Covid-19: Antiviral espanhol plitidepsina reduz 99% da carga viral, diz estudo

FOTO: FREEPIK

Um medicamento antiviral (plitidepsina) produzido pela empresa espanhola PharmaMar e testado em laboratórios de França e Estados Unidos demonstrou causar uma redução de 99% da carga viral do Sars-CoV-2, coronavírus causador da covid-19.

Os experimentos “in vitro” e “in vivo” já realizados em modelos animais com este medicamento, usaado como antitumoral, apresentaram uma eficácia antiviral e um perfil de toxicidade promissores, informou nesta terça-feira (27) a empresa espanhola após a publicação dos resultados na revista Science.

Os autores concluíram que a “plitidepsina” é, “de longe”, o composto mais potente descoberto até agora e sugeriram, portanto, que deveria ser testado em ensaios clínicos ampliados para o tratamento da covid-19.

O trabalho é o resultado de uma colaboração entre a PharmaMar e os laboratórios dos pesquisadores Kris White, Adolfo García-Sastre e Thomas Zwaka, nos Departamentos de Microbiologia e Biologia Celular, Regenerativa e de Desenvolvimento da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York; Kevan Shokat e Nevan Krogan, do Instituto de Biociências Quantitativas da Universidade da Califórnia, em San Francisco; e Marco Vignuzzi, do Instituto Pasteur, em Paris.

Os autores determinaram que “a atividade antiviral da plitidepsina contra o Sars-CoV-2 ocorre através da inibição de um alvo conhecido (eEF1A)” e asseguraram que este medicamento demonstrou “in vitro” uma forte potência antiviral, em comparação com outros antivirais contra o vírus em questão, e também com uma toxicidade limitada.

Em dois modelos animais diferentes de infeção pelo coronavírus, o ensaio demonstrou uma redução na replicação viral, e comprovou uma diminuição de 99% nas cargas virais nos pulmões dos animais tratados com plitidepsina.

Os pesquisadores observam na publicação que, embora a toxicidade seja uma preocupação com qualquer antiviral que vise uma proteína de célula humana, o perfil de segurança da plitidepsina está bem estabelecido em humanos e as doses bem toleradas deste medicamento utilizado no ensaio clínico contra a covid-19 são ainda mais baixas do que as utilizadas nesses experimentos.

A publicação conclui que a plitidepsina atua bloqueando a proteína (eEF1A), que está presente em células humanas, e que é utilizada pelo Sars-CoV-2 para reproduzir e infectar outras células. Este mecanismo culmina em uma eficácia antiviral também “in vivo”.

“Acreditamos que os nossos dados e os resultados positivos iniciais do ensaio clínico da PharmaMar sugerem que a plitidepsina deve ser seriamente considerada para ensaios clínicos ampliados para o tratamento da covid-19”, destacam os pesquisadores.

A empresa recorda, na mesma nota divulgada nesta terça-feira, que diante da contínua propagação global da doença e do crescente desespero para encontrar um tratamento, o diretor do Instituto Quantitativo de Biociências da Universidade da Califórnia, Nevan Krogan, uniu forças com pesquisadores da Universidade da Califórnia, do Instituto Gladstone, da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, do Instituto Pasteur e do Instituto Médico Howard Hughes, para a busca de um tratamento.

No momento, a PharmaMar negocia com vários órgãos reguladores para iniciar os ensaios previstos para a fase 3.

R7, com EFE

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Ninguém nem comenta sobre remédios com comprovação científica… Só querem saber de cloroquina e azitromicina pq o MINTOmaníaco receitou kkkk

  2. João disse:

    Bem melhor que cloroquina….

China passa a usar testes retais para detectar Covid-19

Foto: Arnulfo Franco/AP

A China está recorrendo a testes retais para detectar a Covid-19 em indivíduos de risco e em viajantes que chegam do exterior.

O país tem conseguido conter a pandemia com testes em massa e lockdowns onde novos casos são registrados. Mas, nas últimas semanas, surtos locais têm levado autoridades de saúde a testar dezenas de milhares de pessoas pelo método PCR.

As amostras geralmente são retiradas do nariz ou da garganta. Mas moradores de vários bairros de Pequim, onde foram descobertos casos recentemente, têm sido submetidos a testes retais, segundo a emissora pública CCTV.

A medida também está sendo imposta a pessoas em quarentena obrigatória em hotéis, incluindo viajantes do exterior.

O médico Li Tongzeng, do hospital You’an em Pequim, afirmou à CCTV que o teste retal “aumenta a taxa de detecção de pessoas infectadas” porque o coronavírus permanece mais tempo no ânus do que no trato respiratório.

Segundo a TV estatal, os testes retais não serão generalizados porque “não são práticos o suficiente”.

“Considerando que coletar swab anais não é tão conveniente quanto os de garganta, no momento apenas grupos-chave, como aqueles em quarentena, recebem ambos”, afirmou Tongzeng.

Testes em crianças e professores

Mais de mil crianças em idade escolar e professores foram testados em Pequim pelo ânus, pela garganta e pelo nariz na semana passada, além de fazer o teste de anticorpos, segundo a Bloomberg.

Os exames foram realizados após a descoberta de um caso assintomático, de acordo com autoridades locais.

Na segunda-feira (25), passageiros de um voo de Changchun (capital e maior cidade da província de Jilin) para Pequim tiveram de desembarcar após autoridades descobrirem que um pessoa de uma área considerada de alto risco para transmissão do vírus estava a bordo.

Segundo a Bloomberg, os passageiros foram levados a um hotel, onde profissionais de saúde coletaram amostras de nariz e do ânus.

Nas redes sociais, chineses têm reagido aos testes. “Não é muito doloroso, mas é super humilhante”, afirmou um usuário da rede social Weibo.

Restrições a viagens

A China, que já restringiu severamente os voos internacionais desde março de 2020, aumentou as restrições nos últimos meses.

Todas as pessoas que desejam viajar ao país devem apresentar dois testes negativos (PCR e sorológico) antes do embarque e, na chegada e por conta própria, precisam ficar em quarentena por ao menos 14 dias em um hotel.

Nesta quarta-feira (27), Pequim passou a restringir a entrada de viajantes e a exigir teste negativo de Covid-19 mesmo de quem viajar de regiões do país onde há baixa incidência da doença.

Após a chegada, os viajantes autorizados a entrar devem monitorar sua saúde por 14 dias, embora possam se locomover livremente, e serão feitos testes de Covid-19 no 7º e no 14º dia após a chegada.

Viajantes de áreas de alto ou médio risco, onde há mais infecções, estão proibidos de entrar na capital chinesa.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Doria e governadores do Nordeste vão ao STF exigir que Bolsonaro compre 500 milhões de testes e que testes sejam obrigatórios.
    Doria diz que só a vacina não resolve e que o controle total ppde levar anos.
    Esquerdistas vão as ruas exigir exame retal já.
    Muito embora o esquerdista prefira outra coisa no lugar de teste covid..
    O esquerdista é um cara de pau. ..

  2. Lucis disse:

    Era só o que faltava.

  3. Pixuleco disse:

    Chega ! Cadê Cacá ? Aproveita Calígula !

  4. Manoel disse:

    Os esquerdistas agora vão todos pra China, nada mais de Paris, Londres nem Nova York

  5. Álvaro Antonio disse:

    Com tanto lugar no corpo pra fazer esse exame ex. ouvido, pernas e braços, piroca, aí vem essa turma de malucos dizer que o melhor local pra realizar o exame é o pobre do FURICO, meu deus do céu quanta descriminação com o nosso zeguedê.

  6. Severino disse:

    Eita, quando for para entrar tem que ser todo o mundo junto?

  7. ZéGado disse:

    Pedroca e muitos da gadolândia vão comprar testes para 5 anos…
    Pedroca vai pedir ajuda do sobrinho enfermeiro.

Regeneron diz que sua terapia com coquetel de anticorpos previne Covid-19

Foto: Nexu Science Communication/Reuters

Os resultados provisórios de um teste em andamento mostram que o coquetel de anticorpos monoclonais da Regeneron evitou a Covid-19 entre as pessoas com alto risco de infecção, disse a empresa em um comunicado à imprensa nesta terça-feira, 26.

O estudo envolveu 400 pessoas que foram expostas ao novo coronavírus. Metade dos indivíduos receberam injeções da terapia de anticorpos, conhecida como Regen-Cov, e metade recebeu um placebo.

O número de infecções foi menor entre os que receberam o tratamento e eram todos assintomáticos, disse a empresa. Entre aqueles que receberam a terapia, as infecções não duraram mais do que uma semana, enquanto 40% das infecções no grupo do placebo duraram de três a quatro semanas.

Nenhuma das pessoas infectadas que receberam a terapia tinha altas cargas virais, enquanto 62% das pessoas no grupo placebo que foram infectadas tinham altas cargas virais. Houve uma morte e uma hospitalização no grupo que recebeu o placebo, e nenhuma morte ou hospitalização no grupo de tratamento.

“Esses dados usando Regen-Cov como uma vacina passiva sugerem que pode reduzir a transmissão do vírus, bem como reduzir a carga viral e da doença naqueles que ainda são infectados”, disse George Yancopoulos, presidente e diretor científico da Regeneron em um comunicado à imprensa.

“Mesmo com a disponibilidade emergente de vacinas ativas, continuamos a ver centenas de milhares de pessoas infectadas diariamente, espalhando ativamente o vírus para seus contatos próximos. O coquetel de anticorpos Regen-Cov pode ajudar a quebrar essa cadeia, fornecendo imunidade passiva imediata para aqueles com alto risco de infecção, em contraste com as vacinas ativas que levam semanas para fornecer proteção. ”

A Regeneron espera ver os dados completos do estudo no início do próximo trimestre e disse que discutirá com a Food and Drug Administration dos EUA se deve expandir a autorização de uso de emergência para a terapia. O EUA permite que ele seja usado para tratar pessoas com Covid-19 leve ou moderado que não estão hospitalizadas, mas estão em alto risco de desenvolver sintomas graves e necessitar de hospitalização.

A Eli Lilly and Company anunciou na semana passada que sua terapia de combinação de anticorpos monoclonais, conhecida como LY-CoV555 ou Bamlanivimab, ajudou a prevenir Covid-19 entre residentes de asilos e funcionários em um estudo de Fase 3.

CNN Brasil

Parnamirim recebeu novas doses da vacina contra a Covid-19 nesta terça-feira

FOTO: ASCOM – Eliana Félix

O município de Parnamirim recebeu, na manhã desta terça-feira (26), uma nova remessa de vacina contra a Covid-19. Dessa vez, foram 2.868 doses, sendo 2.620 da Oxford/AstraZeneca e 248 da CoronaVac. Com isso, a prefeitura irá ampliar a vacinação para os profissionais da Rede Municipal de Saúde que atuam nos serviços ambulatoriais. Ao todo, Parnamirim recebeu 5.668 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Além disso, foi iniciado ontem o cadastramento de idosos, com 75 anos ou mais, que moram em condomínios residenciais. A prefeitura irá realizar ação para vacinação em formato Drive-thru para o mesmo público nos próximos dias.

Serão vacinados, a partir de hoje, os profissonas das seguintes unidades: Centros Clínicos de Parnamirim (CCPAR Sadi Mendes e CCPAR UnP),do CAPS I, CAPS AD III, CAPS II, Serviço de Assistência Especializada (SAE), CER III, CEPTUC, Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Centro Integrado de Psicologia e Psiquiatria (CIPP), Unidade de Acolhimento Infantojuvenil (UAI), Vigilância Sanitária, além dos cuidadores que atuam nas Instituições de Longa Permanências para Idosos (ILPIS).

Sesap vacina profissionais de saúde da rede estadual contra Covid-19; veja doses por hospitais

A imunização é a medida mais eficaz e duradora na prevenção de doenças, além de ser eficaz na redução e contágio de endemias e epidemias. Em consonância com o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 e pensando na saúde dos trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente no combate à pandemia do novo Coronavírus no Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está destinando 5.380 doses do imunizante Oxford/AstraZeneca para a vacinação dos servidores lotados nos hospitais de referência da rede estadual pública.

Através do envio direto das vacinas aos serviços de saúde, a Sesap garante o acesso de todas as trabalhadoras e trabalhadores de saúde que fazem parte da rede e exercem as atividades em escalas de plantão e estão impossibilitados de deslocarem até as salas e postos de vacinação. Essa prática já é adotada nas campanhas de vacinação de influenza nos estados e municípios.

Recebidas pelo Governo do Estado no último domingo (24), as doses do imunizante produzido pela Oxford/AstraZeneca serão redirecionadas e destinadas diretamente para as unidades hospitalares, as quais se responsabilizarão pela administração da vacina no público-alvo e plena inserção dos dados dos vacinados no sistema de informação RN Mais Vacina no município correspondente.

Serão contemplados com as doses os profissionais de saúde lotados nas seguintes unidades hospitalares:

Foto: Reprodução

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sandra Maria Mafra disse:

    Eu não posso tomar essa creio eu, porque eu já tomei a primeira dose da Coronavac, trabalho em São José no Hospital Monsenhor Antônio Barros, Maternidade.

  2. alguem disse:

    Parabéns governadora, se dependesse do presidente nem vacina teríamos.

  3. Sidney disse:

    Kkkkkkkkk,pere aí,assim vc me mata de rir ,se não fosse o governo federal nem RN existiria,quanto mais nem RN ô maneé

  4. olimpio disse:

    Se fosse por essa anta não vinha uma gota de vacina, pagou cinco cinco milhões pra compra de respiradores invisiveis, e o dinheiro tomou doril. Parabéns governo federal que está enviando as vacinas.

  5. Natalense disse:

    Parabéns Governadora pelo empenho e dedicação pra trazer essas vacinas, parabéns por acreditar na ciência. Também, uma professora né?

    • J.Dantas disse:

      Obrigado ao governo federal que mandou as vacinas para o governo Estadual, que repassou para a Prefeitura do Natal que fez a vacinação…. Trabalho em equipe!

    • Luciano disse:

      Parabéns presidente Bolsonaro por ter comprado e enviado as vacinas pro RN, se dependesse de Fátima ela tinha comprado junto com o consórcio Nordeste e nunca que a gente ía ver essas vacinas.

Portugal cogita enviar pacientes com Covid-19 para outros países

Foto: Patricia de Melo Moreira/AFP

Perto do limite depois de semanas de crescimento constante no número de hospitalizados pela Covid-19, o governo de Portugal agora cogita pedir ajuda internacional e enviar pacientes infectados a hospitais de outros países. A revelação foi feita pela ministra da Saúde, Marta Temido, em uma entrevista à rede pública RTP na noite de segunda-feira 26.

Segundo Temido, “o governo português está acionando todos os mecanismos que dispõe, principalmente no quadro internacional, para garantir que dê a melhor assistência”.

Questionada pela entrevistadora se o Executivo planeja pedir “ajuda internacional, ajuda europeia, para enviar pacientes” a outros países, a ministra respondeu que Portugal, por sua posição no extremo ocidente da Europa, possui dificuldades geográficas. Mesmo assim, a possibilidade está sendo estudada.

“Estamos em um extremo da península e, assim, com maiores dificuldades geográficas. Mas, de qualquer forma, há mecanismos e formas de obter auxílio e de ajustar formas de colaboração, e naturalmente estamos as cogitando”, disse.

A ministra também destacou que é preciso levar em consideração que “toda a situação europeia é preocupante”.

A última semana foi a pior no país desde o começo da pandemia, com o recorde diário de 275 óbitos mortos registrados no último domingo. O número de casos registrados girou em torno de 14.000 por dia.

Antes mesmo de superar a marca , Portugal já apresentava mais de 80 mil infecções na última semana, o que o coloca em primeiro lugar no mundo em número de novos casos em relação à sua população, superado apenas pelo enclave britânico de Gibraltar, de acordo com os dados coletados pela AFP das autoridades nacionais.

O crescimento rápido no número de infecções colocou os hospitais à beira de um colapso. Com cerca de dez milhões de habitantes, Portugal soma, ao todo, 643.113 casos positivos, incluindo 10.721 mortes.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior Fonseca disse:

    Na época da copa do mundo o nosso querido Ronaldo, fenômeno disse a célebre frase: " não se faz copa do mundo com hospitais " se essa frase fosse dita por Bolsonaro, imagina !!!!

  2. Natalense disse:

    O Brasil é gigante! Se o presidente tivesse feito o mínimo, acreditado na ciência, talvez seria nós que estivéssemos ajudando o mundo, como foi feito com os remédios para tratar pacientes com HIV. Somos referência neste tratamento. Temos o SUS, com todas suas falhas funcionando.
    A culpa, de fato é do presidente da república, ele escolheu um general sem experiência para juntos administrarem a maior crise do nosso século. Que sirva de lição. Vamos escolher melhor nossos políticos. Chega de aventureiros.
    Nesse momento de crise o que nos resta é o mínimo, seguir com processo de impedimento e pedir a Deus que ilumine nossos profissionais de saúde no combate a Covid-19.

  3. Brasil disse:

    A culpa também é de BOLSONARO?

    • Queiroz disse:

      Calma, Brasil. Tome um Rivotril.
      Parece que está rolando um trauma na sua cabecinha inocente.

    • ZéGado disse:

      O que for de desgraça, é culpa do miliciano sim.

    • Ze mane disse:

      Quem é bolsanaro?

    • Chico 200 disse:

      Amigo todo brasileiro sabe que a culpa disso tudo aqui não é do Bolsonaro. Inclusive, se o PT ainda tivesse no poder já tinha morrido o triplo de pessoas. Basta ver o caso dos cinco milhões dos respiradores. Agora, sem argumentos pra desestabilizar o governo, a petralhada doida pra voltar ao poder, fica inventando narrativas. Mas todos sabem que têm países muito piores do que o Brasil. E se o Brasil fosse governado pela esquerda, já tinha afundado de vez.

OMS recomenda anticoagulantes em baixa dosagem para pacientes com Covid-19

Foto: REUTERS – 6.fev.2020/Denis Balibouse

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma nova diretriz nesta terça-feira (26) para o tratamento de pacientes com Covid-19, incluindo aqueles que apresentam sintomas persistentes após a recuperação, e disse que aconselha o uso de anticoagulantes em baixas doses para prevenir coágulos sanguíneos.

“As outras coisas novas nas orientações são que os pacientes com Covid-19 em casa devem ter o uso de oximetria de pulso, que é a medição dos níveis de oxigênio, para que você possa identificar se a saúde está se deteriorando e seria melhor receber cuidados hospitalares”, disse a porta-voz da OMS Margaret Harris em uma entrevista coletiva na ONU, em Genebra.

A OMS aconselhou os médicos a colocarem os pacientes acordados em decúbito ventral (posição de bruços) para melhorar o fluxo de oxigênio, disse a porta-voz.

“Também recomendamos, sugerimos o uso de anticoagulantes em baixas doses para prevenir a formação de coágulos sanguíneos nas veias. Sugerimos o uso de doses mais baixas em vez de doses mais altas porque doses mais altas podem levar a outros problemas”, disse Harris.

A porta-voz afirmou ainda que uma equipe de especialistas independentes liderada pela OMS, atualmente na cidade chinesa de Wuhan, onde os primeiros casos do novo coronavírus em humanos foram detectados em dezembro de 2019, deve deixar a quarentena nos próximos dois dias para continuar seu trabalho sobre as origens do vírus.

Ela se recusou a comentar os relatos de atrasos na disponibilização de vacinas na União Europeia (UE), disse que não tinha dados específicos e que a prioridade da OMS era que os profissionais de saúde de todos os países fossem vacinados nos primeiros 100 dias do ano.

A AstraZeneca, que desenvolveu seu imunizante com a Universidade de Oxford, disse à UE na sexta-feira que não poderia cumprir as metas de fornecimento acordadas até o final de março.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romero Cezar da Câmara disse:

    OMS sugere uso de oxímetro para pacientes com Covid que estejam em casa
    Doentes precisam ter acompanhamento médico. Entidade atualizou as diretrizes de cuidado para pessoas com a doença; também há recomendação de usar anticoagulantes em pacientes internados, em baixa dose, como forma de evitar trombose. Organização irá nomear o quadro hoje conhecido por 'Covid longa'.
    Por G1. Essa eu vi na Globo. Acredita!!!

  2. Leandro disse:

    Essa notícia você
    Não vai ver na globo

Parnamirim inicia cadastramento para vacinação de idosos em condomínios contra a Covid-19

FOTO: ASCOM

A Prefeitura de Parnamirim, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou nessa segunda-feira (25), o cadastramento para vacinação de idosos com 75 anos de idade ou mais que residem condomínios. Esta é uma das estratégias dentro do plano municipal de vacinação e tem como objetivo garantir a imunização dos idosos contra a Covid-19, mediante agendamento prévio.

Para fazer o cadastramento, os síndicos ou responsáveis pelos condomínios residenciais devem entrar em contato por meio dos telefones 3644-8106 e 3644-2553.

“Já utilizamos esta mesma estratégia durante a Campanha de Vacinação contra a Influenza (H1N1) e foi um sucesso. Agora, contra a Covid-19, vamos repetir este processo de trabalho de modo a garantir a imunização dos idosos com mais de 75 anos de idade sem que eles saiam de suas residências”, destaca a secretária de Saúde de Parnamirim, Terezinha Rego.

A Secretaria Municipal de Saúde segue com o cronograma de vacinação dos profissionais que atuam na Rede de Urgência e Emergência e a Atenção Primária à Saúde de Parnamirim, que fazem parte do grupo prioritário para vacinação.

Até o momento, Parnamirim recebeu 2.800 doses da vacina Coronavac, sendo aplicadas já 2.475 doses, o que corresponde a um percentual de 88%. O município já concluiu a imunização dos profissionais que atuam no Hospital Deputado Márcio Marinho, Hospital de Campanha de Parnamirim, Laboratório Central de Parnamirim, Pronto Socorro Odontológico (PSO), Pronto Atendimento Suzete Cavalcanti e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Ainda esta semana, será concluída a vacinação in loco dos profissionais que atuam na UPA Nova Esperança, no Hospital Maternidade Divino Amor e no Hospital Regional Deoclécio Marques de Lucena.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ubiratan Martins disse:

    Será que vão vacinar os idosos, nas favelas…

  2. Natalense disse:

    Parabéns ao Prefeito, já fez mais que o presidente da república.
    Alguém sabe se o Dudu Bananinha se manifestou sobre a ajuda chinesa e indiana ao Brasil?
    Alguém falou pra ele que o Dória ajudou?

    • Biró disse:

      Quanta falta de argumentos kkkk
      Vai procurar outro assunto! Esse perdeu a graça. Vai procurar algum erro na vida do novo presidente da Câmara! Que, com certeza, não será baleia rossi. Vai buscando aí alguma coisa! Vacina, calça colada, empiechiment já perdeu a graça. Ou seja, deu com os burros n'agua.

Brasil proíbe entrada de viajantes vindos da África do Sul para impedir variante da Covid-19

Uma portaria do governo federal publicada nesta terça-feira (26) proíbe a entrada no Brasil de passageiros vindos da África do Sul. Segundo a portaria, a medida foi tomada, entre outras razões, para evitar o impacto da nova variante do coronavírus. Os viajantes vindos do Reino Unido continuam impedidos de entrar no país.

Segundo o texto publicado, ficam proibidos, em caráter temporário, voos internacionais com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido e pela África do Sul. Também fica suspensa a autorização de embarque para o Brasil de viajante estrangeiro, procedente ou com passagem pelo Reino Unido e pela África do Sul nos últimos quatorze dias.

O texto foi assinado pelos ministros Walter Braga Netto (Casa Civil), André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) e Eduardo Pazuello (Saúde).

Demais estrangeiros podem entrar no país por via aérea desde que comprovem, por meio de teste RT-PCR, que não estão com Covid-19. O exame precisa ter sido realizado 72 horas antes do embarque.

Quem não cumprir as regras estipuladas pela portaria estará sujeito à:

responsabilização civil, administrativa e penal

repatriação ou deportação imediata

inabilitação de pedido de refúgio

Rodovias

A portaria mantém ainda a restrição à entrada de estrangeiros, de qualquer nacionalidade, por rodovias, outros meios terrestres ou por rios e afins. Os paraguaios poderão continuar entrando no Brasil normalmente pelas rodovias. E também aqueles moradores de cidades cortadas por fronteiras, excluídas as com a Venezuela.

O texto deixa claro que esse impedimento de entrada no Brasil não vale para:

brasileiro naturalizado;

imigrante com residência “de caráter definitivo” – não é válido para venezuelanos;

profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional;

funcionário estrangeiro que atue para o governo brasileiro;

estrangeiro que tenha as seguintes relações com brasileiro, cônjuge, companheiro, filho, pai ou curador- não vale para venezuelanos;

estrangeiro autorizado pelo governo devido à interesse público ou a questões humanitárias;

estrangeiro que tenha o Registro Nacional Migratório – não válido para venezuelanos;

quem trabalhar com transporte de cargas, como motoristas, por exemplo.

G1

Vacina da Moderna protege contra novas variantes da Covid-19, diz empresa

Foto: CARLO ALLEGRI / REUTERS

A farmacêutica Moderna disse nesta segunda-feira que sua vacina para a Covid-19 produziu anticorpos neutralizantes contra novas variantes da doença encontradas no Reino Unido e na África do Sul.

Um regime de duas doses da vacina Moderna deve proteger contra as cepas emergentes detectadas até o momento, disse a empresa. No entanto, como precaução, o laboratório vai começar a testar se uma injeção de reforço melhora as respostas imunológicas.

Essas novas cepas se espalham mais facilmente de pessoa para pessoa, e há indícios de que a variante do Reino Unido é mais mortal do que as formas anteriores do vírus.

A Moderna disse que sua vacina induziu a produção de anticorpos contra a cepa identificada pela primeira vez no Reino Unido, conhecida como B.1.1.7, em níveis comparáveis às variantes anteriores. Por outro lado, os anticorpos diminuíram seis vezes contra a cepa identificada pela primeira vez na África do Sul, conhecida como B.1.351, segundo o “The Wall Street Jorunal”.

O estudo, realizado em colaboração com o sistema de saúde britânico (NHS) e submetido para publicação em revista acadêmica, usou amostras de sangue de oito pessoas que receberam duas doses da vacina e dois macacos que também haviam sido vacinados.

A empresa também está desenvolvendo uma nova versão da vacina que visa mais especificamente as mutações na variante sul-africana.

Tecnologia mRNA

A vacina da Moderna, assim como a da Pfizer/BioNTech, é baseada em uma versão sintética do material genético do novo coronavírus, o RNA mensageiro (ácido ribonucléico mensageiro), também chamado de mRNA. O objetivo é estimular as células de um indivíduo a produzir muitas cópias de um fragmento do vírus. Esse fragmento estimula o sistema imunológico e permite que o corpo ataque o Sars-CoV-2 em caso de contato real, após a imunização.

Enem: Ferramenta que mostra a nota que o candidato precisa tirar para entrar no curso que deseja ganha novas funções

A Moderna integra a Covax Facility, iniciativa global liderada pela OMS dedicada ao aceleramento do desenvolvimento de vacinas e à universalização de imunizantes contra a Covid-19. O Brasil não possui um memorando de intenções para a aquisição de doses da companhia, mas, por integrar a coalizão internacional, é elegível para receber unidades da vacina. Na previsão do Ministério da Saúde, o país deve receber 42,5 milhões de doses.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Natalense disse:

    Alguém mande uma mensagem para o presidente ler a matéria no O Globo ou no BG.

Fase vermelha das 20h às 6h começa a valer nesta segunda no estado de SP; entenda as regras da quarentena contra Covid-19

Foto: Divulgação/Governo de SP

A fase vermelha da quarentena, que permite o funcionamento apenas de serviços essenciais, passa a valer das 20h às 6h em dias úteis a partir desta segunda-feira (25) em todas as regiões do estado de São Paulo.

As regras da fase vermelha também vão valer aos sábados, domingos e feriados, durante todo o dia. As restrições à noite e durante os finais de semana valem até, pelo menos, 8 de fevereiro.

O governo fez alterações no Plano São Paulo, que divide o estado em 17 regiões e regula o que pode funcionar em cada uma delas. A mudança foi anunciada pelo governo de João Doria (PSDB) na última sexta-feira (22) após mais uma semana de piora nos indicadores de Covid-19 no estado.

Segundo o plano, durante a fase vermelha, podem operar apenas serviços essenciais, como supermercados, padarias e farmácias (veja a lista completa abaixo). O atendimento presencial em lojas, restaurantes e lanchonetes fica proibido, mas serviços de delivery podem funcionar normalmente.

Principais dúvidas

Veja abaixo perguntas e respostas sobre o Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena contra a Covid-19 no estado:

O que é o Plano São Paulo?

O que pode funcionar na fase vermelha?

O que pode funcionar na fase laranja?

O que pode funcionar na fase amarela?

O que funciona à noite e aos finais de semana?

Qual é a classificação atual no estado?

Até quando vale a atual classificação?

Quais são os critérios para determinar cada fase?

Quais foram as principais mudanças feitas no plano desde sua criação?

O que é o Plano São Paulo?

O Plano São Paulo determina as regras da quarentena no estado. Criado em maio de 2020, ele divide o estado em 17 regiões de saúde. A fase da quarentena em que se encontra cada região é determinada pelo governo estadual com base em indicadores de saúde como mortes por Covid-19, internações, ocupação de leitos de UTI. As cinco fases possíveis são:

Fase vermelha (Alerta Máximo)
Fase laranja (Controle)
Fase amarela (Flexibilização)
Fase verde (Abertura parcial)
Fase azul (Normal controlado)

O plano estabelece quais setores da economia podem funcionar em casa fase e determina restrições, com horário de funcionamento e capacidade máxima dos estabelecimentos comerciais, em cada fase. A reclassificação de cada região é feita mensalmente mas, caso os indicadores sejam negativos, o governo pode fazer reclassificações extraordinárias.

O que pode funcionar na fase vermelha?

Farmácias

Mercados

Padarias

Açougues

Postos de combustíveis

Lavanderias

Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô

Transportadoras, oficinas de veículos

Atividades religiosas

Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria

Bancos

Pet shops

Serviços de delivery ou entregas

O que pode funcionar na fase laranja?

Todos os setores de comércio e serviços passam a ser permitidos. A exceção é o atendimento presencial em bares, que continua proibido.

Capacidade de ocupação: 40% do público máximo de cada estabelecimento.

Funcionamento máximo: até 8 horas por dia.

Horário de fechamento: atendimento presencial somente o até 20h.

Parques estaduais, salões de beleza e academias: podem funcionar.

O que pode funcionar na fase amarela?

Capacidade de ocupação: 40% do público máximo de cada estabelecimento.

Funcionamento máximo: até 10 horas por dia.

Horário de fechamento: atendimento presencial somente o até 22h em todos os setores, exceto no setor de bares, que pode funcionar até as 20h.

O que pode funcionar à noite e aos finais de semana?

O governo de São Paulo determinou que todas as regiões do estado devem seguir as regras da fase vermelha da quarentena aos finais de semana, feriados e das 20h às 6h nos dias úteis.

Na capital, inicialmente o governo havia informado que esta segunda-feira (25), por ser feriado do aniversário da cidade, obedeceria às restrições de fase vermelha – ou seja, a mesma regra do fim de semana. No entanto, depois foi informado que, na segunda, as restrições de fase vermelha vão valer só a partir de 20h, como nos demais municípios.

Mais detalhes AQUI em matéria completa do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    São Paulo dando show mais uma vez.

    • Vitorino disse:

      Marketing!!
      O covid não entende de cores.
      Só idiota não percebe isso.

  2. Natalense disse:

    Parabéns ao Governo Dória, faz o que o presidente da república não faz.

Covid-19: Europa começa a exigir máscaras médicas em vez das versões de pano

Foto: Kilito Chan/Getty Images

Em meio ao aumento de casos de Covid-19 e a descoberta de novas variantes do coronavírus possivelmente mais transmissíveis, países da Europa começaram nesta semana a recomendar ou até exigir que as pessoas utilizem máscaras de maior qualidade para combater a transmissão viral. Sendo assim, saem as máscaras de pano, daquelas feitas em casa, e entram as máscaras utilizadas por equipes médicas, como as cirúrgicas comuns e, principalmente, os modelos conhecidos como FFP2 ou N95.

Embora máscaras de pano sejam melhores do que nenhum tipo de proteção facial, cada vez mais estudos deixam claro que sua eficiência é bastante limitada e que não são suficientes para evitar que o usuário esteja totalmente protegido. Já máscaras médicas são mais protetivas, especialmente os respiradores do tipo FFP, e podem ser uma boa arma contra as novas variantes do vírus, que, ao que tudo indica, parecem ser mais transmissíveis.

Leia matéria completa da Super Interessante AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Estas máscaras para uma proteção eficaz tem que ser descartável.
    Estão fora da realidade brasileira.

  2. Luciano disse:

    A única máscara que protege contra um vírus que transmite por aerossol e gotículas como o sars-cov2 é a N95. Eu só uso ela pra onde vou…

  3. Márcia Guedes disse:

    E agora José…vai ter Máscaras Médica para toda a população????

  4. Brasil livre!! disse:

    Claro, as empresas parceiras precisam vender o seu produto!! Enquanto o povo aceitar pacificamente, o jogo continua.

  5. Bits disse:

    Só marketing. Vendedores de máscaras fazendo a festa.

Primeiro-ministro britânico diz que há evidências de que nova variante da Covid-19 causa maior mortalidade

Foto: LEON NEAL/AFP / LEON NEAL/AFP

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse nesta sexta-feira que há evidências de que uma nova variante da Covid-19, descoberta no ano passado, poderia estar associada a um aumento na mortalidade.

— Fomos informados hoje que, além de se espalhar mais rapidamente, também parece haver alguma evidência de que a nova variante, descoberta pela primeira vez em Londres e no sudeste da Inglaterra, pode estar associada a um grau aumentado da mortalidade — disse Johnson em uma entrevista coletiva.

Ele acrescentou que todos os testes atuais mostram que ambas as vacinas ainda são eficazes contra as variantes antigas e novas.

No caso de um homem na casa dos 60 anos, a mortalidade no país era anteriormente de 10 pacientes por mil pacientes e atualmente seria entre 13 e 14 por mil, explicou o principal assessor científico do executivo, Patrick Vallance.

— Todas as evidências atuais continuam a mostrar que as duas vacinas que usamos atualmente permanecem eficazes contra a variante antiga e esta nova variante — disse Johnson na sexta-feira.

No caso de um homem na casa dos 60 anos, a mortalidade no país era anteriormente de 10 pacientes por mil pacientes e atualmente seria entre 13 e 14 por mil, explicou o principal assessor científico do executivo, Patrick Vallance.

No entanto, ele afirmou que “gostaria de enfatizar que há muita incerteza em torno desses números”.

— É preocupante que tenha havido um aumento da mortalidade, bem como um aumento da transmissibilidade — disse ele.

País mais atingido na Europa pela pandemia, com quase 96 mil mortes confirmadas por Covid-19, o Reino Unido enfrenta uma nova onda de infecções desde a descoberta em dezembro de uma mutação do coronavírus entre 50% e 70% mais contagiosa, segundo cientistas britânicos.

Depois de se tornar o primeiro país ocidental a lançar uma campanha de vacinação em massa contra a Covid-19, em 8 de dezembro, o Reino Unido já imunizou 5,4 milhões de pessoas com as vacinas desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Oxford.

A política de Johnson, amplamente criticado desde o início da pandemia por suas políticas erráticas em matéria de saúde, agora deposita todas as esperanças na vacinação para poder suspender, a partir de março, o terceiro bloqueio em que o país está mergulhado.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    O lockdown é que está matando as pessoas e as economias.

  2. Observador RN disse:

    O sadismo do Grupo Globo em divulgar notícias como essa é impressionante. Fiquem em casa assistindo BBB #globolixo.

  3. Natalense disse:

    O Brasil precisa de um gestor a sua altura. O povo brasileiro precisa de socorro. Mourão 2021!

    • Milton disse:

      Tá vendo??
      Esse aqui ta dizendo que a culpa é do Bolsonaro.
      Kkkkkkkkkkk
      Isso na Grã Bretanha viu?
      Kkkkkkkkk
      Babaca.

MPRN fiscaliza eventuais “fura fila” nos pontos de vacinação contra a Covid-19

Foto: Reprodução

Promotores de Justiça e servidores da instituição fizeram visitas surpresa em locais de vacinação para averiguar se as pessoas que estão sendo vacinadas se enquadram no previsto no plano de vacinação

Equipes do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) fizeram nesta quinta-feira (21) visitas surpresa em locais de vacinação contra a Covid-19. O objetivo é averiguar se as pessoas que estão sendo vacinadas se enquadram no previsto no plano de vacinação.

Desde esta quarta-feira (20), o MPRN está recebendo denúncias de casos de pessoas que receberam a primeira dose da vacina mesmo sem se enquadrarem no que está preconizado no plano. Esses serão analisados individualmente para se investigar se houve o cometimento de crime ou ato de improbidade.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. iiiiiii disse:

    MP aproveita e averigua as nomeações de Natal…..desse jeito vamos trocar a capital pelo interior….nao anda….no colinho do papai tudo pode.

  2. Ana Paula M. Morais disse:

    É só observar as redes sociais que se comprova o fura fila. Muitos profissionais de saúde que nem atuam na linha de frente estão conseguindo tomar vacinas – hje vi fisioterapeutas, psicólogos e educadores físicos que não atuam em hospitais, mais em academias e consultórios particulares que tomaram a vacina e postaram.
    Tem o erro deles de furar a fila, pois devem aguardar o momento da fase de trabalhadores em saúde e tiram a oportunidade de um profissional da linha de frente de se imunizar.
    Falta grave da SMS Natal que vem aplicando a vacina sem exigir a comprovação da documentação necessária para esse momento inicial em função da redução de doses enviadas.
    Vergonha – isso é Brasil – nada é levado a sério.

  3. Nildo disse:

    Não vai Dar em nada, isso já era esperado em outra MP está sem força eles tb queria fura a fila ..kkk

  4. Lourdes Siqueira disse:

    Pode ir atrás que tem vacina indo direto para a casa das autoridades para toda a família ser vacinada. Ainda vai um técnico junto para aplicar. Procure MP que acharás.

Covid-19: Brasil já começou a produzir vacina Sputnik V, diz fundo russo

Foto: FEDJA GRULOVIC / REUTERS

O diretor do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, afirmou nesta quinta-feira que a União Química, farmacêutica brasileira responsável pela produção da vacina experimental contra Covid-19 Sputnik V em solo nacional, começou a fabricar o imunizante no Brasil.

Dmitriev não precisou quando a produção da Sputnik V teve início. A União Química pretendia iniciar o processo na próxima sexta-feira em uma planta de Brasília. O diretor do fundo russo disse esperar que o pedido do uso emergencial à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) caminhe “nas próximas semanas”. No último sábado, a agência recusou um pedido submetido pelos russos e pelo laboratório brasileiro alegando que requisitos mínimos “não foram atingidos”.

A União Química previa o início da produção no último dia 15, o que não aconteceu. Na última quarta-feira, a companhia anunciou que pretendia resolver até esta quinta-feira as pendências com a reguladora brasileira. A Anvisa afirmou, no último sábado, que o pedido foi devolvido pela falta de autorização para a condução dos ensaios clínicos fase 3, a condução em andamento no país desses estudos e questões relativas às boas práticas de fabricação.

— Estamos fornecendo todas as informações que Anvisa solicita. Não tem prazo para resposta, porém dada a urgência e prioridade deste assunto, estamos num esforço forte para entregar todas as informações. Esperamos que na quinta-feira, na própria reunião com Anvisa, todas pendências sejam resolvidas— disse o diretor de negócios internacionais da União Química, Rogério Rosso, na última quarta-feira.

Na previsão da União Química, caso não seja concedido o uso emergencial da vacina, as doses produzidas em solo brasileiro serão destinados a países vizinhos que já autorizaram a vacinação com a fórmula russa, como Argentina e Bolívia.

No Brasil, dois estados já firmaram acordos com o RDIF e o Instituto Nikolay Gamaleya, laboratório responsável pelo desenvolvimento da vacina: Paraná e Bahia. O governo baiano entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para assegurar a compra direta de 50 milhões de doses do imunizante, sinalizada em um acordo assinado no ano passado.

Na última quarta-feira, o ministro do STF Ricardo Lewandowski determinou que a Anvisa preste informações sobre o pedido de avaliação do uso emergencial pelos russos para decidir sobre a solicitação da Bahia.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourenço disse:

    Dessa forma a coisa deve acontecer, jamais por pressão de ninguém. No tempo certo, com as exigências mínimas atendidas e aprovadas pela ANVISA, DEUS é maior.

Cinco morrem em incêndio em prédio do Instituto Serum, fabricante de vacinas contra Covid-19 na Índia; produção não é afetada

Fotos: AFP

Um incêndio atingiu um edifício do Instituto Serum, a empresa da Índia que produz vacinas com tecnologia da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, nesta quinta-feira (21), na cidade de Pune. Pelo menos cinco pessoas morreram.

O estoque de vacinas e a indústria onde elas são feitas estão seguras, segundo o jornal “Times of India”. Atualmente, o Instituto Serum produz cerca de 50 milhões de doses da vacina por mês em outras unidades do complexo.

Cinco pessoas morreram no incêndio, segundo o “Times of India”. O prefeito da cidade de Pune, Murlidhar Mohol, disse que os mortos são provavelmente trabalhadores de construção civil que estavam no prédio.

O diretor-executivo da empresa, Adar Poonawalla, confirmou que houve mortes.

A empresa também vai começar a produzir as vacinas desenvolvidas pela empresa norte-americana Novavax.

Poonawalla afirmou que a unidade que pegou fogo produz vacinas para o rotavírus. Ele estima que a perda nessa linha de produção será de até 40% do volume de doses.

As redes de TV indianas mostram uma coluna de fumaça cinza acima da sede da empresa.

Em uma rede social, Poonawalla, o diretor-executivo, agradeceu a todos pela preocupação e pelas orações.

Os bombeiros afirmaram que ao menos cinco caminhões foram enviados para combater o fogo no prédio e que o incêndio foi controlado.

Ainda não se sabe o que causou o incêndio, mas o prefeito disse que o fogo pode ter começado com um trabalho de soldagem.

Maior produtor do mundo

O Instituto Serum é o maior fabricante de vacinas do planeta. Lá são produzidas 1,5 bilhão de doses para várias doenças, de poliomielite a caxumba. A estimativa é que seis em cada dez crianças no mundo recebam pelo menos uma vacina fabricada pela empresa indiana.

Nesta semana, a Índia começou a exportar as vacinas produzidas pelo Instituto Serum para seis países, mas não para o Brasil.

Questões diplomáticas

O Brasil espera a liberação da exportação de dois milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca que estão na Índia, mas as relações diplomáticas entre os dois governos enfrentam dificuldades há três meses por causa da posição assumida pelo Brasil numa reunião na Organização Mundial do Comércio (OMC).

A reunião foi em meados de outubro de 2020.

A África do Sul e a Índia apresentaram um pedido ao Conselho de Propriedade Intelectual da Organização Mundial do Comércio para suspender temporariamente os direitos de patentes de insumos e equipamentos médicos para combater a Covid-19, até que a maioria da população mundial estivesse vacinada.

O acordo de propriedade intelectual da OMC já prevê a flexibilização dos direitos de patentes em casos como esse, mas é preciso liberar um produto de cada vez em cada país, e o argumento era de que não havia tempo a perder.

Os representantes do governo brasileiro se manifestaram dizendo que “não estavam convencidos que a suspensão dos direitos de propriedade iria garantir a nós um aumento significativo de acesso aos produtos, e poderia dar um sinal errado a inovadores e até prejudicar esforços para produzir as soluções que precisamos”.

G1