Após informações do TCU, Governo deve exonerar presidente do Banco do Nordeste empossado nesta terça por suspeita de irregularidades na gestão da Casa da Moeda desde 2005

Foto: Reprodução/ Twitter

Empossado nesta terça-feira presidente do Banco do Nordeste, Alexandre Borges Cabral deve ser exonerado do cargo e um novo nome deve ser indicado pelo PL, partido de Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão, e que compõe o centrão, nova base de apoio do governo no Congresso. Até a análise de um novo nome, um dos diretores deve assumir interinamente o banco.

A possibilidade de exonerar Alexandre Cabral, empossado ontem, surgiu após a revelação de que o Tribunal de Contas da União (TCU) apura suspeitas de irregularidades em contratações quando Cabral presidia a Casa da Moeda, em 2018. O prejuízo é estimado em ao menos R$ 2,2 bilhões. A informação foi revelada pelo jornal “Estado de S.Paulo” e confirmada pelo O GLOBO.

Cabral assumiu o comando da Casa da Moeda entre 2016 e 2019. As investigações do TCU apontam que as irregularidades encontradas começaram em 2005 e se arrastaram até 2019, passando pelo período em que Cabral esteve à frente da Casa. São investigadas fraudes e direcionamento de licitações com as empresas Sicpa e Ceptis em valores que podem chegar a R$ 11 bilhões.

Fontes do governo negam que o Alexandre Cabral tenha sido indicado pelo Centrão, mas um novo nome de Valdemar da Costa Neto deve ser analisado e nomeado nas próximas semanas. Na semana passada, Bolsonaro admitiu estar negociando cargos com os partidos, mas negou que tivesse oferecido a políticos o comando de “estatais ou bancos oficiais”.

As indicações políticas fazem parte da nova estratégia do governo de montar uma base sólida de deputados e senadores no Congresso para aprovar propostas importantes do governo e evitar até mesmo que temas polêmicos – como até mesmo um eventual pedido de impeachment – entrem em discussão nas Casas.

Bolsonaro admitiu na semana passada que o governo está entregando cargos para indicados do Centrão e disse que as conversas com os partidos passam também por possíveis alianças na eleição de 2022. O presidente afirmou que os parlamentares se sentem “prestigiados” com as indicações e acrescentou que os deputados, muitas vezes, querem dizer que são os “donos” de determinadas obras.

— Temos que ter agenda positiva para o Brasil e temos que conversar com partidos de centro também. Conduzi a conversa ao longo dos dois últimos meses. Conversei com praticamente todos presidentes e líderes de partidos. Sim, alguns querem cargos, não vou negar. Alguns, não são todos. Mas, em nenhum momento, oferecemos ou pediram ministérios, estatais ou bancos oficiais. Pega o Ministério do Desenvolvimento Regional (o Dnocs está vinculado à pasta), que tem estrutura gigantesca, que em grande parte tem atuação no Nordeste. Tem cargo na ponta da linha, segundo ou terceiro escalão que estava na mão de pessoas que são de governos anteriores ao Temer. Trocamos alguns cargos nesse sentido. Atendemos, sim, a alguns partidos nesse sentido (de cargos) – disse o presidente, durante uma transmissão ao vivo.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos araujo disse:

    Acho que não é só o serviço de inteligência que não funciona

  2. Antonio Turci disse:

    Se o Presidente continuar insistindo nessa aliança com a banda podre do centrão irá se arrepender amargamente. É esperar para ver.

  3. Ivan. disse:

    Sei não, fazer negócios com Valdemar Costa Neto, há ladrão!!!.

  4. Cigano Lulu disse:

    A "nova política" do Capetão configura-se corrupção pura, desde que consideremos a corrupção em seu espectro amplo, e não apenas a ação subterrânea de propinodutos ou o desvio explícito de verbas.
    Para um governo que se ufana de ter reaberto o caminho do Planalto aos militares, parece que os problemas do Brasil estão só começando, agravados pelo vírus e a recessão.

  5. Cidadão Indignado disse:

    Vão encontrar quem dessa caterva chamada "CENTRÃO" que não tenha problema com investigações? Agora quem está efetivamente INFECTADO é esse desgoverno que está aí. Pobre Brasil e pobre a parcela da população ainda com o senso de equilíbrio.

    • Beto disse:

      Verdade! Pérolas q deveriam estar presos por praticarem crimes em governos anteriores.
      E há quem grite LULA LIVRE.

  6. Minion alienado disse:

    Essa nova política parece um museu de grandes novidades

COMENTE AQUI