OMS anuncia que há registro de morte de crianças por Covid-19

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta segunda (16) que háá registro de morte de crianças por causa do Covid-19.

“Esta é uma doença séria. Embora a evidência que temos sugira que aqueles com mais de 60 anos correm maior risco, jovens, incluindo crianças, morreram”, disse Tedros.

O diretor-geral da entidade não deu mais detalhes sobre o perfil da vítimas. Entretanto, até esta segunda-feira, a organização não havia reconhecido a morte de crianças pelo novo coronavírus. A entidade vem ressaltando que os grupos mais vulneráveis incluem as pessoas mais velhas ou com doenças pré-existentes, como diabetes ou no sistema cardiovascular, como hipertensão.

Testes e distanciamento social

Tedros ressaltou que a escalada dos casos e mortes pelo mundo justifica a adoção de medidas de distanciamento social (fechamento de escolas, trabalho remoto e suspensão de eventos, entre outros), mas que a OMS afirma que testes em larga escala para cada caso suspeito ainda são a melhor alternativa para conter a disseminação do vírus.

O diretor-geral frisou a necessidade de testar todos os casos suspeitos.

“Não se consegue combater um incêndio com os olhos vendados – você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado” – Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS

“Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo”, orientou Tedros.

A diretora técnica da OMS Maria van Kerkhove voltou a aconselhar que sejam mantidas as estratégias de contenção. “(É preciso) achar todos os casos e seguir todos os contatos e testar os contatos. Dá para parar a transmissão entre as pessoas”, disse Maria.

Os diretores da OMS recomendaram que todos os casos, até os leves, sejam isolados em centros de saúde, mas reconhecem que isso não é possível para todos os países, já que alguns não têm a capacidade de adotar essa medida. Nesses casos, os países devem priorizar pacientes mais velhos e aqueles com doenças pré-existentes.

“Alguns países expandiram a capacidade usando estádios e academias para tratar casos leves, com casos severos e críticos tratados em hospitais. Outra opção é que pacientes com casos leves sejam isolados e cuidados em casa”, disse Tedros.

O diretor-geral também reconheceu que esta última medida pode colocar em risco outras pessoas na mesma casa, então é muito importante que essas pessoas sigam as recomendações da OMS sobre como fazer o isolamento adequado.

Globo, via Bem Estar

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wellington disse:

    A "cultura" do WhatsApp está ajudando a acabar com o que resta de bom senso nas pessoas. Notícias falsas e posições absurdas são divulgadas diariamente e absorvidas pelo povo tornado cego pelo ódio. Massificou-se o acesso à mentira. Fake news tornou-se um método político mais eficiente pela capacidade de penetracao da Internet. É preciso aprender a ler e saber filtrar as informações. É preciso responsabilidade, qualidade rara hoje em dia.

  2. José disse:

    E o governo federal brincando de fazer protestos!

    • Ceará-Mundão disse:

      Foram AS PESSOAS que decidiram ir às ruas. Sem sanduba de mortadela, sem 30 "paus", sem transporte custeado por sindicatos ou MST, sem ameaças de cortar ponto ou receber nota zero (para os estudantes), apenas por sua própria vontade e às suas próprias custas. Isso é o verdadeiro exercício da democracia.

    • Everton disse:

      Ceará-Doentão, se você acha que não há lobby nesses protestos verde-amarelos, és mais tapado que o habitual.

  3. liandra disse:

    Acho q as escolas, universidade e institutos federais ainda não estão cientes dessas notícias, pois até agora estão omissos com relação à suspensão das atividades e aulas! Apenas a UERN teve a decência de parar durante 30 dias!

    • Ceará-Mundão disse:

      A UERN não precisa de grande motivo prá deixar de trabalhar. Essa universidade, improdutiva e caríssima para um estado "quebrado", já deveria ter sido privatizada, no mínimo.

    • liandra disse:

      Independente do que vc acha da UERN, ela está agindo de acordo com o preconizado pela OMS. Enquanto as outras instituições se calam e deixam os alunos e funcionários sujeitos a exposição ao vírus!

COMENTE AQUI