Esporte

Banco suíço confirma pagamento de 3,9 milhões de dólares em propina a José Maria Marin e Marco Polo Del Nero, ex-presidentes das CBF

Foto: Nelson Almeida/AFP

O banco suíço Julius Baer confirmou à Justiça dos Estados Unidos, em documento de 41 páginas tornado público pelo Departamento de Justiça dos EUA que, “por volta de 2013, empresas controladas por José Maria Marin e Marco Polo Del Nero receberam, pelo menos, 3,9 milhões de dólares (R$ 20,1 milhões na cotação atual) em pagamentos de suborno por meio de contas mantidas no Banco”. A informação é do ‘ge’.

Em acordo feito com o as autoridades americanas, o Banco Julius Baer comprometeu-se a pagar 79,6 milhões de dólares (R$ 410,9 milhões) entre fiança e multa. Além disso, o banco admitiu ter lavado 36,3 milhões de dólares (R$ 187,4 milhões) para dirigentes envolvidos no ‘Caso Fifa’.

As propinas pagas eram feitas por agências que funcionavam como intermediárias na compra e venda de direitos de transmissão comerciais de competições.

José Maria Marin foi preso em 2015 na Suíça, sendo extraditado para os Estados Unidos. O ex-presidente da CBF voltou para o Brasil por conta da pandemia, e recorre da decisão em um Tribunal de Apelação nos EUA.

Del Nero, por sua vez, está banido de atividades relacionadas ao futebol desde 2018 pelo seu envolvimento com o caso. Apesar de ter sido indiciado nos EUA, não foi julgado por estar no Brasil, e recorre da decisão da Fifa no Tribunal Arbitral do Esporte, na Suíça.

Lance

Opinião dos leitores

    1. José Maria Marin amiguinho da esquerda? Cara, não estrague sua imagem

    2. Todos dois herdeiros da ditadura. Só gente boa naquele tempo…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *