O Estupro da população pelos juros e a desonestidade em aplicá-los

O meu, o seu, o nosso Brasil vai atingir hoje a marcar de R$ 800 bilhões, vou repertir, R$ 800 bilhões de Reais de imposto pago por nós cidadões. Segue post de Lúcio Neto:
Você nasce e morre pagando impostos. Tudo bem, pois não existe exceção nesta regra e cidadãos de todos os países são obrigados a pagar.
Agora, o que não é justo é você ver o seu dinheiro ir para o bolso de gatunos que desviam do seu destino social em benefício próprio. E pior ainda é ver estes gatunos ficarem na impunidade.
Esta é a marca desse governo petista que se soma à arrogância e incompetência. Arrogância por propagandear o que não realizam e incompetência por não realizarem o que deveriam.

Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o impostômetro atingirá R$ 800 bilhões em tributos pagos pelo contribuinte brasileiro nessa sexta-feira (dia 22 de julho), 31 dias antes de a mesma marca ser atingida no ano passado, em 22 de agosto. 

Gilberto Luiz do Amaral, coordenador de estudo do IBPT, afirma que:
– O sistema tributário brasileiro está “excessivamente” voltado para taxar o consumo, ao contrário, segundo ele, dos países desenvolvidos, onde os impostos recaem sobre a renda e o patrimônio. Em tudo o que fazemos, desde o momento em que acordamos, estamos pagando impostos, disse.

Já que o estupro é inevitável, no Brasil, não dá para relaxar. Por que?

– Porque o governo falha nas áreas de saúde, educação e segurança pública, para onde a verba arrecadada com impostos deveria ser canalizada, disse Gilberto Luiz do Amaral.
A carga tributária nada mais é do que o preço que se paga pelo serviço público e, se no Brasil paga-se muito, o contribuinte deve exigir um serviço de qualidade, afirmou o coordenador de estudos do IBPT.

Segundo uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), com base nos últimos números divulgados pela Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os brasileiros gastam mais com o pagamento de  impostos do que com a compra de vestuário.
Ou seja, estamos todos literalmente nus de tantos impostos a pagar.

– O que se gasta com o pagmento de imposto é o dobro do que movimenta, por exemplo, o mercado de eletrodomésticos e eletrônicos no País, afirma o assessor econômico da Fecomércio, Altamiro Carvalho. Mas, enquanto os eletrodomésticos melhoraram a qualidade de vida das pessoas, o mesmo não acontece com os impostos. O trânsito não ficou melhor porque as pessoas estão pagando mais IPVA, acrescenta.

Esta é mais uma questão que mostra a incompetência desse governo e sua atitude de se lixar para todos, inclusive aqueles que o elegeram.
O país precisa de uma reforma tributária? Precisa e urgente. Quem vai propor? A presidenta do trem-bala? Esse Congresso que se vende por uma merreca para aprovar matérias de interesse desse governo?
Não se engane, cidadão. Se depender deles é daí para pior. Quer outro exemplo? Por que os juros são tão caros no Brasil?

A manutenção de juros altos não interessa a ninguém, nem mesmo às instituições financeiras, ao contrário do que querem fazer entender alguns analistas apressados e aqueles que acreditam que os bancos são os responsáveis pelas elevadas taxas de juros. Todos sabem que juros altos inibem a atividade produtiva, restringem o consumo, aumentam o desemprego e levam a baixo crescimento. E não é esse o quadro que desejam as instituições financeiras, cujo negócio principal deve ser financiar a produção e o consumo.

Mas, diferentemente do que ocorre em outros países, onde os bancos vivem de emprestar dinheiro aos clientes, no Brasil o grande tomador de empréstimos é o governo, que precisa financiar seus enormes déficits. Os juros são altos porque o governo, maior devedor da economia, precisa pagar juros altos para obter empréstimos internos para financiar o déficit público. Se, por exemplo, o rombo da Previdência puder ser sanado, a dívida pública será menor e ficará mais barata.

Sabe quem disse isso? A Febraban – Federação Brasileira de Bancos. Aqui.

E sabe o que fez o governo do Apedeuta em oito anos? Elevou, uma controlada dívida interna, para UM TRILHÃO E 500 BILHÕES DE REAIS que continua crescendo no governo da madame Rousseff. A divída externa, que ele blefeu nos programas eleitorais afirmando ter pago, está hoje na casa dos DUZENTOS E QUARENTA BILHÕES DE DÓLARES.

É por essa e outras que o Banco Central continua subindo os juros. Nesta quarta (20/07) veio o anúncio: 12,5% ao ano.

– Hoje precisamos de juros ridiculamente altos para manter o Estado brasileiro, que tem contas gregas. Se o juro cai muito abaixo de 10%, esse mecanismo de rolagem da dívida interna começa a se desmilinguir e chega a necessidade de amortizar a dívida, mas não temos dinheiro para isso. O fato é que o custo da farra fiscal é transformado em dívida pública, que demanda juros altos, e a conta será paga pelos nossos netos. Os juros altos de hoje são os impostos de amanhã, das próximas gerações, afirmou Gustavo Franco, durante participação no ciclo “Brasil, presente e futuro” na Casa do Saber Rio a convite do Instituto Millenium, que transmitiu o evento via internet. Franco, foi presidente do Banco Central no primeiro governo Fernando Henrique Cardoso.

E agora, José? Vai continuar como está ou vamos começar a reagir? Em 2012 o jogo começa novamente.