Moro diz à PF que foi alvo de ataques do ‘gabinete do ódio’ e cita ligação de Carlos Bolsonaro com o grupo

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou em depoimento à Polícia Federal que ouviu de ministros do Palácio do Planalto que o filho do presidente Jair Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), é ligado ao chamado “gabinete do ódio”, grupo de assessores bolsonaristas que usa as redes sociais para atacar adversários do presidente, e disse ainda que foi alvo de ataques desse grupo após ter deixado o cargo de ministro.

No depoimento prestado no último dia 12 no inquérito sobre a organização de atos antidemocráticos, Moro afirmou que a ligação de Carlos Bolsonaro com o “gabinete do ódio” é comentada por ministros do Palácio do Planalto e afirmou que esses ministros poderiam dar maiores esclarecimentos à PF.

“Indagado se tem conhecimento do envolvimento de Eduardo Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, Tercio Arnaud, José Matheus, Mateus Matos em quaisquer dos fatos ora mencionados, respondeu que os nomes de Carlos Bolsonaro e Tercio Arnaud eram normalmente relacionadas ao denominado ‘Gabinete do Ódio’; indagado sobre como tomou conhecimento da relação de tais pessoas com o denominado ‘Gabinete do Ódio’, respondeu que tomou conhecimento por comentários entre ministros do governo; indagado sobre quais ministros citavam a participação de Carlos Bolsonaro e Tercio Arnaud no ‘Gabinete do Ódio’ respondeu que eram ministros palacianos”, diz o depoimento.

Novamente questionado sobre quais ministros seriam esses, Moro preferiu não citá-los nominalmente. “Indagado se o depoente poderia nominar tais ministros, respondeu que reforça que era um comentário corrente entre os Ministros que atuavam dentro do Palácio do Planalto”, afirma no depoimento.

Moro disse não ter conhecimento se servidores públicos são usados nessas atividades de ataque às autoridades, mas afirmou à PF que era necessário apurar isso. Sobre os ataques que sofreu, o ministro afirmou no depoimento: “Esclareceu que quando de sua saída do Ministério de Justiça ocorreram diversos ataques contra sua pessoa em redes sociais; que chegou ao seu conhecimento que tais ataques eram oriundos do denominado ‘Gabinete do ódio’; Indagado se pode nominar as pessoas responsáveis pela a prática de tais condutas, direta ou indiretamente, respondeu que não sabe denominar”.

‘Animosidade’ com Rodrigo Maia

A PF questionou Moro se, durante seu período como ministro da Justiça, ele tomou conhecimento da existência de uma estrutura dentro do governo federal montada para atacar autoridades públicas dos outros Poderes, como parlamentares e ministros do Supremo Tribunal Federal.

Apesar de dizer que só tomou conhecimento desses ataques por meio das próprias redes sociais, Moro citou que existia uma “animosidade” entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e que sabia dos ataques ao parlamentar.

“Tinha conhecimento de uma animosidade entre o Presidente da República e o Presidente da Câmara dos Deputados; que tinha conhecimento que o Presidente da Câmara dos Deputados sofria ataques por meio de publicações em redes sociais; que não sabe precisar se tais ataques eram advindos de dentro do governo ou de pessoas ligadas ao governo federal”, afirmou no depoimento.

Após essa declaração, Moro recomendou à PF tomar os depoimentos dos ministros palacianos. “Acredita que melhores esclarecimento possam ser prestados por ministros que atuavam dentro do Palácio do Planalto; Indagado sobre quem seriam os ministros, respondeu que seria possível obter melhores esclarecimento, por exemplo com o Secretário de Governo, o Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, e o Secretário de Comunicação, uma vez que o depoente trabalhava fora do Palácio do Planalto”.

Em depoimento prestado anteriormente no mesmo inquérito, Carlos Bolsonaro negou que orquestrasse ataques a autoridades nas redes sociais por meio de terceiros. Nesta sexta, o vereador comentou o depoimento de Moro após a revelação pelo GLOBO: “Não há qualificação para mais essa tentativa boçal. Saudades de viver em um mundo onde homens eram homens!”.

Desde que deixou o governo, esse é o segundo depoimento prestado por Moro em uma investigação. O primeiro foi no inquérito aberto para apurar as acusações de interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal, feitas por ele ao pedir demissão.

O inquérito sobre atos antidemocráticos foi aberto a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar a realização, financiamento e organização de atos com ataques aos Poderes. O relator da investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) é o ministro Alexandre de Moraes.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zedetoim disse:

    O melhor que Moro fez foi ter acabado com Luladrão politicamentre, com a quadrilha do PT !!!!!!

  2. Antonio Turci disse:

    Desculpem os discordantes, mas Sergio Moro foi o melhor presente que o Criador deu ao Brasil desde 1500. De grande preparo intelectual, de incomparável envergadura moral e ética, deixou um grande legado ao povo brasileiro por ocasião da Lava Jato. Poderá, no futuro, fazer muito pelo Brasil. Não reconhecer o mérito de Sérgio Moro é um atestado de ingratidão ou de ignorância.

    • ACÉFALO disse:

      Uuauu!! Que texto lindo.

      Só a título de informação.

      1 – o Juiz ou ex ou sei la o quer.. envolvido no ESCÂNDALO da Privatização TUCANA,

      2- envolvido no ESCÂNDALO do Banestado.

      3 – Ser teve um político ou algum do tipo chamou Dr. ENÉAS CARNEIRO.

  3. Antônio Soares disse:

    Esse é o final de todo dedo duro

  4. Chicó disse:

    Interessante, todo mundo, exceto o gado que não tem massa na cabeça, sabia que a família Bozo era fake e que vive do ódio do povo. Quando esse ódio era direcionado ao PT e outros inimigo de conveniência, Moro se aliou a família "quem disse que ele era família foi a Sra. Moro" ele achava bom e não reclamava. Agora diz que não sabia, que é vítima… Acredita quem quer. Não só Moro como vários outros provaram do próprio veneno com a família Bozo. Mais que merecido. Mas não para por aí, Deus vê tudo e quem planta colhe. QUEM FAZ MAL AOS OUTROS OU VÊ E NADA FAZ PARA PARÁ-LO, LOGO VIRA VÍTIMA DESSE MAL.

    • Rodrigo disse:

      É, o trabalho do moro parece que só lhe fez bem, mesmo sem ter cargo público tem aprovação da maioria do povo brasileiro, seus trabalhos rendem muito dinheiro, e a lava jato continua a todo vapor, ontem mesmo estava na rua enquadrando mal feitores petralhas. Pelo que se comenta, o trabalho desenvolvido pelo nosso herói, pelo andar da carruagem, irá perdurar ainda por uma década adiante. Será se os petralhas tem bons trato com a coisa pública? E se essa operação colherá bons frutos para brasileiros e o ex-juíz Sérgio Moro?

  5. Rocha disse:

    Outra decepção nacional, pagou pela vaidade de ser chamado de ministro. Se achou quando exercia o cargo; toda moral desse cidadão foi pra lata do lixo.

  6. djailson disse:

    é SÓ AGUARDAR o fim DE moro com a delação de TACLA DURAN . e PENSAR QUE FUI para Midway para defende-lo.

  7. Chico 200 disse:

    O marreco tá cercado pelo Celso três, tá querendo inventar coisas. A tucanada tá ferrada! Povo que ele sempre defendeu.
    Chora, marreco!! Vai defender Zé Serra e mais uma meia dúzia dos seus amigos! Dispensa os 750 mil!

  8. Bolsonaro RN disse:

    Ele quer sempre ser lembrado na mídia, se não, só lembranças de barto Galeno, esse judas.

  9. Junin disse:

    Choveu no molhado foi?

  10. Trincheira disse:

    Depois do papelão que fez na saída com cargo de Ministro, tudo que esse senhor fala, parecer ser discurso previamente programado, estudado e pronto para criar versões.
    A necessidade em culpar alguém na família Bolsonaro é tão grande que foge a normalidade.
    Ele tem tanto foco em acusar a família Bolsonaro que nunca fez, não disse uma palavra contra aqueles que realmente atuaram contra ele, como o famoso caso do roubo de sua mensagens pelo intercept e seus atores que agiram contra membros da República e nunca foram sequer, acusados formalmente.
    Moro desfigurou-se aos poucos, juiz implacável contra alguns políticos, nunca processou ninguém do PSDB, pelo contrário, engavetou as investigações contra Aécio , a irmã dele e seus emissários.
    Sabe o que faz e o faz de forma planejada, calculada, fria, afinal, ninguém joga fora 20 anos de magistério para ficar sem nada nas mãos.
    Na realidade tanto faz votar em Moro, Aécio, FHC e demais figurinhas carimbadas do PSDB, são todos filhos do mesmo ninho.

  11. J & J disse:

    Meu candidato em 2022 será Moro

  12. Ivan disse:

    Nosso futuro presidente, moro 2022.segura essa Brasil véi de guerra.

  13. Chega de CANALHAS disse:

    Que decadência, esse aí não passa de um fofoqueiro recalcado. #CHORAMORO

  14. Calígula disse:

    Chora Moro buá, buá, buá kkkk

COMENTE AQUI