Saúde

SP anuncia calendário de vacinação a público entre 60 e 64 anos

Calendário de vacinação atualizado pelo governo estadual nesta quarta — Foto: Reprodução/Governo de SP

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (14) que idosos de 63 e 64 anos serão vacinados contra a Covid-19 a partir do dia 29 de abril. A expectativa é a de imunizar 840 mil pessoas dessa faixa-etária.

Já a população com 62, 61 e 60 anos deve começar a ser imunizada no dia 6 de maio. Desse grupo, cerca de 1,4 milhão de pessoas devem ser vacinadas em todo o estado.

Segundo o governador João Doria (PSDB), o cumprimento do cronograma, entretanto, depende majoritariamente do recebimento da vacina Oxford/AstraZeneca, produzias pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Estamos avançando e precisamos reforçar que, para a faixa etária de 65 a 60 anos, como o governador acabou de falar, nós aguardamos que o Ministério da Saúde nos envie, de acordo com o cronograma que já foi enviado a todos os estados, a vacina da Fiocruz”, explicou a Coordenadora Geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane Cardoso de Paula.

Ainda de acordo com Regiane, a maioria dessa população será imunizada com a vacina da Fiocruz.

No dia 21 de abril, conforme anunciado na semana passada, o estado começa a vacinação para a população de 65 e 66 anos.

De acordo com a gestão estadual, a expectativa é a de vacinar 760 mil da população entre 65 e 66 anos.

O pré-cadastro da vacina também pode ser feito pelo aplicativo WhatsApp. Para preencher o formulário por meio do aplicativo, é necessário mandar uma mensagem para o número: (11) 95220-2923.

Público-alvo

No sábado, o estado iniciou a vacinação dos profissionais de educação com 47 anos ou mais.

Desde segunda-feira (12), idosos de 67 anos podem receber a primeira dose do imunizante nas unidades de saúde de todo o estado.

Também já fazem parte do grupo prioritário os policiais e demais servidores da área da segurança pública começaram a ser vacinados no estado.

Histórico da vacinação

A vacinação contra a Covid-19 começou no Brasil em 17 de janeiro, logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, foi a primeira pessoa, fora dos estudos clínicos, a receber a vacina.

O Programa Nacional de Imunização (PNI) brasileiro teve início no dia 18 de janeiro, e começou a ser feito após a distribuição das 6 milhões de doses da CoronaVac importadas já prontas da China.

No estado de São Paulo, a vacinação começou com profissionais de saúde da linha de frente no combate ao coronavírus, indígenas, quilombolas e idosos que viviam em instituições e foi avançando conforme a chegada de vacinas.

Vacinômetro

De acordo com o último balanço da Secretaria Estadual de Saúde, atualizado até 13h03 desta quarta-feira (14), 8.262.320 doses de vacinas contra a Covid-19 foram aplicadas no estado.

Dessas, 5.787.906 correspondem a aplicações de primeira dose e 2.474.414 de segunda dose.

G1

Opinião dos leitores

  1. Essa é a grande diferença de um país de futuro, bandidos morrem na cadeia, aqui no Brasil é bem diferente, criminosos e corruptos ladrões são inocentados pela suprema corte e vão usufruir a vida utilizando o produto do roubo, e ainda são idolatrados por uns fdp idiotas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *