MPF: Serra recebeu ao menos R$ 4,5 milhões em propina em conta no exterior

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O MPF (Ministério Público Federal) diz que esquema de lavagem de dinheiro envolvendo o senador José Serra teria três camadas e que o parlamentar teria recebido ao menos R$ 4,5 milhões em propina da Odebrecht entre 2006 e 2007.

A PF (Polícia Federal) fez operação na casa de Serra em São Paulo depois de ter sido denunciado por lavagem de dinheiro pela força-tarefa da Lava Jato.

“Especificamente, JOSÉ SERRA praticou, entre outros, três crimes de lavagem de ativos por ter participado, de forma consciente e voluntária, da primeira (por meio do uso da CIRCLE TECHNICAL, de JOSÉ AMARO), da segunda (por meio do uso da DORTMUND INTERNATIONAL) e da terceira camadas de ocultação e dissimulação (por meio de transferências para a FICUS CAPITAL e para a CITADEL FINANCIAL ADVISORY)”, diz a denúncia.

Primeira camada

Serra teria solicitado R$ 4,5 milhões à empreiteira e os valores deveriam ser pagos por meio da offshore chamada Circle Technical Company Inc.

De acordo com a denúncia, a empresa era controlada por José Amaro, amigo de Serra.

“Vê-se, portanto, que uma grande gama de pagamentos, feitos pela ODEBRECHT à CIRCLE em curto período e de modo fracionado, embora estivessem vinculados nos sistemas de contabilidade da empreiteira a “VIZINHO”, codinome de JOSÉ SERRA, e tivessem sido feitos por sua solicitação e em seu favor, tiveram de fato, como destinatário imediato, a pessoa de JOSÉ AMARO RAMOS. E neste diapasão, por envolverem valores de natureza espúria, relacionada a crimes de corrupção (notadamente a passiva, na modalidade solicitar) e de cartel, e por visarem a ocultá-la e a dissimulá-la, nada mais foram que atos de lavagem de ativos”, diz denúncia.

Segunda camada

Nesta fase, o MPF diz que os valores recebido pela Circle da Odebrecht foram pulverizados e que “embora os valores respectivos tenham sido movimentados pelo sistema financeiro, eles seguiam sob controle de José Amaro”.

Algumas das transferências foram realizadas à offshore Dortmund, que, segundo o MPF, é controlada pela filha de José Serra, Verônica Allende Serra.

“Assim, ao JOSÉ AMARO RAMOS realizar, a partir de contas suas, transferências vultosas em favor da DORTMUND, entre 2006 e 2007, o que se praticava eram atos de ocultação e dissimulação da natureza espúria dos valores que recebera da ODEBRECHT no período, assim, s eus reais destinatários: JOSÉ SERRA e sua filha VERÔNICA SERRA”, diz denúncia do MPF.

Segundo o texto, a offshore Dortmund serviu como uma segunda camada de lavagem de dinheiro, permitindo o recebimento de “936.000,00 euros, oriundos de três empresas de JOSÉ AMARO RAMOS, que, por sua vez, foi beneficiado, no período, por valores transferidos a partir de offshores controladas pela ODEBRECHT”.

Segundo a denúncia, o dinheiro era transferido de uma offshore da companhia para outra de José Amaro, amigo de Serra.

Terceira camada

Segundo o MPF, a Dortmund enviou ao Banco Arner um pedido de transferência U$ 25.000,00 à Ficus Capital, empresa atuante no mercado financeiro internacional, com Francisco Ravecca como um dos sócios.

O MPF diz que “assim, parte dos valores – oriundos da ODEBRECHT – que ingressaram na conta da DORTMUND por meio de transferências realizadas a partir de contas de JOSÉ AMARO foram remetidos a FRANCISCO RAVECCA”.

A denúncia aponta que, em 2014, a Dortmund liquidou os valores existentes na conta. “Dessa forma, valores transferidos a JOSÉ AMARO RAMOS, pela ODEBRECHT, por solicitação de JOSÉ SERRA e tendo este como beneficiário final, foram remetidos, a partir de diversas operações, ao controle de VERÔNICA SERRA, filha do referido agente político, sendo, ao fim, liquidados para outras contas, em uma terceira camada de dispersão patrimonial, integrante, a toda evidência, de uma cadeia de lavagem de ativos”, diz a denúncia.

O R7 tenta contato com a defesa dos citados.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WellingtonB disse:

    Ah, ladrão sem vergonha!!!

  2. Luciano disse:

    Será que o PT tinha razão quando dizia que Moro era tucano? Ele nunca investigou a turma do PSDB, agora que saiu do governo começaram as operações pra cima da turma do bico grande, Aécio, Serra, Alckmin, Dória…

  3. Chicó disse:

    Serra Livre !!!

  4. Aécio Neves disse:

    O Moro tinha conhecimento de tudo isso, mas como estava a serviço da elite fez vista grossa para não melindrar toda a corja do PSDB.

    • Guilherme Luiz Bier disse:

      Agora após as denúncias do MPF é que o juiz aceitando as denúncias inicia seu trabalho.
      Agora inicia o trabalho do juiz .
      O ex-juiz Sérgio Moro prestou relevantes serviços ao país,assim como outros juízes.
      Não é um herói nacional e tb não é um traidor.

  5. Lucia Helena Silva disse:

    Meu Deus!Tão Santo Será possível que não escapa um?Que pais é esse?

    • Selma Nascimento disse:

      …pior é que não escapa um, mesmo. Como dizia Bezerra da Silva: se gritar pega ladrão fica um meu irmão. E o povo se matando por causa de políticos, nammm!

    • S. Silva disse:

      Já escapou.
      Jair Messias Bolsonaro.
      Zero de crimes tá!!
      Não responde a processos por desonestidade, corrupção, não é sequer investigado.
      Pode espalhar!!!
      Pura verdade.
      Vc precisa conhecer melhor esse cidadão brasileiro, cheio de erros como qualquer mortal, mas em matéria de corrupção, é zero.
      A globo, folha de São Paulo, tenta pegar, mas tá sempre com os burros n'Agua.
      Ponto final.

  6. nasto disse:

    E esse P__RR__ ainda fala em ser candidato a Presidência. Ou MAGOTE de LADRÃOOOOOOOOOOOOOOO

PF cumpre em Natal mandados de busca em endereços de brasileiro investigado por crime no exterior

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal no Rio Grande do Norte, representante regional da Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL), cumpriu nesta quarta- feira(06), nos bairros de Santos Reis e Planalto, em Natal/RN, dois mandados de busca e apreensão em endereços de um cidadão brasileiro investigado pela prática de crime na Europa.

A ordem judicial foi proferida nos autos de pedido de cooperação jurídica internacional do Ministério Público de Portugal para Ministério Público Federal, que requereu as buscas perante à Justiça Federal, com fundamento na Convenção de Auxílio Judiciário em Matéria Penal entre os Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, promulgada pelo Decreto nº 8.833, de 04 de agosto de 2016.

Apesar das restrições impostas no período de calamidade pública, a Polícia Federal segue vigilante na sua missão de reprimir ações de criminosos no estado potiguar.

Ibovespa sobe após fala de Bolsonaro com Guedes sobre possível retomada econômica e com início de reabertura no exterior; dólar cai

Foto: Shutterstock

Após o aumento da tensão política no fim da semana passada, o Ibovespa sobe nesta segunda-feira (27) após o presidente Jair Bolsonaro reforçar seu apoio ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Enquanto isso, no exterior, o dia também é positivo com investidores de olho em novos estímulos e a reabertura de alguns países europeus e estados americanos.

Após reunião, o Bolsonaro falou em frente ao Palácio da Alvorada tentando amenizar o clima ruim dos últimos dias. “Acabei mais uma reunião aqui tratando de economia. E o homem que decide a economia no Brasil é um só: chama-se Paulo Guedes. Ele nos dá o norte, nos dá recomendações e o que nós realmente devemos seguir”, disse.

Enquanto isso, o ministro afirmou que o governo segue firme em sua política econômica de responsabilidade fiscal. Guedes explicou ainda que os gastos feitos para combater o novo coronavírus são uma “exceção” na condução da política econômica.

“Queremos reafirmar a todos que acreditam na política econômica que ela segue e a mesma política econômica”, ressaltou Guedes.

Às 10h40, o Ibovespa tinha alta de 1,50%, aos 76.541 pontos, enquanto o dólar comercial registrava queda de 0,83%, cotado a R$ 5,6183 na compra e R$ 5,6208 na venda. O dólar futuro para maio, por sua vez, sobe 1,03%, para R$ 5,644.

Já no mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe 1 ponto-base, em 4,06%, enquanto o DI para janeiro de 2023 tem queda de 3 pontos, para 5,46%. O contrato para janeiro de 2025 avança 11 pontos-base em 7,32%.

As bolsas da Ásia fecharam todas em alta, com destaque para Tóquio, onde o índice Nikkei-225 avançou 2,71% após o Banco do Japão (BoJ) anunciar a compra de comercial papers e outras medidas de estímulo.

O BoJ manteve os juros, como esperado, mas anunciou que continuará a comprar bônus do Japão (JGB) e T-bills “sem estabelecer um limite” e elevou sua meta de compras de dívida corporativa e commercial papers para 20 trilhões de ienes. Segundo o Swissquote, a postura do BoJ “busca ajudar companhias a encontrar financiamento fácil, diante da desaceleração econômica puxada pela pandemia”.

Na Europa, as bolsas abriram em alta, após o governo italiano publicar ontem um decreto para o começo da fase 2 de reabertura da economia em 4 de maio. A terceira fase, disse o premiê italiano Giuseppe Conte, com a reabertura de bares, restaurantes e museus, só começa dia 18 de maio.

No Reino Unido, o premiê Boris Johnson volta hoje ao trabalho em Downing Street no centro de Londres. Johnson ficou duas semanas hospitalizado com o coronavírus. Ele deve anunciar nesta semana medidas para reabrir a economia britânica, mas alertou para os riscos de um aumento no número de casos. Johnson definiu a situação como de “máximo risco”. A Grã-Bretanha tem mais de 20 mil mortes e 100 mil casos do coronavírus.

A última semana de abril terá reuniões de dois bancos centrais importantes: o Federal Reserve dos Estados Unidos, terça e quarta-feira; e o Banco Central Europeu, que se reúne na quinta-feira. Além disto, as empresas de tecnologia, como Apple, Amazon e Microsoft, deverão publicar balanços do primeiro trimestre.

No Brasil, a temporada de resultados corporativos do primeiro trimestre ganha tração nesta semana, com a publicação dos balanços do Santander Brasil, Bradesco, Vale, Minerva e Gol, entre outras empresas. Já a Boeing, que luta com a crise do 737 Max e cancelando pedidos, desistiu do negócio de jatos comerciais da Embraer.

Infomoney

Brasil é o país com maior número de jogadores atuando no exterior; veja ranking

Neymar, Thiago Silva e Marquinhos campeões com o PSG — Foto: Reprodução / Twitter

Uma pesquisa do Centro Internacional de Estudos Esportivos (Cies) apontou que nenhum país do mundo teve mais jogadores atuando no exterior durante o último ano que o Brasil. Foram 1.600 atletas no total, contra 1.027 franceses e 972 argentinos.

Os três primeiros colocados do ranking representam 22,5% da totalidade da força de trabalho global. O estudo analisou 141 ligas ao redor do mundo.

Do Chipre à Indonésia, os brasileiros estão presentes em 86 dos 93 países abordados pela pesquisa. Mas Portugal é de longe o destino preferido dos nossos jogadores.

São 260 brasileiros atuando em terras lusas, o que representa 16,25% do total de atletas do Brasil que jogam no exterior. Aproximadamente, isso indica que a cada seis brasileiros que estão fora do país, um joga em Portugal.

Outro dado da pesquisa chama a atenção: 74,6% dos atletas do Brasil que estão no exterior jogam em campeonatos de primeira divisão. Essa porcentagem é maior do que a da França (74%) e da Alemanha (66.9%), mas menor do que a de outros país entre os dez primeiros da lista, como a Argentina (75,5%) e a Colômbia (83,1%), por exemplo.

Veja o top-10 dos países que mais exportam jogadores ao redor do mundo e os principais destinos dos brasileiros:

Globo Esporte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Puxa, muito importante.

Brasileiros escutam ‘good morning, coronavírus’ em atos xenófobos no exterior

Foto: Mario De Fina

“Corona, corona! Volte para o seu país.” Em meio à pandemia de coronavírus, brasileiros contam que vêm sendo vítimas de hostilidades no exterior. Segundo relatos de viajantes na Índia e em alguns países da África, eles e outros estrangeiros têm sido expulsos de hotéis, sofrido constrangimento por parte de autoridades locais e ouvido frases como a da abertura deste texto na rua.

Até na China, origem da pandemia, há casos de preconceito contra estrangeiros, desde que o país conseguiu reduzir a transmissão local e começou um esforço para evitar uma segunda onda de contaminação, desta vez vinda de fora. Uma reportagem do jornal inglês The Guardian traz casos de pessoas expulsas de restaurantes, lojas e hotéis, e um vídeo que circula na internet mostra três russos impedidos de entrar em uma loja para comprar máscaras.

Na Índia, onde um grupo de quase 180 brasileiros tenta ser repatriado após o fechamento das fronteiras, parte deles também conta ter vivido momentos tensos, especialmente em cidades menores.

A servidora pública Claudia Segobia, 50, foi pressionada para sair do hotel onde estava havia mais de um mês em Vrindavana, no norte do país. “Começaram a me perseguir lá dentro. Fui chamada por três homens da administração, pediram meu passaporte, eu ingenuamente dei na mão deles. Disseram que teriam que entregar o documento à polícia e que viriam me buscar para fazer exame e me colocar em quarentena.”

Hoje, ela está na casa de uma amiga. “No caminho para lá, começaram a apontar para mim na rua e a gritar: ‘Corona, vá para casa!’”, lembra. “Descobriram meu telefone, não sei como, e me ligaram dizendo que sabem onde estou e que vão chamar a polícia.”

Em vídeo enviado à Folha, ela mostra um tecido que colocou como proteção na janela do quarto onde está, para não ser vista do lado de fora. “Estou com muito medo, não saio daqui para nada. E a situação tende a piorar. Nenhum relato que eu faça consegue expressar o que estou sentindo. Foi muita humilhação.”

Cláudia diz que informou a embaixada brasileira e que tem recebido suporte do corpo diplomático. “Mas precisamos sair daqui. Espero que algo possa ser feito por nós.”

Em outra pequena localidade no leste da Índia, o fotógrafo Tiago Mendonça, 38, foi expulso com um amigo mexicano que o acompanha em uma viagem. “A dona do hostel começou a nos pressionar para sairmos de lá. Ela estava muito ansiosa, acho que estava sendo pressionada também. Um dia, saímos para comer, e três adolescentes pegaram uma pedra no chão e nos olharam, dizendo: ‘Você não é bem-vindo aqui’”, conta.

Na noite seguinte, alguém jogou uma pedra no telhado do hostel. “Era um paralelepípedo enorme, fez um barulho muito alto.” A dupla saiu da cidade e agora está em um lugar seguro.

“A paranoia está criando um sentimento de repúdio aos estrangeiros. Não os culpo, eles estão com medo. É um problema que está acontecendo no mundo todo, mas as pessoas não deveriam procurar um culpado”, afirma.

Em uma enquete feita por um dos brasileiros que aguardam repatriação na Índia, respondida por 140 pessoas na mesma situação, 23 delas relataram ter sofrido hostilidades por parte da população e 13, por parte da polícia. Ao menos 30% temem que as hostilidades aumentem à medida que forem surgindo mais casos de Covid-19 no país.

Um dos depoimentos reunidos pelo grupo é de uma brasileira que se hospedou na casa de um guru de ioga após seu curso ter sido suspenso. Um grupo de 20 policiais foi até a residência, obrigando todo mundo a ficar de quarentena, e divulgou para a população local que a casa estava infectada por tê-la recebido. “Estamos vendo muitos atos xenofóbicos por autoridades na Índia. Para os mesmos, se você for estrangeiro, é um coronavírus ambulante”, diz o relato.

Até agora, a embaixada na Índia conseguiu negociar cerca de 15 lugares para os brasileiros em um voo da Air France. O valor da passagem, porém, é impeditivo para alguns turistas: entre US$ 1.500 (R$ 7.800) e US$ 2.000 (R$ 10.500). “Normalmente a passagem de ida e volta custa uns R$ 4.000. A maioria de nós não tem condições de arcar com esse valor extra”, afirma Cláudia.

Em nota, o Itamaraty afirmou que a embaixada em Nova Déli e o consulado em Mumbai estão buscando meios de superar as restrições do governo indiano para possibilitar o retorno dos brasileiros.

O órgão diz que tem negociações em curso com companhias aéreas para buscar soluções de repatriamento e que está apoiando os brasileiros com medidas como compra de medicamentos e alimentos para quem precisa, “resgate de brasileiras expulsas de seus hotéis e em situação de vulnerabilidade em cidades próximas a Nova Déli e obtenção de alojamento em local seguro na capital” e “atendimento de brasileiros detidos pela polícia”.

‘DOENÇA DE BRANCO’

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Atusi disse:

    Calma pessoal, não quer dizer que todos são assim. Estou na Índia e não passei por nenhum problema como esse….. Sendo que nem pedi para repatriar ainda…. Pois trabalho num hotel . E claro temos que levar em conta que isso pode acontecer…por causa do medo. Mas o tratamento do indiano ao estrangeiro nos hotéis , ou no hotel que eu trabalho eu nunca vi em nenhum lugar do mundo nem mesmo no Brasil. Outro nível. E olha que eu trabalhei em muitas redes famosas.

  2. José Macedo disse:

    Ser tratado como lixo nos países desenvolvidos é ruim agora ser lixo no 3º mundo e demais.
    Seria bom o brasileiro ter lembrança disso quando passar esta pandemia e nunca mais pisar messes países.

  3. DJAILSON disse:

    VAMOS barrar os chineses e deportar os ilegais JÁ

  4. H4CK3R disse:

    Bem feito

    • paulo disse:

      BG
      E o Brasil "contaminados" de Chineses, Venezuelanos,etc em todas as cidade, tá bom de expulsa-los também

  5. Rodrigo Duarte disse:

    Só fazem isso pq a mídia vende a imagem de que o Brasil foi exterminado pelo corona e os poucos que ainda estão vivo estão visitando outros países.

  6. JBBatista. disse:

    Muito bem continuem enchendo a bola dos estrangeiros e seus países

Bovespa segue exterior e opera em forte alta

O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, opera em forte alta nesta terça-feira (24), acompanhando a melhora nos mercados externos, com uma nova ronda de estímulos monetários e orçamentais oferecendo algum alívio em meio aos temores de recessão global.

Às 13h30, o Ibovespa tinha alta de 12,47%, a 71.494 pontos.

Na segunda-feira, a bolsa teve forte queda, recuando 5,22%, para 63.569 pontos. Com isso, o Ibovespa acumulou queda de 45,03% no ano.

Em um esforço global coordenado para estabilizar os mercados financeiros em uma das maiores perdas já registradas, a Alemanha lançou um pacote de estímulos de até 750 bilhões de euros, enquanto o Federal Reserve adotou medidas inéditas para aumentar o crédito em toda a economia.

Avaliação

“Fica cada vez mais claro que o mercado precisa de uma ‘luz no final do túnel’ em relação ao arrefecimento do coronavírus e seus impactos econômicos”, afirmou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos.

A iniciativa do Senado dos Estados Unidos de aprovar um projeto de lei de mais de US$ 1 trilhão de reação ao coronavírus continuava travada. Já o Federal Reserve adotou novas medidas agressivas para conter o impacto econômico da pandemia, que incluem a garantia de empréstimos estudantis e compras ilimitadas de títulos da dívida.

Entre as medidas mais recentes anunciadas no Brasil, o Banco Central reduziu a alíquota do compulsório sobre recursos a prazo para 17%, prevendo uma liberação de 68 bilhões de reais na economia a partir do dia 30 de março.

O Conselho Monetário Nacional (CMN), por sua vez, aprovou medida que autoriza instituições financeiras a captarem por meio de depósitos a prazo com garantia especial do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

O governo do presidente Jair Bolsonaro editou no domingo medida provisória que permite aos empregadores suspenderem os contratos de trabalho de seus funcionários por quatro meses sem pagamento de salário. E o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou um pacote de medidas totalizando 55 bilhões de reais, com foco na preservação de empregos.

“Dado o efeito amplamente desconhecido que o coronavírus terá na economia brasileira e o espaço limitado para a política fiscal no Brasil, vemos espaço para mais fraqueza dos lucros (LPS)”, afirmou o Goldman Sachs em relatório enviado a clientes nesta segunda-feira.

Ao mesmo tempo, mais empresas anunciaram suspensão de determinadas atividades, entre elas Klabin, Magazine Luiza, brMalls e Arezzo.

G1

 

“REGRA DO BOM SENSO”: Ministro da Saúde, sobre viagens ao exterior: “Se não for necessário, para que você vai programar?”

Foto: Getty Images

Perguntado se recomendaria aos brasileiros que não viajassem para o exterior em meio à epidemia do novo coronavírus, Luiz Henrique Mandetta disse que o mais prudente é esperar.

“Vale a regra do bom senso. Se não for necessário, para que você vai programar? Espera para ver se isso vai se comportar de uma maneira melhor”, afirmou o ministro da Saúde.

“Agora, nós também não podemos parar a vida porque existe um resfriado, uma gripe, uma síndrome respiratória.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Norivaldo Fernandes disse:

    Em primeiro lugar, quero deixar a minha opinião a respeito do uso indevido de veículos militares no transporte de civis, incluindo políticos em geral. Se nós vivemos uma verdadeira República, o Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, deve proibir em qualquer circunstância, o uso de Aviões, por exemplo, fora da utilização estritamente Militar.

O documento da PF com extratos de transações no exterior encontrados em casa de sócio de Lulinha

Foto: Reprodução/Crusoé

Como Fabio Serapião noticiou ontem, a Polícia Federal encontrou na casa do empresário Jonas Suassuna, sócio de Lulinha, extratos de movimentações financeiras em contas mantidas no exterior.

Agora, a Crusoé divulga a íntegra do documento em que a PF reproduz esses extratos.

Os investigadores suspeitam que parte desses valores teria custeado a compra do sítio de Atibaia.

As transações do sócio de Lulinha no exterior: leia o documento em que a PF reproduz os extratos

O Antagonista, com Crusoé

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lavô escroto disse:

    Que 2020 seja um ano repleto de realizações, e que o filho do nosso presidente possa cada vez mais vender mais chocolates!!!

    Feliz 2020!!!

  2. João Sem Braço disse:

    Maluf se aliou a Lula em 2012, pra garantir alguns minutos a mais de propaganda partidária ao PT.

  3. Bento disse:

    Desejo para o ano novo que se inicia que os esquerdopatas tenham juizo e aprendam a separar o joio do trigo.
    Que deixem de seguir o cachaça a alma mais onesta do pais.
    Que aprendam o que discernimento e que a corrupcao é uma coisa ruim é do capeta.

    • Gustavo disse:

      E muito chocolate com laranja para vc Chico Bento babão. Que a milicia mande sua contribuição na rachadinha de ano novo e vc continue militando feito um robô alienado, dando opinião sobre tudo sem saber de praticamente nada.
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Verdade disse:

    Essa regra pros amigos de partido de Bolsonaro Paulo Maluf não vale. Se Paulo Maluf é bandido, se Bolsonaro é amigo de Paulo Maluf, logo Bolsonaro é…

    • Fato disse:

      Você tem sérios problemas com o português e o significado das palavras.
      Desde quando SÓCIO = AMIGO?
      Jonas Suassuna é SÓCIO de Lulinha e não amigo, entendeu ou ainda está em dúvida?
      Desde quando Paulo Maluf tem "amizade" com Bolsonaro? Eles são amigos como, onde e quando?
      Mais uma vez você usa da formação esquerdopata para imaginar difamação e falar com se ela existisse. Maluf tem que cargo no governo? Maluf indicou quem no governo? Maluf está ligado a qual ministro?
      Aceita que doe menos, mas não continue em sua vergonhosa saga de querer o pior para o Brasil, o povo mostrou através do voto que quer mudar o rumo dado pela esquerda ao país. Que assim venha a ordem e o progresso que o povo ordeiro e trabalhador sonha, embora no caminho ainda existam pedras viciadas em recursos públicos e plantas daninhas por cargos que lutam por um país cada vez mais atrasado, retrógrado, improdutivo e corrupto.

    • Getúlio disse:

      Paulo Maluf, depois que teve seu processo transitado em julgado, se tornou eterno parceiro do PT. Portanto, quem mudou a postura e o discurso foi Paulo Maluf, o pt ou os dois?

    • Papa Jerry Moon disse:

      Até onde eu sei foi Lula que virou parceiro de Maluf, no finalzinho de seu des-governo.

  5. João Sem Braço disse:

    Deixem de perseguição à Lulinha. Ele é um fenômeno nos negócios.

  6. Lula na cadeia sempre disse:

    Não…LULINHA TAMBÉM É LADRAO 🤦🏼‍♂️Como pode a família mais honesta do mundo , com os seguidores mais IDIOTAS TAMBÉM?

    • Sol disse:

      Lula é ladrão, mas sabendo que um erro não justifica outro, os que estão aí, são tão quanto, ainda por cima melicianos, disfarçado com pele de cordeiro…. Exemplo disso, é muita coincidência, os "inocentes" que acabaram com Marielle, morar no mesmo condominio , onde mora a familia do " presidente"…

    • Sebastião disse:

      Sol, sua luz se apaga quando é pra desvendar o crime de celso daniel, juntamente com as 11 testemunhas mortas. Poderia juntar toda sua energia pra focar nesse caso horrendo, cujo governo petralha não investigou e jogou pra debaixo do tapete

Quer trabalhar, estudar ou empreender no exterior? Guia mostra as opções nos principais destinos

Foto: O GLOBO

De janeiro a 20 de outubro deste ano, a Receita Federal recebeu 22.327 declarações de saída definitiva do Brasil. Está perto de bater novo recorde e superar o total de 2018, que foi de 23.231, segundo dados da Receita Federal. É efeito dos anos de recessão no país, que acabou levando milhares de pessoas a buscarem melhores condições de emprego , qualificação e qualidade de vida no exterior .

Ao mesmo tempo, países como Alemanha e Japão mudaram recentemente suas políticas de imigração para atrair mão-de-obra qualificada, em meio ao rápido envelhecimento da população. Outras economias dinâmicas, como Canadá, Austrália e Nova Zelândia, têm tradição em programas para receber imigrantes das mais diferentes profissões. E, em alguns casos, como em Portugal e nos Estados Unidos, abrir o próprio negócio é a opção para se estabelecer no país.

O GLOBO preparou um guia para quem busca oportunidades no exterior. Uma série de reportagens especiais traçou o roteiro para os 11 destinos mais procurados pelos brasileiros, como os citados acima, além de Reino Unido, Rússia, China e países da América do Sul. Veja, abaixo, como se preparar para morar em cada um destes lugares.

Parte desses brasileiros deixa o país com o propósito de imigrar em definitivo. Tantos outros passam um período fora e, depois, retornam ao país. Esse movimento expõe a fuga de mão de obra qualificada registrada nos últimos anos. Mas pode, ao mesmo tempo, também estabelecer pontes entre empresas, universidades e instituições de ensino do Brasil e outras de diversos países.

Quem deseja imigrar deve se preparar, aconselha João Marques, da Emdoc, que presta consultoria jurídica de imigração. Ou seja, se informar sobre a vida no destino, o idioma, a cultura, as exigências de visto, os sistemas de educação e saúde, planejar o sustento. As oportunidades existem, mas os desafios são muitos.

Acompanhe, abaixo, as oportunidades que cada destino oferece. E, ouça, no podcast do GLOBO, os prós e contras na decisão de morar no exterior .

(mais…)

Tesouro Nacional anuncia emissão de título no exterior

Foto: (Bruno Domingos/Reuters)

O Tesouro Nacional anunciou nesta segunda-feira (4) captação de recursos no exterior. Em nota, o Tesouro informou que será emitido um novo título, haverá nova emissão de título já existente e recompra de títulos da República denominados em dólares.

Será emitido um título de 30 anos com vencimento em 14 de janeiro de 2050, o Global 2050. Adicionalmente, diz o Tesouro, haverá reabertura (nova emissão) do título de 10 anos já existente, o Global 2029, que tem vencimento em 30 de maio de 2029. Concomitantemente às duas operações, acrescentou o Tesouro, serão recomprados sete títulos:

Título Vencimento Cupom (% ao ano) – Estoque em mercado (US$ milhões):

Global 2027 – 15/05/2027 – 10,125 823
Global 2030 – 06/03/2030 – 12,250 240
Global 2034 – 20/01/2034 – 8,250 1.404
Global 2037 – 20/01/2037 – 7,125 1.825
Global 2041 – 07/01/2041 – 5,625 2.366
Global 2045 – 27/01/2045 – 5,000 3.550
Global 2047 – 21/02/2047 – 5,625 3.000

Por meio do lançamento de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais com o compromisso de devolver os recursos com juros.

Os recursos captados no exterior são incorporados às reservas internacionais do país. De acordo com o Tesouro Nacional, as emissões de títulos no exterior não têm como objetivo principal reforçar as divisas do país, mas fornecer um referencial para empresas brasileiras que pretendem captar recursos no mercado financeiro internacional.

Segundo o Tesouro, a operação será liderada pelos bancos BNP Paribas, Citibank e Goldman Sachs & Co. Os títulos serão emitidos no mercado global e o resultado será divulgado ao final do dia de hoje.

Isto É, com Agência Brasil

 

Servidores do Judiciário poderão trabalhar do exterior

Foto: Reprodução/CNJ

O Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nesta terça-feira (22/10) alteração no texto da Resolução CNJ n° 227/2016, permitindo o teletrabalho internacional de servidores do Poder Judiciário. A mudança também prevê o trabalho à distância em local diverso da sede de jurisdição do tribunal, além de outros pontos. O processo 0009486-09.2018.2.00.0000, cuja relatoria ficou a cargo do conselheiro Valtércio de Oliveira, foi julgado durante a 299ª Sessão Ordinária do CNJ.

A prática do teletrabalho está prevista na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) desde 2011. As mudanças na resolução foram analisadas pela Comissão de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do CNJ após as contribuições prestadas pelos tribunais de Justiça dos estados, tribunais regionais federais, tribunais regionais do trabalho, tribunais regionais eleitorais, Conselho da Justiça Federal e Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Um dos principais argumentos para aprovação do teletrabalho internacional foi de que a medida servirá para reduzir a desistência de servidores qualificados nos quadros do Judiciário por falta de flexibilização quanto ao local da execução das atividades. Pelo novo texto, durante esse regime, o servidor não terá direito a pagamento de benefício referente a auxílio transporte, nem estará sujeito a banco de horas.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Armando disse:

    Eu sou segurança do tribunal Federal e quero morar em Portugal e trabalhar em Natal-RN. Como faço, Guilerme?

  2. Diogo disse:

    Concurso é aval para sodomizar.

  3. Ana disse:

    Homeoffice é uma realidade sem volta. Deixamos de perder tempo com deslocamentos e podemos nos organizar por metas. Inclusive metas altíssimas, mais rígidas do que as do CNJ. Só uma pessoa que não conhece a excelência do judiciário federal do RN para falar que trabalha-se pouco. Somos referência de dedicação e produtividade no país.

  4. Talita disse:

    não é tão legal isso.acredito o jeito como estar e bem melhor.pois tão modificando tanto.os trajetos que não vai ser tão conveniente como já é.pq número faz isso com o presidente pra ele trabalhar dessa maneira.cada modificação nessa leis trabalhista

  5. Talita dias disse:

    não é tão legal isso.acredito o jeito como estar e bem melhor.pois tão modificando tanto.os trajetos que não vai ser tão conveniente como já é.pq número faz isso com o presidente pra ele trabalhar dessa maneira.

  6. Nivaldo disse:

    Boa noite Rose, gostaria de esclarecer seu infeliz comentário, pra quem acha que servidor público, trabalha pouco em um tribunal, é só estudar durante oito horas por dia, por 3 anos consecutivos, privando -se lazer, tempo com a família, amigos ,confraternizações de final de ano,essa é a receita para ganhar bem e com certeza trabalhar muito, tenta prestar um concurso Federal. depois você me fala.

    • Lira disse:

      Amigo, concurso é apenas uma forma de seleção e não lhe dá o direito de tripudiar dos q não obtiveram êxito, tampouco achar que pode limpar o caixa do governo com todo tipo de privilégio. Ou tu acha q essa estória de 60 dias de férias p juiz é correta e justa somente porque ele fez concurso.

  7. Rosi Sampaio disse:

    Aceitar isso é dar um tapa na cara na sociedade. Já trabalham pouco, ganham muito e ainda são pagos por nós. Agora não precisam mais gastar com transporte e nem perder tempo de deslocamento, tudo isso para economizar na conta de luz e no cafezinho. Será mesmo? Será que a produtividade vai aumentar tanto assim para justificar tamanho privilégio? É por essas e outras vantagens descabidas que a reforma administrativa vem aí.

    • Guilherme disse:

      Faz a prova, invejosa.

    • Leo disse:

      Não gastar com trasporte ? Tá brincadeira né ? Quem vai pagar a luz do coitado que faz tele trabalho ? Internet ? Água ? Etc …isso sai do bolso do próprio servidor que economiza pra vc pagar menos imposto. No final das contas vai pagar pra trabalhar em casa e a sociedade ainda reclama .

  8. Lucia disse:

    Quando alguém precisar falar com um deles, vai ser fácil, fácil.
    Aliás, hoje já é praticamente impossível o acesso, imagine agora.
    A presença física é essencial. Somente em alguns casos muito específicos se pode pensar nesse recurso eventualmente.
    A terceirização avança e ameaça o serviço público de qualidade em um espaco físico onde possa ser acessado pela população, que tem o direito de acompanhar seus processos.

  9. Luiz Fernando disse:

    Já não produzem, imagine agora.

  10. Avante disse:

    Se tiver como medir a produtividade, não importa onde esteja.

    • Jakeline disse:

      O TJ/MA tem, para alguns cargos, mas com monitoramento da produtividade e avaliação de desempenho!

  11. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Mal trabalham em casa …imagino no exterior, será umas férias só

Gastos de brasileiros no exterior sobem para US$ 1,3 bilhão, diz Banco Central

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Os gastos de brasileiros em viagem ao exterior chegaram a US$ 1,330 bilhão em setembro. Esse foi o maior valor para o mês desde setembro de 2017, quando ficou em US$ 1,716 bilhão. No mesmo mês de 2018, as despesas somaram US$ 1,189 bilhão. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (24), em Brasília, pelo Banco Central (BC).

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o resultado de setembro interrompe uma trajetória de redução das despesas em viagens registradas nos meses anteriores. “Mas isso não necessariamente indica uma tendência”, disse.

Neste mês, até o último dia 22, esses gastos chegaram a US$ 1,038 bilhão. Rocha ressaltou que, em nove meses do ano, esses gastos com viagens chegaram a US$ 13,344 bilhões, valor inferior aos US$ 13,875 bilhões, em igual período de 2018.

As receitas de estrangeiros em viagem ao Brasil totalizaram US$ 391 milhões no mês passado e US$ 4,529 bilhões em nove meses, contra US$ 373 milhões e US$ 4,513 bilhões, respectivamente, nos mesmos períodos de 2018. Com isso, a conta de viagens, formada pelas despesas e as receitas, fechou setembro negativa em US$ 938 milhões e nos nove meses do ano com déficit de US$ 8,814 bilhões.

Contas externas

As viagens internacionais fazem parte da conta de serviços das transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do Brasil com outros países.

Em setembro, as transações correntes ficaram deficitárias em US$ 3,487 bilhões e acumularam US$ US$ 34,055 bilhões nos nove meses do ano, contra US$ 194 milhões e US$ 18,566 bilhões, respectivamente, em iguais períodos de 2018.

De acordo com Rocha, o aumento do déficit em transações correntes de US$ 3,3 bilhões, em setembro deste ano, contra igual mês de 2018, é explicado pelo menor superávit comercial, que também faz parte das transações correntes.

Nesse período, explicou Rocha, o superávit comercial se reduziu US$ 3 bilhões. “O restante [do aumento do déficit] é explicado por serviços e renda primária”, disse.

Em outubro, o Banco Central espera por continuidade do aumento do défícit em transações correntes, também por conta do menor superávit comercial. A previsão de resultado negativo do BC é US$ 5,8 bilhões, contra o déficit de US$ 540 milhões em outubro de 2018.

O BC também projeta que o investimento estrangeiro direto no país deve chegar a US$ 7,2 bilhões. Até o último dia 22, esses investimentos somaram US$ 5,727 bilhões.

Rocha disse ainda que a aprovação da reforma da Previdência e o leilão da cessão onerosa são favoráveis para a entrada de investimentos estrangeiros no país. Segundo ele, com a reforma, fica “mais perto do momento em que a dívida pública vai se estabilizar”, como resultado do crescimento em menor ritmo dos gastos do governo com a Previdência.

“A reforma da Previdência é entendida como uma mudança na trajetória fiscal do país prevista para os próximos anos. Com isso, vai ter uma perspectiva de situação fiscal mais sob controle, o que é favorável para investimentos estrangeiros”, explicou.

“No caso da cessão onerosa, temos uma perspectiva de ingressos de investimentos estrangeiros significativos”, afirmou.

Agência Brasil

 

UFRN oferece bolsas no exterior na modalidade Estágio de Doutorado Sanduíche

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) torna público o edital de seleção para bolsas no exterior, na modalidade Estágio de Doutorado Sanduíche para alunos de doutorado dos cursos de Ecologia, Neurociências, Psicobiologia e Psicologia. As bolsas concedidas estão dentro do tema Evolução, Cognição e Comportamento.

Na modalidade de Doutorado Sanduíche no exterior, alunos que estejam regularmente matriculados em cursos de doutorado realizam parte do curso em instituição de ensino superior no exterior e depois voltam ao Brasil para concluir o curso e defender sua tese.

Para realizar a inscrição, que vai até 15 de julho, os candidatos devem preencher formulário disponível do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) e anexar os documentos solicitados no edital do processo seletivo. A seleção consistirá de várias etapas, dentre elas a verificação dos documentos, a análise de mérito técnico-científico e a análise do plano de atividades e do perfil científico dos candidatos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Crise na Uferrenê, que crise? Fala sério, dinheiro ali é como catinga em ânus: não acaba nunca.

UFRN abre edital de seleção para bolsas no exterior, na modalidade Estágio de Doutorado Sanduíche

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) torna público o edital de seleção para bolsas no exterior, na modalidade Estágio de Doutorado Sanduíche para alunos de doutorado dos cursos de Ecologia, Neurociências, Psicobiologia e Psicologia. As bolsas concedidas estão dentro do tema Evolução, Cognição e Comportamento.

Na modalidade de Doutorado Sanduíche no exterior, alunos que estejam regularmente matriculados em cursos de doutorado realizam parte do curso em instituição de ensino superior no exterior, e depois voltam ao Brasil para concluir o curso e defender sua tese.

Para realizar a inscrição que vai até 15 de julho, os candidatos devem preencher formulário disponível do SIGAA e anexar os documentos solicitados no Edital do processo seletivo. A seleção consistirá de várias etapas, dentre elas verificação dos documentos, análise de mérito técnico científico, análise do Plano de Atividades e do Perfil Científico dos Candidatos.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  2. Idiota potiguar disse:

    E bolsonaro num tinha acabado com tudo isso?

UFRN lança edital para doutorado sanduíche no exterior com 39 cotas de bolsas

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PPG) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu edital de seleção para 39 cotas de bolsas no exterior, na modalidade estágio de doutorado sanduíche. O período de inscrição para a primeira chamada segue até 21 de abril.

O edital visa propiciar a realização de estudos avançados em instituições de excelência acadêmica e científica no exterior, para contribuir com a consolidação e ampliação da internacionalização da UFRN com base nas áreas estratégicas, além da formação de recursos humanos e de redes de cooperação científicas internacionais.

Cada cota de bolsa equivale a 12 mensalidades, com duração mínima de seis meses e máxima de 12 meses. Confira o edital no site da PPG.

Com informações da UFRN

*  Um doutorado sanduíche é um programa de bolsa de estudo no qual o estudante tem a chance de fazer parte do seu curso de doutorado em outra instituição brasileira ou internacional. O intercâmbio pode variar de poucos meses a um ou mais anos, mas não a duração completa do doutorado cursado pelo estudante.

Operação bancária incorreta gera indenização no RN para cliente que foi estudar no exterior

A 16ª Vara Cível de Natal condenou o Banco do Brasil a indenizar por danos morais um cliente que teve dificuldades para realização a matrícula em curso no exterior por problemas na ordem de pagamento emitida junto a esta instituição bancária.

Conforme consta no processo, a instituição de ensino estrangeira enviou ao cliente uma ordem de pagamento com prazo 72 horas. Assim, o autor dirigiu-se ao banco demandado e solicitou o pagamento, sendo informado pelo funcionário que o procedimento havia sido realizado com sucesso.

Porém, até a data limite o banco não efetivou o desconto do valor, e o demandante precisou fazer o mesmo pagamento por meio de cartão de crédito. Nessa ocasião, o banco informou que a ordem de pagamento havia sido cancelada, entretanto, cinco dias após esse fato, a instituição retirou de sua conta o valor de R$ 13.626,09 decorrente dessa operação. Consta também que, após a abertura do processo judicial, o banco repôs o valor indevidamente debitado.

O juiz André Pereira salientou que “não há como se afastar a responsabilidade do demandado quanto ao constrangimento sofrido pelo autor” especialmente quando se refere a “indevida retirada de valores de sua conta corrente, justamente quando mais necessitava”. E considerou que, apesar do banco ter posteriormente ressarcido o valor indevidamente retirado da conta, “não se pode ignorar a angústia , decepção, sentimento de impotência do autor, diante da desídia do demandado em realizar transferência”.

Neste sentido, o juiz considerou cabível a indenização por danos morais, avaliando que “a viagem realizada pelo autor tinha um caráter de um sonho e fora antecipadamente detalhada e planejada”, de modo que a atuação do banco réu “lhe causou abalo financeiro justamente no período da viagem”.

Na parte final da sentença, o magistrado levou em conta a extensão do dano e elementos como a “frustração e angústia sofridos pelo autor nas vésperas de uma viagem internacional” para chegar a fixação do valor a ser pago. E, em seguida, condenou o banco demandado a indenizar o autor no valor de R$ 10.000,00, acrescido de juros de mora e correção monetária.

(Processo nº 0841061-80.2015.8.20.5001)
TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junin disse:

    Estou pagando juros de novo nesse banco por causa de erros deles mesmo, a soret é que os valores nao sao altos e nao compensa pagar um advogado, mas que é corriqueiro é …!!!! a unica arma que possuo é quando pagar correr desse banco !!!