Turismo

Portugal reabre para turistas brasileiros

Ilha do Farol, em Faro: paraíso deserto no Algarve Ilha do Farol, em Faro: paraíso deserto no Algarve | Gian Amato

As viagens de turismo para Portugal a partir do Brasil foram liberadas a partir de hoje. As regiões turísticas do país já disputam os brasileiros que chegarão e os residentes em férias pelo país na reta final do verão.

É uma janela de abertura até 16 de setembro, sem necessidade de quarentena preventiva de 14 dias, mas com obrigatoriedade de apresentação de teste PCR negativo. Os viajantes com Certificado Digital Covid da União Europeia estão dispensados dos testes.

As medidas, publicadas no Despacho n.º 8652-C/2021 do Diário da República Eletrônico, podem ser revistas diante da evolução da situação epidemiológica.

A reabertura para o turismo põe fim a um veto às viagens não essenciais, pelo menos por 15 dias, que durava desde o início da pandemia de Covid-19. Portugal toma esta decisão após a Espanha liberar, na última semana, a entrada de viajantes do Brasil totalmente vacinados. Com a impossibilidade de controlar o acesso à fronteira terreste com o país vizinho, não fazia mais sentido manter a proibição.

Divulgadas poucas semanas antes da abertura, as várias campanhas das regiões turísticas de Portugal serviram para abastecer um público com vontade de embarcar, mas que ainda não podia. No momento em que as fronteiras reabrem para o turismo, sabem exatamente para qual destino seguir.

Coordenador da equipe do Turismo de Portugal no Brasil, Bernardo Barreiros Cardoso explica a estratégia.

– Portugal e as suas regiões de turismo tem promovido o perfil autêntico e genuíno de cada lugar como forma de garantir que o destino se torne cada vez mais desejado. O objetivo é que o turista se sinta como um morador local e respeite a sua cultura, encarando a sustentabilidade como o único caminho para conseguir uma experiência de viagem inesquecível – disse Cardoso.

Do Algarve ao Douro, as cidades se unem para atrair brasileiros e amenizar os prejuízos. O Brasil era o maior mercado emissor de fora da Europa. Em 2019, foram 1,3 milhões brasileiros, mais 13,9% que em 2018.

O tamanho do declínio: comparado com o mesmo período de 2019, houve -71% de pernoites dos hóspedes brasileiros nos primeiros sete meses de 2021 em Portugal informou na terça-feira (31) o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No primeiro semestre, os turistas gastaram €2,4 bilhões em Portugal, queda de 67,8% em relação a 2019. É o valor mais baixo desde 2000, de acordo com o Banco de Portugal. O país recebeu quase a metade dos quase 10 milhões de viajantes de 2020.

Por outro lado, pernoites de residentes, no geral, aumentaram 31% este ano.

Ao manter Portugal vivo na memória dos brasileiros, os vales do Rio Douro e Rio Tua, ao norte, e a Estrada Nacional 2 (EN2) saíram na frente, juntaram esforços e convidaram Fafá de Belém para percorrer a região em meados de agosto. A cantora divulgou a jornada em suas redes sociais.

A iniciativa, coordenada pela Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR), pretende reforçar os laços afetivos e econômicos da região com o Brasil. Tem pela frente a reta final da alta temporada, marcada pelas vindimas, a colheita das uvas para produção de vinho.

Na região dominada pela paisagem do Rio Douro, os brasileiros eram os terceiros em número de visitas. Ainda que sejam vistos em grande número no Porto, Braga e em cidades menores, como Amarante, a maioria é formada por residentes em Portugal e na Europa.

Descendo a EN2, que liga o norte a Faro, no Algarve, os turistas brasileiros são bem-vindos na região sul, que tenta olhar com otimismo os percalços de um verão irregular. Empresários do setor apostam que agosto tenha sido um mês de recuperação e preveem uma ocupação de 50% em setembro.

Preferido dos ingleses e alemães, em menor número este ano devido às restrições de mobilidade, o Algarve tem nas suas praias o maior atrativo para os brasileiros em busca de escapadas a partir de Lisboa, a duas horas e meia de carro. Ou a 45 minutos de avião.

Faro pode vender suas praias e ilhas como escapadas inesquecíveis. Além das faixas de areia e cidades mais procuradas pelos turistas em geral, as menos badaladas ilhas da Culatra, do Farol, e Deserta surpreendem os brasileiros como destinos para explorar a menos de uma hora de barco.

Blog Portugal Giro – O Globo

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

“Pandemia terminará quando todo mundo decidir acabar com ela e dispomos de todas as ferramentas”, diz chefe da OMS

Foto: Christopher Black/World Health Organization/Reuters

A pandemia de covid-19 terminará “quando todo mundo decidir acabar com ela”, pois atualmente dispomos de “todas as ferramentas” necessárias para combater o vírus, assegurou neste domingo (24) o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“A pandemia acabará quando todo mundo decidir acabar com ela, está nas nossas mãos, dispomos de todas as ferramentas de que precisamos para isso”, declarou o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Berlim, onde voltou a insistir em uma distribuição mais equilibrada em todo o mundo das vacinas anticovid.

Tedros Adhanom também lembrou que “com cerca de 50.000 mortos semanais” no mundo, “a pandemia está longe de ter acabado”.

Ele deu estas declarações na cerimônia inaugural da “Cúpula Mundial sobre a Saúde”, que reúne a cada ano profissionais de saúde e dirigentes políticos em Berlim.

A OMS estabeleceu como meta que 40% da população de cada país esteja vacinada contra a covid-19 antes do fim do ano e 70% em meados de 2022.

Tedros Adhanom lamentou em várias ocasiões a concentração de vacinas nos países ricos.

“O objetivo é alcançável, mas só se os países e as empresas que controlam o abastecimento traduzirem suas declarações em fatos”, insistiu na capital alemã.

UOL com AFP

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Temer sugere declarar calamidade para não romper teto de gastos

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

O ex-presidente da República Michel Temer (MDB) afirmou, em artigo publicado neste domingo (24.out.2021) no jornal Folha de S.Paulo, que o governo poderia usar o artigo 167 da emenda do teto de gastos para aumentar o valor do programa Bolsa Família. É o trecho da lei que trata de calamidades públicas e que foi usado no ano passado devido à pandemia.

Temer foi o presidente que criou o teto de gastos, em 2016. Na época, ao lado do então ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estipularam o prazo de 20 ano para a regra.

Para o ex-presidente, a situação da pobreza, acentuada nos últimos 2 anos pela pandemia, é calamitosa, o que justifica o uso do artifício.

Há sempre a preocupação de que os vulneráveis, acentuada sua pobreza, possam rebelar-se e, em consequência, praticar atos que desagreguem a nação brasileira. Este fato revela a razoável imprevisibilidade e, em consequência, a urgência a que alude o artigo 167, parágrafo terceiro, já mencionado. Acresce que um dos princípios fundamentais da nossa Constituição é a ‘erradicação da pobreza’ a teor do seu artigo 3, III”, escreveu o ex-presidente.

Temer afirma que essa solução traria duas vantagens: permitiria o aumento e enviaria o sinal de que o governo continua levando a questão fiscal a sério.

Sei que estou levando essa interpretação às últimas consequências, mas ela tem duas vertentes sistêmicas: de um lado, reconhece que é ‘calamitosa’ a realidade do pauperismo brasileiro; de outro, aplica regra constitucional que não elimina o teto de gastos públicos. Somente assim demonstraremos ao mercado interno e internacional a nossa seriedade fiscal e a nossa preocupação com a pobreza.

Em 2020 e 2021, o país decretou calamidade pública em função da pandemia do novo coronavírus. Dessa forma, foi possível gastar além do que o teto determinava. O auxílio emergencial foi um dos destinos desse dinheiro.

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, disseram que irão pedir permissão para gastar além do teto em uma ampliação do Bolsa Família que será levada a cabo em 2022, ano que Bolsonaro deve concorrer à reeleição.

Em pronunciamento conjunto na 6ª feira (22.out), Guedes disse que não “gosta” de furar o teto, mas que se tratava de uma opção para não deixar os pobres desassistidos.

Se está muito feliz que está furando o teto? Não. Eu detesto furar o teto. Eu não gosto furar o teto, mas não estamos aí só para tirar 10 no fiscal”, disse Guedes. Ele falou que lutou até o fim pela manutenção do teto de gastos, mas disse que o país teve que escolher entre “tirar 10 em fiscal e 0 no social”.

Poder 360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Roberto Jefferson é internado em presídio e defesa diz ao STF que ex-deputado corre ‘grave risco’ de morrer

Imagem: reprodução

De volta ao presídio de Bangu 8, no Rio de Janeiro, o ex-deputado Roberto Jefferson precisou ser internado neste domingo no hospital do complexo penitenciário em razão de complicações em seu estado de saúde, como febre alta, taquicardia e baixa pressão. Diante do quadro médico, a defesa do presidente do PTB pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a transferência do aliado de Jair Bolsonaro (sem partido) para um hospital particular na Barra da Tijuca alegando “grave risco” de vida.

Jefferson voltou para a prisão no último dia 14 por determinação do ministro Alexandre de Moraes, depois que o político recebeu alta hospitalar. Ele estava internado desde o início de setembro com um quadro de infecção urinária e dores na lombar e foi submetido também a um cateterismo para desobstrução de uma artéria.

Para o ministro, “a prisão deve ser mantida para a garantia da ordem pública e o devido prosseguimento do processo”. Jefferson teve a prisão preventiva decretada no dia 13 de agosto, por determinação de Moraes por suposta participação em uma organização criminosa que atuaria para desestabilizar a democracia e divulgar mentiras sobre ministros do STF.

No pedido feito ao ministro Alexandre de Moraes, os advogados de Jefferson pedem sua imediata transferência para o Hospital Samaritano, onde ele estava internado com o uso de uma tornozeleira eletrônica, e falam em uma situação grave de saúde, inclusive com risco de morte.

“É inequívoco a existência de grave risco de o requerente morrer, caso seja mantido no estabelecimento prisional, eis que a SEAP [Secretária de Adminitsração Penitenciária do Rio de Janeiro] já afirmou não possuir condições adequadas para manter a estabilização da sua saúde”, afirmam na manifestação ao STF.

Nas redes sociais, a piora no estado de saúde de Jefferson foi comentada pela filha dele, a ex-deputada Christiane Brasil, e pela presidente interina do PTB, Graciela Nienov.

A vice-presidente Nacional do PTB, Garciela Nienov, pediu orações por melhoras para o quadro do político.

“Meu pai voltou pro hospital do presídio. Sua saúde frágil não lhe permite ficar num ambiente tóxico daquele, longe da sua cuidadora. Se ele não sair logo pra casa, o pior pode acontecer. Oro pra que o Alexandre deixe-o ir pra casa”, escreveu Brasil em um post feito no Twitter.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Jovem morre após se afogar na Praia de Genipabu

Imagem: reprodução

Um jovem de 20 anos morreu após se afogar na praia de Genipabu, no município de Extremoz, na região metropolitana de Natal. O caso aconteceu às 09h30 da manhã deste domingo (24).

Na ocasião, a guarnição de praia do Corpo de Bombeiros foi acionada, juntamente com uma Unidade de Resgate (ambulância). Os atendimentos foram realizados, mas a vítima já estava em estágio avançado de afogamento.

Ainda de acordo com informações colhidas no local da ocorrência, o rapaz era de origem do estado da Paraíba.

Novo Notícias

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Guedes: “Bolsonaro não é populista, é popular; estamos fazendo esforço para atender quem tem fome”


Foto: Gabriela Biló/Estadão

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu mais uma vez a decisão do governo federal de alterar a regra do teto de gastos, considerada a âncora fiscal do País, para viabilizar o pagamento de R$ 400 no Auxílio Brasil até dezembro de 2022, ano em que o presidente Jair Bolsonaro pretende buscar a reeleição. Em entrevista neste domingo, ao lado de Bolsonaro, Guedes disse que foi preciso “moderar a velocidade da aterrissagem fiscal”, para atender a população mais frágil neste momento, e defendeu as reformas para que o País tenha solidez fiscal.

Segundo ele, uma possível aprovação da reforma administrativa traria uma economia de R$ 300 bilhões nos próximos oito a dez anos, frente ao gasto de R$ 30 bilhões para que o Auxílio Brasil chegue aos R$ 400,00.

Apesar de dizer que defende o teto de gastos, Guedes comentou que havia uma necessidade de atender a uma parcela da população que está passando fome. Para o ministro, o movimento não transforma o presidente Jair Bolsonaro em um populista. “O presidente não é populista. Ele é popular. É diferente. Ele tem a sensibilidade de saber, olha, chegou a hora que nós temos que atender. Tem brasileiro comendo osso, passando fome. A mídia mesmo ficou falando isso aí três meses, tem brasileiro passando fome, comendo ossos. Como é que um presidente da República vai fazer? Ele fica num difícil equilíbrio”, disse Guedes.

Segundo o ministro, R$ 400 foi o meio termo encontrado por Bolsonaro entre o que a equipe econômica propôs, de R$ 300, e o que os políticos defendiam, R$ 600. “A equipe econômica fala assim, vamos dar R$ 300. Aí os políticos, vamos dar 600. Aí ele olha e fala: vamos dar R$ 400. E aí eu como economista tenho que avisar ao presidente: presidente, isso aí nós temos que pedir uma licença, porque vamos atingir ao teto. Ah, podemos reformular o teto? A reformulação é tecnicamente correta, pra sincronizar as despesas com o teto, hoje eles estão descasados”, disse Guedes.

“O presidente precisa enfrentar o problema da miséria que se agudizou durante a pandemia. E aí ele precisa de R$ 30 bilhões para dar R$ 100 a mais para o Bolsa Família. Vocês todos sabem que tínhamos previsto R$ 300 dentro do teto. Estava previsto, só que o Senado não avançou com a matéria. Não conseguiu avançar com (a reforma) do imposto de renda, que daria a fonte”, justificou Guedes. “Se a gente fizer uma reforma administrativa que dê R$ 300 bilhões, não tem problema dar R$ 30 bilhões para os vulneráveis e os frágeis”, disse.

Apesar de defender a mudança feita, Guedes disse que “o teto é uma bandeira nossa de austeridade”. “O teto é um símbolo de compromisso para gerações futuras. Mas se você perguntar para gerações futuras nós vamos deixar 17 milhões de famílias brasileiras passando fome? Eles vão dizer que não. Eles vão dizer, faça um outro sacrifício aí, por exemplo, a reforma administrativa, porque aí você poupa para gerações futuras R$ 300 bilhões”, disse.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Rainha Elizabeth tem túnel secreto que liga palácio a bar favorito da realeza

Foto: Getty Images

Nem só de chá vive a Rainha Elizabeth. Ao menos, é o que indica a arquitetura de uma de suas residências oficiais, o Palácio de St. James.

Segundo Jack Brooksbank, marido de uma das netas da rainha, a princesa Eugenie, há um túnel secreto que liga o palácio ao Duke’s Bar, um dos bares históricos de Londres.

Jack, que fez a revelação ao colunista real Richard Eden, do “Daily Mail”, viveu com Eugenie em St. James por dez anos, até o casamento dos dois em 2018, quando se mudaram para Windsor. Ele lamentou ao colunista que nunca chegou a usar o túnel, “mas adoraria”, e não chegou a entregar, infelizmente, se a rainha frequenta o local.

Foto: iStock/Getty Images

O Duke’s Bar fica dentro do luxuoso hotel-boutique cinco estrelas Duke’s Hotel e é famoso entre a realeza e a aristocracia britânica. Localizado em frente a Clarence House, residência oficial do príncipe Charles, dedica seus quartos, obras de arte e cardápios a membros da família real britânica que fizeram história.

Diversos veículos da imprensa britânica atribuiram ao hotel, ao longo dos anos, uma série de frequentadores ilustres: Oscar Wilde teria escrito algumas de suas obras nas suas dependências, enquanto Chopin compunha.

Mais recentemente, Ian Flemming teria se inspirado e eternizado o Duke’s ao compor James Bond no bar. O martini favorito do agente secreto teria sido tirado da carta da casa.

Foto: Divulgação

E por falar em martini, a rainha seria fã do coquetel também, mas de sua versão com gin, como revelou o ex-chef do palácio de Buckingham, Darren McGrady, a CNN em 2017.

Sua Majestade também tem predileção por Dubonnet, um vinho de aperitivo mais adocicado, e por gin e tônica. No entanto, ela é comedida e jamais ultrapassa a marca de quatro drinques por dia, garantiu o ex-funcionário.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

ASSÚ: Prefeitura continua trabalho de melhoramento da iluminação pública

Com o intuito de tornar a iluminação pública mais eficiente e a cidade mais segura a prefeitura do Assú, por intermédio da Secretaria de Serviços Públicos, está dando continuidade ao trabalho de substituição das lâmpadas.

A ação que vem acontecendo de forma continua consiste na retirada das lâmpadas a vapor e substituindo-as por lâmpadas de LED, que tem maior sustentabilidade e melhor iluminação.

Estes serviços já foram concluídos na Av. Senador João Câmara e no Conjunto Habitacional Irmã Lindalva. Além desses, já foi realizado em parte da Av. João Celso, onde neste domingo estão dando continuidade, e na Augusto Severo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente Bolsonaro e ministro Paulo Guedes cobram apoio do Senado para ações do governo

Foto: Murilo Fagundes/Poder360 – 24.out.2021

Sem agendas oficiais divulgadas para este domingo (24), o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, visitaram juntos uma exposição no Parque de Exposições da Granja do Torto, em Brasília.

À imprensa, Guedes voltou a criticar o Senado por não aprovar a reforma do Imposto de Renda e afirmou que, se o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (MG), quiser se viabilizar como candidato à Presidência em 2022, precisa ajudar o governo com reformas. Bolsonaro, por sua vez, reforçou a confiança em Guedes.

A exemplo de coletiva realizada na última sexta-feira (22), Bolsonaro fez questão de dizer que confia no ministro, que, em sua avaliação, tem feito um bom trabalho. Além da reforma do Imposto de Renda, que espera votação no Senado, Guedes e Bolsonaro defenderam a reforma administrativa, que ainda precisa ser votada no plenário da Câmara dos Deputados.

Reforma Administrativa

Durante a visita, o ministro Paulo Guedes ainda reforçou que a reforma adminsitrativa, que tramita no Congresso Nacional, só vai impactar os funcionários que ingressarem no funcionalismo após a aprovação do texto. “Deixo bem claro que a reforma administrativa não mexe com os atuais servidores”.

O presidente ressaltou que a reforma administrativa deve ter um impacto de R$ 300 bilhões nas contas públicas, “sem atingir nenhum dos funcionários públicos atuais”.

Ao lado de Guedes, Bolsonaro afirmou que depositava total confiança no ministro. A saída de Paulo Guedes do cargo chegou a ser especulada nessa sexta-feira (22), depois que secretários do Ministério da Economia deixaram a pasta diante do drible que o governo pretende realizar sobre o teto de gastos para custear o Auxílio Brasil. “Foi exepcional o trabalho dele em 2019 e melhor ainda em 2020”.

R7

Opinião dos leitores

  1. Se não pode com o pote, não segure na rudia, esse bonachão na campanha prometeu combate a corrupção, a principal promessa, resultado, os corruptos foram soltos, aconteceram retrocesso nas leis de combate a corrupção inimagináveis, e pior, ele entregou as chaves dos cofres brasileiros aos corruptos costumazes do centrão, que tinham saqueados os cofres Públicos brasileiros juntos com o PT, além desse mal, trouxe inflação, aumento da violência, estagnação da economia, acabou com aposentadoria do trabalhador comum, e explosão do desemprego. Mesmo assim ainda tenta nos iludir que é o melhor pra o país. É terrível esses excremento de gente querer nos fazer de idiotas. Mais, tenta inocentar seus filhos e familiares, atolados até a tampa em ilícitos de trombadinha, imagina agora gerindo trilhões de reais da nação.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Pátio de veículos apreendidos na delegacia da Zona Norte registra 2º incêndio em menos de um mês

Um novo incêndio no pátio de viaturas apreendidas na delegacia de Plantão da Zona Norte de Natal foi registrado neste domingo (24).

É o segundo incêndio no local em menos de um mês. O anterior ocorreu no último dia 03 de outubro.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 12h20 e atende a ocorrência com pelo menos três caminhões no local.

A fumaça é vista de diversos pontos da capital potiguar. Ainda não há informações sobre a causa do incêndio.

*Mais informações em instantes

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro diz que não vai interferir na Petrobras e em preços dos combustíveis e volta a criticar cálculo do ICMS

Imagem: reprodução/CNN Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em entrevista conjunta com o ministro da Economia, Paulo Guedes, neste domingo (24), sinalizou que haverá um novo reajuste no preço dos combustíveis na próxima semana, mas que ele não tem intenção de interferir na tabela de preços.

“Provavelmente teremos um novo reajuste nos combustíveis, e não é preciso ter bola de cristal para isso – é só ver o preço do barril e o comportamento do dólar”, disse Bolsonaro.

Ao comentar sobre a situação do aumento do combustível e sobre a Petrobras, Bolsonaro afirmou que “não vai interferir no preço de nada” e que há conversas sobre “o que fazer com ela [Petrobras] no futuro”, citando o monopólio da exploração do petróleo por parte da empresa.

Questionado sobre intenções de privatização da empresa, o presidente afirmou que o processo “não é só botar na prateleira” e criticou a “burocracia” envolvendo a aprovação da privatização completa de estatais, afirmando que teria “privatizado muito mais” se não fosse necessária a aprovação da Câmara dos Deputados.

Além disso, Bolsonaro voltou a criticar o cálculo do ICMS e o “beneficiamento” dos estados com o aumento do combustível. “A forma de calcular o ICMS é injusta. O ganho de governadores, toda vez que há reajuste no combustível, é muito grande”, afirmou.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O foco desse papangu é polemizar, vai ao extremo e depois se cala. Isso vai da redenção do Brasil com o nióbio a ataques ao congressistas, chamando-os de ladrões, o mesmo fez com stf e o tse sobre as urna eletrônica, atacou a globo e a ciência, os corruptos do centrão e agora está com eles; esses são apenas os recuos que esse truta fez e eu me lembro agora. Tudo sempre acompanhado pelo seguidores idiotas. Como não se percebe essa jogada de faz de conta. É o mesmo jogo do petralha luladrão pra segurar uns papangus tetei, enquanto rouba e atrasa o país. Não tem jeito, só o Moro pra mudar isso.

  2. Eu só queria que algum comentarista inteligente me respondesse uma pergunta:

    – Será baixar o ICMS o preço da gasolina, do diesel e do gás vai parar do subir?????

  3. Um ser obtuso. Essa é da série quem tomar vacina pega aids, divulgada por essa aberração humana. Acredita quem não consegue ligar dois neurônios.

  4. Preferia quando Dilma intervia na Petrobras. O prejuizo era da Petrobras. O lucro era do meu bolso.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *