvido, a questão deixada no passado e os preços sejam livres”.

Castello Branco lembrou que os preços do petróleo são livres desde 2002, quando se completou o período de cinco anos estabelecido pela lei do petróleo aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em 1997. “Então é lei e vamos obedecer a lei”, assegurou.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    Foi o que o governo passado fez, principalmente Dilma. E a fatura chegou !

    • Dilson disse:

      Amiguinho, infelizmente, sua fonte de informação é precária. Par além das lambanças da Dilma, Temer mudou e Bolso manteve uma política de preços de combustíveis baseada no dólar. O que houve com o dólar recentemente? Então, temos uma companhia nacional que opera agora em função do dólar para agradar seus acionistas. Mais uma vez, o mercado é mais importante do que você! E tem gente que aplaude…

    • Silva disse:

      Lembrando que desde 2007, que essa política de preço vem sendo realizada, após o congresso aprovar e FHC sancionar.

Empregados da Petrobras filiados à federação suspendem greve

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Empregados da Petrobras filiados à Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne 13 sindicatos, decidiram na manhã desta quarta-feira (27) suspender a greve iniciada há dois dias. Inicialmente, a paralisação estava prevista para ocorrer até sexta-feira (29).

Na segunda-feira (25), o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Ives Gandra determinou multa diária de R$ 2 milhões aos sindicatos de petroleiros e à FUP, caso decidissem manter a greve. A decisão foi publicada na segunda-feira, motivada por reclamação da Petrobras.

Gandra considerou, em sua decisão, que os petroleiros recém assinaram um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e que não fazia sentido arguirem descumprimento de cláusulas por parte da Petrobras.

Em nota, a FUP avaliou como positiva a mobilização. “Além de garantir a produção de petróleo e o abastecimento de combustíveis para a população – compromisso assumido e cumprido pelos trabalhadores do setor de petróleo –, o movimento conseguiu chamar a atenção da sociedade para a política de demissões e transferências em massa, de venda de ativos e de reajustes constantes da gasolina e do óleo diesel promovida pela atual gestão da empresa”, diz o comunicado.

Segundo a FUP, a mobilização contou com 26 mil trabalhadores, direta e indiretamente, o correspondente a mais de um terço do atual corpo de funcionários da Petrobras.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Atento disse:

    A petrobrás é uma fábrica de milionários. O que tem de peão semianalfabeto rico não é brincadeira. Desse jeito, não tem como essa turma deixar de ser petralha.

  2. Cesar disse:

    Mais uma derrota para o petismo. A Petrobras será privatizada, Guedes já tem o plano na gaveta, está só aguardando o momento certo para sacá-lo.

  3. Ivan disse:

    Na hora q privatizar, esses problemas deixam de ser nossos…

    • paulo disse:

      BG
      Acabou o tempo dos "cupaeros", agora é trabalho, ninguém viu mobilização nenhuma quando o índio cocaleiro confiscou os ativos da Petrobrás na Bolívia. Caras de pau.