Diversos

Os hotéis na pandemia: como a Reserva Papéis tem ajudado nas medidas de higienização do novo turismo

Foto: Divulgação

Até pouco tempo atrás, os principais fatores na hora de escolher um local para se hospedar em uma viagem de férias eram resumidos em pontos básicos, como localização e valores. Hoje, apesar dos fatores citados ainda serem relevantes, motivos novos, como a higienização correta dos ambientes, passaram a influenciar na escolha do local a se hospedar.

Antes a limpeza dos quartos e ambientes comuns aos hóspedes era tida como um processo que passava despercebido, na atual situação, no entanto, tornou-se algo minimamente cuidadoso e pensado, onde todas as etapas importam, inclusive a escolha dos materiais certos.

Desde aos materiais usados pelos profissionais dos hotéis até os que são usados pelos hóspedes devem ser aqueles que forneçam segurança a todos. Dessa forma, o uso de utensílios descartáveis feitos de papel, por exemplo, estão se tornando cada vez mais comuns na rede hoteleira, que passou a usá-los em maior quantidade.

Para Moura Júnior, diretor da Reserva Papéis, “medidas como essa não refletem apenas na limpeza como um todo, mas na segurança que hóspedes e funcionários necessitam neste momento de novo turismo”.

Para conhecer mais sobre a Reserva Papéis, acesse reservapapeis.com.br ou entre no instagram @reservapapeis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Proposta do Plano Diretor de Natal para ampliação de uso da Via Costeira possibilitará retomada do turismo

Foto: Alex Régis/Secom

A ampliação do uso da área da Via Costeira, como uma das propostas listadas na revisão do Plano Diretor de Natal (PDN), tem o objetivo de possibilitar a implementação de novos empreendimentos turísticos. A proposta da minuta será votada nos dias 14,15 e 16 de junho na última conferência de revisão do plano da cidade. Após esta etapa, o PDN segue para a Câmara Municipal, onde será discutido e votado.

De acordo com o secretário de turismo de Natal, Fernando Fernandes, a Via Costeira carece de investimentos estratégicos em termos de turismo e de acessibilidade, mas possui grande potencial exploratório para investimento em pontos que podem ser reorganizados.

Para ele, a Via Costeira passará de uma Zona Especial de Interesse Turístico (ZET) e estará dentro das chamadas Áreas Especiais de Interesse Turístico e Paisagístico. Com isso, a implementação de empreendimentos de uso misto para o favorecimento do turismo local e o investimento dos pequenos e médios empreendimentos, podem atrair mais turistas para a localidade.

 

Opinião dos leitores

  1. Espero que um dia retirem o engessamento dessa cidade, que tem a pior (e bote pior nisso) orla dentre todas as capitais do nordeste.

  2. O Turismo começa pelo AEROPORTO> O nosso é inviável hoje. A segurança não existe, o serviço de transporte publico não existe, o valor da corrida em Taxi é alto. A rede de hotéis é BOA, o resto deixa a desejar. Chegar em S. Gonçalo às duas da manhã para se deslocar para ponta negra, o cabra tem que ter aquilo se não deixa amanhecer o dia. Volta o Augusto Severo já.

  3. Hoje andamos em natal e vamos a cidade no lixo …uma capital que era conhecida por sua limpeza e organização hj não passa de uma imundice por todo lugar nao temos mais orla não temos mais duas limpas tudo um lixo…vejo João Pessoa estar uma formosura de cidade….prefeito sem futuro esse daqui junto com a governadora que também não faz nada …a desculpa é a pandemia …onde tá a reurbanização da redinha …onde tá melhorias da vias de Natal…so tem obra aqui financiada pelo governo federal..que vergonha .

  4. A retomada do turismo em Natal e no RN envolve muito mais que isso! Tem que investir em segurança e infraestrutura, além de uma boa campanha de divulgação… Não adianta liberar a construção na via costeira inteira se virar a bagunça e sujeira que existem hoje nas praias urbanas de Natal…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

FOTOS: ABIH-RN recebe Ministros do Turismo e das Comunicações e apresenta pleitos da hotelaria para o turismo do Estado

Fotos: Divulgação

O Ministro do Turismo, Gilson Machado, e o Ministro das Comunicações, Fábio Faria, estão na capital potiguar nesta segunda-feira, 24, para cumprirem agenda administrativa, e na oportunidade, a convite da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN), participaram de um almoço com a presença de diversas entidades e lideranças do turismo do Estado.

Abdon Gosson, presidente da ABIH-RN, abriu o evento agradecendo a presença dos Ministros e dos representantes das entidades presentes, “Esse é um momento oportuno e extremamente importante de podermos levar aos Ministros Fábio Faria e Gilson Machado, a real situação de como está o turismo no Rio Grande do Norte. Estamos mostrando as dificuldades e os apelos que o momento pede, principalmente pensando em cada um daqueles que trabalham nos mais diversos setores do turismo e suas circunstâncias dolorosas. Esperamos que os nossos Ministros se sensibilizem e solidarizem-se cada vez mais para poder ajudar o setor que mais gera emprego no RN, grande responsável para que a economia do estado possa também sobreviver. Deixo aqui nosso agradecimento aos ministros pela dedicação e preocupação para com o nosso setor nesse momento tão difícil.”, agradeceu Abdon.

Gilson Machado reafirmou o compromisso do Ministério em recuperar o setor o mais rápido possível. “Não tenho dúvida que o nosso país no pós-pandemia vai ser o destino da vez. Eu sei porque tem operadores do mundo todo, da Europa, da Ásia, disputando os aeroportos brasileiros, isso é uma visualização concreta do retorno do turismo no Brasil, inclusive tem uma companhia espanhola querendo fazer um voo direto aqui para Natal e só estão esperando os protocolos de fronteira, e nesse momento estamos provocando a organização mundial do turismo (OMT) para nos dizer quais são as vacinas e os protocolos que poderemos usar para diminuir o sofrimento de todos e voltar o mais rápido possível aos negócios para que o turismo se abasteça e volte a gerar emprego. Eu sei da dificuldade que o estado tem aqui de segurança, e eu e Fábio Faria, aqui presente, vamos amanhã conversar com o Ministro Tarcísio Gomes (Ministro da Infraestrutura) e Anderson Torres (Ministro da Segurança Pública), e vê o que pode ser feito aqui para o estado de forma urgente.”, afirmou ministro Gilson.

Na ocasião, a ABIH-RN também entregou um ofício aos ministros solicitando alguns pleitos do setor, entre eles a edição da MP do PERSE, a desburocratização dos empréstimos do BNB e Fungetur, criação do Voucher Turismo, além de alguns pleitos relacionados a infraestrutura turística, como a realização de Estudos técnicos para a estruturação de projetos de concessões e PPP’s, inclusive estudos de viabilidade técnica e econômica pelo BNDES para o Forte dos Reis Magos, o Complexo da Rampa, e o Centro de Convenções de Natal. Além da construção do Centro de Convenções de Pipa, em Tibau do Sul; construção do PIER de embarque na Lagoa de Guaraíras, em Tibau do Sul/Pipa; implantação da Ciclovia/Calçadão Tibau do Sul-Pipa (projeto já enviado ao MTur); urbanização da Praia de Tourinhos, e Parque Linear da Praia do Cardeiro, ambos em São Miguel do Gostoso; e o Terminal Turístico Árvore do Amor, em Maxaranguape. Na oportunidade também foram solicitadas ações de promoção e divulgação do destino.

“Eu e Gilson Machado estamos conectando o nosso grupo de trabalho que une Comunicações, Saúde e Turismo, e estamos levando para todos os pontos turísticos do Brasil, e agora no RN, pontos de internet com o projeto ‘Wi-fi Brasil’. Aqui no Rio Grande do Norte foram vinte pontos para as praias turísticas e vamos conectar o país todo. Porque o turista que vem de fora precisa de internet, o nosso destino é muito bonito naturalmente, o que falta é infraestrutura e incentivo, e o trade pode contar com a gente para o que precisar”, ressaltou Fábio Farias, Ministro das Comunicações.

O diretor da ABIH Nacional e também vice-presidente da ABIH-RN , José Odécio, também agradeceu os ministros pela oportunidade de ouvir os pleitos do turismo potiguar e acrescentou: “Esse encontro é fundamental para que possamos demonstrar aos ministros como está a cadeia do turismo nesses tempos de pandemia, um dos setores mais atingidos e que precisa do apoio, não só do Governo Federal, mas também do Governo do Estado e dos Municípios. Esse encontro nos dá a oportunidade de apresentamos o quadro acerca da real situação pela qual estamos vivendo. Saímos desse encontro com a certeza de que teremos o apoio dos Ministros Fábio Faria e Gilson Machado, para enfrentarmos essa crise e também para buscar, com a retomada, aprimoramento das infraestruturas turísticas que o Rio Grande do Norte precisa, e assim fortalecer a cadeia produtiva do turismo aqui no RN.

A ABIH-RN, na pessoa do nosso presidente Abdon Gosson, está de parabéns pelo empenho a frente das questões e desafios que essa Pandemia nos trouxe, e aqui, representando também a ABIH Nacional, na pessoa do nosso presidente Manoel Linhares, destaco o excelente trabalho da ABIH Nacional, que durante esse período de pandemia, junto com as demais entidades do setor de turismo do Brasil, vem buscando soluções face a essa grave crise. Muitas conquistas já foram obtidas, outras porem necessitam avançar, especialmente no que tange ao suporte das pequenas empresas e, com a retomada, é preciso investimento nas ações de promoção e divulgação do destino, pleitos aqui apresentados ao Ministro Gilson.”, concluiu José Odécio.

Também participaram do almoço, o ex-governador do RN, Robinson Faria, os deputados federais: General Girão, Beto Rosado e João Maia, Manoel Andrade (diretor financeiro da ABIH-RN), Sérgio Gaspar (diretor da ABIH-RN junto a ABIH Nacional), Sérgio Boffa (diretor do Interior), Luís Fernando Tinoco (Conselho de ética da ABIH-RN), Gabriela Duarte (gerente executiva da ABIH-RN), Neiwaldo Guedes (presidente do Conselho Curador do Natal Convention Bureau), Leandro Martins (diretor financeiro do Natal Convention Bureau), Juan Garcia (diretor do SHRBS), Francisco Câmara Júnior (presidente do SINDETUR), Diassis Holanda (conselheira da ABAV-RN junto a ABAV Nacional), Wanderson Borges (presidente da ASHTEP), Fábio Pereira (presidente da Ae Gostoso), Júnior Lima (presidente do SINGTUR RN), além de membros da comitiva dos ministros e convidados.

 

Opinião dos leitores

  1. É muito complicado trabalhar num estado cuja governadora parece estar empenhada em destrui-lo. O RN ainda sobrevive graças ao governo Bolsonaro, que já enviou muita ajuda para cá, incluindo muito dinheiro. E tem as obras. Mas, a governadora é um enorme impecilho para o desenvolvimento do RN. Esperar o que de uma administração do PT?

    1. Realmente, vc é bobo. Parabéns pelo pseudônimo muito adequado. Vc tem quantos anos, bebezinho?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Agência de Fomento do RN emite esclarecimentos sobre investimentos e crédito ao setor turístico na pandemia

Nota de esclarecimento

Sobre o texto publicado neste blog (Governo do Estado investiu menos no turismo em 1 ano do que perdeu na compra dos respiradores que não chegaram), a Agência de Fomento do RN gostaria de realizar os seguintes esclarecimentos:

– A participação da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN-RN) na luta contra os efeitos econômicos na pandemia de Covid19 resultou até aqui na concessão de R$ 36,7 milhões em crédito para 7.424 empreendedores dos mais variados setores produtivos do estado desde o início da crise mundial de saúde;

– A AGN-RN é uma instituição financeira de fomento e atua exclusivamente sob demanda dos empreendedores. Desta forma, o volume de recursos liberados está diretamente relacionado à procura por parte do segmento produtivo interessado;

– O volume de recursos aplicados no apoio direto a empreendedores e empresas, dos mais diversos tamanhos, ligadas à cadeia de atividades turísticas potiguar por meio de crédito é de 4,86 milhões. Valores que levam em conta apenas atividades diretamente envolvidas com o setor, sem considerar os financiamentos concedidos a empreendimentos de natureza diversa instalados em cidades turísticas e que se beneficiam da atividade através da comercialização de produtos e serviços;

– A injeção dos recursos por meio de crédito para o setor de turismo, bares e restaurante se refere exclusivamente às operações de crédito já efetivadas. Contudo, a AGN dispõe de um volume superior a R$ 13 milhões destinados ao setor disponível a ser financiado;

– Ainda em razão da pandemia, a AGN promoveu uma série de flexibilizações em seus processos para facilitar o acesso ao crédito por empreendedores do setor que passam pela dispensa da exigência de balanço financeiro para financiamentos até R$ 50 mil; dispensa de apresentação de licenciamento ambiental para bares e restaurantes; apresentação de plano de negócio simplificado, dentre outras medidas;

– O investimento realizado por meio de liberação de crédito para o setor de Turismo e setores afins, como bares e restaurantes via AGN é apenas uma das ações do Governo do Estado para socorrer empresas, empreendedores e profissionais autônomos da cadeia turística do estado;

– Por fim, a Agência de Fomento do Rio Grande do Norte reitera seu compromisso com o desenvolvimento econômico e social norte-riograndense, bem como, o apoio irrestrito aos empreendedores neste momento de profunda dificuldade.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Governo do Estado investiu menos no turismo em 1 ano do que perdeu na compra dos respiradores que não chegaram

Foto: Reprodução/Instagram

O Governo do Estado divulgou nas redes sociais uma ação que teria resultado no acesso a R$ 4,86 milhões para empresas do setor de turismo durante a pandemia.

Segundo o texto, os financiamentos beneficiaram 562 empresas em linhas operadas pela Agência de Fomento do RN.

Desse total, 521 empreendimentos acessaram recursos próprios da AGN. E os outros para fechar a soma de 562?

Segundo o texto do governo, o Estado “garantiu disponibilidade de recursos do Fundo Geral do Turismo e Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, do BNB, órgão federal, portanto.

Coincidentemente, o valor divulgado pelo Governo, que envolve recursos dele e recursos federais, é exatamente igual ao valor perdido na compra de respiradores, R$ 4,8 milhões.

Ou seja, o governo investiu menos no turismo do que perdeu na compra de respiradores que nunca chegaram.

Opinião dos leitores

  1. O Direita Honesta lidera, mas os outros também não tem nomes? O problema de hoje em dia é a covardia. Se esconder atrás de pseudônimos pra comentar incognitamente. Vou de Bóris Casoy: Uma vergonha!

  2. É o governo de Fátima do PT destruindo o que resta do RN. Incompetência e falta de atitude, a gente vê por aqui.

  3. O Turismo do Estado está no caminho de tornar Natal uma nova Acapulco, totalmente esquecida e destruida. Nem orla temos, uma vergonha que até estados sem tradição ou atrativos estão tomando o lugar da capital do RN, tão linda e mal cuidada. Pobre Natal.

    1. Os governos municipais, negligentes há tempos, tb possuem muita culpa nessa deterioração…Nossos últimos gestores são meros administradores de folha de pagamento! Não adianta culparmos terceiros pelas nossas recentes administrações incompetentes…

  4. Como pode uma governadora dessa, disponibizar para um setor que mais emprega e gera riqueza ao estado, um valor que deveria ter comprado, apenas uma parte dos respiradores, e que deu descaminho. É muito descaso com milhares de trabalhadores e empreendedores potiguares. Só merece uma resposta nas urnas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo nega socorro para trabalhadores do turismo, bares e restaurantes, mas banca aumento para auditores com impacto de R$ 40 milhões

No último dia 7, o Governo do Rio Grande do Norte publicou no Diário Oficial uma resolução reajustando os salários dos auditores fiscais em 12%. O aumento será retroativo a março deste ano e vai gerar um impacto de cerca de 40 milhões de reais aos cofres públicos ao longo dos próximos três anos. Atualmente o salário de um auditor gira em torno de 35 mil reais mensais, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Norte(SINSPER).

Nada contra o reajuste à categoria, o problema é que esse montante que será sentido na folha é o mesmo valor que poderia servir para um socorro financeiro aos trabalhadores do turismo, bares e restaurantes. Há mais de 1 anos essa categoria sofre sem faturamento, desemprego em alta e contas em atraso.

Nesta quarta-feira (12), em entrevista ao Meio Dia RN, o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier usou justamente a falta de orçamento para justificar a falta de adoção de um socorro financeiro mais efetivo para esses trabalhadores do setor.

“É uma cadeia de cerca de 80 mil trabalhadores, então tudo que se faz tem multiplicar por esse número. Por exemplo, um auxílio de 500 reais se torna 40 milhões, então por causa das nossas limitações financeiras nós preferimos trabalhar na linha de renúncias e prorrogações fiscais. Resolve o problema? Não, mas é o que podemos fazer e precisamos lembrar que é de suma importância que a União e os Municípios façam as suas partes”, justificou o secretário.

Opinião dos leitores

  1. O PT sendo PT. É a chamada “esquerda caviar”. Usam os pobres como massa de manobra mas são mesmo é “dazelite”. Basta lembrar quem foram os seus “sócios” de roubalheira e de governo: grandes empreiteiras, JBS, grandes bancos (teve até alto executivos do BRADESCO como Ministro da Fazenda)… Só os trouxas se enganam com o PT.

  2. É o governo do PT. Já deu aumento para juízes, dezembargadores e promotores.
    E o povo não aprende. Trabalhador só serve para bancar a corte.

  3. Esse é aumento é absolutamente injusto para a maioria dos trabalhadores do setor público do estado do RN,esse aumento/reajuste de 12% deveria ser concedido aos funcionarios públicos estaduais que são da base da pirámide da faixa de renda que possuem o ensino fundamental e medio que sobrevivem com grandes dificuldades financeiras para manterem as suas casas e suas familias e não o contrario como está acontecendo com esse aumento/reajuste consideravel de 12% para funcionarios públicos estaduais que são do topo da pirámide de renda do poder executivo estadual estes servidores públicos privilegiados e suas familias que já vivem em otimas condições materiais/financeiras.

    1. Infelizmente os diversos sindicatos de diversas categorías de servidores públicos do estado que foram excluidos de aumentos/reajustes nos governos anteriores e neste atual governo do RN estão todos quietinhos e caladinhos$$$,raras excessões de categorias de servidores como detran,policiais civis e militares,e os professores,estes professores que recebem aumentos anuais,estes categorias não podem reclamar nada por terem sidos beneficiados neste governo atual e nos governos anteriores.
      Cade as ações praticas dos membros dos sindicatos do setor público estadual que não bradam,vociferam,gritam, protestam contra essa abmonavel injustiça com a maioria dos trabalhadores menos escolarizados com ensino fundamental e medio,lembro me desta senhora governadora do estado do RN,participando de manifestações,rebeliões contra governadores anteriores e contra prefeitos de Natal na sua época como sindicalista e como agitadora política do PT,os governadores do estado do RN e da prefeitura do Natal da época podíam concederem grandes aumentos salariais a todas as categorías de trabalhadores públicos e agora a ilustre senhora governadora contraria tudo o que fazia como sindicalista e agitadora política do PT,porque agora não pode conceder aumento a todas as categorías como defendia nas manifestações e na midia e nas redes sociais,eu respondo,ela e a sua categoría de professores estão sendo beneficiados com aumentos/reajustes anuais garantidas por lei nacional,porem,as outras categorías de trabalhadores do setor público que infelizmente que não possuem representantes politicos,sindicais que os defendam estão sendo excluidos e ficando para trás na questão salarial,creio que com o passar do tempo milhares de servidores públicos do estado com nivel fundamental e medio educacional passarão a receberem um mísero salario mínimo brasileiro.

    1. Esses petralhas são os verdadeiros robin hood as avessa, luladrão roubou dos pobres e deu a jbs, Odebrecht, oas, Camargo correia e vários outros tubarões; aqui Fatão tira dos asg, professores, saude e entrega pra os procuradores, auditores e elite dos funcionários estaduais. São uns crápulas, ainda tem idiotas que os chamam de progressista. Só se for promove mais progresso pros abastados.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente da Assembleia Legislativa do RN se reúne com representantes dos setores de turismo e eventos

Foto: João Gilberto

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira (PSDB), recebeu uma comitiva formada por representantes de entidades ligadas ao setor de turismo e eventos. Na pauta, um pedido de socorro dos setores ao presidente do Legislativo Potiguar.

“O nosso pedido é que Ezequiel seja uma força, seja nosso representante junto ao Governo do Estado para superarmos a maior crise da história do turismo do RN”, disse George Gosson, presidente do Natal Convention Bureau.

De prontidão, Ezequiel se colocou à disposição para somar forças aos setores que são formados por mil empresas abertas, que geram mais de 20 mil empregos diretos e que com a pandemia do novo coronavírus registraram uma queda em sua força de trabalho de aproximadamente 40%.

“Os setores têm o meu apoio irrestrito. Desde já me coloco à disposição para buscar soluções para essa problemática. O que estiver ao nosso alcance, será feito. A primeira coisa que farei é fazer contato com a governadora para que possamos marcar uma reunião com representantes dos setores nos próximos dias”, enfatizou.

Durante a reunião, os representantes dos setores entregaram ao presidente da Assembleia um documento contendo várias reivindicações, com destaque para sete pontos primordiais que são: Implementar o Auxílio Emergencial para trabalhadores do setor; tornar permanente a redução do ICMS e energia de 25% para 12%; reduzir as tarifas de água e esgoto; implementar o exemplo de isenção do ProGás; reduzir ICMS para compras de equipamentos para bares e restaurantes; isentar o ICMS do ano de 2021 para compras de veículos e alterar a legislação ambiental possibilitando a chegada de novos empreendimentos do setor no Estado.

“São reivindicações simples, mas que representam a sobrevivência do turismo e dos eventos do nosso Estado”, comentou Abdon Gosson, Presidente da Associação Brasileira da Industria de Hotéis do RN.

Participaram da reunião George Gosson – presidente do Natal Convention Bureau; Abdon Gosson – Presidente da Associação Brasileira da Industria de Hotéis do RN; George Costa – Presidente da Câmara de Turismo da Fecomércio; Habib Chalita – Presidente do Sindicato dos Bares, Restaurantes, Hotéis e Similares; Júnior Lima – Presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do RN; Francisco Câmara Junior – Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do RN; Paolo Passariello – Presidente da ABRASEL/RN; Bruno Giovanni – Diretor da Tv Assembleia.

“Saímos dessa reunião muito satisfeitos com o apoio irrestrito do presidente da Assembleia Ezequiel Ferreira, que se somou a nossa luta”, resumiu Habib Chalita – Presidente do Sindicato dos Bares, Restaurantes, Hotéis e Similares.

Opinião dos leitores

  1. Até que enfim. Estava pegando mal para o Deputado Ezequiel. Aliás, não sei que danado ele quer com esse apoio a um governo sem futuro como este de dona Fátima.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Portugal tem plano ambicioso para retomar turismo a tempo do verão; tráfego livre com o Brasil pode depender apenas da “política de recepção”

Público no show em Braga que serviu de teste para a retomada de grandes eventos | Carlos Costa/AFP

O barulho das rodas das malas nas calçadas de pedra portuguesa denunciam: os turistas europeus começam a voltar a Portugal. Mesmo discreta, a movimentação nas grandes cidades é um sinal, ainda tímido, do início da retomada econômica da atividade, para a qual ainda não há data para liberação dos brasileiros. A pouco mais de um mês do verão, o governo do país anuncia o lançamento de um plano de recuperação a tempo de impulsionar a estação capaz de reaquecer o setor.

-O governo está a trabalhar em uma coisa mais ambiciosa, dirigida especialmente ao turismo, que corresponde a um plano onde vamos tentar identificar pontos de financiamento provenientes de várias origens. No final da semana, ou na próxima, vamos apresentar – anunciou Pedro Siza Vieira, ministro da Economia e Transição Digital, em entrevista a correspondentes em Portugal.

A data do anúncio detalhado não é aleatória: a partir do dia 17, os britânicos estarão autorizados a viajar para o exterior e voltar ao Reino Unido sem fazer quarentena. Portugal é o único destino da União Europeia (UE) até este momento a ser incluído na lista verde britânica, um marco da reativação, como celebrou a Secretaria de Turismo. Não é para menos: o Reino Unido é mercado responsável por 19% das pernoites no país e gera, em média, € 3 bilhões de receitas por temporada.

Quanto ao mercado brasileiro, somente a mudança na política de recepção aos turistas de países com elevada incidência de casos de Covid-19 poderia liberar voos de turismo em breve. O Turismo de Portugal já havia defendido a proposta de abertura com base no “risco de contágio por pessoa” e não no risco país. Assim, pessoas vacinadas ou imunes poderiam viajar. Esta é uma das bases da proposta de um certificado verde digital enviada à UE pela presidência portuguesa do Conselho Europeu. Esta semana começam os testes do “passaporte da vacina” dentro dos 27 países da UE.

Uma parte do investimento na retomada do turismo virá do resgate previsto no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) aprovado pela UE. O montante a que Portugal tem direito ultrapassa os € 16 bilhões. Mas, como Siza esclareceu, não será a única fonte do projeto de retomada.

-Há vários instrumentos financeiros para a economia nos próximos tempos. É costume prestar atenção em uma parte, que está no PRR. Mas, como se sabe, o Turismo de Portugal tem recursos que decorrem das receitas das contrapartidas do jogo, que reinveste no setor turístico todos os anos. Temos, ainda, os fundos europeus estruturais de investimento Portugal 2020. Contamos apresentar um plano plurianual que buscará recursos a todos estes instrumentos e não só à bazuca (apelido do PRR) – disse o ministro.

Com a pandemia controlada, atraente aos ingleses e com as fronteiras terrestres abertas aos vizinhos espanhóis, o país irá direcionar o plano para a recuperação, capacitação e promoção das empresas do setor, massacradas pela crise. A quebra foi de 80% apenas no primeiro semestre deste ano.

-Estas empresas terão uma retomada mais lenta. E uma parte muito substancial destes apoios serão dirigidos para reestruturação das suas dívidas e reforço dos seus capitais próprios. Mas também faremos apoio à promoção externa, qualificação da oferta e investimento nos destinos turísticos que queremos diversificar – explicou Vieira.

Ao mesmo tempo em que fará promoção no mercado internacional, Portugal lançará uma campanha de incentivo ao consumo interno, com objetivo de ocupação de todo o território com atividades ligadas ao vinho e ao turismo rural. Campanha similar em 2020 teve € 50 milhões de orçamento.

O governo estuda a possibilidade de atrelar à campanha de promoção o projeto Ivaucher, que reembolsa o turista com o valor do imposto gasto na atividade para utilização em novas viagens nacionais.

Blog Portugal Giro – O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

“Crise no turismo do RN ameaça futuro do Estado”, diz vereador Aldo Clemente

Foto: Divulgação

A crise econômica enfrentada pelo setor turístico do Rio Grande do Norte pode se transformar, também, em uma forte ameaça ao futuro do Estado. Esta é a opinião do vereador de Natal, Aldo Clemente (PDT), que cobra maior atenção do poder público com a atividade, apontada como a principal da economia potiguar.

“São milhares de empregos diretos e indiretos que estão em jogo. E a retomada após a pandemia ainda será lenta. Se algo não for feito urgentemente pelo poder público, poderemos comprometer desde já as finanças dos próximos anos também. A crise no turismo do RN é uma forte ameaça ao futuro do Estado”, disse o vereador.

Aldo Clemente já apresentou ao prefeito Álvaro Dias (PSDB) uma série de propostas para socorrer o setor e tentar preservar os empregos. Os dados mais atuais são assustadores. Cerca de 40% dos trabalhadores que ficaram desempregados na pandemia em Natal são ligados ao turismo. Isso falando apenas dos empregos diretos. “Isso fica ainda mais preocupante se levarmos em conta as pessoas que dependem da visitação turística, mas que são invisíveis aos olhos da sociedade, como o vendedor de picolé na praia, o rapaz da água de coco ou o artesão que vende lembranças da nossa terra”, completou.

O vereador é autor do projeto que torna bares e restaurantes serviços essenciais em Natal na pandemia, recentemente aprovado pela Câmara Municipal. A proposta tem como objetivo estabelecer regras e protocolos rígidos de segurança sanitária para garantir o funcionamento destas atividades, que também são importantes para a manutenção do turismo.

 

Opinião dos leitores

  1. Total razão o vereador Aldo Clemente tem. Primeiro o Governo do Estado, precisa entender a importância econômica do turismo, e liberar de forma consciente, e não fechar ou vetar alguns itens que acarretem na piora do turismo. A prefeitura, pode e deve também pensar de forma mais célere alguma redução, ou isenção de impostos para os hotéis, restaurantes e bares.

  2. O vereador tem razão, porém o nosso grande problema é essa Governadora irresponsável, que ignora decretos municipais. Será que ela não atrapalhar
    aplicação dessa Lei de autoria do Vereador?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Demissões no setor de turismo respondem por quase 40% do desemprego em Natal, indica pesquisa

Foto: Reprodução/Blog do Dina

O Blog do Dina – por Dinarte Assunção, destaca nesta quarta-feira(05) que as demissões ao longo de 2020, motivadas em grande parte pela pandemia de covid-19, afetaram muitos setores da economia, nenhum, no entanto, como o turismo. É o que indica o “Monitora Turismo”, pesquisa realizada pela dra. Mariana Aldrigui, da USP, especialista em Turismo e presidente do conselho de Turismo da Fecomercio-SP.

O Monitora Turismo tem profundidade considerável em sua metodologia porque Aldrigui mapeia os impactos sobre o emprego em 571 atividades ligadas ao setor, direta ou indiretamente. Os números de emprego da pesquisa que ela consolida considera apenas os vínculos formais.

Em 2020, enquanto o saldo geral do Brasil de empregos foi positivo, de quase 143 mil empregos, puxados por construção civil e indústria, o turismo encerrou 110.833 postos de trabalho.

Ao considerar os 20 destinos turísticos mais relevantes do país, o Monitora Turismo constatou que 39% das vagas de emprego encerradas em Natal foram no setor.

Segundo dados do Caged, Natal desligou 3.196 postos de trabalho formais em 2020. Desses, o Monitora Turismo identificou que 1.246 foram de pessoas ligadas a uma das principais atividades econômicas da capital.

No comparativo com cidades de porte semelhante, Natal fica à frente no desemprego no turismo para Maceió (34%) e João Pessoa, onde as demissões no setor responderam por 27% dos desligamentos gerais.

Veja matéria na íntegra no Blog do Dina – por Dinarte Assunção AQUI.

 

Opinião dos leitores

  1. Infelizmente, isso é uma tendência mundial e de momento. Acredito que o RN irá se recuperar em relação ao setor de turismo mais rápido que muitos Estados. Os nossos gestores precisam socorrer as famílias afetadas por enquanto.

    1. Essa conversa é linda para quem tem o salário garantido no final do mês, mesmo sem produzir nada. Se você estivesse passando fome e sem dar uma vida digna para os filhos, queria ver se teria essa mesma conversinha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

FOTOS: COMTUR aprova divisão do Turismo de Parnamirim em Rotas Turísticas; confira

FOTOS: ASCOM – NEY DOUGLAS

Em reunião realizada na tarde dessa segunda-feira (26), o Conselho Municipal de Turismo (Comtur) aprovou o conceito de rotas turísticas de Parnamirim. O evento aconteceu de forma virtual e contou com a participação do secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico e presidente do Comtur, Daniel Américo, empreendedores, membros do conselho e comunidade em geral.

Apresentada pela Prefeitura Parnamirim, através do secretário da Setude, a divisão dos pontos turísticos em rotas, tem o objetivo de promover cada vez mais o turismo no município e proporcionar opções de passeios para diversos gostos, além de melhor organizar as políticas públicas voltadas para o Turismo de nossa cidade.

“A divisão do turismo em rotas é muito importante, pois facilitará o entendimento dos turistas locais, regionais, nacionais e até mesmo de outros países. Nosso município é rico em belezas naturais e história. Opções de lazer e turismo temos de sobra, principalmente para quando a pandemia passar”, disse o secretário da Setude Daniel Américo.

Confira as Rotas Turísticas de Parnamirim:

Rota do Conhecimento e Experiência: Será composta pelo Centro Cultural Trampolim da Vitória, Planetário, Cine Teatro de Parnamirim, Museu Aero Espacial da Barreira do Inferno e o City Tour que incluí Praças, Mercados e Igrejas.

Rota do Pirangi: Engloba a praia, parrachos e foz do Rio Pirangi, Cajueiro, restaurantes, comércio e feirinha de artesanato do Cajueiro, além dos demais pontos de visitação de Pirangi.

Rota do Pium: Contempla o cicloturismo, ecoturismo, Vale do Rio Pium, feirinha de frutas, polo gastronômico, cultural, artístico e demais pontos de visitação de Pium.

Rota Cotovelo: Abrange a praia, turismo gastronômico, trilhas ecológicas de Cotovelo e das falésias.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Sistema Fecomércio inicia doação de 5.000 cestas básicas para trabalhadores do comércio, serviços e turismo

Programa Mesa Brasil do Sesc montará pontos de distribuição nos bairros do Alecrim e Cidade Alta, em ação que visa socorrer pessoas que perderam ocupação e renda selecionadas em parceria com entidades representativas dos trabalhadores. Foto: Divulgação

Sensível ao atual momento e os impactos da pandemia na vida das pessoas, em particular dos colaboradores do setor que representam, o Sistema Fecomércio RN, por meio do Programa Mesa Brasil Sesc, iniciará nesta terça-feira, 6, às 11h, a doação de 5.000 cestas básicas para trabalhadores do Comércio, Serviços e Turismo que se encontram sem fonte de renda.

O projeto batizado de “Mesa Farta” terá pontos de distribuição na sede da Fecomércio RN, no Alecrim, na terça-feira, 6. Entre os dias 7 e 9, o local será na unidade do Sesc Cidade Alta. O público-alvo são garçons, cozinheiros, auxiliares de cozinha, pizzaiolos, atendentes, copeiros, entre outros dos segmentos atingidos. As pessoas beneficiadas estão sendo encaminhadas pelo Sindicato dos Guias e Orientadores (Singtur/RN), Sindicato dos Empregados no Comércio de Restaurantes e Bares de Natal (Sindibarnat/RN) e Sindmoto/RN. A meta do projeto é conseguir entregar mais de 1.100 cestas por dia, das 8h30 às 16h30, entre os dias 6 e 9 de abril de 2021.

O presidente do Sistema Fecomércio, Marcelo Queiroz explica que a instituição não poderia deixar de prestar assistência a esses trabalhadores, tendo em vista os inúmeros impactos negativos da pandemia sobre eles, em particular a perda de ocupação e renda. “É angustiante assistir aos reflexos negativos dessa doença que, além de ceifar vidas, tem deixado as pessoas sem renda e sem condição de levar o alimento para casa. Esta ação tem como foco tentar minimizar isso”, diz ele.

Serviço

O que? Mesa Farta

Como

Doação de 5.000 cesta básica para trabalhadores do comércio, serviços e turismo

Quando

6 a 9 de abril de 2021

Onde

• Terça-feira (6), na Fecomércio RN: Av. Alm. Alexandrino de Alencar, 562 – Alecrim, Natal.

• De 7 a 9 de abril, no Sesc Cidade Alta: Rua Coronel Bezerra, nº 33 Cidade Alta – Natal/RN.

Mais informações: (84) 3133 0360

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Trabalhadores do turismo em Natal protestam em frente à Governadoria e apelam para retorno das atividades

Agentes de turismo realizaram nesta quarta-feira(31) um protesto em frente à Governadoria, no Centro Administrativo, em Natal. No vídeo em destaque, a categoria reconhece a gravidade da pandemia, mas entende que o lockdown “é uma farsa”.

A categoria pede que o Estado estabeleça um meio de continuidade do trabalho. Citam ambulates, guias de turismo e trabalhadores de bares e restaurantes passando necessidade em casa.

Assista abaixo:

Opinião dos leitores

  1. Se depender de Fátima Cadeado , não terão nenhuma ajuda, terão é um auxílio falência, dívidas e quebradeira.

  2. Gente, tem que cobrar do Mito que:
    CoronaVac – Gov Federal recusou compra
    Oxford – Fiocruz que fez o acordo
    Covax – Min de Rel Exteriores recusou compra
    Sputnik V – Acatamos EUA pra não comprar
    Pfizer – Ignoramos em Agosto/20
    Janssen – só compramos em 03/21

    Falta vacina por escolha.

    1. Verdade Riva…foi tudo planejado pelo MInTO nos mínimos detalhes…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RN, por meio da Agência de Fomento, anuncia linhas de crédito para bares, restaurantes e setor do turismo

O Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte, simplificou uma série de exigências para concessão de financiamentos e assegura a disponibilidade de R$ 10 milhões em crédito para capital de giro destinado a bares, restaurantes e empresas com atuação relacionada ao setor de turismo e lazer.

O financiamento via Fundo Geral do Turismo (Fungetur) pode ser realizado com uma carência de até 12 meses e o pagamento parcelado em até 36 meses. A taxa de juros é de 5% ao ano. Já no caso do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o prazo é de 36 meses, incluindo até 12 meses de carência, e uma taxa de juros de 1,32% ao ano + IPCA, para financiamento no valor de até R$ 50 mil.

E diante de diversos pleitos do setor, a instituição realizou a simplificação dos processos internos para assegurar uma velocidade ainda maior na liberação do crédito e passa a não exigir mais a apresentação de balanço financeiro para financiamentos de até R$ 50 mil. Também foi dispensada a apresentação de licenciamento ambiental para bares e restaurantes.

O plano de negócio a ser entregue junto à documentação pode ser simplificado, assim como, empresas limitadas passam a ter os sócios como avalistas dos financiamentos, agora, sem a exigência anterior de apresentação de um terceiro como avalista. A Agência, inclusive, tem trabalhado para disponibilizar, além dos canais digitais já ofertados, uma plataforma online própria para facilitar o acesso ao crédito.

O presidente da seccional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no RN, Paolo Passariello, aprovou as medidas propostas. “A Abrasel vê como muito importante o anúncio do Governo com apoio às empresas do setor de Alimentação Fora do Lar através da AGN. As medidas surgiram do diálogo aberto para que se buscassem alternativas para os Bares e Restaurantes. Uma boa conquista, mas precisamos ainda mais para evitar um abalo nas empresas e a demissão em massa”, conclui Passariello.

Para mais informações ou iniciar o processo para contratação do crédito, o empreendedor pode entrar em contato via whatsapp ou telefone através dos números 84 99136-1897 ou 99640-0700 e também pelo email gerop@agnrn.com.br. No caso de financiamentos via Fungetur, as empresas precisam estar no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos do Mtur – Cadastur. O cadastro é gratuito, sai em até cinco dias úteis e pode ser feito através do site www.cadastur.turismo.gov.br.

Confira as principais medidas do novo pacote:

• Garantia de R$ 10 milhões em crédito para o setor;

• Crédito via Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para o setor;

• Dispensa da exigência de balanço financeiro para financiamentos até R$ 50 mil;

• Dispensa de apresentação de licenciamento ambiental para bares e restaurantes;

• Apresentação de plano de negócio simplificado;

• Dispensa da exigência apresentação terceiro como avalista para empresas limitadas;

• Ampliação da equipe do setor para dar mais celeridade ao processo de liberação o crédito;

• Elaboração de plataforma online própria para facilitar o acesso ao crédito.

Confira documentação básica necessária:

• Cadastro no CADASTUR

(https://cadastur.turismo.gov.br);

• Contrato social e aditivos;

• CNPJ;

• Documento pessoais dos sócios;

• Certidão de casamento dos sócios;

• Alvará de funcionamento em dia;

• Certidões estadual e municipal.

Opinião dos leitores

  1. Na campanha, ela copiou desavergonhadamente o plano de governo do Piauí! Porque não cópia agora o que ele tá fazendo lá, dando auxílio emergencial? Muito bobo esse fatão, viu?

  2. Vão pegar empréstimo e pagar com o quê???
    Se estão sendo proibidos de abrir, de trabalhar, vão fazer qual milagre pra pagar??
    Tá mais pra arapuca do que para socorro …

  3. Atenção com a boca e os os dentes Santos, vai que a governadora aparece, dão um chute cruzado na direção dela e pega na tua boca…..os PS estão fechados. Se vc estiver sobrevivendo mamando, pode ficar sem o emprego.

    1. Os PSs estão cheios por conta de pessoas como seu Mintomaniaco que estimula pessoas como vc, que certamente já deve ter contraido covid, se contaminar. Depois fica vibrando com o nimero cafa vez maior de mortos.

  4. Sem lógica! Se estão fechando tudo! Fora a inviabilidade pelas garantias solicitadas e tanta documentação, eita burocracia! Vamos desburocratizar!!

  5. Muito fraco essas medidas do desgoverno.
    O caba ja está lascado sem poder trabalhar com a polícia em cima e ainda quer que o caba se endevide mais ainda nos bancos.
    É de lascar.
    Além de queda coice.
    Porque não da isenção dos impostos??
    Porque não paga um auxílio pros trabalhadores do setor??
    Partido dos trabalhadores tá cada dia se tornando o partido dos Trambiqueiros.
    Tá é acabando com o RN.
    Gerando desemprego todos os dias.
    Pense numa esculhanbaçao.
    Pense num desmantelo grande.
    Ô governo ruim da gota serena.
    Nunca vi igual em toda história do RN.

  6. Como o empresário vai tomar empréstimo se não pode abrir para o público ou tem horário reduzido onde o apurado não cobre nem as despesas? E a ajuda aos desempregados que perderam o emprego?

    1. Pense numa inteligência e ajuda interessante. Crédito para empresários quase que falidos, o grande perdedor são os trabalhadores, esses deveriam ser o alvo de qualquer ajuda. Como o COVID a fome mata, deixa as pessoas desequilibradas e provoca um furação em suas vidas. Essa medida é galhofa com os pequenos desse estado, essa governadora deveria ter vergonha por uma proposta dessas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Turismo do RN sofre prejuízo de R$ 1,5 bilhão em um ano de pandemia

O turismo do Rio Grande do Norte sofreu um prejuízo de R$ 1,5 bilhão no período que compreende abril de 2020 e fevereiro deste ano. O dado foi revelado pela Câmara Empresarial do Turismo (CET), que é vinculada à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomercio).

Para se ter uma ideia do que esse dado representa, entre abril de 2019 e fevereiro de 2020, houve uma arrecadação de R$ 2,5 bilhões. O montante apurado entre abril de 2020 e fevereiro deste ano foi de R$ 971 mil.

Para o coordenador da CET, George Costa, são números preocupantes e que mostram a situação real vivida pelo principal setor econômico do RN. “São informações reais e alarmantes”, comentou.

Outro número que mostra o impacto da pandemia no turismo potiguar é o gasto médio por dia do turista. Antes da pandemia, esse valor era de R$ 274,45. Agora, esse número é de R$ 216,41. “De uns tempos pra cá, a quantidade de cancelamentos cresceu e só aumentou o prejuízo acumulado”, disse Costa.

Para o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN), Habib Chalita, o turismo do estado como um todo tem sido muito atingido pela pandemia. “São prejuízos incalculáveis. Empresas fechando, funcionários demitidos, crise. É preciso que o poder público tenha iniciativa com aqueles que tanto contribuem para a economia”, afirmou.

Os representantes do setor têm buscado junto aos Poderes soluções para reerguer o turismo potiguar diante de um quadro tão grave e que já completa um ano sem qualquer solução concreta para o segmento. “É necessário algo urgente sob o risco de termos o principal potencial econômico do estado arruinado”, concluiu Chalita.

Opinião dos leitores

  1. Do jeito que estão os preços subindo, tipo cesta básica, gasolina, planos e saúde (quem paga) e o salário ficando defasado, não sei como ainda sobra dinheiro para turismo.

  2. O turismo do RN precisa de apoio, é a nossa maior indústria, toda a sociedade precisa olhar para este segmento gerador de empregos, renda e impostos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Entidades do comércio e do turismo soltam nota conjunta e vão pedir socorro ao Governo do Estado

NOTA CONJUNTA

Antes de mais nada é importante ressaltar que o setor turístico e a Fecomércio RN sempre foram a favor da vida. O recrudescimento dos casos de Covid-19 é um tema grave e precisa seguir sendo encarado com toda a responsabilidade. Nossa postura de atuar na formatação do Plano de Retomada da Economia, do Plano de Retomada do Turismo, dos cursos de capacitação e qualificação para implantação de normas de biossegurança (a imensa maioria deles, gratuita) e no projeto SOS Protocolos, realizado pela Fecomércio RN em parceria com o Sebrae e a CDL Natal, são algumas das provas incontestes deste nosso posicionamento.

O que nos causa preocupação é que, ao limitar, de maneira generalizada, o funcionamento do setor de bares e restaurantes, os decretos (estadual e das principais prefeituras do estado), punem, injustamente, um segmento que já vem sendo um dos mais prejudicados com toda a crise e do qual dependem dezenas de milhares de famílias.

Importante destacar, que defendemos os estabelecimentos que trabalham cumprindo todos os protocolos de biossegurança. E, podemos garantir, eles são a imensa maioria deste universo, por isso a generalização é tão injusta, a nosso ver. Ressalte-se, ainda, que não há nenhuma contaminação comprovada em bares e restaurantes que cumprem os protocolos de biossegurança.

Diante disso, estamos formatando, no âmbito da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio, um pacote de sugestões que pretendemos apresentar ao Governo do Estado e às prefeituras. Trata-se de uma tentativa de evitar que as empresas quebrem, o que não seria nada bom para ninguém. Nem para as empresas, nem para os seus colaboradores e nem, muito menos, para os entes públicos, que deixam de recolher impostos.

Entre outras coisas, pretendemos sugerir ações nas áreas fiscal, tributária, de concessão de crédito, treinamento e suporte à fiscalização dos estabelecimentos. Nosso apelo, repetimos, está centrado em amenizar o forte impacto negativo que prevemos para o setor com mais esta medida. Em paralelo, aproveitamos para reforçar a extrema importância de que os novos leitos de UTI já anunciados pela prefeitura de Natal e pelo Governo do Estado sejam efetivamente postos em funcionamento o mais breve possível, visto que tal medida irá impactar diretamente no salvamento de vidas, que é o foco maior de todos nós.

Marcelo Queiroz

Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN)

George Costa

Coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio RN (CET Fecomércio)

Habib Chalita

Presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do RN (SHRBS RN), membro da CET Fecomércio

Paolo Passarielo

Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no RN (Abrasel), membro da CET Fecomércio

Abdon Gosson

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no RN (ABIH RN), membro da CET Fecomércio RN

George Gosson

Presidente do Natal Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Rútilo Coelho

Presidente do Mossoró Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Francisco Câmara Júnior

Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do RN (Sindetur), membro da CET Fecomércio

Michele Pereira

Presidente da Associação Brasileira dos Agentes de Viagem do RN (Abav RN), membro da CET Fecomércio

José Maria Pinheiro

Vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo do RN (Abrajet), membro da CET Fecomércio

Wanderson Borges

Presidente da Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa (Ashtep)

Opinião dos leitores

  1. Hoje o dinheiro que gastaram com estádio de futebol e aeroporto inoperante, está fazendo falta para investimento em hospitais .

  2. Poder público ineficiente, punindo quem gera emprego. Um ano passou e ainda vem com conversa de fechar. Nota zero! Os ônibus cheios nunca lembraram de fazer um decreto obrigando mais ônibus nas ruas.

  3. Se as pessoas tivessem consciência tvez não estaríamos passando agora por isto e que afeta diretamente a economia do estado.
    Infelizmente as medidas protetivas foram esquecidas ou deixadas de lado qdo da campanha eleitoral ,onde todos que hoje falam em "pacto pela vida" aglomeraram nas carreatas e tudo mais.
    A própria governadora e o prefeito participaram de vários eventos onde tudo era permitido; a população foi junto e contribuiu,
    Agora estamos pagando o preço com vidas sendo ceifadas pela imprudência de todos.
    Fechar o comércio não resolve o problema.

    1. O que resolve é o poder público abrir leitos de UTI pra tratar os infectados como qualquer outra doença já existentes.
      Esse vírus não vai embora tão cedo, vai ficar sempre se renovando.
      É como qualquer vírus.
      O único que foi totalmente extinto, foi o da varíola os outros continuam aí matando.
      H1n1
      Tuberculose.
      HIV
      Etc etc etc…
      O que tem que ser feito por parte dos cidadãos e cidadãs é se prevenir como se previne dos outros.
      O inimigo taí solto, é encarar de frente e em pé com muita fé em Deus.
      O resto é,
      Muito interesse político e financeiro.
      É uma verdadeira cachorrada generalizada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *