Fecomércio RN detalha protocolos para reabertura do comércio, serviços e turismo conforme portaria do Governo; confira

Foto: Divulgação

Diante da enorme necessidade de reabertura imediata do comércio, e confiando que a autorização será confirmada pelo Governo do Estado no Decreto a ser editado semana que vem, com validade a partir do próximo dia 25, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN, dissemina as orientações estabelecidas na Fase 1 do Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica do RN no pós-pandemia.

O Plano foi regulamentado pela Portaria 6/2020, do Gabinete Civil e Secretarias de Estado da Saúde Pública e do Desenvolvimento Econômico, publicada no Diário Oficial do Estado, e estabelece a primeira fase do cronograma para retomada gradual responsável das atividades econômicas no Rio Grande do Norte, tendo como base o documento elaborado com a participação da Fecomércio RN.

A portaria determina que serão inicialmente liberadas as atividades que tenham maior capacidade de controle de protocolos, que gerem pouca aglomeração e que se encontram economicamente em situação mais crítica. A liberação do funcionamento de lojas, estabelecimentos comerciais e espaços de prestação de serviços está condicionada ao cumprimento de protocolos específicos de segurança sanitária.

“Nossa equipe técnica preparou este material, que está bem detalhado, para que as empresas possam fazer os seus últimos ajustes, de modo a poderem reabrir suas portas, tomando, todas as providências necessárias para a adoção de todas as ações transversais e regras de convívio que estabelecidas pelo Plano, e que o momento exige”, explicou o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.

O Plano de Retomada está dividido em quatro fases, com intervalos de 14 dias entre cada uma delas. Esta primeira fase vai de 26 de junho a 7 de julho, período subdividido em três frações. Orientações como manutenção do distanciamento dentro das empresas de pelo menos 1 metro entre as pessoas; manutenção dos grupos de risco em quarentena domiciliar e teletrabalho; uso obrigatório de máscaras de proteção em todo e qualquer ambiente público ou privado; e funcionamento em horários alternativos para evitar aglomeração, com planejamento de horários alternados para colaboradores; entre outras, são comuns a todos os estabelecimentos, independente de qual fase ou fração eles estejam inseridos.

Na primeira fração, que vai de 24 a 28 de julho, ficam autorizados a funcionar alguns estabelecimento do segmento de serviços (RH e Terceirização; Atividades de Informação, Comunicação, Agências de Publicidade, Design e afins; Centros de Distribuição, Distribuidoras, Depósitos; Atividades dos Serviços Sociais Autônomos, Sistema S (excluídas as respectivas escolas) e afins; Agências de Turismo; Salão de Beleza, Barbearias e afins); e alguns tipos de lojas (Artigos de Papelarias, Materiais de Escritório e Variedades; Produtos de Climatização; Bicicletas e Acessórios; Comércio de Plantas e Flores; Vestuário, Acessórios, Calçados; Bancas de Jornais e Revistas; Souvenires, Bijuterias e Artesanatos; Armarinho; Lojas de artigos usados).

Na fração 2, que vai de 29 de junho a 3 de julho, estão autorizadas a funcionar lojas de até 600 m² (maiores de 300 m² constantes da “Fração 1 e 2”), como Lojas de móveis, eletrodomésticos, colchões e utensílios domésticos; Lojas de departamento e magazines (que não funcionem em Shoppings e Centros Comerciais); Loja de eletrônicos/ informática; Instrumentos musicais e acessórios; Equipamentos de áudio e vídeo; Equipamentos de telefonia e comunicação; Joalherias e relojoarias e comércio de joias; Lojas de cosméticos e perfumaria.

Já na fração 3, que vai de 4 a 7 de julho, estão autorizados a reabrirem suas portas as Lojas de brinquedos; Lojas de artigos esportivos; Lojas de artigos de caça, pesca e camping; e os estabelecimentos do segmento de alimentação (restaurantes, lanchonetes e food Parks), desde que tenham até 300m²; mantendo até quatro pessoas por mesa; distância de 2 m entre as mesas e de 1 m entre as pessoas. Também é proibido o consumo de bebida alcoólica no estabelecimento. Os food parks devem disponibilizar pias, torneiras com água e sabão e outros meios de higienização aos clientes.

Para todos os estabelecimentos especificados nesta Fase 1, como também para todas as frações, existem regras gerais, que devem ser seguidas por todos. Além disso, existem regras e recomendações estabelecidas de acordo com as especificidades de cada um deles, como por exemplo, cuidados em elevadores; proibição de prova de roupas; redução do quadro de empregados e adoção de turnos de trabalho alternados; atendimento agendado para evitar aglomeração e espera; limpeza de máquinas de cartão; mudanças na apresentação de cardápios, entre outras.

Vale ressaltar que todas estas datas estão condicionadas à autorização por parte do Governo do RN, que deverá ser concedida por meio de decreto. O avanço de uma fase para outra, como também de uma fração para outra, dependerá do controle epidemiológico do novo Coronavírus. Se for verificada tendência de crescimento dos indicadores após a liberação das atividades, poderão ser adotados, a qualquer tempo, se necessário, o restabelecimento ou o adiamento das fases, bem como o recrudescimento das medidas.

Sistema Fecomércio RN, Sesc e Senac estabelece critérios para retorno de suas atividades presenciais

De acordo com o Plano de Retomada das Atividades, as instituições do Sistema S estão autorizadas a voltar seu funcionamento nesta primeira fase, já na fração 1. Para isso, o Sistema Fecomércio RN já tomou as medidas para a volta gradual de suas atividades. Na Federação, as atividades administrativas devem retornar no dia 25.06, seguindo todas as recomendações de segurança e saúde estabelecidas pelas autoridades sanitárias.

No Sesc somente parte da equipe administrativa retornará ao trabalho presencial. Os restaurantes de Natal e Mossoró reabrirão com atendimento presencial, porém mantendo a venda das quentinhas, como forma de diminuir o número de pessoas nas unidades, e cumprindo as exigências de distanciamento entre mesas e cadeiras, pessoas e demarcação dos espaços. As clínicas odontológicas reabrirão a partir de 1º de julho, com todos os colaboradores paramentados com equipamentos de proteção individual exigidos pelos órgãos de saúde. Além disso, será disponibilizado álcool 70% e obrigatório o uso de máscaras em todos os ambientes; haverá o reforço na limpeza das áreas comuns; como também afixados informativos sobre a higiene em todos os murais.

No Senac, o atendimento presencial nas Centrais de Atendimento e Gerência das Unidades Alecrim, Zona Sul, Mossoró e CEP Barreira Roxa (8h às 14h); Macaíba, Assú, Caicó e Zona Norte (8h às 12h). A unidade Centro volta às atividades a partir de 1º de julho, das 8h às 14h, em novo endereço (Floriano Peixoto).

As aulas continuam sendo realizadas por meio da Sala de Aula Virtual, e as Bibliotecas e lanchonetes permanecem fechadas. A área de Licitações retorna com pregões presenciais e o Hotel-Escola Senac Barreira Roxa continua aberto com exclusividade para atender os Profissionais de Saúde em decorrência da parceria com o Governo do RN. Os demais setores continuarão atendendo por home office.

Plano de Retomada Gradual

O Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica do RN no pós-pandemia foi elaborado pela Fecomércio RN, Fiern, Faern, Fetronor, e Sebrae, com o apoio da FCDL RN, da CDL Natal, da Facern e da Associação Comercial do RN, e foi apresentado à Governadora Fátima Bezerra no dia 5 de maio. O documento é composto por um conjunto de propostas e de protocolos para direcionar a volta do funcionamento, de forma progressiva e segura, das atividades econômicas no estado, a partir do momento em que os decretos estaduais determinem a flexibilização do isolamento social em virtude da pandemia do novo Coronavírus.

Foi, inclusive, referendado pelo Comitê de Especialistas da Secretaria Estadual de Saúde Pública do Rio Grande do Norte, que emitiu parecer técnico favorável ao Plano, afirmando que o mesmo “presenta boa qualidade técnica e demonstra um esforço articulado do setor produtivo na elaboração do documento”.

Veja detalhado abaixo:

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Az disse:

    Na verdade, planejamento e esse governo estadual não combina só sabe é bater cabeça.

  2. Matheus disse:

    O Estado está desgovernado. Fátima Bezerra é o pior vírus que o RN poderia pegar.

  3. Ricardo disse:

    Quais são os setores incluídos nas fases 2, 3 e 4?
    Duvido que já esteja planejado.
    haja "ciência".

  4. Apir Pertinente disse:

    Ninguém se lembra dos estragos financeiros causados pelos últimos governos estaduais?

  5. Gustavo disse:

    A coisa toda foi tão mal feita, tão sem planejamento, tão na ânsia de extorquir o governo federal, que a abertura ocorrerá no ápice do contágio e em pleno colapso do sistema de saúde. Isso devido ao isolamento ter sido tão precipitado e o governo estadual simplesmente não ter feito absolutamente nada. Ainda deu dinheiro a um consórcio de corruptos que sumiram com milhões de dinheiro do estado e não entregaram os respiradores.

    • Dilermando disse:

      Amizade, esse planejamento aí quem fez foi a Fecomércio. E outra coisa, uma boa parcela dessa situação que enfretramos hoje vem da própria população. Não adianta dizer que só tá na rua quem tá trabalhando porque não é verdade (quem trabalha não tem tempo pra bater perna no Alecrim ou na Cidade Alta não…). Se todos tivessem respeitado o isolamento social desde o primeiro decreto, não estaríamos nesta situação. Vide o que os europeus fizeram…

  6. Messias disse:

    Essa governadora é totalmente incompetente, não sabe elaborar nada. Não escreve coisa com coisa. Se depender dela e de seus assessores, a economia não volta ao normal nunca. Fátima foi o pior câncer que o RN poderia pegar.

  7. Sevem disse:

    A governadora do PT Fátima, tá acabando com o RN.

Governo do RN adota medidas para facilitar o pagamento dos débitos de gás natural para o setor do turismo

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Companhia Potiguar de Gás (Potigás) e a Secretaria de Estado do Turismo, Setur/RN, adotou o parcelamento das faturas de gás natural canalizado para os clientes do segmento comercial, inclusive dos setores de restaurantes e hotelaria, nos mesmos moldes do que vem sendo realizado junto ao segmento industrial, favorecendo a retomada econômica do Rio Grande do Norte em meio à crise provocada pela pandemia da Covid-19.

Com a medida os usuários podem realizar o parcelamento das faturas que venceram nos meses de março, abril e maio de 2020, com a excepcional dispensa de juros e multa de atraso em até seis parcelas, sem qualquer acréscimo.

A Potigás também foi impactada pela pandemia com a diminuição de 60% do volume de gás natural canalizado distribuído no estado, o que também comprometeu a saúde financeira da empresa. E por reconhecer a importância das indústrias e comércios para a economia do Rio Grande do Norte, vem trabalhando pela manutenção dessas empresas em solo potiguar.

“Analisamos vários cenários e estudamos possibilidades para que pudéssemos conceder o benefício do parcelamento para os nossos clientes. Mantemos o diálogo aberto com todos e estamos confiantes de que essa crise vai passar e logo retornaremos ao ritmo normal e a consequente recuperação da nossa economia”, afirmou Larissa Dantas, diretora presidente da Potigás.

“Sabemos que a cadeia produtiva do turismo é muito importante para a economia do nosso estado, esse foi um pleito da classe empresarial do trade turístico do nosso Estado, o qual realizamos a sensibilização do Governo e acreditamos que a partir dessas medidas facilitará para a regularização das pendências. Medidas como essa ajudam os empresários a passarem por essa fase e terminam auxiliando na manutenção de empregos “, explicou a titular da pasta do turismo Aninha Costa.

Para solicitar o parcelamento das faturas, os interessados devem enviar mensagem para o setor financeiro da Potigás ([email protected]) com o respectivo pleito. O parcelamento pode ser feito nessa modalidade até o dia 30 de junho.

Veja protocolo sanitário do Turismo do Rio Grande do Norte para retomada

FOTO: Emprotur

Como forma de tentar recuperar um dos principais setores econômicos do estado, sete entidades do trade turístico se reuniram para formular um Plano de Retomada do Turismo. A iniciativa visa a construção de uma série de ações integradas para garantir a saúde pública e organizar a retomada gradativa do turismo, preservando os empregos e auxiliando na segurança econômica e sanitária para uma atividade mais segura em todo o estado.

O Plano possui ciclos norteadores com capacitações sobre a implementação do protocolo para os profissionais que atuam na atividade turística, priorizando em sua primeira etapa os meios de hospedagem, bares e restaurantes e agências de receptivo. Ao todo, o projeto contempla seis fases e prevê 18 meses de atividades.

Em maio, foram concluídas as duas primeiras ações previstas: criação de um protocolo de segurança sanitária, liderado pela Secretaria de Turismo do Estado do Rio Grande do Norte, e um plano de treinamento para habilitar as empresas a atuarem de acordo com as novas recomendações de biossegurança.

O foco do Plano Básico de Segurança Sanitária é oferecer diretrizes de enfrentamento à COVID 19 para a retomada da atividade turística. A ideia do documento é definir um fluxo geral de atendimento a ser seguido pelas empresas do turismo, em casos de turistas com suspeita de COVID-19 ou que informem estar com sintomas da doença.

Além disso, também apresenta critérios mínimos gerais de higiene pessoal, segurança sanitária, distanciamento social e sanitização de ambientes a serem seguidas pelos segmentos relacionados à atividade turística.

E para auxiliar as empresas na implementação das mudanças, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RN) irá ofertar capacitações online gratuitas, para trabalhadores do segmento.

“As capacitações que iremos ofertar em parceria com o Senac é o grande diferencial do Rio Grande do Norte nessa retomada da atividade turística. Seremos pioneiros nessa estratégia de destrinchar, por meios de cursos específicos, a funcionalidade dos protocolos e com isso nos prepararmos, de fato, para voltar a receber as pessoas de forma segura”, declara o presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística, Bruno Reis.

“A importância do Plano de Retomada das Atividades Turísticas se dá pela relação de confiança e credibilidade com o mercado. Após essa crise, as pessoas passarão a procurar os destinos que se sintam mais seguras. Este passa a ser um forte diferencial de competitividade. Os nossos empreendimentos turísticos passarão a cumprir todos os protocolos de segurança sanitária, com todos os trabalhadores do turismo fazendo capacitações gratuitas no Senac, a partir de junho, para conhecerem e atuarem dentro das normativas. Estamos articulando esse trabalho com diversos setores da sociedade.”, afirma Aninha Costa, secretária de turismo do RN.

Acesse aqui o Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte.

INTENÇÃO DE VIAGEM DO POTIGUAR APÓS A PANDEMIA: Observatório do Turismo do RN lança pesquisa para nortear retomada do setor

Foto: Divulgação

O Observatório do Turismo do RN está realizando a pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da Covid-19”. O levantamento pretende traçar o perfil dos turistas em pontecial para nortear a retomada do setor, principalmente pelas empresas norte-riograndenses que sofreram com os decretos de isolamento social, como agências de viagens, hotéis e demais comerciantes e prestadores de serviços relacionados.

Os pesquisadores também usarão as respostas para orientar as políticas públicas de turismo. O formulário digital ficará disponível até dia 04 de junho. Mais de 600 pessoas já responderam as questões formuladas pelos pesquisadores da UERN, UFRN e IFRN, em parceria com a Universidade Estadual do Piauí.

“A UESPI, através do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos em Turismo – NETUR, laboratório de pesquisa e extensão do Bacharelado em Turismo desta IES, uni-se ao Observatur RN para desenvolver pesquisas técnicas e científicas que contribuam com diagnósticos sobre a nova realidade do turismo do país. Desta forma, NETUR e OBSERVATUR somarão esforços também na produção de banco de dados que possa nortear e assessorar o planejamento e gestão do turismo, considerando especialmente os novos comportamentos do turista pós pandemia, bem como realizar análises das ofertas de atrativos e destinos, os quais deverão garantir uma retomada de atividades de forma segura e que promova experiências adaptadas a protocolos sanitários recomendados pelos órgãos oficiais de saúde e turismo do país”, explicou a Profa. Msc. Ana Angélica Costa, coordenadora geral do NETUR/UESPI.

“Através dessa parceria com a UESPI, firmamos um valioso intercâmbio de conhecimento científico, fortalecendo o Observatório do Turismo do RN, que nesta pesquisa irá utilizar como base a metodologia do NETUR/UESPI”, esclareceu o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório.

A pesquisa pode ser respondida AQUI.

Sobre o OBSERVATUR/RN

O Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte, sediado no Campus de Natal da UERN, é destinado ao fomento do turismo potiguar, através da análise do comportamento do turista, levantando, compilando e interpretando dados estatísticos, para ser um instrumento social, facilitador de gestão, informações e debate do setor.
A proposta de criação do OBSERVATUR/RN surgiu durante Reunião do Conselho Estadual de Turismo do RN – CONETUR, onde foi realizado um compromisso público para realizações das primeiras pesquisas de demanda turística no RN, realizadas de setembro de 2017 e até os dias atuais, com o apoio da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (coordenadora do projeto), da Universidade Potiguar – UnP, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFRN, da Secretaria de Estado de Turismo – SETUR/RN, da Secretaria Municipal de Turismo – SETUR/Natal, da Empresa Potiguar de Promoção Turística – EMPROTUR, do Sindicato dos Bugueiros do RN e do Sindicato dos Guias de Turismo do RN – SINGTUR/RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vergonha disse:

    Esse povo☝️☝️ que irá trazer turismo para o RN ??? Homi , enterrem de uma vez o RN , essa turma na traz uma KOMBI da Paraíba para fazer turismo …..PELO AMOR DE DEUS, aprendam com o povo de GRAMADO/RS no sul não tem espaço para AMADORES

  2. Zanoni disse:

    Viagens somente quando houver uma vacina. Quem é doido de arriscar 100%????

Turismo do RN debate desafios para a retomada das atividades

Foto: Emprotur

A equipe da Secretaria de Estadual de Turismo (Setur/RN) e Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur) estão construindo o Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte, com apoio do trade turístico potiguar, prefeituras e associações. Reuniões periódicas estão acontecendo por videoconferência para tratar sobre as ações que estão sendo tomadas com o objetivo de mitigar os impactos da crise provocada pela pandemia, como também debater o plano de retomada do setor.

Durante os meses de abril e maio, pesquisas foram desenvolvidas em âmbito nacional e regional para que o trabalho da Setur/Emprotur fosse norteado pelos resultados. “Vivemos um momento único no mundo, o turismo precisa refletir essa realidade, por isso inicialmente investimos em pesquisas. Elas nos ajudam a entender o comportamento dos profissionais do setor e quais suas expectativas, e também nos mostra como os municípios estão sendo afetados nesse momento”, explica o presidente da Emprotur, Bruno Reis.

Encontros virtuais foram realizados com os representantes dos principais destinos turísticos do RN, assim como Natal, Pipa e SMG; Sistema Fecomércio/RN, através do Senac/RN; Sebrae/RN, Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN); Sindicato das Empresas de Turismo (Sindetur/RN), Natal Convention Bureau; Associação Brasileira de Agências de Viagens do RN (ABAV/RN) e também com os representantes dos cinco polos turísticos, além das companhias aéreas que operam voos para o nosso destino, para apresentar as diretrizes iniciais do Plano de Retomada do Turismo no Rio Grande do Norte e a possibilidade de criação de protocolos sanitários para os espaços turísticos.

O Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte, que inclui ações regionais, nacionais e internacionais e define estratégias online e offline para ativar cada público, deve começar a ser implementado no início do segundo semestre de 2020. A Secretária de Turismo, Aninha Costa, ressalta a importância da união das entidades representativas de setor, do Governo do Estado e também a iniciativa privada para o sucesso nos resultados: “Fundamental a participação de todos, estamos trabalhando de forma colaborativa desde o início desta crise. E buscando as melhores alternativas para atravessarmos esse momento tão difícil”.

Medida Provisória destina R$ 5 bilhões para o setor de Turismo

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou nesta sexta-feira (8) uma MP (Medida Provisória) que destina crédito de R$ 5 bilhões para ajudar o setor de turismo durante a pandemia do novo coronavírus.

A fonte dos recursos é o superávit financeiro no Tesouro Nacional oriundo de concessões e permissões. O texto também é assinado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

O dinheiro servirá para capital de giro de micro, pequenas, médias e grandes empresas, além de resguardar empregos, segundo o Ministério do Turismo.

Por se tratar de um MP, o texto deve seguir em ritmo sumário na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Dessa forma, a medida deverá ser avaliada diretamente no plenário, sem passar por uma comissão mista.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Guilherme disse:

    Dinheiro dado ou empréstimo?

Colapso iminente, dizem entidades do Turismo ao governo federal

Em carta aberta do setor de Turismo ao governo federal, entidades em sua maioria ligadas à hospitalidade, falam em colapso iminente do segmento, que representa quase 9% do PIB nacional e é um dos maiores geradores de emprego e renda no País.

ABIH, Adibra, BLTA, Fohb, FBHA, Resorts Brasil, Sindepat e Unedestinos assinam o documento destinado a Brasília.

Confira na íntegra:

São Paulo, 30 de abril de 2020 – Sem resorts, hotéis, parques e atrações turísticas, será que existirá Turismo no País? O que acontecerá com tantas pessoas e destinos inteiramente dependentes desta atividade? Sem produtos e serviços do Turismo, como se dará a retomada das companhias aéreas e o que será das locadoras de automóveis?

É possível trazer muitas provocações a respeito das consequências da não sobrevivência do setor. Mas, talvez, a mais importante indagação em um País continental e diverso como o Brasil é: qual seria o setor econômico substituto do Turismo capaz de gerar o efeito multiplicador e descentralizado para a economia?

O Governo Federal trouxe soluções importantes para uma fase de contenção dos efeitos negativos da pandemia e vários setores produtivos foram contemplados por meio da MP 936. No entanto sabemos que há setores que, mesmo impactados, ainda continuam produzindo. Esse não é o caso do Turismo.

Essa indústria foi a primeira e será a última a retomar sua normalidade. No Brasil, até o momento, já computamos R$ 14 bilhões de prejuízos no setor de Turismo desde o início da crise, 295 mil demissões, impactando 571 atividades econômicas dependentes do segmento de Viagens. O efeito dominó diante da paralisação da atividade turística de lazer e de negócios pode levar à falência não apenas de empresas, mas também de inúmeros municípios espalhados pelas cinco regiões do país que tem suas atividades diretamente ligadas ao setor.

Medidas transversais foram cruciais, mas não serão suficientes! É o momento do governo federal dar prioridade para o Turismo, onde o motor da atividade: resorts, hotéis e parques, necessitam de um auxílio adicional para sobreviverem. Já estão na UTI! Precisam de “respiradores” e um remédio de uso contínuo por três anos para conseguir sua alta, ou seja, recuperação completa. A solução para passar da etapa de sobrevivência e chegar ao momento da recuperação depende principalmente de três movimentos que devem acontecer paralelamente: o primeiro é a prorrogação da suspensão do contrato de trabalho (MP 936) para o Turismo, cuja retomada é mais lenta; o segundo é a liberação imediata de crédito para pequenas, médias e grandes empresas do setor e, por fim, mas não menos importante, criar estímulos fiscais para encurtar ao máximo a etapa de recuperação deste importante setor, grande gerador de empregos e indutor de forte impacto socioeconômico.

Mais do que salvar 8,1 % do PIB Nacional é vital salvar toda a cadeia de empregos, diretos, indiretos, formais e informais, que atuam em todo setor do Turismo do nosso país, do Oiapoque ao Chuí!

Assinam esta carta

ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis;
Adibra – Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil;
BLTA – Brazilian Luxury Travel Association;
FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil;
FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação;
Resorts Brasil;
Unedestinos;
SINDEPAT – Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas.”

Panrotas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gregório disse:

    Bolsonaro tá quebrando o Brasil…

Banda Grafith fará live para divulgar campanha solidária do turismo do RN

Para amenizar os efeitos causados pela pandemia do coronavírus em relação aos profissionais autônomos do turismo, a campanha RN+Unido abriu uma janela para receber recursos de pessoas físicas ou privadas por meio de uma campanha online, onde todo o dinheiro arrecadado será revertido em cestas básicas e kits de higiene, distribuídos a esses profissionais em situação social mais vulnerável. A fim de ampliar a divulgação da campanha, a Secretaria de Turismo e a Emprotur promovem, no próximo domingo (3), um live em parceria com a banda potiguar Grafith, às 17h.

O link (http://vaka.me/1004979) para doações a partir de R$25,00 já está nas redes sociais do Governo do RN, da Secretaria de Turismo, da Emprotur e de entidades do turismo. “Vivemos um momento inédito na história mundial. A conjuntura atual demanda esforços conjuntos para que os trabalhadores mais afetados pela pandemia tenham condições mínimas de sobrevivência. O turismo é o segmento que mais tem sofrido com a paralisação das atividades e, por esse motivo, construímos essa parceria com a banda Grafith e contamos com o apoio de todos”, destacou, Aninha Costa, secretária de Turismo.

Integram a campanha, além da Setur RN e da Emprotur, entidades do trade: a Associação Brasileira de Agentes de Viagem (Abav RN), a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RN), o Natal Convention, e os sindicados de Hotéis, Restaurantes e Similares (SHRBS/RN), de buggy (Sindbuggy/RN), das Empresas de Turismo (Sindetur), e dos Guias de Turismo (Singtur). Para a transmissão da live, a Setur e Emprotur ainda contam com apoio da Center Filmes e Ajax Som.

Todo o recurso doado será movimentado apenas pela conta aberta para o programa e será fiscalizado pela equipe da Controladoria Geral do Estado. O termo de cooperação para essa campanha solidária foi assinado pelo controlador geral, Pedro Lopes, pela secretária Ana Maria Costa e pelo presidente do Sindetur, Francisco Câmara Junior.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    O que danado é banda Grafith, pergunta aqui minha égua Adelaide… Pense numa pergunta vexaminosa. Não sei nem como explicar. Eu mereço.

  2. Henrique Almeida disse:

    Vou assistir com minhas velhinhas do Juvino Barreto

Prefeitura de Tibau do Sul dá prazo para que meios de hospedagem retirem anúncio com disponibilidade em aplicativos de reserva

Imagem: ilustrativa

O Governo Municipal de Tibau do Sul deu um prazo de 48 horas para os meios de Hospedagem do Destino Turístico Pipa retirem anúncio com disponibilidade em aplicativos de reserva. O comunicado foi emitido nesta terça-feira, 07, em circular, destinado à ABIH/RN, ASTHEP, Pipa Convention, ao Trade Turístico, operadores emissivos/receptivos e agências de turismo e/ou similares e aos proprietários de casas de aluguel que atuam no Município de Tibau do Sul.

A medida faz parte das ações da Prefeitura no combate e enfrentamento ao novo Coronavírus (COVID-19). Para quem descumprir a determinação, a multa pode chegar a R$ 30 mil. A decisão foi tomada considerando a situação de emergência em saúde pública de importância nacional e internacional. Intensificada de acordo com aumento de casos de Covid-19 que coloca todo o Rio Grande do Norte em estado de atenção. Até o momento, Tibau do Sul registra 2 casos suspeitos e 5 descartados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    Quer dizer então que por causa de 2 (dois) únicos casos, com zero óbitos, o prefeito quer MATAR a maior fonte de renda do município, que é o turismo, que emprega milhares de pessoas na região e que é sem dúvida a maior fonte de recursos para os cofres da prefeitura? Tá ótimo. Quero ver daqui a um ou dois meses.

  2. Fatima disse:

    A prefeitura está fazendo o certo. Tome as medidas duras agora, para retornar mais cedo à normalidade.

  3. Antonio Turci disse:

    Dizem que a principal atividade econômica deste município é representada pelo turismo. Com esta atitude o Prefeito está rejeitando a principal fonte de recursos do município.

Governo Federal vai anunciar linhas de crédito para empresários do Turismo afetados pela crise

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ministro do Turismo (Marcelo Álvaro Antônio) anunciou nesta quinta-feira (2) linhas de crédito para atender empresários do setor turístico, que sofre forte impacto com a pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o ministro afirmou que devem ser anunciadas na próxima semana condições de financiamento para empresários da área que vão desde o MEI (microempreendedor individual) até grandes empreendedores.

“Sobretudo visando o capital de giro para que possamos nesse período vender essa crise”, afirmou.

As linhas de crédito devem ser oferecidas por bancos públicos como o BNDES e a Caixa Econômica Federal. Álvaro Antônio, contudo, não deu detalhes sobre o modelo e nem sobre o montante que será concedido.

“É uma medida amplamente debatida tanto com o BNDES quanto com a Caixa Econômica, ela já está formatada, será anunciada na próxima semana. São medidas que visam ter muita clareza nas regras e também no acesso ao crédito obviamente um credito que tem que ser mais atrativo do ponto de vista de juros e de carência.”

O ministro disse que as linhas de financiamento visam evitar o “desmonte” do setor.

Ele explicou que há um forte impacto no turismo brasileiro devido à série de cancelamentos de viagens por recomendação de isolamento e distanciamento social como forma de combate ao novo coronavírus.

Álvaro Antônio afirmou que o setor tem um impacto de 8,1% no PIB brasileiro e que havia um crescimento relevante em 2019, de 2,6% em relação a 2018.

O ministro disse ainda que a MP trabalhista publicada na quarta (1) pelo governo levou em conta pedidos feitos por sua pasta.

“Sabemos que 80% ou mais de 80% dessa cadeia produtiva [do turismo] gira em torno do pequeno e microempreendedor.”

FolhaPress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Será a última atividade a pegar fôlego depois da crise

Sindicato das Empresas e dos Trabalhadores de Transporte de Turismo informa que vai parar a partir de segunda

O Sindicato das Empresas e dos Trabalhadores de Transporte Urbano Intermunicipal e de Turismo informa que vai parar a partir de segunda-feira(23), inclusive, com suspensão de contratos de trabalho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    E pra isso que serve os sindicatos para atrapalhar a vida do povo trabalhador, além disso eles servem para que?.

  2. Laura disse:

    A Itália demorou para tomar essa decisão, olha no que deu, para tudo agora.

  3. Teresa disse:

    3 dias fazendo a propagação do vírus. É um absurdo.

  4. EDILANIA disse:

    Isso também serve para Extremoz? Pois moro em Extremoz e trabalho em Natal

  5. Sérgio Nogueira disse:

    Algumas atividades fundamentais não deveriam parar. Isso, além de não ajudar, transmite a ideia de covardia e egoísmo.
    O transporte entre cidades é uma dessas.
    O de turismo, ok. Fazer passeio e se divertir pode esperar ou sequer é hora.

  6. Marcello disse:

    E os profissionais da saúde e da segurança como irão trabalhar?

    E os trabalhadores dos supermercados como irão abastecer?

    Querem que vire um caos?

Presidente do Sindicato de Hotéis do RN alerta perdas do turismo com devolução do aeroporto

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares do Rio Grande do Norte, Habib Chalita, mostrou sua preocupação com a devolução por parte da Inframerica ao governo federal da concessão do Aeroporto Internacional Aluízio Alves, localizado em São Gonçalo do Amarante.

Chalita alertou que, nos últimos anos, o turismo potiguar tem sofrido perdas consideráveis e isso tem se refletido na economia deste importante setor da cadeia produtiva. “As diárias de hotéis foram afetadas, o preço das passagens continuam caras e isso só dificulta a quem trabalha neste setor do turismo”, comentou.

Ele destacou que “o poder público até tem trabalho pelo setor. Contudo, é preciso fazer mais, ter mais empenho”. “O turismo de Natal e do estado são fundamentais para nossa economia”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael Pinheiro disse:

    FORA FÁTIMA!! ACABOU COM O NOSSO RN 🙁

  2. Golvanir disse:

    O que mais prejudicou foi à mudança do aera porto, bem localizado que era e em ponto estratégico.

  3. Isaac disse:

    O setor hoteleiro do RN na verdade são grandes sugadores dos recursos públicos do Estado e Município de Natal, não é de hoje que se investe milhões em infra estruturas para o resultado ir para o bolso de meia duzia de hoteleiros.

  4. Maury Duarte disse:

    Vamos pedir o apoio politico para trazer de volta o funcionamento do Aeroporto Augusto Severo em Parnamrim que ja teria um grandioso atrativo de desembarcar no museu da II Guerra. Sucesso absoluto.

    • Cigano Lulu disse:

      Fale com o Gal. Girão (o nome dele é Gal!), ele é o embaixador da taba junto ao Cap. Messias.

  5. Pedro Melo disse:

    Natal é o reflexo do seu povo e colher as fezes que plantou por anos.

  6. Mily disse:

    Esse estado se chama ATRASO! Nada aqui vai pra frente.

  7. Manoel disse:

    Peraí gente! O aeroporto NÃO vai fechar! O fluxo de turistas não está caindo por causa do fim da concessão do aeroporto e sim por que o Estado está com uma violência sem controle (a começar dos assaltos chegando e saindo do aeroporto), como também preços das passagens elevados e por fim a diminuição mundial de fluxo de turistas devido ao coronavírus…

  8. Luciana Morais Gama disse:

    O nosso turismo já perde desde a abertura desse aeroporto no fim do mundo.

    • Djalmir disse:

      A questão de distância é muito relativa. Para quem mora em Ponta Negra por exemplo o novo aeroporto ficou distante. Porém para nós da Zona Norte é muito bom.

    • Silvio disse:

      Esse djalmir é doente mental, ponta negra com turismo movimenta mais de 60 % do aeroporto. Portanto, o aeroporto teria q pensar primeiro nesses consumidores, Pra se viabilizar economicamente.

De Pipa a Natal, um roteiro pelas praias e dunas do Rio Grande do Norte, destaca página de Turismo em O Globo

Foto: Canindé Soares

Os versos do folclorista potiguar Luís da Câmara Cascudo dão um aperitivo da capital do Rio Grande do Norte, Natal. Mas as atrações da cidade e seu entorno não são fáceis de caber em algumas linhas. Das praias e dunas estonteantes a um celeiro da cultura potiguar, é preciso reservar pelo menos uma semana para ter uma boa ideia de tudo o que a região tem a oferecer.

As principais atrações praianas do estado estão espalhadas na chamada Costa das Dunas, que abrange quase todo o litoral, incluindo destinos populares como Tibau do Sul, onde estão o vilarejo de Pipa e a Lagoa de Guaraíras; Maxaranguape, com as piscinas naturais (ou parrachos, como são chamadas) de Maracajaú (vide a da capa desta edição); e as cidades de Touros e São Miguel do Gostoso, muito procuradas por amantes dos esportes náuticos.

Variado também é o cardápio de atrativos nos arredores de Natal. Assim como o Rio não é somente Copacabana, a capital do Rio Grande do Norte não se restringe à badalada Praia de Ponta Negra. Quem passa pela cidade não pode deixar de lado uma visita às Dunas de Genipabu. Mesmo para aqueles que não gostam da aventura proporcionada pelo passeio de buggy nos morros de areia branca, vale a pena criar coragem para conhecer a paisagem.

Os passeios são oferecidos por agências de turismo, e todos os motoristas são credenciados após passar por um curso da Secretaria de Turismo do estado. Um passeio de buggy pela Costa das Dunas custa em média R$ 450, valor que pode ser dividido entre até quatro passageiros. Os preços podem variar durante a alta temporada, de dezembro a março.

Com 70 quilômetros (considerando a ida e a volta), o trajeto inclui todas as praias urbanas de Natal. No caminho, a exuberância do litoral nordestino é marcante mesmo para os brasileiros mais viajados. É possível dar um mergulho nas lagoas que brotam no local, como a de Pitangui e ter um momento de adrenalina no “esquibunda” na Lagoa de Jacumã.

Conhecido como Rota do Sol, o caminho que leva ao litoral sul do Rio Grande do Norte também merece ser explorado, a partir de Natal. O trecho, que vai até Tibau do Sul, reserva algumas das paisagens mais bonitas da região, como a Praia de Camurupim. Os corais formam piscinas naturais e o desenho da praia se transforma ao longo do dia, de acordo com a oscilação da maré. Antes de chegar à praia, a Parada dos Golfinhos é uma boa chance para os visitantes que quiserem admirá-los. Principalmente pela manhã, é possível avistar grupos deles nas águas.

Berço do Brasil

Não apenas de mar e sol vive o potiguar. A Grande Natal também reúne riquezas culturais e históricas de vários períodos do Brasil. Um pouco dessa história é contada pelo guia e historiador Ítalo de Araújo num passeio de catamarã pelo Rio Potengi, que banha a capital do estado.

Num pôr do sol regado a drinques e música ao vivo, Ítalo defende que, diferentemente do que diz a História, os portugueses chegaram primeiro a Touros, no Rio Grande do Norte, e não a Porto Seguro, na Bahia. Um dos argumentos é que Touros, num dos extremos do Brasil, é o local do país mais próximo da Europa. Não à toa, a Secretaria de Turismo do estado, com apoio do Sebrae-RN, tem investido no mote “Tudo começa aqui”. O passeio explora um pouco da história colonial brasileira.

Às margens do Potengi também será inaugurado um novo complexo histórico da capital potiguar: o Museu da Rampa. O local serviu como base para partida de aviões americanos para lutar na Segunda Guerra Mundial. Foi ali que o presidente Getúlio Vargas recebeu, em 1943, a visita do chefe de Estado americano à época, Franklin Roosevelt, para falar sobre uma possível participação mais efetiva do Brasil no conflito. A expectativa é que o museu seja inaugurado ainda este ano e atraia tantos turistas quanto o Museu do Amanhã, no Rio, já que também está localizado às margens de uma paisagem natural.

— A nossa ideia é de que o museu faça parte da história do estado, resgatando as memórias da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial — afirma Aninha da Costa, secretária de Turismo do Rio Grande do Norte.

Matéria completa aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ROBERTO EIDER LIRA disse:

    Parabéns família BG pela materia referente ao Turismo Potiguar.abs Roberto lira bugueiros 001

  2. Francisco Neves disse:

    Fiquei fascinado com a ideia desse roteiro, moro em Guaraí/TO e amo o Nordeste Brasileiro.
    Pode ser feito em carro convencional ou somente 4×4

Turismo: RN ganha novos voos a partir do dia 27 de fevereiro

A GOL Linhas Aéreas anuncia nova rota no Nordeste em parceria com a VoePass que liga o Aeroporto de Natal (RN) ao Aeroporto de Fortaleza (CE). Os novos voos entram em operação dia 27. Expandindo o acordo atual entre as companhias, os destinos serão operacionalizados pela parceira VoePass (com aviões ATR -72), com três voos diários, todos com têm ida e volta.

O acordo permite aos clientes da região terem acesso amplo e mais rápido às cidades. Se antes era preciso cerca de 7 horas de ônibus para se deslocar de Fortaleza até a capital potiguar agora o trajeto levará aproximadamente uma hora.

“Como Companhia que democratizou o transporte aéreo brasileiro, ficamos felizes em ampliar a oferta no Rio Grande do Norte, trazendo mais conforto e agilidade para os Clientes A iniciativa facilitará o acesso aos voos domésticos e internacionais da GOL, fortalecendo o turismo e os negócios da região”, destaca Gabriel Vasconcelos Gomes, executivo de Alianças da GOL.

“O Rio Grande do Norte é o estado que mais possui demanda de estrangeiros, sabemos que o RN recebe mais estrangeiros do que emite. Pensando estrategicamente, esses voos Fortaleza – Natal serão importantes tanto para fomentar o turismo doméstico quanto para ampliar a conectividade do Rio Grande do Norte e facilitar a chegada de turistas internacionais”, pontuou o diretor-presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística do RN, Bruno Reis.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luna disse:

    Coitados dos turistas , a insegurança piorou e os assaltos aumentarem desde janeiro. Vir pra Natal é uma grande probabilidade de ter uma péssima recepção ao sair do aeroporto.

  2. Lourdes Siqueira disse:

    Uma hora, uma pinóia!
    Tem que chegar uma hora e meia com antecedência pro vôo. Para chegar no aeroporto se for de carro bote duas horas em horário de pico fora o pavor de ser assaltado no percurso. Chega em Fortaleza mais duas horas para sair do aeroporto. Isso tudo sem contar o alto preço da passagem e ainda levar uma muda de roupa e uma escova de dente para evitar despachar a mala. Paguei 240 reais de Natal para Salvador nessa bendita empresa chamada Pênalti, ops, Gol! E ainda tem a brincadeira do grilo…mudança de portão de 15/15 minutos…..

    Um leito da Guanabara é show!. Ah! a poltrona cabe um adulto.

  3. Adriano disse:

    Passaredo. Que opra com atr 72. Empresa de pequeno porte que faz vôos regionais. Essa parceria é muito importante pra o turismo do RN. Espero que venha pra ficar e dure muitos anos.

Alunos temem presença de Suzane Von Richthofen em aulas de turismo

Foto: Reprodução

Um número restrito de alunos e professores forma a comunidade acadêmica do campus do Instituto Federal Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação de São Paulo (IFSP) em Campos do Jordão para onde Suzane Von Richthofen, presa pelo assassinato dos próprios pais, foi aprovada para estudar este ano. Quem estuda na unidade, cujo prédio reaproveita a estrutura de uma antiga rodoviária, afirma que “todo mundo se conhece” no local.

Escolhido por Suzane no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) esta semana, o curso de Gestão em Turismo está iniciando sua terceira turma. Ele começou a ser disponibilizado para inscrições em 2018, quando o campus entrou em atividade. O tempo normal de formação é de dois anos e seis meses, com perspectiva de que os alunos atuem como tecnólogos em áreas diversas do campo do turismo. Um formando pode se tornar recreador em um hotel da região, por exemplo, ou atuar no planejamento turístico de um município.

Suzane, de 36 anos, foi a oitava colocada de uma turma de 36 alunos e já é chamada de “caloura” entre os alunos do curso, que descobriram sobre sua aprovação na quinta-feira.

Se ela realmente passar a frequentar as aulas noturnas, deverá chegar às 19h e sair às 22h40m, de segunda a sexta-feira. A hospitalidade com os novatos é característica dos estudantes do IFSP: embora a instituição não autorize os chamados “trotes”, todos recebem as boas-vindas no início do semestre, em fevereiro, e é esperado que logo se juntem aos colegas e professores para confraternizar no Bar do Jegue, localizado no próprio prédio.

A possível presença de Suzane, no entanto, cria apreensão em quem costuma participar desses momentos de lazer.

— Pensei sobre o assunto o dia inteiro. Acredito na ressocialização quando a pessoa demonstra remorso e intenção de mudar. Não é o que vemos na Suzane em todos esses anos. A impressão que ela passa é a de que o assassinato dos pais foi algo corriqueiro e isso nos assusta — afirma um aluno de 27 anos que estuda no terceiro período do curso de turismo.

Além do medo da convivência com uma pessoa envolvida no assassinato da própria família, alunos também temem que a frequência de Suzane nas aulas desperte a atenção pública para o prédio. Eles imaginam que a presença de uma das detentas mais conhecidas do Brasil poderá atrair um fluxo de pessoas incompatível com a rotina pacata do local nos últimos dois anos.

— As pessoas ficaram um pouco assustadas. A chegada dela vai atrair muita gente até o campus, curiosos da própria cidade e também da imprensa. E, para além de apenas vê-la, as pessoas podem querer impor algum tipo de represália a ela — diz o estudante.

Viagem diária

Para chegar ao IFSP todos os dias, Suzane precisará viajar de ônibus antes e depois das aulas. No semiaberto, ela é obrigada a dormir todos os dias na penitenciária feminina de Tremembé, a 40 quilômetros do campus, o equivalente a cerca de 1h10m no transporte coletivo.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo, a participação de Suzane no curso estará condicionada ao pagamento dela pelo próprio transporte. Em um mês, as idas e voltas dela à unidade de ensino devem somar cerca de R$ 420 — cada passagem de ônibus custa R$ 10,55.

Em classe, durante o primeiro semestre, Suzane deverá assistir a aulas de oito disciplinas. Elas envolvem conhecimentos básicos em administração, informática, geografia, inglês, comunicação e legislação sobre turismo. Nas fileiras, ao seu lado, ela encontrará desde adolescentes a adultos de até 40 anos: mesmo com as diferentes faixas etárias, os alunos de cada turma costumam se comunicar em grupos de WhatsApp.

— Falamos muito sobre isso nas mensagens hoje. Há um tom de piada, mas também de preocupação. Campos do Jordão é uma cidade conservadora em que muitas pessoas levam a sério a ideia de que bandido bom é bandido morto. Isso explica a comoção em torno da aprovação da Suzane — justifica uma estudante de 23 anos.

Presa desde 2002, Suzane cumpre pena de 39 anos por ter matado os pais junto com o namorado, Daniel Cravinhos, e o irmão dele, Christian Cravinhos. Ela já cumpriu 18 anos de detenção e, com os estudos, terá chance de remição da pena: a cada 12 horas de estudo, ela eliminará um dia de pena. Se cumprir o curso em sua totalidade (com cerca de 500 dias letivos), Suzane se formará com menos 166 dias — praticamente um semestre — a passar na cadeia.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Maria disse:

    Com a experiência dela vai ser fácil matar aulas !!!

    • Bento disse:

      Boa kkkkkkkkkkkkkk
      Aí será reincidência e com isto voltará para a prisão kkkkkkkkkkkkk

VÍDEO: BG detona turismo de Natal e falta de investimento em atrativos na Capital

No Meio Dia Com o BG, Bruno Giovanni lista falta de atenção com a atividade turística no Estado, em especial em Natal, que sempre é obrigada a explorar apenas suas belezas naturais. A fala do blogueiro foi registrada no programa dessa terça-feira(21). Veja abaixo:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raquel disse:

    O que adiantar o prefeito ir à Europa gastar dinheiro público para divulgar uma cidade abandonada, se não for a gente potiguar segurando o turismo na raça e na coragem, os empresários fazendo milagre para manter as empresas isso já tinha virado deserto, lamentável a política desse estado e do município. Nem falemos do aeroporto pra não piorar 😭

  2. Fernando Antonio disse:

    E as obras da engorda da Av Beira Mar, começando pela praia de Iracema estão indo de vendo em popa e faixa de praia será alargada em 80 metros. E em Ponta Negra cheia de pedras, resto de comida e os ratos fazendo a festa. É uma lástima.

  3. Fernando Antonio disse:

    Está certo o BG, Natal está um lixo. Recentemente, dezembro, estive uns dias em Fortaleza e vi uma cidade limpa e sem buraco. Sugiro o Dr. Álvaro Dias passar uns dias por lá para sentir a boa gestão do Prefeito Roberto Cláudio. Pelo amor de Deus, gestor da Semurb as placas das ruas da cidade estão quase todas apagadas

  4. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Impressionante como a imprensa faz vista grossa com orla de Natal mas eu sei porquê

  5. Marcos disse:

    Quando você chegar ao poder, BG, quero ver suas ações. Votos, o Sr. já tem.

  6. antonio disse:

    BG vc tem toda razão, aqui o turista é explorado. Preços exorbitantes em barracas, tanto no litoral norte como nas do sul.

  7. CHICÃO disse:

    QUEM CHAMA ISSO DE ORLA MARÍTIMA,NUNCA VIU UMA FAVELA !!!!

  8. Bento disse:

    Assino embaixo
    Natal estava no topo
    Nossos times estavam em Ascenção
    E o que temos para hoje?????
    Acorda RN

  9. Robério Mauricio da Silva disse:

    Tem eleição chegando. kkkkkk

  10. Etevaldo disse:

    Falou como CANDIDATO. BG 2020

  11. Paleo disse:

    Nao adianta divulgar a cidade sem ter o minino a oferecer, a infraestrutura de Natal é a pior do nordeste atualmente.

    • Manoel disse:

      Visitei recentemente a orla de João Pessoa e Recife e dá gosto de ver e passear por lá! A orla daqui é péssima (ambulantes fora do controle, esgoto a céu aberto, lixo na praia, lixo no calçadão, quiosques péssimos e caros), sem contar a falta de segurança!

    • Paleo disse:

      Qualquer uma esta em melhores condicoes. Nao entendo o que esta acontecendo com Natal e a imprensa nao mostra. Vergonha isso.

  12. Sebastiao disse:

    Senta a pua!!!!