Acidente

VÍDEO: Empresário Celso Silveira Mello, acionista da Cosan, mulher e filhos morrem em acidente de avião no interior de SP

O empresário Celso Silveira Mello Filho morreu nesta terça-feira (14), no acidente de avião ocorrido em Piracicaba, no interior do estado.

Mello Filho era acionista da Cosan, que tem seu irmão, Rubens Ometto Silveira Mello, como presidente do Conselho de Administração.

A empresa confirmou a morte do empresário em nota.

Segundo a companhia, a mulher do empresário, Maria Luiza Meneghel, os três filhos (Celso, Fernando e Camila), o piloto Celso Carloni e o copiloto Giovani Gulo também morreram no acidente.

“Com enorme pesar, a Cosan informa que o empresário Celso Silveira Mello Filho estava com a família na aeronave King Air 360 que caiu hoje, às 10h, em Piracicaba, causando a morte de todos os ocupantes. Celso era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello. Também estavam no avião a esposa de Celso, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo”.

Acidente

A aeronave em que a família estava caiu na manhã desta terça-feira (14) em Piracicaba, no interior de São Paulo.

O avião era uma aeronave de aviação executiva, de pequeno porte, contratada sob demanda.

Os bombeiros informam que seis viaturas estão no local, onde há muito fogo.

O local da queda faz parte do município de Piracicaba, em uma região mais afastada do centro da cidade, com poucas empresas, afastadas entre si.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Operação do MPRN prende em SP integrante de grupo criminoso que aplica golpes pelo WhatsApp

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta sexta-feira (10) a operação Duas Etapas. Um homem de 53 anos foi preso preventivamente em São Bernardo do Campo/SP pelo crime de estelionato. A investigação do MPRN descobriu que ele mantinha contas bancárias para recebimento do dinheiro proveniente de golpes aplicados pelo WhatsApp.

O nome da operação é uma alusão ao recurso opcional (confirmação em duas etapas) que adiciona uma camada extra de segurança à sua conta do WhatsApp. Essa tela aparece após o usuário ter registrado seu número de telefone no aplicativo com sucesso. Após ativar a confirmação em duas etapas, o usuário poderá adicionar seu endereço de e-mail. Isso permite que o aplicativo envie um link para que o usuário possa redefinir seu PIN e ajuda a manter sua conta segura.

A operação Duas Etapas cumpriu mandados de prisão preventiva e também de busca e apreensão em São Bernardo do Campo. A ação conta com o apoio do Ministério Público de São Paulo (MPSP) e da Polícia Militar paulista.

O MPRN apurou que o homem preso agia como um “testa de ferro” do grupo criminoso. Ele abria contas bancárias e as disponibilizava para recebimento do dinheiro proveniente dos golpes e movimentação financeira. Ao todo, foram encontradas 12 contas mantidas por ele para cometimento do crime de estelionato. Essas contas revelam, ainda, uma movimentação financeira superior à condição do preso na ação, que trabalha como porteiro.

Uma das vítimas do estelionatário identificadas é um aposentado de 74 anos. No dia 25 de janeiro de 2020, o WhatsApp do genro dele foi clonado. Desconhecendo essa informação, o idoso, após solicitação de dinheiro pelos estelionatários, transferiu o valor solicitado para a conta fornecida nas mensagens. Acreditando que estivesse prestando auxílio ao genro em uma situação de emergência, o aposentado transferiu os valores solicitados.

O material apreendido na ação será trazido para o Rio Grande do Norte para análise por parte do MPRN. O homem preso já foi encaminhado para uma unidade prisional paulista, onde irá aguardar por decisão judicial.

Com MPRN

Opinião dos leitores

  1. Tem que deixar as pautas ideológicas de lado e agir de forma imparcial para atender toda a sociedade e não, apenas, um grupo político de esquerda.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

SP decide atrasar conclusão da entrega de CoronaVac para o governo federal

Foto: PABLO PORCIUNCULA / AFP

O governo de São Paulo não finalizará a entrega de doses da CoronaVac para o Ministério da Saúde até esta terça-feira (31), conforme prometido pelo governador João Doria (PSDB). Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, a conclusão do envio do imunizante será reprogramada depois que o governo federal excluiu a vacina produzida pelo instituto paulista do bloco de imunizantes que serão usados na terceira rodada de vacinação do país. Agora, as doses de CoronaVac que ainda faltam devem chegar até o fim de setembro, como prevê o contrato entre o Instituto Butantan e o Ministério da Saúde. Desde fevereiro, Doria vinha prometendo antecipar em um mês o cronograma.

— Não entregaremos as 54 milhões de doses até amanhã. Estamos reprogramando as entregas em virtude da manifestação do Ministério da Saúde que excluiu a vacina para a terceira dose. Temos outros contratos a serem atendidos, outros estados, outros países. Temos nesse momento 13 milhões de doses em processamento, mas vamos fazer essa reprogramação diante dessas novas realidades — disse Covas. — As 100 milhões de doses serão entregues antes do final de setembro, o mais rápido possível, mas dentro dessa nova realidade, porque o MS tem a cada dia dado notícias no sentido de descaracterizar, descredenciar a vacina, então vamos repensar o cronograma.

O Ministério anunciou na quarta-feira (25) a aplicação de uma dose de reforço da vacina a partir de 15 de setembro em idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos, além da redução de intervalo entre doses da Pfizer e Astrazeneca de 12 para 8 semanas. Segundo o ministro da Saúde Marcelo Queiroga, a terceira dose deve acontecer preferencialmente com a aplicação da Pfizer, imunizante com o maior volume de doses contratadas pelo Ministério. O país deve receber 100 milhões de doses da vacina até o final do ano, segundo o ministro.

Nesta segunda-feira (30), o Butantan entregou ao Ministério da Saúde um lote de 10 milhões de doses, elevando para 92,8 milhões o volume total de imunizantes enviados ao Plano Nacional de Imunização (PNI). O contrato prevê a entrega de 100 milhões de doses até o final de setembro. Em fevereiro, Doria anunciou que as 54 milhões de doses que faltavam para completar o contrato seriam entregues até o final de agosto.

Em pronunciamento do governo nesta manhã, Dimas Covas disse ainda que, nessa semana, uma nova liberação ao PNI deve ser anunciada no mesmo dia em que novas doses serão liberadas aos estados que mantém contratos diretos com o Butatan, como o Ceará.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Independente de prestar, da terceira dose, de ser experimental, isso demonstra a qualidade desse dória, muito, mais muito preocupado com o Brasil. Botava até uma fezinha em Ezequiel Ferreira no plano estadual, mais uma vez, ledo engano.

  2. Ao Butantan ?

    Aonde tá o registro definitivo da vacina ?
    Ainda não deu tempo, do envio da documentação ?

    A sua vacina é emergência, não deve e nem pode ser usada, como 3 dose.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Doria anuncia Rodrigo Maia como secretário de Projetos e Ações Estratégicas do governo de SP

Foto: Reprodução/Globo News

O governador João Doria (PSDB) anunciou na manhã desta quinta-feira (19) que o deputado federal Rodrigo Maia (sem partido) será responsável pela Secretaria de Projetos e Ações Estratégicas do estado de São Paulo.

A nomeação será publicada no Diário Oficial desta sexta (20).

Segundo o governo paulista, o ex-presidente da Câmara dos Deputados será responsável por agilizar os projetos de desestatização, acelerando as parcerias público-privadas e as concessões em andamento.

Rodrigo Maia tem 51 anos e está em seu sexto mandato como deputado federal. Comandou a Câmara entre julho de 2016, quando sucedeu Eduardo Cunha (MDB-RJ), e fevereiro de 2021, quando foi sucedido por Arthur Lira (PP-AL). Ele também foi secretário da Prefeitura do Rio de Janeiro de 1997 a 1998.

Em junho deste ano, Maia foi expulso do DEM, após se desentender com o presidente do partido, ACM Neto, durante a campanha para presidência da Câmara.

G1

Opinião dos leitores

  1. Pense numa merda grande que o Mauricinho governador de SP fez, pois Nonho está igual a cachorro quando cai de mudança, esquecido por todos, agora vai se agarrar nas calças de Doria.

  2. Esse vagabundo vai transferir o título de eleitor pra arriscar ser candidato em São Paulo.
    O povo fluminenses não vota mais nesse bandido de jeito nenhum.
    Vcs vão vê.
    Resta os paulistas derrotarem.
    Esses dois são dois sem futuro, corruptos safados.

  3. Eita pareia pra dar certo, dois políticos decadente em fim de carreira vão morrer abraçado na vida pública, não se elegem mais nem pro conselho tutelar, o fim melancólico de duas decepção da política.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Doria confirma volta de público aos estádios de São Paulo a partir de 1º de novembro

Foto: Divulgação

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), confirmou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (16) que os estádios do estado poderão receber público novamente a partir do dia 1º de novembro de 2021.

O mandatário não especificou como serão os protocolos para a reabertura dos estádios e disse que a volta gradual só será possível graças ao avanço da vacinação contra o coronavírus no estado.

– O futebol terá também o seu protocolo. Com a liberação dos estádios em São Paulo a partir do dia 1° de novembro, com protocolos, assim como a Fórmula 1, para garantir a volta gradual e segura das torcidas aos estádios de futebol. Oportunamente divulgaremos isso em conjunto com a FPF (Federação Paulista de Futebol) e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). – disse Doria.

Há duas semanas, Corinthians, Red Bull Bragantino, Palmeiras, São Paulo e Santos se manifestaram em conjunto contra uma decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) que autorizou a presença de público em jogos do Flamengo em competições da CBF em cidades onde há autorização.

Na mesma coletiva, Dória informou que para o Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1, disputado no autódromo de Interlagos com previsão para 7 de novembro, a expectativa é de 100% de lugares ocupados.

Ele comunicou que para a prova automobilística será exigido comprovante de vacinação para poder entrar no evento.

Lance

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Sérgio Hondjakoff, o Cabeção de ‘Malhação’, estava em cárcere privado em clínica do interior de SP, diz polícia; ator nega

Fotos: Reprodução/Instagram

O ator Sérgio Hondjakoff, de 37 anos, conhecido por fazer o personagem Cabeção em “Malhação”, da TV Globo, estava entre os internos que, segundo a Polícia Civil, eram mantidos em cárcere privado em uma clínica em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. No entanto, nesta quinta-feira (5), o artista divulgou um vídeo em uma rede social dizendo que não estava no local (assista AQUI em texto na íntegra). O G1 confirmou que o nome completo do ator, incluindo a filiação, consta no boletim de ocorrência registrado sobre o caso na Polícia Civil (leia abaixo).

O local foi fechado em uma ação do MP nesta quarta-feira (4), após denúncias por maus-tratos. Lá, estavam 46 pacientes que faziam tratamento contra dependência química. Eles estavam trancados em quartos e sem acesso às chaves.

Os pacientes informaram ainda que tinham ligações com os familiares controladas e monitoradas pelos donos do local. Dois funcionários foram presos.

Boletim de Ocorrência lista Sérgio Hondjakoff entre os pacientes que estavam na clínica — Foto: Reprodução

A polícia informou que, embora houvesse no espaço medicamentos que exigem prescrição médica, os funcinários não tinham receita. Além disso, os internos contaram que tiveram de pagar uma taxa à clínica para serem vacinados contra a Covid-19. Segundo a polícia, os donos vão responder por sequestro.

Os internos passaram por entrevistas com assistentes sociais. Alguns deles foram encaminhados para outras clínicas de reabilitação ou clínicas psiquiátricas.

O G1 apurou que a polícia entrou em contato com a família do ator e que ele ficaria sob cuidados da assistência social da prefeitura de Pindamonhangaba até a chegada de familiares.

A polícia não informou há quanto tempo Sérgio estava sob cárcere.

Apesar de o ator negar em vídeo, o boletim de ocorrência do caso obtido pelo G1 diz que ele foi até a delegacia após a operação conjunta entre MP e Polícia Civil.

Trajetória

O ator participou de “Malhação” entre 2000 e 2006, no papel de Artur Malta, o Cabeção. Atualmente, estava morando em Resende (RJ).

Nas redes sociais, sua última postagem antes do caso foi em 10 de maio, quando publicou em seu perfil no Instagram uma foto em que aparece ao lado de Cauã Reymond na época em que atuaram juntos na série.

“Feliz aniversário, meu querido Amigo @cauareymond. Saudades de você!!!”, diz a legenda.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Justiça concede liberdade provisória para homem preso após grupo colocar fogo na estátua de Borba Gato em SP

Fotos: GABRIEL SCHLICKMANN/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO/YURI MURAKAMI/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Justiça de São Paulo concedeu neste domingo (25) liberdade provisória para um homem suspeito de envolvimento no incêndio no monumento que homenageia o bandeirante Borba Gato.

O suspeito teria dirigido o caminhão, que foi identificado e apreendido pelos policiais. Ele responde pelo crime de associação criminosa e por causar incêndio, expondo a perigo o patrimônio de outra pessoa. O homem também é acusado de ter adulterado a placa do caminhão usado na ação.

O ataque à estátua ocorreu nesse sábado (24) em Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo. Um vídeo mostra o momento em que os manifestantes retiraram pneus de um caminhão, espalharam os objetos pela via e nos arredores da estátua e, em seguida, atearam fogo no local. O caso ocorreu por volta das 13h30.

Na madrugada deste domingo (25), a Polícia Civil localizou o caminhão utilizado pelo grupo na cidade de Ferraz de Vasconcelos, na Grande SP. O veículo estava com a placa adulterada e foi apreendido.

O motorista foi identificado e encaminhado ao 11º Distrito Policial (DP) em Santo Amaro, na Zona Sul, onde foi preso após prestar depoimento.

Na decisão desse domingo, a juíza Eva Lobo Chaib Dias Jorge revogou a prisão em flagrante por considerar que os atos “não foram praticados com violência ou grave ameaça”.

A juíza afirma ainda que, por ter endereço e trabalho fixos, o suspeito, mesmo se for eventualmente condenado, dificilmente deve cumprir pena de prisão em regime fechado.

Na decisão, a Justiça determina ainda que o suspeito não poderá se ausentar da cidade ou mudar de endereço, e que deverá comparecer às audiências para justificar suas atividades.

Incêndio na estátua

Em frente ao monumento em chamas, o grupo responsável pela ação estendeu uma faixa com a frase “Revolução periférica – a favela vai descer e não vai ser carnaval”.

Policiais militares e bombeiros chegaram ao local pouco tempo depois, controlaram as chamas e liberaram o tráfego. Ninguém ficou ferido.

Uma avaliação preliminar da Defesa Civil indicou que, a princípio, o fogo não comprometeu a estrutura. No entanto, a Prefeitura da capital disse que nos próximos dias, após a limpeza do local, será possível analisar melhor os danos ao monumento e, então, uma vistoria mais detalhada deve ser feita.

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) informou que irá aumentar o número de rondas pela Praça Augusto Tortorelo de Araújo, onde fica a estátua de Borba Gato.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Podia queimar os ladrões vivos ao invés de adorá-los, esses sim, representam uma verdadeira ameaça ao nosso povo. Estátua é uma estátua, não faz mal a ninguém, já os ladrões de dinheiro público sim, excluem os cidadãos de uma vida digna, roubam os direitos dos cidadãos a educação, saúde, segurança e de infraestrutura mínima.

  2. Estranho não ter os comentários dos debiloides de plantão José Tomaz, Manuel F, Junin apoiando mais um ato terrorista que demonstra a forma da esquerda protestar e se manifestar. Sempre tem vandalismo e crime, seja quebrando vidraças, tocando fogo em bem público, colocando fogo em pneus nas vias públicas, enfim, todo tipo de baderna que deve e tem que ser reprimida no ato e não depois da destruição.

  3. Fumaça altamente tóxica, proveniente da queima de pneus. Crime ambiental, contra a saúde publica e depredação de patrimônio público e histórico. Além do risco direto contra a vida dos transeuntes. O nome disso é TERRORISMO. Tem que descobrir os mandantes e financiadores e punir TODOS.

  4. A onde a mundiça do PT vai, tem quebradeira vandalismo.
    Esses jumentos de duas patas, não tem jeito.
    Canalhas.

    1. Vamos rasgar todos os livros que tratam de ditadores e ditaduras, queimar a história, se não me agradar, apaga, risca, queima. Isso é de idiotice sem precedentes, maléfico, danoso, imbecil; Todos os péssimos presidentes ladrões, analfabetos, mentirosos, ridiculos e burros, para grande parte do país, devem ser eliminados da história, isso só passa na cabeça de mentes doentes.

    2. Pedro mentecapto, não estou propondo “rasgar a história”, mas eliminar as homenagens absurdas a pessoas que não representam uma forma escorreita de atuação. Borba Gato tem a sua importância no contexto histórico brasileiro, mas o que ele representa é uma desgraça.

    3. Quer “cancelar” personagens históricos que fizeram (muito) mal à humanidade, “cumpanhero”? Vou citar alguns: Fidel Castro, Che Guevara, Stalin, Lenin, Mao Tsé Tung, Hugo Chaves, Pol Pot… Esses foram comunistas.

    4. E quem vc pensa que é, palhaço desatento, para julgar a história? Borba Gato (com seus defeitos e qualidades) teve grande importância no desbravamento e crescimento do território nacional, assim como vários outros bandeirantes. Todo povo tem que zelar por sua história, sempre atento do contexto de época. Vc é apenas mais um “lacrador” ignorante e arrogante, que tenta sem sucesso destruir a identidade nacional.

  5. A Festa da impunidade no Brasil! Carregou os comparsas e os pneus, fraudou a placa do veículo para não ser identificado, incendiou com seus comparsas o monumento num ato de terrorismo.
    Menos de 24 horas preso e solto.

  6. Por esses motivos é que a bandidagem deita e rola um bandido deste j´pa estar solto para fazer tudo de novo , quando na realidade era para botar fogo nessa FDP tambem, ou passarums ferias de uns dez anos atraz das grades, talvezx se fosse uma trabalhador seria penalizado

    1. Bota 🔥 na tua galhada também… tá impedindo de passar pela porta já.

  7. Fica difícil compreender a justiça brasileira. As vezes eu penso que passar em um concurso não diz se a pessoa tem mesmo capacidade de assumir um cargo.

  8. Se fosse um pai de família talvez estivesse preso, mas como é um bandido já está solto para fazer tudo novamente!

  9. Participação de quem? Incentivado por quem? Manifestação de quem? Contra quem? Dinheiro do contribuinte queimado. Quem vai pagar para restaurar?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Juiz morre eletrocutado em clube de tênis em SP

FOTO: REPRODUÇÃO / TJ-SP

O juiz Rafael Bragagnolo Takejima morreu após receber uma descarga elétrica em um clube de tênis na Vila Refente Feijó, zona leste de São Paulo, na tarde dessa quinta-feira (22).

O acionamento do Corpo de Bombeiros foi às 14h24 para a avenida Vereador Abel Ferreira, número 1.070, onde funciona o Mazzeo Tennis. No local, o juiz foi socorrido e encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital da Vila Alpina em estado grave. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

Seis viaturas do Corpo de Bombeiros, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e o helicóptero Águia 5 do Grupamento Aéreo da Polícia Militar atenderam a ocorrência.

Histórico

Rafael nasceu em Itu, no interior paulista, se graduou pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo, e ingressou na Magistratura em 2009. O juiz atuava na 4ª Vara Cível da Comarca de Diadema, na Grande São Paulo.

Em sua trajetória na Corte paulista, o juiz atuou na 22ª Circunscrição Judiciária – Itapetininga e nas comarcas de Presidente Epitácio (2ª Vara), Itapeva (1ª Vara), Capital (juiz auxiliar), Praia Grande (3ª Vara Cível) e Diadema (4ª Vara Cível).

O Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a morte do juiz e divulgou nota de pesar. “A Corte paulista e a família forense homenageiam o magistrado pelo trabalho desempenhado em prol da Justiça. O Tribunal se solidariza com os familiares, amigos e colegas. A Presidência lamenta a partida do magistrado”, escreveu em comunicado.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SP pode diminuir intervalo entre doses da Pfizer e Astrazeneca

Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou, em entrevista ao Jornal da CBN nesta sexta-feira (23), que é possível reduzir o intervalo de 90 dias entre as duas doses das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca no estado desde que haja estoque suficiente dos imunizantes. Ele disse que o Ministério da Saúde prometeu antecipar as entregas em oito ocasiões, mas não cumpriu e terminou repassando menos vacinas do que o volume anunciado. O governador paulista lembrou que, nos Estados Unidos, o prazo entre as duas aplicações do imunizante da Pfizer é de apenas um mês.

Sobre o anúncio de que São Paulo terá um novo ciclo de vacinação contra Covid-19 em 2022, o político afirmou que, apesar de ainda não haver um consenso sobre a necessidade dessa medida, há reconhecimento. De acordo com Doria, especialistas já sabem que precisaremos ser vacinados anualmente, o que ainda não se sabe é o período entre um ciclo vacinal e outro. Em São Paulo, profissionais da saúde serão o primeiro grupo a receber o imunizante no ano que vem.

Diagnosticado com a Covid-19 pela segunda vez, o governador de São Paulo afirmou que se sente muito bem e que está ‘absolutamente assintomático’. Doria ressaltou que foram as duas doses da vacina Coronavac que o salvaram.

O governador de São Paulo também confirmou que o estado flexibilizará as medidas de restrição a partir de 1 de agosto. Ontem o estado de São Paulo bateu um novo recorde de vacinação, com 619 mil vacinas aplicadas em 24 horas, o que representa um terço de toda a vacinação do país. Doria destacou que o estado já registra redução de quase 50% dos óbitos, a menor média de internação do ano e a menor taxa de ocupação de leitos de UTI.

Questionado sobre as recentes ameaças do presidente Jair Bolsonaro e de integrantes do seu governo à democracia, Doria afirma que não há nenhum risco delas se concretizarem. ‘A democracia brasileira é maior e mais forte do que golpistas ou do que os que flertam com o autoritarismo’, disse.

CBN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Olavo de Carvalho deixa hospital em SP após 10 dias internado

FOTO: JOSHUA ROBERTS/REUTERS

O escritor bolsonarista Olavo de Carvalho, de 74 anos, teve alta neste domingo (18), após dez dias internado no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas. No dia 8, ele sofreu um mal-estar durante um voo entre os Estados Unidos e o Brasil.

Segundo o médico José Antonio Ramires, o escritor teve uma crise de angina.

A internação é alvo de inquérito civil instaurado pela Promotoria de Justiça de Direitos Humanos do Ministério Público de São Paulo, que avalia se Olavo usou o SUS (Sistema Único de Saúde) de forma irregular.

O Hospital das Clínicas disse que prestará “todos os esclarecimentos”.

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Bom demais, não contribui com um centavo para o erário, mas goza dos caríssimos especialistas do INCOR.

    1. Não fez nada ilegal. Lula usou o sistema de saúde de Cuba há alguns dias. Com que direito? Mas ele contribui muito para a ditadura cubana, não foi?

  2. O livro “com não ser um idiota útil” do Olavo de Carvalho precisa de uma atualização urgente.
    1) o capitalismo é uma beleza, os EUA é uma maravilha, MAS CASO NECESSITE de tratamento de saúde procure o SUS.
    2) as universidades públicas são antros de esquerdistas, e maconheiros, MAS OFERECEM UM EXCELENTE MÉDICO GRATUITO.

    1. A grande força do capitalismo provem exatamente da possibilidade de cada qual fazer suas próprias escolhas, conforme suas preferências, possibilidades e interesses. No comunismo não há escolhas, há imposições.

  3. Quero lembrar que o filósofo não perdeu a cidadania brasileira. Continua sendo brasileiro, com familiares, amigos e raízes no Brasil, além de continuar contribuindo para o pais. . Esses esquerdopatas dementes (desculpem a redundância) agora querem determinar quem pode ou não recorrer ao SUS? O bandido de 9 dedos disse que recorreu à medicina cubana faz alguns dias. Ele é cubano? Mas Cuba deve muito a ele, isso nós sabemos.

    1. Quando vejo seres como você, chamar um charlatão desses de “filósofo”, imagino que você só serve de chacota mesmo… NADA MAIS!

    2. E vc não diz nada sobre o tratamento do seu bandido predileto em Cuba? Por que?

    3. Olha o gado aí minha gente… continua defendendo o cara que mete o pau no SUS, mas quando precisa, é ao SUS que recorre! Achou que as vaquinhas on-line iriam dar conta da fatura alta dos gastos com saúde dos EUA… vai nessa…

  4. Pronto, agora pode voltar pra o Estados Unidos.. o grande patriota Olavo.. #sqn.. piada pronta esse povo..

  5. E essa peste não estava nos EUA?
    Veio buscar tratamento aqui no SUS?
    A gente vai pagar o tratamento dessa praga também?
    Igual como pagamos o tratamento do miliciano no hospital luxuoso?!

  6. Vixe! Olavo se internou no hospital da USP pelo SUS? Pensei que ele dizia que nas universidades só tinha petistas e maconheiros … Será que mudou de ideia? Coisa estranha o guru do MINTOmaníaco das rachadinhas vir lá dos Estados Unidos pra ser atendido aqui no Brasil pelo SUS!!!

    1. Não consigo me acostumar com sua pobreza de espírito, apesar dos incontáveis e inacreditáveis comentários que posta por aqui. Mesmo assim, vc sempre surpreende. Pena que sempre para pior.

    2. Direita Honesta, fico feliz em saber que as verdades que comento desagradam tanto um idólatra de político como vc! Além disso, eu não sou contra o SUS, nem Universidades, muito menos contra idosos, só cobro coerência do guru da família das rachadinhas…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Com novas regras, escolas do Rio e SP já podem ter 100% dos alunos presenciais na volta das férias

Foto: Leo Martins / Agência O Globo

As cidades do Rio e de São Paulo se aproximam do fim do rodízio em salas de aulas. Com novas regras, as escolas com mais espaço, em geral as privadas e de elite, poderão ter 100% dos estudantes presencialmente, em todas as classes e dias da semana. As mais apertadas, no entanto, continuam no no modelo híbrido, sendo parte das lições no colégio, e outra em casa.

Em São Paulo, o governador João Doria anunciou o fim da limitação de 35% da turma presencial, seja pública ou privada. Agora, a regra passa a ser o tamanho das salas: aquelas que comportarem todos os alunos com um metro de distância entre si poderão funcionar sem rodízio. A capital paulista decidiu seguir a mudança, que já está valendo.

— O avanço da vacinação e a redução de casos nos possibilita avançar em alguma flexibilização. Mas ainda é preciso tomar muitos cuidados, especialmente por causa da variante Delta, já identificada aqui — afirmou Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 do estado de São Paulo.

Na rede estadual do Rio, a liberação de alunos em sala de aula ainda é definida pela proporção da turma. Em cidades com bandeira laranja, como está a maior parte do estado, podem 50% dos estudantes. Aquelas no nível verde é possível 100% em sala.

No entanto, na cidade do Rio, responsável por regular a rede municipal e a privada, houve uma diminuição no tamanho da distância entre crianças: passou de 1,5 metro para um metro. A regra foi definida há duas semanas, após aprovação do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da prefeitura.

“A análise de um estudo feito em escolas públicas em Massachusetts, nos EUA, comparou o impacto de políticas de distanciamento de um metro e dois metros, mostrando que a diferença da distância recomendada não alterou o número de casos. Com isso, concluiu que políticas de distanciamento de um metro podem ser adotadas em escolas sem que a segurança da comunidade seja prejudicada”, divulgou o município.

Apesar de parecer pouca, essa diferença de 0,5 metro é fundamental para o fim dos rodízios. Com ela, algumas escolas privadas já decidiram e estão comunicando os pais de alunos que, na volta das férias em agosto, haverá a volta completa. Esses são os casos, por exemplo, da Eleva e do Colégio Recanto. A rede Mopi discute o tema, mas a tendência é definir a mudança também. No entanto, essa não deve ser a realidade da maior parte das escolas públicas da cidade, que possuem salas mais apertadas.

— Na sala do meu filho tem de 25 a 28 alunos e, com um metro de distanciamento, só cabem nove por vez — conta Cátia Guimarães, mãe de um estudante da rede.

Pais de alunos da rede municipal do Rio reclamam ainda que, além de diminuir a distância de alunos em sala de aula, a prefeitura do Rio decidiu acabar com as aulas ao vivo pela internet. Segundo Guimarães, a medida prejudica tanto os que optam pelas lições à distância, quanto aqueles que fazem o sistema híbrido.

— Quanto mais crianças entram no rodízio, mais tempo elas ficam estudando em casa. Hoje, os alunos da turma do meu filho vão para a escola semana sim, semana não. Com mais estudantes se revezando, podem passar para semana sim, duas não. E a aula ao vivo é o único momento em que os estudantes têm contato direto com o professor quando estão no sistema remoto— diz.

Desigualdade

Estudo do Instituto Unibanco e do Insper com base em pesquisas acadêmicas dos últimos dez anos descobriu que, mesmo em condições ideais, o ensino remoto consegue apenas 17% da aprendizagem esperada em Matemática e 38% de Linguagem.

Por isso, especialistas em educação se preocupam com a desigualdade de aprendizagem entre alunos de escolas funcionando integralmente de forma presencial e dos que seguem em sistema de ensino híbrido ou até mesmo completamente remoto.

No primeiro semestre de 2021, enquanto 18 redes estaduais tiveram 100% das aulas de forma remota, todas as particulares já foram autorizadas a passar para algum formato híbrido, no qual pelo menos parte das atividades é feita dentro da escola. E, nas últimas seis semanas, não houve proibição em nenhum momento de que a rede privada funcionasse com rodízio.

— Muitos jovens em situação de vulnerabilidade estudaram apenas com apostilas que eram corrigidas à distância por seus professores. Se a gente pensar no Enem, as chances desses alunos competirem com quem já passou pelo menos para o híbrido são muito desiguais — avalia Cláudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da FGV.

Nesta terça-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que trabalha em uma portaria com o Ministério da Educação para disciplinar a volta às aulas no país. Por enquanto, outros estados e capitais têm regras mais rígidas do que as atuais de Rio e São Paulo — que, na prática, inviabilizam um retorno sem rodízio.

Rio Grande do Sul, Bahia e Minas Gerais determinaram uma distância mínima de 1,5 metros por estudante. Em Salvador e Porto Alegre também. Já Belo Horizonte determinou dois metros. No Distrito Federal, a regra define que metade da turma terá aulas presenciais em uma semana e o restante terá ensino remoto, alternando os grupos a cada semana.

— O mínimo razoável de distanciamento entre os alunos é 1,5 metro, atrelado a uma boa infraestrutura para oferecer salas arejadas, todos usando máscaras e passando álcool em gel ou lavando as mãos com frequência, a disponibilização de máscaras, de preferência a PFF2/N35, tudo isso em conjunto à vacinação — afirma Eliseu Waldnan, epidemiologista e professor da Universidade de São Paulo (USP).

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Os estados que querem voltar com 100% deveriam é fornecer Internet de boa qualidade nas escolas e para os alunos para que pudessem fornecer um ensino híbrido de qualidade e não expor a comunidade escolar dessa forma.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SP compra 4 milhões de doses de CoronaVac para paulistas, relaxa quarentena e anuncia 30 eventos-teste

Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira a compra de 4 milhões de doses da vacina CoronaVac para acelerar a campanha de imunização contra a Covid-19 no estado. A primeira entrega deve ocorrer ainda nesta quarta, com 2,7 milhões de ampolas vindas da China. O restante, 1,3 milhão, é esperado para até 26 de julho.

Com essa quantidade extra de imunizantes, negociada diretamente pelo governo paulista junto ao laboratório Sinovac, um novo calendário deve ser apresentado nos próximos dias. O uso dessas vacinas será dedicado exclusivamente ao estado de São Paulo, sem entrar no estoque do Programa Nacional de Imunização (PNI).

Na mesma coletiva de imprensa, realizada no Palácio dos Bandeirantes, o governador anunciou relaxamento na quarentena a partir desta sexta-feira, 9 de julho, feriado no estado. O horário de funcionamento de atividades econômicas será ampliado até as 23h — anteriormente, o fechamento de estabelecimentos era marcado para as 21h. Assim, o toque de recolher valerá entre as 23h e as 5h.

O governo também permitiu o avanço da ocupação dos estabelecimentos, de 40% para 60%. Essas novas regras valem até 31 de julho.

Em relação à semana anterior, São Paulo apresenta queda de casos (-20,6%), mortes (-10,6%) e internações (-11,4%) por Covid-19, simultaneamente. Trata-se da segunda semana consecutiva em que o estado mira para esse cenário de redução no trio de indicadores.

— A queda não ocorreu no estado de São Paulo de maneira uniforme. Ela começou um pouco antes na Grande São Paulo e na Baixada Santista — explicou o coordenador executivo do Centro de Contingência da Covid-19, João Gabbardo. De acordo com o especialista, a redução no interior do estado demorou mais para acontecer, em comparação com essas duas regiões.

O ritmo da doença em velocidade variada no estado ainda causa, portanto, impacto em regiões do interior, que apresentam atualmente ocupação de leitos de terapia intensiva (UTI) superior a 80% — Gabbardo não especificou quais são essas localidades. Por outro lado, a Grande São Paulo tem 64,56% de ocupação de leitos de UTI.

Outra flexibilização anunciada é a da retomada das aulas presenciais nos ensinos técnico e superior. A partir de 2 de agosto, faculdades públicas e privadas poderão voltar a oferecer classes presenciais com até 60% de lotação.

Contrato

Nesta quarta, o governador João Doria (PSDB) também reiterou o compromisso de que o Instituto Butantan antecipará em 30 dias a conclusão da entrega dos 100 milhões de doses da vacina CoronaVac comprados pelo Ministério da Saúde.

— O instituto Butantan entregará 47 milhões de doses complementares (de CoronaVac) até 31 de agosto — afirmou Doria.

Pelo contrato, o instituto poderia entregar esses lotes até 31 de setembro ao PNI. A ideia de finalizar o contrato um mês antes já havia sido anunciada por Doria nos últimos meses, mas a escassez de matéria-prima para a produção da vacina colocava essa proposta em risco.

Uma nova entrega do ingrediente da CoronaVac marcada para 14 de julho, com 12 mil litros, suficientes para 20 milhões de doses, permitirá manter essa perspectiva, segundo o governador. Ainda segundo Doria, a compra de doses extras exclusivas para São Paulo em nada afeta esse cronograma.

Eventos

Outra novidade anunciada pela gestão Doria é a realização de eventos-teste a partir do próximo dia 17. As atividades serão das áreas de cultura, negócios, lazer, esportes e turismo.

O acesso a esses eventos será restrito a pessoas já vacinadas. Eles serão promovidos com “rígidos controles sanitários”. A ideia é que essas experiências sirvam de modelo para uma retomada segura de eventos no estado.

Até agora, está prevista a realização de feiras de economia criativa, shows — no Allianz Parque —, da feira SP Arte, da Campus Party, do Grande Prêmio de Automobilismo de São Paulo, uma prova de corrida de 10 quilômetros, além de eventos sociais, como casamentos e jantares. Os últimos ainda neste mês de julho.

As exigências para o público participante serão: ter concluído o esquema vacinal e testar negativo para Covid-19. Haverá monitoramento entre os participantes e ocupação reduzida dos ambientes que receberão essas atividades.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Pelo menos Dória comprou alguma coisa e a nosGovernadora Fátima, já comprou a Sputnik V?
    Só quero ver a presepada, quem vai quere tomar isso. Meu corpo minha regra.

    1. O que a galera da hipocrisia falso moralismo não fazem, defendem Dória, para acusar Fatão, povo sem coerência.

    2. Comprou, comprou Respiradores e não recebeu, comprou sucatas de respiradores, comprou sacos de lixos e outras coisitas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo de SP pagará seis parcelas de R$ 300 a quem perdeu parente por Covid-19

Foto: Reprodução/Governo de SP

O governo de São Paulo vai pagar seis parcelas de R$ 300 a quem perdeu parente para a Covid-19. O anúncio do programa de transferência de renda foi feito em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (29).

O programa vai beneficiar mais de 11 mil famílias em todo o Estado de São Paulo e terá o investimento de R$ 20,1 milhões, valor destinado ao pagamento de 6 parcelas mensais no valor de R$ 300, totalizando R$ 1.800, entre os meses de julho e dezembro de 2021.

O público-alvo da iniciativa são famílias inscritas no CadÚnico do governo federal, com renda mensal de até 3 salários-mínimos (R$ 3.300,00) que tenham perdido pelo menos um familiar vítima de Covid-19, podendo ser pai, mãe, avô, avó, filho, filha etc., desde que o óbito tenha ocorrido dentro do núcleo familiar.

É o segundo programa de transferência de renda anunciado pela gestão estadual neste mês.

No dia 17 de junho, o governo de São Paulo lançou um programa para auxiliar famílias de baixa renda a comprarem botijão de gás no estado, o “Vale-gás”. As famílias receberão três parcelas de R$ 100 a cada dois meses – a primeira em julho, a segunda em setembro e a terceira em novembro.

Foto: Reprodução/Governo de SP

G1

Opinião dos leitores

  1. Pqp, pensei que era 300.000,00, é 300,00, kkk, este é o valor das vidas assassinadas pelos cientistas chineses e os governadores e Prefeitos com o covid 19, piada dantesca.

  2. A governadora Fátima será que vai pagar também esses R$300. A Deputada que gosta de dar entrada em ministério público contra os outros, será entrará com um “PEDIDO” a Fátima para dar esses 300 reais.

  3. Sério, 65% de gordura? Lá vem a geração lowcarb acreditando – de novo – em lorotas da Nestlé e Danone. Essas turminha não chega aos 60…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SP afirma que toda a população adulta será vacinada contra Covid-19 até o final de outubro; veja calendário

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que a vacinação contra a Covid-19 de todas as pessoas com mais de 18 anos no estado deve ser concluída até o final de outubro deste ano. A promessa foi feita em uma postagem nas redes sociais nesta quarta-feira (2).

“Vamos vacinar toda a população adulta do estado de São Paulo até 31 de outubro deste ano”, disse Doria.
Em coletiva de imprensa, Doria reforçou a promessa e disse que toda a população adulta do estado estará vacinada até o dia 31 de outubro.

“São Paulo vai concluir toda a vacinação da sua população até o dia 31 de outubro – toda a população vacinável do estado de são Paulo será vacinada até 31 de outubro. A população com mais de 18 anos estará plenamente imunizada até esta data”, disse o governador.

Na coletiva desta quarta, o governo divulgou, pela primeira vez, datas de vacinação de pessoas sem comorbidade com menos de 54 anos. Veja as datas:

1 a 20 de julho – 55 a 59 anos

2 a 16 de agosto – 50 a 54 anos

17 a 31 de agosto – 45 a 49 anos

1 a 10 de setembro – 40 a 44 anos

11 a 20 de setembro – 35 a 39 anos

21 a 30 de setembro – 30 a 34 anos

1 a 10 de outubro – 25 a 29 anos

11 a 31 de outubro – 18 a 24 anos

Mudança nas previsões

A previsão divulgada pelo governador nesta quarta é diferente da anunciada por ele próprio dois dias atrás. Na segunda-feira (31), em coletiva no Instituto Butantan, o governador havia prometido que a vacinação seria encerrada até dezembro.

No mesmo dia, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, discordou da previsão do governador e declarou que “é muito otimista chegar à vacinação de toda a população adulta até o fim deste ano”.

No seminário Webinário Direitos Já!: Desafios para uma Articulação Nacional no Enfrentamento à Pandemia, ele disse que “a julgar pelo ritmo, isso não vai acontecer nessa velocidade em que está previsto e, possivelmente, nós vamos conseguir terminar a vacinação de 50 a 60 milhões, que é o que está previsto aí nessa fase inicial do PNI, na minha previsão, no final de setembro a início de outubro”.

“Antes disso não teremos essa possibilidade”, afirmou o diretor do Butantan.

Dimas destacou ainda que “o ritmo de vacinação nunca foi suficiente, em nenhum momento, para justificar uma aceleração muito grande da vacinação, mesmo tendo disponibilidade de vacinas”.

A previsão de vacinar toda a população do estado até outubro é diferente da estimada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em evento na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Na segunda, ele declarou que “até o final do ano teremos a nossa população imunizada”.

Em reunião virtual com a Organização Mundial da Saúde (OMS) no fim de abril, o ministro disse ser “possível garantir” que toda a população brasileira será vacinada até o fim de 2021.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Saudades do especialista em logística Pezadello que afirmou que a vacinação iria começar no dia D na hora H (????)… Será que ele pensou que vacinar seria uma missão secreta? KKKKKKK

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cidade que fez vacinação em massa em SP tem média de mortes até 4 vezes menor que vizinhas

Foto: Instituto Butantan/Divulgação

Mais de um mês depois do término de uma vacinação em massa contra a Covid-19, Serrana (SP) registra uma média de mortes causadas pela doença até quatro vezes menor, se comparada com municípios com população similar na região de Ribeirão Preto (SP).

Desde o início de maio até quarta-feira (19), a cidade escolhida para o Projeto S, estudo do Instituto Butantan sobre a efetividade da CoronaVac, registrou três novas vítimas, contra óbitos que oscilam entre 5 e 13 nas demais. Com isso, a média para cada 10 mil habitantes é de 0,66, contra 2,89 na pior situação epidemiológica entre as outras três localidades.

Serrana também apresenta melhores retrospectos com relação às médias móveis diárias e, agora, também na totalização de mortes quando comparada com outras cidades (veja ao longo da reportagem).

O comparativo foi feito com Orlândia (SP), Pontal (SP) e Jardinópolis (SP), que têm entre 45 mil e 50 mil habitantes, mas, diferente de Serrana, ainda não atingiram a mesma proporção de moradores imunizados contra a doença.

Enquanto as duas doses chegaram a 60% da população por meio do estudo, nessas outras cidades as doses chegaram a proporções que variam entre 6% e 10%.

Para especialistas como o médico infectologista Fernando Bellissimo, da USP de Ribeirão Preto, os números colocam em evidência um dos principais resultados esperados pela vacina desenvolvida pelo Butantan com a Sinovac, que é de reduzir a manifestação de casos graves da doença.

“Esse é o efeito esperado da vacina Coronavac: redução da mortalidade, sem grande efeito sobre a incidência. Ou seja, a vacina previne o adoecimento com maior gravidade, mas não a infecção pelo SARS-CoV-2. Portanto, não há imunidade de rebanho como alguns pretendem”, diz.

Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde de Serrana informou que não comentará números nem passará mais informações além das divulgadas periodicamente no boletim epidemiológico, até a divulgação dos resultados do estudo, prevista para o fim de maio.

O Instituto Butantan não comentou os dados até a publicação desta reportagem, mas confirmou que os resultados do estudo do Projeto S devem ser divulgados nos próximos dias.

Vacinação em massa

Iniciada em 17 de fevereiro, a imunização em massa foi concluída em 11 de abril, com mais de 27 mil pessoas vacinadas duas vezes, o equivalente a 60% da população de Serrana.

Por terem ficado de fora dos testes nas fases anteriores sobre a CoronaVac, não foram imunizadas no projeto menores de idade, mulheres grávidas ou em amamentação, pessoas com doenças graves e quem teve febre 72 horas antes da vacinação.

Localizada a 315 quilômetros de São Paulo, a cidade foi escolhida para o estudo clínico por ter um baixo número populacional, de 45.644 habitantes, além de estar próxima a Ribeirão Preto, que é considerada uma referência nacional em saúde.

Além disso, Serrana apresentou dados preocupantes de transmissão do vírus em um inquérito sorológico realizado pelo Instituto Butantan em 2020, que estimou que a cidade tinha 10,6% dos moradores infectados pelo novo coronavírus.

Além da queda nos casos e mortes após a vacinação em massa, entre os indicadores positivos profissionais da área também registraram queda de 55% no número de pacientes atendidos pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e uma proporção sete vezes menor de pessoas que desenvolveram complicações da doença.

Um acompanhamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, também indicou baixa constante na média móvel de casos da doença desde meados de março.

Mortes e casos por 10 mil habitantes

Com base em números divulgados pelas prefeituras, é possível apontar que, desde março, a média de mortes por grupo populacional está em queda em todos os municípios avaliados. Mas, entre eles, Serrana é o que tem a menor proporção de óbitos causados pela Covid-19.

Nos registros entre 1º e 19 de maio, em um grupo populacional de 10 mil pessoas, a taxa é de 0,66, menos de um quinto da média de Jardinópolis, com 2,89, e até 55% abaixo do atingido em Orlândia e Pontal, entre 1,13 e 1,18.

A média também representa a metade do registrado em abril, quando a cidade já tinha a menor incidência no comparativo.

A baixa também é observada com relação aos novos registros gerais da Covid-19, ainda que a eficácia global para casos sintomáticos seja de 50,38%, segundo os resultados de testes divulgados pelo Butantan em janeiro.

Em Serrana, a média de casos por 10 mil habitantes vem caindo desde março e até o dia 19 deste mês é de 44,91, o que deixa a cidade acima de Pontal, com 42 registros por 10 mil pessoas, mas abaixo de Orlândia e Jardinópolis, onde há, em média, entre 68 e 103 novos registros no mesmo contingente populacional.

Números acumulados da pandemia

No acumulado desde o início da pandemia, o município ainda é o que tem o segundo maior saldo de casos, com 3.906 pessoas infectadas, somente atrás de Pontal, mas é o que menos acumula mortes, com 87. Veja os resultados por cidade:

Serrana: 3.906 casos e 87 mortes

Pontal: 4.011 casos e 132 mortes

Orlândia: 3.518 casos e 97 mortes

Jardinópolis: 3.111 casos e 121 mortes

Médias móveis

Quando avaliadas as médias móveis diárias, ou seja, baseadas nos novos registros dos últimos sete dias, Serrana também apresentou melhora no retrospecto ao longo das semanas, até ficar abaixo de outras cidades.

Na avaliação das mortes, em 11 de março, o município teve um pico de 0,86, número que chegou a superar Orlândia e Jardinópolis e ficou oscilando até 24 de março, quando começou a demonstrar tendência de queda.

Ainda com elevações pontuais, sem voltar aos patamares anteriores, a média móvel chegou a 0 entre 22 de abril e 4 de maio, e desde então ficou em 0,14, número semelhante ao de Pontal.

Na análise dos casos, a média móvel chegou a 38 no dia 19 de março em Serrana, índice que superava os das outras três cidades, mas se manteve com tendência de queda até 2 de maio, quando atingiu o patamar de 2,86, abaixo de todos os outros.

Os números voltaram a subir, mas em níveis abaixo dos anteriores, e até o dia 19 chegou à média de 12,57 casos, acima de Pontal (10,71), mas abaixo de Orlândia (23) e Jardinópolis (20,86).

G1

 

Opinião dos leitores

  1. O pior dessa falta de vacinas foi a pagina da prefeitura de Natal continuar colocando ‘filas intensas’, filas moderadas etc quando não existia mais sequer uma dose. Enganosa e provocadora de prejuízos para os cidadãos a a pagina: https://vacina.natal.rn.gov.br/

  2. O sindicato dos professores fez duas manifestações esse ano:
    a primeira para que a educação não fosse considerada atividade essencial.
    a segunda que os professores tivessem prioridade na vacinação.
    Existe coerência nisso?
    Se professor deve ter prioridade, por quê não estariam incluídos os policiais militares e civis, os garis, motorista de ônibus, funcionários de supermercado, padarias, farmácias, açougues, bombeiro de posto de gasolina, construção civil e todo pessoal que vem trabalhando normalmente?

  3. Sou a favor da vacinação, mas a forma que foi veiculada pela imprensa, de que o indivíduo vacinado não apresenta a forma grave e nem vem a óbito, esta sendo um tiro no pé.
    Pois o próprio estudo feito em Serrana mostra números contrários, apesar que diminuiram drasticamente os casos.
    Todo cuidado é pouco, ainda não sabemos totalmente com o que estamos lidando. Acho que é valido todos os métodos que possamos utilizar, acho melhor pecar pelo excesso, do que pela falta.

    1. Em se tratando de medicação, excesso significa OVERDOSE

    1. Basta vc pesquisar um pouco, compare as capitais do sudeste ( onde não houve protocolos de tratamento precoce ), com as outras capitais que aderiram em parte ao tratamento precoce. Veja o dado de mortalidade/habitante e tire suas conclusões

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro lidera a eleição em SP, mas 49,4% desaprovam o seu governo

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro lidera a eleição presidencial para 2022 no estado de São Paulo, segundo o levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 28 de abril e 1º de maio de 2021. Segundo a pesquisa, 32% dos eleitores paulistas votariam em Bolsonaro se a disputa fosse hoje e 23,7% no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — a margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na sequência aparecem o ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro Sergio Moro (6,7%), o governador de São Paulo, João Doria, do PSDB (6,3%); o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, do PDT (6,1%), o apresentador Luciano Huck (5,2%), e o empresário João Amoêdo, do Novo (4,1%) — todos estão empatados dentro da margem de erro. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), testado pela primeira vez na disputa presidencial pelo instituto, aparece com 0,6%. Não souberam opinar ou não responderam 3,8%. Já os que disseram que pretendem votar em branco, nulo ou em nenhum candidato somam 11,5%.

Bolsonaro tem maior votação entre os homens (39,3%) e os que cursaram até o ensino médio (35%) — já o seu menor percentual está entre os jovens de 16 a 24 anos (19,7%). Lula registra as maiores preferências entre os jovens (30,5%) e os que concluíram apenas o ensino fundamental (28,3%) — o seu pior desempenho ocorre entre os que têm curso superior (20,5%).

Avaliação

A pesquisa também mediu a avaliação do governo Bolsonaro no estado: 33,8% consideram a gestão do presidente como ótima ou boa; 18,7% a veem como regular e 42,1% a consideram ruim ou péssima — 1,3% não opinaram.

Quando a pergunta é se aprovam ou desaprovam a gestão, há uma divisão entre os paulistas: 45,6% aprovam e 49,4% desaprovam — 4,9% não responderam

A pesquisa fez entrevistas pessoais telefônicas (sem o uso de robôs) com 1.602 eleitores de 92 municípios.

Maquiavel – Veja

Opinião dos leitores

  1. Eu não voto mais nele, mas vai ganhar de novo. Entre ele e lula eu não voto em ngm. O povo não tem opção, votar em ladrão do Lula jamais!

    1. Vai aparecer a terceira VIA, menos BOZO E LULA. Já basta de tanta barracões.

  2. Todas essas pesquisas são tendenciosas, o certo é a pesquisa das ruas, essa não deixa dúvidas e a do dia 01 de maio foi uma delas, agora bota os outros candidatos na rua para saber como será.

  3. Este Paraná pesquisa não é confiável.Lá para o Paraná sim,em Sao Paulo é a folha e aqui a consult.Em todo o caso,esta eleição está longe de ter um favorito.Se tiver debate o Bozo e o barbudo vão derrapar.Sou mais Mandetta.Muita água vai rolar. ..

  4. Se não saísse uma pesquisa hoje, não manteriam a farsa das pesquisas.
    A pesquisa de sábado, 01/05/2021, com a maior manifestação já registrada na vida política do Brasil, em favor do Brasil, do trabalho, do bem e da democracia não vale de nada!
    Aquilo não era povo, apenas robô! Quem estava na rua não tem representatividade, não vota, talvez, por isso, não admitem o voto ser auditado.
    Essas pesquisas pagas e manipuladas alimentam a vida fora da realidade da esquerda que tenta enganar os menos avisados.
    Em conta simples, se multiplicar a quantidade de robôs que estavam nas manifestações, por sua representatividade, é uma conta de multiplicar por 4 e aparecem os votos dos cidadãos que clamam por ordem, democracia, contra a corrupção, contra o autoritarismo, que querem progresso, vida social, produtividade e ordem.
    Bem diferente daqueles que discursam em um sentido e praticam o sentido oposto.

  5. Mais pesquisa desnecessária e fora de época. Querem “pesquisa” mais confiável do que a calorosa acolhida do povo ao presidente Boldonaro por onde ela passa e do que as grandes e reiteradas manifestações populares em sua defesa, como essa do 1° de maio? Por que não aceitam a realidade?

    1. Não acredito que um ladrão condenado e carrasco de todo brasileiro ainda vote nesse pilantra!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *