Micarla anunciou que as obras da copa começariam em Dezembro de 2010. Até agora nada!!!

Quando nós pensamos que tudo caminha bem, os problemas aumentam. Vejam a situação grave de Natal, principalmente no que trata do projeto de desapropriação de imóveis, até agora Natal não tem se quer um projeto aprovado pela Caixa.

Os projetos de Natal para a Copa foram aprovados somente pelo Ministério das Cidades. O que não garante o repasse dos recursos. A aprovação do financiamento está vinculada ao aval positivo do Setor de Engenharia da Caixa Econômica Federal aos projetos que serão entregues oficialmente até o final deste mês. Caso o contrato que garantirá o financiamento das obras não esteja assinado até o dia 30 de setembro, os recursos previamente disponibilizados para Natal através do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), poderão ser transferidos para outros projetos do Governo Federal, segundo informações da Caixa.

Também no final deste mês, vence o prazo informado pelo titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Dâmocles Trinta, para a apresentação dos projetos executivos do segundo lote das obras de mobilidade. O secretário foi procurado para comentar o assunto, mas não respondeu às tentativas de contato telefônico. No consórcio EBEI MWH Brasil, responsável pela confecção dos planos gráficos e descritivos, ninguém se pronuncia.

Com o intuito de minimizar a polêmica gerada após a publicação da reportagem pelo UOL, Jean Valério ressaltou que tudo será entregue à população em tempo hábil. “Nós cogitamos, inclusive, a possibilidade de antecipação de entrega das intervenções. Podemos esticar o horário de trabalho, trabalhar nos três turnos”, afirmou.

Obras: oito meses de atraso

No final de 2009, a prefeita Micarla de Sousa assinou com o Governo Federal, o convênio que viabilizaria os projetos de mobilidade urbana em Natal. Passado um ano, em novembro de 2010, ela afirmou que as primeiras obras iniciariam um mês depois, em dezembro.

Após um hiato de nove meses, nenhum sinal de poeira das fundações ou mesmo das demolições que constam nos projetos de execução das obras é visto. A concessionária responsável pela confecção dos projetos executivos das obras, a EBEI MWH Brasil, deveria ter entregue os documentos em abril, mas não o fez.

Uma nova data foi solicitada. Dia 15 de maio. Mais uma vez, descumprida. A postergação ficou para o início de junho. A entrega da documentação, entretanto, não ocorreu. Somente no dia 29 de julho, a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), anunciou o recebimentos dos projetos via correio eletrônico. Até hoje, entretanto, os planos gráficos e descritivos das obras de mobilidade urbana, não foram entregues oficialmente à Caixa Econômica Federal.

De acordo com declarações do titular da Semopi, Dâmocles Trinta, o início das obras está previsto para meados de setembro ou começo de outubro. Nada, porém, está confirmado oficialmente.

Informações Tribuna do Norte