FOTOS: PF investiga postos e distribuidora de combustível em operação contra lavagem de dinheiro de facção criminosa; segundo as investigações, PCC movimentou R$ 30 bilhões

Fotos: Divulgação/PF

A Polícia Federal em São Paulo realizou nesta quarta-feira (30) uma operação para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro do PCC, facção que atua dentro e fora dos presídios do país, feito por meio de postos de gasolina e uma distribuidora de combustível. A facção movimentou ao menos R$ 30 bilhões. Ao todo, 13 pessoas foram presas.

Segundo a investigação, o principal alvo era a prisão de um homem conhecido como Alemão, cuja família é dona de cerca de 50 postos. As investigações também apontam o envolvimento dele com a morte de Rogério Jeremias de Simone, conhecido como Gegê do Mague, que foi um dos chefes da facção.

Foram cumpridos 43 mandados de busca e apreensão em apartamentos de luxo e empresas. No estado de São Paulo, a operação ocorreu nas cidades de Bauru, Igaratá, Mongaguá, Guarujá e Tremembé. Também são cumpridos mandados em Londrina e Curitiba, no Paraná, e Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Em São Paulo, além de Alemão, Antônio Carlos Martins Vieira, conhecido como “Tonhão”, foi preso e levado para a sede da PF. Segundo a investigação, ele foi identificado como responsável por parte das empresas usadas na lavagem de dinheiro.

Entre os alvos estão empresários do setor de combustíveis e uma pessoa que foi condenada pelo envolvimento no furto ao Banco Central do Brasil, ocorrido em Fortaleza, em 2005.

Mais de 70 empresas são investigadas e foram interditadas. Dentre elas, está a distribuidora de combustível.

A Justiça determinou bloqueio de R$ 730 milhões de contas bancárias suspeitas. Também foi determinado o bloqueio de 32 automóveis, nove motocicletas, dois helicópteros, um iate, três motos aquáticas, 58 caminhões e 42 reboques e semirreboques, com valor aproximado de R$ 32 milhões.

Crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro

Ao todo, 20 pessoas foram indiciadas. Eles responderão pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal pediu à Justiça que as 73 empresas usadas para lavagem sigam em funcionamento e passem a ser administradas pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça – medida que era inédita até aqui, de acordo com a corporação.

A rede de postos Boxter é o alvo principal da operação, que foi nomeada “Rei do Crime”. A reportagem tentou contato com a rede, mas não obteve retorno. Para não quebrar a empresa e evitar a depreciação, a PF pediu – e a Justiça autorizou – que sejam nomeados administradores, que vão tocar o negócio até o fim do processo.

A investigação foi realizada pelo Grupo de Investigações Sensíveis, unidade de inteligência que compõe a Delegacia de Repressão a Entorpecentes.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Mais uma vez venho elogiar o belíssimo trabalho que a polícia federal vem fazendo este ano, fechando mineradoras ilegais na Amazônia, recordes de apreensão de armas e drogas, prisão de corruptos.
    Precisou o JB mudar o chefe da PF para aumentar as investigações.
    Parabéns a toda equipe da PF.

  2. ACHO ESTRANHO disse:

    Por que será que ninguém quer investigar o CV (Comando Vermelho do RJ)?

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Será que por aqui existe isso nas redes de postos de combustíveis??

  4. Eleição disse:

    Já já o PCC quebra.

PRF apreende carga irregular de combustível em João Câmara

Foto: Reprodução/PRF

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, no município de João Câmara/RN, na tarde dessa quinta-feira (17), um veículo que transportava irregularmente 45 mil litros de álcool.

Os policiais abordaram uma carreta do tipo FH e ao verificar a nota fiscal, ficou constatada que era de outra viagem já efetuada.

O Fisco Estadual compareceu ao local e foi lavrado o TCO. Segundo estimativa do fisco serão aplicados mais de 100 mil reais em multas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    A PRF tá fazendo o trabalho que deveria ser da fiscalização estadual. Será que Fátima vai proibir a Polícia Rodoviária Federal de agir contra os sonegadores??

    • paulo disse:

      BG
      Na Bahia o ptRALHA onde os R$ 5.000.000,00 do RN desapareceram de lá quer que o Governo Federal retira a Força Nacional que está atuando contra os bandidos.

    • Paulo Elias disse:

      Na verdade esse está sendo um trabalho feito em conjunto. A abordagem pela PRF foi efetuada com o acompanhamento das equipes de fiscalização da SET/RN.

Revenda de combustível descobre as vantagens de instalar o Sistema Megga Solar

Foto: Divulgação

O ramo dos postos de combustíveis já percebeu que é essencial minimizar os custos com energia elétrica para poderem rentabilizar o lucro. Se pagarem menos na conta de energia, sobra mais pra investir no posto, no atendimento e no mix de produtos. E se zerarem o consumo de energia então, como diria o BG, é show papai.

Pensando nisso, a Megga Solar também preparou um pacote super especial para o segmento dos postos de combustíveis. Postos grandes e tradicionais como Postos Pinheiro Filho 1 e 2, Posto Jota Flor 2, Posto Jacutinga, Posto Santa Rita, Auto Posto São Tomé e Auto Posto Reis Magos já instalaram seus sistemas de energia solar com a Megga Solar e já estão aproveitando as vantagens de
terem praticamente zerado o consumo da conta de energia, o que, já dissemos aqui mais de uma vez, aumenta bastante a lucratividade do negócio.

“Posto de combustíveis, a revenda do combustível, lá na ponta, vende commodities, e se não enxugar custos não rentabiliza, não reinveste no atendimento; é aí que entramos com nosso Sistema Megga Solar e com as facilidades que a gente desenhou pra este segmento”, comemora Max Assunção, que tem visto a procurar crescer bastante ao longo de 2020, mesmo com a pandemia.

A Megga Solar tem um site com todas as informações e muitas ofertas especiais em meggasolar.com.br.

O telefone da Megga Solar é o 3217-7155.

Vigilantes de posto de combustível são mortos a tiros no Oeste potiguar; outros crimes são registrados na região

Foto: Marcelino Neto/O Câmera

Reportagem do portal G1-RN destaca na manhã desta quinta-feira(07) que dois vigilantes de um posto de combustível foram assassinados por criminosos fortemente armados na noite dessa quarta-feira (6) em Martins, no Alto Oeste potiguar. Esse não foi o único crime na região. Ao todo, Polícia Militar registrou pelo menos cinco casos de homicídios ou tentativas de homicídio em cinco municípios diferentes – a maioria num espaço de menos de uma hora. Ninguém foi preso. O caso de Martins foi o último a ser registrado, por volta das 20h30. Segundo a PM, quatro homens fortemente armados chegaram ao posto de combustíveis, às margens da RN-117, em uma pick-up, abriram as portas e começaram a atirar. Ainda de acordo com a polícia, foram disparados mais de 100 tiros de armas longas, como fuzil 556, além de pistolas. Os dois homens que faziam a segurança do posto morreram no local. Veja mais detalhes aqui em reportagem.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Neto disse:

    FORA FÁTIMA!!

O ÓBVIO MUITAS VEZES IGNORADO: Confira dez dicas para economizar combustível ao dirigir

Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

Quem tem carro sentiu bastante o aumento do preço dos combustíveis, principalmente o álcool, ao longo de 2019. Para diminuir os impactos no bolso, adotar um estilo de direção mais econômico e não descuidar da manutenção do automóvel são medidas que ajudam a reduzir o consumo do motor.

Quando sabe que pode enfrentar engarrafamentos, o engenheiro mecânico Jorge Dias, de 56 anos, se organiza para sair mais cedo de casa, fugir do trânsito e, assim, poupar gasolina. Além disso, ele procura manter o tanque cheio para evitar perdas por evaporação.

— Ainda mais na época de calor, se o tanque estiver com pouco combustível, o carro perde gasolina mesmo se estiver parado — diz o “caçador de ofertas” do “Qual oferta”, plataforma dos jornais EXTRA, O Globo e Expresso que reúne, no impresso e no digital, as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio.

Veja, abaixo, dez dicas para economizar combustível.

1 – Evite acelerações e frenagens bruscas. Se precisar parar lá na frente, tire o pé do acelerador com antecedência.

2 – Não estique as marchas sem necessidade ao acelerar. Procure fazer as trocas em rotação adequada. Automóveis modernos têm um indicador — normalmente uma luz piscante, chamada “shift light” — que informa o momento mais econômico para a troca de marcha. Fique de olho nela.

3 – Em rodovias, utilize a sexta marcha, caso seu carro tenha esse recurso.

4 – Configure o computador de bordo do carro para mostrar o consumo imediato ou médio de combustível. Assim, você poderá ajustar sua maneira de dirigir e conduzir o veículo de forma mais econômica.

5 – Use o ar-condicionado em estradas. Com as janelas bem fechadas, a aerodinâmica melhora e, consequentemente, o consumo de combustível cai.

6 – Faça revisões e manutenções preventivas no carro. Verifique especialmente o estado das velas, da injeção eletrônica e do filtro de ar — sujo, ele eleva o consumo de combustível, e, por isso, deve ser substituído a cada dez mil quilômetros rodados, em média.

7 – Calibre os pneus uma vez por semana para mantê-los com a pressão correta. Os pneus devem estar frios no momento da calibragem.

8 – Retire objetos desnecessários do porta-malas. Fazer o carro levar mais peso aumenta o consumo de combustível.

9 – Abasteça em postos confiáveis ou conhecidos, para evitar comprar combustível adulterado. E não se preocupe em dar preferência à gasolina aditivada: com gasolina comum, que é mais barata, os carros têm o mesmo rendimento.

10 – Dirija em ritmo um pouco mais lento que o usual, sobretudo nas velocidades acima de 100km/h.

O Globo

Bolsonaro discute revogar norma que proíbe venda direta de combustível

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (15), em Brasília, que está discutindo a possibilidade de revogação de norma da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que proíbe a venda direta de combustíveis aos postos.

O presidente se reúne nesta quarta-feira com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para tratar desse assunto, entre outros.

Venda direta de combustível

Ao deixar o Palácio da Alvorada, pela manhã, Bolsonaro defendeu novamente que seja autorizada a venda direta de etanol das usinas para os postos de combustíveis e também de outros derivados do petróleo. Segundo ele, isso poderia reduzir em cerca de 20 centavos o valor do litro do combustível.

“Não é apenas a venda direta de etanol para o posto de combustível, é de outros derivados também. Nós importamos óleo diesel, gasolina, por que não do porto ir diretamente para o posto de gasolina? Por que tem que viajar centenas de quilômetros?”, questionou.

Atualmente, a norma da ANP estabelece que todo combustível deve passar por empresa distribuidora antes de chegar às bombas dos postos.

De acordo com o presidente, ele está em contato com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para tratar da revogação dessas normas. “Conversando com Rodrigo Maia, muitas vezes não depende da decisão [da ANP], depende de revogar decisão e o Congresso tem poder para revogar essas decisões”, disse.

Ao falar sobre o trabalho das agências reguladoras, o presidente destacou que elas “são importantes, autônomas, mas não são soberanas”.

Um projeto de lei que libera a venda direta está tramitando na Câmara dos Deputados e já foi aprovado pela Comissão de Minas e Energia no fim de 2019.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    O Mito só tem coisa boa para oferecer a população.
    Pena que temos um congresso acovardado e um STF acovardado que só trabalham contra o crescimento do Brasil totalmente em desarmonia com o Presidente JMB e a população brasileira

  2. Ricardo Victor Souto disse:

    Já vi que não passa, pois precisa do aval da Câmara dos Deputados, setor que com certeza tem político por trás dessa norma, pois deve ter distribuidora de pessoas suas. E quem paga com o preço final, somos nós pobres consumidores.

Pesquisa do PROCON NATAL aponta redução no preço do combustível

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal – PROCON NATAL realizou, no dia 22 de julho, pesquisa nos postos de combustíveis e identificou redução no valor de todos os combustíveis pesquisados. O objetivo da pesquisa foi verificar se houve a redução de 2,14% no preço anunciada pela Agência Nacional de Petróleo, no dia 18 de julho.

O preço médio da gasolina nas bombas foi de R$ 4,359, contra R$ 4,561 da pesquisa anterior, realizada no dia 08 de julho. Isso representa uma variação negativa de 4,43%, ou seja, redução de R$ 0,202 centavos. Já em comparação com a pesquisa de junho, a redução foi de R$ -0,164 centavos, o que equivale a uma variação negativa de 3,63%.

O Núcleo de pesquisa do PROCON NATAL acompanha mensalmente os preços dos combustíveis na cidade do Natal, devido a politica de preço aplicada pela estatal brasileira Petrobras, que adotou reajustes com maior periodicidade, desde 3 de julho de 2017. Nas pesquisas recentes realizadas pelo Núcleo, os preços dos combustíveis estão em declínio.

Para conferir a pesquisa completa – com o ranking dos dez posto mais baratos na cidade – acesse www.natal.rn.gov.br/procon.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre Canadá disse:

    *Carolina do Norte

  2. Alexandre Canadá disse:

    O interessante é que esses Governantes, nunca tentam Diminuir os Encargos (65%), para o valor do Combustível cair, sou de São José do Mipibú/RN, mas moro aqui em Charlotte, Carolina do More (EUA), pagamos aqui por um Galão (3,6lt) o equivalente à $2,39, o imposto do Combustível aqui é 7%, agora vcs sabem pq os Políticos em Geral não tem interesse em diminuir, pq eles Não Pagam, a Verba de Gabinete cobre tudo isso, ou Brasil véi Desmantelado,

Governo do RN reduz consumo de combustível e economiza mais de R$ 900 mil em três meses

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, entre fevereiro e abril de 2019, economizou mais de R$ 900 mil em combustível, segundo dados da Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos, que faz o gerenciamento compartilhado da frota com a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). Com maior controle, fiscalização, identificação da frota e estabelecimento de cotas, o Estado reduziu em 230 mil litros o consumo de combustível no posto interno, em relação ao mesmo período do ano passado.

O posto interno abastece praticamente toda a frota que atende a Região Metropolitana de Natal. O consumo diário de combustível na unidade interna de abastecimento, que antes variava entre 15 e 16 mil litros, passou a ser de 10 a 12 mil litros/dia.

A redução é fruto da intensificação no trabalho de controle e fiscalização, resultante dos procedimentos adotados após a publicação do Decreto Nº 28.700, de 24 de janeiro de 2019, que dispõe sobre o cadastramento da frota veicular do Poder Executivo do Estado do Rio Grande do Norte e estabelece a gestão compartilhada da fiscalização e do controle do uso de veículos oficiais.

De acordo com a Coordenadoria do Patrimônio da Searh foram estabelecidas cotas para uso diário e semanal dos carros. Os veículos operacionais, que fazem parte da frota de secretarias como Segurança e Saúde, são abastecidos diariamente. Já os veículos administrativos têm cota semanal. As cotas foram estipuladas com base no consumo médio de um período de seis meses do ano anterior.

A partir de 15 de fevereiro de 2019, final do prazo para que os órgãos do Executivo Estadual se adequassem ao que foi estabelecido no Decreto, a Searh e a Sesed intensificaram o trabalho de fiscalização e controle de toda cadeia que envolve o abastecimento de veículos do Estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Governo deve 3 Bilhões e economizou 200 mil por mês com combustível. Muito bem, rapidinho vai pagar a dívida kkkk

  2. Jade da silva disse:

    Deveria começar por ela, que tem carro e usa o oficial. SE os funcionários, vão de transporte públicos ou seus próprios carros, para que gestores , secretários, assessores, deputados, juízes, desembargadores etc, não usam os seus?.

  3. Joaquim disse:

    Não precisa alugar carros para diretores de empresas.

  4. Luciana Morais Gama disse:

    Pode economizar mais se devolver os CARROS ALUGADOS e usar UBER.

Estado economiza mais de meio milhão de reais em combustível

FOTO: SESED/ASSECOM

Visando otimizar os gastos de recursos públicos, o Governo do Estado conseguiu, em menos de dois meses, economizar mais de meio milhão de reais em combustíveis através de um controle feito pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) e Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos (Searh).

E economia se deu após um levantamento feito que identificou 824 veículos oficiais considerados inoperantes, o que fez a frota de carros passar de 3.945 para 3,121 na atual gestão do Estado. Além disso, as viaturas e os postos cadastrados contam com chips que possibilitam o controle por parte do gestor, que pode disponibilizar cotas para cada tipo de carro.

Com todas essas iniciativas, em menos de dois meses o Estado consumiu 133 mil litros de combustíveis a menos, o que significou uma economia superior a R$ 530 mil aos cofres públicos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Essa conta certamente baixará muito mais qdo as viaturas policiais deixarem de percorrer gdes distâncias para abastecer… Os viaturas do interior têm q ser deslocar diariamente pra abastecer em outras cidades… Essa situação se repete há vários anos sem q nenhum governo se debruce sobre essa causa q tanto onera os cofres do estado…

  2. Luiz ricardo disse:

    Já trabalhou mais que Robson em 4 anos , que continue assim quem torce contra é imbecil.

  3. Edson Ferrari disse:

    Reduziu pq não tem polícia na rua. Ser oposição é fácil, quero ver ser situação

  4. Nom Intendo disse:

    1 – Se os veículos estavam INOPERANTES, logo, não podiam consumir combustível. Certo?

    2 – Os carros do Estado são chipados há vários anos, pelo que me lembro, desde o Governo Rosalba(não sei se já eram no Gov Vilma/Iberê). E todos têm uma cota semabal de litros/combustível definida pela Secretaria de Administração.

    Se diminuiu as 500 pilas, bem! Mas a estória não tá bem contada não! Release mal feito.

  5. Levi disse:

    Parabéns governadora já sabia que faria diferente. Ensina é povo a administrar o RN. Agora sim temos um governo com responsabilidade. Fátima mulher de luta.

  6. #LULANACADEIA disse:

    Só maquiagem….pelo outro lado tem assessor ganhando R$ 60.000,00 em diárias para passear na Europa, não trazem uma cigarreira para o RN …muie do GOPI, vá na Paraíba Aprender como se trás indústria…investidores 👍

    • Jão disse:

      Calma cara, Lula tá preso, Bolsonaro presidente e Fátima governadora… aprenda a ver os acertos dos adversários.

MAIS AUMENTO: Joaquim Levy não descarta alta do imposto do combustível

joaquim levyO ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deu pistas nesta segunda-feira de que a alta da Cide (tributo sobre combustíveis) não é uma ideia descartada pela equipe econômica, que busca opções para reduzir a previsão de 30,5 bilhões de dólares de déficit orçamentário para 2016. Segundo ele, a elevação da alíquota, se ocorrer, tem que ser feita de maneira cautelosa. “Tem que ser feito com cuidado. Mas sem dúvida nenhuma é um indicador muito importante para a economia verde, especialmente quando aplicada à gasolina e que, evidentemente, [há] essa possibilidade de substituição pelo álcool.”

As declarações foram dadas no encerramento do seminário “Sistema Financeiro, Economia Verde e Mudanças Climáticas”, realizado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em São Paulo. Embora tenha dito que a ideia não está descartada, o ministro não respondeu a questões sobre uma possível alta da Cide nem sobre a recriação da CPMF, o imposto do cheque.

Na proposta de ajuste fiscal apresentada pelo governo na semana passada (que soma 66,2 bilhões de reais entre cortes de gastos e aumento de arrecadação), boa parte do acréscimo de receita viria da CPMF. O imposto voltaria a ser utilizado, mas depende de aprovação do Congresso, que tem se mostrado contrário à ideia. A Cide, por sua vez, pode ser elevada sem precisar passar pelo crivo dos parlamentares, mas pode ter como efeito colateral a alta da inflação.

Depois do evento, Levy disse a jornalistas que apresentou nesta segunda-feira ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), itens de contribuição à Agenda Brasil, que compõe um conjunto de medidas para a retomada do crescimento econômico. Entre os itens, o ministro citou a facilitação de grandes projetos de infraestrutura.

Sobre o PIS/Cofins, Levy declarou que quer apresentar “em breve” um projeto de lei para a Câmara, que, segundo ele, simplificaria a vida de empresas e aumentaria sua segurança jurídica. “Dar mais transparência a essa contribuição e assim uma melhor alocação de recursos do Brasil [para] que a produtividade da economia aumente”, disse.

CPMF – Mais cedo, em Brasília, o ministro da Fazenda havia dito que o Palácio do Planalto é que vai decidir o momento do envio da medida que recria a CPMF ao Congresso Nacional. “Essa é decisão do governo, do Palácio (do Planalto). Não adianta eu me pronunciar sobre isso”, afirmou ele a jornalistas ao ser questionado se a recriação de CPMF seria encaminhada ao Congresso ainda nesta segunda-feira. A afirmação foi feita após reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A proposta de recriação da CPMF foi anunciada na semana passada a fim de ajudar a cobrir o rombo do orçamento de 2016, com o governo sinalizando aos agentes econômicos que perseguirá meta de superávit primário equivalente a 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB).

Fonte: Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JOAO MARIA disse:

    O GOVERNO DEVERIA AUMENTAR LOGO O LITRO DE GASOLINA PARA R$ 100,00(CEM REAIS) PARA VER SE FICAVA PELO MENOS UNS DOIS MESES SEM TER QUER FICAR ANUNCIANDO AUMENTO

Após denúncia de site, vereadores de São Gonçalo são obrigados a reduzir despesas

A Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante decidiu voltar atrás com a licitação de R$ 850 mil para a compra de 180.500 litros de gasolina, 48.500 de diesel e 48.500 de etanol, combustível que seria utilizado no exercício da atividade parlamentar durante um ano. O problema é que essa quantidade de combustível é suficiente para dar 56 voltas ao planeta Terra. A revisão dos elevados gastos sói foi possível após denúncias do site Fala RN que juntou os documentos do Portal da Transparência e os apresentou ao Ministério Público.

Além dos altos valores, também foi questionado o uso do diesel, já que a Casa não possui nenhum veículo oficial que utilize o combustível. O parlamento municipal de São Gonçalo utiliza carros locados, todos a gasolina.

Após as denúncias e após a investigação do MP, o presidente da Câmara, vereador Raimundo Fernades, decidiu cortar drasticamente os gastos com combustíveis e retirar o diesel da pauta de compras.

Preço da gasolina vai subir até o fim do ano, diz ministro da Fazenda, Guido Mantega

A gasolina vai ficar mais cara ainda este ano, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Em entrevista ao G1, Mantega, que também é presidente do Conselho de Administração da Petrobras, disse também que o governo decidiu “sacrificar” o chamado “superávit primário” – que é a economia feita para pagar juros da dívida pública – em prol de gastos com investimentos, saúde e educação.

“Quem resolve o preço da gasolina é a Petrobras. Temos uma certa regularidade. Nos últimos anos, sempre teve aumento. Um ou dois. É um setor privilegiado. A maioria dos segmentos teve reajuste de preços uma vez por ano, e não duas vezes por ano. Ano passado [a gasolina] teve dois aumentos. Então, esse ano não será diferente. Vai ter aumento. Ano passado teve aumento em novembro. Quando houver a decisão, haverá um aumento. Não cabe a mim decidir isso”, disse Mantega ao G1.

No ano passado, houve dois reajustes nos preços da gasolina. O primeiro aconteceu em janeiro, quando a Petrobras reajustou o diesel em 5,4% e a gasolina, em 6,6%. O último reajuste aconteceu no fim de novembro de 2013 – momento no qual a Petrobras anunciou que os preços da gasolina e do diesel foram reajustados nas refinarias, sendo que a alta foi de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel.

Com informações do G1
http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/10/gasolina-vai-subir-ainda-neste-ano-diz-ministro-da-fazenda.html

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vitor disse:

    Nunca visto na história do Brasil. Votem nos Petralhas.

  2. firino disse:

    PT à vergonha da nação nam basta basta fora ptsada

  3. Tiago Dias disse:

    Esses coxinhas precisam se decidir se são contra ou a favor do governo interferir nos preço dos combustíveis.

    BASTA COMPARAR!

    PREÇO DO COMBUSTÍVEL
    Em 1998 = R$ 0,85
    Em 2002 = R$ 2,25
    PSDB = AUMENTO DE 170% em 5 anos (Média de 34% de aumento ao ano)

    Gasolina tem 3° reajuste em 35 dias (Folha, 4 de abril de 2002) http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u45090.shtml

    Em 2003 = R$ 2,25
    Em 2013 = R$ 2,90
    PT = AUMENTO DE 29% em 10 anos (Média de 2,9% de aumento ao ano)

  4. junior disse:

    Esses PTralhas estão só deixando a eleição acabar , vai subir muitooo gasolina , ´luz e água , aguardem …… fora PT

  5. sergio santiago disse:

    Votem no PT !!! isso que vcs ganham

Acordo entre governo e Petrobras prevê aumento de combustíveis em junho

O governo e a Petrobras estimam para junho um novo aumento da gasolina e do diesel. O calendário, que não foi divulgado ao mercado, integra um dos pontos do mecanismo aprovado em dezembro pelo conselho de administração da empresa, presidido pelo Ministério da Fazenda.

Na reunião de dezembro, o conselho iniciou uma nova política de preços com o reajuste de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel.

À época, a estatal afirmou que o mecanismo fora adotado para garantir a “convergência dos preços internacionais ao mercado doméstico”, há tempos defasado, e “assegurar a redução do nível de endividamento da estatal no prazo de 24 meses”.

INFLAÇÃO

Segundo a Folha apurou junto a integrantes da equipe econômica, o calendário passou a preocupar mais a cúpula do Executivo após o reajuste do mês passado ter sido um dos vilões do aumento da inflação em 2013.

Uma saída, segundo setores do governo, seria antecipar o aumento, talvez para março, diluindo assim o impacto do reajuste sobre a campanha de reeleição de Dilma Rousseff.

Evitar a pressão inflacionária em ano de sucessão é uma das obsessões da presidente da República.

Nas avaliações internas, a principal força eleitoral da campanha pela reeleição vem do baixo índice de desemprego e do estável nível de renda da população, variável sempre impactada quando há pressão nos preços.

SIGILO

Em dezembro, após aprovar a política de recuperação, a Petrobras deixou claro por meio de comunicado que os critérios de reajuste não seriam divulgados. Nem a empresa nem o Executivo federal detalharam qual seria o mecanismo.

O efeito colateral do sigilo é blindar o governo de cobranças no caso do não cumprimento dos parâmetros para tentar sanar o deficit no caixa da empresa.

No comunicado divulgado à época, a estatal afirmava que, para recuperar o caixa, combinaria a política de reajuste com o crescimento da produção de petróleo.

Tanto o aumento de dezembro quanto a definição de um método de reajuste ocorreram após intenso embate entre a companhia e o governo federal, sócio majoritário e resistente à elevação por medo de provocar mais inflação.

FÓRMULA

Ano passado, para pressionar a Fazenda, a diretoria da empresa havia aprovado, de surpresa, uma fórmula de reajuste automático, mas a alternativa acabou sendo descartada por ordem de Dilma. O argumento é de que a fórmula criaria um gatilho inflacionário na economia.

Sem novos reajustes, a empresa pode ser rebaixada pelas agências de classificação de risco; ou, no jargão de mercado, perder o chamado grau de investimento em plena corrida eleitoral. Esse rebaixamento encareceria empréstimos e financiamentos tomados no exterior, por exemplo.

Nos últimos anos, o Brasil passou de exportador a importador de gasolina para dar conta do aumento da frota de veículos.

As importações acabaram afetando os resultados da estatal, já que ela não repassa para os consumidores o custo total das aquisições.

Analistas de mercado e economistas ligados à oposição atribuem ao governo o controle de preço da gasolina e seu impacto sobre a saúde financeira da empresa.

Durante a eleição, o controle sobre os aumentos da Petrobras tendem a ser um dos temas da campanha.

Procurado, o ministério da Fazenda não comentou o assunto e informou que o titular da pasta, Guido Mantega, presidente do conselho de administração da Petrobras, está em férias. A assessoria da estatal também não quis comentar.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    O povo precisa saber que no Brasil so quem produz GASOLINA eh a PETROBRAS, que vende para as outras distribuidoras como a ESSO, IPIRANGA, TEXACO, etc, e por isso que nao temos a livre concorrencia como muitos gostariam e que eh justo, sem contar que nossa gasolina eh RECHEIADA DE TRIBUTOS, como so de ICMS o nosso pobre (quebrado??) Rio G do Norte, fica com R$ 0,80 por litro, valor pago antecipadamente na fonte, ou seja antes da gasolina ser vendida nos postos.

De cada litro de combustível o Governo fica com R$ 0,78

Na cobrança que faz junto aos revendedores para reduzir o preço do combustível, o Procon estadual está esquecendo de começar a lição por dentro de casa. Afinal, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, a cada litro de combustível vendido no Rio Grande do Norte o Governo do Estado fica com R$ 0,78.

Cifra que vai aumentar, já que nos próximos dias a pauta fiscal (como é conhecido o valor sobre o qual o Governo incide o ICMS de 27%) será reajustada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciano disse:

    Absurdo, absurdo mais absurdo!
    Dá-lhe Rosinha!
    Dá-lhe Zezinho!
    Dá-lhe DEMO!

Em comunicado, Petrobras informa que reajustes de combustíveis não serão automáticos

Em comunicado enviado ao mercado e respondendo a questionamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão fiscalizador do mercado de capitais, a Petrobras informou que os próximos reajustes no preço dos combustíveis não serão automáticos. A decisão de reajustar os preços da gasolina e diesel caberá à diretoria-executiva. A Petrobras não divulgou no comunicado os parâmetros da nova metodologia de preços aprovada pelo Conselho de Administração da petrolífera.

A companhia afirma que no cálculo de reajuste previsto pela nova metodologia será levado em conta o preço de referência dos derivados no mercado internacional, a taxa de câmbio do momento e a origem do produto vendido — se importado ou refinado no Brasil.

A empresa informou que a nova metodologia permite determinar faixas de preços conforme as ponderações explicadas. Segundo a empresa, a fórmula confere à diretoria “poder discricionário à luz da dinâmica dos mercados doméstico e internacional”.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) havia questionado a Petrobras sobre a metodologia de preços adotada. Na sexta-feira passada, o conselho de administração da Petrobras anunciou um reajuste de 4% para a gasolina e 8% para o diesel e informou que aprovou a nova metodologia, sem divulgá-la, o que causou frustração no mercado. Na segunda-feira, as ações da companhia caíram mais de 10%, a maior queda dos últimos cinco anos.

O comunicado divulgado nesta quarta também descartou especulações de que Maria das Graças Foster, presidente da companhia, estaria de saída da empresa. “A Petrobras refuta qualquer afirmação desta natureza”, diz o comunicado.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anonymos disse:

    Pois os palhaços donos dos postos da província já aumentaram faz tempo!!!!

Reajuste da gasolina sai até 21 de outubro

20130130103827aumentocombustivelO governo federal deve conceder um novo reajuste no preço da gasolina até o dia 21 de outubro. A data é estratégica para o Palácio do Planalto porque o primeiro leilão do campo de petróleo e gás natural oriundo da camada de pré-sal em Libra (SP) será realizado pelo governo neste dia. Segundo o Estado apurou, o desejo de parte relevante da equipe econômica é de que o preço da gasolina seja elevado em cerca de 8% nas refinarias até a realização do leilão.

Como o leilão será feito sob o regime de partilha, a Petrobrás será a operadora com 30% de participação mínima em todos os blocos que forem adquiridos por companhias privadas.

Diante das dificuldades de caixa e do ambicioso programa de investimentos que a empresa precisa tocar nos próximos anos, o reajuste da gasolina seria um “sinal importante” ao mercado. O argumento tem sensibilizado o Planalto, mas ainda não há definição quanto ao momento exato do reajuste.

Com o aumento do preço, a situação financeira da Petrobrás deve melhorar imediatamente, uma vez que ela poderá repassar para o mercado interno o combustível adquirido do exterior a um preço maior do que vem fazendo desde janeiro. O preço da gasolina é fixo e controlado pelo governo federal.

O reajuste já foi solicitado formalmente pela Petrobrás ao governo e serviria para reduzir a diferença entre o custo do combustível comprado pela estatal no exterior e aquele vendido nos postos de gasolina no Brasil.

Custo. O forte aumento do consumo nos últimos três anos tem infligido à estatal um pesado custo financeiro nas operações de comércio exterior, que tem causado impacto inclusive na balança comercial brasileira.

O recente salto na cotação do dólar agravou essa situação – a Petrobrás precisa gastar mais reais para adquirir a mesma quantidade de combustível, cotado em dólar. A estatal perde cerca de R$ 1 bilhão por mês com a operação. A participação da empresa no leilão em Libra deve exigir cerca de R$ 4,1 bilhões (ou US$ 2 bilhões), estimou o departamento econômico do HSBC em relatório recente.

O martelo está batido, em Brasília, em relação à necessidade de um aumento da gasolina. Mas segmentos do governo ainda defendem que o reajuste seja postergado ao menos até o fim do ano, ou mesmo que seja concedido apenas em janeiro de 2014. O principal argumento neste caso é a inflação. A equipe econômica avalia ainda ser possível reduzir o IPCA deste ano a um patamar inferior ao avanço de 5,84% registrado em 2012.

Um reajuste da gasolina da ordem de 8% nas refinarias (e de pouco menos disso nas bombas de combustíveis) representa, nas contas do governo, um aumento de 0,2 ponto porcentual no IPCA. Entre os que defendem o reajuste até a licitação do campo de Libra, a visão é de que a inflação deste ano “já está dada”. Assim, uma alta de 6,1% ou um pouco mais no IPCA deste ano não seria problemática, uma vez que evitaria o reajuste de preços ao consumidor no ano eleitoral de 2014.

Os técnicos do governo convergem para o fato de que o encarecimento da gasolina também servirá como estímulo indireto ao setor sucroalcooleiro. Mais barato nas bombas, o etanol pode compensar o aumento de preços aos consumidores.

Além disso, a composição da gasolina no Brasil tem 25% de etanol na mistura, o que diminui o repasse da alta de preços nas refinarias para as bombas nos postos de combustíveis.

Estadão