AJUDA AO PRÓXIMO VIRALIZA – (FOTOS): Servidor público faz delivery de currículos de forma voluntária em Porto Alegre

Kaká vai por conta até as regiões com maior vulnerabilidade da cidade, nas comunidades, oferecendo ajuda para quem precisa | Fotos: Alina Souza

A vontade de ajudar ao próximo, que acompanha o servidor público Kaká D’Ávila há anos, foi uma das motivações para iniciar um voluntariado inédito em Porto Alegre.

Quando os primeiros casos do novo coronavírus começaram a surgir na cidade e logo iniciaram as restrições e demissões, Kaká começou a pensar como poderia auxiliar aqueles que mais precisavam, principalmente durante o período da pandemia e do isolamento social. Há anos ele realiza ações de voluntariado em comunidades da Capital, mas dessa vez ele foi além.

Reunindo a experiência por ter trabalhado por anos em agências de emprego, Kaká sempre buscou fazer ações com foco em pessoas que estão em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho. Ele conta que realizava palestras nas ruas e até mesmo dentro de ônibus, dando dicas sobre entrevistas de emprego e até mesmo confecção de currículos.

“Pensei como eu poderia fazer para que as pessoas pudessem entregar os seus currículos em agências ou em locais que tenham vagas disponíveis”, comenta, lembrando que também ajuda aqueles que precisam de auxílio na elaboração do currículo.

E foi assim que surgiu o Delivery de Currículos do Kaká. Apesar de não seguir um cronograma rígido, com frequência ele vai por conta até as regiões com maior vulnerabilidade da cidade, nas comunidades, oferecendo ajuda para quem precisa.

“Muitas vezes essas pessoas não têm dinheiro nem para comida, quanto mais para uma passagem de ônibus. Eu arrecado os currículos, levo em padarias, supermercados, lojas, agências de emprego no Centro da cidade, levo a todos os lugares em busca de oportunidade para os candidatos”, reitera.

Empregos conquistados

De acordo com Kaká, a ação tem dado certo. Ele já arrecadou mais de dois mil currículos e já contabiliza o desfecho positivo de pelo menos 38 pessoas que conseguiram emprego através do Delivery de Currículos. “É muita gente desempregada, muita gente precisando, está bem complicado”, conta.

Nascido e criado na Vila Dique, comunidade localizada no entorno do Porto Alegre Airport – Aeroporto Internacional Salgado Filho, Kaká passou por diversas necessidades e viveu em ambiente de vulnerabilidade social por muitos anos.

Além da origem humilde, ele também ficou por mais de dois anos no desemprego, que é a mesma situação das pessoas que busca ajudar. “Já passei por essa necessidade, fiquei desempregado por muito tempo, sei o quanto é difícil ficar batendo de porta em porta, faço talvez aquilo que eu gostaria que alguém fizesse quando eu estava desempregado e não tinha ninguém pra fazer”, desabafa.

Como Kaká não tem um veículo próprio, faz todas as buscas e entregas de currículo a pé ou de ônibus, com a fiel companheira: uma bolsa relativamente grande, na qual armazena os documentos para que não fiquem danificados no transporte.

“Tento deixar uma semente por onde eu passo, a partir de contato da empresa, é com o candidato”, explica. Com o delivery, Kaká também acaba auxiliando no isolamento social, pois ele faz a distribuição de dezenas de currículos. “Acaba sendo melhor do que ter várias pessoas na rua, fazendo a mesma coisa. Consigo fazer o papel de muitas delas”, destaca.

Correio do Povo

Governo vai privatizar mais quatro aeroportos: Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza

2015_798194701-2015031160963.jpg_20150311Aeroporto de Salvador está entre os quatro que vão entrar no Plano Nacional de Desestatização – Raul Spinassé / Agência O Globo

Um decreto publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial da União oficializa a inclusão de quatro aeroportos no Plano Nacional de Desestatização. Os aeroportos internacionais Salgado Filho, em Porto Alegre; Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Salvador; Hercílio Luz, em Florianópolis, e Pinto Martins, em Fortaleza.

O decreto designa a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República como a responsável pela condução e aprovação de estudos, projetos, levantamentos ou investigações que vão subsidiar a modelagem da desestatização dos aeroportos.

A transferência dos quatro aeroportos para a administração do setor privado foi anunciada no dia 9 de junho, em cerimônia no Palácio do Planalto, como parte da nova etapa do Programa de Investimentos em Logística (PIL), que tem a previsão de R$ 198,4 bilhões em investimentos, sendo R$ 69,2 bilhões entre 2015 e 2018 e R$129,2 a partir de 2019.

Os investimentos estão divididos entre rodovias (R$ 66,1 bilhões), ferrovias (R$ 86,4 bilhões), portos (R$ 37,4 bilhões) e aeroportos (R$ 8,5 bilhões).

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    O PT está superando de longe o FHC.
    Cadê a CUT para gritar "Fora PT" ?

  2. Luciana Morais Gama disse:

    O PT privatizando o Brasil, eles q sempre foram contra a privatização. Agora vão pra rua protestar FDP

  3. Adalbetto disse:

    E assim vão empurrando o Hub da Tam pra Fortaleza. Enquanto isso os políticos do RN ainda não conseguiram uma audiência com a Dilma anti-RN.

Justiça condena doméstica a indenizar patroa em Porto Alegre

Uma empregada doméstica de Porto Alegre foi condenada a indenizar em R$ 3.447, por danos morais, sua antiga patroa. A decisão ocorre depois de a trabalhadora ter inventado, segundo a Justiça, um grave acidente com seu filho para faltar ao trabalho, conseguido adiantamentos salariais e cobrado direitos trabalhistas indevidamente em ação judicial.

Cabia recurso, mas a defesa da doméstica preferiu não recorrer da decisão. Pela sentença, a empregada ainda terá de pagar uma multa de 1% do valor da causa (R$ 4.000) por litigância de má-fé e os honorários advocatícios fixados em 15% do valor bruto da condenação. Os advogados não quiseram comentar o caso.

A empregadora, Lúcia de Fátima Cerveira, que é desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, apresentou como prova no processo as trocas de mensagens que manteve pelo celular com sua empregada.

Nelas, Ângela Maria dos Santos Oliveira afirma que seu filho, funcionário de uma montadora de automóveis, sofrera traumatismo craniano devido a um acidente com uma “máquina que empurra carros”.

“Está inconsciente, vai para cirurgia agora às 13h”, dizia um trecho de uma mensagem enviada em setembro do ano passado. Dois dias depois, ela conseguiu um adiantamento de R$ 500.

A empregada pediu demissão por escrito cerca de dois meses depois de informar o acidente alegando que seu filho seria transferido para a cidade de Santa Maria e que, por isso, teria de acompanhá-lo. O contrato de trabalho durou de fevereiro a novembro do ano passado.

Depois desse período, Ângela pediu por duas vezes na Justiça o pagamento de direitos trabalhistas, como as férias e o 13º salário proporcionais.

Em diversas oportunidades, a empregada solicitou por mensagens de celular adiantamento de salários e, antes de alegar o acidente com o filho, justificou suas ausências no trabalho com explicações como “morte da sogra da filha”, “dor de barriga e vômitos”, “‘gripão’, garganta, um ouvido surdo e tosse” e “muita dor nas costas”.

A desembargadora afirma que desconfiou da empregada quando ela disse que uma ambulância de Santa Maria iria buscar seu filho em coma em Porto Alegre.

Lúcia procurou a empresa onde o filho de Ângela trabalhava e descobriu que nenhum acidente havia ocorrido com o funcionário. Também procurou os hospitais por onde o filho da empregada teria passado, mas não encontrou nenhum registro de entrada do paciente.

Na decisão, o desembargador Marçal Figueiredo afirma que, “além de ter causado prejuízos de ordem moral, [Ângela] se valeu do processo judicial para obter um fim indevido, pois por certo que sabia que, em decorrência do grande número de faltas ao trabalho, não tinha direito ao pagamento de verbas rescisórias”.

A desembargadora diz que não teria entrado na Justiça contra a empregada mesmo após descobrir que o acidente era falso e que só o fez porque Ângela tentou “obter mais dinheiro ilicitamente”.

“Culturalmente, há uma ideia de que os empregados sempre se sagram vencedores nas ações trabalhistas. Isso faz com que exista uma tendência tanto por parte dos empregadores, para efetuarem acordos mesmo quando o empregado não tem razão, como por parte dos empregados, no sentido de intentarem ações mesmo sabendo que todos os direitos foram pagos”, diz.

Para Lúcia, o caso de sua empregada torna explícita essa ideia. “Espero que o fato de ela ter sido condenada ao pagamento de danos morais, já na primeira ação, sirva de exemplo”.

A desembargadora, que chegou a Ângela por indicação de uma amiga, diz ter ficado “muito decepcionada” com o episódio. Ela já contratou outra diarista.

A reportagem tentou ouvir Ângela Oliveira e solicitou o contato ao advogado dela, mas ele se recusou a fornecê-lo.

Folha Press

Ponte em Porto Alegre vai custar a metade da ponte da China. Sendo que ela só tem 3KM

Augusto Nunes:

Há uma semana, o governo da China  inaugurou a ponte da baía de Jiaodhou, que  liga o porto de Qingdao à ilha de Huangdao. Construído em quatro anos, o colosso sobre o mar tem 42 quilômetros de extensão e custou o equivalente a R$2,4 bilhões.

Há uma semana, o DNIT escolheu o projeto da nova ponte do Guaíba, em Ponte Alegre, uma das mais vistosas promessas da candidata Dilma Rousseff. Confiado ao Ministério dos Transportes, o colosso sobre o rio deverá ficar pronto em quatro anos. Com 2,9 quilômetros de extensão, vai engolir R$ 1,16 bilhões.

Intrigado, o matemático gaúcho Gilberto Flach resolveu estabelecer algumas comparações entre a ponte do Guaíba e a chinesa. Na edição desta segunda-feira, o jornal Zero Hora publicou o espantoso confronto númerico resumido no quadro abaixo:

Os números informam que, se o Guaíba ficasse na China, a obra seria concluída em 102 dias, ao preço de R$ 170 milhões. Se a baía de Jiadhou ficasse no Brasil, a ponte não teria prazo para terminar e seria calculada em trilhões. Como o Ministério dos Transportes está arrendado ao PR, financiado por propinas, barganhas e permutas ilegais, o País do Carnaval abrigaria o partido mais rico do mundo.

Depois de ter ordenado o afastamento dos oficiais, aí incluído o coronel do DNIT, Dilma Rousseff parece decidida a preservar o general. “O governo manifesta sua confiança no ministro Alfredo Nascimento”, avisou nesta segunda-feira uma nota da Presidência da República. “O ministro é o responsável pela coordenação do processo de apuração das denúncias feitas contra o Ministério dos Transportes”. Tradução: em vez de demitir o chefe mais que suspeito, Dilma encarregou-o de  investigar os chefiados.

Corruptos existem em qualquer lugar. A diferença é que o Brasil institucionalizou a impunidade. Se tentasse fazer em outros países uma ponte como a do Guaíba, Alfredo Nascimento e seus parceiros saberiam que o castigo começa com a demissão e termina na cadeia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo disse:

    Eu acho que esse Karl é burro ou vai ganhar alguma coisa com a construção da ponte do Guaíba, mesmo tendo custos mais baixos que o Brasil é uma diferença colossal, não tem explicação, mesmo que tenha custado 16 bilhões saiu mais barato porque no Brasil seria calculado em TRILHÕES entendeu o animal!!!

  2. Karl disse:

    A comparação é duvidosa, considerando que os custos na China são mais
    baixos, e as autoridades chinesas não são fontes tão confiáveis… Segundo
    o Jornal inglês “The Telegraph”, a ponte chinesa custou sete vezes
    mais, o equivalente a uns R$ 16 bilhões. As continhas do matemático
    perdem a força, corrupção brasileira à parte.

  3. Eduardo Porto disse:

    Caros Conterrâneos,

    A Ponte de Qingdao foi construída em 2 anos e não 4 anos. O tempo total do Projeto + Construção é que consumiu quase 4 anos, pois levaram 1,5 anos para estudar o traçado e terminar o orçamento.
    Eu estive nela por acaso nessa Segunda-Feira (11/07) e tirei várias fotos. É um Projeto Espetacular feito para durar por décadas com materiais de primeira qualidade. Se depender de mim, essa Ponte do Guaíba vai sair, mas não pelas mãos da perigosa da Odebrecht e seus congêneres, que são os maiores corruptores do Brasil. Temos que abrir o mercado para Construtoras Chinesas imediatamente, que tragam seus Engenheiros, Arquitetos e inclusive a Mão de Obra chinesa. Eles sabem trabalhar e não são como essa cambada de ordinários que somos obrigados a conviver no Brasil.
    Abraços

    Eduardo Lima Porto

    • Marcos disse:

      Sou engenheiro civil e sou contra a abertura do mercado de servicos ao exterior. Se deixarmos de produzir conhecimento e tecnologia aqui ja era! As mesmas empreiteiras citadas sao grandes e trabalham fora do pais. Culpemos tambem os politicos, os marqueteiros e o povo idiota que vota neles. Seguindo este raciocinio cinico como os maiores roubos estao na saude e educacao (70%!!!) e aqui matamos gente e oportunidades sem deixar obras ou infraestrutura nenhuma vamos ter medicos e professores chineses. Quem sabe vendemos o pais?

  4. @borgesneto12 disse:

    Valeu Brunão! Para ser exato: 1.501 metros. Mais que essa ponte gaúcha tá esquisita, ah!, isso tá!

  5. borgesneto12 disse:

    Os porto-alegrenses "superaram" os natalenses nesse quesito ponte. A potiguar "ponte de todos" – mais ou menos com a mesma extensão dessa gaúcha – demorou uns três anos para ser concluída (sem contar a data do projeto originário) e custou, dizem, R$ 180 milhões. Falam num "sobrepreço" de uns R$ 50 milhões. Aí aparece esse em POA que vai custar R$ 1, 160 bilhão. Não sei se tem a ver – ou não – mas é bom lembrar que POA e o RS são há tempos governados por uma parceria PT-PMDB. Partidos dos meninos bestas…

    • bruno disse:

      Amigo Borges, acredito que a Ponte de Todos ou poucos como queiram chamar não passa de 1.500 metros