Diversos

Jornal satírico francês Charlie Hebdo republica caricaturas polêmicas que motivaram atentados de 2015

Nova capa do Charlie Hebdo com os antigos desenhos chega às bancas nesta quarta. Foto: Charlie Hebdo – 01.set.2020 / Twitter

O jornal satírico francês Charlie Hebdo, que ficou conhecido internacionalmente após os atentados de 2015 em Paris, decidiu republicar as charges sobre religião muçulmana que geraram polêmica e desencadearam os ataques terroristas.

A nova capa com os antigos desenhos foi divulgada nessa terça-feira (1º) e chega às bancas nesta quarta (2), mesmo dia do julgamento de 14 pessoas suspeitas de envolvimento nos atentados.

“Tudo isso por isso”, menciona o jornal em letras garrafais, em uma edição especial em memória às 17 vítimas dos ataques cometidos em janeiro de 2015 na França. Além da sede do Charlie Hebdo, os agressores também atacaram um mercado judaico.

A edição traz um compilado do que aconteceu no dia do atentado, quando os irmãos Chérif e Saïd Kouachi invadiram a redação do Charlie Hebdo e mataram 12 pessoas, além de entrevistas com familiares e uma pesquisa sobre liberdade de expressão.

Julgamento dos suspeitos

A Justiça francesa inicia hoje o julgamento de 14 acusados de financiar, participar e fornecer armas a grupos terroristas. Na época, a Al-Qaeda e o Estado Islâmico reivindicaram a autoria dos atentados.

Dentre os indiciados, três serão julgados in absentia (em ausência) e podem já ter sido mortos. As autoridades acreditam que Hayat Boumedienne e os irmãos Mohamed e Mehdi Belhoucine viajaram à Síria sob o domínio do Estado Islâmico pouco antes dos ataques. Os outros 11 podem ser sentenciados à prisão perpétua.

Nessa segunda (31), em entrevista a uma emissora de TV francesa, o ex-procurador da República François Molins, um dos primeiros a chegar à cena do crime, lembrou o momento. “Era um ambiente surreal. Havia um silêncio muito forte, um cheiro de sangue e pólvora em todo o prédio”.

Molins, que participou de toda a investigação, também falou sobre o cenário. “Na redação, era uma carnificina. Aquilo não era mais uma cena de crime, era uma zona de guerra, com corpos amontoados. Foi aterrorizante”, completou.

Polêmicas

A nova edição relembra a capa do número 1177 do jornal, publicado no dia do atentado, trazia uma caricatura do caricaturista e editor-chefe Stéphane “Charb” Charbonnier, satirizando o livro Submissão, que retratava uma “França muçulmana”.

A charge, considerada “islamofóbica”, recebeu o título de “Ainda sem atentados na França”, mostrando um terrorista supostamente islâmico armado e com os dizeres: “Esperem! Ainda temos até o fim de janeiro para realizar seus desejos”.

O Charlie Hebdo possui histórico de publicações polêmicas. Em uma edição de 2011, um muçulmano foi retratado na primeira página beijando um cartunista da revista. Já em julho de 2013, a capa estampava a frase “O Corão é uma m****, ele não para as balas”, pouco após um ataque no Egito contra muçulmanos que deixou mais de 50 mortos.

Ataques terroristas de 2015

Imagens feitas por cinegrafistas amadores na época rodaram o mundo. Em uma delas, um dos irmãos agressores grita que vingou o profeta Maomé, após deixar o prédio.

A situação reacendeu o debate sobre liberdade de expressão e de imprensa, além da relação entre sátiras e religião. No editorial desta quarta, o Charlie Hebdo afirma que “nunca irá descansar e nem desistir”, mencionando a morte dos jornalistas como uma tentativa de destruir suas “convicções, culturas e talento”.

No dia seguinte ao ataque à redação do jornal, no centro de Paris, Amedy Coulibaly, um terrorista próximo dos irmãos Kouachi, matou uma policial na cidade de Montrouge, região metropolitana da capital.

Na mesma semana, ele invadiu um mercado judeu e fez 20 reféns. A ação, que durou quatro horas, culminou na morte de cinco pessoas, dentre elas o terrorista. Outras nove ficaram feridas, sendo três policiais.

Após o atentado, Chérif e Saïd Kouachi se esconderam em uma gráfica na cidade de Dammartin-en-Goële, a 30 km da sede da revista, de onde tentariam partir para Bruxelas, na Bélgica.

A identidade dos autores do crime foi descoberta após uma perícia no carro em que eles usaram durante a fuga, quando Saïd perdeu seu documento de identidade. Os dois foram mortos enquanto tentavam escapar do cerco realizado pela polícia à gráfica.

CNN Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Um é pouco, acho que estão querendo outro. Segura os couros, dessa vez os caras vão detonar geral.

  2. Essa é uma maneira de dar fama a notícia, o pior é que dá certo!
    Mas as consequências foram, e ou serão trágicas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Governo federal define regras para relicitação do aeroporto de Natal

Foto: Rayane Mainara

O governo federal publicou nesta segunda-feira (17) uma resolução do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) que define a modalidade e as condições para relicitação do Aeroporto Governador Aluízio Alves, localizado na Grande Natal. Segundo o documento, o contrato terá validade de 30 anos.

A resolução publicada no Diário Oficial da União prevê que a modalidade da relicitação será de concessão comum, com desestatização para exploração de infraestrutura aeroportuária.

O terminal fica em São Gonçalo do Amarante e foi o primeiro do país entregue à iniciativa privada, em uma leilão que aconteceu em 2011. Porém, em março de 2020, o consórcio Inframérica, vencedor da licitação, informou que desistiu do contrato.

O processo será feito por meio de um leilão, que deverá ser realizado em sessão pública, com apresentação de propostas econômicas em envelopes fechados e previsão de ofertas de lances em viva-voz, inversão de fases e abertura dos documentos de qualificação do vencedor do leilão.

A resolução assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo secretário especial substituto do Programa de Parcerias de Investimentos, Bruno Leal, também aponta regras para contribuições variáveis que deverão ser pagas pela futura concessionária.

Segundo o governo federal divulgou em novembro de 2021, o investimento previsto na nova concessão é estimado em R$ 308,9 milhões e o processo deve gerar 4.545 novos empregos ao longo do contrato – entre diretos, indiretos e efeito-renda. Na mesma ocasião, a União informou que a previsão é de que o leilão ocorra no primeiro semestre de 2022.

Segundo o governo federal divulgou em novembro de 2021, o investimento previsto na nova concessão é estimado em R$ 308,9 milhões e o processo deve gerar 4.545 novos empregos ao longo do contrato – entre diretos, indiretos e efeito-renda. Na mesma ocasião, a União informou que a previsão é de que o leilão ocorra no primeiro semestre de 2022.

Desistência

O leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante em 2011 foi a primeira concessão do setor à iniciativa privada no Brasil.

Ao comunicar a devolução do aeroporto, a Inframerica afirmou que a decisão foi motivada, principalmente, pelo tráfego de passageiros “negativamente impactado principalmente pela severa e longa crise econômica enfrentada pelo país, ocorrida justamente no período inicial da concessão e que impactou diretamente o turismo na região”.

A expectativa da empresa para 2019 era que o terminal movimentasse 4,3 milhões de passageiros, mas o fluxo registrado foi de 2,3 milhões.

O terminal foi inaugurado em 2014 e fica a 33 quilômetros do centro de Natal. Ele passou para o controle do grupo argentino em 2012 e o prazo da concessão estabelecido em contrato era de 28 anos.

g1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘Fizemos a coisa certa durante a pandemia’, diz Bolsonaro

Foto: REDES SOCIAIS / REPRODUÇÃO

O presidente Jair Bolsonaro comentou, nesta segunda-feira (17), que não faltaram recursos para combater a crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19 no Brasil. “Nós fizemos a coisa certa durante a pandemia, não faltou dinheiro para estados e municípios, não faltou oxigênio, não faltou transporte, não faltou médico. Inclusive, somos exemplo para o mundo no tocante à aquisição de vacinas”, disse o mandatário.

Mesmo afirmando que não tomaria a vacina contra a Covid-19, o presidente comentou que trabalhou para conter a pandemia. “A grande mídia fala como se eu fosse contra o combate à pandemia, mas foi nosso governo que comprou 400 milhões de doses da vacina. Então todos os que tomaram a vacina devem ao governo federal”, comentou.

presidente também voltou a questionar a vacinação infantil e defender o chamado “tratamento precoce” contra o vírus, que reúne medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença.

“O que entrei na disputa nas últimas semanas é quando se falou em vacinar crianças de 5 a 11 anos, ou seja, prevaleceu a nossa vontade, do Ministério da Saúde, que crianças podem vacinar desde que os pais autorizem e fiquem sabendo dos possíveis efeitos colaterais, que não são poucos”, comentou. “Pense bem se você quer ou não vacinar seu filho. O direito de não vacinar as crianças será respeitado.” Apesar disso, o presidente não relacionou quais são os efeitos colaterais causados pela vacina.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gastronomia

XIV Festival Gastronômico de Maracajaú aconteceu nesse final de semana; veja os vencedores

Fotos: Cedida

O XIV Festival Gastronômico de Maracajaú aconteceu esse fim de semana na residência de Leila Cunha Lima e Marisio Almeida . A cada ano, surgem novidades, e os participantes se esmeram mais. Esse ano teve harmonização com os vinhos da Fega Wine. O campeão Geral e também vencedor pelo Júri Popular foi o Juiz Undario Andrade com o prato “Toque de Afeto”.

Na categoria Entrada, os vencedores foram : 1º Lugar- Lorena Laurentino com o prato “O sertão vai virar mar”; 2º Lugar – José Marcelo Costa com o prato “Jardim de Layla”. 3º Lugar: Manoel Onofre Neto com o prato “ode ao sertão”.

Na categoria Prato Principal, 1º Lugar: Ana Claudia com o Prato “É ouro” ; 2º Lugar : Janne Silva com o prato “Filet de sol / Flamboyant “, e 3º Lugar : Mitsue Yui com o prato “soomen de verão Maracajaú.

Na categoria sobremesa, 1º Lugar: Undario Andrade com o prato “Pote de Afeto”. 2º lugar : Paulo Medeiros com o prato Tesouro Tropical , e 3º Lugar : Ana Carolina Monte com o prato “Aconchego”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 01 óbito por covid nas últimas 24 horas; Novos casos são 111

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (17). São 394.421 casos totalizados. No sábado (15) eram contabilizados 394.291, ou seja, 130 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 111 confirmados nas últimas 24 horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.604 no total. Um (01) óbito foi registrado nas últimas 24 horas no RN (em Poço Branco). No domingo (16), eram 7.602 mortes. A Sesap não registrou óbito após resultados de exames laboratoriais de dias ou semanas anteriores. Óbitos em investigação são 1.463.

Recuperados são 380.425. Casos suspeitos somam 117.160 e descartados são 838.675. Estimativa de casos em acompanhamento: 6.392

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Baraúna: MPF obtém condenação de grupo envolvido em esquema de desvio de recursos da educação

Foto: Reprodução

O Ministério Público Federal (MPF) obteve a condenação da ex-prefeita de Baraúna, Antônia Luciana da Costa Oliveira; do ex-secretário de Finanças, Adjano Bezerra da Costa; e dos empresários Carlos André Mourão e Alef Douglas Arrais de Lima. Eles receberam uma pena de nove anos e seis meses de reclusão, além de multa, pela prática do crime de desvio de recursos públicos (artigo 1º, inciso I, do Decreto-lei nº 201/1967).

Os quatro participaram do esquema que se originou quando Luciana Oliveira assumiu a prefeitura (após a cassação do prefeito anterior), no início de 2014. Ela decretou então Estado de Emergência no Município, sob a alegação de instabilidade financeira e administrativa. A partir daí promoveu uma série de licitações e dispensas de licitação irregulares, dentre as quais a que resultou no pagamento de R$ 174 mil à empresa Nordeste Distribuidora Comércio Ltda, dos sócios Carlos André e Alef Douglas.

O objetivo era a compra de fardamento para os alunos e apareceram outras duas empresas “interessadas”, que enviaram orçamentos, no entanto se tratavam de firmas de fachada usadas tão somente para dar ares de legalidade ao processo. A intenção da gestora e do então secretário de Finanças sempre foi de repassar os recursos diretamente à Nordeste, que embora existisse de fato, não possuía sequer local e equipamentos necessários para a confecção dos uniformes. Ainda assim recebeu os R$ 174 mil em julho de 2014, sem nunca ter entregue uma única peça de roupa.

O secretário Adjano Bezerra acabou por comprar, pessoalmente, os fardamentos em uma empresa pernambucana, por R$ 44 mil, praticamente quatro vezes menos que o valor pago à Nordeste. O superfaturamento também foi comprovado quando a Controladoria Geral da União (CGU) demonstrou que, mesmo um ano depois, teria sido possível adquirir no comércio local as vestimentas por preços aproximadamente 20% abaixo do pago à empresa de Carlos e Alef Douglas.

Urgência – A ação do MPF, de autoria do procurador da República Aécio Tarouco, questionou o próprio argumento utilizado pela prefeitura para a dispensa de licitação. A compra de fardamento escolar, sobretudo em um valor alto para o Município – estimado então em R$ 210 mil –, não representava urgência que justificasse a dispensa da licitação. “Os fardamentos adquiridos não são gêneros de primeira necessidade, tal como aquisição de água e perecíveis, por ocasião de uma seca ou enchente”, concordou o juiz federal Orlan Donato, autor da sentença.

As investigações tiveram início a partir do trabalho do Ministério Público do Estado (MPRN) e contaram com auxílio da CGU e da Polícia Federal, permitindo ao MPF descortinar todo o esquema. A compra dos fardamentos, contudo, representa apenas uma das irregularidades envolvendo a administração de Luciana Oliveira, que foram desmembradas por ordem da Justiça. No âmbito cível, a compra do fardamento resultou na Ação por Improbidade 0801947-38.2016.4.05.8401, na qual foram condenados a ex-prefeita, o ex-secretário e Alef Douglas, dentre outros.

Papéis – O MPF apontou que Luciana Oliveira não só ratificou a dispensa de licitação, como autorizou a contratação ilegal da Nordeste e assinou os principais documentos que integraram as fraudes, em conjunto com o então secretário Adjano Bezerra. Este emitiu os empenhos, solicitou despesas e realizou os pagamentos sem a devida comprovação de entrega dos produtos, além de, posteriormente, ter negociado pessoalmente a compra do fardamento junto a outra empresa.

Carlos André, por sua vez, forneceu propostas, certidões, notas fiscais, recibos e todos os demais documentos utilizados para encobrir a contratação ilegal. Ele possuía em seu poder propostas diversas em nome de outras empresas, além de procurações e modelos de timbre dessas firmas, um forte indício de que costuma fazer uso dessas organizações de fachada para simular disputas em processos licitatórios. Já Alef Douglas, sócio da Nordeste, igualmente forneceu propostas, certidões, notas fiscais, recibos e demais documentos, tendo consentido com todos os atos ilegais praticados pelo sócio.

Desenrolar – A Justiça determinou ainda que os envolvidos dividam entre si, após o trânsito em julgado da ação, o pagamento de R$ 225 mil, a título de ressarcimento dos danos provocados aos cofres públicos. O valor é equivalente ao repasse feito à Nordeste, corrigido até fevereiro de 2019.

O juiz de primeira instância absolveu os acusados dos crimes de falsidade ideológica (art. 299, CP) e dispensa indevida de licitação (art. 89, Lei 8666/93), entendendo que ambos os crimes já foram “absorvidos” pelo de desvio de recursos públicos. O procurador Aécio Tarouco, porém, já apresentou uma apelação solicitando que esses crimes sejam considerados no cálculo da pena, de modo a aumentá-la.

A ação penal tramita na Justiça Federal sob o número 0801462-33.2019.4.05.8401 e os réus poderão responder em liberdade, já que da decisão ainda cabem recursos. Caso mantida a pena, eles passarão a cumpri-la em regime inicialmente fechado.

Justiça Potiguar

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 40,9%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 40,9%, registrada no início da tarde desta segunda-feira (17). Pacientes com Covid-19 internados em leitos clínicos e críticos somam 83.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 49,4% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 34,3% e a Região Seridó tem 13,3%.

Até o momento desta publicação são 54 leitos críticos (UTI) disponíveis e 52 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 64 disponíveis e 31 ocupados.

Outros 21 leitos de UTI estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’ e também 27 leitos clínicos também estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’, com outras síndromes gripais.

Em virtude do surto gripal que atinge não somente o RN, a Sesap informou no dia 6 de janeiro que disponibilizou leitos da rede Covid para pacientes com outras síndromes gripais que tenham teste negativo para Covid-19, resguardando as medidas de biossegurança para evitar contaminação.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 54 leitos críticos e 64 leitos clínicos disponíveis

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta das 12h10 desta segunda-feira (17).

Neste período, havia 7 pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação e 4 aguardavam avaliação. Foram registrados disponíveis 54 leitos críticos e outros 64, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Empresário envolvido em confusão por som alto no litoral sul é o mesmo de comportamento político polêmico em redes sociais

Fotos: Reprodução / Rede Sociais

O Blog do BG falou nesta manhã de segunda-feira (17) com quatro vizinhos do empresário Remilton Leite Juca, proprietário da Movetech, loja de móveis para escritório em Natal, e também dono da casa em Pirambuzios que tem tido problemas recorrentes de som alto.

Os quatro confirmaram a problemática, que se tornou recorrente, e diversas vezes a polícia precisou ser acionada por falta de respeito as normas estabelecidas. O local que mais sofre com a situação é a pousada, inclusive, com pessoas que se hospedaram no local fazendo relatos nas redes sociais.

O empresário Remilton Leite Juca é o mesmo que tem ficado conhecido há algum tempo por causa de comportamentos políticos nas redes sociais, e também por ocupar duas vagas de estacionamento apropriada para idosos em um supermercado de Natal.

Opinião dos leitores

  1. É petista. Não precisa dizer mais nada. Não se pode esperar comportamento adequado ou respeitoso de um esquerdista. Infelizmente o RN está sendo governado por uma petista. É professora, mas não sabe se portar à mesa. Lembram dela comendo no Senado? A cena é antológica, vergonhosa. Fala gópi, prataforma, jorídica… e por aí vai. Não tem uma obra que marque o seu governo, já no 4° ano, mas se acha. Petista é tudo igual.

  2. Era cliente dessa loja… até ontem. Não pretendo mais pisar lá.

    Já montei 2 escritórios comprando tudo lá

  3. Sociedade deveria deixar de comprar cadeira no estabelecimento dele, não pelo posicionamento político apenas mas sim pelo desdém do mesmo com a sociedade

  4. Vamos deixar esse otário conhecido, precisa de clientes para sobreviver, e se mete com politicagem besta, se boicotarem a loja dele, vai quebrar e ficar sem carro véi pra fazer suas propagandas bestiais… kkkkkkk se f……!!!

  5. Bom saber, tá na hora da população boicotar empresas de pessoas que não respeitam o próximo, empresários e artistas q se posicionam politicamente são burros, pq essas pessoas precisam de direita, esquerda, centro , e o raio que o parta, mas a ignorância os faz ficar cego

  6. Isso é o que podemos chamar “alma sebosa”, pode ter casa de praia, Mercedes, empresa e tudo mais, porém, um velhote desses que escreve uma coisa dessas, com termos chulos e deselegantes, não merece o respeito de ninguém. Não a toa, os seus vizinhos o consideram insuportável.

  7. É interessante averiguar direito, pois até onde sabemos, o advogado que criou a confusão querendo exigir que se baixasse o som, fora do horário estabelecido pela lei. Acredito que esteja acusando o lado errado. Dessa vez não houve culpa do empresário. A festa acabou as 21:40.

  8. Gente radical, seja pra qual lado político, sempre é insuportável, pq nunca respeita os outros… Bastava um #forabolsonaro não precisa descer ao mesmo patamar os outros fanáticos.

  9. Infelizmente ele não é o único e só está aparecendo aqui por conta do posicionamento politico.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Fernando Haddad testa positivo para a Covid-19

Foto: Reprodução / Globo News

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad disse em uma rede social nesta segunda-feira (17) que testou positivo para a Covid-19. “Os sintomas são os mesmos de uma rinite alérgica. Ficarei isolado, seguindo orientação médica”.

Haddad informou que iria tomar a dose de reforço nesta semana. No entanto, como está infectado, a dose adicional terá que ser adiada.

Em sua página no Twitter, o petista pediu ainda que as pessoas se vacinem e usem máscara.

g1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Quase 190 crianças de 5 a 11 anos são vacinadas contra Covid-19 no primeiro fim de semana de campanha em Mossoró

Foto: Reprodução / PMM

No primeiro fim de semana de vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos com comorbidades ou deficiência, Mossoró aplicou 188 doses nesse público. O município da região Oeste do Rio Grande do Norte foi o primeiro do estado a iniciar oficialmente a campanha para essa faixa etária.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no sábado (15) foram vacinadas 139 crianças. Nesse domingo (16) a campanha Mossoró Vacina aplicou 49 doses pediátricas. A vacinação aconteceu em duas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) nos bairros Alto de São Manoel e Santo Antônio.

Mossoró recebeu 1.710 doses da vacina pediátrica da Pfizer na sexta-feira (14). Segundo a orientação da Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap), a aplicação da vacina teve início pelas crianças que possuem algum tipo de comorbidade (doenças crônicas como cardiopatias, pneumonia, imunossuprimidos, doenças renais, asma, doenças neurológicas, hepáticas, diabetes, obesidade, entre outras), ou deficiência física.

Ampliação

A partir desta segunda (17), a vacinação das crianças de 5 a 11 anos vai acontecer em 12 pontos, de acordo com o cronograma divulgado pela SMS de Mossoró.

Em relação a zona rural, o coordenador do programa municipal de imunização, Etevaldo Lima, informou que cada UBS deve fazer um levantamento do quantitativo de doses necessárias para vacinar o público específico, crianças com comorbidades e deficiências.

A SMS deve encaminhar a essas unidades o quantitativo de doses que for informado.

g1 RN

Opinião dos leitores

  1. Graças a Deus nossas crianças começam a ser vacinadas e poderão ter mais liberdade sem colocar outros em risco…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *