Invicta, Argentina avança em 1º com Messi artilheiro; Bósnia derrota o Irã e ambos se despedem

Na melhor apresentação da Argentina nesta Copa do Mundo, Lionel Messi marcou duas vezes nesta quarta-feira na vitória sobre a Nigéria, por 3 a 2, em um Beira-Rio vestido de azul e branco, em Porto Alegre, e garantiu aproveitamento 100% de sua seleção, terminando na primeira colocação no Grupo F. Apesar da derrota, o time africano também avançou às oitavas de final.

A Argentina terminou a primeira fase da Copa com nove pontos, repetindo a sequência vitoriosa de Colômbia e Holanda, à frente da segunda colocada Nigéria, que ficou com quatro pontos. A Bósnia ficou com três, ao vencer o Irã, que terminou com apenas um ponto.

De quebra, a seleção argentina tem agora um dos artilheiros da Copa. Com os dois desta quarta-feira, Messi acumula quatro gols, empatando com Neymar. Ele também foi o primeiro jogador da sua seleção a marcar quatro gols seguidos – um na estreia, outro no segundo jogo e dois contra a Nigéria – desde Maradona, em 1986.

Além da exibição do craque, os cerca de 20 mil argentinos que compareceram ao Beira-Rio puderam assistir a um jogo eletrizante, principalmente no início dos dois tempos. Foram dois gols no começo de cada etapa e bons lances ofensivos dos dois lados.

Em festa no Beira-Rio, a empolgada torcida argentina contribuiu para pintar de azul e branco o reduto vermelho do Internacional, que teve que aceitar as cores do arquirrival Grêmio dominando nas arquibancadas do seu estádio.

Nas oitavas de final, a Argentina vai cruzar com o segundo colocado do Grupo E, possivelmente Suíça ou Equador, no dia 1º de julho, no Itaquerão, em São Paulo. E a Nigéria duelará com o líder desta mesma chave, cuja favorita é a França, em 30 de junho, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Sem esforço, Bósnia derrota o Irã e ambos se despedem

O Irã bem que tentou, mostrou-se valente nas partidas contra Nigéria e Argentina e complicou para ambas, mas confirmou-se como uma das seleções mais fracas da Copa do Mundo nesta quarta-feira. Mesmo diante de uma Bósnia-Herzegovina desanimada e desinteressada, que entrou em campo já eliminada, os asiáticos mal levaram perigo e foram dominados. Melhor para os bósnios, que aproveitaram as poucas chances que tiveram para vencer por 3 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e voltarão para casa podendo celebrar ao menos seu primeiro triunfo na história dos Mundiais.

Além disso, a Bósnia deixou a lanterna do Grupo F nas mãos do Irã – três pontos contra um -, mas a classificação à próxima fase ficou com Argentina e Nigéria. Nesta quarta, os bósnios nem forçaram muito, até porque já não tinham grandes pretensões, mas fizeram o suficiente para vencer. Os iranianos até tentaram algo diferente em busca de uma improvável classificação, foram para cima no segundo tempo, mas aí deixaram exposta toda a fragilidade técnica de uma seleção que se destacou somente pelo empenho nesta Copa.

A partida desta quarta ainda encerrou a sequência de grandes confrontos na Arena Fonte Nova, que havia recebido alguns dos melhores jogos do Mundial (Espanha 1 x 5 Holanda, Alemanha 4 x 0 Portugal e Suíça 2 x 5 França), mas ao menos manteve a alta média de gols em Salvador: são 21 em quatro partidas. Talvez se soubessem que o duelo manteria a chuva de gols na capital baiana, mais torcedores tivessem ido ao estádio. Foram apenas 48.011, na pior marca da arena nesta Copa.

 

Agência Estado