Sisu: nota de corte parcial mais alta de medicina é da UFRN, no campus de Caicó, com 891,29 pontos

A nota de corte parcial mais alta do Sistema de Seleção Única (Sisu) para medicina é da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no campus de Caicó: 891,29 pontos.

Dos 85 cursos dessa carreira ofertados, o que apresenta nota de corte mais baixa é o da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, em Santo Antônio de Jesus – 752,26 pontos. A comparação tomou como base as vagas de ampla concorrência – ou seja, as que não envolvem cotas raciais ou sociais.

Todos os dias, até sexta-feira (27), a 1h da madrugada, o sistema disponível em http://sisu.mec.gov.br/ atualizará as notas com base no desempenho dos inscritos. Se uma universidade disponibiliza 10 vagas, por exemplo, a nota de corte será a de quem tiver o décimo melhor desempenho, entre aqueles que se candidataram.

O sistema revela estas notas para que os estudantes possam estimar se possuem alguma chance de serem aprovados em cada instituição de ensino.

Top 10 – ampla concorrência

UFRN – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – 891,29
UNIPAMPA – FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA – 869,71
UNB – UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – 830,09
UFPR – UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ – 826,54
UFPE – UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – 822,97
UFRJ – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO – 820,48
UFAL – UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS – 819,61
UFSC – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – 814,42
UFOP – UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – 812,21
UFMG – UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS – 809,42
UEMG – UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS – 809,25
UFTM – UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO – 805,2
UFRJ – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO – 802,33
UFF – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – 802,26
UFJF – UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – 802,02

Notas de cotas sociais e raciais mais altas

Considerando as notas de corte parciais das vagas que envolvem algum tipo de cota em medicina, a mais alta também é da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: 891,29, mesma pontuação da ampla concorrência.

A categoria que exige esta nota é para candidatos que concluíram o ensino fundamental e cursaram todo o ensino médio em escolas públicas ou provadas das microrregiões de Borborema Potiguar-RN, Seridó Ocidental-RN, Seridó Oriental-RN, Agreste Potiguar-RN, Angicos-RN, Serra de Santana-RN, Vale do Açu-RN, Catolé do Rocha-PB, Curimataú Ocidental-PB, Curimataú Oriental-PB, Patos-PB, Seridó Ocidental Paraibano-PB, Seridó Oriental Paraibano-PB ou Sousa-PB. Estes candidatos recebem 20% de bônus na nota do Enem 2016.

A segunda nota mais alta também é de cota regional: 869,71 pontos, na Unipampa. Em terceiro lugar, estão as vagas para “candidato de cor preta ou parda e com traços fenotípicos que o caracterizem como negro”, na Universidade de Brasília (UNB), no campus universitário Darcy Ribeiro.

Notas de cotas sociais e raciais mais baixas

A nota de corte parcial mais baixa para cotas do curso de medicina é da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS): 666,9 pontos, para indígenas. A segunda mais baixa é da Unipampa, para autodeclarados pretos, pardos e indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham feito ensino médio em escola pública – 671,98 pontos.

Globo