Saúde

SP anuncia calendário de vacinação a público entre 60 e 64 anos

Calendário de vacinação atualizado pelo governo estadual nesta quarta — Foto: Reprodução/Governo de SP

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (14) que idosos de 63 e 64 anos serão vacinados contra a Covid-19 a partir do dia 29 de abril. A expectativa é a de imunizar 840 mil pessoas dessa faixa-etária.

Já a população com 62, 61 e 60 anos deve começar a ser imunizada no dia 6 de maio. Desse grupo, cerca de 1,4 milhão de pessoas devem ser vacinadas em todo o estado.

Segundo o governador João Doria (PSDB), o cumprimento do cronograma, entretanto, depende majoritariamente do recebimento da vacina Oxford/AstraZeneca, produzias pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Estamos avançando e precisamos reforçar que, para a faixa etária de 65 a 60 anos, como o governador acabou de falar, nós aguardamos que o Ministério da Saúde nos envie, de acordo com o cronograma que já foi enviado a todos os estados, a vacina da Fiocruz”, explicou a Coordenadora Geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane Cardoso de Paula.

Ainda de acordo com Regiane, a maioria dessa população será imunizada com a vacina da Fiocruz.

No dia 21 de abril, conforme anunciado na semana passada, o estado começa a vacinação para a população de 65 e 66 anos.

De acordo com a gestão estadual, a expectativa é a de vacinar 760 mil da população entre 65 e 66 anos.

O pré-cadastro da vacina também pode ser feito pelo aplicativo WhatsApp. Para preencher o formulário por meio do aplicativo, é necessário mandar uma mensagem para o número: (11) 95220-2923.

Público-alvo

No sábado, o estado iniciou a vacinação dos profissionais de educação com 47 anos ou mais.

Desde segunda-feira (12), idosos de 67 anos podem receber a primeira dose do imunizante nas unidades de saúde de todo o estado.

Também já fazem parte do grupo prioritário os policiais e demais servidores da área da segurança pública começaram a ser vacinados no estado.

Histórico da vacinação

A vacinação contra a Covid-19 começou no Brasil em 17 de janeiro, logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, foi a primeira pessoa, fora dos estudos clínicos, a receber a vacina.

O Programa Nacional de Imunização (PNI) brasileiro teve início no dia 18 de janeiro, e começou a ser feito após a distribuição das 6 milhões de doses da CoronaVac importadas já prontas da China.

No estado de São Paulo, a vacinação começou com profissionais de saúde da linha de frente no combate ao coronavírus, indígenas, quilombolas e idosos que viviam em instituições e foi avançando conforme a chegada de vacinas.

Vacinômetro

De acordo com o último balanço da Secretaria Estadual de Saúde, atualizado até 13h03 desta quarta-feira (14), 8.262.320 doses de vacinas contra a Covid-19 foram aplicadas no estado.

Dessas, 5.787.906 correspondem a aplicações de primeira dose e 2.474.414 de segunda dose.

G1

Opinião dos leitores

  1. Essa é a grande diferença de um país de futuro, bandidos morrem na cadeia, aqui no Brasil é bem diferente, criminosos e corruptos ladrões são inocentados pela suprema corte e vão usufruir a vida utilizando o produto do roubo, e ainda são idolatrados por uns fdp idiotas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Israel pode ter atingido imunidade de rebanho, diz especialista; vacinação em massa reduziu em 97% o número de novos casos

Vacinação contra a Covid-19 em Israel Reprodução/VEJA

Com mais de 54% da sua população totalmente vacinada (primeira e segunda dose), Israel pode se tornar o primeiro país a ter alcançado contra a Covid-19 a chamada “imunidade de rebanho”, uma situação que se caracteriza quando uma parcela significativa dos moradores foi vacinada contra uma doença.

A afirmação foi feita neste sábado, 10, pelo cientista Eran Segal, professor de biologia computacional do Instituto de Ciência Weizmann ao Channel 12, que monitora a pandemia, segundo reportagem do jornal The Times of Israel. Para ele, a situação do país é ainda mais confortável em razão do esquema de proteção adotado contra o novo coronavírus no país desde o início da crise sanitária.

“É possível que Israel tenha alcançado uma espécie de imunidade de rebanho e, independentemente disso, temos uma ampla rede de segurança”, disse Segal. “Acho que isso torna possível remover algumas das restrições imediatamente”, completou.

Com uma população de 9 milhões de habitantes, Israel já vacinou 5.309.825 pessoas com a primeira dose e 4.920.877 com a segunda. A vacina mais usada no país é a da Pfizer/BioNtech, que tem eficácia de 91% contra casos graves.

Neste sábado, 10, Israel tinha 4.002 casos ativos da doença, sendo 268 deles considerados graves. Até agora, o país registrou 6.292 mortes desde o início da pandemia. Com a prioridade dada à vacinação, o número de casos diários de coronavírus despencou 97%, segundo Eran Segal.

Para efeito de comparação, o Brasil vacinou com a segunda dose até este sábado, 10, apenas 6.916.075 pessoas, o que dá cerca de 3,3% da sua população. Já a primeira dose foi aplicada para 22.917.088 brasileiros.

Veja

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VÍDEO: Após vacinação em massa, Serrana-SP está sem intubar pacientes desde 28 de março, afirma prefeito da cidade, Leo Capitelli

Foto: Reprodução. Assista vídeo AQUI.

A cidade de Serrana, no interior de São Paulo, foi escolhida pelo Instituto Butantan para participar de um estudo denominado “Projeto S”, que analisa o resultado da imunização com a Coronavac em toda a população adulta do município.

Iniciado em fevereiro, o projeto S vem colhendo frutos e, segundo o prefeito da cidade, Leo Capitelli (MDB), Serrana está sem intubar pacientes de Covid-19 desde o dia 28 de março.

“Vimos diminuição na lotação da UPA e da Santa Casa da cidade, o fluxo de casos graves diminuiu bastante e desde o dia 28 de março não precisamos intubar pacientes de Covid-19. Ainda é cedo para fazer correlação com a vacinação, mas já estamos vendo resultados”, disse o prefeito em entrevista à CNN.

Capitelli afirmou que, apesar de não poder cravar que a vacina foi a responsável pelos resultados positivos, o relatório sobre o projeto deve sair na primeira semana de maio, e pode confirmar a teoria de que o imunizante foi eficiente no combate à Covid-19 em Serrana.

Número de mortos

Do total de 27.150 voluntários imunizados com as duas doses da vacina Coronavac na cidade, um morreu em decorrência do novo coronavírus. Isso indica um índice de mortalidade pela pandemia em vacinados de 0,004%.

Quando analisados também os voluntários que tomaram apenas uma dose da vacina, o número de óbitos sobe para seis, ou seja, cinco pessoas morreram após terem tomado apenas uma dose da Coronavac e uma pessoa morreu após ter tomado as duas doses.

No total, Serrana tem pouco mais de 43 mil habitantes, segundo o IBGE. O ‘Projeto S’, uma parceria do Instituto Butantan e o governo do estado de São Paulo, se propôs a vacinar toda a população adulta do município.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Vamos lá Sr. Santos inteligente kkkkk.
    As atuais vacinas NÃO conferem imunização absoluta, fato.
    No Sírio Libanês e Albert Einstein, hoje, lotação das UTIS com diversos pacientes completamente imunizados com as vacinas atuais para covid..
    O Diretor Clínico do Butantan, disse na CNN, que talvez seja necessária e terceira dose da coronavac.
    A ivermectina, cloroquina e azitromicina são usados largamente a vários anos e quando usados na fase Inicial da doença ou de forma precoce, evidências científicas relatam a sua eficácia contra o covid.
    A insanidade pela queda do presidente, leva alguns partidos ao Vale tudo, inclusive mortes.
    Pena, ficam para as galinhas que só sabem cacarejar como vc.
    Repetir mantras imbecis como verdadeiros, só denotam a incapacidade de discussão e fraqueza de caráter.
    Por último, não tome nada, ou tome apenas Dipirona, seu médico deve ser tampa, só não sei de que, mais lhe serve.

  2. Foi a cloroquina, hidroxicloroquina e forçando a barra pro lado do presidente, ou a Ivermectina?
    Ah não!
    Foi a vacina mesmo.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Olha, de bolsonarista pra burro só falta uma coisa, as penas.
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Raciocínio lógico e provado cientificamente, enquanto esses esquerdistas safados estiverem querendo destruir o presidente e o Brasil, com essa politização ridícula da pandemia, o povo nos vamos seguir morrendo a passos largos

  4. As medidas realmente eficazes contra esse vírus são: distanciamento social, medidas sanitárias, uso de máscara quando necessário, tratamento precoce, investimento na saude (leitos, respiradores, etc.) e vacinação. Esse “lockdown” absurdo e irresponsável não resolve nada, só piora a situação, criando problemas maiores que o virus em si.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Campanha de vacinação contra influenza inicia segunda-feira; estimativa no RN é imunizar mais de 1 milhão de pessoas

FOTO: EDUARDO MORALES/EFE

A 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza será realizada no período de 12 de abril a 09 de julho. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários: crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos e mais, povos indígenas, professores e trabalhadores da saúde.

No Rio Grande do Norte a estimativa é vacinar 1.319.147 pessoas para reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, na população alvo para a vacinação. A vacina influenza trivalente utilizada no Brasil em 2021 apresenta três tipos de cepas de vírus em combinação. Por ser constituída por vírus inativados, fracionados e purificados, não contêm vírus vivos e não causam a doença.

A vacinação será dividida em três etapas:

1ª Etapa – de 12/04 a 10/05

· Crianças (6 meses a < de 6 anos)

· Gestantes

· Puérperas

· Povos indígenas

· Trabalhadores da saúde

2ª Etapa – de 11/05 a 08/06

· Idosos com 60 anos e mais

· Professores

3ª Etapa – de 09/06 a 09/07

· Comorbidades

· Pessoas com deficiência permanente

· Caminhoneiros

· Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário Passageiros Urbano e de Longo Curso

· Trabalhadores Portuários

· Forças de Segurança e Salvamento

· Forças Armadas

· Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade

· População privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

A campanha de vacinação contra a influenza coincidirá com a realização da vacinação contra a Covid-19. Assim, é importante que seja priorizada a administração da vacina Covid-19. As pessoas contempladas no grupo prioritário para a vacinação contra influenza que buscarem uma Unidade Básica de Saúde, e ainda não foram vacinadas contra a Covid-19, preferencialmente, deve ser administrada a vacina Covid-19 e agendada a vacina influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas.

Além disso, todas as medidas de prevenção à transmissão da covid-19 nas ações de vacinação contra Influenza deverão ser adotadas. O Ministério da Saúde ressalta a importância da vacinação contra a influenza em 2021. A imunização vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Secretaria Municipal de Saúde de Natal realizará vacinação neste fim de semana apenas nos 7 pontos de drive-thru; Unidades Básicas só será retomada na segunda

FOTO: GETTY IMAGES

A Secretaria Municipal de Saúde Natal suspendeu, sem aviso prévio à população, a vacinação contra a Covid-19 nas unidades básicas nesta sexta-feira (9). A população, contudo, poderá se vacinar durante o fim de semana nos 7 pontos de drive-thru pela capital.

Os sete drives funcionarão normalmente das 8h às 16h (Palácio dos Esportes, Arena das Dunas, UNP Roberto Freire, Ginásio Nélio Dias, OAB, Shopping Via Direta e SESI), inclusive com pontos de pedestres nos cinco últimos.

Nas 35 Unidades Básicas de Saúde da capital, a vacinação só será retomada na segunda-feira (12).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Queiroga descarta possibilidade de paralisar vacinação no Brasil, e completa: “a meta de vacinar um milhão de pessoas por dia está mantida”

Foto: Mateus Bonomi/Agif – Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo (24.mar.2021)

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, afirmou à CNN que “não há possibilidade de paralisar a vacinação no Brasil” por falta de insumos. Queiroga reconheceu que há atraso na entrega do IFA (insumo farmacêutico ativo), principal matéria-prima da vacina, mas disse que tanto o Instituto Butantan quanto a Fundação Oswaldo Cruz vão continuar produzindo vacinas.

“A Meta de vacinar um milhão de pessoas por dia está mantida”, afirmou o ministro.

Queiroga disse ainda que o governo está dialogando com outros países para garantir a chegada de vacinas e de insumos e, com isso, acelerar a vacinação no país. “O chanceler Carlos Alberto Franco França está em contato com China, Índia, Rússia e EUA.”

Nesta quarta-feira (7) a CNN antecipou a paralisação no envase da Coronavac, vacina distribuída pelo instituto Butantan. Sem o insumo farmacêutica, a produção de novas doses está comprometida. Segundo o instituto, a nova remessa dos insumos, que deveria chegar nesta semana, está “prevista para a próxima semana”.

Após jantar com empresários em São Paulo na noite desta quarta-feira, Queiroga afirmou ter conversado com o embaixador da China no Brasil para tratar sobre o atraso nos insumos.
“Tivemos com o embaixador Yang Wanming, e ele tem sido muito sensível a essa questão. Vamos continuar dialogando para buscar superação dessa questão do IFA.”

O Distrito Federal é uma das unidades da federação que precisou paralisar a vacinação de pessoas com 66 anos. Somente 6% do público nessa faixa etária foi vacinado na capital do país. Ao contrário do que recomenda o Ministério da Saúde, o governador do DF, Ibaneis Rocha, preferiu reservar a maior parte das vacinas para aplicação da segunda dose.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O gado agora parou de chamar a vacina de comunista, simplesmente pq o Bozo mudou a retórica.
    Antes a vacina fazia parte de uma conspiração da china pra transformar as pessoas em comunistas, agora nem se ouve maos isso do gado Bozoloide.

  2. Sinceramente, não sei como essa figura intitulada Manoel F, ainda tem coragem de escrever nessa coluna. Pense num carrapato entendido, esse homem é PHD em besteirol, acha que tem que dar opinião até em jogo de castanha, fala pelos cotovelos, devia tomar SIMANCOL, bom e barato. Acredito que até nas roupas íntimas do pessoal de casa ele opine.

  3. Hum. Vamos calcular: mesmo que o governo cumpra essa estimativa de vacinar 1 milhão por mês, coisa que não tem cumprido pq diminui o número de vacinas distribuídas em relação as prometidas, temos somente 10 milhões de brasileiros vacinados com as duas doses… Então se tiver 30 milhões de vacinas mês, dá pra vacinar somente 15 milhões de brasileiros por mês (vacinados com as duas doses necessárias), o que daria 150 milhões de brasileiros em 10 meses que somando com os atuais 10 milhões já vacinados, perfaz 160 milhões de brasileiros vacinados até janeiro de 2022. Logo, só em 2022 teríamos uma possível imunidade vacinal suficiente… Até lá, se tudo der certo e não atrasarem vacinas, teremos pelo menos mais duas ondas de contaminação… Pense numa eficiência desse MINTOmaníaco!

    1. pelo seu texto e pelos seus cálculos, aposto que vc aprendeu com Dilma, kkkkkkk

    2. Os bolsopetistas são uma espécie pra estudo mesmo! Refutem os cálculos… Sei que raciocinar pra vcs eh difícil… Mas pelo menos tentem !

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacinação de pessoas de 35 a 39 anos com doenças preexistentes é iniciada Manaus

Foto: Divulgação

Pessoas de 35 a 39 anos com doenças preexistentes começam a tomar a vacina contra a Covid-19, nesta quinta-feira (8), em Manaus. Além desse público, adultos com comorbidades de 40 a 59 anos já estavam liberados para receber a imunização, assim como agentes de segurança pública, profissionais da saúde e idosos a partir de 60 anos.

Sete postos de vacinação estão abertos das 9h às 16h para receber o público (veja os endereços abaixo).

Para receber a vacina, a pessoa deve se dirigir ao ponto de vacinação, no dia e hora indicados pelo sistema Imuniza Manaus na opção “Consultar 1ª dose”. No local indicado, deve apresentar, obrigatoriamente, laudo médico (original e cópia), documento de identificação original, com foto, e CPF. Diabéticos que não tenham laudo médico, devem apresentar receita em papel timbrado oficial (do SUS ou de estabelecimento particular de saúde).

Caso a pessoa não tenha conseguido fazer o cadastro, ela pode se dirigir a um posto de vacinação com os documentos indicados e realizar o preenchimento no local.

Segundo a prefeitura, adultos acima de 18 anos com comorbidades devem ser vacinados até o próximo sábado (10).

Calendário de vacinação – 7/4 a 10/4

Quarta-feira, 7/4 – 40 a 44 anos

Quinta-feira, 8/4 – 35 a 39 anos

Sexta-feira, 9/4 – 30 a 34 anos

Sábado, 10/4 – 18 a 29 anos

Comorbidades da fase atual da campanha:

Diabetes mellitus

Obesidade mórbida

Cardiopatias: Insuficiência Cardíaca (IC); cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados.

Agentes de segurança e profissionais da saúde

Estão sendo imunizados os profissionais da segurança pública da chamada linha de frente, ou seja, que executam serviços de rua, como investigação, atendimento de ocorrências, entre outros, como a fiscalização das medidas preventivas contra a Covid-19. Podem tomar a vacina agentes de qualquer idade. Os agentes de segurança estão sendo vacinados no Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

Os trabalhadores da saúde também estão recebendo a segunda dose, exclusivamente na Escola de Enfermagem, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na zona Sul de Manaus.

Postos de vacinação contra Covid em Manaus, das 9h às 16h:

Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola (Rua Gandu, 119, Cidade Nova)

Centro Cultural dos Povos da Amazônia (Avenida Silves, 2.222, Crespo)

Universidade Paulista (Unip) (Avenida Mário Ypiranga Monteiro, 3.490, Parque 10 de Novembro)

Universidade Nilton Lins (Avenida Professor Nilton Lins, 3.259, Flores)

Clube do Trabalhador do Sesi/AM (Avenida Cosme Ferreira, 7.399, São José)

Balneário do Sesc/AM (Avenida Constantinopla, 288, Alvorada)

Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Parnamirim amplia vacinação e realiza drive-thru no sábado

FOTO: ASCOM

A Prefeitura de Parnamirim, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesad), ampliará, a partir desta quinta-feira (8), a vacinação contra a Covid-19 destinada aos idosos.

Nesta quinta-feira (8), serão vacinados os idosos a partir de 65 anos, independentemente da ordem alfabética.

Na sexta-feira (9), será a vez dos idosos a partir 64 anos de idade.

Locais:

• Todas as Unidades Básicas de Saúde (com exceção das UBSs de Coophab e de Passagem de Areia II), das 7h30 às 11h30 e das 13h às 16h;

• Escola Municipal Presidente Artur da Costa e Silva, das 8h às 14h;

• Associação de Moradores da Cohabinal, das 8h às 14h.

No sábado (10), será realizado um Drive-Thru no Parque Aristófanes Fernandes, das 8h às 14h, destinado aos idosos a partir dos 63 anos de idade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VACINAÇÃO: Prefeitura do Natal solicita que estabelecimentos de saúde remetam à SMS/Natal lista com as informações sobre profissionais/trabalhadores

NOTA VACINAÇÃO TRABALHADORES DE SAÚDE

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, em cumprimento a decisão proferida no processo judicial nº 0801414-44.2021.8.20.5300, que determina adequações para continuidade da vacinação dos profissionais/trabalhadores de saúde, solicita que os estabelecimentos de saúde remetam à SMS/Natal lista com as informações sobre profissionais/trabalhadores de saúde, contendo o nome do profissional, função e local de trabalho, devendo especificar o grau de exposição de acordo com o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais), de modo a demonstrar o risco, ainda que intermitente, de contaminação pelo coronavírus.

A documentação (lista de profissionais/trabalhadores de saúde e cópia do PPRA) deve ser protocolada exclusivamente no Apoio ao Gabinete, localizado no 2o andar da SMS Natal, com endereço à Rua Fabrício Pedroza, 915, Areia Preta no horário das 8h às 16h, de segunda a quinta feira e na sexta feira, no horário das 8h às 12h.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL

Opinião dos leitores

  1. Povo.. se ta desempregadi e ta na rua, tu irá ser situacao de rua.. entaos num precisa dessa burrocracia.. basta a cunmpeheirada diziir que esta ferradu mesmo, e que pelo menos quer receber a furada da vacina. para isto vai munido de que nada tem (sem nada mesmo), fará um cadastru, bate foto e recebe dose na frente do povo que trabalha na saude, educacao e segurança, ou de qualquer outro independente de idade.. e se nao sabe ler ou escrever, irão fazer tudo do mesmo jeito por voce, mesmo bufando por estarem trabalhando e vc nao. é otimo!! O segredo é ser pop. ganha teto e tudo.

  2. Manoel, de acordo com as entregas, o governo estadual tem mais de 200 mil vacinas estocadas, qdo o ministério da saúde determinou que todas as vacinas entregues deveriam ser aplicadas. Portanto, estão descumprindo uma determinação do Governo Federal com um único intuito de assassinar as pessoas.

    1. O Ministério autorizou o uso de todas as doses RECEBIDAS DEPOIS DA NOTA TÉCNICA DE 20 DE MARÇO. As segundas doses reservadas deveriam continuar guardadas, segundo a mesma Nota Técnica do Ministério da Saúde.

  3. Vacina tem. O que está faltando é organizar a logística. Fui vacinado ontem no Drive da OAB. Totalmente vazio. Agora não adianta está tentando polemizar um problema tão sério, como estamos a observar. Gente sem noção e educação.

  4. Baixar a idade de vacinação, é isso que o povo quer. Parem de esconder essas vacinas, isso é ASSASSINATO.

    1. Não tem como sair vacinando se o governo federal não está cumprindo a entrega de vacinas como prometidas. No mês de março entregaram 10 milhões de doses a menos e em abril já baixou para metade do prometido…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VÍDEO: Filho de vereadora em Acari-RN é vacinado contra Covid-19, revolta população e vira caso de sindicância local

Fotos: Reprodução/InterTV Cabugi

Um jovem identificado como Dayvson Mallone, filho de uma vereadora na cidade de Acari, no interior do Rio Grande do Norte, ganhou repercussão nas redes sociais após ter sido vacinado contra a covid-19.

Após a foto de sua vacinação, o caso não foi bem visto no município, o que fez que o jovem que se identifica como “educador físico” publicar um vídeo. Disse então que teria recebido uma ligação para tomar uma dose remanescente. (ASSISTA AQUI).

“Eu não ia tomar. Me ligaram. Não tenho culpa”, disse em um trecho no vídeo.

Em outra parte, diz:

“Faça o seguinte. Pega esses vídeos, encaminha para o Ministério Público, encaminha para o Cref, para a Secretaria de Saúde, para o prefeito, para quem for. Não tem nada, não, não sou criminoso”.

A InterTV Cabugi, em contato o município de Acari, destacou que o prefeito disse que só tomou conhecimento do caso recentemente, e que entrou em contato com a coordenação de imunização, que informou a abertura de uma sindicância sobre o caso.

Já a Secretaria de Saúde local, informou que uma apuração preliminar justifica a vacinação em cima de uma interpretação de norma técnica.

Cenas para os próximos capítulos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Natália Bonavides(PT) é a única deputada no RN a votar contra empresas comprarem vacinas para a imunização gratuita de seus empregados

Foto: Lula Marques

A Câmara dos Deputados decidiu ontem pela aprovação do texto-base do Projeto de Lei 948/21, que permite à iniciativa privada comprar vacinas para a imunização gratuita de seus empregados.

O projeto de relatoria da deputada Celina Leão (PP-DF) prevê que essas compras, se feitas junto a laboratórios que já venderam vacinas ao governo federal, poderão ocorrer apenas depois do cumprimento integral do contrato e da entrega dos imunizantes ao Ministério da Saúde. Além disso, o texto determina que as empresas doem ao SUS a mesma quantidade adquirida para os trabalhadores.

Foram 317 votos a favor da proposta e 120 contrários, com 2 abstenções. Entre os parlamentares do Rio Grande do Norte, apenas Natália Bonavides(PT) votou contra o projeto.

Veja como votou cada deputado na Câmara:

Avante

André Janones (MG): SIM
Chiquinho Brazão (RJ): SIM
Greyce Elias (MG): SIM
Leda Sadala (AP): SIM
Luis Tibé (MG): SIM
Pastor Isidório (BA): NÃO
Sebastião Oliveira (PE): SIM
Tito (BA): SIM

Cidadania

Alex Manente (SP): SIM
Arnaldo Jardim (SP): SIM
Da Vitória (ES): SIM
Daniel Coelho (PE): SIM
Paula Belmonte (DF): SIM
Rubens Bueno (PR): NÃO

DEM

Alan Rick (AC): SIM
Aníbal Gomes (CE): NÃO
Arthur O. Maia (BA): SIM
Bilac Pinto (MG): SIM
Carlos Gaguim (TO): SIM
David Soares (SP): SIM
Dr Zacharias Calil (GO): SIM
Eli Corrêa Filho (SP): SIM
Fernando Coelho (PE): SIM
Geninho Zuliani (SP): NÃO
Hélio Leite (PA): SIM
Igor Kannário (BA): SIM
Jose Mario Schreiner (GO): SIM
Juninho do Pneu (RJ): SIM
Juscelino Filho (MA): SIM
Kim Kataguiri (SP): SIM
Leur Lomanto Jr. (BA): SIM
Luis Miranda (DF): SIM
Norma Ayub (ES): SIM
Olival Marques (PA): SIM
Paulo Azi (BA): SIM
Profª Dorinha (TO): SIM
Rodrigo Maia (RJ): NÂO
Sóstenes Cavalcante (RJ): SIM

MDB

Alceu Moreira (RS): SIM
Baleia Rossi (SP): SIM
Carlos Bezerra (MT): SIM
Carlos Chiodini (SC): SIM
Celso Maldaner (SC): SIM
Daniela Waguinho (RJ): SIM
Dulce Miranda (TO): SIM
Elcione Barbalho (PA): SIM
Fábio Ramalho (MG): SIM
Fabio Reis (SE): SIM
Flaviano Melo (AC): SIM
Giovani Feltes (RS): SIM
Hercílio Diniz (MG): SIM
Herculano Passos (SP): SIM
Hermes Parcianello (PR): SIM
Hildo Rocha (MA): SIM
Isnaldo Bulhões Jr (AL): SIM
Jéssica Sales (AC): SIM
João Marcelo S. (MA): SIM
Juarez Costa (MT): SIM
Márcio Biolchi (RS): SIM
Marcos A. Sampaio (PI): SIM
Mauro Lopes (MG): SIM
Moses Rodrigues (CE): SIM
Osmar Terra (RS): SIM
Raul Henry (PE): NÃO
Rogério Peninha (SC): SIM
Sergio Souza (PR): SIM
Vinicius Farah (RJ): SIM

Novo

Adriana Ventura (SP): SIM
Alexis Fonteyne (SP): SIM
Gilson Marques (SC): SIM
Lucas Gonzalez (MG): SIM
Marcel van Hattem (RS): SIM
Paulo Ganime (RJ): SIM
Tiago Mitraud (MG): SIM
Vinicius Poit (SP): SIM

Patriota

Fred Costa (MG): SIM
Marreca Filho (MA): SIM
Pastor Eurico (PE): SIM
Roman (PR): SIM

PCdoB

Alice Portugal (BA): NÃO
Daniel Almeida (BA): NÃO
Jandira Feghali (RJ): NÃO
Orlando Silva (SP): NÃO
Perpétua Almeida (AC): NÃO
Prof Marcivania (AP): NÃO
Renildo Calheiros (PE): NÃO

PDT

Afonso Motta (RS): NÃO
Alex Santana (BA): SIM
André Figueiredo (CE): NÃO
Dagoberto Nogueira (MS): NÃO
Eduardo Bismarck (CE): SIM
Fábio Henrique (SE): SIM
Félix Mendonça Jr (BA): NÃO
Flávia Morais (GO): NÃO
Flávio Nogueira (PI): SIM
Gil Cutrim (MA): SIM
Gustavo Fruet (PR): NÃO
Idilvan Alencar (CE): NÃO
Jesus Sérgio (AC): NÃO
Leônidas Cristino (CE): NÃO
Mário Heringer (MG): NÃO
Marlon Santos (RS): SIM
Paulo Ramos (RJ): NÃO
Pompeo de Mattos (RS): NÃO
Robério Monteiro (CE): SIM
Silvia Cristina (RO): SIM
Subtenente Gonzaga (MG): NÃO
Tabata Amaral (SP): NÃO
Túlio Gadêlha (PE): NÃO
Wolney Queiroz (PE): NÃO

PL

Aelton Freitas (MG): SIM
Altineu Côrtes (RJ): SIM
Bosco Costa (SE): SIM
Christiane Yared (PR): SIM
Cristiano Vale (PA): SIM
Dr. Jaziel (CE): SIM
Edio Lopes (RR): SIM
Fernando Rodolfo (PE): SIM
Gelson Azevedo (RJ): SIM
Giacobo (PR): SIM
Giovani Cherini (RS): SIM
João Maia (RN): SIM
José Rocha (BA): SIM
Josimar Maranhãozinho (MA): SIM
Junior Lourenço (MA): SIM
Lincoln Portela (MG): SIM
Luiz Carlos Motta (SP): SIM
Luiz Nishimori (PR): SIM
Luiz Antônio Corrêa (RJ): SIM
Magda Mofatto (GO): SIM
Marcio Alvino (SP): SIM
Miguel Lombardi (SP): SIM
Pastor Gil (MA): SIM
Paulo Freire Costa (SP): SIM
Policial Sastre (SP): SIM
Raimundo Costa (BA): SIM
Sergio Toledo (AL): SIM
Soraya Santos (RJ): SIM
Tiririca (SP): SIM
Valdevan Noventa (SE): NÃO
Vinicius Gurgel (AP): SIM

PODE

Bacelar (BA): NÃO
Diego Garcia (PR): SIM
Igor Timo (MG): SIM
José Medeiros (MT): SIM
Josivaldo JP (MA): SIM
Léo Moraes (RO): SIM
Renata Abreu (SP): SIM
Ricardo Teobaldo (PE): SIM
Roberto de Lucena (SP): SIM

PP

Adriano do Baldy (GO): SIM
Afonso Hamm (RS): SIM
AJ Albuquerque (CE): SIM
André Abdon (AP): SIM
Angela Amin (SC): NÃO
Átila Lins (AM): SIM
Átila Lira (PI): SIM
Cacá Leão (BA): SIM
Celina Leão (DF): SIM
Christino Aureo (RJ): SIM
Claudio Cajado (BA): SIM
Covatti Filho (RS): SIM
Dimas Fabiano (MG): SIM
Dr. Luiz Antonio Jr (RJ): SIM
Eduardo da Fonte (PE): NÃO
Evair de Melo (ES): SIM
Fausto Pinato (SP): SIM
Fernando Monteiro (PE): SIM
Franco Cartafina (MG): SIM
Guilherme Derrite (SP): SIM
Guilherme Mussi (SP): SIM
Hiran Gonçalves (RR): SIM
Iracema Portella (PI): SIM
Jaqueline Cassol (RO): SIM
Laercio Oliveira (SE): SIM
Marcelo Aro (MG): SIM
Margarete Coelho (PI): SIM
Mário Negromonte Jr (BA): SIM
Pedro Westphalen (RS): SIM
Professor Alcides (GO): SIM
Ricardo Barros (PR): SIM
Ricardo Izar (SP): SIM
Ronaldo Carletto (BA): SIM

PROS

Acácio Favacho (AP): SIM
Boca Aberta (PR): SIM
Capitão Wagner (CE): SIM
Carla Dickson (RN): SIM
Uldurico Junior (BA): SIM
Vaidon Oliveira (CE): SIM
Weliton Prado (MG): SIM

PSB

Alessandro Molon (RJ): NÃO
Aliel Machado (PR): NÃO
Bira do Pindaré (MA): NÃO
Camilo Capiberibe (AP): NÃO
Cássio Andrade (PA): NÃO
Danilo Cabral (PE): NÃO
Denis Bezerra (CE): NÃO
Elias Vaz (GO): NÃO
Emidinho Madeira (MG): SIM
Felipe Carreras (PE): SIM
Felipe Rigoni (ES): SIM
Gervásio Maia (PB): NÃO
Gonzaga Patriota (PE): NÃO
Jefferson Campos (SP): SIM
Júlio Delgado (MG): NÃO
Lídice da Mata (BA): NÃO
Liziane Bayer (RS): SIM
Luciano Ducci (PR): SIM
Marcelo Nilo (BA): NÃO
Mauro Nazif (RO): NÃO
Milton Coelho (PE): NÃO
Ricardo Silva (SP): SIM
Rodrigo Agostinho (SP): NÃO
Rodrigo Coelho (SC): SIM
Rosana Valle (SP): NÃO
Tadeu Alencar (PE): NÃO
Ted Conti (ES): NÃO
Vilson da Fetaemg (MG): NÃO

PSC

Aluisio Mendes (MA): SIM
André Ferreira (PE): SIM
Glaustin da Fokus (GO): SIM
Leonardo Gadelha (PB): SIM
Lauriete (ES): SIM
Osires Damaso (TO): SIM
Paulo Martins (PR): SIM
Ricardo da Karol (RJ): SIM

PSD

Charles Fernandes (BA): SIM
Danrlei (RS): SIM
Darci de Matos (SC): SIM
Diego Andrade (MG): SIM
Edilazio Junior (MA): SIM
Expedito Netto (RO): NÃO
Fábio Mitidieri (SE): NÃO
Fábio Trad (MS): SIM
Flordelis (RJ): SIM
Francisco Jr. (GO): SIM
Haroldo Cathedral (RR): SIM
Hugo Leal (RJ): SIM
Joaquim Passarinho (PA): NÃO
José Nunes (BA): SIM
Júnior Ferrari (PA): SIM
Marco Bertaiolli (SP): SIM
Marx Beltrão (AL): SIM
Misael Varella (MG): SIM
Neucimar Fraga (ES): SIM
Otto Alencar (BA): NÃO
Paulo Magalhães (BA): SIM
Pedro Augusto (RJ): SIM
Ricardo Guidi (SC): SIM
Sargento Fahur (PR): SIM
Sérgio Brito (BA): SIM
Sidney Leite (AM): NÃO
Stefano Aguiar (MG): Abstenção
Vermelho (PR): SIM

PSDB

Aécio Neves (MG): SIM
Alexandre Frota (SP): NÃO
Beto Pereira (MS): SIM
Bia Cavassa (MS): SIM
Carlos Sampaio (SP): SIM
Célio Silveira (GO): SIM
Daniel Trzeciak (RS): SIM
Danilo Forte (CE): SIM
Domingos Sávio (MG): SIM
Edna Henrique (PB): SIM
Eduardo Barbosa (MG): NÃO
Geovania de Sá (SC): SIM
Lucas Redecker (RS): SIM
Luiz Carlos (AP): SIM
Mara Rocha (AC): SIM
Mariana Carvalho (RO): SIM
Nilson Pinto (PA): SIM
Norma Pereira (SC): SIM
Otavio Leite (RJ): NÃO
Pedro Cunha Lima (PB): SIM
Pedro Vilela (AL): SIM
Rose Modesto (MS): SIM
Samuel Moreira (SP): SIM
Vanderlei Macris (SP): SIM
Vitor Lippi (SP): SIM

PSL

Abou Anni (SP): SIM
Alê Silva (MG): SIM
Aline Sleutjes (PR): SIM
Bia Kicis (DF): SIM
Bibo Nunes (RS): SIM
Bozzella (SP): SIM
Carla Zambelli (SP): SIM
Carlos Jordy (RJ): SIM
Caroline de Toni (SC): SIM
Charlles Evangelis (MG): SIM
Coronel Tadeu (SP): SIM
Coronel Chrisóstom (RO): SIM
Daniel Freitas (SC): SIM
Daniel Silveira (RJ): SIM
Del Antônio Furtado (RJ): SIM
Delegado Marcelo (MG): SIM
Delegado Waldir (GO): SIM
Dr. Luiz Ovando (MS): SIM
Dra. Soraya Manato (ES): SIM
Eduardo Bolsonaro (SP): SIM
Fabio Schiochet (SC): SIM
Felício Laterça (RJ): SIM
Felipe Francischini (PR): SIM
Filipe Barros (PR): SIM
General Girão (RN): SIM
General Peternelli (SP): SIM
Guiga Peixoto (SP): SIM
Gurgel (RJ): SIM
Heitor Freire (CE): SIM
Helio Lopes (RJ): SIM
Joice Hasselmann (SP): SIM
Junio Amaral (MG): SIM
Loester Trutis (MS): SIM
Lourival Gomes (RJ): SIM
Luciano Bivar (PE): SIM
Luiz Lima (RJ): SIM
Major Fabiana (RJ): SIM
Marcelo Álvaro (MG): SIM
Márcio Labre (RJ): SIM
Nelson Barbudo (MT): SIM
Nereu Crispim (RS): SIM
Nicoletti (RR): SIM
Professor Joziel (RJ): SIM
Professora Dayane (BA): SIM
Sanderson (RS): SIM
Vitor Hugo (GO): SIM

PSOL

David Miranda (RJ): NÃO
Fernanda Melchionna (RS): NÃO
Glauber Braga (RJ): NÃO
Luiza Erundina (SP): NÃO
Marcelo Freixo (RJ): NÃO
Sâmia Bomfim (SP): NÃO
Talíria Petrone (RJ): NÃO
Vivi Reis (PA): NÃO

PT

Afonso Florence (BA): NÃO
Airton Faleiro (PA): NÃO
Alexandre Padilha (SP): NÃO
Arlindo Chinaglia (SP): NÃO
Benedita da Silva (RJ): NÃO
Beto Faro (PA): NÃO
Bohn Gass (RS): NÃO
Carlos Veras (PE): NÃO
Carlos Zarattini (SP): NÃO
Célio Moura (TO): NÃO
Enio Verri (PR): NÃO
Erika Kokay (DF): NÃO
Frei Anastacio (PB): NÃO
Gleisi Hoffmann (PR): NÃO
Helder Salomão (ES): NÃO
Henrique Fontana (RS): NÃO
João Daniel (SE): NÃO
Jorge Solla (BA): NÃO
José Airton (CE): NÃO
José Guimarães (CE): NÃO
José Ricardo (AM): NÃO
Joseildo Ramos (BA): NÃO
Leo de Brito (AC): NÃO
Leonardo Monteiro (MG): NÃO
Marcon (RS): NÃO
Maria do Rosário (RS): NÃO
Marília Arraes (PE): ABSTENÇÃO
Merlong Solano (PI): SIM
Natália Bonavides (RN): NÃO
Nilto Tatto (SP): NÃO
Odair Cunha (MG): NÃO
Padre João (MG): NÃO
Patrus Ananias (MG): NÃO
Paulão (AL): NÃO
Paulo Guedes (MG): NÃO
Paulo Pimenta (RS): NÃO
Paulo Teixeira (SP): NÃO
Pedro Uczai (SC): NÃO
Profª Rosa Neide (MT): NÃO
Reginaldo Lopes (MG): NÃO
Rejane Dias (PI): NÃO
Rogério Correia (MG): NÃO
Rubens Otoni (GO): NÃO
Rui Falcão (SP): NÃO
Valmir Assunção (BA): NÃO
Vander Loubet (MS): NÃO
Vicentinho (SP): NÃO
Waldenor Pereira (BA): NÃO
Zé Carlos (MA): NÃO
Zé Neto (BA): NÃO
Zeca Dirceu (PR): NÃO

PTB

Eduardo Costa (PA): SIM
Emanuel Pinheiro Neto (MT): SIM
Marcelo Moraes (RS): SIM
Maurício Dziedrick (RS): SIM
Nivaldo Albuquerque (AL): SIM
Pedro A Bezerra (CE): SIM
Pedro Lucas Fernandes (MA): SIM
Wilson Santiago (PB): SIM

PV

Célio Studart (CE): SIM
Enrico Misasi (SP): SIM
Israel Batista (DF): NÃO
Leandre (PR): SIM

REDE

Joenia Wapichana (RR): NÃO

REPUBLICANOS

Aline Gurgel (AP): SIM
Amaro Neto (ES): SIM
Aroldo Martins (PR): SIM
Benes Leocádio (RN): SIM
Cap. Alberto Neto (AM): SIM
Carlos Gomes (RS): SIM
Celso Russomanno (SP): SIM
Cleber Verde (MA): SIM
Dr. Gonçalo (MA): SIM
Gilberto Abramo (MG): SIM
Hélio Costa (SC): SIM
Jhonatan de Jesus (RR): SIM
João Campos (GO): SIM
Jorge Braz (RJ): SIM
Julio Cesar Ribeir (DF): SIM
Luizão Goulart (PR): SIM
Marcos Pereira (SP): SIM
Maria Rosas (SP): SIM
Milton Vieira (SP): SIM
Ossesio Silva (PE): SIM
Pr Marco Feliciano (SP): SIM
Roberto Alves (SP): SIM
Rosangela Gomes (RJ): SIM
Severino Pessoa (AL): SIM
Silas Câmara (AM): SIM
Silvio Costa Filho (PE): SIM
Vavá Martins (PA): SIM
Vinicius Carvalho (SP): SIM

SOLIDARIEDADE

Augusto Coutinho (PE): SIM
Aureo Ribeiro (RJ): SIM
Bosco Saraiva (AM): SIM
Dr. Leonardo (MT): SIM
Dra. Vanda Milani (AC): SIM
Eli Borges (TO): SIM
Genecias Noronha (CE): SIM
Gustinho Ribeiro (SE): SIM
Lucas Vergilio (GO): SIM
Marina Santos (PI): SIM
Ottaci Nascimento (RR): SIM
Paulo Pereira (SP): SIM
Tiago Dimas (TO): SIM
Zé Silva (MG): SIM]

Com UOL

Opinião dos leitores

  1. Já existem decisões judiciais autorizando compra privada sem repasse ao SUS. Se há vacinas disponíveis à venda por que o governo não compra? Não é apenas uma forma do governo se eximir ou dividir a sua responsabilidade não cumprida de comprar vacinas SUFICIENTES e EM TEMPO HÁBIL?

  2. Vou desenhar aqui, o governo federal compra 100 vacinas , os empresários não vão comprar mais 100 pra ajudar, vão comprar 50 do que o governo federal comprou e dar pra seus empregados, ou seja é institucionalizar o fura fila

  3. Os empresários vão comprar as vacinas disponibilizadas ao Sus, não vai aumentar o número de vacinas apenas vão ser destinadas aos empresários apaniguados enquanto a população ficará esperando ninguém sabe até quando.

  4. @Aluísio vallença; homi tu não entendeu, não? No Projeto a proposta é para as empresas que quiserem podem adquirir vacinas para serem aplicadas, gratuitamente, nos trabalhadores da empresa.sso só pra agilizar a fila do SUS. mas se o trabalhador não quiser tomar vacina na empresa vai pra fila do SUS.
    Precisa desenhar?
    A deputada votou contra porque ela é ruim, mesmo.

  5. Parabéns a todos os deputados que votaram a favor para que os empresários comprassem também as vacinas porque ai, já ajuda na aceleração da vacinação. Desde o começo da vacinação, postei na minha página lá no facebook, de que, eram para serem vacinados em sequência: A turma da “front”, ou seja, da saúde (graças a Deus) a grande maioria já estão vacinados, o pessoal da segurança pública no geral, os professores no geral, os motoristas de transportes coletivos/ônibus, alternativos, taxistas, Uber, trabalhadores e funcionários públicos de todas as áreas, ai sim, em seguida os idosos, já que essa turma é mais “caseira”. Um abraço!

  6. Meu caro BG, porque você não citou na reportagem os nomes dos “faltosos” (Beto Rosado, Rafael Motta e Walter Alves) e porque não colocou as fotos desses faltosos também? Cadê a sua imparcialidade? Seu leitor do seu blog, mas está ficando igual como muitos, parciais. Desde que esse governo federal assumiu o poder central que instalou a polarização/radicalização e a intolerância, que a “turma do PT” só leva no lombo, né isso? Não sou advogado de partido nenhum, mais sou “puto” quando veja noticias que não escuta os dois lados dos fatos. Um abraço!

  7. A cada dia fico mais surpreendido com a incapacidade de leitura e interpretação de alguns. Essa decisão, diferente do que os analfabetos funcionais raciocinaram, beneficia a sociedade como um todo, pois acelera a vacinação da população, aumenta a quantidade de vacina disponível (leia o texto e saiba interpretar pelo amor de Deus) e diminui o custo p/ o Estado. Mas acho que não adianta nem escrever isso, a turma do contra nem chegou até aqui. Parabéns aos deputados que votaram pelo sim.

  8. As cartas estão na mesa, dá para ver claramente as intenções, a turma do quanto pior melhor está unida.

  9. Vá entender!!
    O patrão quer comprar vacinas pra me vacinar e ainda tem gente contra??
    Pqp…
    É de lascar o C… com uma pedra um negócio desses.
    É imoral.
    Não dá pra entender, na minha cabeça não entra um absurdo desses.
    É sacanagem, só pode ser.
    Esse povo não quer que esse carai dessa pandemia seja controlada não???

  10. Alô alô TRABALHADORES!!
    O PT é 100% contra o seu patrão comprar vacina pra imunizar vcs.
    Ou seja, querem que vc morra, pra eles o quanto pior melhor.
    Não se esqueça desses canalhas, em 2022 dê o troco a essa gente, mate eles no voto.
    Não esqueçam.

  11. É o esquema fura filas institucionalizado. Os pobres desempregados que se danem. Farinha pouca meu pirão primeiro.

  12. O povo do RN precisa saber também das AUSÊNCIAS de Walter Alves e Rafael Motta. Pq não foram votar??

  13. Vejam a lista dos partidos que votaram contra, são verdadeiros genocidas. São cintra tratamento precoce, compra de vacinas pelas industrias, mas tem gente que nos comentários vai defender. Negacionistas estão dando as caras.

  14. Pense em uma politica mequetrefe de 5° categoria….Pensou ?? É bem melhor que essa jovem aí.

  15. Não surpreende, mas a deputada com esse voto mostra que não está na câmara para defender o povo e muito menos tem respeito às vidas. Todos precisam de vacinas, elas precisam chegar o mais rápido para que vidas possam ser salvas.
    A não ser que ela saiba que as vacinas não funcionam e tanto faz tomar ou não.
    Qualquer outro argumento, será mera desculpa.
    Por acaso ela é favorável ao lockdown, mesmo sem existir comprovação científica?
    Seria ela contrária ao tratamento preventivo por falta de comprovação científica? Se as duas respostas são sim, não resta dúvida, o que interessa a ela é a ideologia política, nunca foi e não será o melhor para o povo, nem respeito as vidas.

  16. Isso aí é obrigação desse governo de incompetentes. Vai ser uma forma de furar fila e as empresas ainda vão cobrar o valor dos funcionários, pode anotar. Governo Federal inoperante e praticante da necropolítica.

  17. Essa Depurada, é uma contradição, veja bem , contra a classe PROLETARIADO mais um erro do POVO DO RN, assim como também se VOTOU no BOZO. Então, 2022, segui uma terceira via; deixando esses maus na SAGETA: BOZO, LULA, DEPUTADA NATÁLIA DO PT e outros que foram omisso.

  18. Se for feito uma relação dos votos dessa deputada vocês poderão ver o que é ser do contra. Não importa se o projeto é bom ou ruim….ela sempre vota contra. Foi assim com o voto contra para o marco regulatorio do SANEAMENTO no Brasil.

  19. Partidos “lacradores”, de oposição ao governo Bolsonaro (e ao Brasil), votando contra. E ainda têm a cara-de-pau de dizer que defendem a saude do povo. É incrível! Essa é a epidemia da mentira e da hipocrisia.

    1. Na Inglaterra, país comunista, vacina só a oferecida pelo poder publico. Respeitando as prioridades. Mas a inglaterra comunista não é exemplo pra ninguem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

WhattsApp lança figurinhas de apoio à vacinação contra a Covid-19, em parceria com a OMS

Foto: Reprodução/Blog do Whatsapp

O WhatsAPP, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), lançou um novo pacote de figurinhas chamado ‘Vaccines for All’ (Vacinas para todos, em português).

Em comunicado divulgado em seu blog, WhattsApp diz esperar que as figurinhas ofereçam um modo divertido e criativo de expressar não só a alegria, o alívio e a esperança com as possibilidades trazidas pelas vacinas contra a Covid-19, mas também a gratidão aos profissionais de saúde.

O WhatsApp conta ainda com um chatbot em português, em parceria com a OMS, para informações sobre o coronavírus. É o Alerta de Saúde da OMS, que pode ser contactado pelo número +41798931892 no link https://wa.me/41798931892?text=oi.

O aplicativo lembra que, desde o início da pandemia, firmou parcerias com governos federais, estaduais e municipais, e também com organizações, como OMS e Unicef, para oferecer canais de apoio sobre a Covid-19 e conectar seus usuários a recursos e informações precisas sobre a pandemia.

Com a pandemia entrando em uma nova fase em muitos países, os governos estão usando os canais de apoio para se conectar diretamente com os cidadãos, oferecendo informações precisas.

Através dessas ferramentas, também é possível fazer o agendamento para a vacina em países como Indonésia, África do Sul, Argentina, Brasil e Índia.

— Enquanto as vacinas para COVID-19 são distribuídas em todo o mundo, este novo pacote de figurinhas visa a incentivar sua aceitação e representar nossa esperança — disse Andy Pattison, líder da equipe de Canais Digitais da OMS.

“As vacinas são um divisor de águas, mas, por enquanto, devemos continuar a usar máscaras, seguir o distanciamento social, evitar aglomerações, ventilar espaços internos e manter as mãos bem limpas.”, reforça o aplicativo, em seu comunicado.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo do RN inicia vacinação de agentes de segurança pública nesta quinta-feira; saiba número de instituições, efetivo e doses

O Governo do Rio Grande do Norte inicia nesta quinta-feira (8) a vacinação contra o coronavírus para os agentes da segurança pública que atuam no Estado. Nesta primeira remessa, serão aplicadas 1.040 doses do imunizante CoronaVac, da biofarmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan.

Devem se vacinar servidores públicos da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), Polícia Penal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal Federal e agentes públicos das guardas municipais.

Na capital potiguar e no interior do estado, a vacina será aplicada em cinco unidade da PM. São elas:

– Em Natal (Comando Geral da PM), a vacinação acontece nesta quinta-feira (8), de 7h às 11h/13h30 às 16h, e na sexta (9), de 08h às 12h;

– Em Mossoró (Hospital da PM), a vacinação acontece nesta quinta-feira (08), de 8h às 11h/13h30 às 16h, e na sexta (9), de 08h às 12h;

– Em Caicó (6º BPM), a vacinação acontece nesta quinta (08), de 9h às 16h, e na sexta (9), de 08h às 11h;

– Em Pau dos Ferros (7º BPM), a vacinação acontece nesta quinta (08), de 08h às 16h, e na sexta (9), de 08h às 11h;

– Em Nova Cruz (8º BPM), a vacinação acontece nesta quinta (08), de 13h às 16h, e na sexta (9), de 08h às 11h.

De acordo com nota técnica produzida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (SEAP), estão sendo priorizados os profissionais mais expostos às ações de combate à Covid19, de maneira escalonada e proporcional, que atuam nas seguintes situações:

– Trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes;

– Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento préhospitalar;

– Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a Covid-19;

– Trabalhadores envolvidos nas ações de implantação e monitoramento das medidas de distanciamento social, com contato direto com o público, independente da categoria.

A vacinação será realizada pelas equipes de saúde das próprias forças de segurança e salvamento, com participação e supervisão municipal.

Instituições/Efetivo/Doses

Polícia Militar

Efetivo: 8.264
Doses: 602

Polícia Civil

Efetivo: 1307
Doses: 95

Bombeiros

Efetivo: 630
Doses: 45

ITEP

Efetivo: 526
Doses: 38

Polícia Penal

Efetivo: 1.359
Doses: 99

Polícia Federal

Efetivo: 273
Doses: 20

Polícia Rodoviária Federal

Efetivo: 284
Doses: 21

Polícia Penal Federal

Efetivo: 255
Doses: 19

Guarda Municipal (Prefeituras)

Efetivo: 1.506
Doses: 101

Total
Efetivo: 14.404
Doses: 1.040

Opinião dos leitores

  1. Acho de extrema importância vacinar o pessoal da segurança pública de certa forma está na linha de frente tbm, como tbm acho de extrema importância o pessoal da educação. Mas onde fica o pessoal do transporte público, os motoristas de aplicativo e o pessoal que trabalha no aeroporto, poderia olhar um pouco mais para esses trabalhadores

  2. É pq a governadora se dos educadora, a educação os professores em segundo plano mais um ano letivo perdido

  3. O secretário de segurança disse em entrevista que já se tinha garantido 12.000 doses para as forças de segurança, que estão dia após dia na luta contra o corona vírus. CADÊ ESSAS DOSES PESSOAL ? Precisamos vacinar nossos homens e mulheres que estão em risco nas ruas para conter o avanço da pandemia no nosso estado.

    1. Na boa, prioridade são professores, motoristas de aplicativo, taxistas, motoristas de ônibus e funcionários do comércio e indústria.

      Policiais estão dentro dos carros na maioria das vezes.

      Polícia militar fica muito menos exposto que os milhares de funcionários de lojas que atendem centenas de pessoas por dia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

O que explica a lenta vacinação contra covid-19 na União Europeia

Foto: EPA

Apesar de seu peso econômico e diplomático, a União Europeia (UE) vem enfrentando problemas em seu programa de vacinação, iniciado no fim de dezembro. O total de imunizados até agora está bem abaixo de países como Estados Unidos e Reino Unido.

Na média dos países do bloco, o índice é de 14,2%, segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês). O total dos que já receberam as duas doses da vacina é de apenas 6%.

No início de abril, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criticou a lentidão da vacinação no continente europeu, o que poderia resultar “no prolongamento da pandemia”.

Vários fatores explicam os percalços da campanha de vacinação no bloco europeu.

E não é pela falta de compra de imunizantes: foram fechados acordos com quatro laboratórios que totalizam 1,1 bilhão de doses, além de mais 500 milhões em opções futuras.

São aplicadas atualmente na UE as vacinas da Pfizer-BioNtech, Moderna e Astrazeneca/Oxford. As primeiras entregas da Janssen, da Johnson & Johnson, estão previstas a partir de 19 de abril.

Outros dois contratos foram firmados com a alemã Curevac e a francesa Sanofi, que ainda não solicitaram autorização de uso na União Europeia, e representam outros 500 milhões de doses potenciais.

No total, os gastos da UE com vacinas ultrapassam 2 bilhões de euros (R$ 13,4 bilhões).

Por que a vacinação está lenta?

O comissário europeu da indústria, Thierry Breton, responsável pela campanha de vacinação na UE, prefere apontar um responsável pela lentidão da imunização nos países do bloco: o laboratório britânico AstraZeneca, que entregou apenas 30 milhões de doses das 120 milhões previstas no primeiro trimestre do ano e ainda com atraso.

“Se tivéssemos recebido 100% das vacinas AstraZeneca previstas no contrato, a União Europeia estaria hoje no mesmo patamar da Grã-Bretanha em termos de vacinação”, disse o comissário, acrescentando que o “vácuo” registrado “é devido unicamente às falhas nas entregas da AstraZeneca.”

No segundo trimestre, o laboratório sueco-britânico deverá entregar na UE apenas 70 milhões de doses, menos da metade das 180 milhões previstas.

Discussões na Europa apontam outros erros na estratégia de vacinação do bloco, a começar pela demora na aquisição das vacinas, diferentemente do que fizeram os Estados Unidos. O governo do ex-presidente Donald Trump começou a investir para acelerar o desenvolvimento de imunizantes contra a covid-19 em abril do ano passado.

O presidente da França, Emmanuel Macron, reconheceu em um discurso recente que a Europa não soube agir rapidamente em relação às vacinas. “Somos muito lentos, muito complexos e reagimos menos rápido do que os Estados Unidos”, declarou Macron.

Segundo ele, os americanos foram “mais ambiciosos”, e a Europa precisa voltar a ter “gosto do risco”, se referindo às futuras vacinas de segunda geração contra a covid-19.

Em junho passado, a UE decidiu fazer compras conjuntas de vacinas contra a covid-19, que ficaram a cargo da Comissão Europeia.

O objetivo foi garantir condições mais vantajosas nas negociações por conta dos grandes volumes, além de proteger os pequenos países do bloco, com mais dificuldades para adquirir imunizantes de maneira isolada. A distribuição é feita de maneira proporcional à população.

Recentemente, Macron voltou a defender essa estratégia. Mas as compras envolvendo 27 países membros, com burocracias na tomada de decisões e negociações longas para tentar garantir melhores preços, atrasaram o processo.

A UE também demorou para adquirir vacinas com a nova tecnologia de RNA mensageiro, da Pfizer e da Moderna. Os primeiros contratos com esses dois laboratórios foram firmados só em novembro.

Devido à falta de doses, alguns países do bloco começaram a evocar a possibilidade de comprar sozinhos outras vacinas, como a russa Sputnik V, que ainda não tem autorização de uso na Europa.

Foi o que fez a Hungria, que preferiu nem esperar o aval da agência europeia. Resultado: 25,5% da população húngara já recebeu a primeira dose, bem acima da média europeia, e quase 10% tomou a segunda.

Recentemente, o país registrou um pico no número de mortes diárias, com base na média dos últimos sete dias.

Além disso, houve problemas de logística para distribuição das vacinas na Europa e de adaptação da capacidade de produção no continente.

Ceticismo com a AstraZeneca

Esses problemas logísticos foram solucionados, e o número de unidades de fabricação dos imunizantes contra a covid-19 vem sendo ampliado na Europa.

Mas há um outro fator que pode perdurar e dificultar a aceleração da campanha de vacinação no bloco: a desconfiança em relação à vacina da AstraZeneca por parte da população do continente.

Isso está levando várias pessoas a cancelarem agendamentos e preferirem os imunizantes da Pfizer ou da Moderna, mesmo que seja necessário esperar por sua disponibilidade.

O ceticismo em relação à AstraZeneca é devido aos raros casos de tromboses e embolias que foram detectados e levaram 12 países da UE a suspender temporariamente, em meados de março, a aplicação dessa vacina.

Após análise de um total de 29 casos de trombose na época, a Agência Europeia do Medicamento informou que ela “é segura e eficaz” e que não há uma relação direta entre o imunizante e os casos relatados. A OMS também fez declarações nesse sentido.

Diferentemente dos demais países do bloco, a Finlândia e a Dinamarca preferiram, no entanto, prolongar a suspensão por algumas semanas.

Na França, ocorreram alguns casos de mortes de pessoas que tomaram o imunizante e tiveram coágulos sanguíneos, inclusive cerebrais. O caso de um jovem de 24 anos que trabalha em um hospital e faleceu dez dias após tomar o imunizante ganhou repercussão.

As autoridades francesas vêm reiterando que a vacina da AstraZeneca é segura, possui o aval da agência sanitária do país e da UE, e que milhões de pessoas já receberam esse imunizante na Europa e no mundo, enquanto há apenas algumas dezenas de casos de efeitos graves.

Ou seja, que o risco é muito baixo e o benefício de ser vacinado é bem maior.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, foi imunizado com a vacina da AstraZeneca em frente às câmeras de TV. A chanceler alemã, Angela Merkel, informou que também tomará esse imunizante.

Mas a desconfiança de uma parte dos franceses e europeus não foi dissipada.

Na França, locais de vacinação no norte do país ficaram com centenas doses de Astrazeneca encalhadas no último final de semana e tiveram de fechar antes do horário previsto por falta de interessados.

Em Calais, no norte, a prefeita informou que tinha 550 doses de AstraZeneca e apenas 70 agendamentos previstos para os próximos dias.

Segundo responsáveis de centros de vacinação na França, as vagas para tomar vacinas da Pfizer e da Moderna desaparecem em poucos minutos, enquanto as da AstraZeneca levam até dois dias para serem preenchidas.

Vários médicos de consultórios e farmacêuticos, que também podem aplicar a AstraZeneca na França, informam que houve cancelamentos para tomar essa vacina e alguns enfrentam dificuldades para encontrar interessados.

Além dos supostos efeitos colaterais, falhas na comunicação sobre essa vacina por parte das autoridades também contribuiu para criar uma confusão sobre o imunizante, com diferentes mudanças em relação às faixas etárias autorizadas.

Na França, inicialmente, a recomendação inicial da agência de saúde era de aplicar esse imunizante apenas em pessoas com até 65 anos. Outros países europeus, como Bélgica e Suécia, fizeram o mesmo (na Espanha, era só até 55 anos).

O argumento é de que os estudos não indicavam os eventuais riscos e eficácia para populações mais idosas.

Logo depois, a França resolveu autorizar o imunizante para todas as idades. Após o período de suspensão dessa vacina decorrente dos casos de trombose, a França decidiu limitar a vacinação com AstraZeneca a quem tem mais de 55 anos. O argumento foi de que as reações adversas ocorreram com pessoas jovens.

Na Alemanha, o governo passou a autorizar essa vacina só para pessoas com mais de 60 anos. No país, também tem ocorrido o mesmo que na França: locais de vacinação com a vacina da AstraZeneca vazios e os que aplicam o imunizante da Pfizer têm fila de espera.

‘Vacinódromo’

Alguns especialistas consideram que o ceticismo em relação à AstraZeneca será superado com a ampliação das campanhas de imunização e o aumento do número de pessoas vacinadas. Outros argumentam que as autoridades deveriam fazer campanhas de informação a respeito.

Para completar a desconfiança de parte dos europeus, a AstraZeneca decidiu mudar de nome na Europa e passou a se chamar Vaxzevria. Curiosamente, o laboratório não publicou comunicado sobre isso. A mudança foi vista no site da agência sanitária europeia.

Segundo especialistas, a mudança de nome de uma empresa ou marca não resolve seus problemas. Se a desconfiança perdurar, isso poderá atrasar o ritmo da vacinação na União Europeia, já que os países contam com a vacina da AstraZeneca para ampliar o número de pessoas imunizadas.

“Vacinar, vacinar, vacinar, de manhã, tarde, noite, aos domingos e feriados”, afirmou Macron.

A partir desta terça-feira (6/4), por exemplo, o icônico Stade de France, nos arredores de Paris, se tornará um “vacinódromo” que simbolizará a tão esperada aceleração da vacinação contra a covid-19 no país.

Mas, por enquanto, faltaram as doses para isso. Em abril, a França prevê receber mais doses de imunizantes do que o total das entregas nos últimos três meses.

O comissário europeu Thierry Breton, responsável pela vacinação, declarou que a imunidade coletiva na União Europeia poderá ser atingida em meados de julho.

UOL

Opinião dos leitores

  1. Se não fosse a Coronavac dos comunistas chineses com o Butantan , estaríamos numa situação vacinal pior.
    Bolsonaro desdenhou da coronavac.

  2. E o Brasil segue batendo recordes de vacinação, para desespero dos “lacradores”. Se os governadores e prefeitos da oposição deixassem de politicagem e ajudassem o Brasil, estaríamos numa situação ainda melhor.

  3. A verdade é que o europeu está esperando o resultado em outros países, só após isto muitos irão se vacinar.
    O Presidente da França expõe isso em seu discurso, a europa tem que criar gosto pelo risco.
    Infelizmente o mundo virou um grande laboratório cheio de cobaias, mas é o que temos para hoje.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FMI melhora projeções para a economia global, mas condiciona otimismo ao ritmo de vacinação

Foto: Mandel Ngan/AFP

A economia global poderia ter queda três vezes maior, não fossem os estímulos monetários injetados pelos bancos centrais durante a pandemia do coronavírus, mas a persistência de números surpreendentes depende da vacinação em massa. A conclusão está na nova edição do relatório “World Economic Outlook”, do Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgado nesta terça-feira (6).

Com esses estímulos monetários ainda irrigando as economias, o FMI revisou para cima as projeções de crescimento global para 2021 e 2022. A alta deve ser de 6% neste ano e 4,4% no próximo. O aumento é de 0,8 e 0,2 ponto percentual em relação ao relatório de outubro, respectivamente.

O Brasil está abaixo da média, com crescimento previsto de 3,7% neste ano e 2,6% no próximo. Comparado à edição de outubro, houve alta de 0,9 e 0,3 ponto percentual para a projeção do país em cada ano, respectivamente.

Por outro lado, o país tem desempenho melhor que a região onde está inserido, da América Latina e Caribe. Com queda de 4,1% em 2020, o país sofreu menos que os 7% da zona a que pertence. As altas de 4,6% e 3,1% previstas para a região, portanto, vem de uma base de queda mais intensa.

Em carta publicada no relatório, a economista-chefe do FMI, Gita Gopinath, reforça que as incertezas continuam no ambiente econômico global, mas uma saída passa a ser “cada vez mais visível”.

O FMI ressalta, entretanto, que a vacinação contra a Covid-19 é fator primordial para que os números se tornem realidade. A variável é tão importante que o fundo avisa que um desempenho melhor que o esperado pode dar vigor à recuperação em todo mundo, mas novas variantes que coloquem em xeque a efetividade das vacinas causariam uma severa revisão para baixo.

Foto: G1 Economia

O FMI fez uma série de revisões para cima ao longo de 2020, conforme as economias reagiram à pandemia do coronavírus. O maior otimismo do órgão um ano adentro da pandemia tem como plano de fundo, além da ação monetária e das vacinas, uma certa adaptação à “vida em pandemia”.

O tombo previsto para a economia global em 2020 é de 3,3%, com impacto desigual a depender do perfil de cada país e de sua força de trabalho. As consequências serão particularmente agudas em países dependentes do turismo, com dívida pública mais alta e menor capacidade de vasto atendimento de saúde.

“Jovens, mulheres, trabalhadores com nível de escolaridade relativamente baixo e os empregados informais foram atingidos com mais força”, diz o órgão.

Desigualdade em pauta

No relatório, Gita Gopinath reconhece que o vigor de retomada é mais claro em economias desenvolvidas. Exceto a China, que já recuperou seus níveis de PIB pré-pandemia ainda em 2020, a economista lembra que os Estados Unidos estão em estágio avançado de recuperação e devem atingir o marco ainda em 2021.

Além de pacotes de estímulos históricos, que despejaram mais de US$ 5 trilhões na economia, os americanos têm a mais abrangente e veloz vacinação do mundo.

Outras economias importantes, como as europeias, que têm vacinação em atraso, só retomarão o patamar em 2022, diz o FMI. Emergentes só devem chegar nesse marco em 2023.

Gopinath lembra que a renda per capita é outro fator de preocupação do FMI, com impacto em toda a cadeia global. No biênio 2020-2022, a expectativa é de perda de 20% do PIB per capita em países emergentes – excluída novamente a China – e de 11% nas economias desenvolvidas.

“Isso reverteu os ganhos na redução da pobreza, com mais 95 milhões de pessoas previstas para entrar nas categorias de extrema pobreza em 2020, e 80 milhões a mais subnutridos do que antes”, diz ela.

O quadro é ainda mais grave, pois o mercado de trabalho está punindo mais o trabalhador sem experiência prévia ou com baixa capacitação, grupos que já têm como característica uma renda menor.

“As políticas, portanto, terão que se tornar mais direcionadas para manter a capacidade de sustentar a atividade econômica durante este período incerto à medida que a corrida entre o vírus e as vacinas se desenrola”, afirma a economista.

A cooperação internacional, diz o FMI, também será vital para garantir que as economias emergentes e países em desenvolvimento possam diminuir a distância entre seus padrões de vida comparados aos de alta renda.

Prudência

Com os olhos atentos ao caminhar das vacinações ao redor do mundo, o FMI sugere que os governantes tenham prudência nos próximos passos. A entidade, inclusive, indica alguns pontos de atenção para que a tomada de decisão seja certeira enquanto persistem os efeitos da pandemia mundo afora.

Prioridade aos gastos com saúde, incluindo atendimento hospitalar, tratamento para a Covid-19, produção e aplicação de vacinas;

Fortalecer políticas de proteção social, desde trabalhadores informais até ampliação dos critérios para acesso ao seguro-desemprego;

Com normalização do mercado de trabalho, arrefecer possíveis impactos nas empresas, investir em capacitação da mão de obra, dar subsídios para contratação e criação de vagas de emprego;

Políticas de facilitação de falências, com objetivo de acelerar a alocação eficiente de capital;

Investimento em educação para compensar as perdas da formação de crianças durante a pandemia.

Resolvida a crise de saúde, o FMI recomenda ainda um foco especial em um direcionamento para o desenvolvimento sustentável.

“As prioridades devem incluir o investimento em infraestrutura verde para ajudar a mitigar as mudanças climáticas, o fortalecimento da assistência social e da seguridade social para conter o aumento da desigualdade, a introdução de iniciativas para aumentar a capacidade produtiva e se adaptar a uma economia mais digitalizada e resolver os excessos da dívida”, diz a carta de Gita Gopinath.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

FOTOS: Drivers e pontos de vacinação contra a covid-19 em Natal chamam a atenção por baixa procura

Fotos: Reprodução/Instagram

Ao Blog chegam, nos últimos dias, cada vez mais registros de drivers e pontos de vacinação contra a covid-19 em Natal, com movimento discreto ou quase nulo. As vacinas estão disponibilizadas, resta o grupo prioritário na capital buscar sua imunização.

O que está acontecendo? Atualmente, vacinam 65+. Por que não baixar essa faixa e atingir um público maior? A população espera uma resposta.

Opinião dos leitores

  1. Fatima, seu partido que tanto chama bolsonaro de assassino, na realidade governo assassino é o seu que recebeu as vacinas aplicou metade e estou ou contra a orientação do Ministério da saúde mais de 250 mil doses de vacina. Governo petista feito de ladrões e assassinos.

  2. Está muito claro que os governos estão retendo doses de vacinação, enquanto isso a população é que sofre com a quantidade de perdas.

  3. Também não entendo essa suposta retenção de doses, enquanto nos idosos abaixo de 65 anos não somos chamados.

  4. Enquanto isso há mais de 250 mil doses RECEBIDAS E NÃO APLICADAS!!

    BAIXA FAIXA PARA 40+!!
    PORRA!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *