Escritora é condenada a indenizar padre Marcelo Rossi após acusação de plágio

Padre Marcelo Rossi e Izaura Garcia, presa por acusá-lo falsamente de plágio no livro “Ágape”. Foto: Reprodução

A escritora Izaura Garcia de Carvalho Mendes foi condenada a indenizar o padre Marcelo Rossi, colunista do EXTRA, e a Editora Globo em R$ 50 mil cada um. Izaura acusava o religioso de plágio no livro “Ágape” e chegou a entrar na Justiça pedindo uma indenização de mais de R$ 50 milhões. Mas o documento que a escritora apresentou para embasar a ação era falso. Izaura foi presa em maio por estelionato. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, no GLOBO.

Na decisão que condenou Izaura, o juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Rio, revogou a liminar que suspendeu a publicação, distribuição e venda de “Ágape”. O magistrado condenou a escritora a pagar um valor ainda a ser calculado, correspondente ao montante que a Editora Globo deixou de lucrar pela suspensão da venda do livro. Izaura também foi condenada a devolver R$ 154.614,04, valor correspondente à soma dos valores recebidos pela escritora, no acordo extrajudicial firmado com a editora em 2013, para utilização do texto “Perguntas e Respostas – Felicidade! Qual é?” no livro “Ágape” e também para a publicação do livro “Diabetes.com.saude”, escrito por ela.

“Ocorre que o negócio foi celebrado com base em erro, pois a autora não conseguiu provar ser a titular do direito autoral. Nos termos do art. 171 do CC são anuláveis os negócios jurídicos resultantes de erro ou dolo”, escreveu o magistrado. “Em relação ao dano moral, também resta incontroverso que a presente lide causou danos à imagem dos réus, que sofreram com a exposição negativa do caso, além dos transtornos e aborrecimentos inerentes à uma causa que se atribui um valor indenizatório da ordem de R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais)”.

Extra – O Globo

“Milícia digital”: Renova Mídia condena acusação do deputado Alexandre Frota, e destaca “ameaça à liberdade de expressão”, como também “ataque ao empreendedorismo no Brasil”

RENOVA Mídia faz parte de uma ‘milícia virtual’?

Qual a possibilidade de um veículo de informação de pequeno porte competir em um cenário de igualdade com os grandes conglomerados midiáticos sem o advento da internet e, consequentemente, da redes sociais?

A resposta é simples: nenhuma. Não é à toa que tantos personagens seguem tentando encontrar maneiras de impor restrições à internet.

A rápida expansão do portal da RENOVA Mídia no ambiente digital abriu espaço para inúmeras teorias conspiratórias, campanhas de desinformação e calúnias de todos os tipos.

Por falar em calúnia, foi isto o que o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) fez na última quarta-feira, 30 de outubro, durante participação na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News.

Ao nos categorizar como membro de uma suposta “milícia virtual” comandada pelo escritor Olavo de Carvalho, o parlamentar agiu de forma mentirosa, sem provas e sem escrúpulos.

A RENOVA é uma empresa com base no Nordeste composta por uma equipe bastante reduzida. Este que vos escreve, Tarciso Morais, CEO e editor-chefe, Bruna, gerente de mídias sociais, e Afrâneo, diretor de operações em São Paulo, além de outros colaboradores.

Não temos conexões com políticos nem tampouco conhecemos a cidade de Brasília. Nunca conversamos com Olavo de Carvalho, e também não frequentamos seus cursos. Quaisquer alegações que fujam destas premissas são mentirosas.

É extremamente lamentável que o deputado Alexandre Frota se utilize da sua imunidade parlamentar para fazer acusações levianas e irresponsáveis na CPMI das Fake News.

A movimentação do deputado tucano para incluir a RENOVA na categoria de “milícia virtual” não é apenas uma clara ameaça à liberdade de expressão, mas também um infeliz ataque ao empreendedorismo no Brasil.

Ver o nome da nossa empresa em uma comissão no Congresso Nacional após citação caluniosa de um deputado, no entanto, não causa indignação, pelo contrário, é sinal de que todo esforço implementado nesta empreitada está surtindo efeito.

A RENOVA Mídia leva muito a sério nossa missão de oferecer um fluxo constante de informação, prezando pela qualidade e transparência, sem imposição de ponto de vista, permitindo que os leitores formem opiniões próprias sobre os acontecimentos globais.

Não abrimos mão de trabalhar de maneira independente e transparente, e não há na nossa breve história nada que nos desabone, moral ou juridicamente. De maneira que nos sentimos absolutamente confortáveis para desafiar qualquer pessoa a comprovar a veracidade de acusação do parlamentar Alexandre Frota.

Tarciso Morais
CEO e editor-chefe da RENOVA Mídia

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    ….. Encontra-se com a DPF, todo o material e pelo que foi enviado existe provas contundentes sim, faltando apenas os peritos avaliarem. Inclusive ja com delação de colaboradores….. Pronto só posso ir até aqui, para não comprometer as investigações….

Cunhado de Ana Hickmann é absolvido de acusação de homicídio

(Foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)

O cunhado da apresentadora de TV Ana Hickmann foi absolvido, por três votos a zero, na tarde desta terça-feira. Gustavo Henrique Belo Correia era acusado de homicídio doloso – quando há intenção de matar – contra o fã da artista, Rodrigo Augusto de Pádua, que, em maio de 2016, invadiu um hotel no Bairro Belvedere, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, onde Ana estava hospedada, e tentou matá-la. Pádua foi morto com três tiros na nuca, depois de lutar com o cunhado da apresentadora.

O julgamento ocorreu na tarde desta terça-feira, na sede do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), no Bairro Serra, na Região Centro-Sul de BH. Antes da audiência, Gustavo conversou com o Estado de Minas e demonstrou tranquilidade e confiança em sua defesa.

Após o julgamento, Gustavo Correia se mostrou satisfeito com a decisão do júri. “Era o que eu esperava. Meus familiares também, só que a gente nunca cantou vitória”, disse.

O cunhado da apresentadora de TV ainda agradeceu o apoio do presidente Bolsonaro e do Ministro da Justiça, Sérgio Moro. “Foi muito importante desde o começo. Sou muito agradecido. Independente de partido político, se é direita, se é esquerda, se é centro, não interessa. Isso é questão de justiça”, afirmou.

O advogado de Corrêa também celebrou o resultado. “A justiça tarda mas não falha”, disse Fernando José da Costa. Ele contou que foi uma surpresa a decisão do Ministério Público de Minas Gerais de apresentar denúncia de homicídio doloso, mesmo quando o inquérito tenha sido concluído como legítima defesa.

“Lamentavelmente aquele promotor de 1ª Instância, Dr. Francisco de Assis, desde o início, se convenceu da culpabilidade de Gustavo. Tanto é que antes do interrogatório, momento mais importante do processo, o mesmo deu uma entrevista informando que iria pronunciar o Gustavo. Ou seja, não deu sequer a oportunidade de ouvir a versão de Gustavo”, disse. “Respeito o Ministério Público, mas a atuação desse promotor não foi técnica, não foi imparcial”, completou.

O advogado informou ainda ressaltou que trabalhava para aliviar o sofrimento da família de Corrêa e Ana Hickmann, que, segundo ele, ainda fazem tratamento psiquiátrico. “Prometi trazer a eles (família) essa vitória jurídica. Pessoas honestas, que trabalharam uma vida inteira, de repente viram seu filho réu. Foi gerado um grande sofrimento de uma família trabalhadora”, disse.

No fim, ele agradeceu o trabalho da justiça mineira. “Hoje eu parabenizo o Poder Judiciário e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais que, além de manter a sentença absolutória, deu uma lição de moral, de conforto à família Corrêa”.

O caso

Em 2017, Gustavo foi absolvido pela juíza Âmalin Aziz Sant’Ana, titular do juízo sumariante do 2º Tribunal do Júri da capital, que considerou que o réu agiu em legítima defesa. Mas, em abril de 2018, o promotor do Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, Francisco de Assis Santiago, recorreu da decisão que inocentou o cunhado.

O MPMG apresentou denúncia por homicídio doloso contra Gustavo Corrêa em 7 de julho de 2016. Ele foi enquadrado no artigo 121 do Código Penal, que prevê reclusão de 12 a 30 anos por homicídio qualificado. A denúncia foi em sentido oposto ao que a Polícia Civil do estado apontou na investigação.

O delegado Flávio Grossi, responsável pelo caso, pediu o arquivamento do inquérito, alegando que Gustavo teria agido em legítima defesa.

Estado de Minas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Brasil Acima de Todos disse:

    Absolvição justíssima. A verdade imperou. Parabéns advogado e a justiça.

  2. J. Dantas disse:

    Chupa MP, que ganha um miserê…… mais um herói salvo das garras do MP…se fez justiça!

Najila presta depoimento em delegacia de SP sobre acusação contra Neymar

Najila Trindade chega com o rosto coberto dentro da 6ª Delegacia da Mulher — Foto: Floyd Marcel/TV Globo

A modelo Najila Trindade Mendes de Souza chegou no final da manhã desta sexta-feira (7) à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher em Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo, para prestar depoimento sobre o caso em que acusa o jogador Neymar de agressão e estupro durante encontros com ele em Paris.

Najila chegou com seus advogados e acompanhada da amiga Rosana, que também será ouvida porque estava com a modelo quando o boletim de ocorrência foi registrado. Cercada pela imprensa, Najila entrou na delegacia com a cabeça coberta por um casaco preto.

Ela será ouvida pela delegada Juliana Bussacos, que investiga o caso. A delegada quer tirar dúvidas sobre a história contada por Najila na semana passada e, principalmente, ter acesso à íntegra do vídeo que mostraria a agressão de Neymar.

Juliana Bussacos tem em mãos uma carta precatória com duas perguntas que devem ser feitas a Najila no inquérito que apura a exposição de imagens íntimas dela em redes sociais pelo atacante.

A primeira delas: se Najila confirma que as conversas expostas por Neymar foram realizadas. E a segunda: se ela autorizou a publicação ou se compartilhou as imagens e mensagens com outras pessoas ou grupos.

A delegada também pretende ouvir o jogador Neymar, para que ele dê sua versão sobre o aconteceu no encontro entre os dois.

Nova análise de exame de corpo de delito

A delegada já recebeu o relatório clínico particular feito pela mulher no dia 21 de maio e, nesta quinta-feira (6), protocolou no Instituto Médico Legal um pedido para que esse relatório e o laudo do exame de corpo de delito — feito no dia em que o caso foi registrado — sejam analisados por um grupo de médicos legistas.

É o chamado corpo de delito indireto. O objetivo é analisar se as queixas da mulher e as lesões têm relação com o caso.

Nesta quinta-feira, o Jornal Nacional teve acesso a um boletim de ocorrência registrado em 2014, um caso de violência doméstica com lesão corporal.

Na época, Najila relatou à polícia que, depois de uma briga com o marido, ela estava na sala de estar, comendo uma maçã com uma faca na mão, e disse que ele partiu para cima dela. Ela relatou ter sido puxada pelos braços, quando o marido foi atingido pela faca. O caso foi arquivado.

Najila reitera ter sofrido estupro e agressão

A polícia tem um novo fato a esclarecer neste caso: Najila disse que o apartamento onde mora foi arrombado. Um delegado foi até o apartamento para verificar se isso, de fato, aconteceu. A síndica do prédio já registrou um boletim de ocorrência.

Nesta noite, o advogado Danilo Garcia, que representa Najila, divulgou uma declaração dela, registrada em um cartório de São Paulo. No documento, Najila reitera que sofreu os crimes de estupro e agressão praticados por Neymar.

Afirma que tem amplo material probatório sobre as agressões sofridas. No fim, Najila afirmou estar ciente de que caso a declaração não seja a expressão da verdade responderá criminalmente por infração do Código Penal.

Cronologia com base em relatos de Najila e Neymar

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Comunista disse:

    AS MULHERES DE CUBA ESTÃO DESESPERADAS PRA SAIR DE CUBA.

Repórter esportiva casada com empresário do ramo é afastada da Globo por acusação de conflito de interesse

Ana Helena foi afastada. Foto: Reprodução/Instagram/@anagoebel

A Globo afastou a repórter Ana Helena Goebel de sua cobertura da Copa América. A profissional é acusada de um possível favorecimento de interesses pessoais envolvendo uma de suas reportagens para o ‘Globo Esporte’ do Rio de Janeiro sobre uma tranferência do volante Cuellar para o mercado europeu na próxima janela de transferências.

Casada com o empresário Gianfranco Petruzziello, proprietário da empresa Forza Carreira Esportiva, que representa Cuellar, Ana Helena foi a responsável por um entrevista com o jogador, em que afirma que o atleta tem diversas propostas do velho continente para deixar o rubro-negro. O jornalista Tiago Cordeiro, do blog Cronista Esportivo, foi o primeiro a destacar o possivel interesse escuso no caso.

A Globo também estranhou o ocorrido e conduz averiguação interna para apurar o caso. Enquanto isso, a reporter segue afastada e a emissora divulgou a seguinte nota: “A repórter Ana Helena Goebel deixará a cobertura da Copa América até que tudo seja esclarecido.”

R7

Acusação no São Paulo gera pedido a Moro por força-tarefa para investigar corrupção e lavagem de dinheiro no futebol brasileiro

Requerimento é baseado em investigação contra Carlos Miguel Aidar, ex-presidente do São Paulo — Foto: CARLA CARNIEL – Agência Estado

O conselheiro do São Paulo Newton Ferreira protocolou requerimento no Ministério da Justiça e Segurança Pública para que seja criada uma força-tarefa para investigar corrupção e lavagem de dinheiro no futebol brasileiro.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o pedido, feito na última quarta-feira, é baseado numa investigação do Ministério Público de São Paulo sobre supostas irregularidades referentes à administração de Carlos Miguel Aidar, que renunciou à presidência do São Paulo em 2015.

Ao jornal, a assessoria de imprensa do Ministério confirmou o protocolo e informou que o requerimento já foi enviado ao gabinete do ministro Sérgio Moro.

O caso que serve como base para o requerimento é o da contratação do zagueiro Iago Maidana. O jogador, então no Criciúma, foi comprado por uma empresa chamada Itaquerão Soccer por R$ 800 mil, depois registrado no Monte Cristo, clube que estava na terceira divisão de Goiás, e em seguida negociado ao São Paulo, que ficou com 60% dos direitos por R$ 2 milhões.

No pedido, Newton Ferreira, opositor do atual presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, afirma que a investigação do Ministério Público não gerou resultados e que “episódios como os aqui mencionados continuam a suceder” no futebol brasileiro.

À Folha, o advogado José Luis Oliveira Lima, defensor de Aidar, afirmou que não teve acesso ao requerimento e que na investigação liderada pelo Ministério Público “não há absolutamente nada que desabone a atuação de Carlos Miguel Aidar à frente da presidência” do São Paulo.

Globo Esporte

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Futebol, clero e política: pense num tripé harmonioso.

ACARAJÉ QUENTE: Santana deve tentar usar ‘saída Duda’

duda e joaoEntre todos os paralelos possíveis entre o mensalão e o petrolão, os dois maiores escândalos da era petista, poucos são tão eloquentes quanto os capítulos destinados aos marqueteiros do PT.

Dez anos depois de Duda Mendonça chocar o país com o depoimento em que admitiu, em rede nacional diante da CPI dos Correios, ter recebido no exterior pela campanha de Lula, é a vez de João Santana que o substituiu no marketing petista, colocar a presidente Dilma Rousseff em xeque.

A ironia fica por conta de que, ex-sócios, Duda e Santana hoje são desafetos.

Ainda assim, defesa de Santana deverá seguir o roteiro adotado por Duda, que lhe rendeu uma rara absolvição no festival de condenações do mensalão em 2012.

Deve admitir ter recebido recursos no exterior, mas negar sua relação com as campanhas de Lula, Dilma e outros petistas. Vai se dispor a pagar o que eventualmente seja devido à Receita e tentará escapar da imputação de crimes mais graves, como lavagem, evasão de divisas e corrupção passiva.

O caroço no angu é que, agora, a Lava-Jato tem um raio-X muito mais detalhado da complexa rede de off-shores e pagamentos a Santana no exterior. Mais: a força-tarefa sustenta ter evidências de que dinheiro desviado da Petrobras irrigou essa rede.

Caso isso seja provado, o caso Duda terá sido o que foi o mensalão diante do petrolão: apenas um prelúdio pueril, quase modesto.

Fonte: Radar Online / Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    Este mal caráter é mesmo um mister M (ilusionista e SAFADO), como disse ontem um senador no congresso.

  2. Verdade seja dita disse:

    O pai da mentira é o diabo. Depois das mentiras deslavadas para ajudar a eleger sua Cliente será que este capeta tem créditos para fazer sua defesa junto a PF.

Sandro Pimentel acusa colegas da Câmara de não terem moral e deve responder processo na Comissão de Ética

sandropimentelO vereador Sandro Pimentel (PSOL) deve terminar indo responder a um novo processo na Comissão de Ética. Isso porque na sessão calorosa desta quarta-feira (18), em que foi votado o processo do vereador Marcos Antônio (PSOL) acusado de ser negligente no caso do mensalinho, Sandro disse que nenhum parlamentar teria moral para julgar alguém. E essa fala foi dita reiteradas vezes.

Diante da acusação de Sandro, alguns vereadores ficaram transtornados e trataram de se antecipar prometendo protocolar uma ação contra o vereador.

Klaus Araújo disse que as palavras de Sandro desmoralizam toda a Câmara Municipal do Natal (CMN). “O vereador desmoralizou a Casa inteira. Ele disse que ninguém tinha moral para nenhum julgamento. Ora, ele que entregue a cadeira dele então. Eu não aceito essa denúncia e vou fazer acusação a comissão de ética”, disse.

O vereador Aroldo Alves foi outro que disse que iria apresentar uma denúncia na Comissão. “O que foi dito aqui nunca poderia ser dito. Isso é um desrespeito à Casa. Portanto, vou apresentar uma denúncia contra ele na Comissão de Ética para que o vereador responda pelo que falou”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julio Protásio disse:

    Absurdo! Esse senhor achar que pode falar tudo contra todos, ganha salário na UFRN sem trabalhar e como vereador, diz que trabalha mais o chefe dele que abona a folha de ponto é filiado é subordinado ao partido dele

  2. sil disse:

    esse nosso pais esta um verdadeiro puteiro se é na camara e no senado as coisas vão de acordo com á barganha e aqui na camara municipal as brigas se tornam um desrespeito para com á população desta cidade chamada natal.

  3. Por um Brasil melhor disse:

    Esses nossos representantes estão ganhando muito dinheiro e produção em prol da população muito pouca, alguma coisa tem que mudar, a câmara até parece a casa da mão Joana, sem querer ofendê-la,
    muito mi mi mi mi, esqueceram para que foram eleitos?

  4. Junior pinheiro disse:

    Essa lei é muito hilária tolerar tantas coisas….a começar pelo fato de o cara quase nao ser votado e eleger-se a custa de outro, ou seja, representa ninguem!!!como pode isso!!???brincadeira!!!

Ataque a mulheres em rede de transportes: Universitário é preso por estupro na Estação Luz da CPTM

Um universitário foi preso na tarde desta segunda-feira, 17, na Estação da Luz,no centro de São Paulo, acusado de abusar de uma passageira que tentava viajar em um trem da Linha 7-Rubi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

A mulher teve o braço segurado pelo acusado,que tentou ainda arrancar a calça da vítima. Outros passageiros do trem espancaram o acusado. As agressões só pararam quando seguranças interferiram. Ao Estado, Adilton Aquinio dos Santos, de 24 anos,confessou o ataque.

“Infelizmente, foi um fato. Estava muito apertado (no trem) e eu não aguentei.” Santos acessava páginas em redes sociais que estimulavam ataques a mulheres dentro da rede de transportes, segundo o Delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Divisão Especial de Atendimento ao Turista (Deatur).

A vítima, uma supervisora de 30 anos, foi levada à Santa Casa de Misericórdia, onde foi constatada uma luxação no braço. Agentes da Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom) e da Polícia Ferroviária (segurança da CPTM) ainda iriam encaminhá-la ao Hospital Pérola Byington, na zona sul, especializado no atendimento a mulheres vítimas de violência sexual.

Ocorrências. A Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom) já contabiliza 15 casos semelhantes apenas neste ano. Este caso foi o único registrado como estupro – os demais aparecem como importunação ofensiva.

Santos, desempregado e morador de Guaianases, não tem passagens pela polícia e confessou o ataque à supervisora. “Infelizmente foi um fato que aconteceu. Estava muito apertado no trem e eu não aguentei.” O homem afirmou que nunca havia feito isso antes.

Segundo Gonçalves, a polícia monitora sites e grupos do WhatsApp que promovem esse tipo de crime. Uma das páginas, que incentivavam que homens molestassem mulheres justamente na Linha7-Rubi, foi tirada do ar neste fim de semana pelo Facebook.

Estadão

Edir Macedo será julgado por falsidade ideológica

duas-semanas-depois-de-provocar-revolta-nos-funcionarios-da-record-ao-publicar-em-seu-blog-um-texto-que-sugeria-que-uma-jornalista-da-emissora-teria-morrido-por-ter-deixado-a-1326970506422_300x300O Tribunal Regional Federal da 4ª Região analisa nesta terça-feira (26) uma apelação do Ministério Público Federal que pode levar à condenação do bispo Edir Macedo e dos réus Honorilton Gonçalves da Costa e Julio César Ribeiro. Os três são acusados de falsidade ideológica no processo de venda de uma rede de TV em Santa Catarina, em 2002.

Os três já foram inocentados na primeira instância em agosto deste ano. Caso condenado na segunda instância, os réus ainda podem recorrer.

Eles teriam utilizado uma procuração assinada seis anos antes por um ex-colaborador da Igreja Universal para transferir, sem sua autorização, a Televisão Vale do Itajaí para o nome de outra pessoa.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com Arthur Lavigne e Fernanda Silva Telles, advogados de Edir Macedo, nem com os advogados dos demais réus. Em 2009, Lavigne havia afirmado que “não houve delito, já que a procuração já foi feita para que a TV ficasse realmente com o bispo Macedo”.

Macedo é ex-presidente da Rede Record e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

Entenda o caso

Segundo a denúncia do Ministério Público, Edir Macedo teria utilizado em 2002 uma procuração assinada seis anos antes pelo ex-colaborador da Igreja Universal Marcelo Nascente Pires, para transferir sem a autorização dele a Televisão Vale do Itajaí para o nome de outro colaborador.

De acordo com Marcelo da Mota, Pires assinou o documento dando ao bispo plenos poderes para transferir ações em 1996, mas o espaço relativo ao nome da empresa que seria transferida foi deixado em branco.

Segundo a investigação, a procuração foi completada pelo bispo em 2002, com o nome das empresas Rede Fênix, TV Vale do Itajaí e Televisão Xanxerê. O documento foi utilizado na transferência da TV Vale do Itajaí para Honorilton Gonçalves da Costa, também colaborador da Igreja Universal.

A procuração também foi apresentada para a alteração da composição societária da empresa junto ao Ministério das Comunicações. “A investigação demonstrou que esse tipo de documento era comum no grupo”, explicou o procurador.

Segundo ele, as empresas eram registradas em nome de terceiros, mas pertenciam de fato ao bispo Edir Macedo.

O procurador disse ainda que, de acordo com a investigação, para se proteger, o bispo mantinha em seu poder procurações em branco autorizando a transferência das empresas, para que ele pudesse, a qualquer momento, transferir a empresa para outro colaborador.

De acordo com Mota, a transferência da TV Itajaí foi um desses casos. “Marcelo Pires nega que tenha dado autorização para o preenchimento posterior da procuração e afirma que não autorizou a transferência. O preenchimento de dados sem autorização do outorgante configura falsidade ideológica”, disse.

Ainda de acordo com o procurador, um dos indícios que comprovam o preenchimento posterior da procuração seria a inclusão no documento da Televisão Xanxerê, que só foi criada em 1998. “Em 1996, a empresa não existia com esse nome, o que comprova que o documento foi preenchido depois”, disse.

O procurador afirma que a alteração posterior do texto foi comprovada também por uma perícia da Polícia Federal.

Também foram denunciados à Justiça Honorilton Gonçalves da Costa e Júlio César Ribeiro, por terem contribuído para a fraude. Segundo Mota, eles fizeram diversas transferências da propriedade da empresa entre eles para mascarar o uso da procuração.

UOL

Homem que tentou contaminar mais de 300 pessoas com o vírus HIV pode pegar perpétua

313Promotores do Missouri, EUA, estão acusando um americano de um crime chocante. Segundo os relatos, ele escondeu de seu parceiro e de pelo menos 300 pessoas que é portador do HIV, vírus que provoca a AIDS.

David Mangum disse à polícia que ele teve centenas de encontros sexuais sem nenhum tipo de proteção com centenas de pessoas que conheceu pela internet ou em parques desde o dia em que foi diagnosticado com HIV, em 2003.

Os investigadores dizem que vai ser difícil ou impossível ir atrás dessas pessoas para alertá-las sobre o fato de existir a possibilidade de estarem contaminadas porque o acusado apenas sabe o primeiro nome de algumas.

O juiz estipulou a fiança no valor de R$ 500.000 reais para soltá-lo da cadeia. Mangum tem 36 anos e comentou que 60% dos seus parceiros sexuais moram na cidade de Stoddard County.

No Missouri, expor alguém ao vírus do HIV sem o seu consentimento é um crime que pode ocasionar 15 anos de prisão. Caso alguma das 300 pessoas tenha contraído o vírus, ele pode ser condenado à prisão perpétua.

Jornal Ciência

Cliente desabafa sobre furto e descaso do Carrefour Zona Sul

Uma internauta assídua do Blog, identificada como Zilmá Leite, fez uma denúncia sobre a insegurança no Carrefour da Zona Sul, e alertou a quem freqüenta o estabelecimento após ter sido vítima de uma dupla feminina, que teria levado a carteira de sua bolsa, onde estavam seus cartões bancários, entre outros documentos e pertences. O fato foi registrado no dia 22 de agosto, inclusive, com realização de Boletim de Ocorrência (BO).

Segundo Zilmá Leite, ao ser furtada, procurou algum funcionário para contato, mas, não existia nenhum no interior do estabelecimento capacitado para ajudá-la. “Não encontrei vigias, segurança, uma pessoa, sequer, encarregada para o socorro ao cliente. Então, fiquei umas duas horas aguardando o registro das câmeras do interior da loja, afinal, o local do furto havia sido identificado. Resultado: a incrível informação de que a filmagem é feita de forma rotativa e não era possível o registro do fato”, desabafou questionando para que servem as câmeras no local.

A cliente conta que após o furto registrado numa quinta-feira, no sábado seguinte se dirigiu novamente ao estabelecimento, e foi informada que no dia anterior, uma outra senhora teria sido furtada. “Quanto a essa senhora, estou para me comunicar, mas se isto não bastasse, já tive contato com outra que teve sua carteira com dinheiro também furtada no interior daquele supermercado. Por enquanto, nós duas estamos procurando contato com outras vítimas para providências no sentido de informar aos empresários que o objetivo desses ilustres senhores não deve ser apenas o lucro exorbitante, mas para isso tem que existir os clientes, aos quais deve ser proporcionado um mínimo de segurança”, alertou.

Zilmá Leite disse que desde o fato, procurou o diálogo de todas as maneiras com o Carrefour, contudo, a empresa disse que não iria ressarcir o seu prejuízo e que ela buscasse os seus direitos. “Apesar de eu ter entregue todos os documentos solicitados pelo gerente daquele dia, como boletim de ocorrência, nota das compras, extratos das contas bancárias, de nada adiantou. Aguardemos, então, enquanto outras vítimas aparecem e a nossa paciência suporta”, finalizou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Walther disse:

    Há muito tempo que atendimento ao cliente deixou de ser assunto de prioridade no Carrefour.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    So compro no NORDESTAO pois eh da terra e a gente fala com o dono!

  3. Tatiana Santos disse:

    Por isso que adoro o Nordestão. Somos bem atendidos em todos os sentidos lá o/

  4. Cristiano disse:

    Minha mãe uma vez passou por algo parecido, foi ameaçada por um cidadao armado dentro do carrefour , os seguranças foram acionados, o cidadao ainda estava no carrefour e eles ficaram so olhando e disseram que nao podia fazer nada. No outro dia fomos solicitar as gravaçoes das cameras e eles nao forneceram. Desse dia pra ca nunca mais minha familia fez compras la. Tomara que feche.

Mulher acusa quatro jogadores do Vitória-BA de estupro

Na manhã desta segunda-feira (30), uma mulher, de 44 anos, acusou quatro jogadores do Vitória de terem abusado dela no hotel em que a equipe baiana está hospedada, em Curitiba. Segundo informações do portal Banda B, ela deixou o lugar chorando e se jogou em frente a um carro na rua do hotel, no centro da cidade, para pedir ajuda.

A mulher disse que foi estuprada pelos atletas em um dos quartos do Hotel Bourbon. A polícia foi chamada, mas ela alegou não saber os nomes do grupo de jogares que participou da ação. Após vencer o Atlético-PR por 5 a 3, no último domingo, o time do Vitória continuou hospedado em Curitiba.

Segundo a suposta vítima, ela e uma amiga estavam com os jogadores em uma boate e durante a madrugada foram para o hotel. A mulher afirma que sua amiga é namorada de um dos atletas e que eles teriam ido para outro quarto do hotel, enquanto ela seguiu com quatro jogadores para outro quarto, onde ocorreu o estupro.

O motorista que ajudou a mulher disse que a direção do hotel conversou com um representante do Vitória, mas o homem afirmou que a presença de prostitutas nos quartos era normal e que nada poderia ser feito.

Ainda segundo o portal, a polícia e alguns dirigentes do clube conversaram durante a manhã. A mulher deve passar por exames no IML (Instituto Médico Legal) e o caso será investigado pela Delegacia da Mulher.

A direção do hotel preferiu não gravar entrevista, mas  afirmou ao Banda B que o processo de entrada e saída das hóspedes foi normal e que em nenhum momento recebeu queixa da suposta vítima.

R7

No julgamento do Mensalão, Roberto Gurgel acusa: "José Dirceu comandava de fato"

Nesse segundo dia de julgamento da Ação Penal 470, ou simplesmente “Mensalão, o procurador-Geral da República (PGR), Roberto Gurgel, faz a leitura da acusação contra os 38 envolvidos. Roberto não poupou a cúpula e disparou, principalmente, contra José Dirceu, apontado como líder do esquema.

“Nada. Absolutamente nada, acontecia sem a aprovação de José Dirceu. José Dirceu comandava de fato”, disse o PGR sobre o ex-parlamentar e ex-ministro-chefe da Casa Civil.

Gurgel não poupou e ainda disparou um forte arsenal contra o esquema do Mensalão.

“Foi, sem dúvida, o mais atrevido e escandaloso caso de corrupção e desvio de dinheiro público registrado no Brasil. Maculou a República”, acusou.

 

Extremoz: Klauss Rego acusa oposição de oportunismo no início da campanha

O BG recebeu o release da assessoria do prefeito Klauss Rego, candidato a reeleição em Extremoz, onde eles dizem que a oposição está sendo oportunista nessa campanha. Para eximir o BG de qualquer tipo de imparcialidade, o blog apenas reproduz o material enviado.

Confira:

Início de Campanha em Extremoz é marcado pelo oportunismo

O início da campanha política no município de Extremoz está sendo marcado pelo oportunismo por alguns vereadores contrários a administração do prefeito Klauss Rego, e pretendem afastá-lo da administração sob a alegação de que ele teria se negado a fornecer documentos referentes à reforma e ampliação de uma escola pública municipal.

O estranho é que os mesmos vereadores que agora estão preocupados em manchar a imagem de Klauss, que é candidato à reeleição, dias antes do início do período eleitoral estavam do lado do prefeito e, além de elogiar suas ações, aprovavam, incontinente, sua administração.

Para observadores da cena política extremozense, a revolta gerada na sessão da quinta-feira, 19, que aprovou requerimento pedindo o afastamento do prefeito Klauss Rego, aprovado por três votos contra um e que será analisado em 90 dias por uma comissão interna – diga-se de passagem, formada por adversários de Klauss -, está no fato de que os edis estariam insatisfeitos porque o prefeito não teria aceitado imposições de ordem financeira, para apóiá-lo na campanha para reeleição.

Teto de vidro

Como todo o processo – que se reporta a uma questão administrativa – relativa ao mês de maio, sendo que somente agora, no início do período eleitoral se manifestam contra o processo licitatório da reforma e ampliação da escola, sem ao menos avaliar a consonância dos valores com os benefícios auferidos, os revoltados expõem sobre suas cabeças um ‘teto de vidro’. Deixaram claro que estão mais preocupados com seus interesses políticos sem nenhuma preocupação com o bem público.

Carta Capital reage a editoral de O Globo em defesa de Veja

Essa é uma verdadeira briga de cachorro grande. Depois do jornal O Globo publicar um editorial em defesa da Veja (acerca do suposto envolvimento da publicação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira), chegou a vez da revista Carta Capital revidar.

Confira

O jornal O Globo toma as dores da revista Veja e de seu patrão na edição de terça 8, e determina: “Roberto Civita não é Rupert Murdoch”. Em cena, o espírito corporativo. Manda a tradição do jornalismo pátrio, fiel do pensamento único diante de qualquer risco de mudança.

Desde 2002, todos empenhados em criar problemas para o governo do metalúrgico desabusado e, de dois anos para cá, para a burguesa que lá pelas tantas pegou em armas contra a ditadura, embora nunca as tenha usado. Os barões midiáticos detestam-se cordialmente uns aos outros, mas a ameaça comum, ou o simples temor de que se manifeste, os leva a se unir, automática e compactamente.

Não há necessidade de uma convocação explícita, o toque do alerta alcança com exclusividade os seus ouvidos interiores enquanto ninguém mais o escuta. E entra na liça o jornal da família Marinho para acusar quem acusa o parceiro de jornada, o qual, comovido, transforma o texto global na sua própria peça de defesa, desfraldada no site de Veja. A CPI do Cachoeira em potência encerra perigos em primeiro lugar para a Editora Abril. Nem por isso os demais da mídia nativa estão a salvo, o mal de um pode ser de todos.

O autor do editorial 
exibe a tranquilidade de Pitágoras na hora de resolver seu teorema, na certeza de ter demolido com sua pena (imortal?) os argumentos de CartaCapital. Arrisca-se, porém, igual a Rui Falcão, de quem se apressa a citar a frase sobre a CPI, vista como a oportunidade “de desmascarar o mensalão”. Com notável candura evoca o Caso Watergate para justificar o chefe da sucursal de Veja em Brasília nas suas notórias andanças com o chefão goiano. Ambos desastrados, o editorialista e o líder petista.

Abalo-me a observar que a semanal abriliana em nada se parece com o Washington Post, bem como Roberto Civita com Katharine Graham, dona, à época de Watergate, do extraordinário diário da capital americana. Poupo os leitores e os meus pacientes botões de comparações entre a mídia dos Estados Unidos e a do Brasil, mas não deixo de acentuar a abissal diferença entre o diretor de Veja e Ben Bradlee, diretor do Washington Post, e entre Policarpo Jr. e Bob Woodward e Carl Bernstein, autores da série que obrigou Richard Nixon a se demitir antes de sofrer o inevitável impeachment. E ainda entre o Garganta Profunda, agente graduado do FBI, e um bicheiro mafioso.

Recomenda-se um mínimo de apego à verdade factual e ao espírito crítico, embora seja do conhecimento até do mundo mineral a clamorosa ignorância das redações nativas. Vale dizer, de todo modo, que, para não perder o vezo, o editorialista global esquece, entre outras façanhas de Veja, aquele épico momento em que a revista publica o dossiê fornecido por Daniel Dantas sobre as contas no exterior de alguns figurões da República, a começar pelo presidente Lula.

Concentro-me em outras miopias deO Globo. Sem citar CartaCapital, o jornal a inclui entre “os veículos de imprensa chapa-branca, que atuam como linha auxiliar dos setores radicais do PT”. Anotação marginal: os radicais do PT são hoje em dia tão comuns quanto os brontossauros. Talvez fossem anacrônicos nos seus tempos de plena exposição, hoje em dia mudaram de ideia ou sumiram de vez. Há tempo CartaCapital lamenta que o PT tenha assumido no poder as feições dos demais partidos.

Vamos, de todo modo, à vezeira acusação de que somos chapa-branca. Apenas e tão somente porque entendemos que os governos do presidente Lula e da presidenta Dilma são muito mais confiáveis do que seus antecessores? Chapa-branca é a mídia nativa e O Globo cumpre a tarefa com diligência vetusta e comovedora, destaque na opção pelos interesses dos herdeiros da casa-grande, empenhados em manter de pé a senzala até o derradeiro instante possível.

Não é por acaso que 64% dos brasileiros não dispõem de saneamento básico e que 50 mil morrem assassinados anualmente. Ou que os nossos índices de ensino e saúde públicos são dignos dos fundões da África, a par da magnífica colocação do País entre aqueles que pior distribuem a renda. Em compensação, a minoria privilegiada imita a vida dos emires árabes.

Chapa-branca a favor
 de quem, impávidos senhores da prepotência, da velhacaria, da arrogância, da incompetência, da hipocrisia? Arauto da ditadura, Roberto Marinho fermentou seu poder à sombra dela e fez das Organizações Globo um monstro que assola o Brazil-zil-zil. Seu jornal apoiou o golpe, o golpe dentro do golpe, a repressão feroz. Illo tempore, seu grande amigo chamava-se Armando Falcão.

Opositor ferrenho das Diretas Já, rejubilado pelo fracasso da Emenda Dante de Oliveira, seu grande amigo passou a atender pelo nome de Antonio Carlos Magalhães. O doutor Roberto em pessoa manipulou o célebre debate Lula versus Collor, para opor-se a este dois anos depois, cobrador, o presidente caçador de marajás, de pedágios exorbitantes, quando já não havia como segurá-lo depois das claras, circunstanciadas denúncias do motorista Eriberto, publicadas pela revista IstoÉ, dirigida então pelo acima assinado.

Pronta às loas mais desbragadas a Fernando Henrique presidente, com o aval de ACM, a Globo sustentou a reeleição comprada e a privataria tucana, e resistiu à própria falência do País no começo de 1999, após ter apoiado a candidatura de FHC na qualidade de defensor da estabilidade. Não lhe faltaram compensações. Endividada até o chapéu, teve o presente de 800 milhões de reais do BNDES do senhor Reichstul. Haja chapa-branca.

Impossível a comparação entre a chamada “grande imprensa” (eu a enxergo mínima) e o que chama de “linha auxiliar de setores radicais do PT”, conforme definem as primeiras linhas do editorial de O Globo. A questão, de verdade, é muito simples: há jornalismo e jornalismo. Ao contrário destes “grandes”, nós entendemos que a liberdade sozinha, sem o acompanhamento pontual da igualdade, é apenas a do mais forte, ou, se quiserem, do mais rico. É a liberdade do rei leão no coração da selva, seguido a conveniente distância por sua corte de ienas.

Acreditamos também que entregue à propaganda da linha auxiliar da casa-grande, o Brasil não chegaria a ser o País que ele mesmo e sua nação merecem. Nunca me canso de repetir Raymundo Faoro: “Eles querem um País de 20 milhões de habitantes e uma democracia sem povo”. No mais, sobra a evidência: Roberto Civita é o Murdoch que este país pode se permitir, além de inventor da lâmpada Skuromatic a convocar as trevas ao meio-dia. Temos de convir que, na mídia brasileira, abundam os usuários deste milagroso objeto.