Fato inédito: Justiça Federal do RN promove audiência criminal com a ré na sua própria residência

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte deu mais uma demonstração de agilidade no trâmite processual, criando alternativas para realizar audiência. Em fato inédito, foi promovida uma audiência criminal com a parte ré na residência e o Juiz Federal na sede da JFRN. O caso ocorreu na 2ª Vara Federal.

O Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior recebeu a informação de que Francineide de Souza Ferreira, ré em um processo de crime contra a Previdência, não poderia comparecer a audiência porque estava com um bebê com menos de um mês de vida.

Para não atrasar o trâmite processual, o magistrado determinou que fosse instalada na residência de Francineide, no município de São Gonçalo do Amarante, região da Grande Natal, um sistema de comunicação onde a audiência pudesse ser feita via skype. Os técnicos da Justiça Federal instalaram um notebook e ainda criaram uma rede wi-fi, já que não havia internet no local.

Assim, na hora e no dia que havia sido marcado originalmente para audiência, o depoimento ocorreu. Francineide prestou depoimento na casa dela, cuidando do bebê recém-nascido. Na 2ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte, estavam o Juiz Federal Walter Nunes, a Procuradora da República Cibele Benevides e o Defensor Público José Arruda.

Durante a audiência houve acordo e o processo foi suspenso com o compromisso da ré de que pagará 40 parcelas de R$ 50, referente ao valor recebido indevidamente da Previdência.

JFRN