Vacinação adiantada de Doria divide governadores e gera mal-estar em grupo de WhatsApp

A decisão de João Doria (PSDB-SP) de aplicar a primeira vacina nesse domingo (17) gerou mal-estar. Em grupo de WhatsApp de governadores, Wellington Dias (PT-PI) disse que a atitude foi lamentável. “O entendimento sempre foi o Brasil numa mesma data. Um estado coloca os demais como de segunda categoria”, escreveu.

A insatisfação chegou a Eduardo Pazuello (Saúde), que sentiu confiança para convidar governadores a um ato simbólico nesta segunda-feira (18).

Até o fim da noite, Doria não tinha respondido no grupo. Nos bastidores, governadores se dividiram. Alguns dizem ter sido uma atitude previsível do tucano, de explorar politicamente os efeitos do acerto de ter apostado na ciência e na vacina contra o negacionismo de Jair Bolsonaro e seu ministro. Outros endossaram a crítica.

Na visão de parte do grupo, a ação do governador paulista deu sobrevida a Pazuello. Quem não concordou decidiu ir para o lado do enfraquecido ministro com a justificativa de que devem todos se unir ao plano nacional de imunização.

Quem criticou Doria diz que o ato convocado pelo titular da Saúde estará maior por causa da insatisfação gerada. Alguns deles tinham o mesmo discurso de Pazuello: a vacina é do SUS, não de SP. Convidado para a cerimônia, Doria enviará o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) em seu lugar.

Desde o início da pandemia, o governador de São Paulo tomou a liderança em medidas que observavam a ciência, enquanto o presidente da República tentava minimizar a pandemia.

De um lado, Doria apostou em ações de isolamento social da população, seguindo orientação de especialistas, e, de outro, passou levantar a bandeira da vacina. Virou, assim, o maior contraponto a Bolsonaro, tendo apoio também de colegas governadores.

Painel – Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Claudio disse:

    É cada comentário bosta! Como se calça apertada fosse um jesus. Anvisa fala que a coronavac não vale merda mesmo assim liberou. Tem tbm a Oxford que é mais eficaz e só falam na coronavac, tudo politicagem! Tá chegando carnaval kkkkk

  2. Rodrigo disse:

    O Doria apostou na ciência segundo o texto certo? Quais os números da Pandemia em São Paulo? Melhores que o resto de Brasil?

  3. André Pinto disse:

    só criticou Dória os governadores "CALÇA FOLOTES" que são incompetentes e só vão vacinar os seus cidadãos por causa da persistência do governo de São Paulo. Porque se fossem depender do rascunho de presidente, terminava o ano e ninguém se vacinava.

    Da mesma forma, esses incompetentes não criticam o desgoverno que chegou a envelopar um avião para nada, porque ia buscar uma vacina que a índia não vendeu.

    Mas a inveja mata… tome cuidado para não se contaminar.

    Da próxima sejam competentes e façam como Dória… trabalhe.

  4. Bruno disse:

    N gosto de doria mas ele foi o cara sim. Agiu como presidente sim.

  5. Japiense disse:

    1Cara de atitude. Não ficou esperando a (in)ação do governo federal. AGIU!

  6. Cabo Silva disse:

    PRESIDENTE MOSTRA CLOROQUI A A EMAS NO PALÁCIO.

    DORIA VACINA!

  7. Vitor disse:

    Esse calça colada é um palhaço. 100% politicagem. Cadê os dados completos? O PCC não permite. A garota propaganda já tomou a terceira dose. Mas já que é caldo de batata, tá tudo certo kkk

  8. Jailson disse:

    Incompetência extrema desse governo Bolsonaro militar.

    • Fernando Palhares disse:

      Verdade, competente eram os governos anteriores que faziam da corrupção a moeda de apoio comprando a mídia, congresso, empresas e financiava as ditaduras de Cuba, Venezuela e tantas outras. Competente era o governo anterior que produzia um escândalo de corrupção por mês e levou as empresas públicas a operar no vermelho por anos

  9. Argemiro Firmino Linhares disse:

    Não vou defender nem atacar ninguém, mas existem situações peculiares nessa pandemia.
    Qual governador ficou a frente da PROIBIÇÃO NO USO DA IVERMECTINA, CLORIQUINA e ZINCO? Qual estado brasileiro tem o maior número de mortes com covid 19? Qual governador tem dado espetáculo na mídia, fazendo da pandemia uma irresponsável disputa política?
    Qual a UNICA vacina que teve propaganda da mídia e foi defendida por 01 governador? Qual o governador, que MESMO SEM COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA e testes DEFENDEU e COMPROU antecipadamente uma vacina?
    Se essas perguntas tiverem apenas 01 NOME como resposta, fica a dita: "PIOR CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VÊ e SE DEIXA MANIPULAR".

    • João Maria disse:

      Parabéns pelo comentário, Argemiro!

    • Waldemir disse:

      Parabens pelo comentário
      Si para acrescentar por que ele fez de tudo para nao entregar os 6 milhões de dose que tinga em SP
      R É por que nao tinha 6 milhões duvido que tinha e duvido que vai vacinar o numero de pessoas que ficou de vacina lá

    • Ignácio disse:

      Quem comprou foi o SUS.
      A vacina é do SUS, não é de São Paulo.
      Satisfeito??
      Esse Doria é um canalha discarado, faz da desgraça alheia, uma politicagem sebosa.
      Essa a verdade.
      Desde o início que ele faz essa presepada, tentando abafar o aumento dos impostos.
      Um cara desses não serve pra presidir um país.
      É um safado.
      Vota quem quer, mas sabendo quem ele é.
      É um Fanfarrão!!

  10. Arly Araujo disse:

    O choro é livre. Queria que minha Governadora também pulasse a frente e começasse logo a vacinação. Farinha pouca meu pirão primeiro. Quero ver o morador de São Paulo reclamar. Cambada de babacas quem critica. Ele bancou a vacina do Butantã, então ele que receba os louros e Bolsonaro que se lasque.

  11. Jose de Arimatea Lopes Fernandes disse:

    Dória pode ser tudo, agora ninguém pode tirar dele o direito de ser o maior responsável pelo o programa de vacinação no Brasil.
    Reagiu todas as teses negativistas de Bolsonaro e seus comparsas, investiu no Butantã, produziu e estocou vacinas, enquanto o Presidente insistia no receituário de suas grarrafadas primitivas.

  12. ZéGado disse:

    Governo incompetente.
    Negacionista, achismo, boiada imunda. Atrapalha quem quer agir e salvar vidas.

  13. Teobaldo A Dantas de Medeiros disse:

    Doria é o maior combustível desse governo. É o que ele faz que impulsiona essa cambada de milico incompetente!!!

    Obrigado, Doria!!!

  14. Calígula disse:

    Dória é um moleque e Bolsonaro tem razão.
    Dóriana adora exibicionismo.

  15. Canhoto potiguar disse:

    Piauí não é de segunda categoria.
    É de quinta.

  16. Ivana Maria Cardoso disse:

    Quem faria diferente???

    BANDO DE INVEJOSO, RECALCADO

Com 81 mil doses da coronavac em 1º lote, RN já tem esquema de segurança pronto para recebimento, armazenamento e distribuição de vacinas contra a Covid-19

O governo do Rio Grande do Norte já discutiu e elaborou todo o esquema logístico para garantir que as vacinas contra a Covid-19 cheguem à população com total segurança.

Na sexta-feira (15), em videoconferência realizada com a participação de membros do Governo Federal e secretarias estaduais de Segurança Pública e da Saúde, foram definidos os últimos acertos para quando as primeiras doses do imunizante chegarem ao estado, sejam elas a Coronavac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, ou a vacina da Universidade de Oxford/Astrazeneca, que está sendo produzida por um laboratório na Índia.

As doses da Coronavac começam a ser distribuídas com os estados brasileiros ainda nesta segunda (18). Neste primeiro momento, cerca de 81 mil doses da vacina serão enviadas ao Rio Grande do Norte. A prioridade são os profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus.

Segundo o titular da SESED, coronel Francisco Araújo Silva, assim que as vacinas desembarcarem em território potiguar, o recebimento será feito pela Polícia Federal. Ao deixarem o aeroporto, serão escoltadas pela Polícia Rodoviária Federal até a sede da Unicat, em Natal. Uma vez em poder do Estado, a guarda da vacina passa a ser de responsabilidade da Polícia Militar.

“Quando as vacinas deixarem a Unicat para serem distribuídas com as regionais de saúde, a segurança também será feita por policiais militares. As vacinas seguirão para o interior em viaturas do Corpo de Bombeiros escoltados pela Polícia Militar. Nas rodovias federais, guarnições da PRF voltam a dar apoio à logística montada para o transporte. Assim que as doses chegarem aos municípios, o Estado continua a garantir a integridade dos imunizantes. Neste momento de pandemia e de muita ansiedade pela vacina, a missão de garantir a segurança de todo o material é de extrema importância e responsabilidade para o governo estadual, principalmente para a Secretaria de Segurança”, enfatizou o coronel Araújo.

O Governo do Rio Grande do Norte aguarda a chegada dos imunizantes para fazer o envio a sete centrais de saúde distribuídas pelo estado: Além de Natal, receberão as vacinas as regionais de Mossoró, Pau dos Ferros, Caicó, Santa Cruz, João Câmara e São José de Mipibu. A partir das centrais, as vacinas serão distribuídas para todos os municípios potiguares.

“Estamos prontos”

A frase é da governadora Fátima Bezerra, e soma com o esforço da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), ao longo dos últimos meses, para a criação de estratégias voltadas para o recebimento e distribuição dos imunobiológicos contra a Covid-19.

Na manhã do sábado (16), o secretário de Saúde Cipriano Maia se reuniu com as forças de segurança para finalizar o alinhamento para a chegada e distribuição das vacinas em todo o estado. Na ocasião, houve uma simulação da operação e toda a logística está devidamente pronta com seringas separadas para a distribuição nas regionais de saúde.

Atualmente, o Rio Grande do Norte possui 900 mil seringas em estoque e mais 2 milhões adquiridas e destinadas especificamente à vacinação contra a Covid-19.

O Estado conta ainda com um ultrafreezer, sete câmaras frias de mil litros, 18 câmaras frias de mil litros (três para cada regional); no Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais são duas câmaras frias de mil litros, uma câmara fria de 340 a 400 litros, além de 28 Câmaras frias de 340 a 400 litros distribuídas em quatro municípios (quatro em São Gonçalo do Amarante, quatro em Parnamirim, oito em Mossoró e 12 em Natal); possui ainda oito câmaras frias de mil litros: duas para cada município descrito anteriormente. Em parceria com a UFRN, são sete ultrafreezer para armazenamento das vacinas.

Esta semana, o Governo firmou uma parceria com a Cosern Neonergia com a aquisição de 95 refrigeradores científicos a serem distribuídos entre municípios potiguares para armazenamento das vacinas. Além disso, doou dois refrigeradores à Sesap com capacidade de 280 litros e 420 litros respectivamente, suficientes para armazenar cerca de 18 mil doses de 0,5 ml. A contribuição faz parte do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Eficiência Energética (Aneel).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lúcia disse:

    Enquanto grilo duro faz espetáculo midiático com a vacina um família foi morta ontem em um granja por assaltantes.

  2. Calígula disse:

    Enquanto o Governo da Fátima Bezerra, produz uma cena midiática com a segurança da vacina, nosso povo sofre com a insegurança, pagando com a própria vida.
    Chega de Espetáculos Fátima Bezerra PT e vamos governar.
    Infelizmente ainda temos dois anos pra aturar seus xiliques e dessa esquerda que te segue.

    • Neto disse:

      Mataram um comerciante num assalto em cidade verde. Enquanto as praias tinham viaturas de palmo em palmo.

Pazuello diz que vacinação contra a Covid-19 no país começa nesta segunda; veja divisão das doses da CoronaVac para cada estado

Foto: GNews

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta segunda-feira (18), que a vacinação contra a Covid-19 será iniciada a partir das 17h em todo o país. O anúncio foi feito após ele sofrer pressão dos governadores, que pediram para antecipar o início da aplicação das doses, inicialmente previsto para esta quarta-feira (20), conforme informou a colunista Andréia Sadi.

“Acho que podemos começar hoje até o fim do expediente, a partir das 17h”, declarou o ministro.

O horário foi proposto, segundo ele, para dar tempo de todos os estados receberem as doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Em cerimônia em São Paulo, Pazuello deu início à distribuição das doses pelo país. As caixas saíram do centro de distribuição de logística do Ministério da Saúde em Guarulhos, na Grande São Paulo.

“A todas as famílias das vítimas, recebam a nossa solidariedade. É muito difícil perder alguém que amamos. Está dado o primeiro passo para a maior campanha de vacinação do mundo”, afirmou o ministro.

Das 6 milhões de doses, 4.636.936 serão enviadas pelo governo federal aos estados brasileiros. As outras 1.357.640 serão distribuídas pelo estado de SP.

Veja divisão das doses da CoronaVac para cada estado:

Região Norte

Rondônia – 33.040
Acre – 13.840
Amazonas – 69.880
Roraima – 10.360
Pará – 124.560
Amapá – 15.000
Tocantins – 29.840
Total de doses – 296.520

Região Nordeste

Maranhão – 123.040
Piauí – 61.160
Ceará – 186.720
Rio Grande do Norte – 82.440
Paraíba – 92.960
Pernambuco – 215.280
Alagoas – 71.080
Sergipe – 48.360
Bahia – 319.520
Total de doses – 1.200.560

Região Sudeste

Minas Gerais – 561.120
Espírito Santo – 95.440
Rio de Janeiro – 487.520
São Paulo – 1.349.200
Total de doses – 2.493.280

Região Sul

Paraná – 242.880
Santa Catarina – 126.560
Rio Grande do Sul – 311.680

Total de doses – 681.120

Região Centro-Oeste

Mato Grosso do Sul – 61.760
Mato Grosso – 65.760
Goiás – 182.400
Distrito Federal – 105.960
Total de doses – 415.880

Governadores

O evento, que contou com a presença de alguns governadores, não teve a participação do governador João Doria (PSBD). O vice-governador, Rodrigo Garcia, representou o estado de São Paulo.

Em coletivas de imprensa simultâneas, Doria e Pazuello trocaram acusações neste domingo (17).

Pazuello disse que o governo de São Paulo fez uma “jogada de marketing” ao iniciar a vacinação simbólica em profissionais da Saúde logo após a aprovação da vacina.

O uso emergencial das 6 milhões de doses prontas vindas da China foi aprovado neste domingo (17) pela Anvisa.

Por volta das 5h, caminhões de carga refrigerados começaram a deixar o centro de distribuição escoltados por carros da Polícia Federal. Cem caminhões farão o transporte da vacina.

As doses da CoronaVac também serão distribuídas em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e companhias aéreas que farão o transporte gratuitamente.

De acordo com o governo federal, os estados serão responsáveis pela distribuição aos municípios para o início do plano nacional de vacinação na quarta-feira (20).

Novo pedido

O Instituto Butantan vai entregar nesta segunda-feira o pedido de uso emergencial para as doses da CoronaVac envasadas no país.

Aprovada na Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou neste domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19. A reunião que discutiu o tema durou cerca de 5 horas.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Robinson Madureira disse:

    Tô doido pra virar crocodilo(bolzo), kkkkl

  2. Aluizio disse:

    Manoel , a Anvisa aprovou, seria uma irresponsabilidade , um governante comprar uma vacina, ou qualquer medicamento, s autorização da agência reguladora, igual o boneco de pano de são Paulo queria, isso sim seria uma loucura, como aconteceu com os milhões gastos com respiradores queno consocio nordeste comprou, q não servia bem pra abanar churrasqueira, vamos acordar

  3. Calígula disse:

    Pensem em dois Homens Bons dos cunhões rôxos Bolsonaro e Panzuello.
    O resto é mi, mi,mi de menino buchudo cheios de lombrigas.

  4. Carlúcio disse:

    Se não fosse o estado de São Paulo, o Brasil estaria hoje sem vacina.

  5. Manoel disse:

    Mas o MINTOmaníaco disse que essa “vachina” não presta! Disse também que ele não iria pagar por ela… Como eh que agora está comprando e distribuindo? Qual eh a nova narrativa? Quero ler as explicações…

Saiba como Israel tem vacinado tão rápido contra covid e por que isso pode ocorrer no Brasil

Foto: Reuters

Nas últimas semanas, Israel ganhou as manchetes internacionais por conseguir o que todo o mundo, literalmente, queria: ter um início rápido e eficaz na imunização contra a Covid-19. Mais de 20% dos 9 milhões de israelenses já estão imunizados e a expectativa é de que, até meados de março, a porcentagem chegue à totalidade.

O feito só foi possível porque o sistema de saúde de Israel tem garantia de saúde universal, ou seja, por meio de uma participação público-privada, todo cidadão israelense tem direito e acesso desde a saúde básica.

Isso significa que o país já tinha a estrutura básica necessária para iniciar a vacinação – ao contrário de outras nações, como os EUA e a Inglaterra, que vêm tropeçando em quesitos como armazenamento e logística.

Ver o avanço da vacinação em Israel é positivo para o Brasil, já que o Sistema Único de Saúde (SUS) também tem a estrutura necessária para agilizar a imunização, como esquema de logística e armazenamento, o que pode facilitar o processo de vacinação.

No domingo (17) membros da Anvisa se reúnem para avaliar os pedidos do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para uso emergencial das vacinas.

A previsão, dada pelo ministro Eduardo Pazuello, é de que até novembro todos os brasileiros tenham tomado as duas doses da vacina.

Embora os sistemas sejam muito similares, a diferença está na forma de como os aportes financeiros são coletados.

Enquanto no Brasil existe o SUS, ou seja, o financiamento é feito por impostos pagos pela população, em Israel, o cidadão é obrigado a escolher entre um dos quatro planos de saúde sem fins lucrativos existentes e concorrentes.

Esses planos são financiados por um imposto de renda nacional e um imposto de saúde relacionado com o rendimento financeiro.

Em entrevista à CNN, Daniel Douek, diretor do Instituto Brasil-Israel, falou sobre as peculiaridades de ambos sistemas.

Por que a vacinação está ocorrendo tão rápido em Israel?

São vários os motivos que explicam o fato de a vacinação em Israel estar ocorrendo rapidamente. Em primeiro lugar, por o país ter saído na frente na corrida pela vacina, tendo negociado previamente a aquisição de grandes lotes, o que permitiu o início da campanha já no dia 19 de dezembro.

Além disso, devido ao acesso universal ao sistema de saúde, que possui infraestrutura sanitária bem distribuída e equipada com recursos tecnológicos de ponta.

Pode-se citar ainda aspectos culturais da população associados a um ethos derivado da própria formação do Estado, e que resulta na capacidade de mobilização das pessoas e das instituições, acostumadas aos esforços de guerra.

Por fim, destaca-se o papel desempenhado por Benjamin Netanyahu, que encara a campanha de vacinação como uma missão pessoal, inclusive para a sua própria sobrevivência política.

Com as próximas eleições agendadas para o dia 23 de março, o premiê, que responde na justiça a acusações de corrupção, aposta na vacina como cartada para reabrir a economia e melhorar a vida dos israelenses, depois de a Covid-19 ter matado mais de 3.803 pessoas, um número maior do que o de vítimas nas guerras de 1967 e de 1973 somadas.

Netanyahu foi o primeiro a se vacinar e o fez com transmissão ao vivo pela televisão, clamando para que todos os cidadãos seguissem seu exemplo.

Quais as principais diferenças e similaridades entre os sistemas de Israel e do Brasil?

A principal similaridade é a garantia de saúde universal. A diferença é que, enquanto no Brasil existe o Sistema Único de Saúde (SUS), no caso de Israel, a população é obrigada a escolher entre um dos quatro planos de saúde sem fins lucrativos existentes e concorrentes (financiados basicamente por um imposto de renda nacional e um imposto de saúde relacionado com o rendimento).

O sistema de saúde de Israel sempre teve co-participação público-privada? Ou teve alguma reforma na área da saúde para implementar este novo método?

O sistema de saúde universal existe desde antes da fundação do Estado e se mantém até agora. Já a lei do Seguro Nacional de Saúde, que garantiu cobertura universal para cidadãos e residentes permanentes por meio do vínculo com um dos quatro planos de saúde existentes no país é de 1995.

Qual a previsão de imunização total no país?

Israel já vacinou mais de 20% da população, e a expectativa é de imunização total acima dos 16 anos até o final de março.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    PODEacontecer no Brazil.
    Rapaz…. a CNN se supera.
    O jabá do governo deve tá bem gordo.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Tico de Adauto disse:

    Mais de 60 países vacinando e o Brasil parado.
    Vergonha e genocidio escancarado!

  3. olimpio disse:

    Comentários sem lógica, a vacina quem produz são os laboratórios, como é que o governo vai comprar uma vacina que não tá pronta ainda.

  4. Toim disse:

    Shabat shalom

  5. Antonio Turci disse:

    O Brasil tem expertise em campanhas de vacinação. Aguardemos.

  6. Esdras disse:

    Quem parou pra ler a totalidade da matéria tbm notou q os caras começaram cedo. Coisa que este desgoverno não fez, né?

  7. claudio disse:

    La tem Presidente

    • Ana disse:

      Aqui tem 13 presidentes, 11 vestem capa preta, os outros dois representam senado e Câmara respectivamente

Covid-19: Vacinação nacional terá carteira digital e identificação pelo CPF

A carteira de vacinação em papel será substituída pela digital na vacinação da covid-19. FOTO: REPRODUÇÃO

A vacinação nacional contra a covid-19, prevista para ter início na quarta-feira (20), conforme anunciado pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello durante reunião com prefeitos na quinta-feira (14), contará com carteira digital, para registro da dose da vacina, e possibilidade de ser imunizado apenas apresentando o CPF.

“Melhorias no aplicativo Conecte SUS Cidadão vão permitir que a pasta monitore as doses da vacina contra o coronavírus e garanta maior segurança à população imunizada”, afirmou o ministério, por meio de nota. O acesso à carteira de vacinação será por meio do aplicativo do Conecte SUS.

As medidas fazem parte de um processo de modernização do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) e facilitará o controle do Ministério da Saúde, evitando que uma mesma pessoa tome vacinas de laboratórios diferentes.

“É importante que todos contribuam com essas informações. Hoje, nós temos uma, duas, três vacinas possíveis a serem aplicadas. E quando tiver três, quatro ou 10? Se nós não tivermos o controle, o paciente pode tomar a vacina de uma dose tipo A e nós temos que evitar que ele tome uma segunda dose da vacina B”, explicou Jacson Venâncio de Barros, diretor do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS).

O sistema ainda permitirá o monitoramento de reações adversas.

A identificação, na hora da vacinação, será realizada por meio do CPF ou do Cartão Nacional de Saúde (CNS). Quem não estiver cadastrado no SUS poderá fazer o resgitro no momento do atendimento, segundo a pasta.

“O DATASUS desenvolve um certificado de vacinação em formato PDF e com QRCode de validação para manter a garantia de segurança do documento emitido”, diz a nota.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Nada mais sensato. O CPF é tudo pra identificar. Agora como CALÍGULA disse vai ter gente aí hackeando a carteira digital pra tomar 2 vezes

  2. Calígula disse:

    Brasileiro não é fácil, tem que ir pelo CPF e documentos com fotos, se não vai ter bobinho querendo se vacinar duas vezes.

Prefeitura do Natal apresenta plano de imunização contra covid, com idosos e trabalhadores de saúde como prioridades na 1ª fase; veja 2ª e 3ª fases

A Prefeitura do Natal apresentou, nesta quinta-feira (14) o seu plano municipal de imunização contra a Covid-19. No documento, o executivo municipal dividiu a vacinação inicial em três etapas, com prioridade para idosos, pessoas do grupo de risco e trabalhadores da saúde. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa pelo prefeito Álvaro Dias (PSDB), o secretário de Saúde de Natal, George Antunes, e outros membros da prefeitura.

“Fui informado que essa vacina deverá chegar aqui até o dia 20. Hoje o Ministério da Saúde deve estar recebendo um lote de vacinas que devem ser distribuídas. E inicialmente seriam distribuídas pelas capitais e sendo assim, Natal está entre elas”, disse Álvaro Dias. A data não está confirmada, no entanto, trata-se de uma previsão.

VEJA MAIS: Natal terá 6 postos drive-thru para vacinação contra a Covid-19, segundo plano da prefeitura

Segundo o Plano Municipal de Imunização, a primeira fase vai atingir público de mais de 75 anos, pessoas de 60 anos ou mais institucionalizados e população indígena, além dos profissionais de saúde. A segunda fase será para pessoas de 60 a 74 anos. Por fim, a terceira fase será para pessoas com comorbidades.

Com acréscimo de informações da Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sps disse:

    EM qual fase os professores serão vacinados? 4° fase? Ô povo pra sofrer!!!!! Cadê a valorização dessa categoria?

  2. Arthur disse:

    Proporcionalmente, Natal receberá cerca de 37mil vacinas dos 8 milhões de doses que o governo federal está prometendo para próxima semana. Ou seja, se cada posto vacinar 500 pessoas, a vacina acaba em um dia.

  3. Márcia Guedes disse:

    Mas uma vez o Estado do Rio Grande do Norte esquece que quase 30% de sua população, são de Pessoas com Deficiência, que precisa urgentemente de serem vacinados com a maior PRIORIDADE que eles têm direito.

Frente de prefeitos diz que há seringas suficientes para começar vacinação contra covid-19 na maioria dos 5.570 municípios brasileiros

Foto: © Reuters/Molly Darlington/direitos reservados

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, disse nesta quinta-feira (14), que a maioria dos 5.570 municípios brasileiros estará apta a iniciar a campanha de vacinação contra a covid-19 tão logo o Ministério da Saúde distribua os imunizantes autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Todas as cidades que se manifestaram [durante a reunião] disseram que estão preparadas para realizar a vacinação”, disse o presidente da entidade, logo após se reunir, em Brasília, com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e com técnicos da pasta.

Ainda de acordo com Donizette, os 30 milhões de seringas e agulhas que o governo federal requisitou administrativamente a empresas do setor foram para, nas palavras do ministro, “regular os estoques” e, caso necessário, ajudar as prefeituras.

“O ministro disse que os 30 milhões de seringas e agulhas adquiridas são uma regulação de estoque. Caso algum município não as tenha, as receberá antes da próxima quarta-feira”, disse o presidente da FNP. “O ministério disse que qualquer município que necessite pode entrar em contato que mandará as seringas neste final de semana.”

Donizette também atribuiu a Pazuello a informação de que o ministério planeja começar a vacinação em todo o país já na próxima quarta-feira (20). Segundo Donizette, a data dependeria da aprovação dos pedidos de uso emergencial dos imunizantes apresentados pelo Instituto Butantan, a CoronaVac, produzida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o consórcio AstraZeneca/Oxford, além da chegada, ao Brasil, dos 2 milhões de doses da vacina de Oxford já compradas pelo Ministério da Saúde.

“A data está pendente de duas coisas. Primeiro, da aprovação pela Anvisa, o que é uma condicionante para que [a data] seja mantida. Segundo, da logística de voo da aeronave que está sendo preparada em Viracopos [Campinas (SP)] para buscar as vacinas da AstraZeneca”, disse Donizette pouco antes de ser informado que o avião da companhia aérea Azul que decolaria hoje para buscar as vacinas na Índia só partirá amanhã (15) a noite.

Agência Brasil consultou o Ministério da Saúde sobre as declarações do presidente da FNP, mas a pasta ainda não se pronunciou a respeito da reunião.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    O PR e o ministro da saúde são dois genocidas.

Prefeitura do Natal apresenta nesta quinta plano de vacinação contra covid-19

A partir das 16h desta quinta-feira(14), a Prefeitura do Natal vai apresentar o Plano de Vacinação contra a Covid-19. A apresentação acontecerá em coletiva de imprensa marcada para às 16h no Palácio Felipe Camarão.

Além do prefeito Álvaro Dias, participação o secretário municipal de Saúde, George Antunes, e de outros auxiliares do município.

Prefeitos dizem que Pazuello anunciou início da vacinação em todo o país para o dia 20 de janeiro, com quase 120 milhões de doses até abril

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Após uma reunião com o Ministério da Saúde nesta quinta-feira (14), prefeitos disseram que, de acordo com o ministro Eduardo Pazuello, a vacinação contra a Covid-19 começará em todo o país na quarta-feira (20) da semana que vem.

As mensagens dos prefeitos foram postadas em redes sociais. Procurado pelo G1, o Ministério da Saúde ainda não confirmou a data.

“De acordo com @ministropazuelo, próxima segunda chegam as 2 milhões de doses da Astrazeneca para estados. Há também as 6 milhões da Coronavac. Anvisa liberando domingo, distribuem na terça para iniciar na quarta, dia 20. Ou seja: 8 milhões de doses para janeiro”, escreveu o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em uma rede social.

As prefeituras de Campinas, de Cuiabá e de Maringá também saíram da reunião informando que o governo marcou a data do dia 20.

Pazuello recebeu mais de 130 prefeitos. A maioria participou virtualmente.

Doses

A Frente Nacional dos Prefeitos disse ainda que, na reunião, Pazuello apresentou a seguinte previsão de quantas doses de vacina o país terá nos próximos meses:

Janeiro: 8 milhões

Fevereiro: 30 milhões

Abril: 80 milhões

Equipamento

O presidente da frente, Jonas Donizete, ex-prefeito de Campinas, disse que a maioria das cidades tem quantidade suficiente de agulhas e seringas para iniciar a vacinação.

“A gente vai passar para o ministro uma ideia de como estão as cidades. E para isso eu fiz uma conversa antes com os prefeitos. A notícia boa para a população é que a maioria das cidades está preparada para a vacinação, com seringas, agulhas”, afirmou.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Severino Rocha disse:

    Eu sigo Bolsonaro. Não vou vacinar

  2. Japiense disse:

    Finalmente

  3. Santos disse:

    Amém!
    Deus seja louvado.🙏🙌

Ministério da Saúde diz que estados têm autonomia para fazer campanhas próprias de vacinação contra Covid-19, desde que imunizante tenha sido aprovado pela Anvisa

FOTO: DADO RUVIC/REUTERS

O ministério da Saúde diz que que os estados têm autonomia para montar campanhas de vacinação contra Covid-19 locais, desde que o imunizante tenha sido aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A pasta esclareceu que estados, municípios e o Distrito Federal podem fazer a adesão diretamente com os fornecedores das vacinas, desde que registrem diariamente os dados da aplicação das vacinas e de eventuais eventos adversos em um sistema do Ministério, como previsto na Medida Provisória das vacinas, editada na última semana.

No entanto, a pasta diz que a recomendação é para “que estados e Distrito Federal sigam as diretrizes do Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19”, disse em nota.

O plano nacional estabelece alguns direcionamentos, como a definição dos grupos prioritários para aplicação da vacina e a logística centralizada no Ministério da Saúde, que faria o repasse das doses aos estados, que, então, as distribuiria aos municípios.

O ministério ainda não apontou uma data exata para o início da campanha e trabalha com três hipóteses: a primeira, que começaria em 20 de janeiro, uma intermediária, que com início entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro, e uma tardia, que começaria após 10 de fevereiro.

O único estado que fixou um dia para começar a imunização foi São Paulo, que prevê administrar as primeiras doses em 25 de janeiro.

No entanto, o ministério da Saúde informou, no último sábado, que comprou todas as doses da Coronavac produzidas pelo Instituto Butantan e que a vacinação com o imunizante seria simultânea em todo o país.

Em nota, a pasta disse também que todas as vacinas adquiridas ou em negociação, que tenham aval da Anvisa, seguirão o mesmo caminho e serão incorporadas e distribuídas a toda a população, ao mesmo tempo. A distribuição seria feita de forma proporcional aos habitantes de cada estado.

Temor nos estados

A comunicação do Ministério, porém, não parece tranquilizar os estados. Nessa quarta (13), o governo do Espírito Santo pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que impeça o governo federal de requisitar os insumos comprados pelo estado para cumprir o plano local de vacinação contra a Covid-19.

No documento, a gestão capixaba diz ter um plano estadual próprio de vacinação e afirmou que negocia a compra de imunizantes diretamente com laboratórios, além de ter adquirido 6 milhões de seringas e agulhas.

O temor parece ser a requisição administrativa, um dispositivo legal que permitiria que o Ministério da Saúde indenizasse os estados pelos bens requeridos posteriormente, sem data definida.

Em dezembro de 2020, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), publicou nas redes sociais que o governo federal planejava uma medida provisória que centralizaria as vacinas contra Covid-19 na esfera federal.

“Toda e qualquer vacina certificada que for produzida ou importada será requisitada pelo Ministério da Saúde”, escreveu ele.

No entanto, a publicação gerou uma resposta do Ministério, que comunicou que nunca “se manifestou sobre confisco ou requerimento de vacinas adquiridas pelos estados”.

Essa postura ficou em xeque após o governo de São Paulo relatar ao STF que uma empresa que forneceria agulhas e seringas ao estado disse que não poderia honrar a compra, porque o Ministério havia requerido a entrega de todo o estoque.

Uma decisão cautelar do ministro Ricardo Lewandowski impediu que a União requisitasse os insumos adquiridos por São Paulo.

No texto, Lewandowski diz que “nos termos da histórica jurisprudência desta Suprema Corte, a requisição administrativa não pode se voltar contra bem ou serviço de outro ente federativo, de maneira que haja indevida interferência na autonomia de um sobre outro”.

Campanhas estaduais

Apesar da possibilidade de uma campanha autônoma, nenhum estado além de São Paulo tem, agora, vacinas prontas para aplicação.

O governo da Bahia anunciou em setembro a compra de 50 milhões de doses da vacina russa Sputnik V, mas ela ainda aguarda autorização da Anvisa para realizar um estudo clínico no país.

A agência informou à CNN que o laboratório União Química entrou com o pedido para fazer os testes do imunizante no país em 29 de dezembro, mas identificou que há informações que precisam de complementação. “Ou seja, o pedido está em exigência aguardando documentos faltantes”, disse em comunicado.

Em dezembro, o governo de Minas Gerais assinou um memorando com tratativas para fazer uma parceria com a Covaxx, uma divisão da americana United Biomedical, que desenvolve um potencial imunizante. No entanto, como ainda passará por testes, essa candidata não estará disponível antes de 2022.

O presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), Carlos Lula, disse em entrevista à rádio CBN em 4 de janeiro que estados negociavam em paralelo com a Pfizer para a aquisição de doses da vacina.

A afirmação, no entanto, foi negada pela farmacêutica, que disse ter recebido contato de alguns entes da federação, mas que aguarda a definição do governo federal.

CNN, com Estadão

Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN reafirma que aulas presenciais na Rede Estadual só serão retomadas após a vacinação

Foto: Ilustrativa/Sinte-RN

Em nota divulgado nessa quarta-feira(13), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (SINTE/RN) reafirmou que as aulas presenciais na Rede Estadual só serão retomadas após a comunidade escolar ser vacinada em massa contra a Covid-19. A questão voltou à tona após o secretário estadual de educação, professor Getúlio Marques, conceder entrevista nessa quarta-feira (13) anunciando que o ano letivo de 2021 iniciará em 1º de fevereiro no formato híbrido. Ou seja, à distância e presencialmente.

“Porém, o Sindicato relembra que a reabertura das escolas só acontecerá após os professores, funcionários e alunos serem imunizados coletivamente. Essa decisão foi tirada em assembleia virtual da categoria no dia 03 de dezembro de 2020. A ideia é proteger todos os que participam do processo educacional, sobretudo quando os números de casos e mortes pelo novo Coronavírus disparam pelo Brasil. Assim, as aulas deverão voltar apenas virtualmente, continuando assim até que todos sejam vacinados.

No entanto, o SINTE/RN avisa de antemão que chamará paralisações pela vida caso o Governo mantenha a posição de iniciar o ano letivo na forma híbrida antes da vacinação.

A coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, disse que a deliberação vale para o Estado e os municípios: “Neste momento o diálogo é com o Governo, mas as decisões tomadas pela categoria e o SINTE/RN se estendem ao município do Natal e demais municípios do Estado”.

FORMAÇÃO E INSUMOS

Os professores da Rede Estadual apontam que 2020 foi um ano desafiador. Isto porque tiveram que dar aulas à distância repentinamente, embora muitos não fossem treinados para lecionar virtualmente e tampouco dispusessem dos equipamentos necessários. Por isso, consciente que 2021 também será de desafios, a categoria continua reivindicando da Secretaria Estadual de Educação (SEEC) uma formação sobre o uso de tecnologias e dispositivos voltados a oferta de aulas online.

Ao mesmo tempo exige da SEEC o preparo das escolas para quando do retorno presencial, mesmo após o início da imunização. Assim, cobram que o Estado garanta os insumos necessários para auxiliar na proteção aos professores, funcionários e alunos”, encerra nota.

Sinte- RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Simone Aladim disse:

    Enquanto isso em Monte Alegre o Sinte é mais fraco que caldo de batata. Não tem moral. O prefeito deita e rola. Hoje aumentou o imposto da previdência.

  2. Renato Terra disse:

    Esse sindicato me representa.
    Tenho 8 filhos e minha esposa é professora
    A vida deles acima de tudo

  3. Thiago Lopes disse:

    Professores da rede estadual não estão sem trabalhar, como a maioria dos que seguem o senso comum repetem por aí. O ensino remoto está em vigor e os profissionais não são culpados se o Poder Público não criou condições plenas para o alunado acompanhar adequadamente. Universidades e IFs conseguiram, pq as Escolas Básicas não? A estrutura de ensino é precária, quem quer sacrificar sua vida em salas mal ventiladas, apertadas, e com cerca de 40 jovens amontoados sem as medidas protetivas adequadas? O processo da rede pública é tão complicado e diferente do parâmetro da privada, que a classe média, inclusive esse blogueiro, adora usar, que o fluxo nós transportes públicos aumentarão e a exposição a carga viral será multiplicada, clientela não usa transporte particular com os cuidados paternos dos que podem não. Greve é um extremo talvez exagerado no momento, pelo menos no contexto estadual, mas prolongar o ensino remoto e facilitar o acesso do alunado, enquanto a vacinação dos professores, muitos em grupo de risco, não é feita, é a melhor saída.

  4. Oswaldo disse:

    Enquanto isso professores e alunos se divertem nos shoppings e praias do RN! E aja folga!

  5. Ferreira disse:

    Professor adora reclamar e um motivo pra paralisar as aulas, e haja paralisação no decorrer do ano, e depois de um ano parados, recebendo, quando retornar ja está no planejamento mais paralisação porque sao "a nata" do serviço público e da sociedade e tem que serem vacinados antes de todo mundo. Nenhum professor ganha menos de 3 mil e todos tem vantagens no contra cheque. Professores voces são importantes sim para todo na vida e formação do cidadão, mas vamos parar de mimimi, se ta ruim procurem outra profissão, sala de aula é para vocacionados, vocês, em sua maioria não tem a menor preocupação com o aluno, apenas os usam para tirar proveito.

    • Thiago Lopes disse:

      Vocação é para seminarista ou convento de freira. Enfrentar sala de aula é profissão e estudo dedicado. Amor e ilusão não enche o bucho nem protege contra o vírus.

  6. Kaiser Castro disse:

    Ou seja, os alunos do RN vão passar mais um ano sem aulas, viva o governo da professora que nunca deu uma aula!!!

  7. Mgil disse:

    Faz o seguinte: suspende também os salários, aí acaba ligeirinho essa vagabundagem.

  8. Calígula disse:

    Deveriam cortar os salários desses professores pela metade, ai queria ver a cara deles com camisas e bandeiras do sindicato.

    • Aluísio Valença disse:

      Você odeia professores, né carniça? Deve ter levado muito zero e se ajoelhado no milho.

  9. Potiguar disse:

    Os governos Federal, Estadual e Municipal, deveriam pagar os salários dos Professores quando eles retornassem as aulas. É muito fácil receber sem fazer nada e o que é pior prejudicando o aprendizado de milhões de alunos da rede pública. Uma vergonha.

    • H4CK3R disse:

      Espero que vc pense assim tambem: "os parlamentares deveriam receber os altos salários quando trabalhassem – e para o povo". É justo, né? Eles têm 41 dias de ferias entre dezembro e fevereiro + 14 dias em julho + salário de mais de 33 mil, fora verbas e ajuda de custo.
      Reclama aí também, pow…

    • Calígula disse:

      Perfeito.

    • Potiguar disse:

      Penso igualzinho a você em relação aos Parlamentares, Magistrados e todas as categorias arianas que tem privilégios e penduricalhos imorais em suas remunerações.

Governo apresenta nesta quinta sistema de monitoramento da vacinação da Covid-19 no RN

O Governo do Estado apresenta nesta quinta-feira (14), às 10h30, o sistema de monitoramento da vacinação contra a Covid-19 – batizado de RN Mais Vacina – aos membros do ministérios públicos Estadual, Federal e do Trabalho, além da Defensoria Pública do Rio Grande do Norte.

Desenvolvida em parceria entre o Governo e o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Lais/UFRN), a ferramenta vai acompanhar a organização, distribuição e regulação da vacina contra a Covid-19 em todo o RN.

O sistema vai acompanhar em tempo real os índices de aplicação da vacina, monitorando ainda a distribuição para evitar extravio e desperdício de doses.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    E o consórcio Nordeste, quando vai ser monitorado?
    E o desperdício de 5 milhões de reais dos respiradores?
    E o desperdício do contrato das ambulâncias?

    • Aluísio Valença disse:

      Deixaram o portão do Hospício aberto e esse falamerdinha da Estrela desanda a repetir o mesmo de sempre. E por maís que o respondam continua com a "latumia". Ê doencinha triste essa dessa criatura…

Vacinação contra covid começará em janeiro, anuncia Pazuello; avião para buscar doses na Índia decola nesta quarta, e lote chegará ao Brasil no dia 16

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em pronunciamento nesta quarta-feira (13), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 começará ainda neste mês.

“Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Ninguém receberá a vacina antes de Manaus”, disse o ministro. “A vacina será distribuída simultaneamnte em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também”, afirmou Pazuello.

Após o pronunciamento de Pazuello, o ministério esclareceu que a vacinação em Manaus ocorrerá como em outros locais do país, de forma “simultânea e proporcional”, e que não haverá diferença de data e nem de quantidade de doses em comparação com outras cidades. Haverá apenas diferença de horário, por causa do fuso.

O ministro ainda alertou que a população deverá compreender que o início da imunização não significa ir para “rua fazendo festa”.

“A vacina induz a produção de anticorpos, essa é a função da vacina, ela vai induzir a produção de anticorpos. Quem produz os anticorpos é o próprio ser humano. Essa produção de anticorpos não é no dia seguinte. A literatura fala de 30 a 60 dias. Não é tomar a vacina no dia 20 e no dia 22 estar na rua fazendo festa. Nem vai resolver o problema da infraestutura e do tratamento precoce de Manaus”, disse Pazuello.

O ministro da Saúde destacou que tem família na capital amazonense e reforçou que o estado não está enfrentando a pandemia de forma isolada do governo federal.

“Nós, em Manaus, temos que nos cuidar. Temos que seguir as orientações dos gestores. Não adianta lutar contra isso. A minha família está em Manaus, todos sabem disso. Minha filha está em Manaus. Então, quero deixar claro pra todos, que nós não estamos nem um pouco afastados de viver o problema de Manaus, estamos dentro do problema com vovcês. Contem comigo e com o presidente da República”, disse Pazuello.

Vacina de Oxford

Na coletiva, Pazuello disse que um avião buscará hoje 2 milhões de doses da vacina de Oxford na Índia. Segundo o colunista da CNN, Igor Gadelha, o cargueiro será da companhia aérea Azul.

A aeronave decola nesta quarta-feira do aeroporto de Guarulhos e deve pousar, no retorno, também por lá. A expectativa é de que as vacinas cheguem ao Brasil até dia 18 de janeiro, mas, segundo o ministro da Saúde, as doses podem estar disponíveis no país no dia 16.

Pandemia em Manaus

Apenas nos 10 primeiros dias de janeiro, Manaus registrou 379 enterros por Covid-19 nos cemitérios públicos e privados da cidade. O número supera o recorde mensal registrado em todo o mês de maio de 2020, quando a capital do Amazonas teve 348 sepultamentos de vítimas da doença.

O colapso do sistema de saúde da capital é evidenciado desde o fim do ano passado. Nos primeiros dias de 2021, o Ministério da Saúde anunciou a abertura de 178 novos leitos de UTI em Manaus.

À CNN, o especialista em Medicina Tropical Silvio Fragoso, afirmou que a situação da capital é agravada pelo grande número de pacientes das demais cidades do estado que se infectaram e precisam ser tratados nos hospitais de Manaus.

“Uma das principais causas para a sobrecarga de Manaus ser maior em relação a outras capitais é a infraestrutura nos outros estados: as cidades menores contam com hospitais próprios. Aqui no Amazonas, só Manaus dispõe da estrutura necessária para atender os pacientes da Covid-19. Logo, os de outras regiões vêm se tratar aqui na cidade”, explicou Fragoso.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Japiense disse:

    O início da vacinação do Brasil já tem data e hora marcada.
    Dia ** de ********* de 202*.
    A partir das **:** – horário de Brasília.

  2. Tico de Adauto disse:

    Incompetente e cheio de maldade dentro de si. Genocida como o chefe.

  3. Geisa disse:

    Até que fim vamos tomar a vacina

  4. Josa disse:

    Ôôô governo bom!!

  5. Calígula disse:

    Bolsonaro é bom, Bolsonaro é espetacular.

  6. Junior disse:

    Isso sim é uma excelente notícia. Chegada de uma vacina bem mais eficiente e bem mais barata que a vachina.

    • Anselmo disse:

      Só guerra politica, vão trazer da Índia e o governo federal vai começar a vacinar simbolicamente para fazer frente ao governador Dória e o povo aceitando tudo isso calado, nenhum politico presta. obs esse dória é outro impostor.

    • Minion de Peixeira disse:

      Anselmo, vc não acha que Bolsonaro não tem o faro político suficiente para querer iniciar a vacinação o quanto antes, independentemente da tentativa de protagonismo de Dória?
      Goste ou não de Bolsonaro, fato é que ele não tá botando pressão na Anvisa. Só tá esperando o sinal verde da Agência. O Presidente sabe que existe uma forte cobrança popular para que se inicie logo a imunização. Quem não gosta dele vai continuar dizendo que ele só tá pensando em política. Quem gosta vai dizer que ele tá sendo responsável. Mas o que devemos medir é a atitude concreta. E a atitude concreta é que a imunização vai começar em breve, com a Anvisa chancelando a vacina X, de acordo com critérios da realidade brasileira.

    • Neco disse:

      Tá com raiva, Anselmo?
      A vacinação com a de Oxford vai começar… só tá nas mãos da Anvisa liberar.
      Salvo uma reviravolta. Quem poltiizou tudo foi Dória, querendo se 'amostrar'.

Indonésia inicia vacinação da população com a CoronaVac

Presidente da Indonésia, Joko Widodo, toma a vacina CoronaVac — Foto: Muchlis Jr/Indonesian Presidential Palace/Handout via REUTERS

A Indonésia iniciou sua campanha de vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira (13), usando a vacina CoronaVac, feita pelo laboratório chinês Sinovac. O presidente Joko Widodo recebeu a primeira dose do imunizante, enquanto seu país luta contra um dos piores surtos de coronavírus na Ásia.

A iniciativa visa imunizar 181,5 milhões de pessoas. O país da Ásia autorizou o uso emergencial da CoronaVac na última segunda-feira (11).

O imunizante é o mesmo produzido pelo Instituto Butantan, que divulgou a eficácia de 50,38% em testes realizados no Brasil nesta terça-feira. A China já aplica a vacina na população. Turquia e Chile também já fecharam acordos com o laboratório Sinovac para compra da CoronaVac.

“A vacinação é importante para quebrar a cadeia de transmissão da Covid-19 e dar proteção e segurança a todos os indonésios e ajudar a acelerar a recuperação econômica”, disse Jokowi após receber sua injeção.

O ministro da Saúde do país, Budi Gunadi Sadikin, disse que cerca de 1,5 milhão de profissionais da área médica seriam vacinados até fevereiro, seguidos por funcionários públicos. A expectativa é imunizar toda a população em até 15 meses.

Ao contrário de muitos países, a Indonésia pretende vacinar primeiro a sua população mais jovem, e não os idosos. Isso porque não possui dados suficientes de ensaios clínicos sobre a eficácia da CoronaVac nos mais velhos.

Na última terça-feira, a Indonésia bateu o recorde diário de mortes por coronavírus: 302. No total, o país asiático soma 24.645 óbitos desde o início da pandemia. As infecções também estão em alta, com média de mais de 9 mil casos por dia, com 846.765 casos no total.

G1

 

Veja quais documentos são necessários para vacinação contra a Covid-19

Cartão do SUS — Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde prevê começar a vacinação contra a Covid-19 entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro. As duas vacinas que pediram o uso emergencial – CoronaVac e Oxford – são administradas em duas doses. Como será feito esse controle? Preciso me cadastrar em algum lugar para receber a vacina?

Segundo o plano de imunização do governo, todas as pessoas serão vacinadas, mesmo que não apresentem algum documento. Basta comprovar que pertence ao grupo prioritário correspondente à fase da vacinação.

Entretanto, para fazer o controle, o Ministério da Saúde diz que é importante informar o número do CPF ou apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) – o Cartão do SUS (veja como se cadastrar abaixo).

“Para o acompanhamento em tempo real da situação vacinal de cada cidadão brasileiro, o Ministério da Saúde disponibilizou o aplicativo Conecte SUS. Por ele, cada dose aplicada será registrada na carteira digital de vacinação do usuário, identificado por meio do CPF ou do Cartão Nacional de Saúde (CNS). Também serão registrados o tipo de vacina, seu lote de fabricação e a data em que foi tomada a dose”, diz a pasta, em nota.

O Ministério explicou que o registro do paciente nas bases de dados poderá ser feito no momento do atendimento, utilizando o CPF ou o CNS.

Cartão do SUS

O cartão do SUS armazena os dados individuais sobre os usuários do Sistema Único de Saúde, como datas e locais onde o paciente foi atendido, quais serviços foram prestados, por qual profissional e quais procedimentos foram realizados.

Ele é gratuito e pode ser feito pessoalmente na Secretaria de Saúde do município ou em uma Unidade de Saúde do SUS. Para a emissão do cartão é preciso apresentar o RG, CPF, certidão de nascimento ou casamento. Em alguns municípios é solicitada a apresentação de comprovante de residência.

Também é possível emitir a segunda via do cartão através do portal ou o aplicativo Conecte SUS (clique aqui). O app pode ser usado para substituir o cartão impresso.

De acordo com o plano de imunização, um sistema que gera um QR-Code, para facilitar a identificação do cidadão durante o processo de vacinação está sendo desenvolvido. Esse código poderá ser gerado pela própria pessoa no aplicativo Conecte-SUS.

O Ministério da Saúde reforça que “ninguém será impedido de receber atendimento por não portar ou ter um cartão do SUS”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Dia 25 de janeiro, vai começar a vacinação.
    O presidente Dória já falou.
    Se começar antes, melhor ainda.

  2. Inaraí disse:

    Não sei como é i título de eleitor.
    O pdp do João doriana calcinha apertada, fez a maior cachorrada com essa vacinação, propaganda, esperniou, deu cambalhotas, taí!
    Pelo o que entendi a coronavac e a mais fraquinha de todas no mundo, o que esse cara quer com isso é se promover, mas já tomou no frinfa, já caiu no descrédito, é um Geraldo Alckmin, piorado.
    Nem pra governador de S. Paulo se elege, o que dirá pra presidente, morreu igual a Peru de natal, de véspera.
    Ele e o candidato dos marinhos da globo lixo.
    Vai sobrar Andrade pra servir de bucha de canhão pro pinguço ladrão Lula da Silva.

    • Jr disse:

      Por favor corrija se eu estiver equivocado. Com uma proteção de 78% para casos leves e moderados,100% para casos graves e 50 % de eficiência global, isso significa que se, por exemplo, forem vacinadas 100 milhões de pessoas, 50 não serão contagiadas e a outra metade, caso haja contágio, serão casos assintomáticos, leves e moderados. Se for isso mesmo, a Coronavac pode não ser a melhor vacina, mas está longe de ser uma vacina ruim.

  3. Teobaldo Medeiros disse:

    Tudo separado! Por mim, pode começar.

  4. Fazendeiro 👨‍🌾 disse:

    Faltou informar que para “alguns”, será necessário o (GTA) Guia de Trânsito Animal 🐂🐄.

    • GADO BOLSOMINION (PO) disse:

      Já tirei a minha, vou de carro blindado com muio medo de ser assaltado por um ladrão petista.
      Acabei lembrando outra coisa.
      OBAMA DISSE QUE LULA É LADRÃO, vai que encontro pelo meio do caminho.

    • Direita radical disse:

      Não esquecer também de levar a foto 🐴.

  5. O Rei da Rachadinha disse:

    Existe duas opções, tomar a Coronavac ou a vacina da Oxford de eficácia de 50,38% e 68% respectivamente, ou ñ tomar a vacina, com eficácia de 0%, só basta escolher porque quem tiver sonhando com Pfizer ou Moderna só se naturalizando em outro país.

Vacinação contra covid no Brasil começa 3 ou 4 dias depois de aprovação para uso emergencial, diz Pazuello

Foto: DADO RUVIC/REUTERS

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o Brasil tem capacidade para começar a aplicar a primeira dose da vacina contra a Covid-19 três ou quatro dias depois de o imunizante receber a autorização para uso emergencial, concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A declaração foi dada nesta segunda-feira (11), durante evento para apresentação do Plano Estratégico de Enfrentamento da Covid-19 no Amazonas, em Manaus. A partir da autorização para uso emergencial, “a partir do 3º ou 4º dia [a vacina] já estará nos municípios”, declarou Pazuello.

“Todos os estados receberão simultaneamente as vacinas, no mesmo dia. A vacinação vai começar no dia D, na hora H, no Brasil”, disse o ministro. “A vacina é gratuita. No que depender do presidente da República e do Ministério da Saúde, não será obrigatória”, acrescentou.

No evento, Pazuello também falou sobre que considera ser chave para o enfrentamento da pandemia na capital amazonense. “Tratamento precoce. Não existe outra saída. Nós não estamos mais discutindo se esse ou aquele profissional não concorda. Os conselhos regionais e federais já se posicionaram”, afirmou.

O ministro destacou que o atendimento a pacientes com Covid-19 nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) podem prevenir o agravamento de casos e lotação de hospitais. O prefeito de Manaus, Davi Almeida, relatou que um dos problemas enfrentados pela rede de saúde municipal é que a população não está buscando atendimento durante os primeiros dias de infecção.

“As pessoas que estão no procurando já chegam no oitavo, no nono, no décimo dia [de infecção] e precisam de atendimento de média e alta complexidade”, disse Almeida. O prefeito afirmou que 22 UBS da capital estão voltadas ao atendimento contra o novo coronavírus. Para o ministro, todas as unidades têm que oferecer esse atendimento.

“É nossa responsabilidade abrir todas as UBS e o que mais for necessário”, afirmou Pazuello, acrescentando que o Ministério da Saúde trabalha no recrutamento de cerca de 500 profissionais da saúde para o Amazonas. O ministro não quis dar números sobre equipamentos ou leitos, apenas disse que “100% do que nos foi pedido ou está sendo entregue ou já foi entregue”.

“Estamos vivendo crise [no fornecimento] de oxigênio? Sim. De abertura de UTIs? Sim. De pessoal? Sim”, enumerou Pazuello. “E podemos apoiar com o que mais o estado ou município pedirem”, acrescentou.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ZéGado disse:

    Os Veterinários não foram nem treinados…