Sarkozy perde e François Hollande é o novo presidente da França

Stephane Mahe/Reuters

O candidato socialista François Hollande é o novo presidente da França, após vencer o segundo turno das eleições para o Palácio do Eliseu, neste domingo. O presidente conservador Nicolas Sarkozy reconheceu a derrota para o adversário, que assumirá o cargo em 15 de maio.

Hollande teve 50,8% dos votos, ante 49,2% do rival e candidato à reeleição Nicolas Sarkozy, com 67% das urnas apuradas, conforme divulgou neste domingo a rede americana CNN. Em pesquisa de boca de urna da emissora France 2, o socialista tem 51,9%, contra 48,1% de Sarkozy.

Em discurso a seus partidários, o presidente conservador já admitiu a derrota para o socialista e afirmou que ligou para Hollande, desejando-lhe “boa sorte”.

“Aceito essa derrota por causa dessa França aberta, democrática”, disse ele, aclamado aos gritos de “Nicolas, Nicolas” por uma multidão em Paris.

“Tentei fazer o melhor para proteger o povo francês. Apesar dos milhões que votaram em mim, nós falhamos. Vocês me apoiaram, mas não tivemos êxito”, acrescentou.

Parlamentares

Sarkozy ainda pediu que o UMP, seu partido, permaneça unido para as eleições parlamentares, acontecerão em junho. “Não se dividam, permaneçam unidos. Temos que ganhar a batalha das legislativas”, afirmou o presidente em reunião fechada com partidários.

O chanceler francês do governo Sarkozy, Alain Juppé, foi o primeiro ministro a se manifestar sobre o pleito, e voltou a dizer que o foco do partido serão as eleições legislativas.

“Sarkozy fez uma campanha magnífica. Os milhões de franceses que votaram nele merecem essa consideração. Nós não o abandonamos, voltaremos na batalha das legislativas”.

Pouco antes do fechamento das urnas, pelo menos quatro institutos de pesquisa (CSA, TNS Sofres, Ipsos e Harris Interactive) já apontavam uma preferência eleitoral acima de 50% para Hollande.

Com essa virtual vitória, ele se torna o segundo presidente socialista da Quinta República Francesa fundada pelo general Charles De Gaulle em 1958, depois de François Mitterrand, chefe de Estado de 1981 a 1995.

Fonte: Folha