Diversos

Quer trabalhar, estudar ou empreender no exterior? Guia mostra as opções nos principais destinos

Foto: O GLOBO

De janeiro a 20 de outubro deste ano, a Receita Federal recebeu 22.327 declarações de saída definitiva do Brasil. Está perto de bater novo recorde e superar o total de 2018, que foi de 23.231, segundo dados da Receita Federal. É efeito dos anos de recessão no país, que acabou levando milhares de pessoas a buscarem melhores condições de emprego , qualificação e qualidade de vida no exterior .

Ao mesmo tempo, países como Alemanha e Japão mudaram recentemente suas políticas de imigração para atrair mão-de-obra qualificada, em meio ao rápido envelhecimento da população. Outras economias dinâmicas, como Canadá, Austrália e Nova Zelândia, têm tradição em programas para receber imigrantes das mais diferentes profissões. E, em alguns casos, como em Portugal e nos Estados Unidos, abrir o próprio negócio é a opção para se estabelecer no país.

O GLOBO preparou um guia para quem busca oportunidades no exterior. Uma série de reportagens especiais traçou o roteiro para os 11 destinos mais procurados pelos brasileiros, como os citados acima, além de Reino Unido, Rússia, China e países da América do Sul. Veja, abaixo, como se preparar para morar em cada um destes lugares.

Parte desses brasileiros deixa o país com o propósito de imigrar em definitivo. Tantos outros passam um período fora e, depois, retornam ao país. Esse movimento expõe a fuga de mão de obra qualificada registrada nos últimos anos. Mas pode, ao mesmo tempo, também estabelecer pontes entre empresas, universidades e instituições de ensino do Brasil e outras de diversos países.

Quem deseja imigrar deve se preparar, aconselha João Marques, da Emdoc, que presta consultoria jurídica de imigração. Ou seja, se informar sobre a vida no destino, o idioma, a cultura, as exigências de visto, os sistemas de educação e saúde, planejar o sustento. As oportunidades existem, mas os desafios são muitos.

Acompanhe, abaixo, as oportunidades que cada destino oferece. E, ouça, no podcast do GLOBO, os prós e contras na decisão de morar no exterior .

1. Estados Unidos

Cresce o número de profissionais com graduação e currículo extenso em suas áreas de atuação que decidem emigrar para os Estados Unidos, passando por todos os ritos legais para viver o sonho americano .

No ano passado, o Departamento de Imigração dos EUA emitiu 4.458 vistos para brasileiros que decidiram morar, para trabalhar ou estudar, no país. O número representa um crescimento de 27,3% na comparação com o ano anterior. Até 2014, a concessão desse tipo de visto não passava de 2 mil por ano.

São muitas as categorias de visto para se mudar para os EUA, mas os mais pedidos são baseados em habilidades extraordinárias. Formação e experiência na área de saúde, economistas, profissionais de tecnologia da informação e piloto de avião são algumas das carreiras que têm demanda alta em solo americano.

2. Portugal

Nos últimos anos, Portugal virou um destino preferencial para quem quer trabalhar ou estudar fora. O Itamaraty estima que pouco mais de 111 mil brasileiros vivam hoje em Portugal, sendo 65,7 mil em Lisboa e 31,3 mil no Porto. Só entre 2017 e 2018, o número de imigrantes que cruzou o oceano cresceu 23%, com muita gente atraída pela facilidade de trocar de país, mas não de língua.

Esta explosão de mão de obra em uma economia pequena como a portuguesa aumentou a concorrência pelas vagas para profissionais qualificados, que são as que pagam melhores salários. Assim, empreender tem sido a nova tendência — e um desafio arriscado — entre os que desembarcam do Brasil. Entenda como viver no país .

3. Japão

Com o envelhecimento da população, o governo japonês decidiu facilitar a entrada de imigrantes para suprir a demanda do mercado de trabalho local. As regras de contratação de estrangeiros foram flexibilizadas em abril, permitindo que pessoas sem ascendência japonesa e até de baixa qualificação profissional possam se candidatar a uma vaga no país.

A estimativa do governo japonês é emitir 345 mil vistos de trabalho para pessoas de várias nacionalidades em cinco anos. Com a crise econômica e o elevado desemprego no Brasil, o número de brasileiros que vem deixando o país para morar no Japão é crescente. Saiba o que é preciso para disputar um emprego no país asiático .

4. Alemanha

Em 2020, a nova lei de imigração que entrará em vigor na Alemanha deve facilitar a entrada de profissionais qualificados para trabalhar no país . Com o envelhecimento da população, já há oportunidades para estrangeiros nas áreas de engenharia, TI, medicina e, principalmente, enfermagem.

Relatório publicado em julho mostra que há 50 profissões cujas vagas a Alemanha precisa suprir com estrangeiros. Além das três áreas já citadas, Medicina é outra frente de captação.

No Brasil já há um programa específico para captação de enfermeiros.

5. Canadá

Outro país que vem buscando mão de obra qualificada e que está atraindo cada vez mais brasileiros é o Canadá. No ano passado, o país concedeu 3.950 vistos permanentes para pessoas vindas do Brasil, um aumento de 88% sobre 2017.

Com um programa formal de incentivo à imigração — em busca de pessoas jovens e qualificadas para viver no país, cuja população soma perto de 37 milhões de pessoas, menos que em todo o estado de São Paulo — o Canadá recebe mais de 300 mil imigrantes por ano.

O Express Entry é a entrada mais desejada por quem quer viver no Canadá, um visto que resulta do processo de seleção de imigrantes qualificados pelo governo federal. Há outras portas para quem planeja estudar ou trabalhar no país .

6. Reino Unido

Já indicou que pretende continuar atraindo gente qualificada e, se possível, reter os cérebros que frequentaram os bancos de suas universidades — muitas na lista de melhores do mundo. O país dá vistos especiais para empreendedores e profissionais voltados para áreas de inovação.

Recebe o direito de residência quem abrir empresas consideradas inovadoras com 50 mil libras (cerca de R$ 268 mil) ou uma start-up que se encaixe nas regras e na lista de incubadoras do governo britânico. Neste caso, não há limite mínimo de investimento.

Os britânicos também querem atrair estudantes. O governo acaba de anunciar a meta de vender 35 bilhões de libras (R$ 188 bilhões) em cursos de graduação e pós-graduação presenciais e on-line para cerca de 600 mil alunos até 2030. Em 2016, esse valor já estava em 20 bilhões de libras (R$ 107 bilhões). O interesse não está apenas nas cifras que movimentam a economia do país, mas na manutenção da posição de excelência da academia. Para ler o conteúdo completo, clique aqui .

7. Austrália e Nova Zelândia

A Austrália atrai cada vez mais brasileiros. Com pouco mais de 25 milhões de habitantes, o país da Oceania já tem 46,5 mil pessoas vindas do Brasil. É um salto de 128% em cinco anos, segundo dados do Bureau Australiano de Estatísticas, equivalente ao nosso IBGE. Em duas décadas, os brasileiros passaram da quinta posição para a liderança do ranking de maior grupo de imigrantes de países da América Latina na Austrália.

Apesar de vir aumentando as restrições para a entrada de estrangeiros nos últimos anos — como um teto de 45 anos de idade para quem se candidata a visto permanente —, a Austrália continua atraindo muitos estrangeiros por causa da diversidade de vistos para quem pretende estudar, trabalhar e viver lá. A vizinha Nova Zelândia disputa os talentos com regras similares. Clique para entender como aproveitar as oportunidades nos dois países .

8. Rússia

Assim como o Brasil, a Rússia ainda não se tornou uma das locomotivas da economia mundial, como previra o economista Jim O’Neill ao criar o conceito Bric (Brasil, Rússia, Índia e China), em 2001. Mas, mesmo sob sanções do Ocidente desde a crise com a Ucrânia provocada pela anexação da Crimeia, em 2014, o país ainda cresce a taxas superiores às do Brasil e, a despeito de muitas dificuldades, oferece oportunidades que atraem brasileiros.

A aventura russa inclui invernos longos e rigorosos. O idioma também pode ser uma barreira no início, assim como a burocracia. Mas a experiência pode ser enriquecedora. As oportunidades para profissionais brasileiros têm aparecido em empresa russas que atuam no Brasil e vice-versa, sobretudo nas áreas agrícola e de óleo e gás. É preciso se organizar para fazer a mudança para a Rússia .

9. China

A economia chinesa vem diminuindo o passo. A guerra comercial com os Estados Unidos, que se arrasta há 13 meses, deve reduzir ainda mais a expansão da segunda maior economia do planeta. Mesmo assim, o país deve avançar 6% este ano e continua sendo um ímã para estrangeiros em busca de empregos ou oportunidades para empreender. E isso inclui cada vez mais brasileiros. O Itamaraty estima que, em 2018, havia 16,7 mil brasileiros vivendo na China, um salto de quase 50% em cinco anos.

A China oferece empregos em profusão para determinadas profissões, com salários atraentes, mas há muitos desafios. Não se trata apenas da distância e do clima, as referências culturais são muito distintas. Há ainda regras rígidas para a concessão de vistos e vigilância constante das autoridades, o que exige atenção.

10. América do Sul

Facilidades para ingressar no mercado de trabalho e a proximidade de casa são alguns atrativos que levaram a mais de meio milhão de brasileiros a optarem por países da América do Sul para trabalhar ou estudar.

Na maior parte das nações que compõem o Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) e nos demais associados ao bloco (Chile, Colômbia, Equador e Peru) é preciso apenas fazer um registro de residência para estar habilitado a procurar emprego . O processo de validação de diplomas também é simplificado, sem exigência de provas acadêmicas.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pesquisa Quaest para o governo do RJ: Castro tem 25%; Freixo, 18%; e Neves, 8%

Foto: Luís Alvarenga

Pesquisa Genial/Quaest para a eleição para o governo do Rio de Janeiro, divulgada em primeira mão pela CNN nesta terça-feira (17), traz, no cenário com mais nomes, o governador Cláudio Castro (PL), pré-candidato à reeleição, à frente, com 25%, seguido pelo deputado federal Marcelo Freixo (PSB), com 18%.

Na sequência, vem o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT), com 8%. Ainda aparecem o deputado estadual André Ceciliano (PT) e o deputado federal Paulo Ganime (Novo), com 2%, e o ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Felipe Santa Cruz (PSD), com 1%.

A proporção dos que dizem que irão votar em branco, anular ou deixar de votar chega a 33%. Os indecisos representam 10%.

A margem de erro é de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistadas 1.200 pessoas face a face entre os dias 12 e 15.

O levantamento tem 95% de confiança. Ou seja, se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro desta margem.

A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob os números BR-01548/2022 e RJ-09916/2022. Também foram testados outros dois cenários de primeiro turno e três de segundo turno. Confira abaixo.

Primeiro turno
Intenção de voto estimulada para governador do Rio de Janeiro

Cenário I

Cláudio Castro (PL) – 25%

Marcelo Freixo (PSB) – 18%

Rodrigo Neves (PDT) – 8%

André Ceciliano (PT) – 2%

Paulo Ganime (Novo) – 2%

Felipe Santa Cruz (PSD) – 1%

Branco/Nulo/Não vai votar – 33%

Indecisos – 10%

Cenário II

Cláudio Castro (PL) – 26%

Marcelo Freixo (PSB) – 19%

Rodrigo Neves (PDT) – 8%

Paulo Ganime (Novo) – 2%

Felipe Santa Cruz (PSD) – 2%

Branco/Nulo/Não vai votar – 34%

Indecisos – 10%

Cenário III

Cláudio Castro (PL) – 27%

Marcelo Freixo (PSB) – 19%

Rodrigo Neves (PDT) – 9%

Paulo Ganime (Novo) – 3%

Branco/Nulo/Não vai votar – 33%

Indecisos – 10%

Segundo turno
Intenção de voto estimulada para governador do Rio de Janeiro

Cenário I

Cláudio Castro (PL) – 38%

Marcelo Freixo (PSB) – 27%

Branco/Nulo/Não vai votar – 27%

Indecisos – 8%

Cenário II

Cláudio Castro (PL) – 38%

Rodrigo Neves (PDT) – 24%

Branco/Nulo/Não vai votar – 28%

Indecisos – 10%

Cenário III

Marcelo Freixo (PSB) – 31%

Rodrigo Neves (PDT) – 27%

Branco/Nulo/Não vai votar – 33%

Indecisos – 11%

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem é executado com 20 tiros no dia do aniversário

Foto: Cedida

O que deveria ser um dia feliz para Anderson Sena Abath foi de despedida e morte, o homem que comemorava 29 anos jamais poderia imaginar que existia uma trama para matá-lo. Por volta das 20h, desta segunda-feira (16), Anderson bebia com amigos na frente de casa, na comunidade Cidade de Deus, em São Gonçalo do Amarante, quando foi surpreendido por quatro atiradores que afetuaram cerca de 20 tiros em direção ao aniversariante.

Os criminosos pouparam as pessoas que estavam com a vítima, o que leva a crer que de fato Anderson era o alvo. Várias cápsulas de pistola calibre 380 foram encontradas em via pública.

De acordo com a Polícia Civil a vítima era usuária de drogas, mas ainda é cedo para apontar uma única linha de investigação. O caso será apurado pela DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa) de São Gonçalo do Amarante.

Portao BO

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Suécia assina pedido formal de adesão à Otan e aguarda Finlândia

Foto: TT News Agency/via Reuters

A ministra das Relações Exteriores da Suécia, Ann Linde, assinou na manhã desta terça-feira (17) um pedido declarando a intenção do país em se juntar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A medida marca um passo formal do governo sueco para aderir à aliança militar liderada pelos Estados Unidos – encerrando décadas de neutralidade militar – à medida que a invasão da Ucrânia pela Rússia desencadeia uma evolução dramática na segurança e geopolítica europeias.

“Parece muito grande, muito sério, e parece que chegamos a uma conclusão que é a melhor para a Suécia”, disse Linde. “Não sabemos quanto tempo vai demorar, mas calculamos que pode levar até um ano”.

“Nsta semana, este pedido será apresentado, juntamente com a Finlândia, em um dia ou dois, e então será processado pela Otan”, declarou Linde.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Inflação em abril entre os mais pobres é 17,6% maior que para os mais ricos

Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

As famílias de renda mais baixa foram as que mais sentiram o aumento nos preços da economia em abril. A alta de preços foi de 1,06%, ante um resultado de 1,00% na faixa de renda mais alta, informou nessa segunda-feira (16), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Os dados acumulados no ano até o mês de abril indicam taxas de inflação entre 3,7% para o segmento de renda alta e 4,5% para o segmento de renda muito baixa.

No acumulado em 12 meses, a inflação percebida pelo grupo de renda muito baixa foi 17,6% maior do que a sentida pela alta renda, segundo o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda. No grupo de renda muito baixa, a inflação acumulada nos 12 meses terminados em abril foi de 12,7%, enquanto que entre as famílias de renda alta essa variação foi de 10,8%.

“Enquanto a elevação dos preços dos alimentos no domicílio foi o principal fator de pressão inflacionária para as três classes de renda mais baixa no mês, para os outros três segmentos de renda os aumentos do grupo ‘transportes’ foram os que tiveram maior impacto”, apontou a técnica Maria Andreia Parente Lameiras, autora da Carta de Conjuntura do Ipea.

Estadão Conteúdo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro: “Antes tentavam nos roubar com armas, agora é com canetas”

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nessa segunda-feira (16/5), que se sente preso no Palácio da Alvorada, residência oficial do chefe do Executivo federal. Em um discurso exaltado, na abertura da 36ª Edição da APAS Show, em São Paulo, o mandatário também criticou governos anteriores.

“Estou lá no Palácio da Alvorada. Eu me sinto um prisioneiro sem tornozeleira eletrônica, mas entendo que isso é uma missão. Nós temos que tentar mudar o Brasil e não temos outra alternativa”, afirmou Bolsonaro ao público de empresários.

O mandatário também voltou a mencionar a ditatura de 1964, quando militares tomaram o poder do país para uma batalha, segundo eles, contra o comunismo. “O que tentaram nos roubar em 64, tentam nos roubar agora – lá atrás pelas armas, hoje pelas canetas”, esbravejou Bolsonaro.

“Nós, pessoas de bem, civis e militares, precisamos de todos para garantir a nossa liberdade. Porque os marginais do passado usam, hoje, de outras armas, também em gabinetes com ar-condicionado, visando roubar a nossa liberdade”, declarou o presidente, também durante visita a São Paulo.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Secretaria de Educação de Natal desconta salário de professores grevistas

Foto: Lenilton Lima/Reprodução

Num ofício circular direcionado às unidades da rede municipal de ensino, a Secretaria Municipal de Educação de Natal (SME) orienta as unidades da rede municipal de ensino para a reposição dos dias de greve dos professores no mês passado.

Com isso, o ano letivo de 2022 será concluído somente em fevereiro de 2023, incluindo aulas aos sábados. Haverá ainda corte de ponto com redução dos salários já na folha do mês de maio de todos os grevistas. Com a reposição, que será concluída ao final do período letivo, a Prefeitura diz que restituirá em março de 2023 aquilo que tiver sido descontado dos salários.

A SME contabiliza 22 dias letivos paralisados, entre 28 de março a 29 de abril, sustentando que a recomposição é necessária para cumprir os 200 dias letivos e as 800 horas de efetivo trabalho pedagógico coerente com o Calendário Escolar.

Para tanto, haverá o acréscimo de nove sábados letivos, sendo sete distribuídos de junho a dezembro de 2022, dois sábados e nove dias em janeiro de 2023 e o acréscimo de quatro dias letivos no mês fevereiro. Cada unidade de ensino deve elaborar o cronograma dentro do que foi apresentado pela secretaria de acordo com a participação de cada professor na paralisação.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Comsefaz propõe levar decisão de Mendonça sobre ICMS ao plenário do STF

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

O Comitê Nacional dos Secretários da Fazenda (Comsefaz) divulgou na noite dessa segunda-feira (16) uma nota técnica para ajudar na defesa da liminar do Ministro do STF André Mendonça sobre o convênio 16/22 sobre diesel.

Na sexta-feira (13), o ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou uma decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) que definiu as alíquotas de ICMS que cada estado cobra sobre o diesel.

O magistrado atendeu um pedido do governo Jair Bolsonaro, que, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), foi ao Supremo questionar o desrespeito à lei que instituiu uma alíquota única do imposto para todos os estados, em reais por litro, cobrada apenas na etapa da produção.

No documento divulgado nesta segunda-feira pelo Comsefaz, propõe-se levar a decisão de Mendonça para o plenário do STF.

O documento do Comsefaz aponta ainda, como “ponto mais importante”, “a evidente violação do princípio federativo pela cautelar concedida, na medida em que viola competências e poderes atribuídos aos estados e ao DF na Constituição Federal e na legislação infraconstitucional”.

A nota técnica ressalta que, devido aos aumentos constantes no preço do diesel na saída das refinarias pela Petrobras em 2022, “o peso proporcional do ICMS no preço final pago pelo consumidor para cada litro de diesel diminui sensivelmente.”

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Número de matrículas no RN é menor do que antes da pandemia

Foto: José Aldenir

De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC/RN), o Sistema Integrado de Gestão da Educação (SIGEduc) indica uma redução de mais de 2,5 mil alunos em relação a 2019, antes da pandemia de covid-19.

Naquele ano, a rede registrou 216.206 matrículas, ante 213.676 (-2.530 alunos) em 2022. Contudo, vários fatores podem contribuir para a queda e os dados finais sobre o número de estudantes matriculados só serão consolidados no final do ano pelo Censo Escolar.

Segundo a pasta, questões demográficas (distância entre o local onde aluno mora de uma escola estadual) e o aumento de matrículas em outras redes de ensino interferem nos números. Além disso, conforme explicou a Secretaria, “dentro do princípio constitucional, a SEEC tem dialogado com os municípios sobre a transferência de estudantes do ensino fundamental, etapa que compete às redes municipais de ensino”. A pasta destaca que o quantitativo deste ano é variável, “um retrato do número de estudantes em 16 de maio de 2022 e que pode sofrer alterações”.

Para a SEEC, durante o ano letivo, existe um fluxo de entrada e saída de estudantes, algo comum “em uma rede com muitos públicos distintos”. Em 2021, segundo a pasta o Estado registrou 215.733 matrículas; em 2020, foram 213.288. Os dados, informa a Secretaria, são uma demonstração de que a rede já espera por esses fluxos de matrículas.

Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Avenida em que carro foi ‘engolido’ por buraco aberto é interditada na Zona Norte de Natal

Fotos: Sérgio Henrique Santos

A Avenida das Fronteiras, no bairro Igapó, na Zona Norte de Natal, foi totalmente interditada nos dois sentidos nessa segunda-feira (16). Um carro foi engolido por um buraco na via, que precisou passar por reparos.

SAIBA MAIS: VÍDEO: Veja o momento em que o carro cai na cratera em avenida de Natal

O acidente foi causado por um vazamento em uma tubulação de água, o que afetou o abastecimento da Zona Norte. Segundo a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), o reparo na tubulação foi concluído por volta das 15h40 e a Estação Zona 14 religada às 15h55. Apesar disso, moradores seguem reclamando da falta de água na região.

Apesar do conserto na tubulação, o buraco ainda não foi fechado e a pavimentação do trecho vai entrar pela madrugada desta terça-feira (17). A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) interditou a avenida e informou que não há previsão inicial para a liberação.

Dessa forma, a STTU sugere dois desvios no trecho para quem precisa seguir para o conjunto Parque dos Coqueiros ou para aqueles que vão para a Avenida Tomaz Landim.

Seis operários de uma empresa terceirizada contratada pela Caern atuaram nesta noite na recuperação do trecho da pista. O acidente aconteceu no cruzamento das avenidas das Fronteiras e Santa Luzia.

g1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Turquia diz que vetará entrada de Suécia e Finlândia na Otan

Foto: Reprodução

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse nessa segunda-feira (16.mai.2022) que o país deve vetar a entrada de Finlândia e Suécia na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). O comentário foi feito durante coletiva com o presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune.

Segundo Erdogan, os países nórdicos não têm uma “posição clara contra organizações terroristas” e, portanto, a Turquia “não dirá sim” aos pedidos de adesão, que precisam ser aprovados por unanimidade entre os 30 integrantes da Otan.

As declarações remetem aos curdos exilados do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, movimento separatista classificado como extremista pela Turquia. O líder turco acusou a Suécia de ser uma “incubadora” do grupo.

Citando um esforço diplomático para convencer a Turquia a aceitar a entrada dos novos países-membros, Erdogan desencorajou uma abordagem nórdica.

“Eles dizem que virão para a Turquia na 2ª feira. Vão vir para nos persuadir? Com licença, mas nem deveriam se incomodar”, disse.

O movimento é uma reação à guerra na Ucrânia e a um realinhamento de forças na Europa para coibir o que os países compreendem como uma fragilidade a ser explorada pela Rússia em caso de uma expansão militar para além de Kiev.

Poder360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *