Economia

Petrobras muda modelos de contrato para venda de combustíveis visando aumentar a ‘competitividade’

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Petrobras aprovou novos modelos contratuais para venda de gasolina A (sem adição de etanol) e de óleo diesel (rodoviário e marítimo) para as distribuidoras de combustíveis. A Petrobras não deu detalhes sobre os novos modelos, mas informou que não haverá mudanças em sua política de preços desses produtos.

De acordo com a empresa, suas práticas de precificação continuarão sendo alinhadas aos mercados internacionais.

A decisão de fazer novos modelos contratuais com as distribuidoras visa a aumentar a competitividade e trazer flexibilidade para a empresa na adoção de novas estratégias comerciais.

“No cenário atual do mercado, caracterizado pela entrada de produto importado por terceiros e pelo processo de desinvestimento de ativos de refino, torna-se necessário promover aperfeiçoamentos em algumas cláusulas comerciais e operacionais. Esses ajustes, definidos com base na experiência obtida ao longo do período de vigência dos atuais contratos e em decorrência de feedback dos clientes, buscam fortalecer a relação comercial com nossos clientes e a competitividade da companhia”, diz a Petrobras, em nota divulgada hoje (10).

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

3R Petroleum faz melhor proposta por polo Potiguar da Petrobras, acima de US$1 bilhão

Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

A Petrobras informou nesta sexta-feira que a 3R Petroleum apresentou a melhor proposta, em valor superior a 1 bilhão de dólares, pelo Polo Potiguar, que contempla um conjunto de 26 concessões de campos de produção terrestres e de águas rasas, incluindo a refinaria Clara Camarão, no Rio Grande do Norte.

A empresa disse ainda que a celebração da transação dependerá do resultado das negociações, bem como das aprovações corporativas necessárias.

Já a 3R disse que a potencial aquisição do polo está alinhada à estratégia de geração de valor aos seus investidores, por meio de aquisições de campos maduros que apresentem potencial de incremento de produção e reservas, bem como sinergias com o portfólio atual da companhia.

UOL, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Na Paraíba é 4,29, qual será o motivo? Será que tem algo a haver com o ICMS cobrado no estado? Quem sabe os donos dos postos de lá sejam burros, igual a alguns que escrevem aqui? Putz, como é difícil orientar quem foi educado na ignorância.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras reajusta preço do gás natural em 7%

FOTO: DIVULGAÇÃO ANS 

A Petrobras informou nesta terça-feira (6) que vai elevar, a partir de 1º de agosto, os preços de venda de gás natural para as distribuidoras. A alta será de 7% em R$/m3, com relação ao último trimestre.

“A variação decorre da aplicação das fórmulas negociadas nos contratos de fornecimento, que vinculam o preço à cotação do petróleo e à taxa de câmbio. As atualizações dos preços dos contratos são trimestrais”, afirmou a estatal, em nota.

Diferente dos preços de outros combustíveis, como gasolina, diesel e GLP, as atualizações dos preços do gás natural ocorrem a cada três meses.

Segundo a estatal, o petróleo acumulou alta de 13% entre abril, maio e junho, meses que são referência para o atual reajuste.

G1

Opinião dos leitores

  1. CADÊ o ministerio publico e a policia federal, que NAO investigam esse estelionato de tantos e TANTOS aumentos contra a populaçao brasileira. Porque essas agencias reguladoras só defendem os empresarios? alguma coisa tá errada e o povo NAO aguentam MAIS. CHEGA.

    1. Votarei novamente em BOLSONARO contra qualquer cachorro sarnento ptralha. Mas, com esses preços, será muito difícil o mito se reeleger. Se ele não der um freio nesses aumentos será seu fim. Petrobrás não serve de nada para os pobres, só serve dando lucro para acionistas e funcionários.

  2. Sr.Manoel o que tem no RN diferente dos demais estados é a pauta que é a maior do pais. Você sabe só não fala porque o governo é do PT, que aliás você tem vergonha de dizer que é do PT.

  3. Eita que essa história eu conheço!! O Falso mesias disse que o gás natural custaria R$1,50 e a gasolina R$ 2 reais… Estou esperando até hoje!!! O falso mesias enganou os besta bem direitinho kkkk.

    1. O GNV chegará com esse reajuste a 50% de aumento no ano. E o presidente vai ao Twitter reclamar como se o problema não fosse com ele. Já já vai botar a culpa no STF. E lembrar que fui as ruas protestar contra a anta quando a gasolina chegou a três reais. Acorda povo, chega de apatia, e de fã clube de politico seja qual for a bandeira.

  4. É uma.vergonha no RN não ter deputado estadual macho ou fêmea de verdade, para entrar com uma MP para baixar esse ICMS. Mas aguardo as urnas para vocês terem as respostas da população.

    1. A gente percebe como vc entende de processo legislativo: deputado entrando com MP?! Omi, o ICMS do RN é igual ou menor que o de outros 14 outros Estados… Pesquise e estude antes de falar do que não tem a menor noção…

  5. Vixe! Tem que mudar esse presidente da Petrobras por um militar “patriota” que não seja petista nem comunista nem queira atrapalhar o governo do MINTO das rachadinhas aumentando tanto os combustíveis… Ops, já fizeram isso! E agora? Qual a narrativa?

  6. Tá na hora dos deputados no Rio Grande Norte, Criar vergonha na cara e MP para baixar o preço do gás, por ser premodia na sexta básica das famílias, Ou vão aguardar que eu solicite com mandato de segurança e crie um desabafo no jornal a nível nacional mostrando o medo que os deputados Estaduais do RN da Governadora, sei que é rabo preso, porém não são todos, apenas faltam homens macho de verdade na assembleia do RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras eleva preço da gasolina, diesel e gás de cozinha

Foto: Reuters

A Petrobras vai reajustar de uma só vez os preços da gasolina, diesel e do gás de botijão (GLP) a partir de amanhã para as distribuidoras.

No caso da gasolina, o preço médio por litro sobe 6,32%, de R$ 2,53 para R$ 2,69. Assim, acumula desde janeiro um aumento de cerca de 46%.

No diesel, o avanço foi 3,69%, de R$ 2,71 para R$ 2,81 em média por litro. Desde janeiro, a alta acumulada é de 39%.

É o primeiro movimento de avanço nos preços da gasolina e do diesel desde que Joaquim Silva e Luna tomou posse como presidente da Petrobras no dia 19 de abril. Ele assumiu no lugar de Roberto Castello Branco, que foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro justamente por desentendimento após reajustar os preços em meio a rumores de greve dos caminhoneiros.

No GLP, para as distribuidoras, o valor passará a ser de R$ 3,60 por quilo, refletindo um aumento médio de R$ 0,2. É uma alta de 5,8%. No ano, segundo fontes do setor, o preço do gás de botijão acumula alta de 38%.

Segundo uma fonte do setor, os aumentos refletem o avanço do preço do petróleo no mercado internacional, estoques baixos no Golfo do México e alta no consumo na Ásia por conta do reaquecimento da economia.

Em nota, a estatal disse que “busca evitar o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais. Os preços praticados pela Petrobras seguem buscando o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”.

Impacto na inflação

Segundo Guilherme Sousa, economista da Ativa Investimento, mesmo após essa alta na gasolina, ainda existe espaço potencial de nova elevação de até 14% por parte da Petrobras no curto prazo:

– O acréscimo feito pela Petrobras segue em linha com nossas estimativas, pois sempre informamos que as altas para mitigar a defasagem poderiam ser feito de forma fracionada.

Étore Sanchez, também da Ativa, acredita que o reajuste na refinaria afetaria as bombas apenas no terceiro decêndio de julho, com impacto proporcional no IPCA de julho e integral em agosto

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Gasolina 7,00. Óleo de cozinha 10,00. Gás de cozinha 130,00. Kg de carne 50,00! E o gado mugindo e culpando todo mundo. É a esquerda, é governadores, é a China, é a Rússia, é a França! É o PT! É Lula. 2 anos e 6 meses de governo, o mundo recuperando a passos largos e o Brasil afundando. Aí vai aparecer um acorda brasil, um antenado, um direita honesta, e o pior de todos um tal de Caligula, só para conversarem merda e ainda tem uns metidos a corretos e donos da verdade. É o Brasil de hoje e espelho de Bolsonaro! Falsos moralistas e falsos cristãos!

  2. A população brasileira assiste sentada e aceita essa situação – vamos a greve geral de abastecimento – deixar de abastecer.
    Isto é uma vergonha – saudades de LULA
    ele vai voltar c tdo gás

    1. Dia 25/07, greve dos caminhoneiros.
      Trabalhadores em geral devem parar e apoiar o movimento.

  3. Mas o minto não tinha dito do o ex-presidente da Petrobras por causa dos aumentos? Mais uma mentira desse crápula que ocupa o Palácio do Planalto. Pior presidente da história do Brasil.

  4. A culpa desse aumento todo eh de Lulaladrao, De Fátima e de Pedro Álvares Cabral… O MINTOmaníaco das rachadinhas não tem culpa nenhuma talkei… kkkk

    1. O tal do esquerdista é assim: defende o monopólio estatal em lugar do livre mercado. Aí quando a empresa monopolista faz o preço que bem entende vem culpar os outros. É pior que praga de gafanhoto, gafanhoto destrói tudo, mas não vota.

    2. Dorminhoco Brasil, a quem interessa esses aumentos equiparando aos valores internacionais, se não for ao capital e a investidores? Tudo era culpa do PT, virou dos governadores, mas na verdade só esse ano quase 50% de aumento! Venderam refinaria da Bahia a preço de banana, qual o investimento feito com lucros exorbitantes na Petrobras em refinaria? Vocês é quem adoram culpar a tudo e a todos, e não aceitam que esse Brasil está entregue na mão de Guedes que só pensa nos interesses de mercado e no capital financeiro, e nesse presidente miliciano ladrão! Única coisa que avança e muito é o ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas e de certa forma Teresa Cristina na agricultura, mas é preciso rever a questão ambiental! O resto é só desgraça! Inflação nas alturas e Bozo no colo do centrão para se manter no poder!

    3. Tomaz, faltou sal no seu capim? Só pode…
      Faladeiro de MEDA dobaralho

  5. Os preços vão cai a partir de agosto,só não caiu antes devido a pandemia e os ajustes na Petrobrás pelo novo presidente.
    Tbm falta contrapartida dos governos Estaduais.

    1. Deixa de falar besteira, gado bovino dominado.

    2. Kkkkkkkkkkkk. Rindo muito de quem sempre tem uma justificativa pra idolatrar o político de estimação…

    3. Os preços não sei se caem mas Bozo já está em queda livre faz tempo. Não vai nem pro segundo turno. Titia entende de cunhão roxo mas em matéria de política e economia é analfabeta de pai (vários possíveis) e mãe, ex funcionária de Maria Boa.

    4. Ainda tem muitos como vc, abestalhado, que tá achando tudo normal. Não enxerga ou não quer enxergar o que está acontecendo.

  6. Esse governo é um desastre. Gasolina a 6,29 e ainda vai aumentar, inflaçao quase 10% no acumulado de 12 meses, inflaçao real na sesta basica. Acho que desde o governo Collor, esse é o pior governo e ainda faz reformas que so piora a situação do mais pobre. Ao final desse governo o proximo estará lascado pq vai pegar uma bomba…

  7. Desde janeiro um aumento de cerca de 46%…
    Alguém aqui coloca se teve um aumento desse no salário de Janeiro pra cá…só pra gente saber mesmo…
    O omi é bom…o omi é especular…
    46% de aumento…..pahhhhh

    1. Isso só irá ter um fim, no dia que a população souber a força que tem….
      Já pensou se 80% da população simplesmente parassem os carros e fizessem greve…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrolífera aumenta em 30% produção de campos vendidos pela Petrobras no RN: “a gente vai gerar emprego e renda nessas regiões”

Foto: Cedida/3R Petroleum

Após um ano da venda de campos maduros da Petrobras, operados desde a década de 1980, a produção de petróleo no polo de Macau, na região salineira do Rio Grande do Norte, cresceu cerca de 30%. As informações são da petrolífera 3R Petroleum, que assumiu as operações na área no final de maio de 2020. A empresa estima investimentos de US$ 30 milhões entre 2021 e 2022 e um total de US$ 160 milhões até 2026, na região.

O contrato de venda do Polo Macau, assinado em 2019, foi fechado por US$ 191 milhões, segundo comunicado à imprensa, na época.

Embora a empresa tenha assinado contrato de compra de 29 campos da Petrobras no seu programa de desinvestimentos, os sete campos do polo Macau são os primeiros operados por ela no país.

Em maio do ano passado, último mês da operação da Petrobras no polo, a média de produção diária foi de 3.795 barris por dia. Em maio de 2021, o número saltou para 4.832 barris – um crescimento de 27%.

Considerando o resultado do primeiro mês de operação da petrolífera focada em “redesenvolvimento” de campos maduros, em junho, com maio deste ano, o crescimento foi de 34%.

Segundo o presidente da empresa, Ricardo Savini, o incremento na produção foi ocasionado apenas com a revitalização dos poços, porém a empresa tem o objetivo de realizar novas perfurações nos campos maduros.

Enquanto as grandes petrolíferas chegam a passar semanas até consertar um poço parado, por terem vários campos – ele explica – a expectativa da empresa é reduzir o período de inatividade para horas.

“Nosso desafio é retomar a produção de um poço que para em horas. No nosso ‘downtime’, o tempo que o poço fica fora de produção, a gente envia alguém para verificar o que está acontecendo e normalmente essa equipe já tem condições de retomar a operação do poço”, considera.

Ele também diz que os campos maduros ainda têm capacidade de produzir óleo e gás até pelo menos a década de 2050 e, por isso, a empresa vai solicitar a extensão da concessão das áreas ao poder público por 27 anos. Os atuais contratos de concessão vão até 2025.

“A gente está assumindo para investir, para aumentar produção. A gente vai perfurar mais, aumentar as instalações de superfície e, com isso, estou dizendo que a gente vai gerar emprego e renda nessas regiões, que são tradicionais e têm um nível de desemprego importante”, afirmou.

Entre os investimentos previstos, a empresa pretende construir uma planta de separação de óleo e água que vai agilizar o envio da produção à unidade de refino em Guamaré.

A 3R também detém participação de 35% no Polo Pescada, operado pela Petrobras.

Com G1-RN

Opinião dos leitores

  1. Concordo, plenamente com vcs, Luciano e Cidadão55. Acrescentaria: Segurança Pública. João Macena.

  2. Tem que privatizar!
    Temos que diminuir a máquina pública e aumentar a eficiência do setor público nesse país.

    1. Se eficiencia for gasolina a 10 reais o litro, estao no caminho certo…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras reduz em 2% preço da gasolina nas refinarias

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em cerca de 2%, ou R$ 0,05 por litro, para R$ 2,53 por litro a partir de sábado, informou a assessoria de imprensa da petroleira nesta sexta-feira (11).

O preço médio do diesel, por sua vez, não sofrerá alterações.

O impacto de mudanças nos preços dos combustíveis feitas pela Petrobras nas refinarias sobre os consumidores finais, nos postos, não é imediato e depende de uma série de questões, como impostos, margens de distribuidores e revendedores, além da adição de biocombustíveis.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Depois do aumento que teve?! Os postos fazem oq querem e ngm faz nada. Dessa vez aumentou sem nenhuma justificativa.

  2. E ainda teve gente que acreditou que o MINTOmaníaco mudou o presidente da Petrobras pra baixar o diesel e gasolina… Ele tirou pq o ex presidente se negou a assinar um contrato de publicidade de 100 milhões com o SBT e a Record… Eh a nova política…

  3. O revoltante é que eles falam que o preço altera de acordo com o dolar. So que o dolar caiu 89 centavos e porra da gasolina nao baixa. Ai se o dolar subir hoje, amanha sobe a gasolina.

  4. 5,99 – 2% = 5,87. Isso se a redução chegar de fato ao consumidor. Vai fazer uma diferença danada… Quem não podia comprar gasolina agora pode! É o país das maravilhas!

    1. Gente, por favor, desvinculem esse nojento que se identifica como da nossa cidade, que é pobre, sofrida, mais o povo é ordeiro, honesto, trabalhador, religioso, respeita o próximo, é família e não se identifica em nada com o que ele escreve, desconsiderem e não acreditam em nada que ele faz. Tenham certeza, se o povo daqui descobrir quem é, pode morar fora, se colocar os pés aqui, leva uma mão de peia para nunca ser esquecer.

    2. Dona Francisca Silva…quem te deu o papel de censora?
      A ditadura acabou faz tempo (apesar das tentativas de fazê-la retornar, como a sua!)
      Todos aqui são livres para expressar suas opiniões…deixa o Japiense falar…manda bala, cabra bom…

  5. Baixou em 2% a gasolina e vai aumentar em 6% o gás de cozinha. É aquele velho ditado: “dar com uma mão e tira com a outra”.

  6. Petrobras deveria ser estatizada.A gasolina deveria ter um preço fixo,variável com a inflação.
    Nada de economia mista.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras cortará preço do diesel em 2,17% e da gasolina em 1,89% nas refinarias a partir deste sábado

Foto: REUTERS/Marco Bello

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (30) que vai reduzir o preço médio da venda do diesel e da gasolina nas refinarias no sábado (1). O valor do diesel para as distribuidoras passará a ser de R$ 2,71 por litro, após redução 2,17% ou de R$ 0,06 por litro. Já o preço médio de venda da gasolina passará para R$ 2,59 por litro, após redução de 1,89% ou de R$ 0,05 por litro.

Segundo a companhia, os preços de diesel e gasolina praticados pela Petrobras buscam equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo.

É bom lembrar que esta sexta-feira (30) é o último dia com isenção de PIS/Cofins para os caminhoneiros, uma medida adotada há dois meses para tentar ajudar a categoria em meio à crise econômica.

Segundo a Petrobras, desde 31 de dezembro de 2019 e considerando os reajustes que vigorarão a partir de amanhã, os preços médios de diesel nas refinarias da Petrobras para as distribuidoras subiram 16,1%, enquanto os de gasolina tiveram alta de 34,8%.

Desde o último reajuste, em 15 de abril, quando a Petrobras anunciou aumento dos combustíveis, o dólar — que é um dos componentes que justificam o sobe-e-desce dos preços —, recuou 4,6% até ontem. Levando em consideração atual (por volta das 11h25), a queda foi de 3,5%. Já o petróleo recuou 0,45% no mesmo período.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Os postos aumentaram hj 0,20 no litro, quando chegar essa redução o preço volta ao que era antes. Combustíveis no Brasil não tem solução seja o governo que for.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Discurso de novo presidente da Petrobras anima mercado e ações disparam 6%

FOTO: Reprodução/CNN Brasil/ASSISTA AQUI

As ações da Petrobras eram negociadas com ganhos de cerca de 6%, por volta das 14h30 desta segunda-feira (19), enquanto o novo presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, fazia seu discurso de posse.

Embora os comentários de Luna sobre preços de combustíveis não tenham sido inteiramente novos, animou o mercado. Ele disse que buscará reduzir a volatilidade dos preços de combustíveis sem “desrespeitar” a paridade de importação.

A afirmação, vem após o presidente anterior da estatal, Roberto Castello Branco, ter sido substituído em meio a críticas do presidente Jair Bolsonaro por uma alta expressiva dos preços de diesel e gasolina no Brasil, que refletiam avanço das cotações no exterior.

Em um discurso de pouco mais de 15 minutos, no qual ressaltou que “deve chegar ouvindo mais e falando menos”, o general da reserva defendeu que é preciso conciliar “interesses de consumidores e acionistas”.

Na sequência, ele disse que buscará “reduzir volatilidade, sem desrespeitar a paridade internacional, perseguindo a redução da dívida, investindo em pesquisa e desenvolvimento e contribuindo para a geração de previsibilidade ao planejamento econômico nacional”.

O analista de Research da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman, afirmou que o tom conciliatório e parcimonioso adotado por Luna é benigno.

No entanto, ressaltou que “a aplicação de transformações no dinamismo de preços e a manutenção da paridade tendem a apresentar antagonismo e requerirão do novo CEO decisões que, corretamente, serão tomadas após o mesmo se ambientar na presidência da companhia”.

“Uma vez que a mudança no comando da petrolífera fora motivada pela insatisfação do governo com a política atual de preços, acreditamos que uma definição sobre os rumos da nova abordagem quanto a política de preços será o primeiro e principal desafio da nova gestão”, afirmou.

Águas profundas

Luna também apontou para uma continuidade em relação ao que pregava a administração anterior, dizendo que a Petrobras deve “crescer sustentada em ativos de óleo e gás de classe mundial, em águas profundas e ultra profundas, buscando incessantemente custos baixos de eficiência”.

Castello Branco vinha realizando um ambicioso plano de venda de ativos, para focar na produção de óleo e gás natural, no pré-sal, em áreas com alto rendimento.

“Não há dúvidas de que os principais desafios, entre tantos outros, são fazer a Petrobras cada vez mais forte, trabalhando com visão de futuro”, disse Luna, na cerimônia que foi transmitida pela internet, seguindo protocolos para evitar o contágio do novo coronavírus.

Luna não fez comentários explícitos, no entanto, sobre o plano em curso para a venda de dezenas de ativos da empresa.

Presente do evento, o ministro de Minas e Energia, o almirante da reserva Bento Albuquerque, afirmou em seu discurso que as vendas de ativos da Petrobras têm sido um “sucesso” e são importantes também para promover a competição no setor.

Diferentes interesses

Além de acenar para o mercado e para consumidores, Luna também se direcionou ao quadro de pessoal da empresa, qualificando-o como “comprometido, engajado, vibrante, profissional” e ressaltou a escolha dos quatro novos diretores, que acumulam décadas de experiência na petroleira.

“O que se quer do novo presidente da Petrobras, imagino, é o novo que se espera que ele produza, em equipe, alinhado com a missão da empresa, liderando um time capaz de vencer desafios, nessa complexa conjuntura, entregando resultados”, afirmou.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Agora a Petrobrás terá um presidente, como nunca teve nos últimos anos.
    MITO acertou em cheio.

    1. kkkk, burrice tem limite, seu jegue, nos últimos anos foi ele q colocou, q burro

    2. Quero comprar o botijão de gás a R$ 35,00 e a gasolina a R$ 2,60.
      Kkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Silva e Luna toma posse na Petrobras e diz que reduzirá volatilidade de preços

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Petrobras buscará reduzir a volatilidade dos preços de combustíveis sem “desrespeitar” a paridade de importação, afirmou nesta segunda-feira (19) o novo presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, durante cerimônia de sua posse.

Segundo ele, é preciso fazer tudo “conciliando interesses de consumidores e acionistas, valorizando os nossos petroleiros, buscando reduzir volatilidade sem desrespeitar a paridade internacional”.

O executivo disse ainda que tem o objetivo de garantir o maior retorno possível ao capital empregado.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras aumenta preço de gasolina e diesel às vésperas de mudança no comando

Foto: Custódio Coimbra/Agência O Globo

Na véspera da nomeação do general Joaquim Silva e Luna como presidente da estatal, a Petrobras anunciou alta nos preços da gasolina e do diesel hoje. Os novos valores passam a valer a partir de amanhã.

Segundo a estatal, o diesel teve alta média por litro de R$ 0,10 . Assim, passará de um preço médio de R$ 2,66 para R$ 2,76. Esse é o sexto aumento desde janeiro. No ano, o diesel acumula alta de 36,6% nas refinarias.

O litro da gasolina subiu R$ 0,05 por litro, passando de R$ 2,59 para R$ 2,64. Esse é o sétimo aumento do ano. Assim, no acumulado do ano a gasolina acumula alta de 43,4% nas refinarias.

Em nota, a Petrobras disse que o “alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

A estatal esclareceu que “os reajustes são realizados a qualquer tempo, sem periodicidade definida, de acordo com as condições de mercado e da análise do ambiente externo”. Isso possibilita, informou a empresa, “competir de maneira mais eficiente e flexível e evita o repasse imediato da volatilidade externa para os preços internos”.

No dia cinco de abril, a Petrobras elevou o preço do gás às distribuidoras em até 39%. A alta começa a valer a partir de maio. O reajuste será repassado ao consumidor final, embora não na mesma proporção, segundo a associação que reúne as distribuidoras.

O aumento nos preços dos combustíveis a partir de meados de fevereiro gerou um desgaste entre o então presidente da estatal Roberto Castello Branco e Jair Bolsonaro. Insatisfeito, Bolsonaro demitiu Castello Branco e nomeou Silva e Luna para o cargo.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. caro amigo, se informe melhor ,nenhum presidente pode interferir na Petrobras a não ser mudar a presidência, e mesmo assim quando o atual presidente mudou ,o STF ainda quis investigar se o presidente interferiu na Petrobras, e só a nível de informação eu não sou bolsonarista , mas não faço oposição por fazer , antes me informo bem sobre as notícias, fica a dica.

  1. O que me intriga é Que não tem alguém pra gritar estericamente nos postos quando no Goveno petista a Gasolina subia alguns centavos.agora pasmem.estamos no Mês 04 e já temos 07 aumentos. Onde estará a turma do “Só é tirar a Dilma que tudo melhora ”
    ?????

  2. Pronto, amanha ja sobe 40 centavos nos postos. Daqui a pouco a gasolina vai chegar aos 6 reais e o presidente vai dizer que foram os governadores que aumentaram. O pior é que tem muito apombaiado que acredita, apesar de que a grande maioria ja está percebendo quem realmente está jogando o Brasil num buraco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras anuncia redução nos preços da gasolina e do diesel a partir desta quinta

Foto: Economia G1

A Petrobras vai reduzir o preço da gasolina e do diesel nas refinarias a partir desta quinta-feira (25), informou a companhia. É a segunda queda no preço da gasolina este ano e a primeira do diesel.

O preço médio de venda da gasolina passará a ser de R$ 2,59 por litro, queda de R$ 0,11 (-3,71%). O preço do diesel passa a ser de R$ 2,75, queda de R$ 0,11 (-3,85%).

A redução no diesel vem após cinco altas consecutivas este ano. Já a gasolina subiu seis vezes antes de ter o preço reduzido na semana passada.

Com a mudança, a gasolina passa a acumular alta de 40,76% desde o início do ano, enquanto o diesel subiu 36,14%.

Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02.

Troca de comando

As sucessivas altas nos combustíveis este ano irritaram o presidente Jair Bolsonaro, que indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir o presidente Roberto Castello Branco do comando da estatal, como mostra o vídeo abaixo.

A troca provocou um forte forte abalo nas ações da companhia, que chegou a perder R$ 75 bilhões em valor de mercado em um só dia.

Lucro recorde

A Petrobras encerrou o quarto trimestre de 2020 com lucro recorde de R$ 7 bilhões, apesar do momento de crise. Segundo a Economatica, o resultado é tanto recorde nominal entre as empresas brasileiras como também quando se ajustam os valores dos maiores lucros da história pela inflação.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Foi só sair o comunista Castello Branco que aqui onde moro baixou R$ 0,30, e podem ter certeza que vai baixar mais.
    A política do governo federal é de baixar impostos federais ao contrário dos governos estaduais que vem aumentando o ICMS na pandemia.

  2. Nunca vai baixar cidadoes, são vampiros da
    vida, exploradores, a carne,arroz ou feijão, estamos no Brasil, terra de ladrão

  3. Os donos de postos tem dificuldade de fazer as contas pra reduzir o preço nas bombas.
    Justificativa, qdo compraram o preço era mais alto, então só com os novos estoques!
    Interessante que qdo é anúncio de aumento o estoque nunca é antigo e o reajuste sempre é automático.
    Próximo reajuste pra cima vai passar dos R$6,10.

  4. Não baixou nem o da semana passada imagine essa de agora,para subir vem a galope mas para baixar vem a passos de tartaruga.

  5. O ultimo parágrafo demonstra que existe crime ou no minimo omissão….!!! Lucro exarcebado e o povo nessa situação!!! Quem é burro hj pra comprar um carro 2.0 ou suv!!!????? Só os arrumados…!!!!

  6. E ainda teve gente que reclamou da mudança do presidente da Petrobras.
    Já é a segunda redução.
    Bora galera Lula livre

    1. Olha Gustavo eu acho que quem reclamou não foi a galera lula livre não, hein. Foram mais os Paulo Guedetes. Aliás, o que Bolsonaro está fazendo com os preços é exatamente o que Dilma fez e deixou a galera da faria lima chateada. Nesse ponto Bolsonaro = Dilma.

  7. Será que chega na bomba pra nós , este desconto … pra subir é imediato. Para baixa a conversa é outra , a baixa da semana passada ainda não vi chegar aqui vcs viram ??? Pagamos a gasolina mais cara do NÉ . MP e Procom vamos trabalhar tirar bundinha da poltrona .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras anuncia primeira redução, em 5%, no preço da gasolina do ano

Foto: Divulgação/Petrobras

A Petrobras reduzirá o preço do litro da gasolina, na média, em 5% nas refinarias, a partir de sábado (20/03). O preço do diesel, por sua vez, segue inalterado.

Com o ajuste, o litro gasolina ficará R$ 0,142 mais barato nas refinarias, ao custo de R$ 2,69 o litro.

Esta é a primeira queda nos preços praticados pela estatal para a gasolina no ano. Até então, a petroleira havia anunciado seis aumentos em 2021 para o derivado.

A queda da gasolina acompanha a desvalorização dos preços internacionais do petróleo nos últimos dias. Entre 9 de março, data do último reajuste, até ontem, o barril do tipo Brent acumulou uma desvalorização da ordem de 7%.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Em 30 dias essa diminuição chegará nas bombas. Se fosse reajuste para cima, amanhã ou até mesmo hoje estaria na bomba.

  2. Quero vê baixar na bomba à exemplo quando aumenta. Os Srs. dizem que só diminui quando chegar a gasolina com novo preço. Quando é para aumentar os menino bestas marcam na calada da noite. Não deixam nem amanhecer o dia. BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL.

  3. Já vou correndo agora para o posto de combustível para pegar essa redução no preço.
    Quero ver se os donos de postos serão tão ligeiros como fazem nos dias de aumento de preços.
    Espera aí uns quinze dias!!!! Se é que vão atualizar….
    Só tem caba sabido nesse Brasil …

    1. Deco, primeiro vai vê se a sua desgovernadora baixa a pauta do ICMS que ela subiu essa semana.
      Aquele tal PMPF que vc sequer sabe o que é.
      Blz!!
      Otário.

    2. Não enrola, amigo..
      Faz tua parte e pressiona GD pra baixar ICMS

  4. E aí donos de postos do RN, ficaram sabendo ou vão fingir que não sabem?
    Onde a gasolina tá mais barata hj custa R$ 5,89, bora aguardar que preço vai ficar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Por que a Petrobras quase não tem concorrentes na produção de combustível

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Com o preço dos combustíveis em escalada vertiginosa nas últimas semanas, o governo corre atrás de uma forma rápida de controlar os impactos que os preços mais altos têm para os fretes e os consumidores, em um momento em que a economia cambaleia aos efeitos de uma pandemia que já se arrasta há um ano.

Troca do presidente da Petrobras, corte temporário de alguns impostos, proposta para mudar outros e discussões para criar um fundo de subsídio às variações são algumas das medidas executadas ou aventadas pelo governo de fevereiro para cá, em resposta às incômodas altas do diesel e da gasolina. Puxados por uma disparada do dólar e do petróleo no mundo, os dois já ficaram mais de 40% mais caros nas refinarias do país em pouco mais de dois meses neste ano.

Para muitos, uma solução permanente e de longo prazo para os combustíveis caros, sem precisar depender da mão do governo, que pode mudar a política conforme muda a gestão, passa, necessariamente, por ter mais concorrência no mercado de refino no Brasil.

O refino é a área da indústria petrolífera que transforma o petróleo bruto em seus derivados, como gasolina, diesel, querosene, lubrificantes, nafta e outros. No Brasil, ela é virtualmente monopolizada pela Petrobras: o país tem hoje 17 refinarias, das quais 13 são da estatal e respondem por 98% da produção. Essa produção doméstica, por sua vez, entrega por volta de 80% de tudo o que é consumido internamente. Os 20% restantes vêm de importadoras privadas que complementam o mercado.

Monopólio oficial acabou em 1997

A Petrobras já foi, oficialmente, a única empresa permitida a atuar na indústria de petróleo e derivados no Brasil, o que lhe dava o monopólio de fato do mercado e, por extensão, ao governo, que tinha controle pleno dos preços por meio de sua estatal.

Foi assim por 44 dos 68 ano de vida da companhia, desde que foi criada pelo presidente Getúlio Vargas, em 1953, até 1997, quando o governo de Fernando Henrique Cardoso editou a nova Lei do Petróleo e quebrou o monopólio, o que permitiu que outras concorrentes passassem também a atuar no Brasil.

Na exploração do petróleo bruto, várias de fato vieram. A Agência Nacional de Petróleo (ANP) conta, hoje, mais de 30 companhias retirando óleo e gás das reservas brasileiras ao lado da Petrobras. No refino, porém, quase nenhuma apareceu, e a estatal segue sendo praticamente a única fornecedora de combustíveis para os brasileiros. Por que isso acontece?

Os concorrentes não aparecem

Na visão de especialistas do setor, a resposta passa pelo tamanho e o histórico da concorrente: tentar fabricar combustíveis no Brasil significa competir com uma gigante do porte da Petrobras, controlada pelo governo e que, em vários momentos, acabou vendendo seus produtos abaixo do preço de mercado, o que torna o negócio inviável para qualquer outra empresa.

Isso era a praxe antes da quebra do monopólio nos anos 1990: quando existia a chamada “conta petróleo”, o Tesouro Nacional pagava a Petrobras, à época ainda uma grande importadora, para vender combustíveis mais baratos do que o preço de custo nos momentos de alta.

Também voltou a se repetir nos anos de 2000 e 2010, em especial durante o governo de Dilma Rousseff (2011-2016), quando, mesmo com barril e o dólar am alta, os preços dos combustíveis revendidos aqui seguiram congelados. A política não só espantou outros investidores, como também foi uma das responsáveis pelos quatro anos de prejuízo que a Petrobras teve entre 2014 e 2017.

“O Brasil vai continuar refém dos preços internacionais enquanto não for autossuficiente em combustíveis e, para isso, precisa ter investimentos para ampliar a capacidade de refino”, disse o presidente-executivo da Associação Brasileira dos Importadores de Petróleo (Abicom), Sérgio Araújo.

Ele lembra que cerca de um quinto do que o Brasil consome em combustíveis ainda deve ser trazido de fora, já que o parque de refino no país, sem expansão há anos, não dá conta de abastecer tudo.

“Para que a atividade de refino seja atrativa do ponto de vista econômico, é preciso reduzir o domínio da Petrobras. Ninguém vai colocar dinheiro em uma atividade em que o governo é o acionista majoritário de uma empresa que é dominante no mercado “. (Sergio Araújo, presidente-executivo da Abicom).

No início dos anos 2000, Araújo foi também executivo de uma petroleira estrangeira que chegou a ter participação em duas refinarias no Brasil. As fatias nas duas acabaram vendidas até 2010. Uma delas acabaria em recuperação judicial anos depois.

Beco sem saída

A situação acabou criando um beco de onde é difícil de sair: a Petrobras segue dominando o mercado enquanto não entrarem outras concorrentes, e outras concorrentes não entrarão enquanto a Petrobras dominar o mercado.

Foi para tentar começar a desatar esse nó que, a partir de 2016, no governo de Michel Temer e também no de Jair Bolsonaro, a petroleira virou a chave para políticas que atraíssem outros fornecedores e tentassem reduzir, gradativamente, esse monopólio que, na prática, nunca deixou de existir.

A política de preços dos combustíveis saiu do controle total para a flutuação completa: sempre que o preço do barril ou do dólar sobem ou descem lá fora, a petroleira reajusta os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias na mesma proporção, o que abre portas para que outras empresas consigam competir também.

Foi também desenhado o programa que pretende vender 8 das 13 refinarias estatais, o que, de cara, já colocaria 50% da produção de combustíveis na mão de outras empresas. A execução, porém, anda a passos lentos: até agora, só uma refinaria foi passada para frente, no mês passado.

Nos sonhos mais ambiciosos, toda essa redução gradual do domínio da Petrobras seria preâmbulo para sua privatização completa. Sempre que a ideia é trazida à tona, porém, encontra forte resistência de políticos e da sociedade.

Papel social

O caminho em busca de combustíveis mais baratos para os brasileiros via redução da Petrobras e aumento da concorrência, porém, não é consenso. Muitos defendem que, como estatal e como grande produtora e grande exportadora de petróleo, a empresa já tem capacidade de ofertar combustíveis mais baratos, sem que isso signifique os mesmos prejuízos que já teve no passado.

“Se eu sou um grande produtor, se eu tenho um grande parque de refino, se eu produzo petróleo a preços baixos, por que eu vou obrigar o consumidor brasileiro a pagar pelos mesmos preços [do barril de petróleo] nos Estados Unidos, que têm uma renda muito maior que a nossa?”, disse o diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), o engenheiro ex-deputado pelo PSB Ricardo Maranhão.

A favor desse pensamento pesa o fato de que, nos últimos anos, o pré-sal passou a produzir petróleo a pleno vapor, o que transformou o Brasil em um dos maiores produtores do mundo e também em um exportador de petróleo. Até pouco tempo atrás, a Petrobras e o país não tinham reservas suficientes e precisavam importar para complementar o abastecimento doméstico.

Como agora sobra produção e ela é exportada, dólar alto e petróleo mais caro no mundo deixaram de significar prejuízo para a companhia, como foi no passado, para ser uma fonte bilionária de receitas.

Além disso, a alta produtividade dos campos do pré-sal também derrubou o custo do petróleo produzido no Brasil –ele é estimado, hoje, em cerca de US$ 25 por barril, bem abaixo dos US$ 60 a US$ 70 da cotação atual nas bolsas internacionais, que é o preço replicado pela Petrobras nos seus combustíveis.

“Praticar preços mais baixos não quebra a Petrobras. Ela pode aplicar preços menores do que os de hoje e ainda ganhar muito dinheiro. Se o preço do barril sobe, ela ganha, e pode transformar parte desse lucro em benefício ao consumidor.” (Ricardo Maranhão, diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet).

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Nossa! Quer dizer que a empresa já vendeu combustível abaixo do preço do mercado? Nossa! Quer dizer que agora os preços estão mais altos pq a abriram ao mercado especulativo? Nossa! Vocês não sentem vergonha de fazer papel de trouxa ao verificar que a privatização da rede de distribuição não gerou economia nenhuma no valor do combustível???

  2. As mentes mais atentas, concluem que Bolsonaro Presidente tem mais do que razão em atacar a forma que a Petrobras conduz o preço da gasolina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

General Silva e Luna aprovado pelo comitê interno da Petrobras

Foto: (WikimediaCommons)

A Petrobras (PETR3;PETR4) informou que seu Comitê de Pessoas ter aprovado na terça-feira (16) o nome do general da reserva Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da companhia e uma vaga no conselho de administração.

A companhia disse que o comitê, ligado ao conselho, decidiu pela “não existência de vedações” à nomeação de Luna e avaliou que ele preenche requisitos previstos na Lei das Estatais e na Política de Indicação de Membros da Alta Administração da Petrobras, segundo comunicado na noite de terça-feira.

De acordo com o comitê, os acionistas da companhia e o conselho poderão, caso desejem, avaliar na sequência “o preenchimento de requisitos subjetivos adicionais aos previstos na legislação”.

O presidente Bolsonaro anunciou a indicação de Luna para a Petrobras em 19 de fevereiro, após desentendimentos com o atual CEO da empresa, Roberto Castello Branco, sobre os preços dos combustíveis.

A Petrobras convocou para 12 de abril uma assembleia geral de acionistas que irá deliberar, entre outros assuntos, sobre a indicação de Luna para o conselho e a formação do colegiado.

Infomoney

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo indica à Petrobras 6 novos nomes a conselho

FOTO: REUTERS/Sergio Moraes

Depois da renúncia de cinco integrantes do conselho de administração da Petrobras, descontentes com a intervenção de Jair Bolsonaro na empresa, o governo está indicando seis nomes para integrarem a chapa que deverá ser eleita pela Assembleia Geral Extraordinária da estatal, cuja data de realização ainda não foi marcada.

No total, o governo pode indicar oito nomes. Portanto, em breve o governo ainda anunciará dois novos candidatos.

Eis os escohidos pelo governo:

*Eduardo Leal Ferreira, atual presidente do conselho. Ferreira seria, portanto, reconduzido.

* Joaquim Silva e Luna, general, que também é o nome indicado para presidir a empresa.

* Ruy Flaks Schneider, que integra o atual conselho.

*Márcio Weber. Executivo do setor de petróleo. Trabalhou por 16 anos na Petrobras.

*Murilo Marroquim de Souza, ex-funcionário da Petrobras entre 1971 e 1994 e atualmente consultor da área de petróleo.

*Sonia Villalobos , ex-integrante do conselho da própria Petrobras entre 2018 e 2020, é conselheira da Telefônica e da Latam.

Lauro Jardim – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Está militarizando todos os Órgão do governo. Pessoas sem a menor competência ou inteligência suficientes nas áreas em que são colocados. Brasil indo para o fundo do poço. Mais reajustes de gasolina, aumento do dólar, banqueiros ganhando muito na bolsa de valor. O Brasil está sem rumo. O banqueiro Paulo Guedes rindo à toa. O seu banco não para de lucrar com a desgraça de muitos brasileiros. Acorde povo sem instrução e bom senso. Se houver um golpe militar, aí vocês vão ver o que é desgraça.

    1. Chora, bebê! Vai ficando indignado, morde fralda! Esperneia! Vai ser até 2026

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras anuncia 6º reajuste no ano, alta de 8,8% na gasolina e 5,5% no diesel

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A Petrobras anunciou, nesta segunda-feira (8), mais um aumento de combustíveis. Trata-se do sexto reajuste em 2021. A partir de terça-feira (9), a gasolina será reajustada em 8,8% nas refinarias e o diesel em 5,5%.

Com isso, os preços médios nas refinarias serão de R$ 2,84 por litro para a gasolina e de R$ 2,86 por litro para o diesel — o que representa uma alta no ano de 54% no preço da gasolina e de 41,6% no diesel.

Segundo a Petrobras, o aumento se dá por “alinhamento dos preços ao mercado internacional [que] é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros refinadores, além da Petrobras”. A empresa lembra que esse mesmo equilíbrio competitivo foi responsável pelas reduções de preços quando a oferta cresce no mercado internacional, como ocorrido ao longo de 2020.

Os preços praticados pela Petrobras, e suas variações para mais ou para menos, associadas ao mercado internacional e à taxa de câmbio, têm influência limitada sobre os preços percebidos pelos consumidores finais. O preço da gasolina e do diesel vendidos na bomba do posto revendedor é diferente do valor cobrado nas refinarias da Petrobras. Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Está claro que a Petrobras trabalha para desestabilizar o Governo, como sabem que a interferência governamental não é bem vista pelo mercado, eles estão aumentando os preços de forna nunca vista para jogar a população contra o Presidente.

  2. Calma ZeGado sua burrice deixa vc cego e desinformado, quem é presidente da Petrobras é o senhor Castelo Branco, fazendo a festa para ele, seus diretores, os funcionários e acionistas. Isto não tarda em parar, pura trairagem e covardia, bem ao estilo de vcs. Deixe sua peçonha, adquirida nas cobras de suas terras repletas de serrote e pedras, para uma hora oportuna, que se conforme, não acontecerá antes de 2022.

    1. Eu sei que não houve a troca ainda, foi apenas uma ironia mesmo.
      O conselho ainda vai se reunir, é uma novela.

    2. Lógico que sabe! O problema é que a esquerdalha, quer é um peido pra falar do presidente. Vai que algum otário acredita que é verdade!

  3. A esquerda não pode reclamar !!! Pois quando Bolsonaro anunciou a substituição do presidente da Petrobrás, reclamaram dizendo que era ingerência do mesmo.

  4. Bolsonaro é jumento. Não administra nem um chiqueiro de porco. O pior presidente que o Brasil já teve . Nada está tão ruim que não possa piorar rsr. Fora Bolsonaro. Daqui a pouco esses aumentos serão repassados novamente para o preço dos alimentos. Bolsonaro é jumento kkkkl

  5. Esse presidente da petrobras, como vai sair, está fazendo de sacanagem. Está evidente. Um escroto. As hienas amestradas ficam ouriçadas. Basta ver os comentários. É a turma do quanto pior melhor.

    1. Antenado, faça jus ao seu pseudônimo e vá ler o Estatuto Social da Petrobras (se é que vc sabe o que isso significa) e procure lá os objetivos da Estatal. O atual presidente da Petrobras está cumprindo o Estatuto da Empresa. Se o próximo presidente (o indicado pelo MINTO que sequer atende ao previsto nesse Estatuto para assumir o cargo) não cumprir e a Empresa começar a dar prejuízo, voltaremos a era do PT que o MINTO e seus seguidores DIZEM que não querem mais que o PT volte, né isso?!

  6. Como deve tá o gado nesse momento???

    Será que estão gritando Mito, Mito, Mito ouuuu estão faltando Ohhh Veiii Macho ?? Kkkkkkkkkk k

  7. E agora? O MINTO vai mandar seu MST (caminhoneiros) protestarem contra quem? A tentativa de intervenção na Petrobras feita pela Dilma, digo, pelo MINTO, causou uma instabilidade maior depreciando ainda mais nossa moeda frente ao dólar (o Real foi uma das moedas que mais se desvalorizou frente ao dólar no mundo nessa pandemia) e como a Petrobras precisa importar petróleo (pago em dólar) para poder refinar o petróleo extraído aqui no Brasil, o preço tem que ser repassado para o combustível… Ou seja, o tiro saiu pela culatra!

  8. Bozo Show trocou Castelo Branco pelo milico pra colocar ordem, colocou ordem, ordenou 2 aumentos por semana ????

    1. Jumento, o novo presidente da Petrobras ainda não assumiu o cargo.

    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Botapátorá MInTO…queria gasosa a R$10,00 antes do final do ano…mas, nesse ritmo, o genocida vai bater a meta antes do meio do ano…
      O omi é bom, o omi é espetacular….
      Muuuuuuuuuuuuuummmmmmmm

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *