Turismo

França, Suíça, Canadá e mais: confira a lista de alguns dos principais destinos para onde os brasileiros já estão autorizados a viajar

Foto: Divulgação/Divulgação

Com o avanço da vacinação, vários países retomam o turismo internacional. Para o Brasil, a lista de destinos ainda é restrita, mas aos poucos é ampliada com a exigência da imunização e de testes negativos para a Covid-19.

Nessa segunda-feira 19, o Canadá anunciou que reabrirá em setembro suas fronteiras para os brasileiros totalmente vacinados com imunizantes aprovados pelo governo do país. Durante o final de semana, a França tomou uma decisão semelhante. A Suíça já havia comunicado a abertura no final de junho.

Na Europa, pelo menos cinco países já estão aceitando brasileiros, com exigência de quarentena ou comprovante de vacinação. Na América do Sul e Central os nacionais também podem viajar a alguns destinos, a maioria com restrições.

Confira abaixo a lista de alguns dos principais destinos para onde os brasileiros já estão autorizados a viajar e as condições exigidas:

Canadá

O país reabre para brasileiros vacinados totalmente contra a Covid-19 com imunizantes da AstraZeneca, Pfizer, Janssen e Moderna, mas não Coronavac. A medida vale a partir de 7 de setembro. Os voos da Air Canada entre São Paulo e Toronto têm retomada prevista para 2 de setembro, sendo a primeira decolagem do Brasil no dia seguinte.

França

A França está aberta para brasileiros vacinados completamente com imunizantes aprovados pela Agência Europeia de Medicamentos (European Medicines Agency – EMA). São eles Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen. O órgão começou em maio a analisar o imunizante da Sinovac, fabricante da Coronavac, e ainda não divulgou seu parecer.

Suíça

A Suíça abriu suas fronteiras ao turismo no final de junho. Brasileiros podem entrar no país com a apresentação de um comprovante de vacinação contra o coronavírus. São aceitos os imunizantes dos fabricantes Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen, AstraZeneca, Sinovac (Coronavac), Sinopharm e Serum Institute of India.

Croácia

As exigências da imigração croata para a entrada de brasileiros vindos do Brasil são o exame PCR negativo feito nas últimas 48 horas antes da chegada e uma quarentena de 14 dias. Há multas para quem descumprir o isolamento

Irlanda

Para entrar na Irlanda, os brasileiros devem apresentar um comprovante negativo de teste PCR feito até 72 horas antes e realizar uma quarentena de 14 dias. Também há multas para quem descumprir a medida.

Eslováquia

O país anunciou nessa segunda-feira 19 a abertura de suas fronteiras para turistas de todo o mundo totalmente imunizados. É necessário apresentar o comprovante de vacinação na entrada.

México

O México tem entrada livre para os brasileiros. Não é preciso vacina, nem mesmo teste PCR.

Colômbia

A Colômbia reabriu ao turismo de brasileiros em 11 de maio. Desde a semana passada já não é mais obrigatória a apresentação de um teste PCR negativo, segundo o site do governo, porém companhias aéreas ainda podem requerer o exame.

Paraguai

Desde o início do mês, brasileiros devem cumprir quarentena de sete dias ao entrar no Paraguai devido à variante Delta do novo coronavírus. Em todos os casos, é exigida a apresentação de um teste negativo para ingressar no país. Após o isolamento é realizado novo teste.

Curaçao

Todo brasileiro que entra em Curaçao deverá apresentar um resultado negativo de um exame PCR, feito em até 72 horas antes do voo, ou um resultado negativo de um exame de antígeno feito num prazo máximo de 24 horas antes. O país ainda exige a realização de mais um teste, no terceiro dia de viagem, em um laboratório local.

Costa Rica

Já na Costa Rica, o resultado negativo do PCR não é exigido, mas os brasileiros precisam contratar um seguro de viagem obrigatório.

Equador

O país exige apresentação de um teste PCR ou antígeno para detecção do coronavírus de no máximo 72 horas antes e com resultado negativo dos brasileiros. A quarentena de 10 dias também é obrigatória.

Panamá

Todos os brasileiros devem apresentar teste negativo PCR realizado antes do voo e fazer um novo exame assim que chegar o país. Mesmo se o resultado do segundo teste for negativo, ainda é obrigatório cumprir quarentena de 3 dias.

Bahamas

Todos os turistas que visitam as Bahamas devem apresentar um teste PCR negativo feito no máximo cinco dias antes da viagem em sua entrada. Os viajantes totalmente imunizados podem apresentar comprovante de vacinação e serão isentos do exame.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Sei José Tomaz, vc ficou no mesmo nível do seu líder ou mentor, primeiro grau em caetes/PE, segundo grau no subúrbio, terceiro grau em tibinha de Parnamirim, mestrado e doutorado em alguma repartição onde circulava dinheiro fácil. É sempre assim, “estudei muito…….e as as tetas estavam cheias” agora tenho que chorar para papai voltar.

  2. A boiada imunda não tem $ nem pra comprar 1 kg de coxão duro, vai ter dinheiro pra ir jantar na Torre Eiffel…

    1. Quem fazia constantemente estas viagens, eram a jumentada comedora de capim, mas a tetinha secou, resta só rinchar de raivinha…

    2. Ze, quem tá reclamando do preço de tudo e vc, que tá liso.
      Kkkkkkkkk

    3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Boa Tomaz…daqui a pouco têm nem dinheiro pra gasolima…quanto mais pra viajar de avião…
      Ôôôôô boiaaaada…êêêêêê…gadooooo…ôôôôu…

    4. Fale pela sua teta ruminante, a minha eu estudei muito para estar cheia.

    5. Lembro demais, José Tomaz estudava muito ……….pouco, é cobra só passava se arrastando, também curso superior para babão de ladrão não exige muito raciocínio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PENSE NUMA PROEZA: Agricultor belga muda sem querer a fronteira com a França demarcada por pedras há dois séculos

(Foto: DAVID LAVAUX)

Um fazendeiro na Bélgica causou comoção nacional depois de “redefinir”, por acidente, a fronteira do país com a França.

Uma pessoa, com conhecimento sobre história e as fronteiras dos dois países, estava passeando na floresta entre Bélgica e França quando percebeu que a pedra que marcava a fronteira havia sido deslocada em 2,29 metros.

O fazendeiro belga, aparentemente incomodado com a pedra no caminho de seu trator, moveu-a para dentro do território francês.

Mas em vez de causar um alvoroço internacional, o incidente foi recebido com sorrisos e piadas em ambos os lados da fronteira.

“Ele aumentou o tamanho da Bélgica e diminuiu o da França, não é uma boa ideia”, disse David Lavaux, prefeito da vila belga de Erquelinnes, ao canal de TV francês TF1. No passado, esse tipo de mudança causaria uma dor de cabeça enorme entre os proprietários de terras privadas, ressaltou ele, e também entre os Estados vizinhos.

A fronteira entre a França e o que agora é a Bélgica se estende por 620 km. Ela foi formalmente estabelecida no Tratado de Kortrijk, assinado em 1820 após a derrota de Napoleão em Waterloo cinco anos antes. A pedra data de 1819, quando a fronteira foi demarcada pela primeira vez.

“Fiquei feliz, minha cidade ficou maior”, acrescentou o prefeito belga, rindo. “Mas o prefeito de Bousignies-sur-Roc não gostou.”

“Acho que seremos capazes de evitar uma nova guerra de fronteira”, brincou a prefeita do vilarejo francês vizinho, Aurélie Welonek.

As autoridades belgas planejam entrar em contato com o fazendeiro para pedir que ele recoloque a pedra no seu local original. Se isso não acontecer, o caso pode, em tese, ir parar no Ministério das Relações Exteriores da Bélgica, que teria de convocar uma comissão de fronteira franco-belga, algo que não acontece desde 1930.

Lavaux observou que o agricultor também pode enfrentar um processo criminal se não cumprir a ordem.

“Se ele mostrar boa vontade, não terá problemas, resolveremos a questão amigavelmente”, disse ele ao site de notícias belga Sudinfo.

Época

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

França anuncia suspensão de todos os voos com o Brasil devido ao nível de contágio da pandemia e circulação de variantes no país

Foto: Christopher Pike – 15.fev.2019/ Reuters

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, anunciou nesta terça-feira (13) a suspensão de todos os voos entre a França e o Brasil. Ele destacou a situação da pandemia no Brasil como fator preponderante para a decisão.

A medida foi anunciada como forma de precaução, em razão da variante da Covid-19 detectada em solo brasileiro. “Decidimos suspender, até novo aviso, todos os voos entre os países”, disse o primeiro-ministro, no parlamento francês.

De acordo com a Reuters, médicos franceses renomados vêm pedindo ao governo há dias para que interrompa o tráfego aéreo com o Brasil.

Há um mês, o ministro da Saúde da França, Olivier Veran, disse que cerca de 6% dos casos de coronavírus no país eram de variantes mais contagiosas, encontradas pela primeira vez em solo brasileiro e na África do Sul.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Quer dizer babacas que a suspensão desses vôos também é do Bolsonaro??
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Vão instalar uma CPI pra investigar o PR né mesmo?
    Muito bem, daqui a dois meses veremos o tiro no pé que deram.
    Kkkkkkkkkkkkk
    Esses caras ainda não caíram a ficha, o Bolsonaro não faz parte do grupo de ladrões que assaltou o país.
    E aqui quero dizer.
    Olhem, prestem atenção no que vou dizer agora aqui no melhor blog do RN, blog do BG.
    Aposto tudo que tenho como essa CPI vai PROMOVER ainda mais o PR Bolsonaro.
    Quem for vivo virá.
    Vai ser o primeiro turno, vcs vão vê.

  2. O brasileiro hoje é considerado o leproso do mundo.
    Viva ao negacionismo.
    Viva o mito.
    Vamos fazer arminhas que resolve.

  3. Esse isolamento do mundo, confirma os erros cometidos no enfrentamento da epidemia, o maior foi à negação a ciência. O desprezo dado a um programa robusta de vacinação, faz com que de cada 100 mortes por Covid no mundo , 27 são brasileiros.

  4. creio que se tiverem feito hospitais no lugar de E$tadio$ de futebol, que alias ja estavam prontos, derrubaram e fizeram de novo, a situação da saude seria diferente

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

França autoriza veterinários e dentistas a dar vacinas contra covid para ‘acelerar campanha’

Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

A França permitirá que veterinários e dentistas apliquem vacinas contra a Covid-19 para “acelerar a campanha”, disse a Autoridade Nacional de Saúde Francesa (HAS) em um comunicado à imprensa nesta sexta-feira (26).

“A chegada de doses adicionais permitirá fazer vacinações em maior escala a partir de abril e exigirá a mobilização de mais profissionais para vacinar rapidamente todos os interessados”, disse a agência.

Essas novas categorias de profissionais de saúde que vacinam se juntam a médicos, enfermeiras, farmacêuticos e estudantes de medicina, inclusive aposentados. A maioria receberá um treinamento específico para as vacinas contra Covid.

A França está no meio de uma nova onda de infecções por coronavírus, e sua lenta campanha de vacinação fez pouco até aqui para conter a alta.

Na quinta-feira (25), o primeiro-ministro Jean Castex descreveu a situação em Paris como “extremamente preocupante”, e o país proibiu reuniões ao ar livre de mais de seis pessoas em um esforço para reduzir a transmissão.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Os burros já furaram a fila e foram todos vacinados. Pra essa quadrilha de PTralhas nada é impossível, só bandidos.

  2. Deviam fazer isso aqui também. E botar o povo da ZOOTECNIA para vacinar o gado bolsominion…muuuuuuuuuum

    1. Homem ZeGado, deixa de ser idiota, tu fosse hipnotizado por aquele molusco ladrão, da forma que vc se expressa, até parece que vc dormiria com ele, JANJA faz isso pensando no futuro dela, de besta ela não tem nada, até recentemente era uma das mamadoras de ITAIPU. Eu com vc sou um fazendeiro falido, como a maioria os são, nas nossas vidas tem tempo para tudo, inclusive ser besta, tenho certeza que esse tempo para vc já passou, bota esses miolo mole para pensar.

    2. Ze gado hoje tá de recesso de greve.
      Escrevendo pouco, quase nada.
      Kkkkkkkkkkkkkkk
      Por certo o pixuleco $ atrasou.
      Pode vê, se ele não está, os outros personagens também desaparece.
      O que prova que é ele o pateta com vários nomes que aparece aqui no blog desde as primeiras horas do dia, e vara a madrugada todos os dias escrevendo bobagens e idiotices.
      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkkk
      Vá trabalhar babaca.
      Não perca tempo.
      Bolsonaro tá reeleito.
      Kkkkkkkkkkk

  3. Aqui no Brasil, tem um rebanho que já pode ser imunizado, os que usam argola de ferro na venta, com ferro quente e a vacina da aftosa.
    O pessoal que cuida desse rebanho, pode muito bem trabalhar nessa vacinação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Alemanha, Itália e França alegam “precaução” e proíbem uso da vacina da AstraZeneca

Foto: Gareth Fuller/Pool via AP

Os governos de Alemanha, Itália e França anunciaram nesta segunda-feira que suspenderão o uso da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford. Os três disseram que a medida foi tomada por “precaução”, devido aos relatos de formação de coágulos sanguíneos em pessoas que receberam o imunizante.

Em nota, o governo da Alemanha afirmou que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), o órgão regulador do setor na União Europeia (UE), decidirá “se as novas informações afetarão a autorização da vacina”.

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse que a aplicação do imunizante será suspensa até terça-feira, quando EMA deve se pronunciar sobre os casos de formação de coágulos.

Vários países europeus suspenderam total ou parcialmente a aplicação da vacina da AstraZeneca por causa dos casos de formação de coágulos sanguíneos. A Itália já havia interrompido a aplicação de um lote específico do imunizante na semana passada. Outros países, como o Reino Unido, defenderam a segurança da vacina e mantém seu uso.

Na semana passada, tanto a EMA como a Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que não havia evidências entre a formação dos coágulos e a vacina da AstraZeneca. A OMS recomendou que as doses do imunizante continuem sendo aplicadas normalmente.

Valor

Opinião dos leitores

  1. O que esse povo tem haver com isso? Essa vacina foi colocada por vocês bolsoloides como sendo uma vacina que acabaria com a coronavac da China. Vocês não tem memória mais eu tenho . Mesmo assim, vamos torcer que seja algo solucionavel pro bem de todos.

    1. Falou o zumbi de esquerda.
      Nenhum país desenvolvido usa vacina da China…
      Querendo queimar a vacina britânica e defendendo a chinesa…

  2. Dá para entender um cacete desse? As hienas lulistas conseguem explicar? Já que arrotam as melhores soluções para "a paz, economia, educação, meio ambiente e saúde?"

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Com pandemia em 2020, tombos do PIB na Espanha, França, Alemanha e Japão foram ainda piores que o do Brasil

Foto: Cesar Manso/AFP/Getty Images

PIB da Espanha despencou 11% em 2020, maior queda desde a Guerra Civil

Muito dependente de setores, como turismo e de restaurantes, a Espanha sofreu mais com a pandemia do que outros países desenvolvidos, como França (-8,3%), Alemanha (-5%) e Estados Unidos (-3,5%).

A quarta economia da zona do euro afundou na primeira parte do ano, devido ao rígido confinamento imposto na primavera boreal (outono no Brasil) para conter a primeira onda do coronavírus. A medida incluiu duas semanas de paralisação total das atividades não essenciais.

O desconfinamento levou a uma forte reativação, mas o aparecimento precoce de focos e as consequentes restrições para controlá-los voltaram a frear o crescimento.

Crise sanitária provocou queda recorde de 8,3% no PIB da França em 2020

A França e a Espanha registraram uma recessão massiva em 2020 e quedas recordes do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 de 8,3% e 11%, respectivamente.

A epidemia de Covid-19 levou o governo a restringir a atividade econômica para frear as contaminações, resultando em graves perdas para o país. O consumo teve uma queda de 7,1% no conjunto de 2020. Já o investimento registrou um recuo de 9,8%.

A crise sanitária também perturbou as trocas comerciais. As exportações tiveram uma queda de 16,7% enquanto as importações baixaram em 11,6%.

PIB da Alemanha tomba 5% em 2020 ante ano anterior, na maior queda desde 2009

Altamente impactado pela crise do novo coronavírus, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha tombou 5% em 2020 em relação ao ano anterior, apontou a Destatis, agência oficial de estatísticas do país. Trata-se da maior queda desde 2009, quanto a economia do país encolheu 5,7%, na esteira da crise financeira mundial. Desde então, a Alemanha não registrava PIB negativo.

Segundo comunicado da Destatis, a crise da covid-19 deixou “marcas claras” em quase todos os setores da economia da Alemanha. “A desaceleração econômica foi particularmente evidente nos setores de serviços. Alguns registraram quedas mais severas do que nunca. Um exemplo é o setor combinado de comércio, transporte e hospitalidade, cuja produção , ajustada pelo preço, foi 6,3% menor do que em 2019”, aponta a instituição.

Terceira maior economia do mundo tomba 4,8% em 2020

A economia japonesa encolheu 4,8% no ano de 2020, segundo dados oficiais preliminares divulgados nesta segunda-feira (15). Foi a primeira retração desde a crise financeira de 2009.

Com informações do G1, UOL e Infomoney

Opinião dos leitores

  1. Mas para os ESQUERDOPATAS somente o Brasil teve queda do PIB.
    Graças ao Presidente estamos conseguindo atravessar essa pandemia sem a destruição total da nossa economia. Apesar da mídia lixo trabalhar todo dia pelo FIQUE EM CASA, que usado sem critério só serve para destruir as empresas e os empregos, levando todos à miséria.

  2. É neh?
    Uma coisa são os efeitos considerando o peso da queda de 5% do PIB da Alemanha, um país Rico. Outra coida são os efeitos considerando o peso de uma queda de 4% do Brasil.
    Com esse presidente logo logo no Brasil só vai sobrar gemidos e ranger de dentes.

  3. Descalabro esse governo na saúde, educação, segurança, meio ambiente e economia. Nunca antes na história desse país

    1. Assim como nunca antes na história desse país tivemos um presidente que arrombou o cofres públicos, como fez o Lulitro 51!

  4. A diferença que os países acima citados fizeram lockdow para freiar o vírus e agora já tem vacinação bem mais avançada que o Brasil, aqui ficou meia-boca e a vacinação está a conta-gotas…não temos luz no fim do túnel…lá tem.

  5. O fato é que país nenhum no mundo, fez o que o nosso presidente Bolsonaro fez aqui.
    Segurou o taco.
    Ô vêi macho da gota serena.
    É cru!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça da França condena ex-presidente Sarkozy a 3 anos de prisão

Foto: Reprodução/CNN Brasil

Os juízes da França consideraram o ex-presidente Nicolas Sarkozy culpado por tentar subornar um juiz e usar a sua prerrogativa política para exercer tráfico de influência. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (1) e o condena a três anos de prisão, com dois anos de suspensão.

Sarkozy, que liderou a França de 2007 a 2012, negou qualquer irregularidade, dizendo que foi vítima de uma caça às bruxas por promotores financeiros que usaram meios excessivos para bisbilhotar seus negócios.

Aposentado da política, mas ainda influente entre os conservadores, Sarkozy tem 10 dias para apelar da decisão.

Ele é o segundo ex-presidente da França moderna, depois do falecido Jacques Chirac, a ser condenado por corrupção.

Os promotores convenceram os juízes de que Sarkozy se ofereceu para garantir um emprego com bos benefícios em Mônaco para o juiz Gilbert Azibert em troca de informaçõ

es confidenciais sobre uma investigação sobre alegações de que ele havia aceitado pagamentos ilegais da herdeira do L’Oreal Liliane Bettencourt por sua campanha presidencial de 2007.

Isso veio à tona, eles disseram, enquanto conversavam por escuta telefônica entre Sarkozy e seu advogado Thierry Herzog depois que Sarkozy deixou o cargo, em relação a outra investigação sobre o suposto financiamento líbio da mesma campanha.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente francês, Emmanuel Macron, testa positivo para covid-19 e fica em isolamento

Foto: Omer Messinger/EFE/direitos reservados

O presidente francês, Emmanuel Macron, teve resultado positivo para covid-19, informou a Presidência francesa nesta quinta-feira (17), mas não se sabe de imediato onde ele contraiu o vírus.

“O presidente da República foi diagnosticado positivo para covid-19 hoje”, disse o gabinete presidencial em comunicado. “Este diagnóstico foi feito após um teste de PCR realizado no início dos primeiros sintomas.”

A Presidência informou ainda que Macron iria se isolar pelos próximos sete dias e continuaria a governar o país remotamente. Uma porta-voz disse que todas as viagens do presidente foram canceladas, incluindo uma visita ao Líbano em 22 de dezembro.

O gabinete acrescentou que está tentando avaliar onde Macron pode ter contraído o vírus.

O presidente participou de uma reunião de chefes de Estado do Conselho Europeu em 10 e 11 de dezembro.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, também vai se isolar depois de entrar em contato com Macron nos últimos dias, disse Gerard Larcher, chefe do Senado francês.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

França ordena o abate de seis mil patos atingidos por gripe aviária no país

(Foto: Reprodução/Twitter)

Um plantel com 6.000 patos contaminado pelo vírus H5N8, causador da gripe aviária, na cidade de Bénesse-Maremne, no departamento de Landes, sudoeste da França, foi abatido por ondem do governo francês. Esta é a primeira contaminação pelo vírus num rebanho no país. O Ministério da Agricultura francês confirmou a informação nesta terça-feira (08/12), sabendo que uma grande mortalidade de animais foi constatada numa fazenda no dia 05 de dezembro. Com isso, a prefeitura da cidade ordenou o sacrifício dos patos no dia 6 de dezembro.

Um primeiro surto de influenza aviária altamente patogênica foi detectado em uma loja de animais em Haute-Corse em 16 de novembro. Três dias depois, em 19 de novembro, houve um novo alerta, desta vez nas Yvelines, ainda em uma loja de animais. Desde então, o vírus também foi encontrado na vida selvagem, em um ganso-craca em Loire-Atlantique e em três cisnes em Meurthe-et-Moselle.

No dia 25 de outubro, o governo começou a alterar sobre o risco de introdução do vírus no território por aves migratórias. O nível de alerta foi gradualmente elevado, quando diversas ocorrências de H5N8 foram registradas em países vizinhos como Alemanha, Dinamarca, Holanda e Reino Unido. O aparecimento do vírus H5N1 na Córsega colocou todo o território nacional em risco, impondo uma vigilância apertada e restrições.

Com isso, a indústria deve cumprir rigorosas medidas de biossegurança. Os criadores de galinhas, patos, perus ou proprietários de quintais devem confinar suas aves ou instalar redes para evitar o contato com pássaros silvestres. Estão proibidas, ainda, coletas de aves vivas em mercados ou feiras, bem como o transporte e soltura de aves de caça pelos caçadores onde a prática é permitida.

Globo Rural

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

França diz que vacinação contra o novo coronavírus será gratuita e poderá começar em janeiro

Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

O ministro da Saúde da França, Olivier Véran, disse nesta terça-feura (17) que se a vacina da Pfizer contra o novo coronavírus for eficaz e segura, a vacinação no país será gratuita e deverá começar no início do próximo ano.

“Se forem validadas, teremos as primeiras vacinas no início do ano”, explicou Véran, em entrevista ao canal BFMTV, acrescentando estar confiante de que a Pfizer e sua parceira BioNtech transmitirão às agências de saúde todos os dados experimentais “até daqui a três semanas”, para serem examinados.

O ministro também lembrou que a Comissão Europeia já fez uma pré-encomenda, que implica o equivalente a cerca de 30 milhões de doses para a França, e que a administração das vacinas será gratuita, assim como os testes de detecção de covid-19.

Olivier Véran recusou-se a avançar com datas para a reabertura do comércio e a comentar informações divulgadas por alguns meios de comunicação, que indicam que o governo analisa a hipótese de manter os bares e restaurantes fechados até meados de janeiro.

“Queremos reabrir as lojas em boas condições para não termos de as fechar novamente”, disse, recusando repetidamente apontar datas concretas.

O ministro da Agricultura, Julien Denormandie, avançou, entretanto, em entrevista à Rádio RMC, que vai ser autorizada, a partir da próxima sexta-feira (20), a venda de árvores de Natal, mas apenas em espaços abertos.

A França está em regime de confinamento domiciliar desde 30 de outubro, devendo a condição durar até, pelo menos, 1º de dezembro, mas o governo já avisou que algumas restrições serão mantidas além dessa data, continuando a ser obrigatório utilizar documentos de autorização para fazer viagens e mantendo-se o fechamento de bares e restaurantes.

A França contabiliza cerca de 45 mil mortos devido à covid-19 desde o início da pandemia e, apesar de os indicadores de disseminação do vírus estarem melhorando no país, o primeiro-ministro sinalizou, na segunda-feira, a vários líderes religiosos que as celebrações só devem voltar a ser autorizadas a partir de 1º de dezembro.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.319.561 mortos, resultantes de mais de 54,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo balanço da agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no fim de dezembro de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Agência Brasil, com RTP

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Atentando terrorista em Nice, na França: entre mortos, uma das vítimas foi decapitada

Foto: Eric Gaillard/Reuters

Uma das três vítimas no atentado na basílica Notre-Dame de l’Assomption, em Nice, na França, desta quinta-feira (29) foi decapitada, afirmam os veículos internacionais.

Segundo a Reuters, o autor do ataque teria gritado “Allahu Akbar” antes de matar três pessoas. A informação foi confirmada pela polícia. O homem foi baleado pelos agentes e levado em estado grave para o hospital.

O prefeito de Nice, Christian Estrosi, chamou o ataque de atentado terrorista e disse pelo Twitter que o agressor teria gritado a frase, comumente usada por jihadistas antes de ataques e que significa “Deus é maior”.

Duas das vítimas foram mortas dentro da igreja, sendo uma delas o diretor do templo. Uma mulher conseguiu escapar de dentro da igreja, mas foi morta em um bar na frente do prédio.

“O suspeito de agressão com faca foi baleado pela polícia quando estava sendo detido, ele está a caminho do hospital, ele está vivo”, disse o prefeito a jornalistas.

“Já basta”, disse Estrosi. “Está na hora da França se exonerar das leis da paz para definitivamente erradicar o fascismo islâmico de nosso território.”

R7, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. A conversinha globalista de receber todos e todas as culturas só podia dar nisso.
    Os muçulmanos possuem visão própria e sem qualquer possibilidade de coincidência com os valores ocidentais.
    O que para nós é liberdade para eles é um insulto.
    O que para nós resolve-se no Judiciário para eles…
    Agora aguentem porque quem cria cobra termina picado por uma.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ataque a faca deixa mortos e feridos na Basílica de Nice, na França

Forças de segurança em área isolada em frente à Basílica de Notre-Dame de Nice, na França, após ataque a faca — Foto: Eric Gaillard/Reuters

Um ataque a faca deixou três mortos e vários feridos na manhã desta quinta-feira (29) na Basílica Notre-Dame de Nice e arredores, na França.

O prefeito da cidade, Christian Estrosi, afirmou que um suspeito foi baleado e preso, classificou o ataque como terrorismo islâmico e disse que o homem gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande).

Segundo a imprensa local, uma vítima foi decapitada e o suspeito está internado em estado grave.

Onda de ataques

Poucas horas depois, a polícia francesa matou um homem que ameaçou pessoas com uma arma em Montfavet, perto da cidade de Avignon, no sul do país. Ele também gritou “Allahu Akbar”, segundo uma rádio.

Na Arábia Saudita, a televisão estatal noticiou que um suspeito foi preso na cidade de Jeddah após atacar e ferir um guarda do consulado francês.

A embaixada francesa no país disse que o consulado foi alvo de um “ataque a faca contra um guarda” e informou que a vítima foi levada ao hospital e não corre perigo de vida.

A França tem sofrido uma onda de ataques desde a morte de Samuel Paty, professor que mostrou uma charge de Maomé em uma aula sobre liberdade de expressão (veja mais abaixo).

Após o incidente em Nice, a Assembleia Nacional da França interrompeu uma sessão que discutia medidas para combater a Covid e fez um minuto de silêncio pelas vítimas.

O prefeito de Nice afirmou que “é hora de a França se exonerar das leis da paz para erradicar definitivamente o islamo-fascismo de nosso território”.

A Procuradoria antiterrorismo do país abriu uma investigação sobre o incidente, que ocorreu por volta das 9 horas (6 horas no horário de Brasília).

O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, anunciou uma reunião de crise com a presença do presidente Emmanuel Macron, que depois deve ir para a cidade.

Ataques na França

A basílica fica no coração da cidade da Riviera Francesa, que já tinha sido alvo de um ataque terrorista com 84 mortos em 2016.

Na ocasião, um caminhão atropelou diversas pessoas que assistiam à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, o Dia da Bastilha.

O Passeio dos Ingleses, onde ocorreu o ataque de 2016, fica a cerca de 1 quilômetro da basílica.

O ataque desta quinta ocorre 13 dias após a decapitação de Samuel Paty, mas ainda no está claro se há conexão entre ambos.

A charge mostrada por Paty era da revista satírica “Charlie Hebdo”, que também foi alvo de um atentado terrorista em 2015. Por questões de segurança, a redação do periódico mudou para um local não informado após o atentado.

Em setembro de 2020, um outro atentado terrorista deixou duas pessoas gravemente feridas perto do local onde funcionava a antiga redação do “Charlie Hebdo”. O ataque ocorreu na época do julgamento de 14 acusados de cumplicidade pelo atentado de 2015.

Caricaturas do profeta Maomé são considerados blasfêmia pelos muçulmanos.

A morte de Paty causou comoção em toda a França. Milhares saíram às ruas em Paris para homenagear o professor, que recebeu a maior honraria do governo francês, a “Legion d’Honneur”. No funeral, Macron afirmou que “não renunciaremos às caricaturas”.

“Nós continuaremos, professor. Nós defenderemos a liberdade que você ensinava tão bem e nós levaremos a laicidade. Nós não renunciaremos às caricaturas e aos desenhos”, afirmou Macron.

Reação muçulmana

A dura resposta da França, no entanto, levou a reações contrárias em diversos países de maioria muçulmana.

No fim de semana, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, criticou duramente Macron e afirmou que o líder francês precisava de um exame de saúde mental. Em retaliação, a França convocou seu embaixador em Ancara.

Na segunda-feira (26), o presidente turco pediu um boicote aos produtos franceses. Macron rebateu dizendo que redobraria os esforços para impedir que as crenças islâmicas conservadoras subvertessem os valores franceses.

A declaração irritou muçulmanos, e diversos países registraram protestos contra a França.

Na quarta-feira (28), Erdogan afirmou que os países ocidentais que atacam o islamismo querem “relançar as cruzadas” e que permanecer contra os ataques a Maomé era “uma questão de honra para nós”.

O presidente do Egito, Abdel-Fattah al-Sisi, afirmou que a liberdade de expressão deveria parar de ofender mais de 1,5 bilhão de pessoas, mas ressaltou que rejeitava qualquer forma de violência ou terrorismo, de qualquer pessoa, em nome da defesa da religião, de símbolos religiosos ou de ícones.

Defesa à França

Em meio à escalada de tensão, o chanceler da Grã-Bretanha, Dominic Raab, pediu aos aliados da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que se posicionem do lado dos valores da tolerância e da liberdade de expressão.

A declaração foi uma repreensão velada à Turquia, que é membro da Otan. “O Reino Unido se solidariza com a França e o povo francês após o terrível assassinato de Samuel Paty”, disse Raab em um comunicado. “O terrorismo nunca pode e nunca deve ser justificado.”

“Os aliados da Otan e a comunidade internacional em geral devem estar ombro a ombro com os valores fundamentais da tolerância e da liberdade de expressão, e nunca devemos dar aos terroristas o presente de nos dividir”, afirmou Raab.

Nesta quinta-feira (29), o presidente do Parlamento europeu, David Sassoli, disse estar “profundamente comovido” com o ataque em Nice, afirmou que “a dor é sentida por todos na Europa” e pediu unidade “contra a violência e quem incita e propaga o ódio”.

‘Respeito mútuo’

Já o Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações, o espanhol Miguel Ángel Moratinos, fez um apelo na quarta-feira (28) “respeito mútuo por todas as religiões e crenças”.

Em comunicado, a agência da ONU disse que Moratinos “acompanha com grande preocupação as crescentes tensões e casos de intolerância desencadeados pela publicação de caricaturas satíricas do profeta Maomé, que os muçulmanos consideram um insulto e profundamente ofensivo”.

“Insultar religiões e símbolos religiosos sagrados provocam ódio e extremismo violento, levando à polarização e fragmentação da sociedade”, afirmou Moratinos, que já foi ministro de Relações Exteriores da Espanha.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Islâmico matando cristão – CRISTOFOBIA.
    Mas segundo os democratas da esquerda, isso não existe, é radicalismo, só porquê 01 islamita matou 03 cristãos.
    Mas se fosse 01 cristão causando algum mal a 01 islamita, estariam na mídia berrando contra a "islamofobia". Triste mundo invertido que está sendo criado pela minoria da esquerda e a maioria da direita omissa e calada.

    1. O Sr. Se revoltou quando Bush invadiu o Iraque, matou centenas de civis inocentes, com pretesto mentiroso que eles tinham armas de destruição em massa?
      O Sr. Se revolta quando o ESTADO de Israel oprimi e mata civis e crianças palestinas que querem suas terras de volta?
      A conta chega infelizmente em forma de terrorismo.

    2. A França está colhendo o que plantou….recebeu centenas de refugiados da África , todos do Islã ,
      ja existem bairros inteiros em Paris , onde cristão não entra , polícia não entra …A Xaria , lei severa do islamismo é utilizada.
      Quanto a invasão dos USA no Iraque , foi uma retaliação contra o ataque ao KUWAIT e ao solo americano em 11-09…..e Israel , defendo o seu território dos ataques dos terroristas do HAMAS que ficam instalados na Palestina e utiliza o povo como escudo.

    3. Vendo vcs defendendo o islã vejo que não sabe de nada, Só por não ser mulçumano vc para eles merecem morrer. Todos que não se converterem ao islã são considerados infies e a morte é punição. Abram os olhos. Não sou eu que falo. São eles que falam isso.

  2. Querem fazer chacota de religião dos outros, chacota essa que nunca teve a MENOR graça, agora aguente. Quem fala o que quer…

    1. Chacote de Cristo tá liberado né? Mas se faz chacota de Mohammed vc acha justo a reação de violência.

    2. Quem defende o islamismo ainda não percebeu que onde eles mandam as mulheres têm que andar com o rosto coberto por uma burca, sob pena de serem chicoteadas. Vão aprender na prática quando eles estiverem mandando aqui.

    3. Quando é o escárnio com Jesus Cristo no carnaval carioca, é liberdade de expressão. Quando desfilam nas paradas e simulam sexo com o Crucifixo é engraçadinho, não tem nada demais……será que mereceriam um ataque com facas, também?

  3. É curioso que esse povo muçulmano faz isso na Europa, mas não se atreve a fazer na Arábia Saudita ou no Irã. Mácron está certo em detonar os radicais islâmicos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Mourão cita desmatamento na Guiana Francesa após França se opor a acordo UE-Mercosul

Foto: Adriano Machado

Hamilton Mourão criticou há pouco a oposição que a França anunciou contra o acordo entre a União Europeia e o Mercosul, por causa dos desmatamento no Brasil.

O vice-presidente disse que a Guiana Francesa, departamento ultramarino que a França possui na América do Sul, também tem registros de desmatamento e mineração ilegal.

“É uma opinião do primeiro-ministro francês de que o acordo Mercosul-União Europeia não deve ser ratificado pelo parlamento francês pela questão desmatamento. Ora, vamos lembrar que na Guiana Francesa nós temos garimpo ilegal e temos desmatamento, é uma província francesa, mas não vou colocar a discussão nesse nível, essa é aquela discussão do nível baixo.”

E acrescentou:

“Existem problemas? Existem, mas não é um problema generalizado da forma como se coloca. A questão dessas ilegalidades, ela ocorre praticamente nas áreas antropizadas da Amazônia, a maioria delas há mais de 20 anos, 30 anos ocupada por propriedades rurais.”

O Antagonista

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Neymar fica no Brasil e tem futuro incerto sem futebol na França

Foto: Reprodução Instagram

Depois da confirmação de que a temporada 19/20 não voltará, o futuro de Neymar no Paris Saint-Germain permanece incerto. Após a abertura da janela de transferências, o nome do brasileiro deve ser ligado ao Barcelona, clube que tentou a sua contratação no início do ano.

Até ontem, o roteiro era diferente. Neymar logo retornaria à França. O jogador está no Brasil, confinado com seus familiares. O treinamento da equipe parisiense retornaria em 11 de maio. A volta dele ao clube seria o momento para oferecer uma renovação, mas ele não parece muito disposto a aceitar.

O camisa 10 do Paris Saint-Germain quer mudar de ares. O Barcelona deve investir na contratação do brasileiro. Porém, com o cancelamento da temporada, o jornal ‘SPORT’ de Barcelona informa que Neymar vai seguir no Brasil e as negociações sobre seu futuro serão adiadas novamente.

Lance

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

França mantém proibição a esportes coletivos, e primeiro-ministro diz: “Temporada 2019/20 não poderá ser retomada”

Edouard Philippe, primeiro-ministro da França, indicou que temporada não poderá ser concluída — Foto: AFP

Depois de Bélgica e Holanda decidirem interromper seus campeonatos prematuramente, o Campeonato Francês deve ser a primeira grande liga da Europa a tomar a mesma medida drástica. Em entrevista coletiva nesta terça-feira, o primeiro-ministro da França, Edouard Philippe, afirmou que os esportes coletivos seguirão proibidos no país e cravou não haverá possibilidade de conclusão das competições iniciadas no ano passado.

– A temporada 2019/20 dos esportes profissionais, especialmente o futebol, não poderá ser retomada – resumiu.

Desta forma, a Federação Francesa e a Liga de Futebol Profissional (LFP) do país ficariam sem opções para concluir os jogos restantes do calendário em tempo hábil e seriam forçadas a interromper as competições, uma vez que a Uefa pretendia que a temporada fosse encerrada até o fim de agosto, para não prejudicar o calendário de 2020/21. Entretanto, federação e liga ainda não se manifestaram para oficializar o cenário.

Haveria apenas uma alternativa para que a liga não fosse encerrada prematuramente: a retomada dos jogos no fim de agosto ou início de setembro, adiando o início da temporada 2020/21. Esse cenário, entretanto, entraria em conflito com um possível calendário europeu a ser determinado pela Uefa.

A decisão do governo ainda poderia afetar o início da próxima temporada, com a realização de jogos sem público nas primeiras rodadas. E também poderia impedir que o PSG realizasse partidas da Liga dos Campeões no país – o time está classificado para as quartas de final. Pouco antes da entrevista do primeiro-ministro, a rádio “RMC” publicou em seu que o restante da Ligue 1 e suas divisões inferiores seria cancelado, restando as decisões acerca de campeões, classificações para torneios europeus e rebaixamento/acesso.

O Campeonato Francês foi suspenso ao fim da 28ª rodada, na primeira semana de março, tendo o PSG como líder com 68 pontos, 12 a mais que o Olympique de Marselha. O Rennes, terceiro colocado, completava a zona de classificação para a Champions, e o Lille, quarto, ficaria com a única vaga da Liga Europa. O Nimes, 18º, disputaria um playoff para não ser rebaixado, enquanto Amiens e Toulouse cairiam direto para a segunda divisão.

A Uefa modificou sua postura quanto ao possível encerramento prematuro das ligas nacionais na última semana, diante da força que a pandemia do novo coronavírus ainda apresente em alguns países europeus. Inicialmente, a confederação afirmou que não permitiria que os torneios fossem finalizados sem a realização dos jogos restantes e chegou a ameaçar países que tomasse tal decisão com a exclusão de competições continentais.

Mas após uma semana de reuniões com as federações, representantes dos clubes e do sindicato de jogadores, a Uefa mudou o tom e indicou que questões econômicas ou de saúde pública poderiam levar à interrupção ou mudança no formato das ligas. Foram duas as “razões legítimas” indicadas pela confederação como aceitáveis para tal cenário.

Existência de uma ordem oficial que proíba eventos esportivos e impeça que as competições domésticas possam ser concluídas antes de uma data que permita encerrar a temporada atual em tempo hábil antes do início da próxima;

Problemas econômicos intransponíveis que impossibilitem o término da temporada, pois colocariam em risco a estabilidade financeira de longo prazo da competição e/ou dos clubes nacionais.

Ao falar dos esportes, o primeiro-ministro francês indicou que estará permitida a prática de esportes individuais em lugares não-cobertos em dias ensolarados. Qualquer esporte em equipe ou de contato seguem vetados, assim como atividades em locais fechados. Praias ficarão fechadas até o dia 1º de junho, e grandes eventos – com mais de 5 mil pessoas – só poderão ser realizados a partir de setembro, precisando de autorização do governo.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Emmanuel Macron estende quarentena na França até maio

Foto: Christian Hartmann/Reuters

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou nesta segunda-feira (13) que as medidas de isolamento social mais restritivas contra o novo coronavírus continuarão em vigor até 11 de maio, ao menos. O país está em quarentena praticamente completa desde 16 de março.

Em pronunciamento, Macron disse que 11 de maio marcará o primeiro passo da reabertura do país, com a reabertura progressiva de creches e escolas. No ensino superior, as aulas presenciais só serão retomadas no verão. O presidente ainda admitiu que precisará reforçar os testes para a Covid-19.

O anúncio do presidente francês foi feito no mesmo dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinou critérios para relaxar as medidas de isolamento contra o novo coronavírus (leia mais no fim da reportagem).

Macron também pediu que empresas de seguros trabalhem para garantir a sobrevivência dos negócios na França. O presidente francês ainda afirmou que vai trabalhar em um plano específico para os setores mais afetados pela pandemia, como turismo, hotelaria e entretenimento.

“Eu pedi ao governo que fornecesse, sem atraso, uma ajuda excepcional às famílias mais modestas com crianças e aos estudantes em situação mais precária”, afirmou.
No discurso, Macron ainda anunciou a intenção de, em conjunto com outros países europeus, perdoar as dívidas de países africanos como forma de ajudar o combate à Covid-19 no continente.

Dados da Universidade Johns Hopkins mostram que a França registra mais de 137 mil casos confirmados do novo coronavírus. O número de mortos pela Covid-19 no país passa de 14 mil.

OMS lança critérios para reabertura

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reforçou, nesta segunda-feira (13), os critérios que países devem analisar antes de suspender o isolamento como forma de combate à Covid-19:

a transmissão da Covid-19 deve estar controlada;

o sistema de saúde deve ser capaz de detectar, testar, isolar e tratar todos os casos, além de traçar todos os contatos;

os riscos de surtos devem estar minimizados em condições especiais, como instalações de saúde e casas de repouso;
medidas preventivas devem ser adotadas em locais de trabalho, escolas e outros lugares aonde seja essencial as pessoas irem;

os riscos de importação devem ser administrados;

as comunidades devem estar completamente educadas, engajadas e empoderadas para se ajustarem à nova norma.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *