Homem negro é espancado e morto por seguranças em supermercado de Porto Alegre; Carrefour anuncia medidas

(Foto: Reprodução / Twitter)

Um homem negro foi espancado e morto por dois seguranças – brancos – de um supermercado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na noite desta quinta-feira (19). Vídeos que circulam nas redes sociais mostram a agressão, ocorrida no estacionamento do supermercado na zona norte da cidade.

De acordo com o jornal Zero Hora, a vítima foi identificada como João Alberto Silveira Freitas, conhecido como Beto, de 40 anos.

Segundo informações preliminares da Brigada Militar, a confusão teria iniciado no caixa do supermercado, quando a vítima teria ameaçado agredir uma funcionária. Dois seguranças teriam encaminhado João Alberto ao estacionamento, onde aconteceu a violência.

O delegado Leandro Bodoia, responsável pela ocorrência, afirmou à publicação que não foi encontrado armamento no local. Os envolvidos serão ouvidos e as imagens das câmeras de segurança serão analisadas na investigação. Duas pessoas foram detidas. A Polícia Civil trata o crime como homicídio qualificado.

Protestos

A notícia da morte de João Alberto gerou revolta nas redes sociais. Movimentos negros de Porto Alegre estão organizando uma manifestação nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, para pedir justiça e protestar contra o racismo e a violência a pessoas negras.

Internautas expressaram sua revolta em comentários nos perfis oficiais do Carrefour nas redes sociais. “Nada justifica duas pessoas espancarem até a morte uma outra. Revoltante”, escreveu uma mulher. “‘Promoção do dia’ Um negro morto na semana da consciência. Explica isso”, pediu outra.

Morte de homem negro em supermercado causa revolta (Foto: Reprodução / Twitter)

O que diz o Carrefour

O Carrefour se pronunciou por meio de um comunicado na madrugada desta sexta-feira.

“Sobre a brutal morte do senhor João Alberto Silveira Freitas na loja em Porto Alegre, no bairro Passo D’Areia: O Carrefour informa que entrará com uma queixa-crime contra os responsáveis. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.”

Globo, via Marie Claire

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Juca Jr disse:

    A imprensa aproveita um caso de assassinato – que deve ter punicão na forma da lei – para espalhar ódio racial. Se o morto fosse um homem branco, a mídia daria alguma cobertura ao caso? Claro que não. O que a imprensa canalha quer é fomentar uma guerra civil no Brasil.

  2. Manoel disse:

    As tentativas de justificar o injustificável por parte dos vermes bolsonaristas são repugnantes.
    Nada tem a ver com racismo, diz um.
    Deve ser por isso que de cada 10 mortos pela polícia militar, 8 são negros…
    A eleição do genocida para presidência abriu as tampas dos esgotos para sair tanto fdp como vemos agora.

  3. Maria disse:

    E o que danado tem a ver ele ser negro com a notícia? “Homem eh morto por asfixia…” e pronto!!! Pra que citar “homem negro” ??? Pense numa doença mental, se a ideia eh diminuir a segregação, com esse tipo de ato só aumenta.

  4. Manoel disse:

    Onde estão os seguranças BRANCOS na imagem? Vejo dois seguranças PARDOS agredindo covardemente um outro cidadão PARDO! Que se puna a covardia que nada tem a ver com racismo (pelo menos não nas imagens)!

  5. aof disse:

    É a Globo seguindo a cartilha comunista da divisão de classes. Lamento profundamente a morte do rapaz e lamentaria se ele fosse branco, pardo, ou qualquer cor. Os criminosos tem que ser punidos com todo o rigor da lei. Toda a solidariedade `a famila do morto.

  6. João Batista ZN disse:

    Será que se fosse o contrário, teria a mesma manchete, "Homem Branco é espancado e morto por dois seguranças Negros" …??

  7. EDU disse:

    Essa tal da Globo é um lixo mesmo, tem nada a ver se o cara é preto ou branco, mas fazem questao de mencionar isso! De fato os seguranças agiram com muita brutalidade mas nao tem nada a ver so pq ele era negro.. PQP que Pais é esse! Segurem seu filhos pq essa nova geracao vai vir FO….,

  8. Vaqueiro Trabalhador disse:

    Se fosse um branco, com a camisa da seleção, ameaçando e humilhando o caixa do supermercado, igual como fez o advogado da milícia na pizza hut em Brasília, eu duvido que os seguranças chegassem nem perto.
    País de hipócritas.

  9. Luiza disse:

    Nada justifica uma morte dessas. Mas ele morreu e virou santo? E a parte que a polícia diz que ele ameaçou agredir uma MULHER, uma funcionária?

    • Francisco de Assis disse:

      Se nada justifica, então porque mataram? Que incongruência mental é essa, minha senhora?

    • Queiroz disse:

      A Luiza fala que nada justifica ao mesmo tempo que busca uma justificativa. Papo típico da Terra Plana.

    • Luiza disse:

      Só tem intelectuais, e dos mais soberbos. É muita cognição reunida! Deve ser muito neurônio reunido e talvez esse excesso dê tilt, mas vou repetir: nada justifica a morte dele, mas ele não é santo. Se a POLÍCIA preliminarmente divulgou que ele fez ameaça a uma mulher, ele não é uma vítima inocente. E a Terra é redonda, reencarnação de Einstein. Vocês costumam sair por aí intimidando, sendo grosseiros, ameaçando as pessoas? E se forem homens, fazem isso com mulheres, mulheres em seus locais de trabalho? Só tem anjo.

COMENTE AQUI